Busca

Categoria: Linux


12:33 · 01.10.2015 / atualizado às 12:33 · 01.10.2015 por

A NVIDIA anuncia: Microsoft oferecerá recursos de computação acelerada e aplicativos gráficos profissionais habilitados por GPUs NVIDIA para clientes em todo o mundo por meio de sua plataforma na nuvem, a Microsoft Azure. Implementando a última versão do NVIDIA GRID em sua nova oferta de máquina virtual da série N, a Azure é a primeira plataforma de computação na nuvem a oferecer gráficos virtualizados NVIDIA GRID 2.0 para clientes empresariais.

Pela primeira vez, empresas serão capazes de implementar computação acelerada e aplicativos gráficos profissionais com qualidade NVIDIA Quadro em suas próprias instalações, na nuvem através da Azure, ou por meio de um híbrido dos dois usando máquinas virtuais Windows e Linux. A Azure oferecerá também aos clientes desempenho de supercomputação, com a adição dos aceleradores de GPU Tesla K80, topo de linha da plataforma de computação acelerada NVIDIA Tesla para as aplicações mais computacionalmente exigentes de data centers e computação de alta performance (HPC).

“A nossa visão é oferecer gráficos acelerados e computação de alta performance para qualquer dispositivo conectado, independentemente da localização”, diz Jen-Hsun Huang, cofundador e CEO da NVIDIA. “Estamos animados em colaborar com a Microsoft Azure para oferecer a engenheiros, designers, criadores de conteúdo, pesquisadores e outros profissionais a capacidade de visualizar designs complexos e com grande volume de dados de forma precisa em qualquer lugar”.

“Como líder em visualização avançada, as GPUs NVIDIA foram a escolha óbvia para nossa nova família de computação da série N”, destaca Jason Zander, vice-presidente corporativo da Microsoft Azure. “A NVIDIA e a Microsoft têm um longo histórico de proporcionar inovação para todo o setor e estamos ansiosos para trabalhar com eles para levar essa experiência revolucionária de nuvem aos nossos clientes”.

“Para a NVIDIA no Brasil, a parceria com a Microsoft Azure confirma que cada vez mais o recurso de processamento gráfico na nuvem é uma tendência para o mercado profissional. Nossas GPUs agora estão migrando para os grandes data centers e provedores de serviços virtualizados”, sinaliza Marcio Aguiar, gerente de Vendas Enterprise da NVIDIA na América Latina.

Performance de gráficos virtualizados sem precedentes
Com o NVIDIA GRID, as corporações podem oferecer aplicativos que exigem uso intenso de gráficos de empresas como Autodesk e Esri da nuvem para seus usuários. Anunciado mês passado, o NVIDIA GRID 2.0 oferece suporte ao driver de GPU NVIDIA Quadro, recursos e performance exigidos por aplicativos que fazem uso intenso de gráficos, além de outras melhorias como o dobro da performance de aplicativos quando comparado à geração anterior das GPUs GRID e suporte ao sistema operacional Linux.

Supercomputação na nuvem
A plataforma de computação acelerada Tesla foi projetada do zero para aplicativos com eficiência energética nas áreas de HPC, ciência da computação, supercomputação, análises de dados e aprendizado profundo.

Presente em alguns dos supercomputadores mais poderosos do mundo, a plataforma Tesla oferece desempenho e eficiência energética drasticamente maiores do que uma abordagem com apenas o uso de CPU, além de rendimento de aplicativos sem precedentes no data center.

Ao implementar o acelerador de GPU Tesla K80 nas máquinas virtuais da série N, a Azure expande drasticamente o acesso à performance no nível de supercomputação, permitindo que empresas em todo o mundo acelerem suas cargas de trabalho mais exigentes, sem que precisem investir, construir e manter recursos computacionais dedicados.

07:52 · 20.10.2014 / atualizado às 08:20 · 17.10.2014 por
Opera 25
Opera 25

Novos marcadores fazem parte do navegador da Web Opera para Windows e Mac. A versão mais recente do Opera permite que o usuário salve e classifique suas páginas favoritas usando coleções de miniaturas organizadas com perfeição.

“Durante o último ano, fizemos muitas pesquisas para entender as opções de marcação que as pessoas desejam ter atualmente”, diz Sabrina Zaremba, gerente regional para a América Latina da Opera Software. “Percebemos que muitas pessoas usam os marcadores como forma de manter suas memórias, como inspirações para viagens ou um artigo interessante. Como muitas vezes nossas memórias são visuais, decidimos reprojetar todo o conceito dos marcadores”, finaliza.

Os sistemas de marcadores tradicionais simplesmente anotam a localização da página. Com a nova abordagem visual do Opera, o usuário pode escolher uma miniatura na própria página da Web para cada marcador novo. Isso transforma os marcadores em uma coleção de favoritos: sites, produtos, memórias e muito mais.

Para saber mais sobre o Opera 25 acesse o vídeo abaixo.

YouTube Preview Image

Como funciona
Para marcar uma página, o usuário do Opera para Windows e Mac pode clicar no ícone de coração à direita do campo de endereço do navegador. Então, pode atribuir uma imagem para o marcador e selecionar uma pasta à qual ele será adicionado. Os marcadores são armazenados como miniaturas que o usuário pode renomear e reorganizar.

Mais aperfeiçoamentos do Opera 25
O visualizador de PDF integrado possibilita a leitura rápida e fácil de PDFs diretamente no navegador. As notificações da Web permitem que os desenvolvedores enviem notificações da plataforma nativa aos usuários, informando sobre eventos acionados, como a entrega de e-mail. Ficou mais simples ouvir música e assistir a vídeos, agora que o Opera oferece suporte aos formatos de mídia mais recentes: H.264 e MP3.

Baixe o Opera para Windows, Mac ou Linux aqui e veja capturas de tela e mais material de divulgação aqui. Por outro lado, o Opera 25 para Linux foi atualizado para o canal beta.

09:22 · 29.09.2014 / atualizado às 14:54 · 25.09.2014 por

Tão importante quanto a escolha das peças do computador é o sistema operacional que a máquina irá rodar. Responsável pela interface gráfica e pela compatibilidade com as diversas aplicações, o OS também serve para integrar e garantir o bom funcionamento de todos os componentes do computador. Conheça os principais sistemas operacionais disponíveis no mercado e saiba qual escolher.

OS X

OS X Yosemite será lançado em outubro
OS X Yosemite será lançado em outubro

Considerado o sistema operacional com a interface gráfica mais bonita, o OS X é exclusivo para computadores da Apple. Entre as vantagens de ter uma máquina com o sistema da ‘Maçã’ está a segurança, mesmo não sendo 100% eficaz. O OS X tem uma quantidade menor de pragas direcionadas ao sistema, muito por causa da quantidade inferior de máquinas rodando OS X, se comparados com o Windows. Outra vantagem está na estabilidade. É difícil usuários de Mac reclamarem de travamentos ou crash de sistema, ainda mais se a máquina estiver com um SSD.

Entre as desvantagens está justamente a exclusividade para produtos da Apple. Como sabemos, por conta do preço Macbooks e iMacs ainda estão fora da realidade de muitos brasileiros. Não se compra um computador Apple atual e novo por menos de R$ 4 mil.

A incompatibilidade com Flash pode ser um problema, já que muitos sites e jogos ainda utilizam a tecnologia. Outra desvantagem está no preço de manutenção. Para resolver algum problema no sistema, técnicos cobram quase o dobro do que se fosse uma máquina com Windows. Além disso, fazer upgrade ou adicionar periféricos pode se tornar uma verdadeira luta, já que o sistema só aceita peças e componentes exclusivos.

Apesar das desvantagens, o OS X é considerado o melhor sistema operacional para quem trabalha com design, edição de vídeo e edição de áudio. Além disso, a nova atualização Yosemite permite uma maior integração com iGadgets. Será possível até mesmo atender e fazer chamadas direto no Mac.

Linux

Linux
Linux

Considerado o melhor sistema para entusiastas, o Linux é perfeito para quem não quer gastar muito. Uma das principais vantagens está justamente em ser leve e capaz de rodar em máquinas com configurações baratinhas. Como é Open Source, para quem tiver um pouco de noção de programação, facilmente conseguirá fazer adaptações. Além disso, existem poucos vírus que afetem a plataforma.

Já as principais desvantagens estão na incompatibilidade de jogos e componentes. Se você decidir instalar o Linux em uma máquina com Windows, pode ser que encontre dificuldade em encontrar drives compatíveis com o Linux. Além disso, os principais jogos atuais são exclusivos para o sistema da Microsoft.

Se você é um usuário pouco experiente, talvez o Linux não seja a melhor opção já que sua interface gráfica e usabilidade não são tão intuitivas. Agora se você já tem conhecimento de software ou está disposto a aprender a usar o sistema do Pinguim não se arrependerá. Vale ressaltar ainda que existem várias distribuições do sistema operacional, sendo o Ubuntu e Kurumin as mais comuns.

Windows

Tela do Windows 8
Tela do Windows 8

O sistema mais utilizado do mundo é também o preferido de muita gente, principalmente, por conta de ser um dos mais fáceis de usar. Porém, devido a sua grande utilização é um dos mais visados pelos hackers mal-intencionados.

A grande vantagem está na sua compatibilidade tanto de programas quanto de componentes, como peças e periféricos. Não tem nada melhor do que conectar um mouse ou placa de vídeo e o sistema reconhecê-los automaticamente, muitas vezes não precisando nem mesmo instalar drivers. Outro ponto positivo está na otimização para jogos. Muitos títulos atuais são exclusivos para Windows, tornando o sistema da Microsoft o preferido de gamers.

Uma das desvantagens está no preço. A versão mais atual Windows 8.1 custa mais de R$ 400. Isso favorece a pirataria e, consequentemente, muitas máquinas ficam sem atualizações e vulneráveis a ataques. Outro fator a ser considerado está nas pragas virtuais direcionadas ao sistema operacional. Excluindo sistemas móveis, estima-se que mais de 99% dos malwares são para sistemas Windows. Por isso, é essencial um bom antivírus.

Expostas as vantagens e desvantagens, para você, leitor, qual é o melhor sistema operacional?

Fonte: PSafe

12:20 · 26.09.2014 / atualizado às 12:24 · 26.09.2014 por

shellshock-vulnerability-logoO Bash é um dos programa que existe em basicamente TODA instalação de Linux, mas ele também está no Mac OSX, já que este sistema operacional deriva do Free BSD, um primo do Linux. Trata-se um programa que interpreta linhas de comando, a grosso modo, bem parecido com o que faz o Pompt de Comando no Windows.

Bem, foi descoberto recentemente um bug no software que permite alguém atacá-lo e executar programas remotamente.

A questão é que o Bash é usado nativamente por vários softwares para execução de comandos dos mais diversos tipos, como por exemplo sincronizar a agenda do seu computador com um serviço em nuvens, ou procurar por atualizações remotas. E é por aí que os invasores se aproveitam, eles são capazes de usar o bug no software para injetar linhas de código extra na execução destes comandos, podendo causar prejuízos irreparáveis.

A Apple alega que a imensa maioria de usuários de Mac OSX estão protegidos, e que apenas aqueles que habilitaram os “Serviços Avançados de UNIX” estariam sob risco, mas o fato é que nunca se sabe ao certo se algum programa instalado no micro, faz uso do Bash.

Só resta agora aguardar as atualizações de segurança.

Symantec tenta ajudar

A Symantec publicou um blog post (em inglês), que inclui um infográfico explicativo sobre essa vulnerabilidade. Adicionalmente, a equipe da empresa também criou uma proteção de assinatura de IPS contra essa falha.