Categoria: Apple


07:33 · 10.12.2019 / atualizado às 10:41 · 10.12.2019 por

Todo o ano a tecnologia evolui e alguns smartphones antigos vão ficando pelo caminho. Alguns aplicativos se esforçam para manter suporte para velhos sistemas operacionais. Porém, em nome da segurança há um limite. E para 2020, vários celulares que usam sistema operacional Android e iOS deixarão de ter condições de usar o WhasApp. Mais quais?

>>>Saiba como usar a mesma conta do WhatsApp em dois celulares diferentes

Os smartphones que usem Android 2.3.7 ou inferior e iOS 8 ou versões inferiores não vão conseguir mais utilizar o aplicativo de mensagens após 1º fevereiro de 2020. Porém, é importante notar que já agora alguns recursos não serão mais possíveis de funcionar.

A coisa piora ainda mais se você for usuário do já morto Windows Phone. Este deixará de ter suporte total ao aplicativo de mensagens já em 31 de dezembro.

Quem tem aparelhos a partir do Android 4.0.3 e iOS 9 (ou versões mais recentes), além do KaiOS 2.5.1 ou mais novo seguirá tendo total suporte ao WhatsApp.

E o nome do aparelho?

Se você tem do Samsung Galaxy S3 ou versões mais antigas ou iPhone 4 ou versões mais antiga, pode ter certeza que o seu tempo como usuário do WhatsApp está perto do fim. Agora, sejamos sinceros. Se você tem estes dois aparelhos já passou da hora de investir em algum celular mais moderno. Nem que seja de marcas não tão qualificadas como Samsung e Apple.

Qual minha versão?

Para saber sua versão no Android siga os seguintes passos:

1 – Clique em “Configurações”
2 – Selecione “Sistema”
3 – Clique em “Sobre o Telefone”
4 – Depois você verá a versão do Android (no caso do meu é o 8)

Se seu Android for da Xiaomi o caminho será diferente:

1 – Clique em “Configurações”
2 – Clique em “Sobre o Telefone”
3 – Depois você verá a versão do Android

Para seu iPhone faça o seguinte:

1 – Clique em “Ajustes”
2 – Depois em “Geral”
3 – Clique em “Sobre”
4 – Então achará a “Versão do Software” (no meu caso é a 13.1.3)

07:57 · 09.12.2019 / atualizado às 13:06 · 09.12.2019 por

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) de Fortaleza conta, desde 2014, com um laboratório de capacitação e treinamento em tecnologias das plataformas Apple (iOS, ipadOS, tvOS, watchOS), consequentemente resultando no desenvolvimento de aplicativos. Neste 9 de dezembro, às 19h, 40 estudantes da terceira turma da Apple Developer Academy participarão do cerimonial de conclusão do curso, após disponibilizarem seus produtos na App Store.

A seleção para integrar a Apple Developer Academy do campus de Fortaleza é realizada bianualmente, com vagas destinadas aos alunos do IFCE e da graduação de qualquer instituição de ensino superior credenciada pelo MEC.

De acordo com o coordenador do laboratório do IFCE de Fortaleza, Carlos Hairon, a participação nesta iniciativa é muito valiosa para os estudantes. “Eles experimentam o trabalho de equipe em uma metodologia que valoriza a construção coletiva, entram em contato com o sistema de produção de novas tecnologias e participam de um projeto mundial, podendo vivenciar eventos internacionais que agregam um diferencial aos currículos deles”, explica ele.

As atividades de capacitação, com cada turma de participantes, acontecem durante 24 meses, sob a mentoria de desenvolvedores de software e designers capacitados na metodologia de ensino CBL (Challenge Based Learning – Aprendizagem por Desafio), contando com apoio e supervisão de professores do IFCE. As aplicações desenvolvidas precisam resolver problemas reais e serem destinadas às plataformas iOS, watchOS, tvOS, macOS e ipadOS.

A seleção da quarta turma que integrará a Apple Developer Academy em 2020 está em curso.

06:31 · 06.12.2019 / atualizado às 06:40 · 06.12.2019 por

Anualmente a Apple divulga sua lista dos melhores aplicativos. Este ano, o anúncio foi feito no dia 2 de dezembro, durante um evento em Nova Iorque e, na lista, um dos destaques é brasileiro: Filmr, o primeiro aplicativo de edição de vídeo criado por uma empresa 100% brasileira.

A Filmr tem como objetivo ajudar pessoas e produtores de conteúdo a desenvolver vídeos de forma fácil, rápida e com qualidade de edição profissional. Desenvolvido especialmente para amantes de vídeo e edição que utilizam as redes sociais, a ferramenta tem sido usada por diversos influencers, blogueiras e por marcas. A Filmr traz uma série de diferenciais em relação a seus concorrentes. Um dos principais é que a estrutura de edição é vertical – pensada para os aparelhos celulares.

O aplicativo reúne uma série de funções, tornando possível a produção de vídeo de onde estiver. Entre as funcionalidades mais utilizadas pelos usuários do aplicativo, destacam-se: transições, filtros e efeitos.

Outra funcionalidade do app permite gravar vídeos inserindo personagens inusitados com Realidade Aumentada, os chamados Filmr Toys. Entre eles estão um unicórnio colorido, um panda ou até mesmo um E.T. que some no espaço.

O app tem integração nativa com as principais redes sociais – Instagram, Facebook, Youtube, WhatsApp e Twitter – o que possibilita desde a edição até o post diretamente nas redes sociais.

Criado e desenhado em São Paulo e traduzido para 28 línguas, Filmr é o primeiro aplicativo de edição de vídeo feito por brasileiros e está disponível para download gratuito na Apple Store e na Google Play. O app tem hoje mais de 20.000 assinantes ativos espalhados por países como: EUA, Brasil, Rússia, México, França, Índia e China.

O modelo de negócio da plataforma é similar à do Spotify e Netflix – o usuário faz uma assinatura que libera diversas funcionalidades, efeitos, filtros, transições e muito mais. A projeção é que a empresa fature mais de R$ 3 milhões este ano.

Confira a relação completa dos apps em destaque no Brasil

Aplicativos gratuitos

– WhatsApp Messenger
– Instagram
– YouTube
– Facebook
– Messenger
– iFood
– FaceApp
– Uber
– Netflix
– 99
– Spotify
– Nubank
– Gmail
– Rappi
– Snapchat
– Uber Eats: entrega de comida
– Top Figurinhas Memes Adesivos
– Google Maps
– Lomotif
– Mercado Livre

Aplicativos pagos

– WatchChat para WhatsApp
– Facetune
– As Semanas Magicas
– TouchRetouch
– Forest
– Portabilidade
– 8mm Vintage Camera
– AutoSleep
– kirakira+
– Dalgona
– Camera+
– Resumo LeiSecaRJ
– Fer Fontoura
– DSLR Camera
– Patrulha Canina: Céu + Mar
– Glitché
– Full Fitness
– My Baby’s Beat App
– Color Wheel – Basic Schemes
– Procreate Pocket

06:56 · 01.12.2019 / atualizado às 06:59 · 27.11.2019 por

Os apps já correspondem a 80% de todo o tempo que usuários gastam nos smartphones. No Brasil, esse número chega a 85%. Só em 2019, já foram feitos 143 bilhões de downloads, o que representa US$ 120 bilhões em gastos nas lojas de apps ao redor do mundo. Entre os países que mais baixam aplicativos, o Brasil está na terceira posição, atrás apenas da Índia e dos EUA. Isso é o que mostra o Relatório de Tendências de Apps para Dispositivos Móveis de 2019 da Liftoff , empresa de marketing e retargeting de aplicativos para dispositivos móveis.

“O Brasil tem como característica o aumento nos downloads impulsionado por novos usuários, e à entrada de novos dispositivos no mercado, além de uma demanda reprimida por aplicativos de todos os tipos”, diz Antonio Affonseca, diretor de vendas da Liftoff no País. Isso faz com que os brasileiros estejam entre os menos leais aos aplicativos que baixam.

Novos apps adicionados às lojas

Os apps para Android dominam o mercado. Entre setembro de 2018 e agosto de 2019, foram inseridos por desenvolvedores 1,45 milhões de novos apps no Android contra 489 milhões no iOS. Os tipos de novos apps que dominaram a Play Store no período foram os de Jogos (222 milhões de novos aplicativos na plataforma), seguido de Entretenimento (160 milhões) e Música (154 milhões). No caso da App Store, as categorias Jogos, Negócios e Utilitários tiveram 59, 55 e 54 milhões de novos aplicativos adicionados à loja.

Mesmo parecendo que a categoria de Jogos está a todo vapor, nota-se também, pelo comparativo com anos anteriores, que o número de apps desenvolvidos e adicionados às lojas vem caindo vertiginosamente. Em 2017, o número era 43% maior do que em 2019. Ainda assim, a receita do mercado de apps de jogos subiu 4,7%, chegando a US$ 41,5 bilhões no período.

Jogos é a categoria com mais downloads

Com relação à quantidade de downloads, de setembro de 2018 a agosto de 2019, foram baixados 143 bilhões de apps, o que representa US$ 120 bilhões em gastos nas lojas de apps ao redor do mundo. Os aplicativos de Jogos foram os mais baixados, 41 mil downloads na Play Store e 15 mil na App Store.

Aplicativos de Entretenimento e de Comunicação (aplicativos de mensagens instantâneas) aparecem também no top 3 dos mais baixados da loja do Android, com 5,7 milhões e 4,7 milhões downloads, respectivamente. Enquanto na loja do iOS, foram os de Foto e Vídeo (3,3 milhões), seguidos pelos Utilitários (como despertador, lanterna e calculadora, por exemplo) e Entretenimento, ambos com 2,7 milhões.

Economia compartilhada

Um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que 89% dos brasileiros que já experimentaram alguma modalidade de consumo colaborativo aprovaram o modelo. Os apps de economia compartilhada viraram moda há poucos anos e, em 2017, foram 595 milhões de downloads de apps desta categoria. Já em 2019, o número caiu para 572 milhões. Ainda assim, os downloads de 2019 foram 0,9% maiores que no ano anterior.

Apps de Transporte

Com o boom dos aplicativos de transporte há alguns anos, o número de downloads em 2017 era de 435 milhões, apesar de uma queda considerável (28%), em 2019 foram baixados 313 milhões de vezes.

Sobre a metodologia

O Relatório de Tendências de Apps para Dispositivos Móveis da Liftoff tem como base a análise de dados internos entre 01/07/2018 e 31/08/2019, incluindo 349 bilhões de impressões, 5,35 bilhões de cliques, 128 milhões de instalações de apps e 76,6 milhões de eventos pós-instalação.

06:48 · 27.11.2019 / atualizado às 06:52 · 27.11.2019 por

Através de leilão eletrônico no site da Receita Federal, a Alfândega do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, irá realizar o certame, válido para pessoas físicas e jurídicas, de 210 lotes. São produtos de perfumes até iPhones e notebooks da Apple (os MacBooks), passando por bebidas e até bicicletas e acessórios. Veja tudo neste link.

O que mais chama a atenção são kits que trazem MacBooks da Apple e iPhones. Há outros kits com iPhones e câmeras GoPro e também kits com iPhones e caixas de som da marca Bose. Os preços se iniciam em R$ 1.200,00.

Os lotes já estão disponíveis para visitação dos interessados no seguinte local:

Depósito: GRU/AIRPORT
Alfândega do Aeroporto Internacional de São Paulo
Rodovia Hélio Smidt, s/nº, Armazém de Perdimento, localizado ao lado esquerdo do Terminal 1
Dias: 26 a 28/11/2019
Horário: 9h às 11h30 e das 13h30 às 16h

O início das propostas começa amanhã, 28/11, às 8h e vai até 2/12, 20h. A classificação será feita até as 10h do dia 3/12 e, a partir das 11 horas (previsão) do dia 3/12, será realizado o leilão eletrônico.

Quem pode participar

O leilão é virtual – via Sistema de Leilão Eletrônico da Receita Federal e podem participar pessoas físicas e jurídicas.

A participação no leilão eletrônico se dará mediante o uso de certificado digital válido do interessado, via acesso ao Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC), opção de atendimento “Sistema de Leilão Eletrônico (SLE)”, considerando-se as informações relativas ao respectivo certificado digital vinculadas às transações inerentes e eventualmente realizadas no SLE. Para obter um certificado digital siga os passos neste link.

Os bens arrematados por pessoas físicas somente poderão ser destinados a uso ou consumo, vedada sua destinação comercial. Os bens arrematados por pessoas jurídicas poderão ser destinados a uso, consumo, industrialização ou comércio.

Retirada

A retirada das mercadorias arrematadas deverá ser feita no Aeroporto de Guarulhos a partir de 11/12, mediante prévio agendamento, pelo arrematante ou por seu procurador legalmente constituído.

Veja alguns produtos que você poderá encontrar no leilão:

Apple iPhone Xs Max

Lote mínimo de R$ 2 mil pelo iPhone XS Max de 256GB (ao menos 4 unidades)

Apple Macbook Pro 13 polegadas

Lote mínimo de R$ 4 mil pelo notebook Apple Macbook Pro 13 polegadas space gray 2.3 GHz 8GB de RAM e 512GB de armazenamento interno e Touch Bar.

Apple iPhone mais caixa de som da Bose

Kit iPhone XR 256GB de armazenamento interno e caixa acústica Bose Sound Link Mini. Valor mínimo: R$ 1.200,00.

Kit iPhone Xr 128GB de armazenamento mais câmera GoPro Hero 6 Black com valor mínimo de R$ 1.500. (ao menos dois kits)

Kit iPhone Xr 256GB de armazenamento mais câmera GoPro Hero 6 Black com valor mínimo de R$ 1.500. (ao menos dois kits)

MacBook mais iPhone X

Kit Notebook Apple MacBook Pro A138 com 15 polegadas, 2.2 GHz, 16GB de RAM e 256GB de armazenamento mais iPhone X sem acessórios. Valor mínimo R$ 5 mil.

17:17 · 02.11.2019 / atualizado às 14:06 · 04.11.2019 por

Se você tem o iPhone 4s, iPhone 5 ou iPad mini Wi-Fi+Cellular, iPad 2 com função celular, iPad de 3ª geração com conexão celular, iPad com tela retina ou iPad de 4ª geração com conexão celular devem atualizar seus dispositivos da Apple ainda hoje ou até amanhã, 3/11, antes das 9h. Isso porque neste horário os aparelhos perderão funções muito importantes e ficarão praticamente “mortos” para o uso.

Tudo isso se deve a uma falha na contagem do tempo deles que afeta o GPS e começou em abril deste ano, chegando agora aos produtos da Apple. O problema envolve o GPS do telefone e ocorre apenas a cada 19 anos, fazendo com que os dispositivos percam o tempo adequado. A Apple enviou uma correção durante o verão, mas precisa ser instalada no domingo ou os usuários perderão o acesso.

Como resolver?

Os donos de iPhone 5 vão precisar atualizar o iOS para a versão 10.3.4, bem como donos de iPhones de 4ª geração. Donos de iPhone 4S, iPad mini, iPad 2 com função celular, iPad tela retina ou iPad de 3ª geração com conexão celular vão precisar atualizar para a versão 9.3.6.

Basta seguir o seguinte caminho para isso:

  1. Clique em “configurações”
  2. Depois em “geral”
  3. Por fim, em “atualização de software”

O que vai “morrer”

Se você não atualizar tudo até o horário citado acima, serviços como navegação Web, App Store, e-mail e iCloud não vão funcionar.  Se o horário passar, use um computador (Mac ou PC Windows) para restaurar os aparelhos.

12:53 · 31.10.2019 / atualizado às 12:53 · 31.10.2019 por

No começo deste ano, foi liberado para usuários do iPhone desbloquear o WhatsApp via Touch ID e o Face ID. Era uma camada a mais de segurança. Agora, usuários de celulares Android poderão liberar o uso do aplicativo via leitor de impressão digital, desde que seu aparelho tenha esse recurso. Esta novidade já era usada por quem era usuário Beta do app.

Para fazer a solução funcionar em seu smartphone, além de ter um aparelho com leitor de impressão digital, siga os seguintes passos:

1 – Clique em configurações
2 – Depois clique em Conta
3 – Agora toque em Privacidade
4 – Clique em “Bloqueio por Impressão Digital”
5 – Pronto, agora você tem mais uma camada de segurança via sua impressão digital.

07:10 · 25.10.2019 / atualizado às 07:20 · 25.10.2019 por

Clientes que possuam o Fire TV Stick Basic Edition no Brasil já podem baixar o aplicativo Apple TV. O app foi disponibilizado ao longo do dia de ontem, 24/10.

Pela primeira vez, usuários podem assistir pelo Fire TV os filmes e conteúdos que eles compraram da Apple. A partir de 1º de novembro o Apple TV+, app onde ficarão filmes e atrações totalmente originais dos maiores contadores de histórias do mundo, também estará disponível para assinantes do Apple TV no Fire TV.

O app Apple TV é onde fica o Apple TV+, que terá vários conteúdos muito aguardados, incluindo séries, filmes e documentários originais, como “The Morning Show”, “Dickinson”, “See”, “For All Mankind” e “The Elephant Queen”.

Após um breve período de confusão com o Google, a Amazon voltou no começo deste ano a liberar o uso do aplicativo do YouTube no Fire TV Stick Basic Edition. Enquanto estava barrado, clientes usavam os navegadores presentes no produto da Amazon para acessar o site do YouTube.

14:40 · 24.10.2019 / atualizado às 14:40 · 24.10.2019 por

Usuários do WhatsApp Beta (tanto para iPhones quanto para smartphones Android) já estão recebendo a função de proibir ser incluído em grupos de conversa no aplicativo. A função de ser incluído em grupos sem sentido agora depende de sua aprovação. Como na imagem abaixo.

Antes, qualquer um podia te incluir em “n” grupos no WhatsApp. Isso deve reduzir sua dor de cabeça no aplicativo.  Você terá 3 dias para aceitar o convite. Após este prazo, o convite expira.

A função não estará ligada por padrão. Logo, você terá que fazer a ativação. Existem 3 opções de controle. Vamos aos passos:

1 – Todos

Qualquer pessoa pode te adicionar nos grupos, mesmo sem sua autorização. É o que já tínhamos.

2 – Apenas Contatos

Aqui, somente os números que estiverem registrados na sua agenda do telefone conseguirão te adicionar nos grupos, mesmo sem seu consentimento.

3 – Meus Contatos, Exceto

Aqui você escolhe, da sua lista de contatos, os que não deseja que tenham acesso a te chamar para grupos. Na dúvida, marquei todo mundo, ou seja, ninguém me convida para grupos sem eu aceitar.

06:51 · 24.10.2019 / atualizado às 08:05 · 23.10.2019 por

Sabe que o GPS tradicional é sempre uma mão na roda para você que viaja de carro no exterior ou mesmo no Brasil, fora da sua cidade. Pois bem, não é necessário pagar a mais para ter um. Há aplicativos gratuitos que podem te ajudar a se movimentar pela cidade sem problemas.

Estou falando de alguns como Google Maps, Waze e Here Maps, além do Mapas da Apple. Todos gratuitos. Eu gosto de todos, mas o meu preferido é o Maps. Os mapas offline são perfeitos e você nem vai precisar de um plano 4G lá fora para se virar. Logicamente, se tiver o plano de internet vai ter a atualização em tempo real que é uma mão na roda. E sim, eu sei que o Here e o Waze também tem versão offline dos mapas, apesar do Waze você vai ter uma rota, não um mapa como o Here e o Google. Aliás, o Here tem até informações mais detalhadas que o Google em alguns cenários. Mas o meu preferido é o produto do Google. Questão de gosto e por motivos de usar mais o Google Maps que os rivais. Faz parte.

Por isso resolvi gravar a dica abaixo. Confira o nosso podcast e fique ligado:

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags