Blog Polícia

Categoria: Golpe


22:02 · 11.02.2014 / atualizado às 22:02 · 11.02.2014 por
Maria Aline Rodrigues Vitoriano foi presa e tentou inocentar a amiga FOTO: Divulgação
Maria Aline Rodrigues Vitoriano foi presa e tentou inocentar a amiga FOTO: Divulgação

A Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), prendeu em flagrante, na tarde desta terça-feira (11), duas jovens estudantes universitárias suspeitas de aplicar ‘golpe do cartão’ em lojas de magazine (roupas, calçados e variedades). Maria Aline Rodrigues Vitoriano,23; e Kelly Cristina da Silva Martins, 21, foram flagradas com documentos falsificado e cartões de diversas lojas.

De acordo com o titular da Especializada, delegado Jaime Linhares, a Polícia tomou conhecimento do caso e logo de imediato começou as investigações. Em 20 dias, os inspetores chegaram até as suspeitas. Elas entravam nas lojas se passando por clientes comuns e solicitavam os cartões de crédito utilizando documentos falsificados e fotografias de terceiros.

Segundo a Polícia, Maria Aline e Kelly Cristiane aplicavam o golpe há aproximadamente quatro meses, retirando em média 20 cartões por semana. Para elas era concedido saldo de compras com valores entre R$ 400,00 e R$ 700,00. As duas foram presas em flagrante na Praça José de Alencar, no Centro. Em poder delas havia provas do crime; diversos cartões de lojas, documentos falsificados e 13 retratos 3×4.

Ainda conforme o delegado Jaime Linhares, a ‘cabeça’ que organizava e planejava as ações era Maria Aline. Ela assumiu o crime, contou como aplicava os golpes e tentou inocentar Kelly Cristiane. Ambas residem na mesma casa, no bairro Montese e confirmaram que são estudantes universitárias.

 

22:01 · 24.01.2014 / atualizado às 22:01 · 24.01.2014 por
Francisca  Rodrigues Nogueira foi presa após uma investigação sigilosa. Na delegacia, fez até pose FOTO: Divulgação
Francisca Rodrigues Nogueira foi presa após uma investigação sigilosa. Na delegacia, fez até pose FOTO: Divulgação

Uma mulher acusada de praticar golpes diários contra dezenas de pessoas, através de mensagens falsas de operadoras de telefonia celular, foi capturada, no começo da tarde desta sexta-feira (24), numa operação de investigação feita por agentes da Coordenadoria de Inteligência Policial (CIP), do Comando-Geral da Polícia Militar.

Francisca Rodrigues Nogueira, 27, foi detida em casa, no Jardim Violeta, no Barroso (zona Sul da Capital).
Em poder da acusada, a Polícia encontrou vários comprovantes de depósitos bancários, além de cartões de bancos. Segundo as investigações, a mulher usava conta de ‘laranjas’ para receber o dinheiro que arrecadava nos golpes através de celulares. Em média, ela ‘lucrava’ cerca de R$1 mil por dia com a falcatrua.

Utilizando o nome das quatro operadoras de telefonia celular, Francisca enviava ‘torpedos’ para as pessoas de forma aleatória. Nas mensagens, a informação de que o usuário da rede havia sido ‘sorteado’ com casas, automóveis, viagens e outros falsos prêmios. Mas, para recebê-los, teria que, em contrapartida, fazer depósitos para a cobertura de despesas bancárias. Esse era o argumento para o golpe.

As mensagens eram complementadas com o diálogo que ela mantinha com as vítimas, garantindo que a premiação era verdadeira. Nesta ocasião ela se passava por atendente das operadoras, o que dava mais confiança as pessoas de que a ‘premiação’ era verdadeira.  O passo seguinte era ela fornecer o número da conta bancária em que a pessoa deveria fazer o depósito para ter direito ao prêmio. Saques e transferências, em seguida, eram realizadas pela golpista e pelas ‘laranjas’ que recebiam uma pequena cota de cada golpe bem-sucedido.

Ao ser detida com provas do crime, a mulher também portava drogas. O caso foi parar na Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). O titular daquela Especializada, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, decidiu autuar a golpista pelo crime de tráfico de drogas. Já a acusação de crime de estelionato, será investigada com maior extensão através de inquérito a ser instaurado por portaria. Através dos comprovantes de depósito, a Polícia vai identificar as vítimas dos golpes, bem como os titulares das contas que eram utilizadas para a movimentação do dinheiro obtido de forma fraudulenta. Estes, deverão também ser indiciados em inquérito.

19:25 · 14.01.2014 / atualizado às 19:25 · 14.01.2014 por

O golpe aplicado no sistema bancário cearense pelo estelionatário pernambucano José Dias Monteiro Neto, 27 – preso na semana passada em Fortaleza – supera a cifra de R$ 2 milhões. A informação foi confirmada pelo delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF).

Segundo Linhares, um dos financiamentos fraudulentos obtidos pelo suspeito junto à agência Centro (Praça do Ferreira) da Caixa Econômica Federal foi de aproximadamente R$ 1,8 milhão. Em um segundo empréstimo, na agência da CEF da Avenida Desembargador Moreira (Meireles), foram mais R$ 400 mil. A gerência das duas agências confirmaram os valores à Polícia na última segunda-feira.

O suspeito usou uma CNH falsificada para registrar empresas, abrir contas bancárias e obter financiamentos milionários FOTO: Reprodução
O suspeito usou uma CNH falsificada para registrar empresas, abrir contas bancárias e obter financiamentos milionários FOTO: Reprodução

 

O suspeito ‘montou’ três empresas a partir da falsificação de uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em que usou o nome de Degenilson Gonçalves Ferreira, um simples porteiro.

Com a CNH falsa e os registros das três empresas, José Dias Monteiro abriu contas em três bancos, Caixa, Bradesco e Santander, e passou a emitir cheques e a usar cartões especiais. Mas seu maior golpe foi obter junto à Caixa os financiamentos para a ‘Só Farinha’.

O estelionato só foi descoberto quando o verdadeiro Degenilson recebeu em sua casa alguns cartões bancários. Como não é sequer correntista ou poupador da Caixa, foi até o banco em busca de informações, sendo surpreendido com a informação de que era ‘dono’ de três empresas e que os empréstimos milionários.  Segundo o delegado Jaime Linhares, o golpista, que continua preso, foi indiciado pelos crimes de estelionato, falsificação de documentos público e particular, falsidade ideológica e uso de documento falso.

20:54 · 09.01.2014 / atualizado às 20:54 · 09.01.2014 por
O estelionatário José Dias Monteiro Neto, 37 anos, pernambucano, abriu empresas e contas com o documento falso FOTO: Reprodução
O estelionatário José Dias Monteiro Neto, 37 anos, pernambucano, abriu empresas e contas com o documento falso FOTO: Reprodução

A Polícia Civil prendeu, hoje, em Fortaleza, um estelionatário pernambucano acusado de ter aplicado um golpe milionário, obtendo empréstimo na Caixa Econômica Federal (CEF) para financiamento de uma empresa de ‘fachada’ no ramo de produção de farinha.  Com documentos falsos, ele abriu contas em três bancos e obteve um empréstimo de R$ 1,3 milhão; além de gastar mais R$ 50 mil em cheques especiais e cartões do Banco do Brasil (BB) e do Santander.

O golpista foi identificado como José Dias Monteiro Neto, 37, natural de Goiânia (PE), mas que usava documentos falsos do cearense Degenilson Gonçalves Ferreira, um porteiro, que teve seu nome ilegalmente envolvido nas falcatruas do falsário pernambucano.

A partir da falsificação de uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em nome de Degenilson Ferreira, o acusado abriu conta nas três agências, em Fortaleza, e registrou três empresas como suas na Junta Comercial do Ceará, sendo a principal delas, denominada de ‘Só Farinha Comércio Limitada’, com endereço na Rua Marcílio Dias, 600, no bairro Itambé, em Caucaia.  O acusado registrou ainda as falsas empresas ‘E.C. Construções Limitada’, e ‘D.I.N. Locação de Máquinas Limitada’, com o objetivo de obter linhas de crédito junto aos bancos no Ceará.

O golpe só foi descoberto quando o verdadeiro Degenilson Ferreira recebeu em sua casa vários cartões bancários.
Desconfiado do que estava acontecendo, já que é um cidadão de baixa renda (recebe salário como porteiro) e não

Delegado Jaime Linhares, da Defraudações, apreendeu os documentos usados pelo falsário nos golpes em Fortaleza FOTO: Fernando Ribeiro
Delegado Jaime Linhares, da Defraudações, apreendeu os documentos usados pelo falsário nos golpes em Fortaleza FOTO: Fernando Ribeiro

aberto nenhuma conta bancária, ele procurou a Caixa Econômica, quando, então, constatou que, em seu nome, o falsário havia obtido o empréstimo vultuoso  e já havia ingressado com outro pedido de financiamento de mais R$ 1 milhão para a compra de máquinas industriais para a empresa ‘Só Farinha’.

Na tarde desta quinta-feira, o golpista voltou à agência da Caixa, na Praça do Ferreira, Centro, para agilizar o segundo empréstimo milionário, quando foi surpreendido e recebeu voz de prisão de uma equipe da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), sob o comando do inspetor Paulo Florentino.

O delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da Especializada, apreendeu em poder do acusado e em sua residência dezenas de folhas de cheques da Caixa, BB e Santander, além de vários cartões, bem como documentos forjados que representariam, junto ao banco e à própria Receita Federal, a movimentação financeira das empresas.

Segundo Linhares, com o dinheiro obtido fraudulentamente, o pernambucano estava construindo várias casas. José Dias chegou a fazer a declaração de Imposto de Renda das empresas fictícias e vinha quitando junto à Caixa o empréstimo milionário.

21:22 · 06.01.2014 / atualizado às 21:24 · 06.01.2014 por
Delegado Jaime Paula Pessoa Linhares descobriu que o golpista apresentou uma RGF falsa ao ser chamado para depor
Delegado Jaime Paula Pessoa Linhares descobriu que o golpista apresentou uma RG falsa ao ser chamado para depor

Um homem que tentou enganar a equipe da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), acabou sendo preso dentro da própria sede da Polícia, na tarde de hoje, ao se apresentar usando uma cédula de identidade falsa aos policiais. De acordo com informações do titular da DDF, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, os escrivães que ouviram o depoimento do acusado suspeitaram do documento, e ele constatou que se tratava de uma farsa.

Emerson Alencar Moreno, 37, foi intimado para prestar esclarecimentos sobre o financiamento fraudulento de um carro. Segundo a Polícia, ele teria comprado um automóvel Ford, modelo Fusion, com um documento ‘frio’.  Por conta deste procedimento, Moreno estava sendo investigado por estelionato e falsificação de documento público. “Ele já respondia por furto e crime contra a administração pública. Acreditou que apresentando o documento falso, iria sair pela porta da frente desta delegacia e responderia ao processo com o nome de Emerson Lacerda Moreno”, disse o titular da DDF.
O acusado disse que comprou o RG falso, na Feira da Parangaba, pelo valor de mil reais. Por conta do crime cometido dentro da delegacia, ele ficou preso e irá responder por falsidade ideológica, falsificação de documento público e uso de documento falso.

Jaime Paula Pessoa disse que os crimes são afiançáveis em Juízo, mas que acha difícil que Moreno consiga uma fiança, se forem considerados seus antecedentes e a forma como ele foi preso desta vez.
“É a certeza da impunidade, a banalização dos maus feitos. A que ponto chegamos no crime? Ele subestimou a inteligência de toda a Polícia trazendo um documento falso para uma delegacia. É de um descaramento inacreditável”, disse o delegado.

Pesquisar

Blog Polícia

Blog de Polícia d Diário do Nordeste
Posts Recentes

10h09mPolícia descobre buraco cavado por presos na Delegacia de Capturas

11h09mCotam prende suspeito de atear fogo em taxista

09h09mDivisão de Homicídios prende homem que matou por ter carro amassado; mais 4 casos são solucionados

06h09mPopulares agridem suspeito de assalto no Bonsucesso; assista ao vídeo

10h09mPoliciais militares promovem campanha para vestir fardamento nas salas de aula

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs