Categoria: Apple


06:13 · 17.01.2019 / atualizado às 06:46 · 17.01.2019 por

A Apple foi novamente derrotada pela VirnetX em disputa judicial que se arrasta desde 2010. Desta vez, o Tribunal de Apelações Federal dos EUA deu ganho no valor de US$ 439,7 milhões para a VirnetX. As patentes em questão tem relação com o FaceTime.

A disputa teve início com uma derrota da Apple, em tribunal dos EUA em outubro de 2016 na qual a empresa de Cupertino teria que pagar US$ 302,4 milhões para VirnetX.

A Apple lamentou o resultado e vai recorrer. Interessante notar que as patentes utilizadas no caso foram invalidadas pelo Patent and Trademark Office, o escritório de patentes e marcas norte-americano. VirnetX prometeu recorrer.

08:20 · 14.01.2019 / atualizado às 10:53 · 14.01.2019 por

Geralmente lojas oficiais de aplicativos como a Google Play e App Store são confiáveis. Raramente a loja da Apple tem furos de segurança. Algumas vezes, já vimos esse problema para smartphone Android. Porém, e quando o inimigo já vem instalado de fábrica? Foi o que aconteceu com dois smartphones da chinesa TCL-Alcatel: Pixi 4 e A3 Max.

A denúncia, publicada no jornal O Globo, diz que os dois aparelhos vinham, instalado de fábrica, com o aplicativo “Weather Forecast – World Weather Accurate Radar”. O problema é que o app não só oferecia a previsão do tempo, como deveria, ele enviava dados pessoais do dono do aparelho para um servidor na China.

O aplicativo acessava, em segundo plano, sites com publicidade e ainda tentava fazer assinaturas de serviços on-line. Isso consumia de 50MB até 250MB por dia do seu plano.

Como foi descoberto?

Segundo o jornal O Globo, a fraude foi descoberta pela UpStream. “Nós descobrimos que este aplicativo de previsão do tempo era pré-instalado em alguns aparelhos específicos da Alcatel e também disponível para download na loja Google Play. É difícil mensurar quanto o esquema rendeu, mas o que sabemos é que em julho e agosto, apenas no Brasil, nós bloqueamos 2,5 milhões de tentativas de assinaturas fraudulentas feitas por 129 mil números de telefone. Ao todo, incluindo os sete mercados, se não tivéssemos feito o bloqueio os consumidores teriam prejuízo de US$ 1,5 milhão”, disse o executivo da empresa de segurança para o jornal carioca. É muito dinheiro que eles faturaram usando você.

Este aplicativo foi criado e publicado pela própria TCL. Ele tinha acesso a localização geográfica (até aí tudo bem), mas pedia permissão para ligar e desligar a rede Wi-Fi, alterar arquivos do sistema e armazenados, acessar o estado do aparelho — número do telefone, rede acessada e lista de contas registradas — e arquivos de log. Essas coisas seriam realmente necessárias para um app de tempo?. Segundo a UpStream contou para a reportagem do O Globo, a geolocalização, endereços de e-mail e até o IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel, na sigla em inglês) do celular eram transmitidos para um servidor na China.

E parou?

Segundo o executivo da empresa de segurança, é que após eles denunciaram o fato para a TCL-Alcatel, a atividade cessou. O aplicativo até parou de acessar sites em segundo plano, mas continua transmitindo dados pessoais. Atitude completamente suspeita e lamentável, para dizer o mínimo.

E a TCL-Alcatel com isso?

Entramos em contato com a TCL-Alcatel pedindo explicações. Em nota, eles responderam o seguinte:

“A TCL Communication trabalha em estreita colaboração com todos os seus parceiros para garantir que seus clientes desfrutem de uma ótima experiência quando usam seus dispositivos móveis. Cada aplicativo de celular desenvolvido é enviado pelo VirusTotal, que inspeciona a transmissão de cada aplicativo com mais de 70 scanners antivírus diferentes, para garantir a entrega de uma experiência segura à loja Google Play, incluindo os aplicativos que têm parceiros terceirizados adicionais, aproveitando de seus SDKs. Cada aplicativo passa pelas verificações de segurança do Google antes de ser listado na loja Google Play.

Mesmo com todas essas proteções, a empresa entende a necessidade de permanecer vigilante com a segurança de seus clientes, e é por isso que está removendo o acesso de terceiros ao SDK de seus aplicativos para celular, com exceção do Google e de outros poucos parceiros globais confiáveis ​​e certificados. Também avaliará novos consultores de segurança que possam fornecer certificação adicional da segurança dos aplicativos de celulares que ela desenvolve”.

O app segue lá na Google Play. Sofreu uma atualização que está, inclusive, irritando os usuários. Talvez a atualização, além de remover as brechas de segurança, reduziu a eficiência do aplicativo. A sugestão que damos é delete o app o mais rápido possível. Mas se ele veio pré-instalado? Vai ser difícil, mas talvez você consiga resolver este problema. Na dúvida, se livre do smartphone e não compre mais dessa marca.

14:40 · 08.01.2019 / atualizado às 14:40 · 08.01.2019 por

AirPlay 2 é o novo protocolo da Apple de espelhamento ou transmissão de dados para Smart TVs através do iPhone. Televisores da Samsung, LG, Vizio e da Sony irão ser compatíveis com o novo protocolo.

Essa tecnologia vai permitir o usuário compartilhar vídeos, imagens, áudio, em alguns casos a própria tela do iPhone, alguns jogos, etc, diretamente para a televisão sem a necessidade de um Apple TV ou Chromecast por exemplo.

Agora a Apple divulgou além das fabricantes quais modelos de TVs serão compatíveis com o Airplay 2:

  • Samsung QLED Series (2019 e 2018)
  • Samsung 8 Series (2019 e 2018)
  • Samsung 7 Series (2019 e 2018)
  • Samsung 6 Series (2019 e 2018)
  • Samsung 5 Series (2019 e 2018)
  • Samsung 4 Series (2019 e 2018)
  • LG OLED (2019)
  • LG NanoCell SM9X series (2019)
  • LG NanoCell SM8X series (2019)
  • LG UHD UM7X series (2019)
  • Sony Z9G Series (2019)
  • Sony A9G Series (2019)
  • Sony X950G Series (2019)
  • Sony X850G Series (2019, modelos de 85″, de 75″, de 65″ e de 55″)
  • Vizio P-Series Quantum (2019 e 2018)
  • Vizio P-Series (2019, 2018 e 2017)
  • Vizio M-Series (2019, 2018 e 2017)
  • Vizio E-Series (2019, 2018 e 2017)
  • Vizio D-series (2019, 2018 e 2017)

Sabe-se também que as TVs da Samsung terão um aplicativo da iTunes Store com mais funcionalidades do que simplesmente o AirPlay 2, como por exemplo alugar ou comprar conteúdos de entretenimento oferecidos pela Apple.

Você já tem algum desses modelos? Conta aqui nos comentários.

08:29 · 08.01.2019 / atualizado às 09:31 · 08.01.2019 por

O começo de um outro ano já traz consigo um novo período escolar em que os pais e responsáveis por crianças já começam a buscar as melhores ofertas para a compra dos itens da lista escolar. Aproveitando esse período, cibercriminosos brasileiros lançaram uma campanha maliciosa no WhatsApp prometendo material escolar gratuito, usando o nome da empresa Faber-Castell. Nos primeiros dias de circulação da campanha mais de 70 mil acessos foram registrados ao link malicioso. Ontem (7/1), o site registrava mais de 568 mil acessos.

A Faber Castell não está fazendo a promoção. Tudo é um golpe de criminosos

A campanha maliciosa está ativa desde o dia 3 de janeiro, quando registrava mais de 70 mil acessos. Após quatro dias, este número subiu para 568 mil. Ao clicar no link, o usuário é direcionado para o site. Ao compartilhar a mensagem com 5 amigos no WhatsApp, o suposto prêmio será liberado. Um fator interessante dessa campanha maliciosa é a coleta de dados pessoais; logo na primeira página são solicitados número de telefones, e-mail e endereço da vítima. Tais dados ajudam os criminosos a cometerem mais fraudes futuramente.

“Em 2019 o WhatsApp continuará a ser o principal vetor de disseminação de golpes e fraudes no Brasil. O timing dos criminosos é sempre o de escolher temas que atraiam o maior número possível de visitantes ao site fraudulento e, assim, potencializar os ataques”, afirma Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky.

Além do WhatsApp, os golpistas estão usando o Facebook Messenger para atrair os usuários

Depois de compartilhar a mensagem com 5 contatos, o que acontecerá na sequência depende do sistema operacional que o usuário possui no seu smartphone: se o sistema for iOS, após vários redirecionamentos será oferecido a instalação de aplicativos legítimos, mas que participam de esquemas “pay-per-install”, em que o criminoso ganha por cada instalação, inflando programas legítimos de apps e assim ganhando dinheiro de maneira forçada. Caso o usuário possua o sistema Android – usado em 80% dos smartphones brasileiros – pode ser oferecida a instalação de um aplicativo malicioso, ou somente o redirecionamento para uma página cheia de propagandas, que renderá lucros ao criminoso.

Usando o Facebook Messenger

Uma novidade nessa campanha é o uso do Facebook Messenger – outro aplicativo de mensagens instantâneas bastante utilizado no Brasil. Na página maliciosa foi inserida a opção de compartilhar o link por esse aplicativo, o que indica que os criminosos estão buscando diversificar as plataformas usadas nos ataques.

Dos mais de 568 mil acessos ao site malicioso, pouco mais de 950 vieram do link compartilhado via Facebook Messenger.

Como se proteger?

– Não clique em links. Principalmente os recebidos de desconhecidos, nem em links suspeitos enviados por seus amigos via redes sociais ou e-mail. Eles podem ser maliciosos, criados para baixar malware em seu dispositivo ou para direcioná-lo a páginas de phishing que coletam dados do usuário. Além disso, seus amigos e familiares podem ter sido enganados ou hackeados.

– Sempre verifique o link antes de clicar. Coloque o mouse em cima do link para visualizar a URL e observe com atenção se há erros de ortografia ou outras irregularidades. Além disso, caso seja uma promoção ou algo utilizando o nome de uma marca famosa, sempre acesse o site oficial da empresa – digitando o site – para confirmar a veracidade da promoção ou campanha.

– Tenha uma solução de segurança robusta no seu celular e outros dispositivos. Utilize uma solução de segurança que alerta sobre os riscos à segurança, além de proteger os dispositivos contra phishing, malware, app mal-intencionados e outras ameaças conhecidas e desconhecidas. Além disso, mantenha sempre atualizada a solução de segurança para não cair em golpes de cibercriminosos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Kaspersky Lab, os produtos da empresa, como o Security Cloud, já bloqueiam o novo golpe.

A nossa dica é fique esperto. Não acredite em tudo que chega via e-mail, redes sociais e, principalmente, WhatsApp. Infelizmente, o ótimo comunicador virou reduto de mentiras e propagador de boatos. E, como se nota desde 2017, amplo celeiro para golpistas.

11:07 · 07.01.2019 / atualizado às 08:53 · 08.01.2019 por

Quem nunca usou o recurso WhatsApp Web? Ele estreou para usuários de aparelhos com o Android em janeiro de 2015 e chegou para donos de iPhones só em agosto do mesmo ano. Quando pensamos no tema, parece que todos já a utilizam, mas, conversando em uma roda de amigos e parentes no final do ano passado notei que não é bem assim. Então, que tal mostrar aqui como utilizar esse recurso tão bacana? Vamos lá!

Primeiro WhatsApp Web no Android

1 – Acesse o endereço do WhatsApp Web

2 – Abra o smartphone Android e clique na aba de 3 pontinhos no canto superior direito do celular.

3 – Depois, clique em WhatsApp Web

4 – Aproxime o smartphone do código QR Code que aparece na página web do WhatsApp.

5 – Pronto. Só usar o aplicativo no seu desktop ou notebook.

Com o WhatsApp Web você pode usar o teclado e digitar textos maiores. Foto: Aku Alip/Shutterstock

Agora WhatsApp Web no iOS (iPhone)

1 – Acesse o endereço do WhatsApp Web

2 – Abra o iPhone e clique no botão Ajustes no canto inferior direito.

3 – Depois, clique em WhatsApp Web

4 – Aproxime o iPhone do código QR Code que aparece na página web do WhatsApp.

5 – Pronto. Só usar o aplicativo no seu desktop ou notebook.

O WhatsApp Web é ótimo se você quer mandar um texto muito grande para alguém e não tem paciência para usar o teclado do smartphone para enviar tal texto. E você: já usava o recurso ou começou agora?

08:44 · 05.01.2019 / atualizado às 13:41 · 04.01.2019 por

Mais um capítulo da disputa entre Apple e Qualcomm tem decisão forte, agora na Alemanha. A corte regional de Munique decidiu, em dezembro, que a Apple está infringindo patente da Qualcomm naquele país. Desta forma, proibiu a companhia de vender os iPhones 7 e 8 na Alemanha.

A patente em questão, questionada pela Qualcomm diz respeito à tecnologia de economia de energia que os aparelhos da Apple estariam usando quando os modems enviavam e recebiam sinal de celular.

As 15 lojas da Apple na Alemanha estão proibidas de comercializarem os referidos iPhones. A nova geração (X, XS e XR) não foi afetada.

Prejuízo

Esse é mais um golpe na gigante Apple que anunciou, ontem, 3, que teve resultados bem ruins no último trimestre de 2018 – com fracas vendas de iPhones. A gigante norte-americana atribuiu o resultado negativo a queda de vendas dos seus celulares, especialmente na China – onde a empresa tem proibição similar a encontrada na Alemanha.

07:26 · 04.01.2019 / atualizado às 07:27 · 04.01.2019 por

O ID da Apple é o seu RG para acessar não só o seu smartphone da maçã, bem como baixar aplicativos na loja da gigante de Cupertino. Ter cuidado com ele e não compartilhá-lo é vital para sua segurança. Se você deixar que outros o tenham, eles podem baixar aplicativos pagos e até mesmo bloquear seu aparelho exigindo um resgate em dinheiro ou mesmo roubando o celular de fato e o revendendo mais facilmente a terceiros.

Porém, infelizmente, nem sempre seu problema maior vai ser criado por alguém que rouba esses seus dados. “Como assim?”, você poderia perguntar. Há um outro método que envolve o ID Apple de terceiros.

Imagine que você está pretendendo botar seu iPhone antigo à venda. Aí alguém entra em contato no seu anúncio online para negociar. Essa pessoa pede para falar no modo privado. E te envia por lá o ID Apple e a senha dela para testar se tudo irá funcionar no iPhone que ainda é seu. Pronto. Ele teve acesso ao seu celular e agora o bloqueia. A partir daí ele pode roubar seus dados ou simplesmente exigir uma recompensa, em reais ou bitcoins, para devolver o aparelho que foi sequestrado.

Mas eu posso acessar o iCloud via browser para desativar, certo? Errado. A confirmação em dois passos que o criminoso usa, enviará um código para o dispositivo dele, não para o seu. Já era. Ou você aceita que vai ter um tijolo ou paga a chantagem e reza pra ele liberar seu smartphone.

Com informações do blog da Kaspersky

09:57 · 31.12.2018 / atualizado às 10:00 · 31.12.2018 por

A radialista israelense Galit Gura-Eini, que empresta a voz para a versão hebraica da Siri (assistente pessoal), está processando a Apple em US$ 66 mil pelo uso indevido da voz dela. Isso porque sua voz estaria sendo usada para xingamentos ou frases com teor sexual.

Segundo Eini, ela foi contratada, em 2007, pela subsidiária da Nuance Communications – empresa especializada em Inteligência Artificial e reconhecimento de voz – para que a voz dela fosse usada em aplicações futuras onde fosse necessário usar o hebraico. Porém, a radialista garante que a voz dela só poderia ser usada para “necessidades legítimas”.

De acordo com o advogado da Apple, a empresa não fez nada de errado e comprou os direitos de usar a voz dela de forma totalmente legal.

Eini também é a voz hebraica do Waze, mas, com este aplicativo, ela não tem problema algum.

Com informações do CTech

06:40 · 31.12.2018 / atualizado às 11:31 · 30.12.2018 por

A Sony planeja aumentar a produção de sensores 3D de última geração para smartphones. Entre as empresas interessadas nos produtos está a Apple.

A Sony sempre se destacou pelas boas câmeras. A empresa é a maior fabricante de chips para estes produtos em smartphones e a tecnologia 3D em questão será usada nas câmeras frontais e traseiras dos smartphones já em 2019.

A empresa japonesa iniciará a produção em massa para que os clientes possam embarcar a novidade nos produtos no ano que vem.

O objetivo da Apple seria melhorar ainda mais os recursos das câmeras para reconhecimento facial, mas também já pensando em aprimorar os iPhones para uma experiência ainda mais imersiva em Realidade Aumentada.

Já em 2019, a Huawei, gigante chinesa envolta em confusão com EUA e Canadá, pretende lançar os smartphones dela já com a tecnologia de câmeras 3D da Sony.

A tecnologia chamada “tempo de voo”, que envia pulsos invisíveis de laser e mede quanto tempo leva para a resposta retornar, criando modelos 3D mais perfeitos, mesmo a distância de 5 metros, é o que torna as câmeras 3D da Sony a vedete do momento.

07:18 · 25.12.2018 / atualizado às 13:47 · 21.12.2018 por

As festas de final de ano já estão aí, o que significa muitas fotos com a família, listas de presente, organização de viagens e vídeos do réveillon na praia… O Google Drive ajuda a encontrar e organizar tudo isso em um único lugar, podendo ser acessado de qualquer dispositivo: celular, tablet ou computador.

O aplicativo, disponível para Android e iOS, deixa não apenas criar pastas e reunir documentos, mas também oferece a opção de sincronização com o Google Fotos. Para isso, basta abrir o aplicativo do Google Fotos (também disponível para Android e iOS) e clicar nas 3 barrinhas horizontais no canto superior esquerdo. Clique, em seguida, em “Configurações” e selecione a opção “Sincronize fotos e vídeos do Google Drive”.

É muito fácil sincronizar suas fotos para o Google Drive
Deixar suas fotos no Google Fotos ou Google Drive significa liberar espaço no seu smartphone, tablet e/ou computador

Apertando “Sincronizar”, o usuário poderá ter todas as fotos dos momentos especiais com a família e amigos em uma mesma pasta, junto com as listas de presente e planejamento de viagens.

Tanto o Google Fotos quanto o Google Drive são peças fundamentais para se ter tanto no smartphone quanto no tablet e até mesmo no computador (seja ele desktop ou notebook). Isso porque, com a dupla de apps, é possível deixar seu equipamento sempre com bom espaço de armazenamento livre. Além de que você não precisa simplesmente deletar os arquivos. Além disso, o Google Drive tem uma versão gratuita e opções de compra de espaço por preços interessantes.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags