Categoria: Apple


10:01 · 10.07.2020 / atualizado às 10:07 · 10.07.2020 por

E os aplicativos Spotify, Nubank, TikTok, Waze e Pinterest já estão abrindo normalmente no iPhone. O problema, possivelmente no SDK do Facebook, o sistema de login popularmente utilizado por desenvolvedores nos apps para celulares, pode ter sido o vilão.

Para o Business Insider uma porta-voz do Facebook declarou que o problema foi mesmo no Facebook SDK para o iOS e que a solução estava sendo feita naquele momento da entrevista. Foi bem rápido, mas deixou muita gente preocupada, especialmente os usuários do Nubank. Está normalizado agora. Até a próxima queda!

09:05 · 10.07.2020 / atualizado às 09:42 · 10.07.2020 por

Segundo relatos de usuários no Twitter e no Downdetector, site especializado em verificar falhas em sites e aplicativos, donos de iPhones não estão conseguindo acessar os aplicativos Spotify, Waze, Nubank, TikTok e Pinterest. Eu testei os apps desta lista e alguns amigos também e eles fecham instantaneamente quando você clica neles para abrir. “O meu e de minha abre e fecha do nada. Começou hoje”, afirma a jornalista Lia Girão.

Tentamos contato com as assessorias de imprensa da Apple e dos aplicativos e estamos buscando respostas.

Até agora, o que sabemos é que tudo começou a partir das 3h para usuários Nubank, depois das 7h para quem tem Waze e Pinterest e após às 8h para quem tem Spotify. Tudo isso hoje, sexta-feira, 10.

Segundo o The Verge, embora a causa exata das interrupções ainda não esteja confirmada, as primeiras suspeitas sugerem que o problema é causado pelo SDK do Facebook, que muitos aplicativos usam para gerenciar logins de usuários. Os usuários não precisam usar o Facebook para fazer login em um aplicativo para que isso afete seu software. Não há relatórios semelhantes dos mesmos aplicativos travando em dispositivos Android ou na Web.

Ainda de acordo com o site norte-americano, o Facebook disse em sua plataforma de desenvolvedor esta manhã que estava “ciente e investigando um aumento de erros no SDK do iOS, o que está causando o travamento de alguns aplicativos”. Em um tópico no GitHub publicado por volta das 7h, vários desenvolvedores relataram problemas com seus aplicativos. Entramos em contato com a assessoria brasileira do Facebook e estamos no aguardo de respostas.

Comentários de usuários de iPhone e do Nubank na página do serviço Downdetector

Ao testar outros aplicativos de bancos e de streaming de música não houve qualquer problema.

12:05 · 30.06.2020 / atualizado às 12:06 · 30.06.2020 por

A Busca do Google fez uma parceria com a Universal Brand Development, a Amblin Entertainment e a Ludia para trazer à “vida” 10 dinossauros do “Jurassic World”, graças à Realidade Aumentada (RA). Agora, o gigantesco TRex pode entrar na sua sala de estar, com suas patas pesadas, e o majestoso Braquiossauro pode caminhar entre as árvores do seu bairro.

Como?

Basta digitar o nome de um dinossauro na Busca do Google usando um aparelho móvel, e depois clicar em “Ver em 3D” para girar ou aproximar a imagem e enxergar todos os detalhes. Em seguida, é possível trazer o dinossauro para dentro de casa usando Realidade Aumentada e ajustar o tamanho do animal – assim você pode entender a dimensão desses gigantes em relação aos objetos ao seu redor. Em dispositivos Android, dá para aumentar o volume, ouvir o som dos passos e dos dinossauros.

As feras de “Jurassic World” que podem ser vistas em RA incluem o Tiranossauro Rex, o Velociraptor, o Tricerátops, o Espinossauro, o Estegossauro, o Braquiossauro, o Anquilossauro, o Dilofossauro, o Pteranodonte e o Parassaurolofo.

Bastidores

Os modelos usados na Busca do Google usam a tecnologia do game “Jurassic World Alive”, da Ludia, e representam o que há de mais realista em RA de dinossauros. No vídeo abaixo, você pode conferir como foi feito do Braquiossauro de RA – incluindo os modelos em 3D, as texturas e a animação.

Ao contrário de outros animais de RA do Google – como um cachorro ou um pinguim –, os dinossauros impõem um novo desafio técnico: suas dimensões gigantescas. O novo recurso de escala automática do Android é capaz de calcular a distância entre o celular do usuário e uma superfície ao seu redor – para, em seguida, redimensionar automaticamente o dinossauro de modo que ele caiba na tela do aparelho. Quando a pessoa clica em “Ver tamanho real”, a tecnologia de rastreamento de RA automaticamente reposiciona o dinossauro no ambiente do usuário, para que ele caiba na sala.

Como acessar e compartilhar

Android

Digite o nome de um dos dez dinossauros listados acima no aplicativo do Google ou em qualquer navegador Android e clique em “Ver em 3D”. O conteúdo tridimensional pode ser visualizado em aparelhos com Android 7 Plus, e o conteúdo com RA pode ser visto em dispositivos com ARCore habilitado. Para conhecer todos os dinossauros de forma fácil e simples, use o carrossel no modo 3D.

iOS

Digite o nome de um dos dez dinossauros listados acima no aplicativo do Google ou no Google.com, usando o Chrome ou o Safari. O conteúdo em 3D e RA está disponível em aparelhos com iOS 11 Plus.

Na opção de gravação, é possível criar vídeos em realidade aumentada ou recriar sua cena preferida dos filmes “Jurassic World”.

10:25 · 29.06.2020 / atualizado às 10:25 · 29.06.2020 por

Que tal comprar um iPhone, um dos smartphones mais caros do planeta e não ter um carregador e fone de ouvido na caixa, apenas o cabo USB? É isso que o analista mais furador de lançamentos da Apple garante. Segundo Ming-Chi Kuo, o iPhone 12 virá sim sem os dois acessórios na caixa. Quer tê-los? Compre por fora.

>>>Na Rede Podcast 45: iPhone 12 pode custar mais de R$ 10 mil no Brasil

A remoção seria necessária, informa Kuo, porque o custo de produção do iPhone 12 irá aumentar demais devido à conectividade 5G. Mas, convenhamos, o produto já traz um preço final bem salgado que poderia muito bem incluir os acessórios pelo preço cobrado, mesmo com a elevação dos custos na implantação da nova conectividade.

Hoje, nos EUA, um EarPods com conector lightning, que até agora vem na caixa com o novo iPhone, custa US$ 29. Aqui no Brasil ele é vendido em lojas oficiais por R$ 249. O carregador USB de 5 watts custa, nos EUA, US$ 19. No Brasil ele sai por R$ 149. Agora imagina você pagando US$ 699 lá fora em um iPhone ou R$ 3.999 por aqui e ainda tendo estes custos extras?

Para compensar, a Apple deve oferecer promoções nos AirPods, os fones de ouvido bluetooth. Até imagino a promoção. Visto que no Brasil eles começam a R$ 1.349 e nos EUA o preço inicial é de US$ 159, eles devem tirar 30 dólares lá e 200 reais aqui. E nada mais. Um absurdo total.

Outro benefício que viria, segundo Kuo, seria o lançamento de um carregador de 20 watts que iria substituir os atuais 5W e 18W, mas que seria comprado à parte e não espere um preço camarada.

Pois é meus amigos. Os próximos 4 iPhones da Apple podem não ser revolucionários em termos de novas tecnologias, mas certamente irão trazer mais prejuízos pro seu bolso se você se aventurar a comprá-los.

Fonte: MacRumors

08:30 · 24.06.2020 / atualizado às 08:40 · 24.06.2020 por

Esta semana iremos falar sobre o futuro iPhone, o iPhone 12, que deve ser apresentado em setembro e chegar às lojas e às mãos dos usuários em outubro nos EUA e em alguns países do mundo. Aqui no Brasil lá para novembro ou dezembro.

Powered by RedCircle

Supostas fotos vazadas dos novos iPhones 12 trariam o tamanho das crianças. 5,4 polegadas, 6,1 polegadas e inacreditáveis 6,7 polegadas. Gigante, não é? Haja bolso para o garotão. O design é muito similar. Afora o tamanho diferenciado, vemos um conjunto de 3 câmeras e mais o flash tudo lembrando a versão 11 dos mesmos celulares da Apple. Apesar de serem 3 fotos, serão 4 aparelhos. O iPhone 12 (tela de 5,4 polegadas), os iPhone 12 Max e 12 Pro (tela de 6,1 polegadas) e o iPhone 12 Pro Max, o tijolão de 6,7 polegadas.

Pela imagem parecem muito o visual do iPhone 4 com o conjunto de câmeras do 11, mas com o 12 Max poderá vir com dois sensores traseiros, apesar da imagem mostrar 3.

Por dentro deveremos ter o chip A14 Bionic. O iPhone 12 Max deverá ter tela da LG e os demais da Samsung. O Pro terá profundidade de cor de 10 bits e taxa de atualização de 120 Hz.

Todos terão 6GB de RAM e variações de armazenamento interno de 128GB até 512GB. O mais barato custará US$ 649, no caso o iPhone 12 de 128GB. O mais caro será o iPhone 12 Pro Max de 512GB por US$ 1.399. Trabalhando com a cotação de ontem, 23 de junho, a R$ 5,15, teremos que o mais barato custaria R$ 3.343,84, em conversão direta, e o mais caro sairia por R$ 7.208,07, sem impostos ou taxas. Logo, o mais barato deve custar acima de R$ 4.500, por certo aqui no Brasil. Enquanto o mais caro deve ultrapassar os R$ 10 mil.

Fonte: Twitter/@SonnyDickson/Reprodução

Por enquanto é isso! Volte sempre para saber mais sobre novidades de tecnologia e as novas do iPhone, ok?

15:52 · 22.06.2020 / atualizado às 16:58 · 22.06.2020 por

Apple abandona a Intel e agora terá seus próprios chips (não chegaram a mencionar diretamente o ARM) em seus Macs. Antes da Intel a parceria era com a IBM nos computadores da marca. Toda a migração durará 2 anos, ou seja, até lá, ainda teremos notebooks com processadores Intel e ARM. O anúncio foi feito durante o evento de apresentação da WWDC 2020.

>>>Beleza, praticidade e segurança estão presente nas novas atualizações de sistemas de produtos da Apple

Os focos são eficiência de energia e performance e por isso precisaram trocar para um produto próprio, disse a gigante norte-americana. Nos testes demonstrados vimos um MacBook rodando com o processador A12Z Bionic.

Provavelmente o equipamento demonstrado era o mais potente. Já estão trabalhando com vários parceiros como Adobe e Microsoft para os usuários não terem problemas com este novo chip.

O Rosetta está de volta, agora na versão 2. Esta aplicação foi desenvolvida quando eles trocaram a IBM pela Intel. A ideia é que ele traduzirá os apps existentes não adaptados aos novos sistemas. A ideia é tradução simultânea e sem engasgos. Será um grande desafio para a Apple. Veremos quando os primeiros usuários começarem a usar pra valer. Nos testes da apresentação, óbvio, funcionou perfeitamente.

Aplicativos de iPads e iPhones rodarão sem adaptações no Mac devido a similaridade das arquiteturas de todos os dispositivos.

Para desenvolvedores, a Apple está lançando um “Quick Start Program“. Desenvolvedores terão acesso a documentação, códigos, fóruns privados, labs, suporte específico e um Developer Transition Kit (DTK) baseado num Mac mini com o A12Z, 16GB de RAM, SSD de 512GB. O DTK não estará aberto para todos, mas interessados podem se cadastrar a partir de hoje. Isso falando em desenvolvedores dos EUA.

 

15:36 · 22.06.2020 / atualizado às 17:06 · 22.06.2020 por

Beleza e praticidade nos novos sistemas dos produtos da Apple. Do iOS até o MacOS, tudo foi feito com cuidado para dar mais praticidades e funcionalidades sem esquecer de um design bonito e muito prático, marcas inesquecíveis da Apple. O anúncio foi feito durante o evento de apresentação da WWDC 2020. Confira:

>>>Mac abandona Intel e chips serão próprios e já vistos nos iPhones e iPads

IOS

O iOS ganhou muitas novidades na sua versão 14. Entre elas a tela de início que agora ganha uma Biblioteca de Apps. Esta solução fica no fim das suas telas de ícones que organiza tudo de forma fácil de navegar automaticamente.

Também é possível visualizar, no campo de busca, todos os apps em forma alfabética. Ele também traz sugestões dinâmicas de apps, apps recentes e categorias organizadas automaticamente.

Além disso, com o Picture in Picture, é possível agora navegar por apps no iPhone enquanto você estiver assistindo a vídeos. O modo PiP funciona no canto da tela, redimensionando-o. A grande questão aqui é que foi mostrado com um produto dela. Será que vai funcionar para outros serviços concorrentes como YouTube, Netflix e Amazon Prime Video?

Ele trará um tradutor para concorrer com o Google Tradutor. Através da Siri e da solução Tradutor, com Inteligência Artificial aprimorada, a Apple espera ganhar espaço no mercado. Assim como o concorrente, ele funciona offline e traz vários idiomas, bem menos que o Google. Entre eles está o português, mas não dá pra saber se é o de Portugal ou o brasileiro.

Ele traz, inclusive, um modo de conversação que promete facilitar a comunicação entre duas pessoas que falam idiomas diferentes. Para isso, basta colocar o iPhone em modo paisagem (horizontal).

Infelizmente, para nós jornalistas, não se falou em gravação de ligação telefônica nativa no iOS. Veremos futuramente.

A atualização do iOS 14 estará disponível para os iPhones a partir do 6s. Sinceramente. Eu só atualizaria se tivesse o iPhone Plus pra cima.

Mapas

Há muito tempo a Apple tenta apagar o mico que foi nos primórdios do serviço. O Google Maps ou Waze (que é do Google) dão banho, especialmente fora dos EUA, no Maps da Apple. Porém, nesta nova atualização há novidades que prometem acabar com isso. Haverá guias locais com melhores restaurantes pertos de você que podem ser salvos, inclusive, pelo usuário. Os novos mapas chegarão ao Reino Unido, à Irlanda e ao Canadá ainda este ano.

Para quem não está de carro há um guia para melhores rotas para bicicletas. Também tem espaço para carros elétricos para você pensar suas rotas sabendo onde você vai poder guiar e passar em um “posto” para o seu veículo elétrico.

Sobre o CarPlay, foi mostrado como o iPhone poderá desbloquear o seu veículo via CarKey. Vai começar com a BMW. A tecnologia usa NFC. A promessa é que você consiga, ao perder o aparelho ou trocá-lo, cancelar essa chave e ainda compartilhar a chave do carro para outras pessoas.

IPadOS

O iPadOS também vem com novidades na versão 14. Entre elas, a principal, é que o Apple Pencil está ganhando o recurso Scribble, convertendo texto manuscrito em qualquer app por todo o sistema. A ideia é que a escrita manual surja como se fosse digitada. O Scribble reconhece múltiplos idiomas numa mesma linha, como inglês e chinês.

Quando testei recurso similar em notebook da Samsung nem sempre ele reconheceu. Será que a Apple irá superar a Samsung nisso?

A busca do Spotlight do iPadOS está muito mais parecida com a que vemos no MacOS. O conteúdo fica no centro.

Os equipamentos compatíveis com o iPadOS 15 são:

  • iPad Pro 12.9 polegadas (4ª geração)
  • iPad Pro 11 polegadas (2ª geração)
  • iPad Pro 12.9 polegadas (3ª geração)
  • iPad Pro 11 polegadas (1ª geração)
  • iPad Pro 12.9 polegadas (2ª geração)
  • iPad Pro 12.9 polegadas (1ª geração)
  • iPad Pro 10.5 polegadas
  • iPado Pro 9.7 polegadas
  • iPad (7ª geração)
  • iPad (6ª geração)
  • iPad (5ª geração)
  • iPad  mini (5ª geração)
  • iPad mini 4
  • iPad Air (3ª geração)
  • iPad Air 2

AirPods

Ele traz como principal atualização que é o áudio espacial como no cinema que o som te cercasse. Outra novidade é você estar vendo um filme no Mac e ao atender uma ligação no iPhone ele transfere o áudio automaticamente.

WatchOS

O watchOS 7 traz a opção de um mesmo app oferecer mais informações ao mesmo tempo na tela do relógio. Você poderá compartilhar seus mostradores, direções para usuários de bicicletas e rastreadores de sono. Este último promete ajudar a relaxar até cair no sono, por exemplo. Relatórios estarão presentes no iPhone e no próprio Apple Watch.

Mas o destaque foi o app Exercício que pode tirar você do mundo sedentário com maior facilidade. E isso qualquer tipo de exercício.

Até análise de lavar a mão, de forma suficiente, estará presente no watchOS 7. Exagerado? Talvez não em tempos de pandemia.

Equipamentos que vão rodar o watchOS 7:

  • Apple Watch Series 3
  • Apple Watch Series 4
  • Apple Watch Series 5

MacOS 11

O macOS 11 Big Sur terá muitas mudanças com novo design e apps nativos. Parece muito com o layout do iOS. Os aplicativos ganharam ícones baseados no iOS (como o Mail, o Fotos e a suíte iWork), inclusive. O Finder lembra o app Arquivos.

O Safari, garante a Apple, segue sendo o navegador mais rápido e mais seguro. Ele oferece 50% mais veloz na abertura das páginas. Ele monitora suas senhas salvas para alertar quando há vazamento de dados ou invasões dos sites que suas senhas são usadas.

Os equipamentos que estarão disponíveis para macOS 11 Big Sur:

  • MacBook 2015 em diante
  • MacBook Air 2013 em diante
  • MacBook Pro de 2013 em diante
  • Mac Mini de 2014 em diante
  • iMac de 2014 em diante
  • iMac Pro de 2017 em diante
  • Mac Pro de 2013 em diante
15:38 · 21.06.2020 / atualizado às 06:39 · 22.06.2020 por

A Conferência Mundial de Desenvolvedores Apple (WWDC, na sigla em inglês) 2020 deve trazer muitas novidades de hardware e software em produtos e sistemas operacionais da Apple. O evento é mais voltado para desenvolvedores, mas ultimamente tem trazido muita coisa interessante para consumidores finais.

Este ano há muitas novidades esperadas. Entre elas as principais são o fim (ou interrupção temporária) da parceria com a Intel para os MacBooks, um novo e mais profissional AirPod e o iOS 14 com recursos novos, entre eles a opção de gravação telefônica embutida.

Mac sem Intel

Uma das maiores apostas dos especuladores é que amanhã, 22/6, veremos MacBooks sem o chip Intel e sim ARM, o mesmo que já está embarcado em iPhones e iPads. Além do óbvio maior controle de todo o processo de produção dos computadores portáteis, a ideia da Apple deve ser fazer os MacBooks terem baterias ainda mais potentes e esquentando menos.

AirPods por US$ 349

Por singelos US$ 349 você poderá obter o mais novo AiPod da Apple: o Studio. Ele vir[a com chip H1 e terá conexão rápida com os aparelhos da Apple e ativação por voz. Este precinho nada camarada é para torná-lo produto diferenciado. Se você trabalha profissionalmente pode ser uma opção. Caso contrário é melhor evitar.

Novidades iOS 14

O iOS 14, voltado para os iPhones, trará, finalmente, uma opção de gravar suas ligações telefônicas. Esta opção embutida e já no preço da brincadeira é mais do que necessária para alguns profissionais como jornalistas e até mesmo agentes da lei.

Outras novidades do sistema operacional dos iPhones será suporte à Apple Pencil e o Safari, navegador padrão da Maçã com tradução própria e automática – espero que possamos desativar a tradução manualmente e sem dificuldades.

Outros sistemas

Por falar em sistemas operacionais, durante o evento o iPadOS 14, tvOS 14, MacOS 10.16 e o watchOS 14 serão apresentados. Este último deverá deixar o Apple Watch ainda mais independente do iPhone. E isso é muito bom.

iPads

Sim, teremos novidades nos modelos iPad Air e Mini, este último, sinceramente já deu o que tinha que dar. O modelo Air terá um visual e recursos muito próximos do modelo Pro. E isso, infelizmente, é de causar uma confusão desnecessária. Ganha o cliente se o Air tiver preço bem inferior.

O iPad Mini viria com 8 polegadas, sendo pouco maior que o maior dos novos iPhones. Sem necessidade, não é mesmo?

Mais

Além disso deveremos ver uma nova Apple TV 4K com armazenamentos de 64GB e 128GB e chips A12X ou A12Z. Novos HomePods, aquelas caixas de som smart e medonhas da Apple que já vi gente chorando que comprou e ficou com um horrível peso de porta em casa depois que o equipamento parou de funcionar. Porém, com tantos Echo Dots sendo lançados pela Amazon, duvido que a Apple dê pra trás neste projeto.

Sim, veremos um novo iMac na WWDC 2020. Eles viriam sem os drives Fusion e sim com SSD apenas e placas de vídeo dedicadas com tecnologia AMD. Devem manter parceria com a Intel, provavelmente a família 10, mas o destaque maior estará para o monitor. Deve vir com bordas finas como o Pro Display XDR.

E você? O que acha que de mais legal veremos?

07:00 · 04.06.2020 / atualizado às 10:22 · 04.06.2020 por

A união da tecnologia dos algoritmos com curadoria de quem ama entretenimento. Essa é a premissa do Chippu, aplicativo criado para dar dicas e sugestões de séries e filmes em plataformas de streaming. Disponível para iOS e Android, o produto conta com um catálogo de mais de 10 mil produções espalhadas por serviços como Netflix, Amazon Prime Vídeo, Google Play e iTunes. A iniciativa é liderada pelos empresários Thiago Romariz e Vitor Porto Brixi, além dos engenheiros Luigi Pedroni e Thamer Hatem, proprietários da empresa de tecnologia Happe.

Thiago Romariz é um dos idealizadores do Chippu

As dicas no Chippu vêm de duas formas: diárias e instantâneas. Os curadores do aplicativo sugerem filmes e séries baseadas no perfil dos usuários, uma por dia, e mostram onde achar o produto e por quê assistí-lo. Mas caso o desejo seja escolher um filme a qualquer momento, basta tocar no botão “Quero uma dica” que o Chippu indica o programa ideal para aquele momento. “A ideia aqui é unir as preferências do usuário com o que há de melhor nos streamings, sem que ele precise ficar horas procurando um filme. Em tempos de excesso de informações e conteúdo, acreditamos que a curadoria resolve problemas e economiza tempo das pessoas”, diz Romariz, jornalista e criador de conteúdo com passagens pelo Omelete, CCXP, ESPN Brasil, Fundação Oswaldo Cruz, Yahoo e atualmente head de conteúdo & PR da fintech EBANX.

Para Pedroni, a tecnologia por trás do Chippu é feita para sustentar a curadoria e não manter o usuário dentro de uma bolha. “Usamos um algoritmo que é focado em trazer as produções mais adequadas para cada pessoa com agilidade, mas sem perder a humanidade que uma indicação precisa. A ideia aqui é evoluir todos os dias para que a interação fique ainda mais natural e menos mecanizada”, diz. “Não queremos incluir as pessoas em mais uma bolha, pois aqui usamos a tecnologia para ajudar no acesso, na velocidade do serviço e para otimizar o trabalho da nossa equipe de curadoria”, adiciona Hatem, que promete novidades semanais no app. “Teremos novas funções e produtos com muita regularidade, pois estaremos escutando nosso consumidor a todo momento e já temos planos para os próximos meses”, completa.

A pandemia e o mercado do entretenimento

Lançado em versão beta, o Chippu foi desenvolvido durante a pandemia, mas nasceu de uma ideia antiga de Romariz: unir dados, tecnologia e conteúdo. “Essa ideia estava comigo há um tempo, mas nunca víamos um momento ideal, nem uma interface que fizesse sentido. Hoje, com um mercado de streaming aquecido e a necessidade de curadoria cada vez mais latente, acreditamos que chegou a hora do Chippu”, diz Thiago, lembrando que o desenvolvimento foi feito de forma remota. “Parte da equipe está em Curitiba, parte em Brasília. Tudo foi discutido, criado e desenvolvido por reuniões virtuais. Somos, de fato, um produto criado dentro do novo normal”, diz Pedroni.

A pandemia fez o consumo de streaming crescer vertiginosamente no mundo inteiro. Segundo pesquisa realizada pela plataforma Conviva, a audiência destes serviços cresceu 20% no início deste ano e se comparada ao mesmo período do ano anterior o crescimento beira os 80%. Para Romariz, essa expansão é um reflexo direto da quarentena, mas também um fato que irá permanecer no comportamento coletivo de toda uma geração, pois era padrão antes da Covid-19. “A indústria de streaming está se descobrindo em muitos sentidos, e a pandemia acelerou algumas tendências e o processo de digitalização de algumas marcas. No Brasil, se hoje temos Netflix, Amazon, Fox e Globo investindo em plataformas assim, ano que vem teremos Disney, HBO e outras. Nós do Chippu acreditamos que estamos no começo de uma era que será pautada pela união de dados e conteúdo em larga escala, e a curadoria é um serviço importante para todos os usuários”, opina.

07:57 · 14.05.2020 / atualizado às 08:03 · 14.05.2020 por

O Samsung Galaxy A30s foi o celular mais buscado em abril de 2020 no Zoom, site e app comparador de preços e produtos. O smartphone intermediário da Samsung conseguiu desbancar o Redmi Note 8, modelo da Xiaomi que estava há cinco meses na liderança. O cenário teve a contribuição da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, que fez com que os preços dos celulares chineses importados subissem no País.

A Motorola também aparece no ranking com dois modelos da linha Moto G8 que apresentaram bom custo-benefício no período, e a Apple (iPhones XR, 8 Plus e 11) completa a lista para reforçar que os consumidores estão dispostos a pagar preços mais altos em celulares avançados.

“Os smartphones da Xiaomi tiveram aumento de preço a partir da segunda quinzena de abril, o que pode ter influenciado na busca por alternativas mais baratas – como é o caso do Galaxy A30s, da Samsung. Desse modo, a corrida pelo melhor custo-benefício fica mais acirrada entre as principais marcas e a chinesa perde um pouco da popularidade alcançada no último ano”, comenta Ana Marques, especialista da categoria de Celulares do Zoom.

Confira o levantamento do Zoom, site e app comparador de preços e produtos, sobre os smartphones mais buscados em abril:

Lembrando que os preços podem sofrer alterações já que a busca é dinâmica e acompanha a variação de preços dos próprios varejistas.

O levantamento considera os smartphones mais buscados de 1 a 30 de abril de 2020

Para coletar o preço mínimo dos smartphones desta lista, usamos nossa base de dados com as os valores praticados entre os dias 1 e 30 de abril de 2020. Os preços estão sujeitos à alteração mediante disponibilidade no mercado.

Nota do editor

Eu diria que além da questão do preço, o medo e a maior dificuldade na importação do produto chinês pode estar relacionado a falta de interesse. Várias notícias que dão conta de apreensão e multa de pequenas lojas que viviam de importar produtos chineses autuadas pela Receita Federal deve ter feito os produtos subirem de preço e até ficarem menos disponíveis. Sim, pois há pouco os Xiaomi só faltavam cair do céu tanta era a oferta.

É bem verdade que vi duas propagandas em TV local de lojas ofertando a entrega dos celulares da marca chinesa em domicílio, inclusive. Ainda há espaço para o retorno da marca ao primeiro lugar. Certo é que praticamente dodos que a usam aprovam e viram fãs de, inclusive, tentar catequizar outros consumidores para comprarem smartphones Xiaomi.

E você? É fã ou hater da marca chinesa? Eu, particularmente, acho que é um tanto arriscado comprar algo sem garantia. Porém, tenho que dizer que as configurações e o desempenho dos aparelhos desta marca são muito bons dentro do mundo Android.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags