Busca

Tag: smartphones


12:01 · 01.12.2017 / atualizado às 12:01 · 01.12.2017 por
Twitter Lite no Google Play

O Twitter anuncia nesta sexta-feira (1º) que o Twitter Lite, experiência web para smartphones e tablets que minimiza o uso de dados, carrega rapidamente em conexões lentas e utiliza menos espaço de armazenamento, agora está disponível para download como aplicativo na Google Play Store em 24 países, incluindo o Brasil, em mercados da África, Ásia, Europa, Oriente Médio e América Latina.

Desde seu lançamento em abril como uma experiência web para dispositivos móveis, os Tweets enviados por meio do Twitter Lite aumentaram mais de 50%. Ao longo desses meses, O Twitter Lite também tem sido aprimorado para melhorar seu desempenho e incorporar recursos como a busca por GIFs, entre outros.

A partir de hoje o Twitter Lite está disponível na Google Play Store de 24 países: Brasil, Argélia, Bangladesh, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Egito, Israel, Cazaquistão, México, Malásia, Nigéria, Nepal, Panamá, Peru, Sérvia, El Salvador, África do Sul, Tailândia, Tunísia, Tanzânia e Venezuela.

O Twitter Lite carrega rapidamente em redes 2G e 3G e oferece suporte off-line caso o usuário perca sua conexão temporariamente. Além disso, minimiza o consumo de dados e permite a ativação de modo de economia – em que o usuário baixa apenas as imagens ou vídeos que deseja ver – e possui um tamanho de instalação inferior a 3 MB, ocupando assim um espaço pequeno na memória dos smartphones.

13:52 · 14.11.2017 / atualizado às 14:22 · 14.11.2017 por
Executivos do Google e Visa anunciam a novidade em São Paulo

A partir desta terça, 14, os brasileiros poderão usar os seus smartphones para fazer pagamentos de produtos e serviços de maneira simples, segura e rápida com o Android Pay. O Google anunciou a chegada do serviço ao país durante evento realizado em São Paulo na manhã desta terça-feira.

>>>Pagamentos por aproximação se popularizam cada vez mais no Brasil

O Brasil é o 17º país a receber o Android Pay, que já está disponível em países como Estados Unidos, Espanha, Rússia e Japão. O serviço foi lançado inicialmente nos Estados Unidos, em setembro de 2015.

“Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, o Android é o sistema operacional mais popular do mundo e busca sempre oferecer recursos inovadores para seus clientes. Com o Android Pay, os brasileiros agora poderão usar seus smartphones para fazer pagamentos de forma prática, rápida e segura”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google Brasil.

Google promete máxima segurança no Android Pay

Para instalar o Android Pay, primeiro é preciso verificar se o smartphone possui sistema operacional Android KitKat (4.4) ou versões posteriores. Depois, é só baixar o aplicativo do Android Pay gratuitamente na loja do Google Play. Uma vez instalado o app, basta adicionar os dados dos cartões de crédito ou débito dos bancos e operadoras de cartões de crédito parceiros no Android Pay. Neste primeiro momento, o serviço está disponível para os donos de cartões Banco do Brasil (crédito e débito), Caixa (débito), Neon (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) com a bandeira Visa. O Google espera adicionar novos parceiros em breve.

Na hora de pagar por uma compra com Android Pay, basta encostar o smartphone com tecnologia NFC em um ponto de venda que suporte essa tecnologia. Dentre as empresas que aceitam o serviço no Brasil, estão Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Drogasil, Rei do Mate, Café do Ponto, Hering e Ipiranga. O caixa irá selecionar o tipo de pagamento (débito ou crédito) e inserir o valor da compra no terminal. Ao terminar, o cliente deve desbloquear e segurar seu smartphone próximo à máquina. Então, aguardar a mensagem de compra autorizada.

Segundo a assessoria de imprensa do Google no Brasil, a segurança está no centro do Android Pay. “Com a tokenização padrão da indústria, o Android Pay não envia aos comerciantes o número real do seu cartão no ato da compra. O Android Pay também permite que o usuário acompanhe os pagamentos e bloqueie o seu dispositivo caso ele seja perdido ou roubado”, finaliza comunicado para a imprensa.

13:17 · 20.09.2017 / atualizado às 13:17 · 20.09.2017 por
Desenho de Wilgengebroed

A pesquisa Unisys Security Index 2017 aponta que os brasileiros estão entre aqueles que mais apoiam a Internet das Coisas (Internet of Things, em inglês) para tornar seu dia mais fácil e mais produtivo. Dos mais de 1.000 brasileiros que participaram do estudo, 92% é favorável à implementação de um botão de emergência em celulares e relógios inteligentes (smartwatches, em inglês) para alertar a polícia sobre sua localização em caso de uma emergência. Apenas dois dos 13 países pesquisados registraram um apoio maior a essa aplicação – Colômbia e Filipinas empataram com um percentual de 94%.

Sobre o uso de dispositivos conectados, como sensores utilizados para localizar bagagens nos aeroportos, 88% dos consumidores brasileiros registraram apoio – acima da média global de aceitação, que é de 74%. A Colômbia apresentou uma grande aprovação da iniciativa (91%), a maior entre os países da América Latina, seguida por Brasil (88%), México (86%) e Argentina (81%).

O estudo Unisys Security Index 2017 mostra que existe um interesse na utilização de dispositivos conectados por IoT e aplicativos sem nenhum impacto financeiro. Os apps que têm relação com dinheiro, ou que estão sendo monitorados por terceiros, são vistos com desconfiança. Os entrevistados apresentaram baixa confiança em dispositivos de IoT que utilizam seus dados financeiros e indicaram forte preocupação com o compartilhamento de suas informações privadas, apontando a necessidade de controlar quando e quem pode utilizá-las.

Em âmbito global, 46% desaprovaram a adoção de aplicativos que realizam pagamentos em relógios inteligentes, os chamados smartwatches, e apenas 36% indicaram apoio. No entanto, os brasileiros parecem menos preocupadas com a confidencialidade dos seus dados, apenas 28% deles não apoiam essa utilização.

Em comparação com outros países pesquisados, os brasileiros (51%) são os que mais apoiam o uso de aplicativos de bancos ou empresas de cartão de crédito para efetuar compras utilizando relógios inteligentes. Um número muito menor de consumidores na Nova Zelândia (27%), Países Baixos (22%) e Bélgica (21%) apoiaram essa aplicação da IoT.

O uso de dispositivos portáteis (wearables) pelas seguradoras de saúde para identificar o comportamento do segurado foi o aplicativo IoT mais impopular identificado na pesquisa, apenas 33% dos consumidores apoiam globalmente a iniciativa e 53% reprovam. Entre os países da América Latina, apenas os brasileiros apresentaram um resultado diferente, com 50% de apoio ao uso de dispositivos fitness para envio de dados às seguradoras de plano de saúde.

“As previsões indicam que, em 2020, o mundo terá 50 bilhões de equipamentos conectados, que necessitarão de infraestrutura, políticas públicas e regulamentação, mas, acima de tudo, segurança que garanta a privacidade dos dados. Os brasileiros, porque são favoráveis à implementação de novas tecnologias, têm uma ótima oportunidade para se destacar na evolução da IoT. Mas, para isso, é preciso enfrentar o desafio de abordar riscos de segurança cibernética e preocupações de privacidade”, afirma Leonardo Carissimi, diretor de soluções de segurança da Unisys para América Latina.

Sobre a pesquisa Unisys Security Index 2017
A Unisys conduz o Unisys Security Index desde 2007, a fim de fornecer uma medida estável e estatisticamente robusta sobre segurança. O índice é calculado em uma escala de até 300 pontos, abrangendo a mudança de atitude dos consumidores ao longo do tempo, em oito áreas de segurança e em quatro categorias: segurança nacional e desastre / epidemia, na categoria Segurança Nacional; Fraude bancária e obrigações financeiras, na categoria Segurança Financeira; Vírus / ataques hackers e transações on-line, na categoria Segurança na Internet; e roubo de identidade e segurança pessoal, na categoria Segurança Pessoal.

O estudo Unisys Security Index 2017 é baseado em entrevistas online realizadas entre 6 e 18 de abril de 2017, com uma amostra de cada nacionalidade de mais de 1.000 participantes adultos dos seguintes países: Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Colômbia, Alemanha, Malásia, México, Holanda, Filipinas, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos. Em cada índice nacional, a margem de erro é de 3,1%, para mais ou para menos, em um nível de confiança de 95% no índice geral, esse valor é de 0,9%.

08:07 · 26.08.2017 / atualizado às 08:07 · 26.08.2017 por

A Amazon anunciou que o aplicativo do Prime Video estará disponível na PlayStation Store brasileira e clientes Prime Video poderão aproveitar, via streaming, os melhores filmes e programas de TV pelo sistema de entretenimento PlayStation 3 da Sony e também no PlayStation 4.

Novos clientes podem obter uma assinatura do Amazon Prime Video pelo site PrimeVideo.com para assistir em online streaming no PlayStation e em vários outros dispositivos, como smartphones e tablets Android e iOS, Smart TVs LG e Samsung, e Android TV da Sony. Os assinantes também podem fazer o download de todos os filmes e programas de TV para assistir offline em dispositivos móveis – possibilitando que o cliente assista em um avião, trem ou qualquer outro lugar sem custo adicional. Os clientes no Brasil podem assinar o serviço a um preço inicial de US$ 2,99 mensais até o fim de 2017 e fazer um teste gratuito de 7 dias pelo site do Prime Video.

O serviço
Em dezembro, o Amazon Prime Video foi lançado para clientes em mais de 200 países e territórios globalmente. Os assinantes do Prime Video no Brasil podem curtir novas produções originais e populares, como a recém-lançada comédia de super-heróis The Tick; a série mais assistida no Prime Video em todo o mundo, The Grand Tour – com Jeremy Clarkson, Richard Hammond e James May – e outras premiadas séries originais Amazon, como The Man in the High Castle, Transparent, Mozart in the Jungle, American Gods e Goliath, além de programas populares na TV e filmes de Hollywood.

08:49 · 15.08.2017 / atualizado às 08:51 · 15.08.2017 por
Sarahah

Com a febre do aplicativo Sarahah no Brasil, que permite que usuários enviem mensagens anônimas para usuários inscritos, a Kaspersky Lab relembra como é importante ler o contrato de licença antes de instalar um novo app em seu dispositivo. De acordo com a pesquisa “Você é um especialista em cibernética?”, da empresa, uma parte significativa dos usuários de smartphones brasileiros instalam aplicativos em seus dispositivos sem entender quais são as possíveis consequências desse ato.

A pesquisa revela também que quase 40% dos consumidores brasileiros não ligam para o contrato de licença do aplicativo ao instalá-lo no celular, sendo que quase 15% não leem as mensagens de instalação desses programas. Ou seja, os usuários clicam em “avançar” e “aceito” sem saber o compromisso que está assumindo – é como assinar um contrato sem ler suas cláusulas. Quando os usuários não leem os contratos de licença, nem as mensagens durante o processo de instalação, eles não têm conhecimento do contrato que estão aceitando.

Alguns apps podem ainda afetar a privacidade do usuário, iniciar a instalação de outros programas ou até alterar a configuração do sistema operacional de um smartphone de maneira legal, pois o usuário autorizou (sem saber) estes acessos durante o processo de instalação.

“É muito comum que os usuários baixem aplicativos sem observar se estão permitindo que os desenvolvedores tenham acesso a mais informações do que deveriam. Quando for instalar algum aplicativo em seu dispositivo, é importante entender quais informações foram solicitadas, se é realmente necessária para o aplicativo e o que pode ser feito com tal informação”, explica Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky Lab.

Pensando nisso, a Kaspersky Lab separou algumas dicas para você baixar e utilizar aplicativos com segurança em seu celular:

1. Faça download de fontes confiáveis: Os dispositivos móveis também são usados para distração, na qual baixamos jogos inofensivos para passar o tempo. É importante somente baixar apps de fontes confiáveis ou de lojas oficiais, como Google Play e Apple App Store.

2. Sempre cheque a privacidade do aplicativo: é importante ler atentamente as condições e informações ao utilizar apps de jogos e testes. Como você pode compartilhar informações de seus amigos quando você concorda em sincronizar sua lista de amigos, os apps também podem dividir suas informações. Certifique-se de alterar as configurações para controlar as categorias de informações que as pessoas podem ter acesso.

3. Verifique a lista de permissões que o app solicita: Não clique em “avançar” durante a instalação sem verificar o que está aceitando. Alguns aplicativos podem ser usados como um gancho para obter permissão para acessar informações confidenciais de usuários e outras pessoas – como contatos, mensagens privadas, localização, etc., para fins comerciais.

4. Tenha uma senha forte e única: nunca crie uma senha fácil de ser adivinhada, como datas de aniversário, lugar de nascimento, nome do pais, etc. Dados como esse são fáceis de serem encontros na internet, como Facebook. Para ter uma senha forte, combine letras, números e símbolos.

5. Proteja seu dispositivo: Use uma solução de segurança para proteger seu smartphone ou tablet contra ameaças virtuais, como o Kaspersky Security for Android. Ele promete proteção contra apps e sites fraudulentos, mantendo a privacidade do usuário graças aos recursos como filtro de texto e chamada antirroubo. Segundo a assessoria da empresa russa, o software garantirá a segurança dos dados do usuário se dispositivo for perdido ou roubado.

00:30 · 14.08.2017 / atualizado às 13:36 · 08.08.2017 por
O uso de tablets não te deixa 100% livre de ameaças, apesar de que elas estão mais presentes em sistema operacional Android que iOS

Apesar de todos os benefícios, como navegar na internet, checar o resultado do jogo de futebol, ver as notícias do dia e realizar transações financeiras, é importante estar consciente de todas as ameaças enfrentadas no dia a dia e estar protegido com uma boa solução de segurança quando usar seus dispositivos móveis.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Kaspersky Lab para apoiar a Campanha Anti-Malware para Dispositivos Móveis da Europol em 2016, apesar de 56% das pessoas acharem que seus equipamentos eletrônicos e notebooks precisarem de um software de segurança, apenas 42% pensam o mesmo sobre seus smartphones e tablets. Além disso, um em cada cinco (21%) usuários não estão cientes do que é malware para dispositivos móveis.

Em alguns casos, a proteção de dados armazenados em dispositivos móveis se limita ao uso de senhas: 81% das pessoas tem senhas de acesso em computadores e 81% protegem seus smartphones da mesma maneira. Estes resultados evidenciam uma situação preocupante e, apesar das senhas evitarem que o dispositivo físico seja utilizado por outras pessoas, elas não oferecem proteção contra malware, fraude ou ataques de phishing que possam comprometer o aparelho sem que os usuários percebam.

“Não há como negar que tanto celulares como tablets e laptops são uma parte relevante de nossas vidas. Não só permitem guardar informações, mas também podem acessar internet banking, e-mails, fotos, redes sociais, entre outros, sendo importantes meios de comunicação com os nossos entes queridos”, diz Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab. “Está evidente que a metade dos dispositivos móveis do mundo não estão protegidos contra as ciberameaças. Por isso, não proteger estes aparelhos não é uma opção, já que queremos preservar o que mais nos importa”, completa o analista.

Para manter os smartphones e tablets dos papais seguros, a Kaspersky Lab separou cinco dicas:

1. Bloqueio com senha: para evitar que pessoas não autorizadas tenham acesso à sua lista de contatos, fotos, apps, e-mails, é importante bloquear o aparelho com uma senha. Com essa simples ação, você poderá controlar o que os outros veem se perder seu telefone.

2. Evitar Wi-Fi público: Apesar dos smartphones nos manter conectados enquanto estamos em um restaurante ou estádio de futebol, os cibercriminosos podem interceptar e controlar facilmente toda a informação que está sendo enviada por meio das redes públicas de Wi-Fi – o que pode incluir o número da sua conta do banco ou cartão de crédito. Além de ter uma proteção em seu celular para que não ser vítima, como o Kaspersky Secure Connection, evite utilizar redes públicas de Wi-Fi e desabilite a conexão Wi-Fi do smartphone quando estiverem longe da sua rede doméstica. A maioria dos smartphones tentará se conectar automaticamente quando detectam um sinal de Wi-Fi, então desabilitar esse recurso manterá os dados do seu celular ou tablet seguro.

3. Proteja seus dispositivos: Qualquer dispositivo móvel com Android que é utilizado para se conectar à internet deverá ter um software de segurança, como o Kaspersky Internet Security for Android, instalado e atualizado. Ele protegerá contra apps e sites fraudulentos, mantendo a privacidade do usuário graças aos recursos como filtro de texto e chamada antirroubo, que garantirá a segurança dos dados do usuário se dispositivo for perdido ou roubado.

4. Cuidado ao baixar apps: Crianças muitas vezes utilizam os dispositivos para se distraírem. Baixam jogos que, aparentemente, são inofensivos para passar o tempo. Porém, você realmente checou se o app foi baixado de uma loja oficial? Para se proteger, apenas faça download de fontes confiáveis, como a App Store (loja oficial da Apple) e Google Play. Além disso, você também pode instalar o Kaspersky Safe Kids, que te ajudará a gerenciar as atividades dos seus filhos na internet.

5. Seja cauteloso: As fraudes online podem aparecer de vários jeitos – por meio de e-mails ou redes sociais – e as vezes pedem dados pessoais. Por isso, nunca baixe arquivos estranhos ou clique em links suspeitos, além de nunca acreditar em mensagens com erros de português. Com o Kaspersky Internet Security para Android, você pode navegar com mais segurança em seu dispositivo móvel. Outra dica importante é checar o endereço que te enviou o e-mail também uma dica importante. Se você acha que a mensagem que recebeu é real, cheque a informação. Expressões como “seu e-mail foi selecionado” ou “seu e-mail ganhou” são sinais de que a mensagem é uma fraude.

09:00 · 23.06.2016 / atualizado às 09:00 · 23.06.2016 por
07:21 · 03.05.2016 / atualizado às 11:48 · 03.05.2016 por
Traseira elegante do Zenfone 2, da Asus
Zenfone 2, da Asus

As linhas de processadores Broxton e Sofia foi encerrada pela Intel. Elas fazem parte da família Atom. Estes produtos atendem smartphones e tablets. Aqui no Brasil, a empresa Asus é a única que utiliza os processadores da marca por aqui.

Os smartphones Zenfone 2, Zenfone 2 Deluxe e Zenfone Zoom, o mais novo produto da marca, também usam o processador Atom da Intel.

Entramos em contato com a Asus para saber qual o posicionamento da marca que já possui alguns aparelhos com processadores da Qualcomm. Segundo nota enviada para a redação, a empresa não irá se pronunciar sobre o assunto. A Asus atualizou a nota informando que dará suporte aos smartphones da marca que usam processadores Intel.

13:40 · 07.04.2016 / atualizado às 13:40 · 07.04.2016 por

pescmComo parte da campanha Legends realizada pela Konami, o ex-goleiro alemão Oliver Kahn (também apelidado de “The Titan”) junta-se ao elenco do premiado game mobile PES Club Manager. A partir desta quinta-feira (7), o histórico goleiro – cuja vitoriosa carreira inclui quatro prêmios consecutivos da UEFA de melhor goleiro europeu, três prêmios da IFFHS de melhor goleiro do mundo e dois troféus de jogador do ano no futebol alemão – está disponível para que os gamers o recrutem aos seus elencos.

Kahn se junta ao brasileiro Roberto Carlos, ao italiano Roberto Baggio, e ao português Luis Figo entre as lendas do futebol recentemente adicionadas aos elencos do game, no qual o jogador pode formar e gerenciar sua própria equipe de futebol.

PES Club Manager permite que os fãs de futebol criem os seus próprios times dos sonhos. O game de gestão de futebol inclui mais de 5 mil atletas licenciados e partidas simuladas em 3D, o que dá ao título um nível impressionante de realismo. Os gamers podem escolher e treinar jogadores, construir o próprio clube e dar instruções táticas às equipes para que se tornem o melhor gerente de clubes de futebol do planeta.

neymar

O jogo está disponível para download gratuito no iTunes e no Google Play para smartphones e tablets equipados com os sistemas operacionais iOS e Android.

10:01 · 16.07.2015 / atualizado às 09:27 · 16.07.2015 por

positivoafricaA Positivo BGH, joint venture da Positivo com o grupo argentino BGH, inaugura fábrica em Kigali, em Ruanda, marcando a entrada da companhia no continente africano. Os primeiros equipamentos educacionais que saem das linhas de produção fazem parte do acordo firmado com o Ministério da Educação de Ruanda para contratação de um volume mínimo de 750 mil dispositivos, com cronograma de entregas distribuído ao longo de cinco anos para atender aos alunos de ensinos fundamental e médio. A operação é iniciada oito meses após a assinatura do acordo, em uma área de 7,5 mil m² e com capacidade produtiva nominal de 60 mil PCs e tablets por mês.

“Enxergamos a África como um mercado muito interessante para ofertarmos tecnologia de qualidade a preços acessíveis, com já fazemos no Brasil, Argentina e Uruguai, principalmente porque os produtos vão competir de forma justa no mercado local por serem feitos em Ruanda. Somamos 26 anos de atuação com experiências fantásticas nos segmento de tecnologia educacional e estamos confiantes no sucesso dessa iniciativa do governo ruandês”, diz Hélio Bruck Rotenberg, presidente da Positivo no Brasil.

O incentivo ao desenvolvimento social e à educação são prioridades para o governo local, com engajamento do setor privado. O treinamento dos colaboradores começou em junho, com cerca de 90% da mão de obra de ruandeses. “Nossa ideia é a transferência de conhecimento para a população, integrando-a nesta e em outras unidades que poderão ser construídas em um futuro próximo na África. Nossa prioridade é atender ao cronograma de governo, mas estamos nos preparando para alcançar consumidores finais por meio de vendas diretas e do varejo.Também buscaremos ofertar mais dispositivos em Ruanda, como smartphones, e avaliamos ingressar em outros países africanos que estão atraindo consistente investimento estrangeiro”, complementa Hélio.