Busca

Tag: 4G


12:20 · 07.07.2017 / atualizado às 12:20 · 07.07.2017 por

A Anatel liberou o licenciamento de estações do serviço de telefonia móvel (Serviço Móvel Pessoal – SMP) na faixa de 700 MHz para mais 156 cidades brasileiras. Com isso, agora já são mais de 1,8 mil cidades aptas a utilizar essa faixa para a prestação da banda larga móvel, dentre elas 12 capitais: Aracaju/SE, Boa Vista/RR, Brasília/DF, Campo Grande/MS, Cuiabá/MT, Fortaleza/CE, Macapá/AP, Natal/RN, Palmas/TO, Recife/PE, Rio Branco/AC, Teresina/PI.

O licenciamento de estações na faixa de 700 MHz, nesse momento, é fruto do trabalho realizado no âmbito do Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired) para a antecipação do desligamento do sinal analógico de televisão em algumas localidades e consequente liberação dessa faixa para utilização das operadoras do serviço móvel em tecnologia de quarta geração (4G).

Para possibilitar a convivência harmônica entre os serviços de televisão e de telefonia móvel, a Anatel realiza estudos de viabilidade técnica nos municípios a serem liberados para evitar interferências entre os serviços. Tal estudo é aprovado pelo Gired, grupo presidido pela Agência e que conta com a participação da Secretaria de Radiodifusão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, além das associações representativas das empresas de radiodifusão e das prestadoras de serviços de telecomunicações vencedoras do processo licitatório da Anatel que conferiu o uso da faixa de 700 MHz.

A partir da aprovação do Gired, a Entidade Administradora do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV inicia um estudo preventivo de mitigação de eventuais interferências e, após o encerramento dessa atividade, a Anatel libera o licenciamento das estações.

Todo o trabalho vinculado à migração para o sistema digital de TV está inserido em um contexto maior de política pública governamental que tem por objetivo proporcionar a melhoria da qualidade do sinal de televisão para os brasileiros e, também, possibilitar maior qualidade, velocidade de conexão e cobertura para o serviço de banda larga móvel proporcionadas pela telefonia 4G na faixa de 700 MHz, permitindo, assim, a inclusão digital para a população enquadrada nas classes C, D e E no País.

07:00 · 28.06.2017 / atualizado às 11:42 · 30.06.2017 por
Aplicativo OpenSignal em ação em Nova York

A OpenSignal, empresa que, através do aplicativo homônimo (para iOS e Android) consegue analisar a internet móvel de quase 600 mil usuários ao redor do mundo – dos quais 40.717 só no Brasil -, traz o relatório de qualidade da internet móvel no Brasil entre 1 a 31 de maio de 2017 e divulgado neste dia 28 de junho.

Segundo a OpenSignal, a disponibilidade de 4G no Brasil está melhorando. No último relatório, em janeiro deste ano, nenhuma empresa conseguiu entregar uma conexão 4G aos usuários do app da OpenSignal mais de 60% do tempo. Mas nos mais recentes testes, duas operadoras superaram esta marca: TIM e Vivo tiveram índices superiores a 62%.

A Claro ainda é a líder na velocidade de 4G nos testes da OpenSignal de março a maio, com média de velocidade de download de 29,2 Mbps, uma melhoria de cerca de 2 Mbps desde o último relatório liberado em janeiro. A Vivo terminou em segundo lugar no ranking de velocidade 4G com um download médio de 20,6 Mbps, mas Oi e TIM marcaram abaixo da média global da velocidade de 4G de 16,2 Mbps, como medido no relatório do estado do LTE.

A Nextel não atendeu às métricas LTE da OpenSignal, pois oferece apenas serviços 4G em São Paulo e Rio de Janeiro, mas avaliou altamente na velocidade 3G, ficando junto a Claro no primeiro lugar na análise do 3G.

Confira os gráficos da OpenSignal para cada categoria avaliada.

Resposta das empresas

Até agora Claro, Oi e TIM responderam. Confira as notas da empresas:

Oi

“A Oi vem investindo continuamente para melhorar seus serviços e atender cada vez melhor o cliente. No ano passado, a companhia investiu R$ 4,7 bilhões, um aumento de 18% em relação ao ano anterior. A maior parte desse investimento se destina a melhorias e ampliação da sua infraestrutura de rede. Atualmente, a Oi oferece cobertura 4G em 284 cidades no Brasil e deverá chegar a 844 cidades até o final do ano, garantindo a cobertura a 72% da população urbana”.

TIM

“Os dados apresentados pela pesquisa citada refletem o esforço da TIM em oferecer seus serviços sempre com qualidade. A companhia segue na liderança em cobertura 4G, comprometida em ampliar a abrangência e a performance de sua rede em todo o Brasil. Cerca de 80% do total de investimento realizado no primeiro trimestre deste ano foi em infraestrutura, especialmente na expansão das redes 3G e 4G. O número de linhas 4G mais que dobrou no período e o tráfego de dados cresceu 62%.

Para ampliar a qualidade e alcance da rede 4G, a TIM adquiriu o direito de operar também na frequência 700 MHz após vencer um leilão promovido pela Anatel em janeiro de 2014. A medida que a operadora possa utilizar a faixa, que, com o desligamento progressivo do sinal analógico, já vem sendo adotada nos municípios liberados pela EAD, conseguirá melhorar ainda mais a experiência de uso de dados dos clientes.

Vale destacar que o resultado da pesquisa também servirá de insumo para a análise e identificação de melhorias”.​

Claro

“O 4G mais rápido do Brasil está ainda mais veloz. No mais recente estudo divulgado pela OpenSignal, a Claro continua com a rede mais rápida do Brasil e obteve velocidade média superior a medida na edição anterior, divulgada em janeiro deste ano.

A performance da rede da operadora é muito superior em termos de experiência de navegação e acesso à internet no smartphone. A velocidade média de conexão é 46% maior que a da empresa que encontra-se em segundo lugar neste indicador.

O resultado reflete os investimentos constantes no aprimoramento da rede, inclusive com o lançamento pioneiro do 4,5G no Brasil, com velocidades médias 10x superiores a do 4G.

A cobertura de rede 4G também tem evoluído. Dados divulgados recentemente pela Anatel e publicados pelo site Teleco referentes ao mês de maio já mostram a Claro entre os mais altos percentuais de população coberta pelo 4G. É um trabalho permanente e que tem acelerado com o início da liberação da nova faixa de frequência de 700 MHz em algumas regiões.

A Claro também lidera, entre as grandes operadoras, no cumprimento das metas de qualidade da Anatel no Serviço Móvel Pessoal divulgadas pela agência, demonstrando que os resultados são consistentes e reforçam o foco da empresa em ter a melhor rede e os melhores serviços.

Com internet de altíssima velocidade na palma da mão, conteúdo gigante dos aplicativos digitais inclusos no plano e ligações ilimitadas para qualquer telefone, fixo ou móvel, a Claro continua sendo a melhor opção em telefonia móvel no Brasil”.

11:33 · 25.06.2017 / atualizado às 11:33 · 25.06.2017 por

Assim como a TIM, a Claro afirmou que já está testando a conexão banda larga móvel de frequência de 700 MHz há algum tempo. No caso da operadora Claro, desde 2015 quando testou a frequência na cidade de Anápolis, em Goiás. Em dezembro desse mesmo ano foi a vez de Rio Verde/GO, primeiro município brasileiro a desligar o sinal analógico de TV. “A ativação do 700MHz e a introdução da tecnologia 4,5G colocam a prestação do serviço móvel pessoal num novo patamar”, garante comunicado da Claro enviado por e-mail.

Recentemente, a Claro realizou a implantação do 4,5G em Brasília, primeira capital a liberar a faixa de 700 Mhz para uso em telefonia móvel. As primeiras células de transmissão com a nova tecnologia foram ativas assim que a Anatel liberou a utilização do novo espectro, garante comunicado enviado pela Claro. Também conhecida como LTE-Advanced Pro, permite que se agregue várias faixas de frequência na mesma portadora da estação radiobase (ERB). Com isso é possível usar o sinal de modo mais eficiente e obter melhor uso dos recursos da rede, garante a assessoria de imprensa da operadora.

A operadora reforça que todos os usuários com aparelhos 4G, mesmo que não suportem a agregação das faixas, usufruirão o benefício de ter mais capacidade na rede, utilizando ou não as novas faixas de frequência implantadas. Isso acontece porque os celulares compatíveis passam a transmitir na nova frequência e a demanda sobre a antiga diminui, dando maior capacidade de transmissão para todos.

Sobre quando a frequência de 700 MHz estará disponível em Fortaleza, a assessoria de imprensa da Claro informa que a ampliação do 4,5G depende das liberações da faixa de 700MHz que está ligado diretamente ao desligamento da TV analógica e limpeza da faixa de espectro de 700 MHz.

“Todo este processo segue o cronograma do Gired e, diante disso, a Claro entende que se o cronograma não for afetado a expansão seguirá como planejado. Além disso, é necessário fazer investimentos e implantar novos equipamentos nas torres de transmissão das cidades onde a frequência nova é liberada”, finaliza a operadora.

10:02 · 23.06.2017 / atualizado às 14:05 · 23.06.2017 por
Ageu Guerra, gerente de Engenharia de Redes da TIM Nordeste.

Quando a Vivo nos procurou informando do início da utilização da frequência 700 MHz, que hoje está sendo usada pela televisão aberta (ou analógica) corremos para buscar os dados das demais operadoras. A TIM já nos respondeu e nos trouxe um dado interessante.

Segundo a operadora, ela largou na frente no uso da frequência da banda larga móvel mais rápida ainda em março do ano passado. Isso porque, assim que houve o desligamento total da televisão analógica na cidade de Rio Verde/GO e depois em Brasília/DF, o sinal melhorado da internet móvel da TIM foi ligado naquelas cidades.

“A partir de então, Campo Grande (MS), Uberlândia (MG), Fernando de Noronha (PE), Teresina (PI), e diversas outras cidades, também já foram contemplados com a oferta do 4G da TIM nessa faixa, que permite ampliar de forma significativa a capacidade e a cobertura indoor e outdoor, garantindo uma evolução da experiência de uso da Internet móvel com a ultra banda larga móvel 4G”, garante comunicado enviado pela assessoria de imprensa.

“A exploração da faixa de 700 MHz é estratégica para a expansão da rede 4G e melhoria da experiência para o usuário . Com essa frequência, as ondas de rádio conseguem chegar 3,5x mais longe que a frequência atual em 2600 MHz e penetrar em ambientes fechados com maior facilidade, com maior nível de sinal nos aparelhos 4G. Uma vantagem não apenas para novas cidades que vão passar a usufruir do 4G, mas também onde a TIM já possui a tecnologia, e agora pode fazer uma entrega de serviço com mais qualidade”, afirma Ageu Guerra, gerente de Engenharia de Redes da TIM Nordeste.

Segundo cronograma da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a previsão de desligamento da TV analógica no Ceará é 26 de setembro deste ano, mas a TIM tem trabalhado no plano de mitigação junto a Anatel com o objetivo de antecipar a ocupação da faixa nas localidades onde o sinal analógico não possui nenhum canal ocupando a frequência, como ocorreu em Teresina (PI), por exemplo.

Ainda neste mês de junho, a companhia espera ativar o 4G em 700MHz nas cidades de Aquiraz, Carnaubal, Ipueiras e Itaitinga e no mês de julho outras três cidades podem ser contempladas no Estado do Ceará.

Na capital Fortaleza, a rede 4G em 700 MHz já está pronta para ser ativada imediatamente após a liberação pela Anatel. “Atualmente a TIM é líder em cobertura 4G também no Estado do Ceará com 41 municípios cobertos, e tem previsão de ativar 99 novos municípios 4G, a maioria nesta nova faixa de frequência, beneficiando a aproximadamente 95% da população urbana cearense até o final do ano”, garante comunicado enviado para a imprensa.

“Com essa nova infraestrutura, a TIM já está preparada para oferecer o serviço de voz sobre LTE (VoLTE), que oferece menor tempo de estabelecimento de chamadas , voz nítida e menor consumo de bateria ”, completa Ageu Guerra.

Ainda segundo a assessoria da TIM, a empresa adquiriu o direito de operar na frequência de 700 MHz após vencer um dos lotes do leilão de faixas promovido pela Anatel em setembro de 2014. O investimento da empresa foi de R$ 2,85 bilhões nessa aquisição.

De acordo com comunicado, a operadora alcançará, até o final do ano, mais de 2.000 cidades e mais de 90% da população urbana coberta com sua tecnologia de quarta geração. De acordo com seu plano industrial para o triênio 2017-2019, a empresa investirá R$ 12 bilhões no país.

Por fim, a assessoria da TIM informa que todos os aparelhos do portfólio atual da TIM já operam na frequência 700 MHz e as ofertas de dados da operadora se mantêm, sem qualquer reajuste de preços por conta da nova tecnologia.

Nota da redação: ainda aguardando retorno de Claro e Oi.

09:34 · 30.10.2015 / atualizado às 09:40 · 30.10.2015 por
Estrutura de sinal 4G que deve ser modificada com o 5G
Estrutura de sinal 4G que deve ser modificada com o 5G

A expansão de acessos à banda larga móvel criará, no futuro, maior demanda de dados transmitidos através de redes sem fio, gerada não somente por conexões humanas, mas também por comunicações de máquinas e objetos conectados, de acordo com os últimos estudos divulgados pela 4G Americas.

A massificação de dispositivos eletrônicos, como os smartphones, permitirá que mais usuários possam se beneficiar das redes móveis, ao tempo em que segmentos como a indústria, a saúde e o transporte incorporarão aplicações baseadas em transmissão de informações através de objetos e máquinas. Este aumento de dispositivos conectados abre a porta para novas tecnologias que atenderão à complexidade destes novos cenários.

A próxima geração móvel deverá cumprir os requerimentos e especificações definidas para o programa IMT-2020, nome dado pela União Internacional das Telecomunicações (UIT). O padrão das que serão conhecidas como tecnologias 5G ainda não existe, mas cronogramas como o proposto pela UIT mostram que poderia ser definido para 2016 (com testes, inclusive na Universidade Federal do Ceará), visando aos primeiros lançamentos comerciais para 2020 aproximadamente.

Conceitualmente, a 5G se comporta como um ecossistema de redes para atender à demanda de dados móveis projetados para 2020. Isto é, esta geração vai além da procura de maiores velocidades na transmissão de dados, visando a um ecossistema com capacidade de entrega eficiente de serviços sem fio entre máquinas, coisas e pessoas.

Além da padronização de tecnologias abrangidas pela “5G”, será necessária a identificação e harmonização de bandas de frequência radioelétrica que permitam habilitar este ecossistema. Empresas e órgãos do mundo inteiro já estão trabalhando para isto em fóruns internacionais, como os da UIT e da Comissão Interamericana das Telecomunicações (CITEL). Por exemplo, nas próximas Conferências Mundiais de Radiocomunicações da UIT, programadas para novembro de 2015 e 2019, a agenda incluirá temas como a identificação de bandas de frequência aproveitáveis para o IMT-2020, chegando a envolver frequências de até mais de 5 GHz.

Para aproveitar a próxima geração móvel em aspectos como entretenimento, produtividade e desenvolvimento social, é preciso desenvolver uma nova arquitetura considerando novas interfaces de rádio, redes de transporte, dispositivos e tecnologia de acesso múltiplo ao espectro disponível.

Para tal, a evolução das tecnologias atuais é um elemento essencial. Muitos dos avanços previstos para a 5G serão também incorporados nos próximos anos para a evolução de tecnologias 4G. Os saltos entre gerações móveis não ocorrem de maneira espontânea, eles se nutrem do aprimoramento das tecnologias disponíveis. No caso da 5G, a otimização de LTE e LTE-Advanced será um fator que dará forma às bases desta nova arquitetura de redes sem fio.

O 5G deve começar os testes em 2016 na UFC e entrar em operação comercial em 2020
O 5G deve começar os testes em 2016 na UFC e entrar em operação comercial em 2020
15:04 · 02.09.2015 / atualizado às 15:06 · 02.09.2015 por

TIM-4GLTEA TIM iniciou uma ação para a troca de chip 3G pelo 4G grátis. O usuário que já possui um aparelho compatível coma rede LTE no país poderá usufruir da tecnologia de ponta sem custos adicionais.

A ação é válida para clientes de todos os planos e a troca poderá ser feita em qualquer loja da TIM até o dia 30 de setembro, nas 71 cidades onde a operadora possui cobertura 4G.

Atualmente, a TIM é a operadora que possui o maior número de antenas de quarta geração nas capitais brasileiras, segundo dados da Anatel. No Ceará, a TIM possui mais de 180 mil dispositivos 4G.

07:13 · 30.07.2015 / atualizado às 07:13 · 30.07.2015 por

 

Estrutura de sinal 4G
Estrutura de sinal 4G

Os países da América Latina têm alocado, durante décadas, uma importante fatia do espectro radioelétrico para a oferta de conteúdos televisivos que utilizam rede analógica. A evolução tecnológica permite que estes sinais possam ser transmitidos com melhoras notáveis de resolução, incorporando interatividade e um uso mais eficiente do espectro radioelétrico por meio de tecnologias digitais.

A eficiência das tecnologias digitais tem levado os governos a promoverem a chamada transição digital para abrir caminho para a Televisão Digital Terrestre (TDT) na região. Uma das consequências deste processo é a liberação do excedente de espectro, que não mais será utilizado para sinais televisivos e que será destinado para serviços de banda larga móvel. A este excedente da faixa de 700 MHz chamamos de dividendo digital.

A 4G Américas ressalta que os governos podem disponibilizar espectro do dividendo digital paras as redes móveis conforme a liberação avança. Desta forma, não seria necessário esperar que se implementem os apagões analógicos, que no caso do Peru e Paraguai estão programados apenas para 2024. Esta disponibilidade gradual de espectro beneficia os consumidores, que poderiam contar com uma frequência que oferecem maior cobertura geográfica na utilização de redes móveis e serviços com LTE.

No caso do Brasil, embora o leilão da faixa de 700 MHz tenha acontecido em setembro de 2014, a Anatel planeja realizar um novo leilão com as sobras das faixa utilizadas para a rede 4G no final de outubro e início de novembro deste ano. O leilão contará com sobras das faixas de 1,8 GHz, 2,5 GHz e 3,5 GHz. A Anatel estuda acrescentar os dividendos digitais da faixa de 700 MHz, no entanto ainda não está confirmada a inclusão desta faixa, uma vez que o valor desta sobra seria muito alto considerando que o custo da limpeza da faixa está sendo arcado pelas operadoras que arremataram lotes no leilão do ano passado, Claro, Vivo, Tim e Algar. Embora a estimativa para término da limpeza da faixa seja em 2019, operadoras já pretendem começar a utilizá-la antes disso, conforme ocorrer disponibilidade para comercialização.

Os próximos dez anos serão de suma importância para o desenvolvimento da banda larga móvel na América Latina, pois neste período todos os países da região devem ter concluído os seus processos de apagões de sinais analógicos para darem lugar à TDT. Isso permitirá que a atribuição de espectro em 700 MHz para o desenvolvimento de tecnologias como a LTE, que permite o acesso a aplicações e serviços avançados, beneficie um número maior de pessoas na região.

Os atrasos nos processos de migração dos sinais analógicos de televisão rumo à TDT implicam em demoras na alocação, o que pode chegar a impactar no desenvolvimento da região e atrasar a expansão de redes LTE. Na atualidade, Argentina e México são os países da América Latina que lideram no desenvolvimento da TDT com mais de 85% de cobertura demográfica em ambos os países.

tdttransicao2

12:28 · 10.07.2015 / atualizado às 13:02 · 10.07.2015 por
Saiba como escolher os modelos certos de  iPhone 6 e 6 Plus nos EUA
Saiba como escolher os modelos certos de iPhone 6 e 6 Plus nos EUA

Vai viajar para os EUA e quer muito comprar um iPhone 6 ou 6Plus (os modelos de iPhones vendidos na Europa não são compatíveis com nosso 4G e não têm garantia no Brasil), mas está em dúvida como fazer para usá-lo no nosso 4G e com garantia da Apple no Brasil? Vamos te mostrar o que fazer neste post.

A primeira coisa que você precisa saber é que você precisa escolhar a operadora certa lá para comprar um iPhone com garantia no Brasil, desbloqueado e com o 4G homolado aqui no País. As operadoras que você deve escolher são: T-Mobile, AT&T e Verizon. Nunca escolha a Sprint, pois ela não comercializa o modelo vendido em solo brasileiro.

Mas que modelo é esse? Para o iPhone 6 escolha o A1549. Já para o 6 Plus escolha o A1522.

Procure nas lojas físicas da Apple ou no site da empresa nos EUA pelo modelo Contract Free ou Full Price, nunca o Sim-Free, pois ele não é homologado pela Anatel, não irá funcionar com nosso 4G e muito menos terá garantia internacional da Apple. No caso das lojas físicas, esse modelo será vendido pela T-Mobile, Verizon e AT&T. No site da Apple apenas a T-Mobile estará com o Contract Free ou Full Price. Todos estes modelos citados são desbloqueados e homologados pela Anatel para funcionar no nosso 4G.

E o preço?
Por conta que estes iPhones são Contract Free ou Full Price, o preço deles é diferente e mais caro. Eles partem de US$ 649 (mais impostos da cidade americana onde está sendo comprado) para o iPhone 6 16GB até US$ 949 (mais impostos da cidade local dos EUA onde ele está sendo comprado) para o iPhone 6 Plus 128GB (veja todos os preços na lista abaixo):

– iPhone 6 16GB: US$ 649 (+ impostos locais)
– iPhone 6 64GB: US$ 749 (+ impostos locais)
– iPhone 6 128GB: US$ 849 (+ impostos locais)
– iPhone 6 Plus 16GB: US$ 749 (+ impostos locais)
– iPhone 6 Plus 64GB: US$ 849 (+ impostos locais)
– iPhone 6 Plus 128GB: US$ 949 (+ impostos locais)

Alfândega

É importante frisar que se você voltar dos EUA com apenas 1 iPhone ou qualquer smartphone com você com o chip da operadora dentro do aparelho não será taxado de forma alguma. Mas é apenas UM MESMO. Se você levar o seu antigo e trouxe ele e mais o novo celular, será taxado.

Suporte no Brasil

Segundo o suporte técnico da Apple, os modelos A1549 e A1522 têm suporte total no Brasil. Porém, eles não podem ganhar o Apple Care, a garantia ampliada da Apple.

08:08 · 03.07.2015 / atualizado às 13:01 · 03.07.2015 por
O modelo dourado foi a nova cor criada pela Apple, mas agora o ouro rosé poderá ser a mais nova novidade
O modelo dourado foi a nova cor criada pela Apple, mas agora o ouro rosé poderá ser a mais nova novidade

Os iPhone 6S e 6S Plus devem ser anunciado em setembro pela Apple, mas os rumores já estão com força na internet. Os últimos, divulgados pelo site 9to5mac, que costuma acertar, indica que os novos modelos virão com um novo modem 4G da Qualcomm que os tornará mais 3x rápidos que os atuais, podendo fazer downloads de até 300 mbps.

E para quem acha que isso irá fazer sua bateria descarregar ainda mais rápido pode comemorar. A promessa é que o produto da Qualcomm reduza o consumo da bateria dos dois novos modelos de iPhones. Por conta disso, eles não serão tão fininhos como os atuais. Serão 0,1mm mais grossos no modelo 6S e 0,3 mm no 6S Plus.

Outra novidade é que a nova geração de iPhones terá um novo par de câmeras com 5 e 12 megapixels nas câmeras frontal e traseira, respectivamente.

Tanto o 6S quanto o 6S Plus terão um novo processador de 64 btis A9, com 2 GB de memória RAM e terão carcaça de alumínio mais resistente. Também se especula que ele terá um novo sensor de toque inteligente, o Force Touch.

Para finalizar os rumores, um cor nova poderá pintar: ouro rosé.

08:40 · 19.11.2014 / atualizado às 11:04 · 19.11.2014 por
Celulares baratos e de qualidade como os Moto E estão ampliando a capacidade das pessoas de comprar um smartphone
Celulares baratos e de qualidade como os Moto E estão ampliando a capacidade das pessoas de comprar um smartphone

Em sua versão mais recente, o Mobility Report da Ericsson revela que o crescimento da tecnologia móvel continua em ritmo acelerado: 90% da população mundial acima de 6 anos de idade terá telefone celular até 2020. Além disso, no mesmo período, as assinaturas de smartphones devem chegar a 6.1 bilhões. Atualmente, o LTE tem uma cobertura de 20% da população, mas há previsão de um aumento capaz de abranger mais de 65% até 2020.

“O baixo custo dos aparelhos, a melhoria do uso e o aumento da cobertura de rede são os principais fatores que estão tornando a tecnologia móvel um fenômeno global, que logo estará disponível para a maioria da população mundial, independente da idade e localização do usuário”, diz Jesper Rhode, diretor de Marketing da Ericsson na América Latina.

No Brasil, 52% dos usuários utilizam os telefones celulares para navegar na internet, 49% para acessar as redes sociais e 29% para assistir vídeos curtos. Para comunicação diária, 53% dos brasileiros preferem utilizar mensagens instantâneas – ao invés da tradicional mensagem via SMS. Mas, para chamadas telefônicas, 79% ainda preferem fazer as ligações tradicionais. “O Mobility Report mostra que, em 2020, o mundo estará conectado como nunca esteve antes”, prevê Jesper.

ericsonn1

Aceitação dos smartphones: 800 milhões de novas assinaturas em 2014

O crescimento de smartphones continua: no 3º trimestre desse ano, 65% a 70% de todos os telefones vendidos eram smartphones, em comparação aos 55% no mesmo período de 2013. Apesar do aumento da taxa de vendas, que deverá ter a adição de cerca de 800 milhões de novas assinaturas de smartphones até o final de 2014, o relatório mostra que ainda há muito espaço para o crescimento no setor.

Esses aparelhos representam, atualmente, apenas 37% de todas as assinaturas móveis, o que significa que muitos usuários ainda trocarão seus modelos atuais por opções mais ricas em recursos e com acesso à internet. O material prevê uma forte absorção nos próximos anos, a medida que o número passa de 2.7 bilhões de assinaturas de smartphone hoje para 6.1 milhões previstos em 2020.

ericsson2

Vídeo: segmento com maior e mais rápido crescimento em tráfego de dados

O vídeo segue dominando as redes móveis: em redes de 4G, ele constitui atualmente de 45% a 55% do tráfego móvel, impulsionado pelo aumento no uso de streaming e nas melhorias na experiência móvel ao assistir vídeo.

Esse formato de conteúdo está cada vez mais presente em outros aplicativos online, como em notícias, em anúncios e nas mídias sociais. Ao mesmo tempo, o crescimento do streaming de vídeos é impulsionado pelo acesso a serviços e conteúdos over-the-top (OTT), como os fornecidos pelo YouTube.

Os dispositivos usados para assistir vídeos também estão evoluindo. Muitos têm telas maiores, possibilitando maior qualidade de imagem. Isso faz com que esse material seja assistido em todos os tipos de dispositivos e em maior quantidade, tanto em casa quanto em movimento. A Ericsson prevê que o tráfego de vídeo móvel deve aumentar dez vezes até 2020, constituindo cerca de 55% de todo o tráfego de dados móveis em 2020.

5G: assinaturas se aproximam

Espera-se que o 5G seja implementado comercialmente em 2020 e a tecnologia deve ter uma absorção mais rápida que o 4G/LTE, assim como o 4G teve em relação ao 3G, anteriormente. A diferença nesse caso é que, além das novas tecnologias de rádio, o 5G também vai englobar versões evoluídas de acesso às rádios existentes (como 3G e 4G), à nuvem e às tecnologias de núcleo para atender milhares de novas maneiras em que a tecnologia móvel pode ser usada. O crescimento dessa conexão será impulsionado, em grande parte, por novos casos de uso, especialmente em comunicações entre máquinas.

Essa é a sétima edição do Mobility Report da Ericsson, que compartilha previsões, análises e insights sobre o tráfego, as assinaturas e o comportamento do usuário para fornecer informações sobre as tendências do mercado atual.

A Ericsson realiza regularmente medições de tráfego em mais de 100 redes ativas em todas as principais regiões do mundo. Coletas detalhadas são feitas em um número seleto de redes comerciais WCDMA/HSPA e LTE com o objetivo de descobrir diferentes padrões de tráfego. As previsões do relatório mais recente foram atualizadas para cobrir o período de 2014-2020.

Fonte: Ericsson