Blog Polícia

Categoria: Segurança Pública


22:15 · 07.05.2014 / atualizado às 22:39 · 07.05.2014 por
Foto: divulgação/SSPDS
Foto: divulgação/SSPDS

A Secretaria da Segurança e Defesa Social (SSPDS) recebeu, nesta quarta-feira (7), os membros do Conselho de Segurança do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. O objetivo da reunião foi tratar sobre as ações de segurança que serão realizadas durante o encontro dos chefes de Estados dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

A equipe do Conselho discutiu, juntamente com as forças estaduais e federais, as táticas que serão utilizadas pelos órgãos de segurança nos locais em que estarão as autoridades. Para o desenvolvimento dessas ações, serão integradas as forças da SSPDS (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros), Polícia Federal, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), além de membros da Presidência da República, Ministério das Relações Exteriores e Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) do Ministério da Justiça. Entre os assuntos discutidos, foram abordadas as diretrizes de segurança no Aeroporto Internacional Pinto Martins, no Centro de Eventos de Fortaleza e nos hotéis, alinhando com as estratégias de trânsito nas vias de acesso, com o trabalho dos batedouros, além do apoio e assistência às embaixadas e comitivas das nações.

“Contar com as forças estaduais e federais é de vital importância para que o planejamento de todo evento saia da forma mais exemplar”, destaca o conselheiro Francisco Fontenelle, coordenador de logística do grupo de Trabalho do BRICS do Ministério das Relações Exteriores.

Para Fernando Menezes, coordenador da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional da SSPDS, com os treinamentos e as ações já feitas pelas corporações, as forças estão preparadas para o evento dos BRICS no Estado do Ceará.

20:30 · 09.02.2014 / atualizado às 20:30 · 09.02.2014 por

 

Major Océlio Alves (centro) e sua equipa planejam as operações semanalmente, com o apoio da AMC e do BPTur FOTO: Natinho  Rodrigues
Major Océlio Alves (centro) e sua equipe planejam as operações semanalmente, com o apoio da AMC e do BPTur FOTO: Natinho Rodrigues

Uma parceria entre a 3ª Companhia do 5ºBPM (Cristo Redentor) e a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), desde setembro do ano passado, resultou na apreensão de 525 veículos, quase todos motocicletas, que circulavam de maneira irregular, além de seus condutores que trafegavam sem habilitação, sem contar que muitos deles respondem a processos na Justiça. Foram lavradas 296 multas e apreendidas 75 carteiras de habilitação.

O comandante da 3ª Companhia do 5ºBPM, major Océlio Alves, destacou que as apreensões dessas motocicletas contribuíram para a redução dos homicídios na Área Integrada de Segurança I (AIS I). “Quase todos os homicídios são cometidos por bandidos em motos. Sem elas, os bandidos não têm como agir”. O oficial acrescenta que os matadores preferem motos devido à facilidade de trafegar por vias onde carros não passam. “Eles usam mais para o momento da fuga”, destaca Alves.

As operações conjuntas feitas por policiais militares e AMC são realizadas nas áreas consideradas mais críticas, tais como Cacimba dos Pombos e Praça do Abel, no Pirambu; Conjunto Jaciara e Favela do Gueto, na Barra do Ceará; Vila do Mar, que vai do Pirambu à Barra do Ceará; e Carlito Pamplona.

Quase todas as apreensões são realizadas em ruas onde dificilmente agentes de trânsito passam, principalmente por conta da falta de segurança. “Eles andam nesses locais pilotando motos, sem ter habilitação e circulando sem capacete. “Essas ações fizeram reduzir os números de homicídios na AIS I”, comemora Océlio Alves. Na Vila do Mar, os trabalhos são realizados, geralmente, nos dias e horários de grande movimentação com o reforço do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), através de viaturas e postos fixos de patrulhamento.

Além das apreensões, policiais da Força Tática de Apoio (FTA), prenderam José Douglas Jacaúna Rodrigues, o “Cinquentinha”, acusado de matar Wellington de Sales Rocha, no dia 4, na Rua Três, do Conjunto Sítio Aratanha, na Barra do Ceará. A vítima foi assassinada porque estava querendo vingar a morte do irmão, ocorrida duas semanas antes. Outro preso foi Claudiano Cleiton Julião Caetano, 27, suspeito de matar Francisco Wanderson Abreu do Nascimento, 22, dia 5, na Travessa dos Pombos, no Pirambu.

20:21 · 09.02.2014 / atualizado às 20:21 · 09.02.2014 por
A Plataforma de Observação Elevada (POE) é uma ferramenta de segurança pública sofisticada e vai ser usada na Copa do Mundo em Fortaleza FOTO: Fernando Ribeiro
A Plataforma de Observação Elevada (POE) é uma ferramenta de segurança pública sofisticada e vai ser usada na Copa do Mundo em Fortaleza FOTO: Fernando Ribeiro

Um aparato formado por cerca de 200 policiais de, pelo menos, quatro batalhões, garantiu a plena segurança no segundo sábado de Pré-Carnaval na Praia de Iracema. Praticamente nenhum registro de incidentes (furtos, assaltos e agressões) foram registrados nos dois corredores de desfile dos blocos (ruas Tabajaras e João Cordeiro) e no Aterrinho da Beira-Mar.
Além do forte contingente formado pelos batalhões de Policiamento Turístico (BPTur), de Policiamento de Eventos (BPE), de Choque (BPChoque), de Policiamento Comunitário (BPCom/Ronda do Quarteirão) e da Cavalaria, a Secretaria da Segurança Pública colocou em funcionamento uma das principais ferramentas que será mobilizada na vigilância policial da Copa do Mundo em Fortaleza.

Trata-se da Plataforma de Observação Elevada (POE), um caminhão composto de uma torre com câmeras de alta precisão capazes de captar imagens de alta resolução até três mil metros de distância. Dentro do veículo, painéis são observados por policiais treinados pela SSPDS.

O POE foi doado ao Governo do Estado do Ceará, no ano passado, pelo Ministério da Justiça, através da sua Secretaria Especial de Grandes Eventos (Sege) e utilizado experimentalmente na Copa das Confederações. Na Copa do Mundo, o equipamento será utilizado na vigilância eletrônica de vários pontos da Capital, fazendo parte do Centro Integrado de Comando e Controle Local (CICCL). Ali mesmo na Praia de Iracema ele será instalado para a segurança policial das FanFest. No Revéillon, no Aterro, ele também foi testado.

Através do monitoramento de todo o perímetro does eventos, os oficiais que estão no comando da operação observam onde estão ocorrendo desde fatos simples, como pequenos furtos, a casos mais graves, como ‘arrastões’, assaltos, brigas, tráfico de drogas e roubo de veículos.

Na operação de sábado, na Praia de Iracema, o Comando do Policiamento da Capital (CPC) dividiu a tropa em duas frações, com uma entrando de serviço às 13 horas indo até às 20, e outra das 17 até a dispersão dos foliões. Viaturas do BPTur foram colocadas nas proximidades do Aterrinho e patrulhas à pé do Comando Tático Motorizado (Cotam), do Batalhão de Eventos e do BPTur garantiram uma festa sem incidentes.

21:47 · 07.02.2014 / atualizado às 21:48 · 07.02.2014 por
O patrulhamento será feito por policiais de vários batalhões nas ruas por onde os blocos vão desfilar FOTO: Marília Camelo
O patrulhamento será feito por policiais de vários batalhões nas ruas por onde os blocos vão desfilar FOTO: Marília Camelo

Cerca de 200 policiais militares farão, neste sábado (8), a segurança ostensiva no Pré-Carnaval da Praia de Iracema. A operação tem início por volta das 13 horas e só termina após a dispersão de todos os foliões, no começo da madrugada de domingo. A ação foi planejada pelo Comando do Policiamento da Capital (CPC) para dar reforço ao efetivo empregado no sábado anterior, quando ocorreram incidentes como furtos, assaltos, agressões e um homem foi baleado na Rua Tabajaras.

Conforme o major Jano Emanuel, coordenador de planejamento do CPC, a tropa será divida em duas frações. A primeira, composta por 81 policiais, entrará de serviço em toda a extensão dos corredores de desfile dos blocos (ruas Tabajaras e João Cordeiro) e no Aterrinho a partir das 13 horas, permanecendo de serviço até as 20 horas. A segunda fração da tropa, com 116 homens da PM, entra de serviço às 17 horas e estará em operação até o término do evento.

“Isso significa dizer que, entre as 17 e 20 horas, quando acontece o pique dos desfiles, a região toda estará policiada por 197 homens dos dois turnos”, explicou Jano à Reportagem. Para a comando operação, o CPC destacou vários oficiais.
A tropa que manterá o policiamento na Praia de Iracema, segundo o major, será composta por efetivos do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), Batalhão de Eventos (BPE), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), através do Comando Tático Motorizado (Cotam), além de equipes do Esquadrão de Polícia Montada (Cavalaria) e patrulhas do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e do Ronda.

QUEREMOS DEUS

O CPC também já definiu o esquema do policiamento para O ‘Queremos Deus’, que acontece domingo (9) no Estádio Presidente Vargas (PV). A operação tem início às 13 horas e mobilizará cerca de 30 homens do Batalhão de Policiamento Comunitário (BPCom), além de uma patrulha do BPRaio e a Cavalaria.

20:09 · 26.01.2014 / atualizado às 20:09 · 26.01.2014 por
Delegada Adriana Arruda, titular da Deprotur e coordenadora da Área Integrada de Segurança Seis (AIS 6) FOTO: Divulgação
Delegada Adriana Arruda, titular da Deprotur e coordenadora da Área Integrada de Segurança Seis (AIS 6) FOTO: Divulgação

   A Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), localizada na Avenida Almirante Barroso, Praia de Iracema, passou a funcionar 24 horas, se integrando, assim, ao novo modelo de gerenciamento e controle da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) com a implantação das  Áreas Integradas de Segurança (AIS). A Especializada terá a responsabilidade sobre a AIS-6, o ‘Cinturão Vermelho’ que atuará no combate ao crime em toda a faixa litorânea de Fortaleza, da Barra do Ceará à Sabiaguaba.

Segundo a titular da Deprotur, delegada Adriana Arruda, o novo esquema de funcionamento teve início no último dia 14.
Para funcionar de forma ininterrupta, a equipe daquela Especializada ganhou reforço, com quatro delegados e oito escrivães, conforme Adriana. O trabalho será compartilhado com o Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur).  A delegada explica que caberá à Deprotur as investigações dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI) e Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP), conforme a nova nomenclatura instituída pela SSPDS, na área de até três quarteirões da faixa de praia.

Em Fortaleza, foram implantadas 6 Áreas Integradas de Segurança (de 1 a 6), outras três na Região Metropolitana (7 a 9), e no Interior mais nove (10 a 18).

Conforme Adriana Arruda, com a implantação do novo sistema de funcionamento ininterrupto, o trabalho da Deprotur vai, consequentemente, desafogar outras delegacias que atuam como polos plantonistas e que tinham abrangência sobre a orla marítima, o 7º DP/Pirambu (que concentrava os registros da Barra do Ceará e Vila do Mar) e o 2º DP/Meireles (que fazia os registros de ocorrências e flagrantes de crimes na Beira-Mar, Mucuripe, Praia do Futuro e Caça e Pesca).<MC0>

No primeiro fim de semana já com a Deprotur funcionando em regime de plantão, foram registradas as primeiras ocorrências. Pelo menos, sete flagrantes e quatro T.C.Os. (Termos Circunstanciados de Ocorrência) foram feitos na Especializada.

19:37 · 14.01.2014 / atualizado às 19:37 · 14.01.2014 por
A velha sede da Delegacia de capturas, na Rua Conselheiro tristão, Centro, está superlotada, com mais de 100 detentos FOTO: José Leomar
A velha sede da Delegacia de capturas e Capturas, na Rua Conselheiro Tristão, Centro, está superlotada, com mais de 100 detentos FOTO: José Leomar

O clima ficou tenso, na manhã desta terça-feira, na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), Centro, em decorrência da morte do preso Francisco Simão de Oliveira, 32. Ele chegou àquela Especializada na noite de segunda-feira, transferido do 14º Distrito Policial (Conjunto Industrial), em Maracanaú, onde foi autuado em flagrante delito pelo crime de furto qualificado.

O titular da Decap, delegado Elzo Moreira, informou que Simão chegou ali por volta de 18h30, após ter sido submetido a exame de corpo de delito realizado na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel). Simão, ainda no 14ºDP, começou a se agitar. Segundo a Polícia, por várias vezes, ele bateu a cabeça na parede do xadrez, revoltado com a prisão, precisando ser medicado e, por isto, foi transferido de imediato.

Como havia o perigo de fuga em massa, o delegado Aurélio de Araújo, titular do 14º DP, pediu ajuda aos colegas para transferir alguns presos. Quatro foram transferidos para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú. Simão foi o único a ser encaminhado à Decap, ficando sozinho na cela destinada aos presos devedores de pensão alimentícia.

Durante a madrugada de hoje, Simão ficou ainda mais agitado e começou a passar mal. Os policiais civis que estavam na permanência (vigilância) da Decap telefonaram para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pedindo a presença de uma ambulância. Entretanto não obtiveram resposta positiva. O não atendimento ao preso enfermo, segundo ele, pode ter sido a causa da morte do preso.

A denúncia do não atendimento por parte do Samu foi confirmada pelo delegado Elzo Moreira. Ele  informou que a Decap, que abriga atualmente mais de 100 presos, está superlotada. O delegado disse tem encaminhado seguidos ofícios à Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), solicitando vagas para a transferência de detentos, entretanto, o número de vagas disponibilizadas à Polícia pelo Sistema Penal é muito abaixo da necessidade. Acrescentou que falta estrutura naquela Especializada para abrigar um número tão elevado de presos, o que contribui para a permanente tensão.

21:27 · 17.12.2013 / atualizado às 17:55 · 18.12.2013 por
Secretário citou projeções de queda de homicídios no Estado FOTO: Kléber Gonçalves
Secretário citou projeções de queda de homicídios no Estado FOTO: Kléber Gonçalves

Na coletiva de Imprensa realizada na tarde desta terça-feira (17), o secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, delegado federal  Servilho de Paiva anunciou uma reformulação na metodologia de construção dos índices criminais no Estado. A partir de agora, a SSPDS vai seguir o padrão recomendado pelo Ministério da Justiça, através de sua Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), e passa a adotar como contagem dos índices dos mortes violentas o parâmetro Crimes Contra a Vida, Letais e Intencionais (CVLI).

Desse modo, não apenas os homicídios farão parte da estatística das mortes violentas (crimes contra a vida). Nela estarão também presentes os latrocínios (antes era considerados crimes contra o patrimônio) e as lesões corporais seguidas de morte (pessoas que morrem posteriormente às agressões sofridas).  O secretário revelou, ainda, que os indicativos apontam para uma queda nos números de CVLI, com projeção de 19,86 por cento de redução no último trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior. De janeiro a novembro, o Ceará registrou o total de 4.083 homicídios/mês e, segundo as projeções, fechará 2013 com cerca de 4,4 mil casos.

O mês com maior registro de assassinatos no Estado foi setembro, com 450. Em outubro, esse patamar caiu para 437 e em novembro foram 390. A redução entre setembro e outubro foi de 2,89 por cento. Entre outubro e novembro a queda chegou a 10,76 por cento. Para dezembro, a projeção é de uma diminuição da ordem de 6,21 por cento em relação a novembro, o que resultaria na queda de 19,86 no último trimestre de 2013.
O secretário aproveitou para revelar que, em 2014, ano da Copa do Mundo, a PM receberá mais 1.100 novos homens.

21:15 · 17.12.2013 / atualizado às 17:56 · 18.12.2013 por

 

Servilho de Paiva anunciou o novo plano em coletiva na SSPDS na tarde de hoje FOTO: Kléber Gonçalves
Servilho de Paiva anunciou o novo plano em coletiva na SSPDS na tarde de hoje FOTO: Kléber Gonçalves

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) anunciou, hoje à tarde, em entrevista coletiva à Imprensa, as novas estratégias de combate à criminalidade no Estado do Ceará, com o objetivo de reduzir os altos índices de crimes contra a vida (homicídios e latrocínios) e contra o patrimônio (roubos e furtos). O Estado foi dividido em 18 Áreas Integradas de Segurança (AIS) e, em cada uma delas, um delegado de Polícia Civil e um comandante de Batalhão da PM serão os ‘xerifes’. A eles caberá a tarefa de coordenar as ações contra a violência. Serão estabelecidas metas e eles serão cobrados.

Na coletiva, o chefe da SSPDS, delegado federal Servilho de Paiva voltou a dizer que não tem “vara de condão”´ para solucionar o problema da Segurança Pública “de uma hora para outra”, mas apresentou dados estatísticos que, segundo ele, projetam para os próximos meses uma queda nas taxas de crimes em todo o Estado.

A cidade de Fortaleza receberá o maior número de Áreas Integradas de Segurança. A Capital terá seis núcleos, onde, em cada uma delas uma delegacia seccional vai coordenar as ações da Polícia Civil. São elas, 2º DP (Meireles), 5º DP (Parangaba), 6º DP (Messejana), 12º DP (Conjunto Ceará), 34º DP (Centro) e a Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), que, a partir de janeiro, funcionará em plantão de 24 horas. A Especializada será a responsável pelo registro e investigações de crimes em toda a orla marítima da Capital, desde a Sabiaguaba até a Barra do Ceará.

O trabalho será conjunto entre PM e a Polícia Civil. A Primeira Área Integrada de Segurança, por exemplo, vai unir em operações os efetivos do 5º BPM, do Ronda do Quarteirão e de quatro delegacias, 1º DP (Monte Castelo), 3º DP (Otávio Bonfim), 7º DP (Pirambu), 33º DP (Goiabeiras) e o 34º DP (Centro).

As ações serão coordenadas pelo titular da seccional do Centro, delegado Romério Almeida, e pelo tenente-coronel Francisco Souto, comandante do 5º BPM. A mesma situação se repete nas outras cinco áreas da Capital e nas demais áreas, sendo duas abrangendo a região metropolitana e oito no Interior do Estado.

Segundo Servilho de Paiva, em seis das 18 áreas, há uma concentração de até 65 por cento das ocorrências de crimes contra a vida e ao patrimônio. Nesses núcleos haverá um trabalho de maior intensidade, com ações policiais de forma ostensiva e de Polícia Judiciária, com pedidos de mandados de buscas e apreensão e de prisões, por exemplo. “Quem (o policial) que está trabalhando numa área, sabe quem está matando e quem está roubando ali”, disse o titular da SSPDS aos jornalistas.

O secretário ressaltou que a fixação de metas vai também permitir uma recompensa financeira sobre quem trabalhar em cada uma das áreas. Sobre o montante disponibilizado para isso ele falou de “alguns milhões”.

Haverá reuniões sistemáticas entre o secretário e os titulares das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros como os ‘xerifes’ das áreas. Serão encontros semanais e as avaliações sobre o desempenho de cada setor serão bimestrais e o pagamento das gratificações à cada trimestre. Conforme Paiva, nas avaliações podem ocorrer “reajustes”.

22:43 · 13.12.2013 / atualizado às 22:43 · 13.12.2013 por

O Governo do Estado, através da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), empregou recursos da ordem de R$ 500 mil para a compra de munições não-letais a serem empregadas no treinamento de policiais civis e militares e bombeiros. A tropa vai ser preparada para enfrentar eventuais manifestações de rua durante a Copa do Mundo de 2014.
Entre o material que será empregado no treinamento estão artefatos utilizados para a dispersão de tumultos de rua, como gás lacrimogêneo, spray de pimenta, balas de borracha e granas luz-e-som.

Em nota, porém, a SSPDS descartou o emprego do material adquirido em possíveis tumultos de rua como os que foram registrados na Capital cearense durante a Copa das Confederações, em junho último.

Conforme a nota da SSPDS, a aquisição dos equipamentos e munições “tem como objeto estruturar a Academia Estadual da Segurança Pública (Aesp) em ações destinadas à capacitação dos profissionais de Segurança Pública para a Copa do Mundo”, informou o órgão em nota.

tumulto Durante os tumultos ocorridos no dia 19 de junho, quando a Seleção brasileira jogou na Arena Castelão contra a equipe do México, houve uma sequência de confrontos entre a PM e dezenas de manifestantes nas avenidas Deputado Paulino Rocha e Alberto Craveiro, além da BR-116. Na ocasião, faltou munição não-letal para a tropa do Batalhão de Polícia de Choque e para outras unidades da PM empregadas na operação.

Foi necessário o Governo do Estado recorrer ao Exército em Fortaleza e, em seguida, um avião fretado seguir às pressas à Brasília para apanhar mais material anti-tumulto, como granas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para conter o avanço violento dos manifestantes que pretendiam chegar à Arena Castelão e impedir a entrada de torcedores no estádio.
O tumulto durou cerca de cerca de seis horas ininterruptas e a PM teve que contar com o apoio de tropas da Força Nacional de Segurança (FNS) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em barreiras montadas nas duas avenidas e na rodovia<MC0>.

Entre o material comprado pela SSPDS estão, 90 espargidores de pimenta Max-Grande (R$ 45.842,40), 100 espargidores e agente lacrimogêneo Max-Grande (R$ 50.9360), 137 cartuchos plásticos calibre 12 com projétil de borracha (R$ 3.288,00), 130 cartuchos de calibre 38.1 com 12 balas de borrachas cada (R$ 19.462,30), 130 granadas de treinamento reutilizadas (R$ 20.703,80), 60 granadas explosivas de adentramento reutilizáveis, kit com cinco refis (R$ 17.697,00), 100 cartuchos com jato direto de pimenta (R$ 6.787,00), 40 projéteis de calibre 38.1 com carga múltipla de emissão lacrimogênea (R$ 9.852,00), e 50 granadas lacrimogêneas tríplice (R$ 11.069,00) e 50 granadas de efeito moral (R$ 9.850,00).

21:33 · 11.11.2013 / atualizado às 21:33 · 11.11.2013 por

Dezenove pessoas foram assassinadas na Grande Fortaleza (Capital e Região Metropolitana) durante o último fim de semana. O domingo (10) foi o dia mais violento do período, com o registro de 11 crimes de morte, segundo dados colhidos pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops).

No sábado, seis pessoas foram mortas na RMF, e na sexta-feira, apenas um caso aconteceu. Em Fortaleza, os crimes de homicídios aconteceram nos seguintes bairros, Granja Portugal, Granja Lisboa, Siqueira (todos no ‘Território da Paz’), no Grande Bom Jardim), Centro, Álvaro Weyne, Conjunto São Miguel (em Messejana), Genibaú, Vila Manuel Sátiro, Dias Macedo, Antonio Bezerra, Barroso e Messejana.

Já na faixa metropolitana, foram cinco assassinatos no Município de Caucaia (localidades de Barra do Cauípe, Vila Cigana, Guajeru, Parque dos Coqueiros e Conjunto Nova Metrópole), um em Maracanaú (distrito de Pajuçara) e um na cidade de Horizonte.

Pesquisar

Blog Polícia

Blog de Polícia d Diário do Nordeste
Posts Recentes

10h09mPolícia descobre buraco cavado por presos na Delegacia de Capturas

11h09mCotam prende suspeito de atear fogo em taxista

09h09mDivisão de Homicídios prende homem que matou por ter carro amassado; mais 4 casos são solucionados

06h09mPopulares agridem suspeito de assalto no Bonsucesso; assista ao vídeo

10h09mPoliciais militares promovem campanha para vestir fardamento nas salas de aula

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs