Busca

Tag: apple


09:14 · 19.01.2018 / atualizado às 09:14 · 19.01.2018 por

Se você é usuário de iPhone já sabe que o navegador de internet nativo, o Safari, é uma opção superior ao Google Chrome, mas há um rival a altura dele que atende pelo nome de Opera Mini.

>>>Opera Mini 9 estreia recurso de aceleração de vídeo

A melhor coisa no Opera Mini para iOS é que o navegador é bem rápido e ainda ajuda a economizar no consumo de dados do seu plano de internet móvel. Ele consegue reduzir o tempo de carregamento das páginas e dos dados graças a função Turbo que ajuda a otimizar as páginas web não são em imagens e texto, mas também os vídeos que serão visualizados. Não chega a ser o 90% vendido na propaganda, mas vai ajudar muito.

Por falar em vídeo, há um novo de aceleração de vídeo que o usuário pode habilitar (na aba economia de dados) para que você siga visualizando seus vídeos que foram travados por alguma queda de internet.

Outra função que é, inclusive, nativa do navegador, é o bloqueador de anúncios integrado ao Opera Mini para iOS. Ele torna sua navegação mais rápida ao bloquear os anúncios que vão surgindo nas páginas.

13:03 · 22.12.2017 / atualizado às 13:10 · 22.12.2017 por
iPhone SE é um dos modelos que estão sofrendo com o problema

Segundo o Business Insider e o Chicago SunTimes, consumidores dos EUA estão entrando com processos contra a Apple. Basicamente, a alegação deles é que a empresa teria reduzido o desempenho dos iPhones antigos para forçá-los a comprar aparelhos mais novos, a geração 8 e o iPhone X, por exemplo. Além de afirmarem que esta redução de desempenho está causando práticas “enganadoras, imorais e antiéticas”.

A Apple assumiu que reduziu de propósito o desempenho de iPhones 6, 6s e SE para impedir que os mesmos desliguem sozinhos ou travem quando estão com pouca bateria ou condições extremas de temperatura, especialmente, abaixo de zero como em invernos mais rigorosos como de países como o Canadá.

Porém, a empresa deixou claro em comunicado que não faz isso para forçar o consumidor a comprar os novos modelos (iPhones a partir do 7). Ela deixou claro que isso está acontecendo por desgaste natural de baterias de íon de lítio que podem perder autonomia com o tempo.

A questão é que os modelos anteriores a geração 6, 6s e SE do iPhone não tinham tantos problemas assim, duravam até 4 ou 5 anos. Daí gerou esta confusão e irritação bastante aceitável por parte dos usuários.

07:20 · 21.12.2017 / atualizado às 07:25 · 21.12.2017 por
O Apple iPhone 6S e 6S Plus durante o evento da Apple para a mídia em São Francisco, na Califórnia Foto: REUTERS/Beck Diefenbach

Não, a Apple não admitiu ao The Verge que faz um serviço de obsolescência programada de seus aparelhos. Em outras palavras, ela não disse que os torna mais lento para que você vá às lojas em busca de novos smartphones da maçã. Segundo comunicado que respondeu ao The Verge, o que a Apple fez com os iPhone 6, 6s e SE foi “suavizar os picos instantâneos somente quando necessário, isso para evitar que o dispositivo se desligue inesperadamente durante condições de frio, com baixa carga da bateria ou à medida que envelhecem ao longo do tempo”.

Agora, ainda de acordo com comunicado da Apple, foi ampliado esse recurso para o iPhone 7 com o iOS 11.2 e a empresa planeja adicionar suporte para outros produtos no futuro. Desta forma, param as reclamações recentes de aparelhos desligando no inverno mais rigoroso (como o do Canadá, por exemplo) ou com bateria em 30% ou menos.

Veja a nota completa enviada para o The Verge abaixo:

“Nossa meta é entregar a melhor experiência aos consumidores, o que inclui o desempenho geral e o prolongamento da vida de seus dispositivos. As baterias de íon de lítio tornam-se menos capazes de fornecer demandas de corrente de pico quando em condições de frio, com baixa carga da bateria ou à medida que envelhecem ao longo do tempo, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos.

No ano passado, lançamos um recurso para o iPhone 6, iPhone 6s e iPhone SE para suavizar os picos instantâneos somente quando necessário, isso para evitar que o dispositivo se desligue inesperadamente durante essas condições. Agora ampliamos esse recurso para o iPhone 7 com o iOS 11.2 e planejamos adicionar suporte para outros produtos no futuro.”

O problema todo foi a falta de transparência. Mais uma vez, a empresa esperou muitas cobranças de usuários, empresas especializadas e testes de confiança como os do GeekBench. Muito feio Apple!

10:55 · 13.12.2017 / atualizado às 10:55 · 13.12.2017 por
Homem usando uma caneta Stylus no Dell Inspiron 13 7000, uma das máquinas que ajudou na recuperação

O ano de 2017 tem sido muito positivo para o mercado brasileiro de PCs. Depois de crescer 5% no primeiro trimestre e 5% no segundo, o setor voltou a apresentar números expressivos e, entre os meses de julho e setembro, comercializou 1,36 milhão de máquinas, 30% a mais do que no mesmo período de 2016, quando foram vendidos 1,04 milhão de equipamentos. Os dados são do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q3, realizado pela IDC Brasil, empresa de inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. A receita do terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 3 bilhões, alta de 28% em comparação com o terceiro trimestre de 2016, quando a receita foi de R$ 2,3 bilhões. Na comparação com o trimestre anterior o crescimento foi de 9% em unidades e de 11% em receita.

Do total de computadores vendidos no terceiro trimestre de 2017, 424 mil foram desktops e 936 mil foram notebooks, o que representa, respectivamente, 14% e 38% a mais na comparação com o mesmo período do ano passado. “Os notebooks puxaram o crescimento do setor, representando 69% das vendas entre julho e setembro e superando a expectativa da indústria, já que houve crescimento também no mercado corporativo”, diz Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC Brasil.

Além disso, Hagge aponta a proximidade com a Black Friday e a renovação da base instalada como motivos para o crescimento do setor. “Com a chegada de duas datas sazonais bem importantes (Black Friday e Natal), os varejistas antecipam as compras das máquinas para o estoque já que a procura aumenta consideravelmente. A volta da confiança do consumidor e a necessidade de trocar equipamentos comprados em meados de 2011 são outros pontos que influenciaram o bom momento do mercado.” completa o analista.

Ainda de acordo com o estudo da IDC, o tíquete médio dos computadores no terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 2.200, contra os R$ 2.234 de 2016, recuo de 2%.

4º trimestre e 2017
Para o último trimestre do ano, a IDC Brasil prevê venda de 1,38 milhão de PCs, alta de 13% na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram vendidas 1,22 milhão de máquinas A receita deve crescer 10%, atingindo os R$ 3 bilhões de outubro a dezembro de 2017.

No acumulado para o ano, a consultoria aponta crescimento de 13% na comparação com 2016. “Acreditamos que o mercado chegue a 5,1 milhões de unidades vendidas, sendo 1,655 milhão de desktops e 3,436 milhões de notebooks. A receita deve ficar na casa dos R$ 11 bilhões”, finaliza o analista da IDC Brasil.

Dell líder

Dell Alienware 17 notebook seria um dos que ajudou no resultado

A Dell alcançou o 11º trimestre consecutivo como líder de vendas no mercado nacional de computadores, com 25,3% das unidades comercializadas no país entre julho e setembro, de acordo com o relatório Brazil PC Tracker 2017Q3 da consultoria IDC. Com os resultados obtidos no terceiro trimestre do ano, a marca registra um acréscimo de 33,8% no volume de máquinas vendidas na comparação com o mesmo período em 2016.

No período, a Dell liderou o mercado tanto nas vendas para usuários domésticos – com 18,9% de participação, quanto nos PCs comercializados para pequenas (25%), médias e grandes (44,6%) empresas. O relatório da IDC revela, ainda, que a fabricante também protagoniza as principais categorias do segmento local de computadores quando consideradas de forma isolada, com: 27,4% das vendas totais de desktops; 24,3% de notebooks; e 63,7% de workstations.

“A sequência positiva da Dell no mercado de PCs reflete nossa aposta em inovações práticas e no desenvolvimento de um portfólio com atributos que tragam benefícios tangíveis aos mais diversos perfis de usuários”, explica Diego Puerta, vice-presidente para Consumidor Final e Pequenas Empresas da Dell no Brasil. “Além disso, o mercado brasileiro tem respondido positivamente à ampliação dos nossos canais de venda no país e à oferta de serviços diferenciados, como o suporte 24×7 (24 horas por dia, 7 dias por semana), que são exclusivos da marca no Brasil,” conclui.

07:26 · 12.12.2017 / atualizado às 13:46 · 12.12.2017 por
Dois modelos de iPhone X

A Vivo quer mesmo te convencer a comprar um iPhone X aqui no Brasil. Para tanto, montou uma estratégia curiosa. Oferece parcelamento em até 21 vezes sem juros nas compras com cartão Itaucard. O iPhone X 64GB poderá ser adquirido por 21 parcelas sem juros de R$ 99,52 ou R$ 2.090 à vista, caso o cliente opte pelo plano Vivo V e escolha trocar seu iPhone 7 Plus 128GB já usado, em perfeitas condições, por um desconto de R$1.549,00 na compra do novo, por meio do Vivo Renova, programa pelo qual o usuário entrega seu aparelho antigo e ganha vantagens na aquisição de um novo. O parcelamento é válido para as compras de todos os modelos de iPhone nas lojas físicas da Vivo.

>>>Que modelo do iPhone X posso comprar no exterior?

Porém, há uma condição para este valor se concretizar: você aceitar fazer um plano que vai te custar exatos R$ 1.299,99 por mês. Isso mesmo que você leu! Mas o que oferece o tal plano? O plano Vivo V tem 200GB de internet, que podem ser compartilhados com até 8 linhas adicionais, roaming internacional, sete diárias de Vivo Travel por mês para utilização de cada linha, ligações ilimitadas para qualquer operadora local ou DDD e 1000 minutos em ligações internacionais para outros países, todo mês, além de seguro completo contra roubo e furto dos aparelhos. Para adquirir o aparelho, os clientes ainda podem trocar seus pontos do programa de relacionamento Vivo Valoriza e acumular ainda mais vantagens na aquisição do iPhone X. São muitas as vantagens, certo? Porém, mesmo assim, é um custo altíssimo para se gastar com plano de dados/voz móvel.

Valor do plano Vivo V 200GB

Neste link aqui você consegue mais detalhes do plano Vivo V e de outras opções de planos da operadora.

Entendo que a operadora considere o Vivo V um plano completo e que o cliente que vai pagar, no Brasil, por um aparelho quase proibitivo como o iPhone X, tenha um alto poder aquisitivo. Mesmo assim, o valor do plano é muito surreal. Tanto quanto o preço definido pela Apple para o smartphone dela em nosso País. Porém, quem vai decidir se isso cabe ou não no bolso é você cliente. Boa sorte!

09:31 · 05.12.2017 / atualizado às 09:41 · 05.12.2017 por
Dois modelos de iPhone X já em pré-venda no site da Apple brasileira

Mesmo no exterior, o preço do iPhone X não é lá tão amigável assim. Mesmo assim, brasileiros sempre querem trazer o smartphone quando estão em viagem, especialmente quando estão nos EUA. Vamos te ajudar a saber o preço e qual modelo comprar.

Vamos começar falando que já há a opção de comprar sem a opção de uma operadora norte-americana. É o famoso SIM-free. O modelo será o A1865, o mesmo que é vendido pelas operadoras Verizon e Sprint. Ele funciona totalmente com nosso 4G e a Apple já garante cobertura em território brasileiro, mesmo não sendo o homologado pela Anatel (modelo A1901 que é comercializado por AT&T e T-Mobile).

E o preço? O modelo de 64GB custa US$ 999 sem contar os impostos da cidade onde você vai comprar. Já o modelo mais top, o de 256GB, sai por US$ 1.149. Na cotação do fechamento desta matéria, o dólar estava em R$ 3,241. Logo, os preços finais, sem impostos norte-americanos seriam, R$ 3237,759 e R$ 3723,909.

No Brasil, os mesmos modelos serão comercializados a partir de R$ 6.299,10 à vista. Afinal, nos EUA não tem parcelamento no preço informado no parágrafo anterior. Desta forma, temos uma comparação mais justa.

E agora? Ainda vai comprar quando viajar para o exterior, especialmente para os EUA? Pesado no bolso, não? Mas é menos caro se a compra do iPhone X for feita em solo estrangeiro. Aqui é inviável.

E o iPhone 8 e 8 Plus?

Os modelos de iPhone 8 e 8 Plus homologados pela Anatel e que você deve buscar no exterior são, respectivamente, A1905 e A1897. Eles são os vendidos pelas operadoras AT&T e T-Mobile. Lembrando que a Apple já dá garantia a todos os modelos, mesmo os não homologados.

O iPhone 8 de 64GB custa, sem imposto local, US$ 699. O de 256GB custa US$ 849. Já os modelos de iPhone 8 Plus de 64GB custa US$ 799 e o de 256GB sai por US$ 949 (preços sem impostos locais). Todos os modelos citados com SIM-Free.

No Brasil, o iPhone 8 começa (preço à vista) em R$ 3.599,10 na loja da Apple para o modelo de 64GB. Já o modelo de iPhone 8 (à vista) de 256GB tem preço inicial em R$ 4.319,10. O iPhone 8 Plus na loja da brasileira da Apple tem início (à vista) em R$ 4.139,10 para o modelo de 64GB. Já o modelo de 256GB do iPhone 8 Plus tem o preço (à vista) de R$ 4.859,10.

 

13:19 · 30.11.2017 / atualizado às 13:19 · 30.11.2017 por
Comparação entre as vendas dos principais Samsung Galaxy e o iPhone

Segundo levantamento do Cuponomia, portal que reúne ofertas e cupons de desconto para compras no e-commerce, os smartphones Galaxy S8 e S7, da Samsung, tiveram o dobro de desconto em comparação com o iPhone 7 e novo iPhone 8, na Black Friday. Com os menores preços, os modelos da Samsung venderam 60% a mais do que os smartphones da Apple, considerando as compras realizadas pelos usuários do site.

Durante a Black Friday, o iPhone 8 pôde ser encontrado nas lojas online com valor até 10% menor em comparação com outros dias do mês de novembro, considerando o desconto válido apenas para pagamentos à vista. Já o Samsung Galaxy S8 chegou a custar até 20% menos que a média de preço do produto, no mesmo período.

A plataforma também comparou a procura pelos aparelhos no e-commerce e as buscas pelos iPhones top de linha da Apple foi 70% maior em relação a busca pelos smartphones da Samsung. No entanto, foram os modelos Galaxy S8 e S7 que tiveram maior número de vendas a partir das ofertas e códigos promocionais oferecidos pelas lojas.

O levantamento tem como base o total de vendas realizadas por meio do Cuponomia em lojas parceiras do e-commerce como Submarino, Americanas.com, Shoptime, Casas Bahia, Magazine Luiza, Ponto Frio e Ricardo Eletro, no período de 23 a 26 de novembro.

14:13 · 24.10.2017 / atualizado às 14:30 · 24.10.2017 por
Os 72 iPhones apreendidos pela Receita Federal em Congonhas

A Polícia Federal prendeu na manhã do último dia 20/10 um passageiro que desembarcou  no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, em voo proveniente dos Estados Unidos com 72 iPhones. Servidores da Receita Federal selecionaram, no canal de inspeção “nada a declarar”, um passageiro que vinha de Dallas e, ao revistarem sua bagagem, localizaram 72 aparelhos celulares da Apple sem a documentação que autorizasse sua importação.

Policiais federais foram acionados e conduziram o homem à delegacia, onde declarou que trazia os aparelhos para realizar reparos aqui no Brasil e que era a primeira vez que realizava este tipo de transporte, mesmo tendo realizado mais de 20 viagens internacionais nos últimos dois anos.

O homem, de 38 anos de idade, foi preso pelo crime de descaminho.

A informação é da Polícia Federal

 

 

08:34 · 16.10.2017 / atualizado às 08:48 · 16.10.2017 por

O Horário de Verão está em vigor desde o primeiro minuto de domingo, 15, para moradores das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, além do Distrito Federal. Mas se você não está nestas áreas é fácil desabilitar o recurso automático tanto para smartphones Android quanto iOS. Vamos lá?

Android

Como desconfigurar a função Horário de Verão no Android

No seu smartphone Android basta ir em configurações, depois buscar em Sistema a opção Data e Hora. Em seguida, desmarque as opções “Data e hora automáticas” e “Fuso horário automático”. Pronto.

iOS

Como desconfigurar função Horário de Verão no iOS

No sistema iOS é tão simples quanto. Vá em Ajustes. Depois na guia Geral escolha a opção Data e Hora. Clique lá e escolha a sua cidade como Fuso Horário. Problema resolvido.

Horário de Verão Mac OS X

E nos computadores? Bem, no ambiente Mac OS X, da Apple, basta ir em Preferências do Sistema, depois clicar na opção Data e Hora, ir em Fuso Horário e deixar desmarcada a caixa da opção “Definir fuso horário automaticamente utilizando a localização atual. Abaixo, defina a sua cidade e pronto, adeus mudança automática.

No Windows vai depender de sua versão, mas, basicamente, deverá procurar, em configurações, a opção Data e Hora e desmarcar a opção de ajuste automático para o Horário de Verão.

11:14 · 05.10.2017 / atualizado às 11:14 · 05.10.2017 por
Steve Jobs com seu iPhone, o primeiro. Foto: Diário do Nordeste/Arquivo

Há muitas críticas (algumas bem justas) ao criador da Apple, Steve Jobs. Porém, não há como não tê-lo como fundamental na história da tecnologia e até da humanidade. Especialmente se você pensar o que tínhamos de telefonia antes do iPhone e o que tivemos depois. Foi uma revolução. Ele destruiu paradigmas, ao certo. Aquele pequeno aparelho destruiu a concorrência e a fez renascer forte ao mesmo tempo, sob o conceito de telefone inteligente e ecossistema rico em aplicações.

Claro, você pode dizer que depois de sua morte a Apple não voltou a ser tão disruptiva como antes. Mesmo assim, ela segue sendo tendência e fazendo fortuna lançamentos após lançamentos.

Seus computadores já não são unanimidade, como em anos passados, quando ao pensar em edição de vídeos e fotos só se falava nas máquinas da Apple. Os smartphones já não tem a esmagadora preferência dos apaixonados por tecnologia. Mesmo assim, ninguém nega que tanto seus computadores quanto desktops e telefones celulares são destaques mundialmente como produtos de muita qualidade e durabilidade.

O que não mudou foi a garantia, o pós-venda, que muitos tentam imitar, mas poucos conseguem. Este segue imbatível.

A marca Apple é uma das mais fortes e vitoriosas da história ao lado de outras como Facebook, Amazon, Google e Microsoft. Não há quem não conheça e respeite e deve ser assim por longos e longos anos.

Hoje, nos seus 6 anos sem Steve Jobs, morto por conta de um câncer pancreático aos 56 anos de idade, há muito a que se lamentar. O que mais a mente inquieta dele traria para nós? Ele se foi e um pouco da criatividade da Apple também se apagou com ele. Mas ainda há muito dinheiro em caixa para queimar antes que o mundo deixe para trás a força da “Maçã”.