Categoria: Facebook


13:15 · 15.09.2019 / atualizado às 13:16 · 11.09.2019 por

O mercado de desenvolvimento de jogos está em crescente ascensão no Brasil e, para incentivar artistas locais a criarem mais, a Xbox Brasil lançou nesta segunda-feira, 9 de setembro, o Concurso Cultural de Fan Art. Ao longo das próximas semanas, fãs e criadores interessados em participar terão o desafio de criar uma FanArt (ilustração 42cm x 29,7cm) que faça referência direta a um destes cinco jogos de Xbox: Keen, Spaceline Crew, Aritana 2, Dandara e Dandy Ace.

A FanArt poderá abordar personagens, cenas, temas ou outros elementos do universo do jogo escolhido. Para participar é preciso que o artista compartilhe as suas ilustrações no perfil pessoal do Twitter, Facebook ou Instagram marcando a hashtag #XboxBRFanArt, lembrando que o perfil deve ser aberto ao público para que estejam concorrendo a um console Xbox One X e assinaturas anuais do Xbox Game Pass Ultimate.

O tema central serão jogos independentes brasileiros, com apoio dos estúdios: Cat Nigiri (Keen); Coffeenauts (Spaceline Crew); Duaik (Aritana 2); Long Hat House (Dandara); Mad Mimic (Dandy Ace). A Xbox Brasil escolherá os TOP 10 e colocará para voto popular nas redes sociais de Xbox Brasil. Os três primeiros colocados serão impressos e presenteados como brindes na Brasil Game Show 2019. O vencedor do concurso receberá um Xbox One X, já o segundo e terceiro lugar, respectivamente, levarão para casa um ano de assinatura do Xbox Game Pass Ultimate, serviço de assinatura de jogos da Xbox.

“Há alguns anos começamos o engajamento com a comunidade de desenvolvedores no Brasil. É uma satisfação enorme poder contribuir para o desenvolvimento desse ecossistema. Já fizemos grandes avanços desde o lançamento do primeiro título brasileiro para Xbox em setembro de 2015 e temos boas expectativas para o futuro. Sem dúvida, continuaremos dando apoio a comunicação destes parceiros”, comenta Bruno Motta, gerente sênior de Xbox Brasil.

De acordo com dados da Microsoft, o Xbox Game Pass está tendo um papel importante para aumentar o acesso e a visibilidade dos jogos indies para o público. Por meio do serviço, Xbox registrou um aumento de 40% no número de games que as pessoas jogam – além de experimentarem 30% mais gêneros diferentes do que costumam jogar. Um jogo independente lançado no Xbox Game Pass tem em média seis vezes mais jogadores do que os que não entram no catálogo da plataforma.

Para participar

Publique a arte em seu perfil pessoal do Facebook, Twitter ou Instagram com a hashtag #XboxBRFanArt – a publicação não pode ser privada. Caso a plataforma escolhida seja o Instagram, é importante que o participante saiba que não serão aceitos posts publicados por meio da plataforma “Instagram Stories”. Cada participante pode inscrever neste concurso quantas FanArts desejar.

Quando: das 0h de 09/09 às 23h59 de 22/09

O resultado desta promoção será divulgado por meio das redes sociais oficiais de Xbox BR (Facebook e Twitter) a partir do dia 3 de outubro de 2019.

13:16 · 05.09.2019 / atualizado às 13:16 · 05.09.2019 por

Facebook Dating chegou ao Brasil em abril deste ano e traz hoje novas funcionalidades e atualizações. Entre as novidades, o recurso permitirá que as pessoas adicionem suas publicações do Instagram ao perfil de encontro delas no Facebook Dating e, até o fim do ano, será possível também compartilhar seus Stories.

O recurso torna mais fácil conhecer pessoas e começar conversas com base em suas preferências e interesses, a partir de uma experiência separada dentro do aplicativo do Facebook.

Crush Secreto agora com seguidores do Instagram

A partir de hoje, as pessoas também poderão criar listas de Crush Secreto no Facebook Dating com seus seguidores do Instagram. O recurso, que já existia para os amigos do Facebook, funcionará da mesma maneira para o Instagram e permitirá investir em potenciais relacionamentos com pessoas que fazem parte do seu ciclo de amigos e seguidores.

A ferramenta permite selecionar até nove pessoas e se o crush for recíproco, ou seja, também adicionar a pessoa à lista de crushes secretos, será um match. Mas, se a pessoa que foi marcada como crush não estiver no Facebook Dating, não criar uma lista de Crushes Secretos ou não for recíproco, ninguém saberá que o nome da pessoa foi adicionado à sua lista.

Mais novidades: Stories

Até o fim do ano, será possível ainda integrar os seus Stories do Facebook e do Instagram no perfil do Dating. Com esse formato, queremos ajudar as pessoas a se expressar de diferentes formas, em vez de apenas a partir de um perfil estático. A funcionalidade permitirá mostrar o lado mais autêntico de cada um, além de ajudar a conhecer alguém melhor.

Disponibilidade

O Facebook Dating já está disponível em 19 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Cingapura, Colômbia, Equador, Filipinas, Guiana, Laos, Malásia, México, Paraguai, Peru, Suriname, Tailândia, Uruguai e Vietnã. O recurso chega hoje aos Estados Unidos e estará disponível na Europa até o início de 2020.

12:43 · 04.09.2019 / atualizado às 12:52 · 04.09.2019 por

O brasileiro é reconhecido internacionalmente como um indivíduo hiperativo em redes sociais e aplicativos de mensageria. O País está entre os mercados com maior quantidade de usuários e com maior engajamento entre os principais serviços do gênero no Ocidente. Trata-se de um fenômeno de hiperssocialização virtual que impacta a sociedade de inúmeras maneiras, para o bem e para o mal, seja na produtividade, na política ou nas relações pessoais. Por isso é tão interessante a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Mensageria no Brasil. Que mostrou que o WhatsApp segue rei entre os apps de mensagem, mas que os demais estão crescendo.

Esta pesquisa independente, produzida por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções de pesquisas Opinion Box, traz, nesta edição, resultados obtidos através de entrevistas com 2.102 brasileiros com mais de 16 anos de idade, que acessam a Internet e possuem celular, respeitando as proporções de gênero, idade, renda mensal e distribuição geográfica desse grupo. As entrevistas foram feitas on-line entre 17 e 25 de julho de 2019. Esta pesquisa tem validade estatística, com margem de erro de 2,1 pontos percentuais e grau de confiança de 95%.

Dados

Nos últimos anos, esta pesquisa revelou o tamanho da popularidade do WhatsApp no Brasil, o recente crescimento do Instagram, a gradual queda do Facebook Messenger e uma certa estagnação do Telegram. Nesta edição, porém, houve reviravoltas. Todos os aplicativos monitorados aumentaram sua presença na base brasileira de smartphones na comparação com seis meses atrás, com destaque para Facebook Messenger, Instagram e Telegram.

Até fevereiro passado, a popularidade do Facebook Messenger vinha caindo gradativamente. O relatório daquele mês indicava que o app de mensageria estava presente em 69% dos smartphones de internautas brasileiros, seu mais baixo patamar na série histórica desta pesquisa.

Mas o app voltou a crescer e apenas seis meses depois ganhou 10 pontos percentuais: agora está instalado em 79% dos smartphones de internautas do País. No mesmo intervalo de tempo, a proporção de usuários do Messenger que abrem o app todo dia ou quase todo dia subiu de 62% para 66%. Também foi notado um crescimento na variedade de conteúdos enviados por esse canal, com destaque para a troca de mensagens efêmeras, também conhecidas como “stories”: subiu de 17% para 23% a proporção de usuários ativos mensais (MAUs, na sigla em inglês) do Messenger que produzem ou veem tais mensagens efêmeras. O Facebook tem estimulado bastante o uso desse recurso, especialmente no celular, o que pode ser um dos fatores que ajudaram o Messenger a reverter sua tendência de queda no Brasil.

A proporção de MAUs do app que trocam imagens, por sua vez, subiu de 47% para 52%, e aqueles que enviam ou recebem mensagens de áudio passou de 28% para 32%. Com maior engajamento e diversidade de conteúdos, consequentemente, aumenta a fidelidade do brasileiro ao aplicativo.

O Instagram também registrou um crescimento expressivo em seis meses, passando de 65% para 72% a proporção de internautas brasileiros com smartphone que possuem o app instalado. O percentual de sua base que abre o app todo dia ou quase to dia, porém, permaneceu inalterada em seis meses: 84%. Note-se que esse percentual é mais alto que o do Facebook Messenger. Ou seja, embora a base instalada do Instagram seja um pouco menor, o app tem uma proporção maior de usuários ativos diários.

O Telegram, por sua vez, aumentou em seis pontos percentuais a sua penetração no Brasil em seis meses, subindo de 13% para 19% a proporção de internautas brasileiros com smartphone que possuem o app instalado. A mídia gerada pelo escândalo do hackeamento de celulares de autoridades, em vez de afastar os brasileiros do Telegram, aparentemente causou um impacto positivo para o app de mensageria. Foi a primeira vez que ele cresceu acima da margem de erro na série histórica da pesquisa. Além disso, aumentou a proporção de MAUs do Telegram usando todos os tipos de conteúdo que podem ser trocados pelo app. O destaque está no envio de mensagens de áudio, que ganhou 11 pontos percentuais: passou de 42% para 53% os MAUs do Telegram que declaram se comunicar com mensagens de áudio pelo app.

O aumento da popularidade do Facebook Messenger, do Instagram e do Telegram não aconteceu às custas do WhatsApp. Este continua sendo o canal de mensageria mais popular do País, presente em 98% dos smartphones e com 98% dos seus usuários declarando que o abrem todo dia ou quase todo dia. Na verdade, o WhatsApp em seis meses até aumentou em um ponto percentual a sua penetração, variação que está dentro da margem de erro.

Portanto, o que se percebe com os dados coletados desta vez é que o brasileiro mantém-se fiel ao WhatsApp, mas ampliou a diversidade dos canais que utiliza para mensageria móvel, aprofundando ainda mais o seu comportamento de hiperssocialização virtual.

Pagamento com WhatsApp

O recente anúncio do Facebook de criação de uma criptomoeda, a Libra, e de uma carteira digital, a Calibra, reacendeu as expectativas de que o WhatsApp inclua uma funcionalidade de pagamentos no futuro, como já acontece na Índia. O recurso tem grande atratividade entre os brasileiros: 56% dos MAUs do WhatsApp declaram que gostariam de realizar pagamentos e transferências de dinheiro através do WhatsApp. A proporção é ainda maior
entre homens (62%) do que entre mulheres (50%).

O interesse em transformar o WhatsApp em uma carteira digital tem mais aderência entre os mais jovens. 59% dos MAUs com 16 a 29 anos de idade gostariam desse recurso. O percentual cai para 56% no grupo de 30 a 49 anos e para 50%, entre aqueles com 50 anos ou mais.

Quando perguntados qual seria a fonte do dinheiro para pagamentos via WhatsApp, 47% dos MAUs interessados nesse recurso dizem que gostariam de ter uma conta bancária virtual criada dentro do próprio app de mensageria. A proporção é maior entre os usuários das classes C, D e E (50%) do que entre aqueles das classes A e B (41%), provavelmente porque muitos dos primeiros hoje são desbancarizados. Outros 30% dos MAUs interessados em usar o WhatsApp para pagamentos prefeririam associá-lo à sua conta bancária atual e 23%, a um cartão de crédito.

09:49 · 14.08.2019 / atualizado às 09:49 · 14.08.2019 por

Por AFP

Segundo a agência France Press (AFP), o Facebook pagou centenas de terceirizados para transcrever fragmentos de conversas de alguns usuários, revelou na última terça-feira, 13, a agência Bloomberg, embora a rede social tenha negado durante muito tempo agir desta forma para melhorar o direcionamento de seus anúncios ou páginas de informação.

>>>Microsoft admite que escuta conversas de usuários do Skype

Em um comunicado enviado à agência financeira, o Facebook reconhece ter transcrito áudios de conversas com a autorização dos usuários, mas afirma ter posto fim a essa prática.

“Assim como a Apple e o Google, desde a semana passada congelamos a prática de ouvir áudios feita por pessoas”, alegou a rede social.

Consultado pela AFP, o Facebook não respondeu imediatamente.

O Facebook explicou que estava autorizado a transcrever conversas pelos usuários de seu aplicativo Messenger.

Os terceirizados verificavam se a inteligência artificial da rede estava interpretando corretamente as mensagens.

Segundo a Bloomberg, os empregados encarregados da transcrição estavam preocupados com as implicações éticas de seu trabalho, não estavam informados sobre a origem dos áudios nem sobre o uso que a empresa de Mark Zuckerberg fazia deles.

As gigantes Amazon, Apple e Google, todos vendedores de assistentes de voz, já haviam reconhecido fazer o mesmo para melhorar as respostas de seus aplicativos. A Apple e o Google anunciaram que abandonaram esta prática nas últimas semanas.

A Amazon, por exemplo, oferece a seus clientes a opção de bloquear o uso de suas conversas com Alexa, a inteligência artificial que impulsiona seus assistentes de voz Echo.

O Facebook, que acaba de pagar uma multa recorde de US$ 5 bilhões às autoridades federais dos Estados Unidos por mau uso dos dados privados de seus usuários, negou durante muito tempo ouvir as conversas de seus usuários para orientar melhor seus anúncios ou tornar suas páginas mais atrativas.

09:24 · 13.08.2019 / atualizado às 09:54 · 13.08.2019 por
10:58 · 08.08.2019 / atualizado às 10:58 · 08.08.2019 por

por AFP

A Microsoft afirmou na última quarta-feira, 7, para a Agência France Press (AFP), que seus colaboradores escutam conversas para aperfeiçoar as funções de tradução de voz oferecidas pela rede Skype e seu assistente digital Cortana, mas somente quando obtém a autorização do usuário.

A empresa americana defendeu seu manejo de dados de voz ao ser consultada pela AFP e indicou: “A Microsoft coleta dados de voz para proporcionar e melhorar serviços habilitados para voz como a busca, comandos de voz, ditado ou serviços de tradução”.

Esta declaração da Microsoft chega em resposta a uma matéria no site de notícias Vice que indica que as pessoas da companhia escutaram conversas sobre assuntos pessoais como relações sentimentais e perda de peso.

“Nos esforçamos para ser transparentes sobre nossa coleta e uso de dados de voz para garantir que os clientes possam tomar decisões informadas sobre quando e como se utilizam seus dados de voz”, destacou o grupo à AFP.

A Microsoft afirmou que obtém a autorização dos clientes antes de coletar seus dados de voz e toma precauções de privacidade, incluindo a eliminação da informação de identificação do usuário antes de compartilhá-la com os provedores encarregados de ajudar a melhorar o software ou os serviços que fornece.

A companhia também indicou que exige que os fornecedores cumpram os padrões de privacidade estabelecidos na lei europeia.

“Continuamos revisando a forma como manejamos os dados de voz para nos assegurarmos de que as opções sejam o mais claras possível para os clientes e proporcionem fortes proteções da privacidade”, disse a Microsoft.

A notícia chega depois de que uma série de erros na proteção da privacidade foram divulgados nos últimos meses e levantaram novas preocupações em diferentes âmbitos sobre o futuro dos assistentes digitais controlados por voz, um mercado em crescimento, visto por alguns como a próxima fronteira em informática.

Incidentes recentes que envolvem dispositivos das gigantes Google, Apple e Amazon mostram que, apesar do forte crescimento no mercado de dispositivos inteligentes, é necessário mais trabalho para garantir aos consumidores que seus dados estão protegidos quando usam essa tecnologia.

Até hoje as coincidências de conversas que travamos via chats de grandes players e até no mundo real perto de nossos aparelhos que depois voltam como anúncios não foi provada ser nada além de uma coincidência. Porém, após uma clara afirmação como fez a Microsoft, só amplia o medo de que estamos mesmo sendo vigiados. Para melhorar produtos ou descobrir hábitos de consumo até agora segue sendo um mistério.

06:26 · 02.08.2019 / atualizado às 09:37 · 26.07.2019 por

Abandonar os perfis nas mídias sociais está na moda – ironicamente, às vezes essa tendência aparece nas próprias plataformas, como é o caso do #DeleteFacebook. O Instagram não é uma exceção. As pessoas podem ter motivos muito diferentes para excluir suas contas, mas hoje em dia, a ideia geral de deixar a segunda maior mídia social está bastante popular.

Falando em ironia, talvez você tenha encontrado esse texto na sua timeline:

“Minha razão para largar o Instagram é uma da mais comuns: passear por um feed de fotografias da comida saborosa e dos destinos de férias de outras pessoas faz minha vida parecer depressivamente monótona. Depois de 5 minutos no Instagram, sinto como se a minha existência fosse chata (e não é!), então decidi sair da plataforma”.

Lendo este texto, você vai saber como fazer um backup do seu perfil do Instagram e então desabilitar sua conta temporariamente ou abandonar de vez, excluindo seu perfil permanentemente.

Como fazer um backup do seu perfil do Instagram?

Por um lado, o Instagram é bastante generoso quando se trata de backups, e permite que você baixe não apenas todas as suas fotos, como também outras informações: curtidas, comentários, contatos, legendas (inclusive hashtags), pesquisas, configurações e outros.

Por outro lado, tudo (exceto as fotografias) será exportado em formato JSON (JavaScript Object Notation). Ainda assim, você pode ler (analisar seria mais adequado) os arquivos em um software simples de edição de textos como Notepad, WordPad ou TextEdit, embora não seja exatamente prático, suas informações estarão em suas mãos.

De qualquer forma, o principal objetivo ao solicitar um backup do Instagram provavelmente será guardar as fotografias. Notícia boa: as imagens são disponibilizadas em formato JPEG, divididas em pastas organizadas por datas. Mas nem tudo é perfeito: terão baixa resolução – 1080×1080. É assim que o Instagram as armazena, então não há motivos para esperar algo diferente, mas esteja preparado.

Como fazer um backup do seu Instagram no aplicativo para Android ou iOS?

Para baixar o backup do seu perfil do Instagram em um smartphone ou tablet, você precisa fazer o seguinte:

  1. Abra o aplicativo do Instagram.
  2. Clique na sua imagem de perfil, no canto inferior direito.
  3. Clique no ícone do menu no canto superior direito da tela, e então em Configurações, no canto inferior direito.
  4. Deslize a tela até Privacidade e Segurança e selecione Download de Dados.
  5. Aceite o e-mail sugerido para entrega ou insira outro.
  6. Confirme o endereço de e-mail e digite sua senha do Instagram.
  7. Aguarde até 48 horas (geralmente são apenas alguns minutos) para que o Instagram envie por e-mail um link para baixar o arquivo com todos os seus dados.
  8. Clique no link, faça login no site do Instagram com suas credenciais de acesso e clique em Baixar dados para começar a fazer o download do arquivo ZIP com suas fotos e outras informações de perfil.

Como fazer um backup do seu Instagram pelo navegador?

Fazer o backup do seu perfil do Instagram em um navegador é ainda mais fácil, especialmente se utilizar um computador ou laptop. Siga os seguintes passos:

  1. Acesse com e faça login.
  2. Clique na sua imagem de perfil, no canto superior direito da tela.
  3. Clique no botão Editar perfil ao lado do seu nome.
  4. No menu à esquerda, selecione Privacidade e Segurança.
  5. Deslize para baixo e clique em Solicitar download logo após o subtítulo Download de Dados. O Instagram vai enviar por e-mail o link para download do arquivo com as fotografias e outras informações do seu perfil.
  6. Depois, repita os passos mencionados acima: abra o e-mail e clique no link.
  7. Faça login no site do Instagram.
  8. Clique em Baixar dados para começar a fazer o download do arquivo ZIP que contêm suas fotos e outras informações de perfil.
  9. Agora que já guardou suas fotos, pode deletar seu perfil.

Como deletar seu perfil do Instagram?

Se vasculhar as configurações do Instagram na Web, a única opção que vai encontrar é desabilitar temporariamente sua conta. No entanto, se souber o link secreto, pode deletá-la de vez. Aqui vamos falar de ambas as opções. Note que o Instagram não permite que você exclua ou desative temporariamente sua conta no aplicativo móvel — você precisará usar um navegador e a interface Web para isso.

Como desabilitar temporariamente sua conta do Instagram na Web?

  1. Abra seu navegador e acesse Instagram.com.
  2. Faça login.
  3. Clique na sua imagem de perfil no canto superior direito da tela.
  4. Clique no botão Editar perfil, ao lado do seu nome.
  5. Role para baixo até encontrar Desativar minha conta temporariamente e clique no link.
  6. Selecione o motivo, insira sua senha e clique no botão Desativar conta temporariamente.
  7. Clique em Sim. Sua conta agora está desativada, o que significa que seu perfil, comentários e curtidas ficarão ocultos até que seja reativada, caso isso aconteça.

Como deletar permanentemente sua conta do Instagram na Web?

  1. Abra seu navegador e acesse aqui.
  2. Faça login.
  3. Selecione o motivo pelo qual quer deletar sua conta, insira sua senha e clique no enorme botão vermelho que diz Excluir minha conta permanentemente.
  4. Clique OK.
  5. Pronto, sua conta foi excluída. Note que, neste caso, não é possível restaurar seu perfil. Então, se tiver qualquer dúvida, escolha a opção mais segura e desative a conta temporariamente.

Como restaurar sua conta do Instagram?

Se não você não quer excluir permanentemente sua conta, mas apenas desabilitá-la temporariamente, poderá restaurar seu perfil simplesmente fazendo login tanto no aplicativo mobile, quanto na Web em Instagram.com.

Diferentemente do Twitter, se desativar temporariamente sua conta, o Instagram não vai exclui-la permanentemente após um determinado período. Por isso, não se preocupe! Seu perfil não vai desaparecer se esquecê-lo por um tempo. No entanto – e também ao contrário do Twitter –, o Instagram não permite que sua conta seja restaurada logo após ser temporariamente desabilitada. De acordo com a mídia social, são necessárias muitas horas para desabilitar uma conta, de forma que será preciso esperar esse período até sua restauração.

17:01 · 01.08.2019 / atualizado às 14:44 · 01.08.2019 por

As plataformas do Facebook tem recursos onde os jovens podem se conectar, aprender e jogar. Por isso, temos um forte compromisso com a sua segurança, e com a proteção das crianças contra a exploração online. Porém, a luta contra a exploração infantil é maior do que apenas os esforços de uma empresa – ela exige que trabalhemos juntos como uma indústria para compartilhar as ferramentas e melhores práticas para aumentar a segurança na internet.

O Facebook disponibilizou, nesta quinta, 1/8, em código aberto, tecnologias de correspondência de foto e vídeo (“video- and photo-matching“) que podem detectar vídeos e fotos idênticas e quase idênticas. Essas ferramentas são importantes para detectar e impedir que indivíduos compartilhem conteúdo de exploração que são usuais, entre outros conteúdos nocivos, como propaganda terrorista ou vídeos gráficos ao vivo. Os algoritmos serão os primeiros de seu tipo a terem códigos abertos no GitHub para uso entre parceiros do setor e organizações sem fins lucrativos que possam ajudar a identificar e tomar alguma ação, com mais facilidade, contra um conteúdo que tenha sido previamente identificado, bem como compartilhar hashes de diferentes tipos de abuso. A tecnologia de correspondência de vídeo foi desenvolvida em conjunto com a equipe de Pesquisa de Inteligência Artificial do Facebook (FAIR) e acadêmicos da Universidade de Modena e Reggio Emilia, na Itália.

“Essas tecnologias fazem parte de um conjunto de soluções que usamos no Facebook para detectar conteúdos que exploram crianças e impedir que isso sejam compartilhados em nossas plataformas – também usamos machine learning e inteligência artificial. Uma vez que nossa equipe detecta um conteúdo deste tipo, nós relatamos as violações ao Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (NCMEC) que, por sua vez, trabalha com agências de segurança pública em todo o mundo para ajudar as vítimas”, informa comunicado da rede social assinado por Antigone Davis, Chefe Global de Segurança, e Guy Rosen, VP de Integridade.

A empresa afirma que está anunciando essas tecnologias hoje para coincidir com o quarto hackathon anual de segurança infantil da indústria na sede do Facebook, em Menlo Park na Califórnia (EUA). O evento de dois dias reunirá quase 80 engenheiros e cientistas de dados das empresas parceiras da Technology Coalition e outras instituições para desenvolver novas tecnologias que ajudem a proteger as crianças.

O evento deste ano está focado no desenvolvimento de novas ferramentas para ajudar os parceiros do Facebook, NCMEC e Thorn, em seu trabalho. “Nossos parceiros irão disponibilizar seus dados aos engenheiros e cientistas de dados para serem utilizados ​​no desenvolvimento de mais de dez projetos. O código aberto lançado hoje será disponibilizado às equipes no hackathon para desenvolver possíveis usos adicionais. As equipes também irão desenvolver um protótipo que permitirá que autoridades policiais possam usar a ferramenta de gerenciamento de casos do NCMEC para pesquisar bancos de dados de outras organizações em busca de hashes conhecidos e outras informações importantes para construir casos mais fortes contra criminosos”, garante a nota enviada para a imprensa.

De acordo com o comunicado do Facebook, os hackathons são uma forma interessante de reunir pessoas de diferentes organizações e com uma variedade de conhecimentos para construir ferramentas que combatam a exploração sexual online de crianças. “Todos os códigos e protótipos desenvolvidos no evento serão doados de volta aos nossos parceiros e usados ​​em seu trabalho em prol da segurança de crianças”, encerra a nota.

08:46 · 21.07.2019 / atualizado às 09:51 · 18.07.2019 por

Com a enorme quantidade de dados que o Facebook e suas entidades associadas possuem sobre os usuários, não é de se admirar que muitas pessoas queiram se libertar dessa relação. Entretanto, se você já está na mídia social há mais de cinco minutos, sua conta provavelmente acumulou alguns amigos, arquivos e recordações que gostaria de salvar. As dicas são da Kaspersky.

Como desativar sua conta do Facebook

Sejamos honestos: o Facebook não quer que você vá embora. Sua conta não será perdida se você ignorá-la e, se precisar de ajuda para manter-se longe, poderá desativá-la sem precisar sair completamente. O Facebook altera a localização do passo a passo abaixo de tempos em tempos e, no momento em que este texto foi escrito, o caminho para desativar sua conta estava em:

  1. Configurações → Suas Informações no Facebook .
  2. Selecione Exclua sua conta e suas informações.
  3. E, em seguida, Desativar conta.
  4. Siga as instruções para confirmar.

Desativar é como desligar as luzes – as pessoas não verão seu nome ou suas fotos, na maioria das vezes, e você não poderá usar sua conta inativa. Mas é possível reacendê-las, simplesmente fazendo login novamente. Suas configurações, amigos, mensagens e todo o resto estarão lá quando resolver voltar.

Ainda está determinado a excluir sua conta do Facebook? Nós não podemos culpá-lo. Mas se você não for cuidadoso e minucioso, a mídia social, assim como um ex relutante, não lhe devolverá suas coisas. Por isso, antes de sair baixe suas fotos, mensagens e leve tudo com na primeira tentativa de deixá-lo.

Como excluir sua conta do Facebook pela interface Web

  1. Acesse Configurações → Suas Informações no Facebook.
  2. Selecione a segunda opção Baixe suas informações.
  3. Selecione um intervalo de datas (o padrão é Todos os meus dados), um formato HTML para acesso universal e na opção qualidade do arquivo – caso esteja usando o Facebook para armazenar suas fotos, convém escolher Alta em vez do padrão Média para obtê-las com maior qualidade.
  4. Marque ou desmarque as caixas de dados para fazer o backup – tudo, desde as publicações, arquivos de mídia até os aplicativos e sites com os quais você fez login com suas credenciais do Facebook, além de “Outras atividades” como check-in em restaurantes.
  5. Clique em Criar Arquivo. Isso levará algum tempo e o Facebook informará por e-mail quando o arquivo estiver pronto para download.
  6. Feito! Você fez o backup do seu histórico do Facebook e agora pode excluir sua conta. Volte para a página Excluir sua conta e suas informações e selecione Excluir conta.

Como excluir sua conta do Facebook do aplicativo mobile

Se você utiliza um aplicativo iOS ou Android para acessar o Facebook, precisa fazer mais do que apenas excluí-lo. Claro que a exclusão aciona um aviso sobre os dados do aplicativo serem deletados, mas isso diz respeito às informações do aplicativo e não sobre seus dados.

Novamente, os aplicativos e suas configurações mudam, mas provavelmente não de maneira radical. Nas versões atuais dos aplicativos para iOS e Android o caminho é o seguinte:

  1. Toque no ícone Configurações (três barras horizontais) na parte inferior direita (aplicativo iOS) ou no canto superior direito da tela (aplicativo Android).
  2. Toque em Configurações e Privacidade.
  3. Acione Configurações.
  4. Selecione Baixe Suas Informações e siga as instruções para efetuar o download de todos os arquivos possíveis da sua conta do Facebook.
  5. Retorne ao menu principal de Configurações.
  6. Selecione Atalhos de Privacidade.
  7. Role para baixo até Suas informações do Facebook e toque em Excluir sua conta e informações.
  8. Escolha a opção Excluir Conta e toque em Continuar para a exclusão da conta.
  9. Role a tela para baixo e toque em Excluir conta.
  10. Remova o aplicativo do Android ou iOS da mesma maneira que apaga os demais: no Android, provavelmente por meio do gerenciador de aplicativos em Configurações. No iOS, toque e segure o ícone até que um X apareça no canto superior esquerdo do ícone, toque no X para confirmar que você deseja excluir o app e seus dados associados.

Vejo você no mundo real ou nas contas de mídias sociais que você ainda não está totalmente preparado para deletar.

06:37 · 27.06.2019 / atualizado às 07:23 · 27.06.2019 por

Facebook e a Platzi, escola online de formação em tecnologia, anunciam que concederão mil bolsas de estudos no Brasil e em outros países da América Latina, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de talentos e crescimento econômico na região. As bolsas darão acesso a um curso de 21 semanas na Platzi e participantes receberão certificado como desenvolvedores de front-end.

O programa consiste em sete cursos técnicos e quatro de habilidades básicas para crescimento profissional, com aulas disponíveis em espanhol e português. A sessão inicial e a final são por meio de transmissões ao vivo, além de três sessões adicionais focadas apenas em perguntas e respostas.

Os critérios de participação incluem não estar atualmente matriculado em nenhuma instituição ou plataforma, identificar-se como parte de uma minoria na indústria de tecnologia e ter acesso a um computador ou tablet com conexão à Internet e capacidade de programação. Um dos objetivos do programa é aumentar a diversidade no setor de tecnologia e oferecer oportunidades educacionais para pessoas que possivelmente não teriam de outra forma.

Além disso, para se inscrever, é preciso demonstrar que você não tem recursos para acessar educação de qualidade e/ou pertencer ou se identificar com qualquer um dos seguintes grupos: mulheres, afrodescendentes, populações rurais, grupos indígenas, migrantes ou refugiados e LGBTQ +.

“No Facebook, acreditamos que, ao apoiar o desenvolvimento de habilidades tecnológicas para minorias na América Latina, não só ajudamos a aumentar a diversidade no ecossistema, mas também incentivamos a inovação e a economia local. A tecnologia é um catalisador de oportunidades, e queremos contribuir para o desenvolvimento de sistemas tecnológicos em que todos tenham a oportunidade de participar,” afirma Susan Cipriota, Gerente de Parcerias de Produtos do Facebook na América Latina.

“A educação online eficaz é uma solução escalável para a pobreza e uma resposta ao momento positivo que a América Latina está vivendo na área da tecnologia. A missão da Platzi é transformar os nossos países em economias digitais, e em parceria com o Facebook, esse novo programa de bolsas de estudo visa esse objetivo, formando a próxima geração de profissionais e empreendedores.” John Freddy Vega, CEO da Platzi

Proporcionar mais oportunidades educacionais para o desenvolvimento de talentos locais não só aumenta as perspectivas de emprego e possibilita melhores salários, mas também incentiva a inovação e o crescimento do ecossistema empreendedor. De acordo com uma pesquisa da LAVCA publicada este ano, mais de 90% das startups brasileiras têm equipes locais de engenharia. O desenvolvimento de talentos na área de tecnologia na região também tem potencial para acelerar o crescimento das empresas locais.

As inscrições ficarão abertas a partir de hoje, 24 de junho, e se encerram no dia 21 de julho. As bolsas concedidas serão anunciadas no dia 5 de agosto e o curso começará no dia 9 de agosto.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags