Categoria: Instagram


11:00 · 10.10.2019 / atualizado às 12:38 · 10.10.2019 por

Você já viu algum colega usando um filtro ultra-realista de um cachorro no Instagram? Pois bem. Esse viral foi criado por um usuário chamado Antonio Ruggiero. Mas como usar? Vamos lá:

1 – Acesse a página do filtro Sasha Dog. Toque em “Abrir no Instagram”. Depois confirme a abertura do app no botão “Abrir”.

2 – No seu Instagram ative a câmera traseira do celular e aponte para alguma superfície. O cachorro será adicionado e você pode analisar o melhor local e tamanho dele.

3 – Ajuste o ângulo que achar melhor e use o botão capturar para tirar a foto ou gravar um vídeo.

4 – Pode incluir também no “Story”, além da timeline.

15:01 · 04.10.2019 / atualizado às 15:01 · 04.10.2019 por

O Facebook lançou, nesta quinta-feira, 3, o Threads, um aplicativo de mensagens entre grupos de amigos para você enviar fotos e vídeos diretamente para pequenos grupos. Também será possível enviar mensagens e seu status, se está comendo, por exemplo.

O app não irá substituir o Direct, serviço de mensagens que já vem no Instagram. Porém, ele vai tentar ser um serviço para o grupo mais íntimo que você têm naquela rede social. O objetivo é deixar estas pessoas mais cientes do que você está fazendo e onde está.

Apesar de ter sido lançado tanto para Android quanto iOS. O modo de uso é bem simples. Depois da configuração, que é bem funcional, é só começar a usar. Achei totalmente desnecessário o aplicativo. Talvez encontre um público que gosta de montar grupinhos e queira interagir com eles, mas não vi nenhuma necessidade e já o desinstalei, inclusive.

06:13 · 02.10.2019 / atualizado às 13:17 · 01.10.2019 por

Este final do ano conta com uma programação diversa de festivais de música, principalmente em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Por conta da emoção em assistir aos shows de alguns dos seus artistas favoritos, são inúmeras as postagens de ingressos nas redes sociais com informações que trazem os dias e a hora que as pessoas estarão em determinado local, que os usuários deixam passar alguns cuidados com a cibersegurança.

O grande ponto com esse tipo de publicação, de acordo com os especialistas de segurança da Kaspersky, é que as pessoas postam fotos de ingressos de eventos futuros e esquecem de esconder os dados de identificação, como códigos de barra e caracteres especiais. Nesses casos, pessoas mal-intencionadas podem usar a informação das imagens para falsificar o ingresso – seja para revendê-los ou ir ao evento por conta da vítima. “É normal que grandes eventos atraiam a atenção de cibercriminosos. Não é preciso criar uma paranoia, mas é importante tomar alguns cuidados”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky.

Outra ameaça muito comum neste período são os sites falsos que visam roubar o dinheiro das pessoas que querem assistir seu artista favorito. Eles podem ser acessados por meio de anúncios falsos no Google e Facebook.

Pensando nisso, a Kaspersky separou algumas dicas para comprar ingressos pela internet de forma segura:

  • Não exponha informações e de identificação do ingresso na internet. Caso queira comemorar a compra de um ingresso nas redes sociais, é importante embaçar todas as informações, como dados pessoais e o código de barra ou QRCode.
  • Checar a procedência do ingresso. É importante certificar-se que se a empresa que está realizando a venda do ingresso é a indicada pela organizadora do evento ou do festival. Esses dados são oferecidos no site da entidade que detém os direitos de realização do show ou do espetáculo.
  • Verificar quem é o dono do site. Encontrou um site desconhecido com ofertas de ingressos tentadoras? Antes de comprar, consulte a lista do Procon e também o Registro.br, na sessão “Whois”, que informa quem registrou o site. Golpistas geralmente usam endereços de e-mail gratuitos para registrar o domínio (Hotmail, Gmail etc.).
  • Desconfiar de mensagens SMS e anúncios no Facebook. Essa é a mais nova modalidade dos golpistas, que têm usado especialmente as redes sociais para disseminar golpes. Duvide de supostas ofertas recebidas por SMS. Para confirmar se a oferta exibida na rede social é real, entre no site oficial da venda de ingresso e busque o produto anunciado.
13:08 · 19.09.2019 / atualizado às 13:08 · 19.09.2019 por

Nesta quarta, 18 de setembro, o Instagram anunciou uma nova política no Instagram e Facebook, focada em conteúdo de produtos para perda de peso e determinados procedimentos estéticos. A partir de agora, quando a rede social toma conhecimento desse tipo de conteúdo, poderá tomar as seguintes medidas:

Restringir o conteúdo: se uma publicação promover o uso de determinados produtos para perda de peso ou procedimentos estéticos incentivando a compra ou incluindo preços, iremos restringi-la para que usuários menores de 18 anos não vejam essa publicação.

Remover o conteúdo: publicações que prometem resultados milagrosos relacionados a determinados produtos de dieta ou perda de peso, contendo uma oferta comercial como um código de desconto, não serão mais permitidas pelas Diretrizes da Comunidade e serão removidas do Instagram.

“Nossas políticas de publicidade nunca permitiram a promoção desses produtos e agora estamos dando mais um passo para também considerar a tendência crescente de marketing de influenciadores e conteúdo orgânico”, garante nota do Instagram.

“Queremos manter um ambiente positivo para todos no Instagram, e essa nova política faz parte do nosso trabalho contínuo para reduzir a pressão que as pessoas podem sentir às vezes, quando se deparam com alguns conteúdos nas redes sociais. Trabalhamos em conjunto com especialistas para garantir que essa mudança tenha um impacto positivo em nossa comunidade de mais de 1 bilhão de pessoas, e para assegurar que o Instagram continue sendo uma plataforma para livre expressão e discussão”, afirmou Emma Collins, gerente de Políticas Públicas do Instagram.

13:15 · 15.09.2019 / atualizado às 13:16 · 11.09.2019 por

O mercado de desenvolvimento de jogos está em crescente ascensão no Brasil e, para incentivar artistas locais a criarem mais, a Xbox Brasil lançou nesta segunda-feira, 9 de setembro, o Concurso Cultural de Fan Art. Ao longo das próximas semanas, fãs e criadores interessados em participar terão o desafio de criar uma FanArt (ilustração 42cm x 29,7cm) que faça referência direta a um destes cinco jogos de Xbox: Keen, Spaceline Crew, Aritana 2, Dandara e Dandy Ace.

A FanArt poderá abordar personagens, cenas, temas ou outros elementos do universo do jogo escolhido. Para participar é preciso que o artista compartilhe as suas ilustrações no perfil pessoal do Twitter, Facebook ou Instagram marcando a hashtag #XboxBRFanArt, lembrando que o perfil deve ser aberto ao público para que estejam concorrendo a um console Xbox One X e assinaturas anuais do Xbox Game Pass Ultimate.

O tema central serão jogos independentes brasileiros, com apoio dos estúdios: Cat Nigiri (Keen); Coffeenauts (Spaceline Crew); Duaik (Aritana 2); Long Hat House (Dandara); Mad Mimic (Dandy Ace). A Xbox Brasil escolherá os TOP 10 e colocará para voto popular nas redes sociais de Xbox Brasil. Os três primeiros colocados serão impressos e presenteados como brindes na Brasil Game Show 2019. O vencedor do concurso receberá um Xbox One X, já o segundo e terceiro lugar, respectivamente, levarão para casa um ano de assinatura do Xbox Game Pass Ultimate, serviço de assinatura de jogos da Xbox.

“Há alguns anos começamos o engajamento com a comunidade de desenvolvedores no Brasil. É uma satisfação enorme poder contribuir para o desenvolvimento desse ecossistema. Já fizemos grandes avanços desde o lançamento do primeiro título brasileiro para Xbox em setembro de 2015 e temos boas expectativas para o futuro. Sem dúvida, continuaremos dando apoio a comunicação destes parceiros”, comenta Bruno Motta, gerente sênior de Xbox Brasil.

De acordo com dados da Microsoft, o Xbox Game Pass está tendo um papel importante para aumentar o acesso e a visibilidade dos jogos indies para o público. Por meio do serviço, Xbox registrou um aumento de 40% no número de games que as pessoas jogam – além de experimentarem 30% mais gêneros diferentes do que costumam jogar. Um jogo independente lançado no Xbox Game Pass tem em média seis vezes mais jogadores do que os que não entram no catálogo da plataforma.

