Busca

Tag: Facebook


11:38 · 26.03.2017 / atualizado às 15:46 · 26.03.2017 por
Zenfone Live chega em 3 cores

A Asus anunciou, neste  domingo, 26, durante o evento Asus Onboard 3, o Zenfone Live. O smartphone chega em maio deste ano, mas ainda sem preço definido. O Live é um aparelho de entrada para este novo ciclo da empresa de Taiwan para atender com qualidade o usuário. Ele chega com embelezamento anterior ao livestreaming antes de subir para aplicativos como Facebook, YouTube e Instagram. O aplicativo BeautyLive faz seu embelezamento em tempo real antes de iniciar uma live para seus seguidores nas 3 redes.

O produto chega com tela de 5 polegadas, Snapdragon 400 series, Android 6 com upgrade garantido para o Android 7.0, o Nougat. Além disso, tem memória RAM de 2GB, armazenamento interno de 16GB que pode chegar até 128 MB com cartão microUSB.

O Zenfone Live tem câmera traseira de 13MP com auto-focus e abertura de 2.0. Já a câmera frontal tem ângulo de 82º, 5 MP + flash e abertura focal de 2.2.

O smartphone também chega com televisão digital Full-Seg em alta definição com qualidade superior ao mercado. O Zenfone Live promete oferecer uma combinação de áudio com 67% mais volume do que a geração anterior, além de ampliar a reprodução de baixas frequências em até 17% e reduzir a distorção em até 15%.

10:05 · 02.02.2017 / atualizado às 10:12 · 02.02.2017 por
Sede do Google. Foto: Tobias Haase/Creative Commons

O primeiro lugar do ranking das 10 empresas mais valiosas do mundo é agora do Google. A empresa atingiu o valor de mercado de US$ 109,470 bilhões em 2017 e superou a Apple, que caiu 27% em um ano registrando US$ 107,141 bilhões (a falta de grandes inovações seria o fator principal?). O terceiro lugar ficou com a Amazon que teve amplo crescimento de 2016 para cá, 53%, chegando a US$ 106,369 bilhões e mostrou que pode, em 2018, até tomar a liderança.

Estrutura do Alphabet, a empresa que controla todas as empresas Google

A quarta colocação ficou com a AT&T, operadora norte-americana de telefonia. Ela também teve amplo crescimento (45%) e atingiu US$ 87,016 bilhões. Surpresa mesmo é que a Samsung, apesar do Note 7 explosivo, aparece com crescimento de 13% na sexta posição. Acima dos sul-coreanos está a Microsoft.

O restante da lista tem Verizon, empresa de telefonia norte-americana (+4%), Walmart (+16%), Facebook (+82%) e Banco Industrial e Comercial da China, o ICBC, com 32% de crescimento.

Em destaque os 5 primeiros do ranking

Note aí que o maior crescimento dos 10 é do Facebook. Mas ainda vai ter que melhorar um pouco mais para entrar entre os 3 primeiros.

Veja o ranking das 10 primeiras em detalhe:
1. Google: US$ 109,470 bilhões (+24%)
2. Apple: US$ 107,141 bilhões (–27%)
3. Amazon: US$ 106,369 bilhões (+53%)
4. AT&T: US$ 87,016 bilhões (+45%)
5. Microsoft: US$ 76,265 bilhões (+13%)
6. Samsung: US$ 66,219 bilhões (+13%)
7. Verizon: US$ 65,875 bilhões (+4%)
8. Walmart: US$ 62,496 bilhões (+16%)
9. Facebook: US$ 61,998 bilhões (+82%)
10. ICBC (Banco Industrial e Comercial da China): US$ 47,832 bilhões (+32%)

13:32 · 12.01.2017 / atualizado às 13:33 · 12.01.2017 por
Peter Thiel em palestra em Berlim, na Alemanha. Foto: Dan Taylor. www.heisenbergmedia.com
Peter Thiel em palestra em Berlim, na Alemanha.
Foto: Dan Taylor. www.heisenbergmedia.com

O bilionário do Vale do Silício Peter Thiel, famoso por ter ajudado o Facebook a se consolidar, ataca novamente.

Em entrevista ao jornal “The New York Times“, ele confirmou que a era da Apple chegou ao fim e que não seria culpa do CEO da empresa, Tim Cook. “Esta (em relação aos smartphones) não é uma área em que ainda vai haver alguma inovação”, disse Thiel ao jornal norte-americano.

Levando em consideração os últimos iPhones estaria o bilionário correto nesta afirmativa? Além do império Apple, os smartphones Android também estariam fadados a não mais evoluir?

07:57 · 25.10.2016 / atualizado às 07:57 · 25.10.2016 por

hackerUma pesquisa realizada pela Eset – fornecedora de soluções de segurança da informação e pioneira em proteção proativa – identificou que 35% dos usuários da América Latina, incluindo do Brasil, já foram infectados por malware (códigos maliciosos) e/ou spam propagados pelas redes sociais. O que reforça o interesse crescente dos cibercriminosos por esse tipo de ambiente, por conta do aumento expressivo no número de usuários.

A pesquisa da Eset mostra ainda que 30% dos usuários reconhecem que clicaram, ao menos uma vez, em publicações suspeitas nas redes sociais. Essa prática, comumente usada pelos cibercriminosos, usa como isca anúncios chamativos e conteúdos falsos para atrair a atenção dos usuários desavisados. Dessa forma, ao clicar no conteúdo suspeito, códigos maliciosos podem ser baixados no equipamento ou, ainda, o usuário é subscrito em serviços de publicidade que geram algum tipo de retorno financeiro para o atacante, como é o caso do SMS Premium.

Além disso, 15% dos usuários mencionaram que já foram vítimas de phishing – tipo de ataque que tem como objetivo obter informações pessoais e confidenciais de forma fraudulenta. Esse tipo de ameaça é, geralmente, realizado por meio de e-mails e sites de web duplicados. Porém, com a alta penetração das redes sociais, os cibercriminosos também passaram a utilizar esses espaços para propagar campanhas de phishing.

“Os especialistas da Eset identificaram que, em média, mais de 28 mil links maliciosos e suspeitos são divulgados por dia no Facebook e 10 mil no Twitter. O que reforça a preocupação que as pessoas precisam ter em relação à segurança nas redes sociais”, afirma Camillo Di Jorge, Presidente da Eset Brasil. “Por isso vale reforçar que é sempre importante que os usuários usem soluções proativas de segurança nos equipamentos que utilizam para acesso à internet e às redes sociais, utilizem configurações de segurança nesses ambientes e, principalmente, fiquem atentos para não clicar ou baixar conteúdos de origem duvidosa “, completa.

Abaixo seguem dicas dos especialistas da Eset para que os internautas reforcem a segurança nas redes sociais:

1. Credenciais de Acesso
Cada site conta com diversas opções disponíveis para preservar a segurança dos dados de acesso dos usuários. Alguns sites disponibilizam uma lista dos dispositivos que utilizam a conta. Dessa forma, conseguem verificar a autenticidade do usuário e comprovar se há algo suspeito com o envio de notificações a cada início de sessão. Essa funcionalidade também está disponível para dispositivos móveis.

2. Visualização de conteúdos e publicações
Apesar de ser uma rede aberta, é importante que os usuários filtrem quais pessoas têm permissão para ver suas mensagens. Muitos sites trazem filtros para que essa configuração seja feita e o perfil exiba somente as informações básicas do usuário. No entanto, é importante ter em mente que, mesmo uma configuração limitada, pode trazer riscos, visto que essas informações estão expostas publicamente.

3. Informação de contato e localização
As redes sociais usam diferentes meios para que as outras pessoas possam entrar em contato, como as mensagens diretas, e-mail, número de celular e, até mesmo, geolocalização. Em geral, o usuário pode limitar a visualização das formas de contato ou restringir o acesso. No caso da localização, é importante desabilitar essa funcionalidade, que muitas vezes é adicionada automaticamente por meio do GPS.

4. Envio de mensagens e comentários
Alguns sites permitem limitar quem pode enviar mensagens ou publicar comentários sobre seus posts. Para isso, selecione ou bloquei grupos específicos ou pessoas individualmente.

5. Marcação em fotos e vídeos
Fotos ou vídeos em redes sociais podem sofrer marcações. O usuário pode evitar ou, se preferir, ter o direito de aprovar antes as marcações relacionadas ao seu perfil.

6. Monitoramento e anúncios
A maioria dos sites, incluindo as redes sociais, fazem um monitoramento das atividades online dos usuários com o intuito de mostrar anúncios personalizados. Algumas redes sociais podem ser configuradas sobre como ou quando o usuário deseja que esse mapeamento seja realizado e que publicidade mostrar.

7. Notificações
O envio de notificações por meio das redes sociais pode ter diferentes consequências. Por um lado, permitem saber se ocorre algo inesperado ou não desejado. Por outro, podem trazer uma avalanche de informações por meio de um canal não criptografado que pode ser sequestrado com fins maliciosos. Dessa forma, o ideal é que o usuário configure as notificações que deseja receber.

8. Reprodução automática
O conteúdo que executa automaticamente, como é o caso dos vídeos, pode ser um problema. Isso porque pode executar conteúdo malicioso antes que o usuário perceba. Por isso, recomenda-se que a funcionalidade de “reprodução automática” seja desativada a fim de evitar surpresas desagradáveis.

14:40 · 23.09.2016 / atualizado às 14:40 · 23.09.2016 por
Facebook poderá liberar enquetes para usuários do Messenger
Facebook poderá liberar enquetes para usuários do Messenger

Segundo o TechCrunch, o Facebook vai testar duas novas funcionalidades no Messenger. A primeira é um esquema de enquetes em que os usuários poderão montar e compartilhar com amigos para, digamos, escolher sobre a compra de um produto ou que lugar será melhor para o “happy hour”.

Enviar pagamentos via Messenger também está em estudo
Enviar pagamentos via Messenger também está em estudo

A outra novidade trata-se do envio de pagamentos ou dinheiro para terceiros. Funcionaria assim: ao receber uma mensagem de alguém pedindo R$ 10, por exemplo, o Facebook postaria um botão de pagamento logo após a referida mensagem com o valor exato mencionado pelo remetente.

Nota da redação

A primeira medida parece bem interessante e pode movimentar, mas a segunda é temerosa. Afinal, pessoas má intencionadas podem inserir pedidos de pagamento só para tentar pegar alguém desprevenido. Também pode ser que um amigo brincalhão queira te pregar uma peça só para te irritar. De uma forma ou de outra, não é uma boa ideia. Podemos fazer pagamentos e transferências de forma muito mais segura via serviços oficiais de internet banking.