Categoria: Facebook


13:25 · 11.05.2020 / atualizado às 13:26 · 11.05.2020 por

Agora é oficial. Todos estão com a possibilidade de usar a versão dark ou “Modo Escuro” do Facebook no desktop. Para isso basta seguir a seguinte sequência:

1 – Acesse o site do Facebook
2 – Clique na seta no canto superior direito
3 – Clique em mudar para o novo Facebook
4 – Para ativar o modo escuro clique na seta no canto superior direito
5 – Ligue a chave “Modo Escuro” ou “Dark Mode”

Se quiser voltar para a versão clássica basta:

1 – Clicar na seta no canto superior direito
2 – Clicar em “Mudar para Facebook clássico”
3 – Abrirá uma pesquisa de satisfação que você pode responder ou pular
4 – Pronto, voltou para a versão clássica

O retorno para a versão clássica não significa que você não poderá retornar para a opção com “Modo Escuro”. Basta seguir o primeiro passo a passo.

Esta nova versão, além de ter menos brilho, está bem mais organizado e você tem uma visão muito melhor de seu feed, dos grupos e do Messenger. “Com a nova navegação simplificada, encontre o que você procura mais rapidamente: nunca foi tão fácil encontrar vídeos, jogos e Grupos. Além disso, a página inicial e as transições de página carregam com mais velocidade. A experiência é semelhante a do Facebook em dispositivos móveis”, esclarece o blog do Facebook sobre o novo layout da rede social.

Sobre o modo escuro, o blog diz que “o novo design imersivo com o modo escuro torna a visualização de vídeos no Watch uma ótima experiência”, encerra.

07:33 · 30.04.2020 / atualizado às 07:35 · 30.04.2020 por

Ontem, o governo do Ceará criou uma agência oficial para checagem de notícias. Um passo importante na luta contra as notícias falsas, uma pandemia gravíssima de nosso mundo conectado. A plataforma chamada de Antifake CE pode ser acionada por meio do WhatsApp, Telegram, e-mail ou redes sociais, que incluem Instagram, Twitter e Facebook.

No meio da pandemia do novo coronavírus, o governo precisa desviar atenção para combater criminosos que tentam ludibriar a população ou jogá-la contra o governo em nome de uma politicagem de quinta categoria. É muito espírito de porco. Abaixo as formas de contato com a agência anti-fake:

Pelo WhatsApp: +55 85 98439-0655
Pelo Telegram: +55 85 98956-1392
Pelo e-mail: web@imprensa.ce.gov.br
Pelas redes sociais: via direct/inbox nas contas oficiais do governo do estado (Instagram, Facebook Imprensa, Facebook e Twitter)

Achei a iniciativa muito boa. Porém, o problema maior é educação não só do povo cearense e brasileiro, mas mundial. Acreditar em algo que um amigão fala ou um parente parece ser mais lógico que é um veículo de informação, ainda mais quando você já criou uma antipatia. Porém, não é lógico, muito menos inteligente.

Você precisa checar cada informação que recebe via redes sociais e, no caso brasileiro, especialmente através do WhatsApp – reduto máximo das notícias falsas no Brasil. Por um simples motivo: a pessoa que te mandou pode até não está mancomunada com a mentira. Simplesmente ela já foi capturada por criminosos e, sem saber, está retransmitindo falsas notícias ou falsas promoções. Isso acontece todos os dias.

Logo, checar com fontes oficiais – governamentais ou privadas – e com a imprensa é regra básica. Logo, engula o orgulho e verifique absolutamente tudo antes de publicar ou será um novo espalhador de mentiras e falsas promoções. Fique atento. Não é porque foi sua tia ou pai ou mesmo melhor amigo que enviou que é verdade. Estas pessoas podem estar enganadas, mal intencionadas ou viraram reféns de cibercriminosos. Faça sua parte por um mundo melhor! Lembre-se: se você quer compartilhar, antes precisa verificar!

07:07 · 07.01.2020 / atualizado às 07:08 · 07.01.2020 por

O Facebook atualizou a verificação de privacidade. O objetivo da empresa é guiar o usuário por configurações importantes de privacidade da rede social. Segundo a empresa, a ferramenta renovada de Verificação de Privacidade foi expandida para quatro tópicos distintos para ajudar o usuário a fortalecer a segurança de sua conta e controlar quem pode ver o que você compartilha e como suas informações são usadas. “Sabemos que a privacidade é pessoal e integramos dicas para ajudá-lo a tomar as melhores decisões para você”, afirma nota do Facebook.

Quem pode ver o que você compartilha

Função ajudar a analisar quem pode visualizar as informações do seu perfil, como seu número de telefone e endereço de e-mail, bem como suas postagens.

Como manter sua conta segura

Função ajudar a fortalecer a segurança da conta, definindo uma senha mais forte e ativando alertas de login.

Como as pessoas podem encontrar você no Facebook

Permitirá analisar maneiras pelas quais as pessoas podem procurá-lo no Facebook e quem pode enviar solicitações de amizade.

Suas configurações de dados no Facebook

Permitem revisar as informações que você compartilha com os aplicativos que você conecta com o Facebook. Você também pode remover os aplicativos que não são mais usados.

A ferramenta de verificação de privacidade está em operação desde 2014 e a nova versão está sendo lançada globalmente esta semana. Você pode acessá-la através da opção “Atalhos de Privacidade” nas configurações do aplicativo do Facebook para Android e iOS ou no menu Ajuda Rápida no navegador.

13:09 · 28.11.2019 / atualizado às 14:15 · 28.11.2019 por

Desde as 10h, segundo o site Downdetector, Facebook e Instagram estão instáveis ou fora do ar. O problema é mundial, mas a Europa está sendo mais atingida no caso do Instagram e os EUA no caso do Facebook. Usuários no Brasil estão sentindo o problema também.

Até agora, 13h31, 1.145 notificações de problemas foram encontrados no problema do Facebook e 3.824 reclamações no Instagram.

Entramos em contato com a assessoria brasileira do Instagram. Segundo um porta-voz do Facebook, a rede social está ciente do problema e trabalhando para resolver o quanto antes. Veja abaixo a nota na íntegra:

“Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar a família de aplicativos do Facebook, incluindo o Instagram. Estamos trabalhando para normalizar a situação o mais rápido possível”.

Mapa de instabilidade do Facebook até 13h10
06:26 · 19.11.2019 / atualizado às 07:27 · 19.11.2019 por

Segundo o relatório mais recente, o Facebook, o Twitter e o Instagram estão entre os 10 sites mais acessados do mundo. Apesar de bilhões de pessoas passarem milhares de horas todos os dias nessas plataformas de redes sociais, muitas não consideram essa atividade arriscada. O risco se deve às nossas ações descuidadas quando nos esquecemos da nossa privacidade.

Daniel Markuson, especialista em privacidade digital da NordVPN, diz que a privacidade da sua conta de rede social é tão importante quanto o conteúdo que você publica. Embora a privacidade dos serviços de rede social como uma opção pessoal possa ser discutível, o especialista selecionou os erros mais comuns que todos os usuários cometem e explicou como evitá-los:

Compartilhamento exagerado

É perigoso revelar informações em excesso ou informações muito confidenciais, como locais, fotos de passagens aéreas ou passaportes com números de identificação, contagem regressiva até você sair de férias, compras de artigos caros, etc. Os criminosos à espreita on-line podem usar essas informações para roubar sua identidade, assaltar sua casa ou simplesmente chantagear você. Além disso, os hackers geralmente procuram pessoas emocionalmente vulneráveis para atacar, usando seus desabafos emocionais nas redes sociais contra você.

Não compartilhe dados pessoais, como endereço residencial e número de telefone, nos seus perfis de redes sociais, pois eles podem ser facilmente acessados por qualquer pessoa. Daniel Markuson, da NordVPN, diz que é melhor evitar publicações on-line enquanto estiver ausente, especialmente aquelas que incluem sua localização em tempo real. O especialista também se opõe à publicação de imagens de quaisquer documentos que contenham informações confidenciais ou códigos digitalizáveis, como QR e códigos de barras. E lembre-se de não compartilhar sentimentos íntimos ou participar de discussões acaloradas on-line que possam chamar a atenção dos golpistas.

Uso da mesma senha para todas as contas nas redes sociais

Imagine que sua senha do Twitter vazou e você usa a mesma senha para o Facebook e o Instagram. Agora um hacker pode bloqueá-lo de suas contas de redes, acessar todas as suas informações privadas, incluindo suas fotos, e usá-las de forma maliciosa.

Para evitar um possível roubo de identidade, você deve usar senhas diferentes para cada plataforma social. Também é recomendável alterar suas senhas com frequência e usar senhas fortes. Daniel Markuson recomenda usar um gerenciador de senhas.

Esquecimento das configurações de privacidade da sua conta

Às vezes, os usuários de redes sociais se esquecem da cibersegurança ao compartilhar informações confidenciais e adicionar pessoas que não conhecem à lista de amigos. No entanto, alguns desses desconhecidos podem ser causadores de problemas cibernéticos, publicando notícias falsas nocivas ou enviando links de vírus por mensagens. Essas pessoas também têm acesso a fotos e outras informações que você compartilha com seus amigos.

Portanto, não fique amigo de pessoas que você não conhece nas redes sociais. Você sempre pode acessar a lista de amigos ou de coisas em comum antes de adicionar uma pessoa ao seu Facebook.

Mesmo que você não adicione desconhecidos, se seu perfil for público, qualquer um pode coletar seus dados e utilizá-los para suas próprias necessidades traiçoeiras. Daniel Markuson recorda que você deve verificar com quem está compartilhando suas informações antes de publicar qualquer coisa on-line. Verifique se suas publicações estão visíveis apenas para seus amigos, e não para todos na Internet.

Foto: Romana Krizkova/Shutterstock

Fazer testes

Como você estará daqui a 50 anos? Que personagem de Game of Thrones você é? Com plug-ins de malware, os golpistas utilizam esses testes para obter suas informações pessoais. Em março, o Facebook processou dois produtores de testes ucranianos que utilizavam esses jogos para acessar e roubar dados privados de usuários do Facebook. Os golpistas apresentaram seus próprios anúncios aos usuários do Facebook, em vez dos aprovados oficialmente.

Embora os testes do Facebook pareçam completamente inofensivos, não caia nessa. Sinceramente, os algoritmos dos testes são muito simples, portanto seja cético(a) e não participe. De acordo com Daniel Markuson, da NordVPN, se você não consegue resistir a esses testes tentadores, verifique quias são as informações solicitadas do seu perfil e decida se realmente deseja compartilhá-las.

Usar mídias sociais em Wi-Fi público não seguro

Pesquisas mais recentes mostram que 79% dos usuários de Wi-Fi público correm sérios riscos ao selecionar uma rede. Eles escolhem um hotspot por causa da potência do Wi-Fi, de um nome que pareça apropriado ou simplesmente escolhem qualquer opção gratuita. Porém, os hackers utilizam conexões públicas não protegidas para espionar os dispositivos das pessoas e roubar seus dados privados, incluindo senhas de redes sociais.

Tenha muito cuidado ao se conectar ao Wi-Fi gratuito em cafés, hotéis e outros locais públicos, pois eles podem estar insuficientemente protegidos. Não entre em suas contas sociais, nem visite sites de informações confidenciais, quando estiver utilizando um Wi-Fi público. Uma das melhores maneiras de utilizar um hotspot gratuito com segurança é instalar uma VPN. Isso garantirá a privacidade de sua conexão à Internet, e que nenhum dado confidencial possa ser roubado.

15:01 · 04.10.2019 / atualizado às 15:01 · 04.10.2019 por

O Facebook lançou, nesta quinta-feira, 3, o Threads, um aplicativo de mensagens entre grupos de amigos para você enviar fotos e vídeos diretamente para pequenos grupos. Também será possível enviar mensagens e seu status, se está comendo, por exemplo.

O app não irá substituir o Direct, serviço de mensagens que já vem no Instagram. Porém, ele vai tentar ser um serviço para o grupo mais íntimo que você têm naquela rede social. O objetivo é deixar estas pessoas mais cientes do que você está fazendo e onde está.

Apesar de ter sido lançado tanto para Android quanto iOS. O modo de uso é bem simples. Depois da configuração, que é bem funcional, é só começar a usar. Achei totalmente desnecessário o aplicativo. Talvez encontre um público que gosta de montar grupinhos e queira interagir com eles, mas não vi nenhuma necessidade e já o desinstalei, inclusive.

07:01 · 03.10.2019 / atualizado às 07:56 · 02.10.2019 por

O Banco do Brasil foi a primeira instituição financeira a realizar atendimento com chatbot nas redes sociais, quando passou a atender pelo Facebook Messenger em fevereiro de 2018. Um ano depois, veio o atendimento pelo WhatsApp. Agora, o BB amplia a sua estrutura de curadoria de conteúdo para o chatbot. Chamado de Escola de Robô, o local abriga 50 funcionários, em São Paulo, que ensinam o assistente virtual a responder aos pedidos e dúvidas de clientes e usuários. Isso também vale para o público interno.

“A união das pessoas com a inteligência artificial amplia nossa capacidade de prestar um atendimento de excelência aos nossos clientes, com agilidade nas respostas e resolutividade. Não por acaso, decidimos implantar a nossa Escola de Robô dentro do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). Essa complementariedade entre o atendimento das pessoas e do bot vem se mostrando uma fórmula de sucesso”, comenta Carlos Motta, vice-presidente de distribuição de varejo.

O vice-presidente reforça a importância e a necessidade de constante aprimoramento do repertório da curadoria e resolutividade do bot. Segundo ele, um dos grandes desafios é desenvolver a ferramenta a ponto de os clientes terem o sentimento de estar sendo atendidos sempre por uma pessoa.

Os números de atendimento pelo assistente virtual, em dias de pico, chega a atender mais de 10 mil clientes no WhatsApp. Mais de 50% dos usuários têm suas demandas totalmente atendidas pelo bot, garante a instituição que resultado que isso gera ganhos de eficiência e aumento na satisfação dos clientes. Isso permite a concentração de esforços para as demandas de maior complexidade, com atendimento inicial pelo robô e conclusão por um funcionário do Banco.

Considerando todos os canais que o chatbot atua, são realizados uma média de 6,6 mil atendimentos por dia. Nesse ritmo, o Banco ultrapassará 1 milhão de atendimentos até o final do ano. Até o final de agosto, o bot do BB já conversou com mais de 720 mil usuários. Foram 600 mil apenas por WhatsApp e os outros 120 mil atendimentos pelo Facebook e Twitter.

No último mês de agosto, foram mais de 187 mil atendimentos realizados pelo WhatsApp, com efetividade apurada em 72% (bot respondeu corretamente ou transbordou corretamente para o atendimento humano). O robô está sempre recebendo novidades. O último foi em meados de setembro, quando o assistente começou a pedir feedback dos clientes quanto às respostas dadas. Até agora, o índice de respostas consideradas adequadas pelos clientes está em 68% e, nos casos em que não consideram satisfatórias são convidados a dar sugestão em uma frase de como o bot pode melhorar. Todas essas informações são geridas pela equipe da Escola de Robô.

Canais de atuação

O assistente do BB está presente no Facebook Messenger, no WhatsApp, no Twitter e no Google Assistente. Abaixo, todas as transações que o bot realiza.

Twitter – informações gerais e transbordo para o SAC;

Facebook Messenger – informações gerais, transações e transbordo para o SAC;
a) Questionário de Perfil do investidor
b) Simulador de Investimento
c) Consulta Código IBAN;
d) Saldo de conta corrente;
e) Extrato de conta corrente;
f) Extrato de poupança;
g) Saldo de poupança;
h) Saldo de CDB;
i) Extrato de fundos de investimento;
j) Rastreio de cartão;
k) Fatura de cartão;

Whatsapp – informações gerais, transações, transbordo para CRBB, agência de relacionamento e help desk. Hoje conta também com a opção de envio de mensagem de voz, reconhecimento de imagem para pagamentos, negociador de dividas e opção de personalização do nome do bot;
a) Transferência entre contas;
b) Recarga de celular;
c) Consulta Código IBAN;
d) Saldo de conta corrente;
e) Extrato de conta corrente;
f) Extrato de poupança;
g) Saldo de poupança;
h) Saldo de CDB;
i) Extrato de fundos de investimento;
j) Rastreio de cartão;
k) Fatura de cartão;
l) Liberação de cartão;
m) Pagar ou receber;
n) Saque sem;
o) Recarga de Metrô SP;
p) Pagamento IPVA;
q) Envio 2º via do código de barras do cartão;
r) Envio PDF da fatura do cartão;
s) Pagamento de boletos e convênios;

Google Assistente – informações gerais e opção de emissão de senha para atendimento na agência e localização de dependência mais próxima à localização do cliente.

06:13 · 02.10.2019 / atualizado às 13:17 · 01.10.2019 por

Este final do ano conta com uma programação diversa de festivais de música, principalmente em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Por conta da emoção em assistir aos shows de alguns dos seus artistas favoritos, são inúmeras as postagens de ingressos nas redes sociais com informações que trazem os dias e a hora que as pessoas estarão em determinado local, que os usuários deixam passar alguns cuidados com a cibersegurança.

O grande ponto com esse tipo de publicação, de acordo com os especialistas de segurança da Kaspersky, é que as pessoas postam fotos de ingressos de eventos futuros e esquecem de esconder os dados de identificação, como códigos de barra e caracteres especiais. Nesses casos, pessoas mal-intencionadas podem usar a informação das imagens para falsificar o ingresso – seja para revendê-los ou ir ao evento por conta da vítima. “É normal que grandes eventos atraiam a atenção de cibercriminosos. Não é preciso criar uma paranoia, mas é importante tomar alguns cuidados”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky.

Outra ameaça muito comum neste período são os sites falsos que visam roubar o dinheiro das pessoas que querem assistir seu artista favorito. Eles podem ser acessados por meio de anúncios falsos no Google e Facebook.

Pensando nisso, a Kaspersky separou algumas dicas para comprar ingressos pela internet de forma segura:

  • Não exponha informações e de identificação do ingresso na internet. Caso queira comemorar a compra de um ingresso nas redes sociais, é importante embaçar todas as informações, como dados pessoais e o código de barra ou QRCode.
  • Checar a procedência do ingresso. É importante certificar-se que se a empresa que está realizando a venda do ingresso é a indicada pela organizadora do evento ou do festival. Esses dados são oferecidos no site da entidade que detém os direitos de realização do show ou do espetáculo.
  • Verificar quem é o dono do site. Encontrou um site desconhecido com ofertas de ingressos tentadoras? Antes de comprar, consulte a lista do Procon e também o Registro.br, na sessão “Whois”, que informa quem registrou o site. Golpistas geralmente usam endereços de e-mail gratuitos para registrar o domínio (Hotmail, Gmail etc.).
  • Desconfiar de mensagens SMS e anúncios no Facebook. Essa é a mais nova modalidade dos golpistas, que têm usado especialmente as redes sociais para disseminar golpes. Duvide de supostas ofertas recebidas por SMS. Para confirmar se a oferta exibida na rede social é real, entre no site oficial da venda de ingresso e busque o produto anunciado.
07:44 · 25.09.2019 / atualizado às 07:44 · 25.09.2019 por

Por AFP

O Facebook anunciou nesta segunda-feira, 23, a compra de uma empresa que pesquisa como controlar computadores e outros dispositivos com a mente. Através desta aquisição, a startup CTRL-labs passará a formar parte do “laboratório de realidade” do Facebook com o objetivo de aperfeiçoar a tecnologia e convertê-la rapidamente em um produto de massa, disse Andrew Bosworth, vice-presidente da divisão de realidade virtual e aumentada da rede social, com sede na Califórnia.

“Sabemos que há maneiras mais naturais e intuitivas de interagir com dispositivos e tecnologia e queremos desenvolvê-las”, disse Bosworth ao anunciar o acordo.

Diferentemente de outros sistemas que buscam a comunicação entre o cérebro e as máquinas mediante implantes cerebrais, este sistema de controle funciona simplesmente com uma pulseira.

Segundo Bosworth, a pulseira decodifica impulsos elétricos como os que o cérebro envia aos músculos da mão para realizar determinados movimentos, como ‘clicar’ um mouse ou apertar um botão.

A pulseira traduz então estes impulsos em sinais que um dispositivo é capaz de compreender, permitindo assim o controle mental do aparelho, segundo o Facebook.

Facebook não revelou o valor da aquisição, mas a imprensa especializada fala em um negócio de US$ 500 milhões.

09:32 · 24.09.2019 / atualizado às 09:33 · 24.09.2019 por

Por AFP

Facebook, Twitter, Google e outros gigantes da tecnologia criaram uma estrutura independente consagrada a reforçar sua luta contra os conteúdos extremistas na Internet, anunciaram nesta segunda-feira.

Essa iniciativa é resultado do trabalho de um consórcio criado em 2017 por Facebook, Microsoft, Twitter e Google (via YouTube). Amazon, assim como as plataformas LinkedIn (propriedade da Microsoft) e WhatsApp (Facebook) se uniram à nova organização.

Esta terá como objetivo “frustrar as tentativas cada vez mais sofisticadas de terroristas e extremistas violentos de utilizar as plataformas digitais”.

Há vários meses, o Facebook multiplicou iniciativas para combater o “ódio e o conteúdo extremista na internet”.

Na terça-feira passada, o grupo dirigido por Mark Zuckerberg anunciou que teria recrutado policiais de ambos os lados do Atlântico para educar suas ferramentas de inteligência artificial a fim de deter as retransmissões de vídeo de ataques extremistas ao vivo em sua plataforma.

A rede social foi muito criticada por demorar 17 minutos para interromper o vídeo ao vivo de um supremacista branco que atacava uma mesquita em 15 de março em Christchurch, na Nova Zelândia, onde matou 51 muçulmanos.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags