Busca

Tag: Oppo


07:53 · 11.09.2018 / atualizado às 09:13 · 11.09.2018 por
Novos iPhone XS e XS Plus vazados pelo blog 9to5Mac

Várias fontes comentaram nesta segunda-feira, 10, que, ao menos um modelo de iPhone da nova geração, terá o recurso dual-SIM (dois chips dentro do celular). O fato gerou ódio de grande parte de usuários tradicionais do smartphone da Apple (diria eu até que da maioria), mas alegrou uma boa parcela.

>>>Conheça os preços dos novos iPhones, segundo site alemão

Quem não gosta dessa possibilidade é por um motivo lamentável: acham que ser dual-SIM não combina com os produtos da Apple por ser coisa de celular de baixa categoria. De aparelhos Android de entrada ou mesmo até os intermediários e intermediário premium.

O fato é que ser dual-SIM já havia passado da hora para a Apple. Desde o início dos anos 2000 que a tecnologia já existe.

A Apple fugia do assunto, talvez pela imagem de ter aparelho das elites – o que também pode ser visto nos topo de linha da Samsung como o S9.

Como surgiu o rumor?

A suspeita toda seria baseada em postagens no Facebook de duas empresas chinesas de telefonia (China Telecom e China Mobile). A dúvida é se a novidade ficará restrita ao mercado chinês, onde a Apple disputa com Huawei e Oppo a liderança. As duas empresas chinesas usam aparelhos dual sim. Apple anda perdendo espaço por lá e poderia lançar o aparelho na China com dual sim.

Segundo rumores do The Verge, inclusive, o aparelho que estão apostando para ser dual SIM no iPhone X Plus, o mais importante a ser lançado. O aparelho de display OLED de 6,5 polegadas.

Para reforçar esta possibilidade, o The Verge cita que o código beta do iOS 12 faz referência ao suporte a dual-SIM e até mesmo a uma segunda bandeja de SIM físico.

E aí?

Eu ainda não estou certo que isso será uma realidade já para 2018, mas é questão de tempo para a Apple aceitar e mudar ao menos um iPhone para o dual-SIM.

Será que veremos o aparelho “mais barato” da Apple, o modelo LCD (será batizado de iPhone 9?) começará esta nova era do dual-SIM? Veremos nesta quarta-feira, 12/9.

13:16 · 16.08.2018 / atualizado às 13:18 · 16.08.2018 por

Ao contrário de que todos foram informados, a Oppo, fabricante chinesa de smartphones, não vai instalar uma loja na América Latina. As especulações diziam que o destino por aqui seria o Paraguai.

A empresa enviou uma declaração para os veículos de comunicação para desmentir isso. Confira abaixo a nota:

Declaração
“Alguns canais de mídia reportaram recentemente que a OPPO, a fabricante de smartphones nº 1 da Ásia e nº 4 do mundo, está investindo na abertura de uma filial e uma loja na América Latina. Gostaríamos de esclarecer que isso não é verdade e que as partes envolvidas nessa ação não representam a Guangdong OPPO Mobile Telecommunications Corp., Ltd. (OPPO China). Até o momento, a OPPO China não autorizou nenhuma organização ou pessoa a comercializar seus telefones na América Latina nem nomeou qualquer pessoa como sua representante na região.

Alertamos também os consumidores de que os celulares OPPO China vendidos por canais não oficiais não receberão suporte da empresa, não serão atualizados e não terão direito ao serviço de atendimento ao consumidor. Os distribuidores locais devem ficar atentos ao tipo de suporte oferecido por esses revendedores não oficiais, já que eles serão os únicos responsáveis por eventuais perdas ou danos materiais causados aos consumidores. Para a OPPO China, este tipo de atividade é bastante prejudicial aos consumidores da América Latina.

A OPPO China investe em pesquisa, desenvolvimento, fabricação e venda de dispositivos de comunicação móvel. Segundo o IDC, em 2017, a OPPO classificou-se como a nº 4 do mundo, tendo vendido mais de 111 milhões de unidades. Hoje, mais de 200 milhões de usuários têm smartphones da OPPO China.

Fundada em 2004, a OPPO China iniciou sua expansão internacional em 2009. Com sede em Guangdong, China, a empresa está presente em 35 países e regiões, oferecendo produtos de ponta e serviços para usuários locais. A principal meta da OPPO China é fornecer serviços e produtos excelentes para consumidores do mundo todo de forma contínua.”

12:24 · 05.07.2017 / atualizado às 12:24 · 05.07.2017 por
Xiaomi Mi-3

Xiaomi, que já disputou mercado com a Samsung na Ásia e agora está atrás de Vivo e Oppo, se uniu a outra ex-gigante do mercado de smarthones, a Nokia.

A Nokia já dominou o mercado nos primórdios, mas depois de sua ida para o domínio da Microsoft caiu no ostracismo.

Patentes da Nokia agora podem ser usadas pela Xiaomi, enquanto a empresa chinesa irá liberar sua experiência no mercado de smartphones para que a Nokia possa voltar a ter sucesso na fabricação de celulares.

Será que esta união poderá dar em sucesso para ambas as empresas? Ou as duas seguirão em queda no setor de smartphones? Só o tempo dirá.