Busca

Tag: google


06:53 · 17.11.2017 / atualizado às 06:55 · 17.11.2017 por

No dia em que a escritora cearense Rachel de Queiroz, se viva fosse, completaria 107 anos, o Google traz o doodle do dia como homenagem a ela.

A autora de obras como “O Quinze”, “As Três Marias” e “Memorial de Maria Moura”, entre outros premiados livros, foi a primeira mulher na Academia Brasileira de Letras (ABL), bem com a primeira mulher a receber o Prêmio Camões.

Justa homenagem do Google a esta grande cearense.

13:52 · 14.11.2017 / atualizado às 14:22 · 14.11.2017 por
Executivos do Google e Visa anunciam a novidade em São Paulo

A partir desta terça, 14, os brasileiros poderão usar os seus smartphones para fazer pagamentos de produtos e serviços de maneira simples, segura e rápida com o Android Pay. O Google anunciou a chegada do serviço ao país durante evento realizado em São Paulo na manhã desta terça-feira.

>>>Pagamentos por aproximação se popularizam cada vez mais no Brasil

O Brasil é o 17º país a receber o Android Pay, que já está disponível em países como Estados Unidos, Espanha, Rússia e Japão. O serviço foi lançado inicialmente nos Estados Unidos, em setembro de 2015.

“Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, o Android é o sistema operacional mais popular do mundo e busca sempre oferecer recursos inovadores para seus clientes. Com o Android Pay, os brasileiros agora poderão usar seus smartphones para fazer pagamentos de forma prática, rápida e segura”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google Brasil.

Google promete máxima segurança no Android Pay

Para instalar o Android Pay, primeiro é preciso verificar se o smartphone possui sistema operacional Android KitKat (4.4) ou versões posteriores. Depois, é só baixar o aplicativo do Android Pay gratuitamente na loja do Google Play. Uma vez instalado o app, basta adicionar os dados dos cartões de crédito ou débito dos bancos e operadoras de cartões de crédito parceiros no Android Pay. Neste primeiro momento, o serviço está disponível para os donos de cartões Banco do Brasil (crédito e débito), Caixa (débito), Neon (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) com a bandeira Visa. O Google espera adicionar novos parceiros em breve.

Na hora de pagar por uma compra com Android Pay, basta encostar o smartphone com tecnologia NFC em um ponto de venda que suporte essa tecnologia. Dentre as empresas que aceitam o serviço no Brasil, estão Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Drogasil, Rei do Mate, Café do Ponto, Hering e Ipiranga. O caixa irá selecionar o tipo de pagamento (débito ou crédito) e inserir o valor da compra no terminal. Ao terminar, o cliente deve desbloquear e segurar seu smartphone próximo à máquina. Então, aguardar a mensagem de compra autorizada.

Segundo a assessoria de imprensa do Google no Brasil, a segurança está no centro do Android Pay. “Com a tokenização padrão da indústria, o Android Pay não envia aos comerciantes o número real do seu cartão no ato da compra. O Android Pay também permite que o usuário acompanhe os pagamentos e bloqueie o seu dispositivo caso ele seja perdido ou roubado”, finaliza comunicado para a imprensa.

13:09 · 09.11.2017 / atualizado às 13:12 · 09.11.2017 por

Existem mais de 5,5 milhões de blogs no Brasil, os quais representam 55,36% dos cerca de 10 milhões de sites ativos no país. Este universo está rapidamente se transformando em um mercado que começa a concorrer pela verba de propaganda: mais de 82% deles adota alguma rede de exibição de anúncios. A AdSense, do Google, reina absoluta entre os blogs, respondendo por 54,06% de participação. Todas as demais redes de anúncios somam 28,64%.

Estas e outras conclusões estão no mais novo levantamento realizado no início de setembro pela BigData Corp, empresa de big data da América Latina. A empresa realiza o monitoramento semanal de mais de 20 milhões de sites brasileiros (dos quais apenas a metade é ativa).

“Este é um universo sobre o qual pouco se sabe e direcionamos nossas pesquisas para destrinchar para onde vai esse mercado, que ganha relevância econômica em função do potencial de anúncios que possui, sem falar da capacidade de formação de opinião dos blogs mais influentes”, comenta Thoran Rodrigues, fundador e CEO da BigData Corp.

Blogosfera multifacetada
Boa parte dos sites é dedicada a um tema predominante. Lideram os blogs de moda (1,81%), os de tecnologia (1,76%), os de cultura (1,6%), os de política (1,3%), os de esportes (1,24%) e os de viagem (1,19%). No entanto, é visível a pulverização de assuntos, abrangendo, ainda entretenimento (1,12%), beleza (0,67%), games (0,38%) e humor (0,35%).

Outra característica dos blogs brasileiros é que menos de 1% deles (0,94%) consegue romper a barreira de meio milhão de acessos por mês. Ao contrário, 96,5% são pequenos, com até 10 mil visitas mensais. Da mesma forma, apenas 13,97% possuem mais de 5 mil imagens no seu acervo. “Talvez porque o tempo médio de vida dos blogs seja de apenas 12 meses, os acervos de fotos e posts seja pequeno”, explica o executivo. A maior parcela, 30,87%, possui menos de uma centena de fotos; e 27,03% apresentam aos seus visitantes entre mil e 5 mil imagens.

Profissionalização em curso
“Já vemos uma tendência à profissionalização desses blogs, que começam a usar ferramentas para alavancar sua exposição na web e facilitam o conhecimento de seus leitores, bem como o relacionamento mais fidelizado”, comenta Rodrigues.

De acordo com o levantamento da BigData Corp, mais de 80% (80,29%) já estão hospedados em, basicamente, duas plataformas de blogging: a Blogger, lidera com folga, com 59,76% dos blogs no país, e a WordPress (18,51%). Também o uso de mídias sociais se generalizou. Mais de 90% dos blogs aliam a sua exposição a elas: Facebook (48,53%) e Youtube (48,21%) são as favoritas dos blogueiros, os quais também lançam mão do Twitter (33,97%) e do Instagram (11,14%).

Desperdício de oportunidades
“Vale mencionar que, entre as ferramentas mais relevantes utilizadas na blogosfera brasileira, está o feed RSS, que facilita a distribuição e integração do conteúdo em outras plataformas, hoje presente em 91,49% dos blogs”, informa Rodrigues.

Curiosamente, as ferramentas de analytics, no entanto, ainda têm chão para conquistar: foram adotadas por apenas 41,39% dos blogs do país. “Isso denota um resquício de amadorismo, já que o blogueiro que dispensa a adoção de analytics não faz ideia de quem seja, de fato, o seu público. Vive às cegas, pois perde a oportunidade de apresentar um conteúdo mais dirigido e relevante a quem o segue, assim como a de alavancar o seu espaço comercialmente para as empresas que buscam atingir o seu leitor”, afirma o especialista em big data.

Thoran chama a atenção para uma tendência que indica a importância crescente do acesso aos blogs via celular: os aplicativos já estão presentes em 12,24% dos blogs nacionais.

13:10 · 08.11.2017 / atualizado às 13:10 · 08.11.2017 por
Android Pay deve ser anunciado nesta sexta-feira, 10, em São Paulo, para o consumidor brasileiro

O serviço de pagamento do Google, o Android Pay, pode ser anunciado nesta sexta-feira, 10, como começando a funcionar no Brasil. O imprensa nacional foi convidada para se fazer presente no escritório do Google em São Paulo, onde o anúncio deve ser feito.

O serviço de pagamento móvel do Google chega para concorrer com o Samsung Pay. Até agora, no Brasil, a Apple (Apple Pay) não chegou com o serviço de pagamento móvel dela, apesar de ter sido o primeiro a ser anunciado mundialmente.

Assim como os concorrentes, o Google Pay armazena no aplicativo os dados dos cartões de crédito e débito do usuário e cria carteiras eletrônicas. Para usar, basta aproximar o celular da máquina de cartões. Teoricamente, através da tecnologia NFC, tudo irá funcionar. Se a compra for via internet será necessário apenas colocar as credenciais do perfil Android Pay e dizer de onde sairá o dinheiro.

07:20 · 11.10.2017 / atualizado às 07:20 · 11.10.2017 por
Mapa de rotas de ônibus no Google

O Google Maps vai muito além de levar os usuários de um ponto a outro da cidade. De viagens longas à facilidade do dia a dia, é possível usar o app e o desktop para facilitar desde antes de sair de casa até chegar ao local.

Compartilhar a localização
No Google Maps, é possível compartilhar o trajeto e também definir por quanto tempo a informação ficará disponível para a pessoa, assim, não precisa ficar avisando quando vai chegar.

Salve mapas off-line
Nem sempre as pessoas vão a lugares com Wi-Fi ou uma boa conexão — pode ser durante uma viagem, um grande evento ou porque o pacote de dados acabou. Para garantir o Google Maps em qualquer uma dessas situações, o aplicativo oferece a possibilidade de salvar os mapas no celular, basta tocar no botão do menu esquerdo e selecionar “Áreas off-line” em smartphones Android ou “Mapas off-line” no iOS, para começar.

Criar listas personalizadas
Os usuários podem criar listas de lugares no Google Maps para ver em outra hora ou, então, compartilhar com amigos. No Menu, há a opção “Seus lugares” para salvar os favoritos ou começar um nova lista. Ao tocar para ver mais informações de um local, também aparece o botão “salvar”.

Adicione uma parada rápida para o café
Se você está indo ao trabalho e precisa fazer uma pausa para um cafezinho, é possível fazer um “pit stop” sem alterar sua rota traçada. Basta clicar na barra de busca e encontrar um ponto de interesse que o Google Maps adicionará a parada na viagem.

Horário do próximo ônibus
Em algumas cidades do Brasil, como Fortaleza, os usuários conseguem conferir no Google Maps o horário em tempo real do ônibus, ou seja, além de checar a melhor opção para chegar ao destino, caso um ônibus esteja atrasado, é possível ver uma outra linha ou aproveitar para fazer algo antes de ir ao ponto.

11:14 · 05.10.2017 / atualizado às 11:14 · 05.10.2017 por
Steve Jobs com seu iPhone, o primeiro. Foto: Diário do Nordeste/Arquivo

Há muitas críticas (algumas bem justas) ao criador da Apple, Steve Jobs. Porém, não há como não tê-lo como fundamental na história da tecnologia e até da humanidade. Especialmente se você pensar o que tínhamos de telefonia antes do iPhone e o que tivemos depois. Foi uma revolução. Ele destruiu paradigmas, ao certo. Aquele pequeno aparelho destruiu a concorrência e a fez renascer forte ao mesmo tempo, sob o conceito de telefone inteligente e ecossistema rico em aplicações.

Claro, você pode dizer que depois de sua morte a Apple não voltou a ser tão disruptiva como antes. Mesmo assim, ela segue sendo tendência e fazendo fortuna lançamentos após lançamentos.

Seus computadores já não são unanimidade, como em anos passados, quando ao pensar em edição de vídeos e fotos só se falava nas máquinas da Apple. Os smartphones já não tem a esmagadora preferência dos apaixonados por tecnologia. Mesmo assim, ninguém nega que tanto seus computadores quanto desktops e telefones celulares são destaques mundialmente como produtos de muita qualidade e durabilidade.

O que não mudou foi a garantia, o pós-venda, que muitos tentam imitar, mas poucos conseguem. Este segue imbatível.

A marca Apple é uma das mais fortes e vitoriosas da história ao lado de outras como Facebook, Amazon, Google e Microsoft. Não há quem não conheça e respeite e deve ser assim por longos e longos anos.

Hoje, nos seus 6 anos sem Steve Jobs, morto por conta de um câncer pancreático aos 56 anos de idade, há muito a que se lamentar. O que mais a mente inquieta dele traria para nós? Ele se foi e um pouco da criatividade da Apple também se apagou com ele. Mas ainda há muito dinheiro em caixa para queimar antes que o mundo deixe para trás a força da “Maçã”.

14:46 · 04.10.2017 / atualizado às 14:59 · 04.10.2017 por
Xerife Hopper na primeira fase do game Stranger Things coletando uma chave

São mais de 10 horas de gameplay garantido para você, fã de “Stranger Things” (série da Netflix), aproveitar. É diversão a toda a prova. Você começa como o xerife Hopper, mas vai ter experiências com diversos personagens. Os quebra-cabeças estão por toda a parte do jogo e vão deixá-lo viciado no game como aconteceu com a série, inclusive.

Bem no estilo retrô dos games da década de 80, onde também é ambientada a série, o game de “Stranger Things” tem Trilha sonora e gráficos em 8 bits que te levam a um passado nostálgico.

Além disso, ele é gratuito. Desenvolvido pela BonusXP, Stranger Things te leva a explorar toda a cidade de Hawkins onde é ambientada a série. O jogo está disponível para iOS e Android.

O game foi feito para matar sua vontade de reviver as aventuras daquele quarteto de garotos enquanto a segunda temporada não começa a partir de 27/10 na Netflix.

16:36 · 08.09.2017 / atualizado às 16:36 · 08.09.2017 por
YouTube NextUp é a chance para turbinar o seu canal na plataforma

O Rio de Janeiro será o palco do novo YouTube NextUp. Segundo o Google, nele, você aprenderá a criar vídeos melhores, atrair mais inscritos e aprimorar seu canal. Os selecionados participam de um treinamento para criadores de conteúdo durante uma semana, no YouTube Space Rio.

De acordo com o Google Brasil, o NextUp já ajudou vários criadores de conteúdo, e alguns deles se tornaram grandes estrelas do YouTube. Nas duas últimas edições brasileiras, 31 criadores participaram.

Além do conhecimento, o YouTube NextUp também vai permitir que os participantes possam ganhar prêmios que ajudarão o youtuber a dar um impulso maior no canal:

– Treinamento de 5 dias para criadores de conteúdo: o treinamento para criadores de conteúdo é um curso rápido de 5 dias. O youtuber aprende técnicas de produção de vídeo com outros criadores de conteúdo e também os prós e contras de se ter um canal de sucesso por meio de tarefas em vídeo divertidas, aulas sobre como usar equipamentos, entre outros temas. Além disso, o youtuber pode trocar ideias com outros criadores.

– Cupom de equipamento: ao concluir o aprendizado é hora de começar a criar. Os formandos do treinamento para criadores de conteúdo recebem um cupom para novos equipamentos de produção no valor de R$ 6.500. O cupom é de um varejista selecionado pelo YouTube.

– Consultoria de canal individualizada: os vencedores do NextUp também têm acesso a benefícios disponíveis apenas para criadores de conteúdo Prata ou superior. Isso inclui consultoria de um especialista de canal dedicado, convites para festas e eventos exclusivos e oportunidade de trabalhar com parceiros do YouTube e graduados do NextUp.

Para se inscrever você precisa saber se está qualificado para o programa. Basta responder algumas perguntas curtas sobre o seu canal. Não tem certeza se está qualificado? Clique aqui.

As inscrições se encerram na quarta-feira, 27 de Setembro, às 20h59 (Horário de Brasília).

Qualquer canal do YouTube do Brasil que cumpra os requisitos de elegibilidade (disponíveis no site) do YouTube NextUp 2017 pode se inscrever. Canais que já se inscreveram antes, mas não foram selecionados, podem se inscrever novamente.

07:38 · 08.09.2017 / atualizado às 07:38 · 08.09.2017 por
Novo feed do Google promete mais inteligência

O Google anuncia uma nova experiência no feed do aplicativo do Google para os usuários no Brasil – um feed localizado que permite que as pessoas se mantenham atualizadas sobre os assuntos que mais as interessam.

Feed inteligente 
O feed vai aparecer como uma aba no aplicativo do Google para Android e para iOS, e será possível ver destaques do esporte, as principais notícias, vídeos interessantes, novas músicas, etc. – e não será apenas baseado nas interações com o Google, mas também no que acontece na região e no mundo. É possível esconder o tópico que não for relevante.

Seguir assuntos favoritos
Agora, dá para seguir assuntos diretamente dos resultados da Busca, com um botão “Seguir” próximo a alguns tipos de pesquisas – incluindo filmes, times de futebol, artistas e outros. Ao seguir, o usuário receberá atualizações e notícias sobre aquele assunto no feed.

Contextos mais amplos 
Com a nova experiência, é possível verificar os fatos das fontes de notícias e ver outras informações relevantes sobre um determinado assunto.

O novo feed chegou nos Estados Unidos em julho e, a desde ontem, 7, começou a ficar disponível para os demais países.

09:39 · 29.08.2017 / atualizado às 10:00 · 29.08.2017 por
Usuários do Samsung Galaxy S8 são alguns, do sistema operacional Android, que podem sofrer com estes problemas

Não importa com qual plataforma social, de música ou armazenamento em nuvem você esteja mais acostumado, todas têm uma coisa em comum que é a capacidade de aniquilar o seu smartphone Android. A Avast, empresa global de produtos de segurança digital, publicou seu Relatório Trimestral Avast de Tendências e Desempenho dos Aplicativos Android do primeiro trimestre de 2017 para ajudá-lo a navegar nos turbulentos mares digitais, para poder descobrir quais aplicativos estão drenando seu celular.

Baseado numa pesquisa detalhada, o relatório identifica os 20 aplicativos considerados os mais ‘sugadores’, pela combinação do seu impacto na duração da bateria, capacidade de armazenamento e uso do plano de dados. Com as informações de mais de 3 milhões de usuários do Android, o relatório mapeia os piores infratores e os novos que entraram nas listas, incluindo um trio de recém-chegados do Google, que são o seu Play Music, o Talkback e o app Docs. Os experientes Facebook, Instagram e Amazon ilustram os gráficos mais uma vez por gastarem armazenamento.

 

Lista 1 – Apps que mais sugam bateria de usuários

Spotify e Snapchat deixaram a lista dos 10 mais sugadores depois de duas medidas. Já o Google Docs entrou e já chegou ficando no 2º lugar.

Lista 2 – Apps que mais drenam bateria na inicialização do smartphone Android

Lista 3 – Apps não proprietários que mais drenam sua bateria na inicialização do smartphone Android

Deixando de lado os aplicativos pré-instalados já citados acima, Facebook, WhatsApp e WeChat são também os maiores drenos nessa categoria. No caso do Facebook e seu aplicativo de mensagens, você ainda pode desinstalar e usar a versão apenas web para ajudar a economizar recursos.

Lista 4 – Apps usados por usuários que mais drenam a bateria dos smartphones Android

O editor de vídeo integrado da Samsung se tornou o segundo aplicativo que mais drena a bateria. Ele exige processamento intenso (CPU) e recursos de vídeo (GPU) do seu telefone para editar e adicionar efeitos aos seus vídeos. Nenhuma surpresa aqui: Spotify, Netflix e Snapchat continuam a ser drenos pesados e eles usam mais recursos que seu navegador ou aplicativo de e-mail.

Lista 5 – Apps de armazenamento que mais drenam a bateria de smartphones Android

O Spotify voltou à lista de maiores consumidores de armazenamento que são executados ativamente pelos usuários. Você pode limpar as músicas ou listas de reprodução que não ouve mais para ajudar a gerenciar isso. Aplicativos encontrados no relatório do ano passado, como o aplicativo Jehovah’s Witnesses, JW Library e o leitor de gibis Comico, não estão mais na lista. A novidade da lista é o Photo Grid, um editor de imagens com efeitos, que pode ser usado para adicionar efeitos a seus selfies ou fotos.

Lista 6 – Apps que mais consomem tráfego de dados e que são executados na inicialização

Alguns aplicativos consomem seu volume de dados móveis mesmo se não estiverem sendo utilizados ativamente. A mais recente lista dos “Top 10” mostra o Facebook e Instagram, seguido pelo Yahoo! JAPAN como os três maiores usuários de dados, e o Weather Channel também aparece novamente. Considere desativar esses aplicativos ou remover sua atividade em segundo plano para ajudar a gerenciar o uso do seu plano de dados quando você não estiver conectado à Wi-Fi.

Lista 7 – Apps maiores consumidores de tráfego de dados executados pelos usuários

Netflix ainda está no topo da lista de aplicativos que nossos usuários executaram ativamente nesse trimestre, seguido pelo Spotify e Snapchat. Amazon App for Android tablets também usa muito tráfego, por isso, usar a Wi-Fi em vez do plano de dados é aconselhado.

Lista 7 – Apps de jogos que mais consomem a bateria

Jogos 2D simples, como Candy Crush Saga ou Soda Saga, continuam nas primeiras classificações nessa lista como os jogos que mais consomem recursos no Android. Essa lista não mudou muito desde que a série de relatórios sobre aplicativos da Avast foi lançada, há quase 3 anos. Duas exceções notáveis são o Piano Tiles 2 e Hill Climb Racing, que esgotaram a bateria de do dispositivo de teste da Avast, um Samsung Galaxy, em menos de 3horas30minutos, apesar dos gráficos muito simples.

Curiosidades

Uma série de novos aplicativos entraram nos gráficos pela primeira vez neste trimestre, incluindo:

Google Talkback: Na liderança entre os recém-chegados em aplicativos que são executados no start-up, o Talkback é ativado por vários aplicativos de terceiros, o que significa que ele pode permanecer ligado até mesmo depois de você reiniciar seu dispositivo

Google Play Music: Os bloqueadores de anúncios parecem ser uma causa da drenagem de desempenho desse aplicativo de música

SHAREit: Projetado para compartilhar arquivos através de Wi-Fi de um dispositivo para outro, este popular aplicativo Lenovo depende do Wi-Fi, tornando-o o quarto que mais consome o desempenho quando executado pelos usuários

Google Docs: Este simples aplicativo de editor de texto é o segundo em drenagem de desempenho executado por usuários em dispositivos Android, drenando-os ainda mais quando conectado diretamente ao Google Drive via 3G e Wi-Fi

Samsung Media Hub: Embora descontinuado em 2014, o ranking deste aplicativo é basicamente devido aos dispositivos Samsung mais antigos o possuírem pré-instalado. Os usuários devem removê-lo e substituí-lo com a mais nova versão disponível para eles

Piano Tiles 2: Testes executados em um Samsung Galaxy S6 revelaram que o aplicativo conseguiu drenar a bateria inteira em menos de 3 horas e meia de uso consistente

Menções notáveis vão para os próprios aplicativos do Google. Um total de oito aplicativos são destaque nas 10 principais listas de aplicativos de inicialização e executados pelo usuário. A Samsung também tem um papel destacado, com sete de seus aplicativos aparecendo nas tabelas. O fato de que as ofertas do Google e da Samsung são muitas vezes pré-instaladas na maioria dos dispositivos Android pode desempenhar um papel nisso. Quando se trata de mensagens instantâneas, o ChatON, o Google Hangouts e o LINE: Free Call & Messaging são o trio problemático que encontra a fama nas listas dos Top 10.

O título de “Mais Aperfeiçoado” deste trimestre é compartilhado entre a ferramenta de mensagens Snapchat, o gigante das redes sociais Facebook e o gigante de transmissão de música Spotify. Tendo anteriormente ocupado três das quatro principais posições dos aplicativos de drenagem de desempenho executados por usuários e de inicialização, essas empresas fizeram um esforço coordenado neste trimestre para melhorar. A Musical.ly também merece uma menção por escapar das listas dos pesos-pesados em armazenamento, já que não aparece em nenhuma delas.

“As estatísticas do setor mostram que as vendas de smartphones cresceram 9,1% no primeiro trimestre deste ano e os dispositivos Android continuam a dominar a participação no mercado. Os smartphones acessíveis, no entanto, podem comprometer recursos como armazenamento do dispositivo, para que a experiência do usuário seja cada vez mais importante, e então fica crítico o modo como os aplicativos afetam o desempenho do telefone”, disse Gagan Singh, SVP e GM Mobile Business da Avast. “Para muitos de nós, os smartphones são o principal dispositivo em nossas vidas diárias. Saber quais dos nossos aplicativos favoritos são os que mais prejudicam a vida útil da bateria, o uso de dados e o armazenamento é importante para que possamos gerenciar qualquer coisa que usemos regularmente em nossos telefones”.

Metodologia
O Relatório Avast de Tendências e Desempenho dos Aplicativos Android foi baseado numa amostra de dados agregados e anonimizados de mais de 3 milhões de usuários do Android em todo o mundo. Os dados de aplicativos incluídos neste relatório cobrem um período de janeiro de 2017 até março de 2017 e só inclui aplicativos do Google Play para os quais a Avast observou um tamanho de amostra mínimo de 50.000 ocorrências de uso.