Para participar

Publique a arte em seu perfil pessoal do Facebook, Twitter ou Instagram com a hashtag #XboxBRFanArt – a publicação não pode ser privada. Caso a plataforma escolhida seja o Instagram, é importante que o participante saiba que não serão aceitos posts publicados por meio da plataforma “Instagram Stories”. Cada participante pode inscrever neste concurso quantas FanArts desejar.

Quando: das 0h de 09/09 às 23h59 de 22/09

O resultado desta promoção será divulgado por meio das redes sociais oficiais de Xbox BR (Facebook e Twitter) a partir do dia 3 de outubro de 2019.

12:43 · 04.09.2019 / atualizado às 12:52 · 04.09.2019 por

O brasileiro é reconhecido internacionalmente como um indivíduo hiperativo em redes sociais e aplicativos de mensageria. O País está entre os mercados com maior quantidade de usuários e com maior engajamento entre os principais serviços do gênero no Ocidente. Trata-se de um fenômeno de hiperssocialização virtual que impacta a sociedade de inúmeras maneiras, para o bem e para o mal, seja na produtividade, na política ou nas relações pessoais. Por isso é tão interessante a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Mensageria no Brasil. Que mostrou que o WhatsApp segue rei entre os apps de mensagem, mas que os demais estão crescendo.

Esta pesquisa independente, produzida por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções de pesquisas Opinion Box, traz, nesta edição, resultados obtidos através de entrevistas com 2.102 brasileiros com mais de 16 anos de idade, que acessam a Internet e possuem celular, respeitando as proporções de gênero, idade, renda mensal e distribuição geográfica desse grupo. As entrevistas foram feitas on-line entre 17 e 25 de julho de 2019. Esta pesquisa tem validade estatística, com margem de erro de 2,1 pontos percentuais e grau de confiança de 95%.

Dados

Nos últimos anos, esta pesquisa revelou o tamanho da popularidade do WhatsApp no Brasil, o recente crescimento do Instagram, a gradual queda do Facebook Messenger e uma certa estagnação do Telegram. Nesta edição, porém, houve reviravoltas. Todos os aplicativos monitorados aumentaram sua presença na base brasileira de smartphones na comparação com seis meses atrás, com destaque para Facebook Messenger, Instagram e Telegram.

Até fevereiro passado, a popularidade do Facebook Messenger vinha caindo gradativamente. O relatório daquele mês indicava que o app de mensageria estava presente em 69% dos smartphones de internautas brasileiros, seu mais baixo patamar na série histórica desta pesquisa.

Mas o app voltou a crescer e apenas seis meses depois ganhou 10 pontos percentuais: agora está instalado em 79% dos smartphones de internautas do País. No mesmo intervalo de tempo, a proporção de usuários do Messenger que abrem o app todo dia ou quase todo dia subiu de 62% para 66%. Também foi notado um crescimento na variedade de conteúdos enviados por esse canal, com destaque para a troca de mensagens efêmeras, também conhecidas como “stories”: subiu de 17% para 23% a proporção de usuários ativos mensais (MAUs, na sigla em inglês) do Messenger que produzem ou veem tais mensagens efêmeras. O Facebook tem estimulado bastante o uso desse recurso, especialmente no celular, o que pode ser um dos fatores que ajudaram o Messenger a reverter sua tendência de queda no Brasil.

A proporção de MAUs do app que trocam imagens, por sua vez, subiu de 47% para 52%, e aqueles que enviam ou recebem mensagens de áudio passou de 28% para 32%. Com maior engajamento e diversidade de conteúdos, consequentemente, aumenta a fidelidade do brasileiro ao aplicativo.

O Instagram também registrou um crescimento expressivo em seis meses, passando de 65% para 72% a proporção de internautas brasileiros com smartphone que possuem o app instalado. O percentual de sua base que abre o app todo dia ou quase to dia, porém, permaneceu inalterada em seis meses: 84%. Note-se que esse percentual é mais alto que o do Facebook Messenger. Ou seja, embora a base instalada do Instagram seja um pouco menor, o app tem uma proporção maior de usuários ativos diários.

