Busca

Categoria: Nuvem


12:33 · 01.10.2015 / atualizado às 12:33 · 01.10.2015 por

A NVIDIA anuncia: Microsoft oferecerá recursos de computação acelerada e aplicativos gráficos profissionais habilitados por GPUs NVIDIA para clientes em todo o mundo por meio de sua plataforma na nuvem, a Microsoft Azure. Implementando a última versão do NVIDIA GRID em sua nova oferta de máquina virtual da série N, a Azure é a primeira plataforma de computação na nuvem a oferecer gráficos virtualizados NVIDIA GRID 2.0 para clientes empresariais.

Pela primeira vez, empresas serão capazes de implementar computação acelerada e aplicativos gráficos profissionais com qualidade NVIDIA Quadro em suas próprias instalações, na nuvem através da Azure, ou por meio de um híbrido dos dois usando máquinas virtuais Windows e Linux. A Azure oferecerá também aos clientes desempenho de supercomputação, com a adição dos aceleradores de GPU Tesla K80, topo de linha da plataforma de computação acelerada NVIDIA Tesla para as aplicações mais computacionalmente exigentes de data centers e computação de alta performance (HPC).

“A nossa visão é oferecer gráficos acelerados e computação de alta performance para qualquer dispositivo conectado, independentemente da localização”, diz Jen-Hsun Huang, cofundador e CEO da NVIDIA. “Estamos animados em colaborar com a Microsoft Azure para oferecer a engenheiros, designers, criadores de conteúdo, pesquisadores e outros profissionais a capacidade de visualizar designs complexos e com grande volume de dados de forma precisa em qualquer lugar”.

“Como líder em visualização avançada, as GPUs NVIDIA foram a escolha óbvia para nossa nova família de computação da série N”, destaca Jason Zander, vice-presidente corporativo da Microsoft Azure. “A NVIDIA e a Microsoft têm um longo histórico de proporcionar inovação para todo o setor e estamos ansiosos para trabalhar com eles para levar essa experiência revolucionária de nuvem aos nossos clientes”.

“Para a NVIDIA no Brasil, a parceria com a Microsoft Azure confirma que cada vez mais o recurso de processamento gráfico na nuvem é uma tendência para o mercado profissional. Nossas GPUs agora estão migrando para os grandes data centers e provedores de serviços virtualizados”, sinaliza Marcio Aguiar, gerente de Vendas Enterprise da NVIDIA na América Latina.

Performance de gráficos virtualizados sem precedentes
Com o NVIDIA GRID, as corporações podem oferecer aplicativos que exigem uso intenso de gráficos de empresas como Autodesk e Esri da nuvem para seus usuários. Anunciado mês passado, o NVIDIA GRID 2.0 oferece suporte ao driver de GPU NVIDIA Quadro, recursos e performance exigidos por aplicativos que fazem uso intenso de gráficos, além de outras melhorias como o dobro da performance de aplicativos quando comparado à geração anterior das GPUs GRID e suporte ao sistema operacional Linux.

Supercomputação na nuvem
A plataforma de computação acelerada Tesla foi projetada do zero para aplicativos com eficiência energética nas áreas de HPC, ciência da computação, supercomputação, análises de dados e aprendizado profundo.

Presente em alguns dos supercomputadores mais poderosos do mundo, a plataforma Tesla oferece desempenho e eficiência energética drasticamente maiores do que uma abordagem com apenas o uso de CPU, além de rendimento de aplicativos sem precedentes no data center.

Ao implementar o acelerador de GPU Tesla K80 nas máquinas virtuais da série N, a Azure expande drasticamente o acesso à performance no nível de supercomputação, permitindo que empresas em todo o mundo acelerem suas cargas de trabalho mais exigentes, sem que precisem investir, construir e manter recursos computacionais dedicados.

11:11 · 19.08.2015 / atualizado às 11:11 · 19.08.2015 por

A HP anuncia o novo HP ConvergedSystem 250-HC StoreVirtual (CS 250), um dispositivo hiperconvergente que promete oferecer um servidor virtual e infraestrutura de armazenamento que pode ser configurada em minutos por, praticamente, metade do preço dos sistemas da concorrência. Essa nova solução de classe empresarial foi desenvolvida para garantir produtividade em desktops virtuais e escritórios remotos, mas também promete um caminho fácil para a nuvem híbrida.

Prometendo ampliar as soluções de virtualização e servidor x86, combinadas com a tecnologia de armazenamento definido por software (SDS) HP StoreVirtual, o novo CS 250 oferece integração aprimorada com VMware, suporte a arquiteturas de solução de nuvem híbrida e vem acompanhado por novos programas de canal e serviços de entrega.

“Não existe uma solução exclusiva para infraestrutura”, afirma Manish Goel, vice-presidente sênior e gerente geral do Armazenamento HP. “Por isso, a HP continua a oferecer soluções flexíveis e interoperáveis, com base na tecnologia HP StoreVirtual, para ajudar nossos clientes a reduzir custos independentemente dos hipervisores e das plataformas de hardware que eles escolherem. A hiperconvergência representa, simplesmente, o próximo passo na evolução do data center definido por software da HP”, finaliza Goel.

00:05 · 27.10.2014 / atualizado às 15:06 · 20.10.2014 por
Rodrigo Coifman
Rodrigo Coifman

A era dos HDs grandes e com pouco espaço chegou ao fim há um bom tempo. Os hardwares compactaram seu o tamanho e peso, e aumentaram consideravelmente a sua capacidade de armazenamento. Pen drives e HDs externos foram lançados e se tornaram os grandes aliados na hora de guardar arquivos em geral. Porém, à medida que novos sistemas de armazenamento vão surgindo, outros espaços passam a ser explorados, como a internet. Há alguns anos, era difícil pensar em como poderíamos deixar fotos, vídeos e documentos salvos na rede. Hoje em dia, esse processo, conhecido como armazenamento em nuvem, está cada vez mais presente no dia a dia dos usuários.

Atualmente, existem vários sistemas de armazenamento em nuvem disponíveis no mercado, com versões gratuitas e pagas. Algumas dessas plataformas pertencem a grandes empresas, como Google, Apple, Microsoft, entre outras. Entre os principais podemos destacar o Google Drive, One Drive, Dropbox, Copy, iCloud e Mega. Fáceis de usar – é só baixar o aplicativo e instalar no seu computador, smartphone ou tablet – esses sistemas estão ganhando mais espaço quando o assunto é arquivamento de dados.

Usuário de sistemas de armazenamento virtual há 4 anos, o empresário Renato Borges vê no sistema de armazenamento em nuvem vantagens e desvantagens. Entre as vantagens apontadas por ele, a principal está na facilidade de compartilhar informações com vários usuários. “Sou sócio de uma imobiliária. Cerca de 40 corretores precisam estar informados no que toca às tabelas de preços de diversas construtoras, além das apresentações dos produtos, treinamentos e demais informações. Seria inviável enviarmos e-mails todos os dias para todos os corretores com o conteúdo supracitado. Com o HD virtual, as pastas são organizadas de maneira tal que o profissional, onde estiver, na empresa ou externo, pode acessar às informações desejadas, o que gera organização e velocidade no acesso”, afirma.

Opinião compartilhada pelo empresário Leonardo Albuquerque. Também usuário do Google Drive e do Dropbox desde 2010, Leonardo acredita que a facilidade de armazenamento desses sistemas é a principal vantagem. “Eu decidi armazenar arquivos na nuvem devido à rapidez no acesso aos arquivos salvos através de qualquer dispositivo e em qualquer momento que necessitar consultá-los”, destaca ele.

Além da vantagem apontada pelos empresários, o uso de sistemas de armazenamento em nuvem permite que o usuário tenha acesso a serviços de backup automáticos, salvando arquivos em geral sem a necessidade de um comando específico para a realização da tarefa, tudo gratuitamente, e fique menos suscetível a falhas de dispositivos físicos. “Nunca tive problemas com esse tipo de armazenamento, pelo menos até agora. Acho realmente prático e seguro. Deixei de lado os HDs externos e passei a salvar os meus arquivos na nuvem, já que esse tipo de sistema sustenta minha necessidade”, afirma Leonardo.

Renato Borges
Renato Borges

Apesar de todos esses benefícios, o uso desse tipo de armazenamento também tem desvantagens. Para Rodrigo Coifman, analista de sistemas e usuário dos sistemas Google Drive e Dropbox, existem alguns pontos que precisam ser observados pelos usuários. “Hoje, como esses serviços têm que atender a “N” pessoas e “N” serviços, eles precisam ter plataformas muito mais abertas e negociáveis com esses outros sistemas e isso abre brechas na área de tecnologia para falha na segurança”, destaca.

Entre as principais ameaças à segurança desse tipo de armazenamento estão: abuso de informação privilegiada ou negligência através de vazamento ou o acesso dado por prestadores de serviços para as pessoas erradas (como as fotos das celebridades que vazaram recentemente); transmissão ou armazenamento inseguros; requisitos de senha ou acesso fracos; ataques direcionados por usuários que desejam seus dados especificamente (por chantagem ou espionagem, por exemplo) e grandes ataques que procuram expor muitos dados ou lotes de um único tipo de dados (à procura de números de cartões de crédito armazenados, ou informações que poderiam ser usadas para roubo de identidade, por exemplo). De acordo com Nicole Pauls, executiva da Solarwinds, empresa norte-americana responsável pela criação de softwares de gerenciamento de TI, a principal causa para esse tipo de falha é a negligência dos usuários. “Isso ocorre principalmente por preguiça e negligência dos usuários em procurar um sistema confiável na hora do armazenamento e também pela presença de harckers na rede. Armazenamento em nuvem é útil porque é fácil de usar, e o que o tornaria mais seguro também pode torná-lo mais difícil de usar. O uso se resume a equilibrar conveniência e segurança”

Como se prevenir
Para Rodrigo Coifman, uma dica para evitar a perda dos dados é arquivar os documentos em HDs virtuais e HDs físicos, como pen drives e HDs externos, sempre com programas de segurança. “Se usuário conseguir armazenar os dados em uma grande quantidade de sistemas, ou em HDs físicos, é uma boa opção. Outra coisa é colocar programas que criptografam os dados nos HDs externos”, afirma.

Recomendação seguida por Renato Borges. Para arquivos mais importantes, o empresário prefere salvar no HD do próprio computador ou externos. “Acredito que o armazenamento na nuvem seja mais conveniente para o uso de arquivos que necessitamos com maior frequência, de forma que podemos usar em situações em que várias pessoas precisam ter acesso ao mesmo documento”, destaca.

Um pouco mais radical, Nicole acredita que a única forma de estar bem protegido é não colocando arquivos importantes em nuvem. “É importante para os usuários considerarem que estão assegurando dados na nuvem. A única proteção integral é não armazenar certos dados na nuvem. Outra opção é não armazenar ou fazer backup automaticamente na nuvem”, afirma. Outras recomendações de segurança ressaltadas por Nicole são usar o serviço de armazenamento em nuvem temporariamente; elaborar senhas maiores, que incluam números e letras e nunca levar o seu dispositivo para um local com mão de obra duvidosa. “Antes de tudo, o usuário deve ser cauteloso sobre onde está armazenando os seus dados e como você usa um dispositivo móvel, ou outros dispositivos que podem acessar o seu dispositivo de armazenamento móvel”, destaca.

O que é nuvem?
A nuvem é essencialmente um banco remoto de servidores e de armazenamento que é fornecido e gerenciado diretamente por terceiros. O conceito de computação em nuvem vem da ideia armazenamento e compartilhamento de dados na internet. Os dados podem ser acessados de qualquer lugar que esteja conectado à internet, sem a necessidade de instalação de programas

O que pode ser armazenado na nuvem?!
Arquivos em geral, como fotos, vídeos, documentos de texto, planilhas, apresentações em slides, entre outros.

Serviços:

Google Drive
Versão gratuita? Sim (15 GB)
Versão paga? Sim
Preços mensais: de US$ 1,99 (100 GB) até US$ 299,99 (30 TB)
Disponível para Windows, Mac, Android e iOS.

One Drive
Versão gratuita? Sim (30 GB)
Versão paga? Sim
Preços mensais: de R$ 5 (100 GB) até R$ 11,60 (1 TB). Atualmente em promoção por R$ 5,80
Disponível para Windows 7/Vista, iOS, Android, Xbox e Mac. É nativo do Windows 8 e do Windows Phone.

Dropbox
Versão gratuita? Sim (2 GB)
Versão paga? Sim
Preços mensais: DropboxPro 1 TB (US$ 9,99) e Dropbox para empresas (a partir de 1 TB por US$ 15).
Disponível para baixar nos computadores com sistema operacional Linux, Windows e Mac, e em dispositivos móveis, seja Android, iOS, Blackberry e Kindle.

Copy
Versão gratuita? Sim (15 GB e indicações podem render mais espaço sendo 5 GB por amigo)
Versão paga? Não
Disponível para Android, Linux, Mac e Windows

iCloud
Versão gratuita? Sim (5 GB)
Versão paga? Sim
Preços mensais: de US$ 0,99 (20 GB) até US$ 19,90 (1 TB).
Disponível para produtos da Apple

Amazon Cloud Drive
Versão gratuita? Sim (5 GB)
Versão paga? Sim
Preços anual: de US$ 0 (5 GB) até US$ 500 (1 TB).
Disponível para Windows, Mac, iOS e Android.