Busca

Categoria: Android


08:33 · 01.06.2018 / atualizado às 08:40 · 01.06.2018 por
O uso do mobile banking é muito mais seguro do que você pensa

Se você ainda perde tempo em fila para pagar contas está fazendo tudo errado. Há inúmeras maneiras para se livrar desta perda de tempo e uma está bem aí no seu bolso ou na sua mão. Trata-se do seu smartphone. “Mas eu posso ter minha conta invadido por hackers”. Se você acessar sites de pirataria ou outros tipos de páginas suspeitas, se vive clicando em vídeos ou links que qualquer um te envia – ainda mais via aquele grupo de WhatsApp – certamente já pode ter sido infectado. Porém, há como proteger seu aparelho mesmo se você não tiver uma conduta, digamos, das mais ilibadas.

A melhor maneira de proteger seu smartphone é mesmo a conduta de evitar tudo que falamos acima de comportamentos de risco. Não quer ou não pode? Instale antivírus. Há boas opções como das empresas Kaspersky e PSafe. Isso mais para quem tem Android. Para que usa iPhone há menos riscos, mas ainda assim é preciso ter um comportamento de risco zero ou perto disso.

Pronto? Protegido? Pois vamos falar de como usar seu smartphone para furar as filas. Já ouviu falar em mobile banking? Seu banco certamente tem um aplicativo para que você faça transações como pagamentos ou transferências de dinheiro, por exemplo. Basta você procurar seu banco para conseguir a liberação do uso irrestrito dele através de login e senha. Em muitos casos, você pode até ativar uma proteção a mais, acessando seu aplicativo do banco via impressão digital.

Com isso, nada mais de filas. É só pegar o aparelho celular e focar no código de barras. Em segundos o pagamento estará feito. Em estresse ou dificuldades. Pode imprimir ou gerar arquivos digitais para armazenar fisicamente no aparelho, no computador pessoal e até mesmo na nuvem (Google Drive, One Drive ou  iCloud) que você escolher.

Felizmente, o uso do mobile banking está crescendo bastante. Segundo publicação da última revista CIAB Febraban (Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras da Federação Brasileira dos Bancos), Em 2016, 591 mil contas tinham sido abertas via mobile banking no Brasil contra 1,6 milhão de contas abertas em 2017. Uma evolução gigante. Isso consultando 8 bancos com atividade no País. Quer mais dados para ficar mais seguro? Em 2017, do montante de 71,8 bilhões de transações bancárias realizadas no Brasil, 25,6 bilhões foram via mobile banking contra 18,6 de 2016 e apenas 0,1 bilhão de 2011. Quanta diferença, não é mesmo? E isso está acontecendo pela praticidade e segurança do sistema. É infalível? Lógico que não. Assim como quando você vai até uma agência lotérica ou bancária você pode sofrer um assalto antes ou depois ou mesmo dentro daquele ambiente. Pode como também não pode. No ambiente tecnológico, seu comportamento de risco ou não ditará essa segurança.

Enfim, podemos finalizar dizendo que é fácil sim e é muito seguro sim o uso do mobile banking (não infalível). Não vejo a hora para o dinheiro em papel ser abolido. Já dá para pagar com seu smartphone também, o que é ótimo. Mas isso é assunto para uma nova postagem. Pare de perder tempos em filas  hoje mesmo, por favor!

06:01 · 22.05.2018 / atualizado às 14:03 · 18.05.2018 por

Quer deixar seu smartphone Android mais protegido e evitar dor de cabeça com vírus? Anota as dicas abaixo:

Instale um software antivírus – O software antivírus não é apenas para o computador. Um bom software antivírus pode detectar e proteger o smartphone ou tablet Android contra ransomware e outros tipos de malware, realizando a varredura de sites, aplicativos e jogos para garantir a segurança do usuário. Se acidentalmente a pessoa clicar em um link suspeito, baixar um aplicativo malicioso ou tentar instalar um plugin falso, o programa antivírus pode colocar o ransomware em quarentena e impedirá que um ataque ao dispositivo aconteça. Isso, por exemplo, é o que promete o Avast Mobile Security, por exemplo.

Execute as atualizações para o sistema operacional Android – O usuário deve executar todas as atualizações emitidas para o sistema operacional Android, já que muitas delas são relacionadas à segurança.

Faça o backup dos arquivos mais importantes – Há muitas opções, sendo possível programar pelo menos dois tipos de backups regularmente. Dentre eles está o backup na nuvem, armazenamento de dados em um disco rígido externo ou uso de um serviço como o Dropbox. Também há a opção do Google Drive que é gratuito até determinado momento.

Não baixe aplicativos de fontes desconhecidas – Quando se trata de adicionar ao dispositivo Android os melhores e mais recentes aplicativos, é necessário estar bem informado sobre fontes confiáveis como a Google Play Store, evitando lojas de aplicativos de terceiros. A Google tem muitas proteções para combater malwares, mas um criminoso realmente inteligente ainda pode contorná-las. Por isso, a necessidade de instalação de um software antivírus bem como verificar até 4 páginas de comentários, as notas que o app tem e pesquisar sobre ele em sites confiáveis de informação.

Adicione uma camada extra de segurança – Ao acessar o menu Configurações do dispositivo, pode-se desativar a execução de instalações de aplicativos não oficiais. Na área segurança, basta desmarcar a caixa “Fontes desconhecidas”.

Não conceda ao aplicativo a permissão de Administrador do dispositivo – Isso dará ao proprietário do aplicativo a permissão para acessar remotamente o dispositivo, o que na maioria dos casos é uma péssima ideia.

Desconfie de solicitações de instalação pop-up – Sempre que o usuário estiver navegando em um site ou jogando um jogo online e receber uma solicitação pop-up para executar uma atualização ou instalar um plug-in, é melhor não executar a ação. Se um site informar que precisa ser feita uma atualização do Adobe Flash, o ideal é acessar o site da Adobe e obter a atualização mais recente diretamente da fonte. O mesmo é válido para qualquer outro pedido de atualização de software.

Pense duas vezes antes de clicar em links – Os golpes de phishing ainda são a maneira mais popular de distribuir malwares. Um número crescente de tentativas de phishing tem como alvo os dispositivos móveis e aplicativos de mídia social e de mensagens. O usuário não deve clicar em nenhum link recebido via texto ou email de uma fonte desconhecida. Mesmo para os conhecidos, recomenda-se examinar o endereço e a origem do link antes de fazer qualquer ação.

07:20 · 04.04.2018 / atualizado às 07:20 · 04.04.2018 por
Motorola Moto G G5S XT1792 32GB

Um levantamento feito pelo Zoom, site e app comparador de preços e produtos, revela os smartphones mais buscados em março. A liderança do ranking continua sendo do smartphone Motorola Moto G G5S XT1792 32GB 16 MP 2 Chips Android 7.1 (Nougat) 3G 4G Wi-Fi, aparelho que pode ser encontrado a partir de R$ 764,15 e varia de preço em 90%, o que corresponde à maior oscilação da lista.

No segundo lugar do pódio está mais um aparelho da Motorola: o smartphone Motorola Moto G G5S Plus XT1802 TV Digital 32GB 13,0 MP 2 Chips Android 7.1 (Nougat) 3G 4G Wi-Fi, modelo que custa entre R$ 999,99 e R$ 1.499,00. Já em terceiro lugar aparece o Samsung Galaxy J7 Prime , com a terceira maior variação do ranking (86%).

Já entre os aparelhos da Samsung, que ocupam cinco das dez posições do levantamento, só um dos produtos varia de preço em menos de 50%, que é o Galaxy S8, encontrado a partir de R$ 2.639,12.

“O consumidor deve ficar sempre muito atento aos preços de smartphones, e pesquisar muito antes de concluir a compra. Esse mercado está sempre recebendo novidades e isso acaba gerando oscilações nos preços dos produtos dessa categoria’’ comenta Thiago Rocha, especialista de produtos do Zoom.

No ranking, entre os 10 mais buscados, todos usam sistema operacional Android e apenas um é diferente da dupla Motorola-Samsung: um LG. A Apple não aparece em momento algum no ranking com seu iPhone.

Confira abaixo o top 10:

07:19 · 03.04.2018 / atualizado às 07:19 · 03.04.2018 por

A empresa brasileira de segurança e privacidade para usuários Android, a PSafe acaba de chegar ao mundo iOS com o lançamento do dfndr vpn, o primeiro aplicativo para o sistema operacional da Apple. Após quatro anos atuando com foco em Android, a companhia está expandindo sua estratégia de negócios no Brasil e também nos Estados Unidos, país onde mais de 40% dos usuários de smartphone utilizam iPhone.

“Iniciamos esta semana uma nova fase em nossa operação com o objetivo de posicionar a PSafe como referência em segurança e privacidade para todo o mercado de smartphones. Nossa missão é que cada vez mais pessoas se sintam seguras para acessar a internet e tenham suas informações pessoais protegidas de ciberataques, que podem impactar usuários de qualquer sistema operacional”, afirma Marco DeMello, CEO e fundador da empresa. “Até o final de 2019, esperamos ter alcançado mais de 5 milhões de usuários do sistema iOS com este produto”, completa o executivo.

Por meio do serviço de VPN, sigla em inglês para “Rede Virtual Privada”, o usuário pode se conectar a qualquer rede, incluindo Wi-Fi públicas, com promessa de criptografia completa dos seus dados, garantindo a privacidade das informações pessoais trocadas. O IP (protocolo de internet), a identidade e a localização do usuário ficarão invisíveis e protegidos contra hackers em qualquer lugar do mundo. Segundo o executivo, isso acontece porque o dfndr vpn impede que alguém observe ou rastreie o que o usuário faz na internet para protegê-lo.

“Os constantes vazamentos de dados e fotos pessoais e os recentes casos de uso indevido de informações de usuários deixam clara a necessidade urgente e ainda muito pouco discutida que é preciso garantir sua proteção na internet. Com o dfndr vpn oferecemos uma conexão que é como um túnel, por meio do qual garantimos a privacidade total do usuário durante toda a transmissão de informações, desde a saída até a chegada de dados”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab – laboratório de cibersegurança da PSafe.

O dfndr vpn para iOS já está disponível na App Store para iPhone e iPad com iOS 10 ou superior e pode ser baixado gratuitamente. O usuário também pode testar o serviço com dados ilimitados – versão premium – por sete dias sem custo. Após esse período, é disponibilizado ao usuário a opção de assinar a versão premium do aplicativo a partir de R$ 13,15 (valor da mensalidade no plano anual).

06:56 · 08.03.2018 / atualizado às 06:56 · 08.03.2018 por

O Google anunciou a primeira prévia do Android P para desenvolvedores. Ao liberar a nova versão mais cedo, o Google quer, em conjunto com a comunidade Android, criar melhorias e também dar mais tempo para que os desenvolvedores possam preparar seus aplicativos para a chegada do Android P. Segundo comunicado do Google, eles planejam muitas outras novidades durante o Google I/O de 8 a 10 de maio deste ano.

Abaixo, listamos algumas das novas funcionalidades do Android P que já podem ser testadas por desenvolvedores:

Interface de usuário mais refinada e eficiente
Para criar uma interface de usuário mais simples e refinada, o Google removeu diálogos de falhas, notificações desnecessárias. Também refez o volume, configurações e outras áreas para maior compreensão e previsibilidade. Também adiciona um ajudante de bloqueio para que os usuários possam filtrar notificações indesejadas com um único toque.

As notificações ganharam novas funções. A nova notificação MessagingStyle destaca quem enviou a mensagem e como você pode responder. Você pode ver as conversas, anexar fotos e adesivos, e até mesmo usar uma das sugestões de respostas inteligentes, tudo isso direto das notificações.

Nas notificações MessagingStyle você pode ver conversas e smart replies [esquerda] e até mesmo anexar imagens e adesivos [direita]

Além disso, o preview do Android P também promete:

  • Suporte para dispositivos de tela ponta-a-ponta com recortes no display, como visto em alguns modelos recentes
  • Mais performance e eficiência para todos os apps. Entre outras coisas, as novidades trarão um tempo de inicialização mais rápido para seus aplicativos e mais eficiência para a bateria.
  • Segurança: uma UI de autenticação de impressão digital mais consistente em apps e devices
  • Privacidade: Para melhor garantir a privacidade, o Android P bloqueia acesso ao microfone, câmera a todos os sensores do SensorManager para aplicativos inativos.
Tela com imagem de ponta-a-ponta com recorte no topo
07:02 · 18.01.2018 / atualizado às 08:15 · 18.01.2018 por
Mobills: Controle de Gastos e Finanças Pessoais

Todos os trimestres, o Google divulga os melhores aplicativos e jogos em Android Excellence. Os escolhidos representam alguns dos apps e games com as melhores experiências e performances na Play Store.

>>>Fintechs ajudam a organizar as finanças e até a investir

Nesta edição, entre os 22 aplicativos selecionados está um app criado por cearenses: o Mobills: Controle de Gastos e Finanças Pessoais. A escolha se deu pelo melhoramento constante do aplicativo e uso de tecnologias como nuvem e geolocalização para trazer funções úteis para seus usuários.

Confira a lista completa abaixo:

 

Novos aplicativos Android Excellence

 

1tap

Acorns

Airbnb

Blink Health

Blinkist

Clue

Ditty

EyeEm

Fabulous

IFTTT

iReader

Journey

KKBOX

LinkedIn

Mobills: Budget Planner

Musixmatch

Shpock

Stocard

Video Editor

ViewRanger

YAZIO

YOP

Novos jogos Android Excellence

 

Agent A

Bit Heroes

Bloons Supermonkey 2

Dancing Line

DEAD WARFARE: Zombie

Dragon Project

Fire Emblem Heroes

Futurama: Worlds of Tomorrow

Idle Heroes

Last Day on Earth: Survival

Lords Mobile

Lumino City

Modern Combat Versus

Old Man’s Journey

The Walking Dead No Man’s Land

War Wings

13:52 · 14.11.2017 / atualizado às 14:22 · 14.11.2017 por
Executivos do Google e Visa anunciam a novidade em São Paulo

A partir desta terça, 14, os brasileiros poderão usar os seus smartphones para fazer pagamentos de produtos e serviços de maneira simples, segura e rápida com o Android Pay. O Google anunciou a chegada do serviço ao país durante evento realizado em São Paulo na manhã desta terça-feira.

>>>Pagamentos por aproximação se popularizam cada vez mais no Brasil

O Brasil é o 17º país a receber o Android Pay, que já está disponível em países como Estados Unidos, Espanha, Rússia e Japão. O serviço foi lançado inicialmente nos Estados Unidos, em setembro de 2015.

“Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, o Android é o sistema operacional mais popular do mundo e busca sempre oferecer recursos inovadores para seus clientes. Com o Android Pay, os brasileiros agora poderão usar seus smartphones para fazer pagamentos de forma prática, rápida e segura”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google Brasil.

Google promete máxima segurança no Android Pay

Para instalar o Android Pay, primeiro é preciso verificar se o smartphone possui sistema operacional Android KitKat (4.4) ou versões posteriores. Depois, é só baixar o aplicativo do Android Pay gratuitamente na loja do Google Play. Uma vez instalado o app, basta adicionar os dados dos cartões de crédito ou débito dos bancos e operadoras de cartões de crédito parceiros no Android Pay. Neste primeiro momento, o serviço está disponível para os donos de cartões Banco do Brasil (crédito e débito), Caixa (débito), Neon (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) com a bandeira Visa. O Google espera adicionar novos parceiros em breve.

Na hora de pagar por uma compra com Android Pay, basta encostar o smartphone com tecnologia NFC em um ponto de venda que suporte essa tecnologia. Dentre as empresas que aceitam o serviço no Brasil, estão Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Drogasil, Rei do Mate, Café do Ponto, Hering e Ipiranga. O caixa irá selecionar o tipo de pagamento (débito ou crédito) e inserir o valor da compra no terminal. Ao terminar, o cliente deve desbloquear e segurar seu smartphone próximo à máquina. Então, aguardar a mensagem de compra autorizada.

Segundo a assessoria de imprensa do Google no Brasil, a segurança está no centro do Android Pay. “Com a tokenização padrão da indústria, o Android Pay não envia aos comerciantes o número real do seu cartão no ato da compra. O Android Pay também permite que o usuário acompanhe os pagamentos e bloqueie o seu dispositivo caso ele seja perdido ou roubado”, finaliza comunicado para a imprensa.

13:10 · 08.11.2017 / atualizado às 13:10 · 08.11.2017 por
Android Pay deve ser anunciado nesta sexta-feira, 10, em São Paulo, para o consumidor brasileiro

O serviço de pagamento do Google, o Android Pay, pode ser anunciado nesta sexta-feira, 10, como começando a funcionar no Brasil. O imprensa nacional foi convidada para se fazer presente no escritório do Google em São Paulo, onde o anúncio deve ser feito.

O serviço de pagamento móvel do Google chega para concorrer com o Samsung Pay. Até agora, no Brasil, a Apple (Apple Pay) não chegou com o serviço de pagamento móvel dela, apesar de ter sido o primeiro a ser anunciado mundialmente.

Assim como os concorrentes, o Google Pay armazena no aplicativo os dados dos cartões de crédito e débito do usuário e cria carteiras eletrônicas. Para usar, basta aproximar o celular da máquina de cartões. Teoricamente, através da tecnologia NFC, tudo irá funcionar. Se a compra for via internet será necessário apenas colocar as credenciais do perfil Android Pay e dizer de onde sairá o dinheiro.

07:00 · 01.11.2017 / atualizado às 06:59 · 01.11.2017 por
Instalação de mais antenas de celular seria uma boa saída para melhorar a qualidade do sinal 3G e 4G

Estudo da OpenSignal, empresa que, através do aplicativo homônimo (para iOS e Android) consegue analisar a internet móvel de quase 600 mil usuários ao redor do mundo – dos quais 40.717 só no Brasil -, traz o relatório de qualidade da internet móvel no mundo entre 1º de julho a 1º de outubro deste ano. E os números mostram evolução da internet móvel 4G no Brasil em dois cenários: velocidade e disponbilidade.

>>>Estudo da OpenSignal indica que 4G teve melhoria de qualidade no Brasil

De acordo com o levantamento feito pela empresa, o Brasil saltou de um 72º lugar, entre 77 países, para 67ª colocação quando o critério analisado é viabilidade/disponibilidade de sinal 4G no País. Esta colocação deixa o Brasil atrás ainda de países como Camboja, Irã e Costa Rica, por exemplo. Porém, já é uma ligeira evolução.

Melhor ainda é o cenário quando analisamos a velocidade 4G no Brasil. Apesar de nossas reclamações que, muitas vezes têm razão de ser, o país saltou de 49º colocado para 42º entre 77 países analisados, um pouco acima da metade do ranking. A posição nos deixa melhor colocados que países como EUA e Alemanha – gigantes e mais ricos.

É bem verdade que ainda temos muito, muito mesmo a melhorar, especialmente em viabilidade de sinal. Porém, é notória a evolução. Quanto mais políticas que possam ampliar a facilidade de instalação de antenas pelos municípios, mais vamos ter viabilidade de sinal. Outro gargalo é o valor cobrado pela internet móvel no Brasil. É bem verdade que esse custo já foi bem reduzido e temos planos que estão começando a se mostrarem interessantes, mas é preciso seguir evoluindo.

Saber que estamos com velocidade média 4G superior a gigantes como EUA e Alemanha é para empolgar, mas não para achar que já ganhou. É preciso expandir a malha de cobertura, permitir que possamos usar este sinal 4G o tempo todo e que os planos fiquem mais acessíveis.

08:34 · 16.10.2017 / atualizado às 08:48 · 16.10.2017 por

O Horário de Verão está em vigor desde o primeiro minuto de domingo, 15, para moradores das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, além do Distrito Federal. Mas se você não está nestas áreas é fácil desabilitar o recurso automático tanto para smartphones Android quanto iOS. Vamos lá?

Android

Como desconfigurar a função Horário de Verão no Android

No seu smartphone Android basta ir em configurações, depois buscar em Sistema a opção Data e Hora. Em seguida, desmarque as opções “Data e hora automáticas” e “Fuso horário automático”. Pronto.

iOS

Como desconfigurar função Horário de Verão no iOS

No sistema iOS é tão simples quanto. Vá em Ajustes. Depois na guia Geral escolha a opção Data e Hora. Clique lá e escolha a sua cidade como Fuso Horário. Problema resolvido.

Horário de Verão Mac OS X

E nos computadores? Bem, no ambiente Mac OS X, da Apple, basta ir em Preferências do Sistema, depois clicar na opção Data e Hora, ir em Fuso Horário e deixar desmarcada a caixa da opção “Definir fuso horário automaticamente utilizando a localização atual. Abaixo, defina a sua cidade e pronto, adeus mudança automática.

No Windows vai depender de sua versão, mas, basicamente, deverá procurar, em configurações, a opção Data e Hora e desmarcar a opção de ajuste automático para o Horário de Verão.