Categoria: Redes Móveis


07:20 · 22.01.2019 / atualizado às 10:46 · 22.01.2019 por

Quem vai se aventurar na telefonia móvel notou que, pelo menos, desde meados do ano passado, não é mais possível encontrar planos pré-pagos que duram 30 dias. Ou você faz um semanal ou desiste e corre para um plano pós-pago.

Antigamente, os planos pré-pagos eram uma boa saída para quem não queria ficar preso a uma conta de telefone celular. Eram flexíveis e durava bastante, até seus créditos expiravam, podendo ser renováveis por valores baixos. Porém, com a criação, pelas operadoras móveis, de planos semanais para os pré-pagos tudo isso acabou. Hoje, eles não valem mais a pena.

Para entender um pouco mais esse movimento, questionamos as 4 principais operadoras móveis do Brasil: Claro, Oi, TIM e Vivo. Destas, as 3 primeiras já nos responderam já a Vivo preferiu o silêncio total.

Oi

A empresa nos respondeu que, em outubro de 2018, a Oi lançou um novo conceito para o Oi Livre, plano da modalidade pré-pago da companhia, que passou a garantir ao cliente usufruir de seus benefícios de minutos para falar com qualquer operadora do Brasil (usando o 14 ou 31), internet e WhatsApp liberado, por 31 dias independente da recarga. Além do acesso ao WhatsApp, o cliente também tem acesso ao serviço Messenger, ambos para troca de mensagens (áudio, vídeo, foto, texto), sem desconto da franquia de internet. “Com esse avanço, a Oi garante seu diferencial: manter o cliente conectado o tempo todo. Afinal, o cliente usa o celular todo dia. Por que o benefício da recarga tem que acabar antes do final do mês? Os minutos e internet não utilizados podem ser acumulados para o mês seguinte se o cliente fizer nova recarga em até 24h após o fim da validade da oferta. O cliente Oi Livre tem também flexibilidade para trocar a franquia de voz por internet e vice-versa sempre que desejar e sem custo, pelo aplicativo Minha Oi. A companhia acrescenta que realiza a venda do Oi Livre no grande e pequeno varejo, como lojas de departamentos, bancas de jornais, farmácias, mercados, entre outros estabelecimentos”.

Porém, quando vamos na loja como consumidores isso não é o que é dito lá. Apesar do site também reforçar que é possível usar por um mês sem problema, as vendedoras insistiram em dizer que a carga contratada só dura 7 dias. E aí? Quem está falando a verdade?

Claro

Ao invés de responder nossas perguntas diretamente, uma a uma, a empresa optou por um release mais genérico. Começou falando que, em 2017, trouxe a inédita liberação do benefício das ligações ilimitadas para qualquer operadora do País. Mas e sobre os pré-pagos e a opção semanal ao invés da duração mensal? “A operadora acredita que mudanças nas ofertas Pré, com planos turbinados, refletem um novo momento do mercado. Este movimento é fruto do novo perfil dos clientes: cada vez mais seletivos, conectados e inquietos. Eles buscam o máximo de vantagem na hora de escolher o plano que cabe no bolso. A Claro segue atenta a essas mudanças. O Prezão da Claro oferece tudo o que o usuário precisa: navegar à vontade, falar muito e escolher se prefere pagar por dia ou por semana”, finalizou a nota.

Eu acredito que o poder da decisão devia ser dado ao cliente. E essa opção de compra semanal só seria válida se a duração do plano fosse até o fim do uso daquele valor contratado, ou seja, por exemplo, 1GB de internet. Caso contrário, você limita o cliente a um valor de R$ 9,90 e o força semanalmente a recarregar. Isso dá um plano de quase R$ 40. Tem como achar algo similar com muito mais vantagens.

TIM

Segundo a assessoria de imprensa, a TIM entende que as mudanças do mercado de telecomunicações são direcionadas pelo comportamento do cliente, mediante a sua necessidade de uso. “Sendo assim, antes de qualquer novo direcionamento na estratégia de atuação, a companhia escuta atentamente o público por meio de pesquisas e outros diversos canais de interação. Assim aconteceu com o segmento pré-pago, que recentemente passou por uma mudança importante. No sentido de trazer simplicidade para o dia a dia do cliente, seja no entendimento da oferta, na confiança da entrega dos serviços contratados e na própria experiência de uso, a empresa mudou o portfólio e inovou com o TIM Pré TOP. A premissa é a escolha dos serviços a partir do valor da recarga, o que facilita a decisão do cliente pelo melhor pacote de serviços”. Este plano tem valores a partir de R$ 1,43 (valor promocional) por 1 dia de uso até R$ 42,86 (valor promocional) por 30 dias de uso. Analisando sai um pouco mais caro que os da Claro e Vivo, por exemplo.

De acordo com a nota enviada pela assessoria, com o novo portfólio, o consumidor tem navegação ilimitada no WhatsApp, Twitter e Messenger, ligações ilimitadas para qualquer operadora do Brasil e pacote de internet para usar como quiser. Destaque para o acesso ao Facebook, que é ilimitado para os clientes TIM Pré TOP. Além disso, SMS (ilimitado para TIM e 100 para outras operadoras) e acesso ao TIM Empregos, plataforma que conta com dicas de especialistas para acelerar a carreira, cadastro de currículo e cursos de capacitação.

O problema é que quando você vai a uma loja da empresa o vendedor nem fala que conhece os planos. Aí tudo cai por terra. Segundo a mesma assessoria, a TIM treina todos os funcionários para indicar todas as opções para o cliente. Infelizmente, não foi isso que vimos. Parecia apenas que queriam fidelizar, como dizem no mercado de telefonia móvel, o cliente. Eu prefiro a definição de um colega: querem te prender em um plano fixo todos os meses. Não que isso seja exatamente ruim. Pode ser até bom. Mas você precisa ter a opção e é esse o problema todo.

 

11:16 · 16.01.2019 / atualizado às 09:52 · 17.01.2019 por

Após 7 milhões de testes em dispositivos de mais de 395 mil usuários, entre 1º de setembro e 29 de novembro de 2018, a OpenSignal divulgou, neste mês de janeiro, o ranking das melhores operadoras móveis do Brasil. Claro venceu em 4 das 5 categorias (velocidade de download, velocidade de upload, latência e experiência de vídeo). A TIM ficou com o primeiro lugar em disponibilidade de sinal 4G. A Oi ficou em último em todos os quesitos. Isso em termos nacionais.

Das 13 capitais com qualidade analisadas, Fortaleza ficou em 11º no quesito velocidade de upload. A Capital cearense ficou em 7º lugar em viabilidade de 4G, em 6º em experiência de vídeo e em 10º em velocidade de download. Com relação a latência, Fortaleza é a quarta pior. Latência é o atraso do tempo que um pacote de dados leva para ir de um ponto a outro, por exemplo, do seu smartphone até o site que você requisitou acessar.

“Quando detalhamos nossas métricas de velocidade e disponibilidade, detectamos algumas tendências interessantes. Em muitas cidades, observamos uma pontuação de disponibilidade de 4G superior a 80%, refletindo um foco pesado na infraestrutura urbana, bem como os benefícios das implantações recentes de 700 MHz. Em Belo Horizonte e Manaus, a TIM estava dentro de um ponto percentual ao cruzar o limite de 90%. Enquanto isso, registramos alguns números excepcionais de Velocidade de Download nas redes da Claro em Belo Horizonte, Curitiba e Salvador. Em cada cidade, a Claro teve em média velocidades de download de mais de 31 Mbps – 12 Mbps mais rápido que a média nacional. Os operadores tendem a concentrar suas atualizações de capacidade e melhorias de rede nas áreas urbanas primeiro e depois expandi-las pelo país. Portanto, a velocidade e a disponibilidade aumentadas que vemos nas grandes cidades brasileiras podem ser uma indicação do que está reservado para o Brasil como um todo”, informa o relatório da OpenSignal sobre o Brasil.

Detalhamento

Em termos de velocidade de download, se olharmos os números nacionais, a Claro liderou com ampla vantagem sobre a segunda colocada, a Vivo. Enquanto a Claro chegou a 18,8 MB/s, a Vivo teve 13 MB/s. A TIM veio em seguida com 10,3 MB/s e a Oi ficou em último com 7,7 MB/s. Aqui em Fortaleza, a Claro lidera com 21 MB/s, com a Vivo na cola com 19,9 MB/s. A Oi ficou em terceiro com 9,6 MB/s e a TIM foi a última com 8,1 MB/s.

No caso da velocidade de upload, nacionalmente, a Claro liderou também com folga, ficando em primeiro lugar com 6,3 MB/s. A Vivo ficou em terceiro com 4 MB/s, seguido pela TIM com 3,5 MB/s e a Oi com 2,8 MB/s. Em Fortaleza, a liderança já foi da vivo com 6,9 MB/s (melhor que a média nacional da Claro), seguido de muito perto pela Claro com 6,8 MB/s. Ambos bem distantes dos demais. A Oi em terceiro com 4,5 MB/s e a TIM com 3 MB/s.

Na questão de latência, a melhor é a Claro com 68 miilisegundos (ms) contra 68,8 milisegundos da TIM. A distância seguem Vivo, com 78,9 ms e Oi com 79 ms. Aqui em Fortaleza, a melhor latência é da Oi com 68,6 ms. Em segundo aparece a Vivo com 101,4 ms. Depois seguem TIM com 112,5 ms e Claro com 121,7 ms.

Na parte do ranking sobre experiência de vídeo, a Claro lidera com 55,7 pontos. A TIM aparece em segundo com 53,2 pontos. Depois vemos a Vivo com 50,5 pontos e a Oi com 44,9 pontos. Para fazer este cálculo, a OpenSignal analisou os dispositivos de usuários finais e o tempo de carregamento, além de pausas e resolução do vídeo nas redes 3G e 4G em uma escala criada pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) que vai de 0 a 100 pontos, sendo 0 o pior número e 100 a excelência.

No quesito experiência com streaming de vídeo em Fortaleza, a liderança é da Claro com 63 pontos contra 61 da Vivo. A TIM é a terceira com 53,4 pontos e a Oi a última com 50,6 pontos.

No último quesito, a disponibilidade de sinal, a TIM obteve 78,6% de sucesso utilizando a rede 4G. Em segundo lugar ficou a Vivo com 68%, a Claro é aterceira com 67,9% e a Oi é a última com 59,7%.

A TIM hoje informa que tem o maior número de municípios cobertos pela conexão 4G, logo isso pode ter ajudado bastante no resultado, mas não deve ter sido o único fator. Investimento em redes, implementação do sinal 700 MHz, entre outros podem ajudar e muito.

Com relação aos números de disponbilidade de sinal 4G em Fortaleza, temos a TIM na frente com 87,7%, seguido por Oi (82,3), Vivo (81,5) e Claro (72,1).

Empresas respondem

Apenas uma das empresas demandadas para comentar sobre o ranking da OpenSignal respondeu. A única a participar foi a Oi.  Questionamos as empresas sobre melhorias na rede, especialmente para o Ceará. No ranking nacional, a Oi está em último em todos os quesitos. Aqui em Fortaleza ela está em último em quase todos os quesitos, menos em disponibilidade de sinal 4G, onde está em 2º lugar.

A Oi nos respondeu através de e-mail. Segundo a nota enviada, a Oi oferece cobertura 4G em 902 municípios do País e avança no projeto de readequação do seu espectro de 1.800MHz para oferecer funcionalidades da tecnologia 4,5G. “Em 2018,  a Oi  passou a oferecer 4,5G em 26 localidades do Brasil. Esse projeto, associado aos investimentos que a Oi vem fazendo em sua rede base e de transporte, e a sua grande capilaridade de fibra no país, trarão uma melhoria contínua na experiência de uso de dados. A companhia acrescenta ainda que os seus investimentos estão voltados para a expansão da rede 4G, avanço da implantação da rede de fibra ótica de alta velocidade e digitalização”.

Veja abaixo os gráficos nacionais:

O gráfico nacional de destaques aponta a Claro como a melhor internet em 4 das 5 categorias. TIM é a primeira em viabilidade de sinal 4G
TIM lidera na viabilidade de sinal 4G no Brasil
Claro lidera em experiência de vídeo
Claro na ponta na velocidade de download
Na velocidade de upload a Claro também lidera
A Claro é que tem menos problema com latência do sinal

Veja abaixo os gráficos de Fortaleza:

No ranking de download em Fortaleza, a Claro lidera em empate técnico com a Vivo

 

Na viabilidade de sinal 4G, em Fortaleza, a TIM é a campeã. Claro foi a pior

 

Em termos de latência de sinal, a Oi foi a pior no ranking em Fortaleza

 

Com relação a velocidade de upload em Fortaleza, Vivo e Claro dividem o trono com vantagem da primeira

 

Em Fortaleza, na qualidade de experiência de vídeo, a liderança é da Claro com a Vivo vindo um pouco atrás
12:01 · 31.12.2018 / atualizado às 09:07 · 31.12.2018 por

Quem nunca tentou enviar uma mensagem de feliz Ano Novo segundos depois da meia-noite e não teve sinal para ligar ou enviar mensagem pela internet? Vários de nós, certo? Muita gente até procurava antecipar essa ligação ou esta mensagem via Facebook Messenger, WhatsApp ou outras ferramentas de mensagem instantânea. É uma situação lamentável, não é mesmo? E esse ano? Como será?

Segundo Eduardo Tude, presidente do Teleco (site de um grupo de profissionais da área de Telecomunicações que analisa o setor), os problemas de congestionamento ocorrem no final do ano porque o tráfego é muito maior que o tráfego médio durante o ano, principalmente em locais de grande concentração popular. “Dimensionar a rede para atender este momento de pico implicaria em investimentos vultosos em uma rede que ficaria a maior parte do tempo ociosa, o que implicaria em um custo mais alto para o consumidor. No caso do celular, o que as operadoras procuram fazer nos locais de grande aglomeração é deslocar equipamentos para atender aquele local de forma temporária”.

De acordo com Tude, hoje em dia este problema não é tão grande. “O congestionamento era maior no passado quando as redes eram apenas de voz. Hoje a capacidade da rede é bem maior, principalmente com a tecnologia 4G que tem uma capacidade bem maior que as redes de gerações anteriores. Este problema será cada vez menor com o avanço das redes 4.5 G e a chegada da 5G”.

Ficar sem sinal de internet no celular na hora de postar aquela foto ou subir o stories com a galera pode ser irritante na virada. Foto: IgorStevanovic/Shutterstock

Mas e se caso o usuário for afetado por este problema? O que ele pode fazer para driblar o sinal fraco? “O consumidor deve procurar se comunicar por aplicativos de mensagens (inclusive por voz) quando não conseguir completar ligações e postar fotos. Lembre-se que a rede está sendo compartilhada por todos e se ela estiver lenta é bom evitar postar vídeos na hora da virada. Estes vídeos podem ajudar a congestionar ainda mais a rede e prejudicar a comunicação dos demais”.

Operadoras

Procuramos as 4 grandes operadoras (Claro, Oi, TIM e Vivo) e todas nos responderam. No caso, a Oi até se antecipou e enviou antes da solicitação um documento onde promete não deixar nenhum usuário na mão na virada. “Para atender ao crescimento do tráfego de voz e de dados durante as comemorações do Réveillon, a Oi vai aumentar a capacidade das antenas de celular já instaladas no Aterro da Praia de Iracema, principal ponto de concentração em Fortaleza para a chegada do Ano Novo, reforçando a cobertura do serviço de telefonia móvel”, informou.

Segundo a operadora, no Réveillon do Aterro da Praia de Iracema, que deve reunir mais de 1,3 milhão de pessoas neste ano, a Oi vai fortalecer sua rede de telefonia móvel com ativação do 4G na banda de 1800MHz e reforçar a cobertura com a ativação temporária de estações móveis na rede 3G. “Com isso, a companhia oferecerá uma melhor experiência aos seus clientes da orla nas tecnologias 3G e 4G”, garante o comunicado.

Claro

De acordo com André Peixoto, diretor Regional Nordeste da Claro, a operadora investiu muito na modernização da rede para dar uma cobertura melhor. “Pegamos boa parte das antenas 2G e 3G e praticamente transformamos todas em 4G. Também tivemos 122 cidades no Nordeste onde já estamos com o sinal 4.5G. Por exemplo: temos Fortaleza e Aquiraz no 4.5G. Estamos com um parque bem instalado que vai trazer uma segurança para os usuários. As principais praias do litoral estão cobertas pela tecnologia 4.5G e 4G para dar segurança e qualidade do serviço. Em determinado momento podemos ter alguns problemas, mas já estamos reforçando para tentar evitar transtornos maiores. Já experimentamos dificuldades no passado, mas trabalhamos na rede para tentar entregar uma melhor experiência no final do ano. Podem ficar tranquilos com a rede da Claro para o final de 2018 e começo de 2019”, garantiu o diretor.

TIM

A empresa informou, por nota, que não tem uma ação prevista apenas para o Réveillon. “A TIM vem realizando ampliação da capacidade de rede ao longo do ano, de acordo com comportamento do tráfego observado. Na capital, a companhia expandiu a rede 4G com o Refarming da frequência 2100 MHz e também tem um plano verão para as praias e pontos turísticos no Ceará”, finalizou.

Vivo

Segundo a assessoria de imprensa da Vivo, além dos investimentos realizados ao longo do ano para oferecer um serviço de melhor qualidade tanto em voz quanto em dados móveis, a operadora adota medidas para garantir a qualidade quando há maior demanda no uso, como por exemplo, durante as festas de final de ano. “A empresa mantém equipes mobilizadas para monitorar quaisquer atividades fora da normalidade e, assim, agir no menor tempo possível”, informaram via e-mail.

06:32 · 30.12.2018 / atualizado às 10:37 · 28.12.2018 por

por AFP

A gigante chinesa de telecomunicações Huawei, que enfrenta uma onda de rejeição por desenvolver tecnologia 5G no Ocidente, prometeu nesta quinta-feira se tornar a “número um do mundo”, apesar de “contratempos” e outros “tratamentos incrivelmente injustos”.

Em uma mensagem do ano novo transmitida à AFP, Guo Ping, um dos três responsáveis que compartilham a presidência rotativa da Huawei, citou Cícero: “Quanto maior a dificuldade, maior a glória”.

Em seguida, listou as conquistas da sua empresa em 2018 e avisou que o próximo ano poderá trazer “dificuldades ainda maiores”.

Mas “não devemos ser desencorajados por incidentes mal-intencionados ou contratempos temporários e devemos manter nosso compromisso de alcançar a liderança mundial. Os golpes só nos tornarão mais corajosos, e um tratamento incrivelmente injusto nos levará a nos tornarmos o líder número um”, escreveu Guo.

O ano de 2018 foi turbulento para a Huawei. Os Estados Unidos, preocupados com o avanço chinês no setor tecnológico, tentaram dissuadir seus aliados de usar equipamentos dessa empresa. Além disso, alegando razões de segurança, vários países fecharam suas redes 5G.

Equipes da Huawei foram rejeitadas nos Estados Unidos, na Austrália e na Nova Zelândia.

Também houve dúvidas sobre a empresa no Japão, na França, na Alemanha e no Reino Unido, onde o grupo BT anunciou que deixaria de usar o equipamento Huawei em sua rede de telefonia móvel.

Na República Tcheca, a agência de segurança de informação e cibersegurança estimou que tanto o software quanto o material da Huawei representam uma ameaça à segurança nacional.

10:45 · 19.12.2018 / atualizado às 10:45 · 19.12.2018 por

O uso do Wi-Fi se tornou um dos principais caminhos de acesso dos brasileiros à Internet e sua utilização está bastante difundida. No entanto, por trás dessa tecnologia há algumas dúvidas que pairam na mente dos usuários. Para elucidar os cinco principais mitos e verdades sobre a segurança e o aumento do alcance do sinal da rede, Fabio Simonagio, Diretor de Engenharia da operadora de telecomunicações Linktel, elencou as grandes dúvidas sobre o Wi-Fi.

Palha de aço ou alumínio ajudam na potência do sinal Wi-Fi?

No caso do Wi-Fi, a palha de aço (Bombril) só vai atrapalhar, o alumínio com a intenção de direcionar o sinal como é feito com latas de refrigerante pode ajudar a direcionar maior potência para uma determinada direção.

Como usar o Wi-Fi de forma segura?

É fundamental verificar sempre as atualizações disponíveis no site do fabricante do roteador e do dispositivo. Além disso, sempre usar uma senha forte na rede com números, caracteres especiais, além de letras maiúsculas e minúsculas e números com pelo menos 16 dígitos dificulta o acesso por pessoas não autorizadas.

Como saber se tem algum usuário “pirata” usando o seu Wi-Fi?

Certamente. No roteador Wi-Fi é possível ver os endereços IP e Mac address dos dispositivos conectados à rede. Se houver algum dispositivo desconhecido ou um número maior do que o número de dispositivos que você possui sua rede pode estar sendo usada por terceiros.

Posicionar o roteador mais alto possível melhora o sinal?

Sim. Quanto mais alto o roteador estiver posicionado, melhor o sinal do Wi-Fi, pois o funcionamento das ondas será numa espécie de efeito “guarda-chuva”.

Outros aparelhos elétricos e espelhos prejudicam a Internet?

Sim. Aparelhos que emitem ondas eletromagnéticas, como os telefones sem-fio, podem interferir na qualidade do sinal. Já os espelhos podem prejudicar a correta dispersão das ondas do roteador.

Usar vários roteadores melhora o sinal?

Pensando nessa questão de ampliação do sinal, o indicado é usar “repetidores”, que fazem o sinal chegar mais longe. Alguns fabricantes têm o roteador e o repetidor que trabalham juntos. Caso o usuário tenha mais de um roteador no mesmo local é provável que haja interferência. Por isso, não é recomendado.

07:12 · 19.12.2018 / atualizado às 07:51 · 18.12.2018 por

A Claro tem o serviço de 4.5G desde 2017. Este ano, a empresa ampliou o leque de municípios atendidos pelo serviço. No total, 532 cidades passam a contar com a tecnologia, sendo 122 no Nordeste. Com a expansão, todas as capitais do da região passam a contar com a rede 4.5G.

Além das regiões metropolitanas, tradicionais destinos do turismo nacional, como Aquiraz (CE), Barra de São Miguel (AL), Campina Grande (PB), Caruaru (PE), Juazeiro do Norte (CE), Olinda (PE) e Porto de Galinhas (PE), passam a receber também a tecnologia. O 4.5G promete velocidades médias de navegação de até 10 vezes maiores do que o 4G convencional.

“Iniciamos o ano de 2018 reforçando o pioneirismo da Claro lançando o 4.5G em uma cidade (Recife). Agora, mais 121 municípios, incluindo todas as capitais do Nordeste, passam a se conectar ao que há de mais rápido e tecnológico em telefonia móvel. Fomos reconhecidos como a internet mais rápida do Brasil pela Speedtest 2018 Fastest Mobile Network, realizado pelo Speedtest by Ookla. Podemos afirmar que o Nordeste chega de vez na era da velocidade da Claro”, afirma André Peixoto, Diretor da Claro Nordeste.

Confira as 3 funcionalidades técnicas na rede 4,5G que, quando suportadas pelos smartphones, promete deixar o serviço tão bom quanto a melhor rede fixa de fibra óptica:

• Carrier aggregation (agregação de faixas): Permite a consolidação de diferentes faixas de frequência em uma mesma portadora, algo como uma supervia de informação. Com isso, é possível navegar com mais velocidade e transmitir mais informação ao mesmo tempo. A tecnologia 4.5G permite agregação de até 3 faixas diferentes de frequência e exige um mínimo de 30 MHz de largura de banda no canal consolidado. Normalmente, são utilizadas faixas de espectro de 2600 MHz (primeira faixa licitada para implantação do 4G), 700 MHz (nova faixa oriunda do desligamento da TV analógica, em andamento) e ainda o 1800 MHz (reutilização de faixas antes dedicadas ao 2G) e o 850 MHz (reutilização de faixas antes dedicadas ao 3G).

• MIMO 4×4: Terminologia que vem do inglês (Multiple Inputs, Multiple Outputs), é um recurso que permite que o enlace de comunicação entre a torre da operadora e o smartphone do cliente seja feito utilizando 4 antenas de transmissão e 4 de recepção. Na maioria dos modelos disponíveis no mercado até então, eram utilizadas 2 antenas para transmissão e 2 para recepção.

• Modulação Avançada 256QAM: Esquema avançado de modulação que permite maior eficiência espectral, ou seja, transmitindo mais bits de dados a cada unidade de tempo. Permite que os dispositivos conectados transmitam um volume muito maior de dados simultaneamente.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags