Busca

Tag: Banco do Brasil


07:06 · 05.09.2018 / atualizado às 07:06 · 05.09.2018 por

O e-commerce é utilizado amplamente pelos brasileiros. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o varejo digital deve atingir o faturamento de R$ 69 bilhões no País em 2018, consolidando alta de 15% em relação ao ano anterior. Porém, devido ao desenvolvimento do setor, o varejo digital se coloca na mira de cibercriminosos, que podem frustrar as expectativas tanto dos consumidores quanto dos lojistas.

Como qualquer operação, há questões de segurança que devem ser levadas em conta quando você for fazer suas compras on-line, principalmente com dispositivos móveis, podendo minimizar os riscos.

“Se por um lado o uso de smartphones e tablets para realizar compras on-line é uma praticidade para os consumidores e permite aumentar as vendas das lojas; a falta de atenção a pequenos detalhes para preservar a segurança dos dados pode gerar uma infinidade de problemas caso essas informações caiam em mãos de cibercriminosos”, afirma Claudio Pasqualin, diretor do Grupo de Soluções Inovadoras (ISG) da TransUnion Brasil.

Por mais que as lojas virtuais contem com proteção para as transações, algumas brechas facilitam que cibercriminosos roubem os seus dados privados. Por isso, a TransUnion, empresa global de soluções de informação, separou dicas para tornar as compras on-line mais seguras. Confira:

1. Cuidado com as redes públicas de Wi-Fi
As redes públicas de Wi-Fi, como as utilizadas em praças, cafeterias e shoppings, são ótimas caso você queira ler as notícias ou usar as redes sociais. Porém, elas podem ser uma porta de entrada para os cibercriminosos, já que conseguem interceptar informações de registro, como o login e senha, enquanto você transmite dados on-line.

“A maior parte dos aparelhos são configurados para acessar o sinal de Wi-Fi mais próximo e mais forte. Isso por padrão. E não temos como saber se a rede acessada é mesmo a rede do local em questão ou uma rede criada por terceiros. Também não temos como nos certificar sobre o nível de segurança desses ambientes no momento do acesso. Se o consumidor costuma realizar compras no aparelho, ele precisa protejer as suas informações. Para isso, basta sempre se conectar com uma senha protegida”, afirma Pasqualin.

Por garantia extra, guarde seu momento de compras no dispositivo móvel para quando estiver conectado em uma rede confiável, como a de sua casa. Essa simples mudança pode ajudar a prevenir um dos métodos mais comuns de roubo de identidade.

2. Não use Apps de desenvolvedores desconhecidos
É necessário muito cuidado para decidir quais aplicativos usar na sua experiência de compras on-line. Só porque o app está disponível na loja do seu aparelho, não significa que o desenvolvedor é igualmente confiável.

Programas de compras podem instalar um malware, código ou programa malicioso e transferir informações pessoais e de cartão de crédito para cibercriminosos. Somente faça downloads de desenvolvedores que tenham uma reputação confiável e verifique as avaliações desses fornecedores na loja de aplicativos.

3. Desabilite a conexão Bluetooth
A maioria dos aparelhos móveis vem equipada com a tecnologia Bluetooth, que permite o compartilhamento de informações e a sincronização com outros aparelhos, a exemplo de caixas de som e outros acessórios wireless. Infelizmente, essa tecnologia também pode te deixar vulnerável para cibercriminosos que tentam interceptar informações no seu aparelho. “Desabilitar o seu Bluetooth quando não está em uso economiza energia da bateria e também ajuda a proteger o seu aparelho”, comenta o executivo.

4. O melhor meio de pagamento
Os processadores de pagamento para celulares e tablets facilitam o uso do cartão de crédito. Porém, o fato de um site permitir débito em conta ou geração de boleto para pagamento não significa que ele é confiável. Pessoas físicas também conseguem gerar boletos e, em muitos casos, podem passar uma falsa sensação de segurança.

Independentemente do meio de pagamento, a credibilidade do site ou do app são muito importantes para evitar que o cliente seja lesado.

5. Fique atento aos seus extratos
Se você faz muitas compras via dispositivos móveis, solicite ao seu banco um comprovante de transação toda vez que uma compra for realizada. Esse é um método prático de verificar prováveis problemas na fatura por meio de atividades fraudulentas.

O consumidor deve estar atento na hora de realizar suas compras, assim como as empresas devem oferecer sempre ambientes seguros para seus usuários. “Com novas tecnologias também é possível fazer a verificação do dispositivo, checando se há alguma atividade criminosa. Avaliar os fatores de risco e a reputação de um dispositivo, depois checar os dados com o que se sabe sobre um cliente permite tomar decisões informadas e contextualizadas. Acima de tudo, isso deve ser feito com o mínimo de impacto nas transações dos consumidores”, finaliza o executivo.

Dica extra
Uma dica que pessoalmente dou para todos e que é existente, ao menos, nos bancos do Brasil e Itaú, é a criação do cartão virtual para compras na internet. Especificamente no caso do BB, você pode configurar o cartão no valor exato da compra, dizer quantas vezes ele pode ser usado e a data de validade do cartão, por exemplo.

06:41 · 02.02.2018 / atualizado às 06:38 · 03.02.2018 por
Pré-programar a retirada de dólares via aplicativo e buscar diretamente no caixa rápido é realidade para clientes do BB agora

A partir desta sexta-feira, 2, gradualmente, os clientes do Banco do Brasil podem comprar dólares americanos de uma forma diferente. Agora, é possível adquirir a moeda estrangeira pelo aplicativo. Além disso, o cliente também poderá definir a cotação que está disposto a pagar e o período de espera. Tão logo o dólar chegue ao patamar pretendido, o Banco avisa, enviando uma mensagem para confirmar a transação.

Após a realização da compra, o cliente tem até dois dias úteis para retirar os dólares em um dos caixas eletrônicos para saque de dólares no BB, com a taxa garantida do dia de realização da transação no app.

O mobile do BB também ajuda a localizar uma agência com terminal de câmbio mais próximo. Com o GPS do smartphone ligado, o app mostrará as dependências num raio de 5 km. Também é possível fazer a busca por Estado e cidade. São 96 terminais de câmbio espalhados em 18 estados e no Distrito Federal. No Ceará há dois locais disponíveis: Praça do Carmo (agência 1605) e Aldeota (agência 2793).

A transação é válida para dólar americano, até US$ 3 mil por operação, limitada a US$ 10 mil por mês. Para aquelas agências que não possuem terminal de câmbio, em breve o app também será interligado ao terminal de caixa dentro da agência, permitindo ao cliente retirar os dólares diretamente no guichê, sem a necessidade de passar pelo atendimento.

Como funciona

Para comprar dólar pelo celular, após acessar a área logada no aplicativo, basta acessar a opção Viagens/Moeda Estrangeira no menu.

Na opção Monitorar Taxa de Câmbio, o cliente define a taxa de câmbio que gostaria de pagar e o prazo de espera. O Banco envia mensagem quando a cotação chega ao valor informado, para confirmar a transação.

Com a compra realizada, basta ao cliente se dirigir a uma das agências com terminais de câmbio em até dois dias úteis. O BB garante a cotação do dia da contratação.

Agora sim

Durante boa parte do dia de sexta, 2, o serviço não estava funcionando, mas no final da tarde entrou no ar em definitivo. Agora vocês já podem comprar a moeda dos EUA antes da viagem com mais comodidade via aplicativo. Melhor ainda será quando liberarem para outras moedas estrangeiras como Euro e dólar canadense, por exemplo. Além disso, melhor ainda será quando todos os terminais ou, ao menos, mais terminais estiverem com esta função disponível. Vamos aguarda!

13:52 · 14.11.2017 / atualizado às 14:22 · 14.11.2017 por
Executivos do Google e Visa anunciam a novidade em São Paulo

A partir desta terça, 14, os brasileiros poderão usar os seus smartphones para fazer pagamentos de produtos e serviços de maneira simples, segura e rápida com o Android Pay. O Google anunciou a chegada do serviço ao país durante evento realizado em São Paulo na manhã desta terça-feira.

>>>Pagamentos por aproximação se popularizam cada vez mais no Brasil

O Brasil é o 17º país a receber o Android Pay, que já está disponível em países como Estados Unidos, Espanha, Rússia e Japão. O serviço foi lançado inicialmente nos Estados Unidos, em setembro de 2015.

“Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, o Android é o sistema operacional mais popular do mundo e busca sempre oferecer recursos inovadores para seus clientes. Com o Android Pay, os brasileiros agora poderão usar seus smartphones para fazer pagamentos de forma prática, rápida e segura”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google Brasil.

Google promete máxima segurança no Android Pay

Para instalar o Android Pay, primeiro é preciso verificar se o smartphone possui sistema operacional Android KitKat (4.4) ou versões posteriores. Depois, é só baixar o aplicativo do Android Pay gratuitamente na loja do Google Play. Uma vez instalado o app, basta adicionar os dados dos cartões de crédito ou débito dos bancos e operadoras de cartões de crédito parceiros no Android Pay. Neste primeiro momento, o serviço está disponível para os donos de cartões Banco do Brasil (crédito e débito), Caixa (débito), Neon (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) com a bandeira Visa. O Google espera adicionar novos parceiros em breve.

Na hora de pagar por uma compra com Android Pay, basta encostar o smartphone com tecnologia NFC em um ponto de venda que suporte essa tecnologia. Dentre as empresas que aceitam o serviço no Brasil, estão Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Drogasil, Rei do Mate, Café do Ponto, Hering e Ipiranga. O caixa irá selecionar o tipo de pagamento (débito ou crédito) e inserir o valor da compra no terminal. Ao terminar, o cliente deve desbloquear e segurar seu smartphone próximo à máquina. Então, aguardar a mensagem de compra autorizada.

Segundo a assessoria de imprensa do Google no Brasil, a segurança está no centro do Android Pay. “Com a tokenização padrão da indústria, o Android Pay não envia aos comerciantes o número real do seu cartão no ato da compra. O Android Pay também permite que o usuário acompanhe os pagamentos e bloqueie o seu dispositivo caso ele seja perdido ou roubado”, finaliza comunicado para a imprensa.

06:30 · 11.08.2017 / atualizado às 09:32 · 10.08.2017 por

Desde o seu lançamento no Brasil, o Samsung Pay, serviço de pagamentos móveis promete segurança, facilidade e garante ser aceito em quase todos os lugares. O serviço da gigante sul-coreana ampliou a gama de parceiros e dispositivos para oferecer ainda mais benefícios. Confira 4 dicas que a Samsung nos enviou para ajudar os consumidores a aproveitarem o máximo que o Samsung Pay pode oferecer.

A promessa é de maior segurança e agilidade com o formato de pagamento

1 – Cadastre seus cartões de forma simples e diga adeus à carteira
Esquecer a carteira em casa já não é um problema se o usuário tiver um smartphone Samsung compatível (veja lista abaixo) ou o novo Gear S3. Adicionar cartões (detalhes abaixo) de crédito e débito, além de documentos importantes, como plano de saúde e seguro do carro não é deve ser complicado, já que o aplicativo identifica os números dos cartões automaticamente quando a câmera captura a imagem. Depois do cadastro, basta digitar o código de verificação enviado por SMS e pronto, o usuário não precisará mais percorrer sua carteira ou bolsa para encontrar um cartão.

2 – Aproveite as vantagens das promoções exclusivas do Samsung Pay
Constantemente, em parceria com diversas empresas, o Samsung Pay oferece benefícios exclusivos aos seus usuários. Para aproveitar é só acessar a aba promoções no menu principal ou na opção localizada no canto superior direito e verificar as ofertas na categoria promoções.

Samsung Pay te ajuda a pagar sem abrir a carteira

3 – Economize tempo e faça compras em praticamente qualquer estabelecimento
Graças ao suporte à transmissão magnética (MST), exclusiva da Samsung e à comunicação de campo próximo (NFC), os consumidores podem usar o Samsung Pay praticamente em qualquer lugar, pois as máquinas de cartão presentes na grande maioria das lojas do país trabalham com essas duas tecnologias.

4 – Use diferentes dispositivos para realizar suas compras
Quem já utiliza o Samsung Pay em seu smartphone e possui o novo Gear S3, pode ficar despreocupado caso o aparelho esteja sem bateria ou fora de alcance. Com o mais recente smartwatch da Samsung também é possível realizar pagamentos em poucos segundos, por meio do aplicativo Gear Manager. Uma vez feito o registro dos cartões, basta apertar o botão lateral, selecionar o cartão que deseja usar e encostar o smartwatch em qualquer terminal de ponto de venda.

Smartphones
O serviço está disponível para todos os consumidores brasileiros que possuam um dos smartphones compatíveis com o serviço – Galaxy S8, Galaxy S8+, Galaxy S7, Galaxy S7 edge, Galaxy S6 (somente com tecnologia NFC), Galaxy S6 edge (somente com tecnologia NFC), Galaxy S6 edge+, Galaxy A9, Galaxy A5 (2016 e 2017) e Galaxy A7 (2016 e 2017), Galaxy Note 5.

Também é possível pagar com o relógio inteligente da Samsung

Cartões
O Samsung Pay está disponível para os cartões pré-estabelecidos de uma das instituições financeiras parceiras: Banco do Brasil, Brasil Pré-Pagos, Caixa Econômica Federal, Banco Intermedium, Porto Seguro e Santander, além das bandeiras Visa e Mastercard.

Apple Pay

O serviço concorrente da Samsung, o Apple Pay, funciona perfeitamente nos EUA, mas aqui não tem data alguma para chegar. Há muitas especulações em relação aos motivos de que a Apple ainda não tenha inaugurado o serviço por estas bandas, mas a mais forte corrente fala em difícil tratativa com bancos e operadoras de cartões locais. Eu aposto nisso.