Busca

Tag: Oi


06:47 · 20.07.2018 / atualizado às 07:02 · 20.07.2018 por
Zenfone 4 Selfie

A Oi anuncia as vendas do smartphone Zenfone 4 Selfie, a partir deste mês nas lojas Oi em todo país. A parceria faz parte do plano de expansão da Asus – empresa fabricante de eletrônicos – para também conquistar o público da operadora em todo o país. A marca, que atua no mercado brasileiro de smartphones desde 2014, comercializava seus produtos principalmente por e-commerce e redes de varejo e agora busca um mercado diferenciado como o das operadoras.

“Estamos muito empolgados com essa parceria entre a Asus e a Oi. Acreditamos que esse é mais um passo importante para conquistarmos novos mercados no segmento de smartphones”, afirma Henrique Costa, gerente de Produtos da Asus Brasil.

“Para a Oi a parceria com a Asus visa ampliar o portfólio de smartphones 4G nas Lojas, trazendo mais uma excelente opção de produto para os nossos clientes”, comenta Roberto Guenzburger, diretor de Produtos, Mobilidade e Conteúdo da Oi.

As empresas prepararam ofertas para os consumidores. No plano pré-pago, o cliente compra o Asus Zenfone 4 Selfie por R$ 1.499 podendo parcelar em até seis vezes sem juros no cartão de crédito. Já nos planos pós-pagos o desconto, aderindo aos planos básicos, os clientes Oi poderão levar o smartphone por R$ 1.299 com opções de parcelamento em até 12 vezes sem juros no cartão de crédito. E ainda a partir dos planos intermediários, o valor do Asus Zenfone 4 Selfie passa para R$ 1.199 com as mesmas condições de parcelamento que o plano básico. Os clientes ainda poderão acumular descontos utilizando o Oi Pontos, programa de fidelidade, e o Troca Fácil que é a venda do aparelho usado na compra de um novo produto nas lojas Oi.

Os interessados podem adquirir os aparelhos no site da Oi (https://lojaonline.oi.com.br/) e nas lojas físicas.

13:19 · 29.03.2018 / atualizado às 13:19 · 29.03.2018 por
Hoje, apenas a Claro abre, parcialmente, mão do roaming através de um plano onde você paga a mais e usa o seu mesmo plano em alguns países da América Foto: Georgejmclittle/Shutterstock

Apesar do Brasil ter sido signatário de um acordo com outros 18 países, durante assembleia da Citel (braço da Organização dos Estados Americanos para telecomunicações) para acabar ou reduzir os custos do roaming internacional, não parece que teremos nada disso no futuro próximo. Pelo menos não parece muito ser a vontade de operadoras de telefonia móvel, com exceção da Claro.

Oi, TIM e Vivo, procuradas pela reportagem para comentar o assunto que foi publicado no site TeleSíntense, pediram que o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), respondesse. O que chegou por e-mail foi um texto que responde de forma evasiva ao que todos querem saber: teles são contra ou a favor de acabar com o roaming. Veja a nota na íntegra abaixo:

“A Citel aprovou nesta semana uma carta de intenções para o fim ou a diminuição da tarifa do roaming internacional. Um possível fim do roaming, em um país tão grande territorialmente como o Brasil, precisaria de um estudo mais aprofundado sobre o impacto desta medida para as operadoras e para os clientes. Para que isso seja implantado, no entanto, é necessário que haja uma recomendação formal da Citel, que deve ser precedida de um processo de análise pela entidade. Caso a Comissão faça a recomendação formal, para ser adotada pelo Brasil é necessária a aprovação do Congresso Nacional Brasileiro, na forma de lei, e regulamentação posterior pela Anatel, respeitando-se o equilíbrio econômico das empresas. Somente depois de todas as etapas é que as prestadoras implementariam a medida”.

Quando perguntamos diretamente se operadoras e o sindicato delas é contra ou a favor, a resposta foi “nosso posicionamento hoje é o enviado abaixo (no caso acima, a nota)”. Eu aposto que são contra o fim do roaming.

No caso da Claro, antecipando-se a uma tendência, a operadora de origem mexicana lançou, no ano passado, o Passaporte Américas – serviço através do qual os clientes Claro Pós podem utilizar seus planos em 18 países da América como se estivessem no Brasil.

Por mais R$ 9,99 por mês (contratação anual), o cliente utiliza normalmente seu plano pós pago podem falar ilimitado com telefone do Brasil ou do país visitado e ainda a franquia de dados do plano.

O Passaporte Américas oferece cobertura nos seguintes países: Estados Unidos, México, Canadá, Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai, Costa Rica, El Salvador, Equador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico e República Dominicana.

Já é uma boa solução, mas o ideal mesmo era o valor já está incluso no plano. Bom, pelo menos, a operadora respondeu por conta própria e se mostrou bem mais aberta quando o assunto é roaming internacional.

09:54 · 28.03.2018 / atualizado às 09:54 · 28.03.2018 por
Banda larga com crescimento no Brasil. Foto: Anatel/Divulgação

Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil tem 29,33 milhões de contratos de banda larga fixa ativos em fevereiro de 2018. Isso significa um aumento de 2,33 milhões (+8,64%) em 12 meses. Na comparação com janeiro deste ano, o crescimento foi de 41,62 mil contratos (+ 0,14%).

Em 12 meses, os provedores regionais foram responsáveis por mais de dois terços do aumento da banda larga fixa no País, segundo a Agência. Os provedores regionais saíram de 3,05 milhões de contratos para 4,67 milhões (+53,19%). Além deles, a Sercomtel (empresa de telecomunicações com sede em Londrina/PR e que opera com telefonia fixa, móvel e banda larga) teve o maior crescimento percentual, mais 78,44 mil contratos (+46,74%), e a TIM, mais 87,13 mil (+25,97%). A Oi apresentou queda de 176,52 mil contratos (-2,75%).

A Sercomtel, com mais 30,51 mil contratos ativos (+14,14%), foi o grupo com o maior crescimento percentual em fevereiro de 2018 comparado a janeiro, seguida da TIM, mais 4,95 mil (+ 1,19%), e da Algar Telecom, mais 3,61 mil (+0,66%). Nesse período, os provedores regionais tiveram redução de 32,56 mil contratos (-0,69%).

Estados e Distrito Federal
Em 12 meses, o Estado de São Paulo registrou mais 500,25 mil novos contratos de banda larga fixa (+5,21), seguido de Minas Gerais, mais 296,55 mil (+11,30%), e Paraná, mais 237,44 mil (+12,7%). Em termos percentuais, os maiores crescimentos ocorreram no Maranhão, mais 54,86 mil (+24,66%), Ceará, mais 135,22 mil (+22,35%), e Rio Grande do Norte, mais 61,04 mil (+21,54%). Todos os estados brasileiros mais o Distrito Federal apresentaram crescimento no período.

O Estado de São Paulo, mais 45,12 mil contratos de banda larga fixa (+0,45%), o Paraná, mais 33,05 mil (+1,59%) e Santa Catarina, mais 12,62 mil (+0,93%) lideraram o aumento da banda larga fixa na comparação de fevereiro de 2018 com janeiro. Em termos percentuais, a liderança ficou com Rondônia, mais 4,58 mil (+2,97%), Amapá, mais 1,80 mil (+2,84%) e Pará, mais 6,96 mil (+1,93%). Nove estados tiveram diminuição, o Rio Grande do Sul, menos 12,13 mil (-0,66%), apresentou a maior redução absoluta e o Rio de Janeiro, menos 60,30 mil (-1,88), a maior redução percentual.

14:04 · 01.11.2017 / atualizado às 14:04 · 01.11.2017 por

O serviço de internet fixa registrou 28.167.860 assinantes em setembro de 2017, aumento de 113.243 usuários (+0,40%) quando comparado a agosto, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicaçoes (Anatel). Nos últimos 12 meses, a banda larga fixa apresentou aumento de 1.575.470 usuários (+5,92%).

Nos últimos doze meses, houve aumento de usuários de banda larga fixa em todos os estados do País. Os maiores percentuais foram registrados nos estados do Rio Grande do Norte, com 54.260 novos clientes (+20,01%); Ceará com 97.977 novos usuários (+16,42%) e Maranhão com 28.920 novos clientes (+13,64%).

Outros destaques
Em termos absolutos, na comparação entre agosto e setembro deste ano, a base de assinantes de São Paulo registrou 51.877 novos clientes (+0,53%), no Paraná o aumento foi de 14.042 (+0,72%), e em Minas Gerais foram registrados 12.147 novos clientes (+0,44%).

Prestadores
A prestadora Claro liderou o crescimento no mês de setembro em comparação a agosto, a empresa registrou 51.909 assinantes (+0,60%). Outras empresas que também obtiveram crescimento em setembro foram a Sercomtel, com 8.811 novos usuários (+4,84%), e a TIM, com 6.839 novos clientes (+1,76%).

Em comparação com o ano passado, a Claro Brasil apresentou aumento de 366.971 clientes (+4,37%) na sua base de assinantes. A operadora Vivo registrou 122.366 novos clientes (+1,63 %) e a TIM mais 78.109 usuários (+24,63%).

07:00 · 28.06.2017 / atualizado às 11:42 · 30.06.2017 por
Aplicativo OpenSignal em ação em Nova York

A OpenSignal, empresa que, através do aplicativo homônimo (para iOS e Android) consegue analisar a internet móvel de quase 600 mil usuários ao redor do mundo – dos quais 40.717 só no Brasil -, traz o relatório de qualidade da internet móvel no Brasil entre 1 a 31 de maio de 2017 e divulgado neste dia 28 de junho.

Segundo a OpenSignal, a disponibilidade de 4G no Brasil está melhorando. No último relatório, em janeiro deste ano, nenhuma empresa conseguiu entregar uma conexão 4G aos usuários do app da OpenSignal mais de 60% do tempo. Mas nos mais recentes testes, duas operadoras superaram esta marca: TIM e Vivo tiveram índices superiores a 62%.

A Claro ainda é a líder na velocidade de 4G nos testes da OpenSignal de março a maio, com média de velocidade de download de 29,2 Mbps, uma melhoria de cerca de 2 Mbps desde o último relatório liberado em janeiro. A Vivo terminou em segundo lugar no ranking de velocidade 4G com um download médio de 20,6 Mbps, mas Oi e TIM marcaram abaixo da média global da velocidade de 4G de 16,2 Mbps, como medido no relatório do estado do LTE.

A Nextel não atendeu às métricas LTE da OpenSignal, pois oferece apenas serviços 4G em São Paulo e Rio de Janeiro, mas avaliou altamente na velocidade 3G, ficando junto a Claro no primeiro lugar na análise do 3G.

Confira os gráficos da OpenSignal para cada categoria avaliada.

Resposta das empresas

Até agora Claro, Oi e TIM responderam. Confira as notas da empresas:

Oi

“A Oi vem investindo continuamente para melhorar seus serviços e atender cada vez melhor o cliente. No ano passado, a companhia investiu R$ 4,7 bilhões, um aumento de 18% em relação ao ano anterior. A maior parte desse investimento se destina a melhorias e ampliação da sua infraestrutura de rede. Atualmente, a Oi oferece cobertura 4G em 284 cidades no Brasil e deverá chegar a 844 cidades até o final do ano, garantindo a cobertura a 72% da população urbana”.

TIM

“Os dados apresentados pela pesquisa citada refletem o esforço da TIM em oferecer seus serviços sempre com qualidade. A companhia segue na liderança em cobertura 4G, comprometida em ampliar a abrangência e a performance de sua rede em todo o Brasil. Cerca de 80% do total de investimento realizado no primeiro trimestre deste ano foi em infraestrutura, especialmente na expansão das redes 3G e 4G. O número de linhas 4G mais que dobrou no período e o tráfego de dados cresceu 62%.

Para ampliar a qualidade e alcance da rede 4G, a TIM adquiriu o direito de operar também na frequência 700 MHz após vencer um leilão promovido pela Anatel em janeiro de 2014. A medida que a operadora possa utilizar a faixa, que, com o desligamento progressivo do sinal analógico, já vem sendo adotada nos municípios liberados pela EAD, conseguirá melhorar ainda mais a experiência de uso de dados dos clientes.

Vale destacar que o resultado da pesquisa também servirá de insumo para a análise e identificação de melhorias”.​

Claro

“O 4G mais rápido do Brasil está ainda mais veloz. No mais recente estudo divulgado pela OpenSignal, a Claro continua com a rede mais rápida do Brasil e obteve velocidade média superior a medida na edição anterior, divulgada em janeiro deste ano.

A performance da rede da operadora é muito superior em termos de experiência de navegação e acesso à internet no smartphone. A velocidade média de conexão é 46% maior que a da empresa que encontra-se em segundo lugar neste indicador.

O resultado reflete os investimentos constantes no aprimoramento da rede, inclusive com o lançamento pioneiro do 4,5G no Brasil, com velocidades médias 10x superiores a do 4G.

A cobertura de rede 4G também tem evoluído. Dados divulgados recentemente pela Anatel e publicados pelo site Teleco referentes ao mês de maio já mostram a Claro entre os mais altos percentuais de população coberta pelo 4G. É um trabalho permanente e que tem acelerado com o início da liberação da nova faixa de frequência de 700 MHz em algumas regiões.

A Claro também lidera, entre as grandes operadoras, no cumprimento das metas de qualidade da Anatel no Serviço Móvel Pessoal divulgadas pela agência, demonstrando que os resultados são consistentes e reforçam o foco da empresa em ter a melhor rede e os melhores serviços.

Com internet de altíssima velocidade na palma da mão, conteúdo gigante dos aplicativos digitais inclusos no plano e ligações ilimitadas para qualquer telefone, fixo ou móvel, a Claro continua sendo a melhor opção em telefonia móvel no Brasil”.

02:54 · 24.10.2016 / atualizado às 18:57 · 20.10.2016 por
Os chips da T-Mobile são opções para quem vai para os EUA, Canadá e Europa
Os chips da T-Mobile são opções para quem vai para os EUA, Canadá e Europa e não quer pagar planos ou diárias de empresas brasileiras

Para complementar a matéria desta segunda-feira do Tecno criamos o material abaixo detalhando os planos das operadoras de telefonia móvel brasileiras para o exterior. No final também há uma conversa com o diretor da EasySim4U e também uma estratégia para comprar o chip no local de origem. Confira:

Claro
Voz*
Pacote mais barato ÁMERICAS: 25 Minutos – R$ 44,90 – Custo de 1,80 por minuto
Pacote mais caro ÁMERICAS: 500 Minutos – R$ 454,90 – Custo de 0,91 por minuto

Dados*
Pacote mais barato AMÉRICAS: 100 MB – R$ 129,90 – Custo de 1,30 por MB
Pacote mais caro AMÉRICAS: 5GB – R$ 1699,90 – Custo de 0,33 por MB

*Valores válidos por 30 dias

Os países que fazem parte do Américas são: Estados Unidos, Argentina, Chile, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai, Colômbia, Equador e México. Todos os demais países pertencem ao grupo Mundo.

No caso de dados também há a opção da diária de dados, sendo o menor valor de 29,90 para os grupos Américas e Europa e o maior valor R$79,90 para o grupo Mundo.

TIM
Para brasileiros em viagem ao exterior existe a opção do pacote Passport.

R$ 104,90. Ele é válido por 30 dias após contração e para ser utilizado nos EUA e Canadá

R$ 129,90 é válido por 30 dias após contração e para ser usado na África do Sul, Alemanha, Argentina, Bélgica, Bolívia, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Malásia, México, Noruega, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Suíça, Turquia e Uruguai.

A contratação dos planos pode ser feita nos pontos de vendas ou ainda no site da TIM, onde há a possibilidade de encontrar o plano que melhor se encaixa no perfil de consumo dos clientes, através do simulador: http://www.tim.com.br/ce/para-voce/comparador-de-planos#.

O Passport inclui voz e dados. A validade é mensal. Existem quatro possibilidades de pacotes (100MB, 300MB, 700MB e 1GB).

Oi
A empresa apresenta os seguintes planos:

Dados
Américas Especial (dados 15 MB/dia) por R$ 29,90/dia.
Américas e Euripoa (dados 15 MB/dia) por R$ 39,90
Ásia, África e Oceania (dados 15 MB/dia) por R$ 59,90
Oriente Médio e restante do mundo (dados 5 MB/dia) por R$ 69,90.

Voz
Américas Especial seja ligação executada local/para o Brasil/Internacional por US$ 1,94. Ligações recebidas por US$ 1,61 e SMS US$ 1,29.

Américas e Europa seja ligação executada local/para o Brasil/Internacional por US$ 1,94. Ligações recebidas por US$ 1,94 e SMS US$ 1,29.

Ásia, África e Oceania seja ligação executada local/para o Brasil/Internacional por US$ 4,86. Ligações recebidas por US$ 4,86 e SMS US$ 1,29.

Oriente Médio e restante do mundo seja ligação executada local/para o Brasil/Internacional por US$ 4,86. Ligações recebidas por US$ 4,86 e SMS US$ 1,61.

Vivo
Planos
Américas (R$ 29,99/dia)
Europa (R$ 39,99/dia)
Demais destinos no Mundo (compreende países da Ásia, África e Oceania) (R$59,99/dia)

Todos oferecem, por dia que usar o serviço, SMS, franquia de 50 minutos para chamadas locais no País visitado e para o Brasil, e acesso à internet móvel. O uso da internet móvel incluído na Diária Vivo Travel pode ser por meio das tecnologias 2G, 3G e 4G, com franquias estabelecidas por País (que chegam a 500MB/dia). Também pode ser por Wi-Fi, nos mais de 400 mil hotspots Vivo Travel Wi-Fi em todo o mundo – neste caso, sem limite de tráfego.

A vivo ressalta que, utilizando a Diária Vivo Travel, o cliente não paga valor adicional por ligações recebidas quando estiver fora do Brasil.

A nova oferta, disponível para assinantes pós-pagos, será automaticamente aplicada para qualquer cliente que utilize seu celular no exterior, basta que os serviços de roaming internacional de voz e dados estejam habilitados na linha.

Compra no Brasil e já chega falando

Como comentou a jornalista Beatriz Sugette na matéria do jornal/site do Diário do Nordeste há outra opção. É você comprar, via internet um chip com voz/dados ou só voz ou dados de companhias que atuam ou nas Américas ou Europa e já chegar com tudo ativado. Como? Vamos te explicar abaixo.

Conversamos com algumas pessoas e visitamos blogs de viagem e todos referendaram uma empresa chamada EasySim 4 U. Conversando com os personagens da matéria dois, Eric e Beatriz, também falaram muito bem do serviço deles que começa em US$ 35.

Funciona assim: você entra no site deles, escolhe o plano e eles mandam um chip com até 7 dias para a residência do comprador. Quando você faz o cadastro no site deles, diz a data da viagem e o chip fica pré-programado para funcionar naquela data. Aí é basicamente inserir o chip e ligar o aparelho na cidade de destino.

Segundo Paulo Leal, diretor da EasySim 4 U, a possibilidade de ter um número local para emergências é sempre interessante. “Vejo o chip internacional como algo indispensável em viagens, assim como o seguro de viagens”, completou Leal. De acordo com Paulo Leal, uma das maiores vantagens de comprar o chip ainda no Brasil é pela questão do suporte em Português. A outra é chegar já com internet e ter como usar ferramentas como Waze, Google Maps e Here e descartar o aluguel do GPS que seria um custo a mais para o turista.

Walmart

Opção mais em conta ainda é chegar no País de destino e comprar o chip em lojas de operadoras locais como a T-Mobile seja nas Américas ou Europa. No caso dos EUA também você pode buscar o chip no Walmart. Depois de comprar você pode ativá-lo no site que vem registrado no pacote do chip da T-Mobile. Essa ação também pode ser feita via telefone ou com os funcionários do setor de telefonia. No caso do iPhone há 4 passos iniciais antes de começar como está aqui.

Finalizando

Então, é possível verificar que as opções compra do chip ainda no Brasil ou no local do destino são as melhores opções. Lembrando que não é raro encontrar hotéis que oferecem internet grátis e parques e alguns restaurantes também têm esta opção. Mas se você quer compartilhar sua viagem sem engasgos, o chip comprado ainda aqui ou no local de destino é a melhor solução.

14:27 · 15.04.2016 / atualizado às 06:47 · 18.04.2016 por

parodiaO vídeo da nova campanha da Vivo (“Viver é a melhor conexão”) foi bombardeado de críticas nos comentários do canal da operadora no YouTube. Também, até o fechamento desta nota, havia recebido mais de 68 mil avaliações negativas (polegares para baixo). Entre no vídeo e se posicione você também, ok?

Os internautas estão revoltados com a decisão da Vivo de limitar a banda larga dos usuários a partir de janeiro de 2017. Duas operadoras locais já avisaram que não irão seguir a Vivo. A Oi também sinalizou que não irá cortar o acesso depois do usuário ultrapassar a franquia.

Paródia

Tentando provocar a Vivo foi publicada uma paródia onde a campanha publicitária da Vivo é suspensa no momento que a imagem mostra a palavra download. O vídeo é substituído por uma mensagem: “Você usou 100% da sua franquia de internet. Sua navegação foi interrompida, mas você poderá voltar a usar comprando um pacote adicional. Caso não deseje contratar o serviço espere o mês que vem”.

Confira a paródia:

YouTube Preview Image

Resposta da Vivo

A empresa está ciente da repercussão e entende que o tema diz respeito a todo o setor. A Vivo está com mais visibilidade neste momento pelo fato de ter lançado ontem uma campanha publicitária relacionada à integração das marcas GVT e Vivo. A empresa está fazendo esclarecimentos a seus clientes em todos os canais de atendimento.

19:07 · 13.04.2016 / atualizado às 04:41 · 14.04.2016 por

oiA assessoria de imprensa da Oi enviou o seguinte comunicado:

“A Oi informa que atualmente não pratica redução de velocidade ou interrupção da navegação após o fim da franquia de dados de seus clientes de banda larga fixa. O serviço de banda larga da Oi possui um limite de consumo de dados mensal, proporcional à velocidade contratada e informado no regulamento da oferta”.

Em ligação telefônica, a assessoria ratificou que não irá cortar a internet do usuário ao final do plano como já anunciou para novos planos a Vivo/GVT no início do ano que vem.

Uma ótima notícia saber que mais uma operadora abriu o olho para a bobagem que seria cortar a internet.

10:53 · 13.04.2016 / atualizado às 08:34 · 14.04.2016 por
Multiplay
Multiplay

Ao contrário de Vivo/GVT e Net, duas operadoras cearenses não irão cortar a internet dos seus usuários quando o limite do pacote for atingido como prometem as gigantes já citadas. As empresas em questão são Multiplay e Mob Telecom.

De acordo com Júnior Oliveira, “não trabalhamos e nem pretendemos trabalhar com limitação de banda. Até estamos divulgando para os clientes da base sobre isso. Estamos usando email marketing e também através do site sobre isso”, afirmou o coordenador de Marketing da Multiplay.

 

Mob Telecom
Mob Telecom

A Mob Telecom foi além. Em comunicado enviado para o jornal, além de afirmar que não irá cobrar a mais ou cortar o serviço cutucou a Vivo que, através de seu presidente, Amos Genish, acusou o serviço WhatsApp de pirataria. “Não vamos aplicar regras de limitação de consumo de tráfego, e para a Mob o Whatsapp não é ‘pirataria pura’. Consideramos um retrocesso esta discussão, além de ser prejudicial para  o desenvolvimento da internet em geral”, afirmou Sayde Bayde, sócio diretor da Mob Telecom.

Ainda de acordo com o diretor Mob, a empresa que ele administra é contrária ao que pensa GVT/Vivo e  Claro/Embratel/NET e, além disso, incentiva e mantém parcerias com diversas empresas nacionais e internacionais, proprietárias de aplicativos de voz e vídeo. “Através do nosso Data Center, estes aplicativos são amplamente explorados favorecendo assim o crescimento do acesso, o qual segue o modelo de parceria da TIM com o WhatsApp, onde todos ganharam (TIM, Whatsapp e Cliente). Não acreditamos que os aplicativos de voz funcionem como uma operadora sem licença, mas sim como uma nova espécie de serviço conhecida como Software as a Service (SaaS)”, finalizou.

Resposta da Oi

A assessoria de imprensa da Oi enviou o seguinte comunicado:

“A Oi informa que atualmente não pratica redução de velocidade ou interrupção da navegação após o fim da franquia de dados de seus clientes de banda larga fixa. O serviço de banda larga da Oi possui um limite de consumo de dados mensal, proporcional à velocidade contratada e informado no regulamento da oferta”.

Perguntamos: e a partir de janeiro de 2017 como será? Segundo a assessoria, por enquanto, não há previsão de mudança na política da Oi. E a Oi informa que não haverá corte do pacote de internet ao atingir o limite e nem redução de velocidade.

12:31 · 29.03.2016 / atualizado às 12:45 · 29.03.2016 por
Com a internet de melhor qualidade é possível acessar mais serviços Foto: Kid Junior
Com a internet de melhor qualidade é possível acessar mais serviços Foto: Kid Junior

A Anatel divulgou nesta terça-feira, 29, os resultados da pesquisa que mede a satisfação e a qualidade percebida pelos consumidores dos serviços de telefonia fixa, banda larga fixa e telefonia móvel pré e pós-paga em todo o Brasil. Os dados resultantes da pesquisa estão disponíveis para consulta e download no site da agência e permitem aos consumidores conhecer quais são as empresas mais bem avaliadas em seus estados.

Em termos locais, a pesquisa mostrou uma percepção que os usuários cearenses aprovam com ressalvas os serviços de telefonia no Estado. Levando-se em conta que as notas dadas iam de 0 a 10, poucas empresas tiveram notas superiores a 7 em algum quesito. Se entendermos como uma escola, onde a média é 7, foi difícil passar de ano.

Mas vamos aos números. Com relação a satisfação geral com celular pré-pago, a Vivo recebeu nota 7,62. A Claro ficou com 7,13, TIM com 6,64 e Oi, com 6,41, foi a pior avaliada.

No quesito celular pós-pago, a Vivo apareceu como a mais bem avaliada novamente com 7,65. A Claro ficou com 7,09, a TIM levou 6,79 e Oi foi a pior com 5,65.

O ranking geral de telefonia fixa teve Net Claro com 7,64, GVT com 7,60 e Oi foi novamente a pior com 6,21.

Por fim, o ranking mediou a avaliação com a banda larga fixa no Ceará. Os números mostraram que nenhuma das operadoras tem total destaque para os cearenses. A melhor nota foi da GVT que ficou com 7,26. A Net aparece na sequência com 7,16. Sky e Oi ficaram reprovadas com notas de 5,90 e 5,70, respectivamente.

Pesquisa Anatel no Ceará
Pesquisa Anatel no Ceará

pesquisaanatelnoce2

No Brasil
Em nível nacional, a telefonia fixa foi o serviço que recebeu a maior nota referente a satisfação dos consumidores: 6,97, em uma escala que vai de zero a dez. Foi seguida pela telefonia celular pós-paga, com nota 6,72; pré-paga, com nota 6,62; e banda larga fixa, com nota 6,58.

Além de aferir a satisfação dos consumidores, a pesquisa mede como o consumidor percebe a qualidade do serviço de acordo com diferentes aspectos tais como: o funcionamento, a cobrança e a oferta e contratação, entre outros.

A pesquisa mostrou que os aspectos que recebem avaliações mais negativas – em todos os serviços – estão ligados ao atendimento telefônico das prestadoras (o que inclui o tempo de espera para falar com atendente) e também à sua capacidade de resolver demandas (como pedidos de mudança de planos e de correções em faturas).

A pesquisa também aferiu que, em alguns casos, metade dos entrevistados declarou ter entrado em contato com a prestadora nos seis meses anteriores à pesquisa para resolver problemas de cobrança ou pedir reparo do serviço.

“Em primeiro lugar, ao publicarmos os resultados, estamos dando ao consumidor informações essenciais para que ele possa escolher qual prestadora irá contratar. Ao mesmo tempo, a pesquisa dá à Anatel informações essenciais para que ela possa direcionar suas ações de fiscalização, de controle e mesmo os seus regulamentos para solucionar os problemas que mais geram insatisfação nos consumidores”, afirmou a superintendente de relações com os consumidores da Anatel, Elisa Leonel.

Sobre a pesquisa
Os dados foram coletados em mais de 150 mil entrevistas telefônicas realizadas com consumidores no segundo semestre de 2015 e abrangem os serviços de telefonia pré e pós-paga, telefonia fixa e banda larga fixa. Em abril, a Anatel divulgará também os dados da pesquisa sobre TV por assinatura, cujos dados foram coletados até meados de fevereiro de 2016, com a realização de cerca de 50 mil entrevistas.

A realização da pesquisa decorre de obrigação prevista na Resolução nº 654/2015 da Anatel, que prevê que as prestadoras de cada serviço devem, conjuntamente, contratar uma empresa pesquisadora para realizar a coleta e a apuração dos dados. Em 2015, a empresa contratada foi a TNS Brasil S.A.

À Anatel coube a definição de metodologia, a elaboração dos questionários, o cálculo das amostras e o sorteio dos usuários a serem entrevistados.