Busca

Categoria: Streaming


10:49 · 31.07.2017 / atualizado às 10:49 · 31.07.2017 por

A nova atualização do Deezer permite que você possa criar um playlist sem fim no serviço de streaming. Como é isso? Agora você pode adicionar uma playlist a outra. Basta entrar na sua playlist e depois clicar no ícone de 3 pontinhos que fica ao lado do ícone de play. Em seguida, escolha a playlist que vai receber a outra playlist.

Isso será bom para misturar ritmos ou trazer aquela lista de músicas do passado e misturá-las a sucessos atuais. Mais músicas, mais festa.

Além desta mudança, a atualização do app Deezer deixou-o mais suave no navegador Chrome e no Chromecast também, evitando que bugs de travamento. A outra novidade foi que todos os episódios do Vista Panorâmica estão disponíveis nas páginas dos podcasts.

09:29 · 30.06.2016 / atualizado às 09:29 · 30.06.2016 por
O ministro Gilberto Kassab quer privilegiar as empresas de TV por assinatura. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro Gilberto Kassab quer privilegiar as empresas de TV por assinatura. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Gilberto Kassab, afirmou, em coletiva durante o congresso anual da Associação Brasileira de Televisão por assinatura (ABTA), que será prioritária a regulamentação dos serviços de streaming, conhecidos no mercado como OTTT.

A declaração é uma demanda das empresas de TV por assinatura na luta contra o serviço principal de streaming presente no Brasil: a Netflix.

De acordo com o atual ministro e ex-prefeito de São Paulo, é preciso haver igualdade de condições entre quem investe em empregos e “esses serviçços via internet”. E complementou informando que não tem nada contra a Netflix.

Kassab adiantou que equipes do ministério e da Anatel já estão trabalhando para achar formas de igualar as condições entres os dois concorrentes (os grupos de TV por assinatura) e a Netflix.

06:24 · 05.12.2014 / atualizado às 08:38 · 03.12.2014 por
Reed Hastings, CEO da Netflix. Foto: Paul Sakuma/Divulgação
Reed Hastings, CEO da Netflix. Foto: Paul Sakuma/Divulgação

O serviço de vídeo por streaming Netflix é responsável por 34,9% de toda a troca de dados virtuais durante o horário de pico noturno no Canadá, nos EUA e no México, segundo uma pesquisa realizada pela empresa de banda larga canadense Sandvine.

O YouTube vem em seguida como o serviço on-line que gera maior demanda de banda, com 14%, diz o estudo, chamado Relatório dos Fenômenos da Internet Global e divulgado no último dia 20. A Amazon, com seu produto Instant, também de vídeos, abocanha 2,6%.

O relatório é baseado em dados de empresas parceiras da Sandvine em todos os continentes, com registros capturados de usuários de maneira anônima durante um mês, segundo a companhia.

Outros dados interessantes a que chegou a empresa são a queda na porção da banda que é usada por serviços P2P (de usuário a usuário, como o BitTorrent). “Pela primeira vez, o compartilhamento ‘peer-to-peer’ [P2P] caiu abaixo de 10% na América do Norte, o que é uma grande diferença dos 60% de 11 anos atrás”, disse por meio de comunicado Dave Caputo, presidente-executivo da Sandvine.

“Desde 2009, serviços ‘à la carte’ de vem consome mais banda do que aplicações ‘desfrute depois’, como o P2P”, diz. “Projetamos a queda abaixo dos 10% para 2015, mas aconteceu muito mais cedo.”

Na América Latina, o Instagram se tornou o sétimo serviço que mais demanda downloads, graças à adição do compartilhamento de vídeos, arquivos muito mais pesados, afirma a pesquisa.

Nota da Redação: E no Brasil? Não há este dado na pesquisa, mas quando (ou se) a conexão banda larga atingir mais lares brasileiros poderemos ter fenômeno igual ou superior, sem dúvida. A televisão aberta corre risco? Não sei, mas precisa se reinventar.

Fonte: FolhaPress

09:40 · 18.10.2014 / atualizado às 12:19 · 17.10.2014 por
Dell Venue 7 3000 Series
Dell Venue 7 3000 Series

A Dell – uma das maiores fornecedoras de soluções de TI do mundo – anuncia a comercialização no Brasil dos tablets Venue 7. A nova linha, voltada a usuários finais, reúne a versatilidade do sistema operacional Android 4.4 Kitkat e do processador Intel Atom, para oferecer diversão e produtividade em um equipamento ultraportátil, de 7”, com excelente custo-benefício.

Venue 7 é a segunda linha de tablets da Dell disponível no varejo brasileiro e chega ao mercado no momento em que a empresa comemora um incremento das vendas na categoria de tablets no segmento de consumo no Brasil. De acordo com a IDC, no segundo trimestre de 2014, a Dell obteve um incremento de 285,2% nas vendas de tablets no mercado de consumidores finais no país, se comparado aos três meses anteriores do mesmo ano.

“Os tablets Venue 7 são ideais para usuários que valorizam desempenho e recursos de última geração, com excelente custo-benefício. Além disso, se destaca por sua autonomia, com uma bateria que suporta até um dia de uso moderado, a partir de uma única carga”, afirma Renata Batista, Gerente de Marketing para Consumidor Final da Dell Brasil. “Um dos grandes diferenciais dessa linha é a experiência multimídia, fornecida por tecnologias como a MaxxAudio da Waves, que aprimora o áudio do equipamento para reproduzir o som com qualidade de estúdio, e também pela tela com recurso IPS, que garante ângulos de visão mais amplos na hora de assistir a um filme”, complementa.

A linha de tablets Venue 7 tem peso inicial de 290g e acesso aos recursos multimídia avançados do sistema operacional Android (4.4), além dos milhares aplicativos disponíveis na Play Store (loja virtual de aplicativos do Android). O tablet oferece duas câmeras que estão entre as de maior resolução na categoria (5MP traseira e 1MP frontal). Além disso, as fotos e vídeos registrados no equipamento podem ser transferidos sem fio para uma televisão, a partir da compatibilidade com o padrão Miracast.

Dell Cast

Dell Cast Streaming Device
Dell Cast Streaming Device

Junto com o Venue 7, a empresa anuncia o lançamento no Brasil do Dell Cast. Trata-se de um periférico que permite espelhar, por meio de conexão sem fio, a tela do tablet em qualquer televisão ou monitor com entrada HDMI. O objetivo é aumentar a produtividade e o entretenimento oferecido pelos dispositivos móveis, ao garantir uma interface expandida para rodar aplicações ou, ainda, para assistir filmes, fotos e vídeos, por meio de telas com resolução Full HD 1080p.

Junto com o Dell Cast, o tablet Venue 7 pode ser conectado a um teclado e mouse, transformando-o em um uma ferramenta de produtividade semelhante a um computador convencional.

Para garantir um desempenho fluido e capacidade para demandas multitarefas, o Venue 7 apresenta processador Intel Atom Z3460 da geração mais recente. Com 1GB de memória, o tablet também permite rodar os jogos mais populares da plataforma Android com som e imagem que garantem uma melhor experiência. Para o armazenamento dos dados, o tablet traz capacidade total de 16GB e a possibilidade de expansão por meio de cartões de memória microSD (até 64GB).

Em conjunto com o Venue 7, a Dell oferece ainda o aplicativo exclusivo PocketCloud 2.0, que permite que o usuário esteja conectado continuamente com os seus dados e arquivos, sejam aqueles disponíveis na web ou até mesmo os armazenados em seu computador.

Preço e disponibilidade

O tablet Venue 7, com conexão Wi-Fi, já está disponível no site da Dell no Brasil, com preço inicial de R$ 599. O lançamento da Dell também será vendido no varejo durante as próximas semanas e, em breve, a empresa comercializará os modelos compatíveis com banda larga móvel 4G.

O Dell Cast também já pode ser adquirido no site da Dell no Brasil com preço de R$ 299.

Detalhes técnicos:

Venue 7

· Tablet com sistema operacional Android 4.4 (KitKat)

· Processador Intel Atom Z3460 (até 1.6GHZ DUAL-CORE)

· Tela 7” HD (1280×800) IPS (para melhores ângulos de visão) com capacidade Multi-touch

· Opções nas cores Preta ou Vermelha (em breve)

· Memória RAM de 1GB

· Armazenamento de 16GB com expansão disponível via cartão de memória microSD até 64GB adicionais

· Câmeras de 5MP e 1MP para melhor resolução de fotos e videoconferências;

· Conectividade sem fio: 802.11b/g/n Wi-Fi + Bluetooth 4.0 + GPS integrados + Miracast/Dell Cast; opção 4G (em breve)

· Conectores: (1) Micro-AB USB2.0 (carregamento) + (1) Fone de ouvido e microfone combinados + (1) 3FF micro-SIM slot (opcional na configuração com 4G)

· Bateria de 17.29Whr (4550 mAh)

· Aplicativo PocketCloud para acessar remotamente dados e arquivos do PC de sua casa;

· Suporte à tecnologia Miracast wireless display para projetar e compartilhar videos e conteúdos com outros dispositivos, como televisores compatíveis.

· Serviço opcional Complete Care contra danos acidentais para garantir que seu tablet permaneça protegido, onde a Dell conserta ou substitui seu aparelho em caso de acidentes, como derramamentos de líquidos, quedas ou sobrecargas elétricas.

· Dimensões e Peso:

-Altura: 193 mm / Largura: 118 mm / Profundidade: 8,95 mm; Peso: a partir de 290g

· Acessórios Dell disponíveis:

o Dell Cast, para exibição de conteúdo em qualquer display com entrada HDMI e conexão com teclado e mouse sem-fios

o Alto-falante portátil bluetooth para reprodução de áudio

o Capa para Tablet Dell para proteção do Venue com acabamento soft-touch e disponível nas cores azul, preta, vermelha, cinza e ameixa.

09:43 · 09.10.2014 / atualizado às 09:49 · 09.10.2014 por
Marco Faria fala da qualidade do serviço da operadora em Fortaleza e que há planos de expandir para outras cidades do Ceará
Marco Faria fala da qualidade do serviço da operadora em Fortaleza e sobre as novidades do Net Now. Foto: Regina Carvalho

A Net apresenta as novas funcionalidades do Net Now, que agora disponibiliza todo o seu conteúdo na internet, para computadores, tablets e smartphones. A ideia é complementar a experiência da TV, pois o cliente também poderá utilizar dispositivos conectados para selecionar o que assistir na tela grande.

Com a novidade, o acervo de conteúdos do serviço de vídeo sob demanda da Net estará disponível em múltiplas plataformas, permitindo ao cliente escolher e assistir seu programa favorito, quando desejar e onde estiver. O acesso poderá ser feito por meio de qualquer conexão de internet, incluindo redes Wi-Fi ou 4G.

Quem já é cliente Net HD com Now terá acesso aos mesmos serviços que o Now oferece, incluindo o acervo de programas dos canais de TV por Assinatura que fazem parte do seu plano. Os conteúdos alugados pelo controle remoto também estarão disponíveis nas outras telas durante a janela de exibição.

Clientes que ainda não possuem o Now na TV poderão ter acesso ao Now Online mediante contratação de um dos serviços por assinatura do Now Clube (Clarovideo, Philos ou +Combate). Além de assistir ao conteúdo do Clarovideo, por exemplo, os clientes ganham acesso aos conteúdos gratuitos do Now, de acordo com os canais que compõem seu plano de TV por Assinatura.

Para ter acesso ao Now Online, o cliente precisa de um login e senha, os mesmos que já utiliza para gerenciar sua conta no site da Net, para acessar a rede Wi-Fi ou os aplicativos de TV Everywhere dos canais. Quem ainda não tem login e senha no site da Net, pode cadastrar aqui.

Experiência integrada

Além de levar o conteúdo para outras telas, a novidade possibilita ainda a integração da experiência de assistir TV em todos estes múltiplos dispositivos. Ao parar a reprodução na TV e retomar no tablet, a plataforma reconhece automaticamente o ponto de parada e reinicia a reprodução a partir desse ponto. Outra funcionalidade interessante é a possibilidade de marcar conteúdos que interessam no tablet ou smartphone, para ter acesso mais rápido quando for assistir na TV.

“Estamos evoluindo nossa oferta e desenvolvendo um novo jeito de assistir TV, trazendo cada vez mais comodidade e facilidade para acesso ao conteúdo. O NOW já entregava a NET do seu jeito e no seu tempo. Agora vai com você onde você estiver”, afirma Marco Delgado Faria, diretor regional da Net. “Esse é o nosso desafio permanente: colocar o cliente no comando da sua experiência digital.”

O Now já está disponível na versão online por meio do portal e também está disponível nas versões para tablets e smartphones com sistema iOS e Android nas lojas de aplicativos.

11:19 · 09.09.2014 / atualizado às 11:19 · 09.09.2014 por
Capa do estudo TV & Media 2014
Capa do estudo TV & Media 2014

A mais recente edição anual do estudo TV & Media – produzido pelo ConsumerLab, área da Ericsson que estuda o comportamento do usuário –, lançada hoje, revela que o streaming de vídeo está quase no mesmo patamar que a maneira tradicional de assistir TV (75% de usuários assistem a conteúdo programado por eles, várias vezes por semana) em comparação aos 77% que assistem a programas de televisão com grade fixa no mesmo período.

O estudo, agora em seu quinto ano, também demonstra que quase um em cada cinco usuários (19%) está preparado para pagar pela possibilidade de acessar seu conteúdo preferido de qualquer dispositivo – um aumento de 25% em apenas dois anos. No Brasil, 48% dos entrevistados pagariam por um serviço de TV personalizado, que recomendam canais e serviços baseados nos hábitos de consumo do usuário.

Os resultados, consolidados a partir de entrevistas com mais de 23 mil pessoas em 23 países, entre eles Brasil, México e Chile, mostra que uma mudança no comportamento do usuário continua a motivar inovações nas indústrias de TV e mídia, induzindo a um distanciamento de formatos antigos e modelos de negócio, além de levar a uma era de entretenimento de alta qualidade on-demand.

O crescimento na quantidade de tempo gasto assistindo a um conteúdo em smartphones e tablets pode ser visto com base nos dados locais:os entrevistados brasileiros assistem 1h46 a mais de conteúdo em vídeo em smartphones do que assistiam em 2012. O estudo revela, ainda, que a transmissão tradicional e canais pagos são vistos por muitos como repositórios de conteúdo de onde os usuários selecionam peças individuais de conteúdo para assistir mais tarde, usando seu gravador de vídeo digital (DVR).

No Brasil, 40% dos entrevistados assistem diariamente, em seus smartphones, vídeos produzidos por outros usuários – dado que marca a tendência da busca do usuário por criar o próprio conteúdo.

A funcionalidade do DVR também tem ajudado a continuar a tendência de binge viewing, termo que em inglês designa o comportamento viciante de assistir a séries de uma vez só. Essa tendência começou com o advento de boxes de seriados de televisão e filmes e que é completamente contrário à experiência tradicional de televisão de esperar uma semana por cada novo episódio de um programa preferido.

Além disso, muitos espectadores migraram para assinaturas de serviços de vídeo on-demand (S-VOD), como Netflix e Hulu, e 48% afirma que gostaria de assistir a todos os episódios de seriados, como “Breaking Bad” e “House of Cards”, lançados juntos e em um formato que permite escolher quando assisti-los.

“Nossa pesquisa mostra que 56% das pessoas que pagam por serviços de vídeo on-demand preferem que todos os episódios de uma série de TV estejam disponíveis de uma vez só e possam ser assistidos no ritmo do usuário, e somente 45% dos respondentes não pagam por S-VOD. Isso mostra o impacto que tais serviços têm no comportamento e exigências dos consumidores”, diz Júlia Casagrande, especialista do ConsumerLab da Ericsson no Brasil.

“Existem maneiras diferentes de binge watch: alguns espectadores não descobrem uma série até o meio da temporada, então eles assistirão vários episódios, um atrás do outro, para alcançar a programação da TV antes do fim da temporada. Outros preferem assistir a uma temporada inteira no seu próprio ritmo, o que significa que eles devem esperar até que a temporada completa esteja disponível”, afirma.

Ainda que 41% dos usuários tenham expressado o desejo de poder assistir aos seus programas favoritos em qualquer lugar, surgem duas grandes barreiras para isso: o custo do tráfego de dados e o custo do conteúdo em si. A pesquisa também descobriu que muitos não estão preparados para comprometer a qualidade de visualização, com 43% afirmando que Ultra High Definition (UHD) é importante para eles. No Brasil, 68% dos usuários busca uma melhor qualidade de vídeo.

“Os resultados do estudo são claros: empresas de mídia precisam repensar como criar e lançar conteúdo. Hoje, o foco dos serviços de TV está em entregar a maior qualidade possível para os espectadores, sem importar em qual dispositivo assistem. O panorama está mudando rapidamente e modelos de negócio e de entrega terão que acompanhar o ritmo das mudanças se quiserem continuar atingindo as expectativas dos clientes”, acrescenta a especialista.

Sobre o relatório

O relatório TV & Media 2014 é baseado em 23 mil entrevistas online com usuários de banda larga no Brasil, Canadá, Chile, China, França, Alemanha, Grécia, Indonésia, Irlanda, Itália, Malásia, México, Portugal, Rússia, Singapura, Espanha, Coréia do Sul, Suécia, Taiwan, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos. Quase todos os entrevistados usam a internet diariamente e os resultados do estudo representam as opiniões de mais de 620 milhões de pessoas.

Esses dados foram complementados com 22 entrevistas em profundidade com usuários em São Francisco, Londres e Estocolmo, bem como 11 entrevistas com profissionais da indústria de mídia.

Baixar relatório completo aqui.

Pontos de destaque:

– Streaming aproxima-se da TV linear com uma diferença de apenas dois pontos percentuais em termos de consumo semanal

– Em apenas dois anos, o número de usuários preparados para pagar pelo acesso ao conteúdo em qualquer dispositivo aumentou 25%, mostrando um aumento na vontade de pagar por “acesso em qualquer lugar”

– O hábito de assistir a vários episódios de um programa de uma só vez vem se tornando mais comum com a crescente popularidade de novos serviços de vídeo on-demand

– No Brasil, o número de entrevistados que assistem a programação tradicional de televisão caiu de 81% para 73%, comparado a 2013