O Telegram, por sua vez, aumentou em seis pontos percentuais a sua penetração no Brasil em seis meses, subindo de 13% para 19% a proporção de internautas brasileiros com smartphone que possuem o app instalado. A mídia gerada pelo escândalo do hackeamento de celulares de autoridades, em vez de afastar os brasileiros do Telegram, aparentemente causou um impacto positivo para o app de mensageria. Foi a primeira vez que ele cresceu acima da margem de erro na série histórica da pesquisa. Além disso, aumentou a proporção de MAUs do Telegram usando todos os tipos de conteúdo que podem ser trocados pelo app. O destaque está no envio de mensagens de áudio, que ganhou 11 pontos percentuais: passou de 42% para 53% os MAUs do Telegram que declaram se comunicar com mensagens de áudio pelo app.

O aumento da popularidade do Facebook Messenger, do Instagram e do Telegram não aconteceu às custas do WhatsApp. Este continua sendo o canal de mensageria mais popular do País, presente em 98% dos smartphones e com 98% dos seus usuários declarando que o abrem todo dia ou quase todo dia. Na verdade, o WhatsApp em seis meses até aumentou em um ponto percentual a sua penetração, variação que está dentro da margem de erro.

Portanto, o que se percebe com os dados coletados desta vez é que o brasileiro mantém-se fiel ao WhatsApp, mas ampliou a diversidade dos canais que utiliza para mensageria móvel, aprofundando ainda mais o seu comportamento de hiperssocialização virtual.

Pagamento com WhatsApp

O recente anúncio do Facebook de criação de uma criptomoeda, a Libra, e de uma carteira digital, a Calibra, reacendeu as expectativas de que o WhatsApp inclua uma funcionalidade de pagamentos no futuro, como já acontece na Índia. O recurso tem grande atratividade entre os brasileiros: 56% dos MAUs do WhatsApp declaram que gostariam de realizar pagamentos e transferências de dinheiro através do WhatsApp. A proporção é ainda maior
entre homens (62%) do que entre mulheres (50%).

O interesse em transformar o WhatsApp em uma carteira digital tem mais aderência entre os mais jovens. 59% dos MAUs com 16 a 29 anos de idade gostariam desse recurso. O percentual cai para 56% no grupo de 30 a 49 anos e para 50%, entre aqueles com 50 anos ou mais.

Quando perguntados qual seria a fonte do dinheiro para pagamentos via WhatsApp, 47% dos MAUs interessados nesse recurso dizem que gostariam de ter uma conta bancária virtual criada dentro do próprio app de mensageria. A proporção é maior entre os usuários das classes C, D e E (50%) do que entre aqueles das classes A e B (41%), provavelmente porque muitos dos primeiros hoje são desbancarizados. Outros 30% dos MAUs interessados em usar o WhatsApp para pagamentos prefeririam associá-lo à sua conta bancária atual e 23%, a um cartão de crédito.

06:45 · 27.08.2019 / atualizado às 13:51 · 26.08.2019 por

Quem iria pensar que um perfil nas redes sociais, um dia, viraria um negócio? A verdade é que muita gente imaginou esse potencial e criou projetos pessoais e profissionais nas plataformas. Hoje, já é possível falar em empreendedorismo digital, que é um modelo de negócios cuja base comercial está no online.

E se você acha que empreender na internet é tarefa fácil, saiba que, apesar dos custos reduzidos, é necessário muito estudo e dedicação para identificar qual é a sua proposta, o seu público e de quais ferramentas você vai precisar. Separamos alguns dicas para ajudar nessa missão.

Tenha algo a dizer

Mais da metade da população mundial está nas redes sociais, o que significa que, além de um grande público, existem também muitos produtores de conteúdo (planejado ou puramente espontâneo). Portanto, é preciso conquistar sua audiência tendo algo relevante a dizer. A empresária e influenciadora digital Mileide Mihaile percebeu que a base de seguidores construída ao longo da carreira atribuía a ela muita credibilidade e que isso era ponto positivo para o empreendedorismo digital. “Muitas pessoas já me acompanham há muito tempo, são admiradoras leais. É gente que gosta de verdade de mim e quer ouvir o que tenho a dizer”, afirma Mileide.

Recentemente, Mileide esteve em Nova York para produzir conteúdo digital para grifes parceiras e desenvolver novos projetos, também envolvendo empreendedorismo na internet, como seu canal no Youtube. Com mais de três milhões de seguidores no Instagram, a empresária já estrelou campanhas e ações de diversas marcas locais e nacionais, como Elizabeth Lima, Mentacafé, Mallory, entre outras.

Trabalhe seu branding pessoal

Ellen Nuwen

Branding é um modelo de gestão de marca que alinha ações para conquistar a audiência e o consumidor. Ellen Nuwem, criadora de conteúdo no @branding.lab e consultora de branding, explica como enxerga essa gestão: “Gosto sempre de falar de gestão de marca viva: movimento, ações, personalidade, vivência”. “Branding pessoal nada mais é que a gestão da sua imagem como pessoa – business, na qual você vai alinhar toda a sua imagem e comunicação interna e externa em prol do seu objetivo”, completa Ellen.

Para Mileide, esse cuidado deve ser perceptível em todos os pontos de contato com o público, por exemplo, em um feed harmônico e bem organizado. “Para editar fotos, eu uso o aplicativo Lightroom no celular, que guarda um padrão de edição para todas as fotos. Assim, meu feed não fica bagunçado e sempre com uma cor diferente, e isso cria uma identidade minha e do meu perfil”, explica.

Isso é só para influencers?

Não. Branding pessoal é para toda pessoa que entende que tem uma imagem a zelar. Todo profissional que quer ter um posicionamento no mercado, seja um empresário ou alguém que esteja em busca de recolocação profissional. “Sua vida na internet, hoje, diz muito sobre quem você é, no que você acredita, que tipos de lugares frequenta e com quem anda. As suas ideias estão disponíveis para qualquer um consumir”, esclarece Ellen.

Checklist para começar

Iniciar um planejamento de branding pessoal pode ser um pouco confuso para quem nunca deu atenção à própria imagem nas redes. Mas para ajudar, reunimos as dicas de Ellen e Mileide para ficar mais fácil. Confira:

1. Avalie o conteúdo já publicado

Comece a observar tudo que você já postou e falou na internet até hoje. Que tipo de mensagem você está passando? Faça uma análise crítica sobre você mesmo.

2. Defina um novo objetivo

Como você quer ser visto? Quem você é hoje é congruente com a mensagem que você vem passando na internet? Defina um plano de ação de mudança baseado no seu novo objetivo.

3. Comece a construir uma comunidade

Ache pessoas que se identificam com você, com seus planos e negócios e desenvolva esse relacionamento de maneira ainda mais profunda. “Aprenda com eles, seja humilde”, aconselha Ellen.

Conhecer as pessoas faz toda a diferença

Para Mileide, a dica de ouro é conhecer bem o público e ter uma relação de confiança com ele. Além de criar conteúdo com base nos contratantes, a empresária também considera bastante o que os seguidores têm a dizer. “Hoje, eu planejo todo os meus conteúdos personalizados para as necessidades dos clientes e levando em conta o feedback do meu público, pois eu crio com base no que meus seguidores têm curiosidade de ver”, explica. E para gerar informações ainda mais consistentes, Mileide conta com alguns colaboradores: “Para tratar de assuntos que eu não domino, sempre tenho um profissional parceiro, como um médico ou um gestor, por exemplo”.

12:30 · 21.08.2019 / atualizado às 12:30 · 22.08.2019 por

Falso perfil do Bradesco no Instagram está, mais uma vez (ao menos 3 com essa), ofertando, via sorteio, um fim de semana em um hotel de luxo em Jericoacoara, no Ceará. Mais uma vez, como em fevereiro deste ano, entramos em contato com a assessoria de imprensa da rede social.

Com relação ao Instagram, questionamos se eles não teriam um filtro para evitar que posts patrocinados como esses fossem feitos através de golpistas. Deveria haver alguma forma de confirmar a autenticidade da promoção. Isso é vital.

Por e-mail, o Instagram nos respondeu com a seguinte nota:

“A segurança das pessoas no Instagram é nossa prioridade e a vasta maioria daqueles que interagem com negócios em nossa plataforma tem experiências positivas. Atividade fraudulenta não tem espaço no Instagram e removemos contas que violam nossas políticas. Temos um conjunto de sistemas que nos ajudam a encontrar e remover contas que apresentem atividade suspeita. Esse é um esforço contínuo que estamos comprometidos a aprimorar continuamente. Também desenvolvemos novos recursos que dão às pessoas o poder de gerenciar sua experiência com anúncios no Instagram e agir quando vêem algo suspeito”, um porta-voz do Facebook.

Também tentamos contato com a assessoria do Bradesco em São Paulo. Ao Bradesco questionamos o que irão fazer em relação a essa terceira, ao menos, tentativa de golpe usando a marca. Segue a nota da empresa:

“As plataformas sociais possuem políticas abertas de criação de perfis e fraudadores podem se valer disso para aplicar golpes. O Bradesco possui um time de monitoramento de redes sociais que trabalha interagindo com os usuários e analisando o que é citado sobre a marca na rede. Sempre que é detectado um perfil falso em nome do Bradesco, é acionada a plataforma responsável para reportar e solicitar a exclusão da conta. Frequentemente também é produzido conteúdo educacional sobre segurança com o objetivo de alertar as pessoas sobre o tema”.

Ousadia

Golpistas usam da boa vontade das pessoas para tentar roubar os dados

O golpe é ousado. Os criminosos usam uma postagem patrocinada para tentar alcançar o maior número de vítimas ao mesmo tempo. Nos comentários é possível verificar que apenas uma pessoa indica que não se coloquem os dados pedidos pelos atacantes.

Assim como da vez anterior, agência, conta, senha e número de celular são solicitados pelos falsários.

A única mudança entre o golpe atual e o de fevereiro é que o nome da conta mudou. Antes era bancobradescoexclusive, assim mesmo, tudo junto e em caixa baixa. Agora é AppsBradesco.

Sempre que surgir algo assim para você, procure o perfil oficial da empresa. Não tenha pressa em participar e nunca revele seus dados a ninguém.

06:26 · 02.08.2019 / atualizado às 09:37 · 26.07.2019 por

Abandonar os perfis nas mídias sociais está na moda – ironicamente, às vezes essa tendência aparece nas próprias plataformas, como é o caso do #DeleteFacebook. O Instagram não é uma exceção. As pessoas podem ter motivos muito diferentes para excluir suas contas, mas hoje em dia, a ideia geral de deixar a segunda maior mídia social está bastante popular.

Falando em ironia, talvez você tenha encontrado esse texto na sua timeline:

“Minha razão para largar o Instagram é uma da mais comuns: passear por um feed de fotografias da comida saborosa e dos destinos de férias de outras pessoas faz minha vida parecer depressivamente monótona. Depois de 5 minutos no Instagram, sinto como se a minha existência fosse chata (e não é!), então decidi sair da plataforma”.

Lendo este texto, você vai saber como fazer um backup do seu perfil do Instagram e então desabilitar sua conta temporariamente ou abandonar de vez, excluindo seu perfil permanentemente.

Como fazer um backup do seu perfil do Instagram?

Por um lado, o Instagram é bastante generoso quando se trata de backups, e permite que você baixe não apenas todas as suas fotos, como também outras informações: curtidas, comentários, contatos, legendas (inclusive hashtags), pesquisas, configurações e outros.

Por outro lado, tudo (exceto as fotografias) será exportado em formato JSON (JavaScript Object Notation). Ainda assim, você pode ler (analisar seria mais adequado) os arquivos em um software simples de edição de textos como Notepad, WordPad ou TextEdit, embora não seja exatamente prático, suas informações estarão em suas mãos.

De qualquer forma, o principal objetivo ao solicitar um backup do Instagram provavelmente será guardar as fotografias. Notícia boa: as imagens são disponibilizadas em formato JPEG, divididas em pastas organizadas por datas. Mas nem tudo é perfeito: terão baixa resolução – 1080×1080. É assim que o Instagram as armazena, então não há motivos para esperar algo diferente, mas esteja preparado.

Como fazer um backup do seu Instagram no aplicativo para Android ou iOS?

Para baixar o backup do seu perfil do Instagram em um smartphone ou tablet, você precisa fazer o seguinte:

  1. Abra o aplicativo do Instagram.
  2. Clique na sua imagem de perfil, no canto inferior direito.
  3. Clique no ícone do menu no canto superior direito da tela, e então em Configurações, no canto inferior direito.
  4. Deslize a tela até Privacidade e Segurança e selecione Download de Dados.
  5. Aceite o e-mail sugerido para entrega ou insira outro.
  6. Confirme o endereço de e-mail e digite sua senha do Instagram.
  7. Aguarde até 48 horas (geralmente são apenas alguns minutos) para que o Instagram envie por e-mail um link para baixar o arquivo com todos os seus dados.
  8. Clique no link, faça login no site do Instagram com suas credenciais de acesso e clique em Baixar dados para começar a fazer o download do arquivo ZIP com suas fotos e outras informações de perfil.

Como fazer um backup do seu Instagram pelo navegador?

Fazer o backup do seu perfil do Instagram em um navegador é ainda mais fácil, especialmente se utilizar um computador ou laptop. Siga os seguintes passos:

  1. Acesse com e faça login.
  2. Clique na sua imagem de perfil, no canto superior direito da tela.
  3. Clique no botão Editar perfil ao lado do seu nome.
  4. No menu à esquerda, selecione Privacidade e Segurança.
  5. Deslize para baixo e clique em Solicitar download logo após o subtítulo Download de Dados. O Instagram vai enviar por e-mail o link para download do arquivo com as fotografias e outras informações do seu perfil.
  6. Depois, repita os passos mencionados acima: abra o e-mail e clique no link.
  7. Faça login no site do Instagram.
  8. Clique em Baixar dados para começar a fazer o download do arquivo ZIP que contêm suas fotos e outras informações de perfil.
  9. Agora que já guardou suas fotos, pode deletar seu perfil.

Como deletar seu perfil do Instagram?

Se vasculhar as configurações do Instagram na Web, a única opção que vai encontrar é desabilitar temporariamente sua conta. No entanto, se souber o link secreto, pode deletá-la de vez. Aqui vamos falar de ambas as opções. Note que o Instagram não permite que você exclua ou desative temporariamente sua conta no aplicativo móvel — você precisará usar um navegador e a interface Web para isso.

Como desabilitar temporariamente sua conta do Instagram na Web?

  1. Abra seu navegador e acesse Instagram.com.
  2. Faça login.
  3. Clique na sua imagem de perfil no canto superior direito da tela.
  4. Clique no botão Editar perfil, ao lado do seu nome.
  5. Role para baixo até encontrar Desativar minha conta temporariamente e clique no link.
  6. Selecione o motivo, insira sua senha e clique no botão Desativar conta temporariamente.
  7. Clique em Sim. Sua conta agora está desativada, o que significa que seu perfil, comentários e curtidas ficarão ocultos até que seja reativada, caso isso aconteça.

Como deletar permanentemente sua conta do Instagram na Web?

  1. Abra seu navegador e acesse aqui.
  2. Faça login.
  3. Selecione o motivo pelo qual quer deletar sua conta, insira sua senha e clique no enorme botão vermelho que diz Excluir minha conta permanentemente.
  4. Clique OK.
  5. Pronto, sua conta foi excluída. Note que, neste caso, não é possível restaurar seu perfil. Então, se tiver qualquer dúvida, escolha a opção mais segura e desative a conta temporariamente.

Como restaurar sua conta do Instagram?

Se não você não quer excluir permanentemente sua conta, mas apenas desabilitá-la temporariamente, poderá restaurar seu perfil simplesmente fazendo login tanto no aplicativo mobile, quanto na Web em Instagram.com.

Diferentemente do Twitter, se desativar temporariamente sua conta, o Instagram não vai exclui-la permanentemente após um determinado período. Por isso, não se preocupe! Seu perfil não vai desaparecer se esquecê-lo por um tempo. No entanto – e também ao contrário do Twitter –, o Instagram não permite que sua conta seja restaurada logo após ser temporariamente desabilitada. De acordo com a mídia social, são necessárias muitas horas para desabilitar uma conta, de forma que será preciso esperar esse período até sua restauração.

07:41 · 22.07.2019 / atualizado às 07:41 · 22.07.2019 por

Na última quarta, 17, o Instagram anunciou que iria esconder as curtidas em fotos no feed e visualização em vídeos no Brasil, assim como já havia feito no Canadá. Muitas influenciadoras digitais não gostaram. Algumas, além do desespero resolveram criar formas “criativas” de “burlar” a mudança. Porém, nem todo mundo está preocupado. Ao menos no discurso, as influenciadoras aqui do Ceará seguem tranquilas.

Solange Almeida, cantora, tem 5,9 milhões de seguidores no Instagram. Quando soube da mudança, ficou surpresa, mas não acredita que para ela irá mudar muito. “A internet está doida, tão bitolada com esse negócio de curtida que, de verdade, é indiferente. Quero que a mensagem que eu publico seja alcançada”, afirmou.

Porém, Solange mostrou preocupação com as pessoas que vivem disso, as influenciadores digitais. “Agora tem pessoas que vivem de curtida. Eu nem tanto. Para mim é uma surpresa e isso vai mudar a vida de muita gente, mas a minha não. Para as digital influencers vai mudar muito porque elas vivem do número de curtida e de alcance. É doido isso”, encerrou.

A influenciadora digital Mileide Mihaile, com 3,7 milhões de seguidores, está tranquila. Mileide disse que é preciso ficar atenta as mudanças que frequentemente irão acontecer no mundo online. “Isso ainda é mais frenético (nas redes sociais) e sabemos que impacta a sociedade e principalmente quem trabalha com o mundo digital. Acho importante fazerem alterações que melhorem o desempenho nas redes, e é natural que os usuários se adaptem”, afirmou sobre as mudanças.

Segundo a influenciadora, ainda é cedo para saber o que vai acontecer com essas mudanças. Porém, ela já começou a analisar o novo cenário. “É preciso perceber as mudanças, a reação do público e pensar em outras formas de trabalho. Muita coisa pode mudar ainda e junto com minha equipe, vamos analisar a melhor forma de continuar com a presença digital relevante para nossos seguidores e gerar os melhores resultados para nossos parceiros”, finalizou.

Enquanto isso, os usuários comuns que interagiram conosco aqui no blog Na Rede em sua maioria aprovaram a medida. Eles acreditam que isso será bom em relação até a saúde mental de quem está na plataforma. “Nossa, muito bom. Tem muita gente doente por curtidas. Isso vai trazer mais saúde mental pras pessoas”, disse Sara Meyre, em comentário no blog. “Adoooorei… Isso vai evitar competições e prezar a saúde mental de algumas pessoas, e quem sabe agora as pessoas parem de preocupar com likes e se preocupam mais com o conteúdo”, disse Jéssica Yasmin, também nos comentários.

Especialistas

Segundo Fabricio Macias, CEO e fundador da Macfor, consultoria de marketing de alta performance, tanto os influenciadores quanto as empresas precisam se preocupar agora totalmente em produzir conteúdo relevante e parar de se preocupar com números. “Entregar conteúdo de real valor tanto para seguidores quanto para os parceiros. Algo que mude realmente a vida delas, pensando em seguidores, e algo palpável para parceiros com métricas. No geral, focar mais na qualidade”, afirma.

Para Macias, empresa alguma poderia ficar focada apenas em curtidas. Isso era um número muito fraco e enganador para basear o investimento delas no influenciador digital. “O Instagram não está precisando tanto monetizar. Eles alteraram os algoritmos, especialmente de alcance orgânico para entregar mais resultado financeiro para acionistas. Agora são bilionários e estão preocupados em melhorar experiência do usuário e isso é foco do Facebook (Instagram faz parte do grupo do Facebook). Eles querem que o usuário não clique em links externos e fique mais tempo na rede social. Facebook quer que você tenha uma experiência agradável e contínua e que ele se perpetue no poder”, completa.

Rafael Coca, sócio-fundador da Spark, especialista em estratégia de conteúdo digital e ativação de marcas com influenciadores, explica que a alteração é positiva e reforça o protagonismo da originalidade do conteúdo como gatilho para geração de engajamento com os seguidores.

“Essa medida impulsiona a criação de conteúdo, pois diminui o risco de ‘não exposição’, como algumas pessoas entendem acontecer se um post não atinge o volume de likes esperado. A ideia é que a publicação seja mais original e não pensada apenas em gerar curtidas”, explica Coca.

Sob a ótica de mensuração de resultados do detentor do perfil, não mudará, uma vez que o influenciador segue tendo acesso ao número de likes e visualizações de seus posts. “Ele continua enxergando todos os dados de performance para calibrar sua criação de conteúdo”, completa.

E agora?

É isso. Os testes já tiveram início. Se o Instagram vai manter assim ou reverter a mudança só saberemos com o tempo. Acredito que até o final do ano teremos uma resposta definitiva. Particularmente, creio que eles não vão voltar atrás. Quem trabalha com isso terá um trabalho extra para mostrar aos clientes que pode ser uma boa forma de divulgação. As empresas terão que cobrar mais dos influenciadores. E nós, usuários comuns, seguiremos usando para nos divertir e divulgar os momentos da nossa vida e nada mais.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags