política

Busca


Heitor Férrer declara apoio a Aécio Neves. Reservadamente ele sugere Camilo Santana

Publicado em 20/10/2014 - 11:30 por | Comentar

Categorias: Blog Política
  • Enviar para o Kindle
Deputado Heitor Férrer (PDT). FOTO: Divulgação.

Deputado Heitor Férrer (PDT). FOTO: Divulgação.

A poucos dias da votãção neste segundo turno da disputa pela Presidência da República e o Governo do Ceará, o deputado Heitor Férrer (PDT)  declarou apoio ao candidato do PSDB Aécio Neves. Foi apenas recentemente, em junho, que Heitor declarou em público pela primeira vez em quem havia votado nas últimas eleições presidenciais. Provocado pelo deputado Ivo Gomes no plenário, ele afirmou que votou em Lula duas vezes e em Dilma, em 2010.

Para explicar a mudança de orientação, Heitor apontou o longo período que o Partido dos Trabalhadores ocupa o poder e a “degeneração” da legenda. “Quanto ao cenário nacional, depois de uma meditação que fizemos nesse final de semana e diante de um Governo do PT que já tem 12 anos com a possibilidade de mais 4 anos , cheirando quase a uma ditadura dentro da democracia, nós resolvemos por conta do apelo dos nossos eleitores, da classe médica e por conta de uma degeneração desse Governo e da perspectiva de novos ares de desenvolvimento para o Brasil, resolvemos apoiar o candidato Aécio Neves”, afirma.

Sobre a disputa local do Governo do Estado, Heitor declarou que não apoia nenhum candidato. Um vídeo circulou na internet recentemente com fala recortada do deputado que dava a entender que ele declarava apoio a Camilo e Dilma. De acordo com o parlamentar, o discurso foi feito em Lavras da Mangabeira, e ele não dizia serem aqueles os seus candidatos. Heitor explica que incentivou a votação nesses candidatos apenas naquele Município, como oposição ao grupo político de Eunício Oliveira.

“Todos sabem que sou de Lavras como o Eunício e disputamos espaço político. Nós temos um grupo que a cada eleição tenta impor derrota ao senador Eunício Oliveira. Para derrotar ele é preciso ter um candidato específico para a cidade, e foi aí que eu verbalizei o nome do Camilo e da Dilma”, diz.

Reservadamente, em Fortaleza, aos eleitores que o procuram pedindo opinião sobre candidato a governador, Heitor tem pedido voto para Camilo Santana. Alguns eleitores chegam até a se impressionar, em razão de sua postura de oposição ao Governo do Estado, mas Heitor explica que, pelo seu conhecimento, Camilo é o melhor, sem acrescentar, contudo, a disputada política de Lavras da Mangabeira.

Questionado ainda sobre em quem teria votado no primeiro turno para o governo local e para senador, Heitor Férrer optou por manter o sigilo do voto.

Veja a declaração durante coletiva:

 

 

Tags: , ,

Distribuição de urnas começa nesta quarta-feira (22)

Publicado em 20/10/2014 - 11:12 por | Comentar

Categorias: Eleição 2014
  • Enviar para o Kindle

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) iniciará, nesta quarta-feira (22), a distribuição das 4.335 urnas eletrônicas que serão utilizadas na Capital no domingo (26) aos locais de votação. Do total de urnas a serem distribuídas, 4.310 são de seções de votação, 13 de voto em trânsito e 12 exclusivas para justificativa. O TRE-CE disponibilizará ainda para as 13 zonas eleitorais de Fortaleza 390 urnas reservas.

Segundo o tribunal, 93 veículos – vans e micro-caminhões contratados para o transporte das urnas eletrônicas – sairão do depósito de urnas do TRE (Rua Salgado Filho, 300 – Antônio Bezerra) e percorrerão a cidade, dividida em rotas por zona eleitoral. Ao chegar nos locais de votação, os equipamentos serão entregues aos delegados de prédio, encarregados do recebimento e guarda das urnas eletrônicas.

No sábado (25), equipes dos cartórios eleitorais irão percorrer todos os locais de votação para testar urna a urna e verificar o correto funcionamento, bem como hora, data, local e seção correspondente. Nesse momento, também serão checadas as condições elétricas dos locais onde funcionarão as seções eleitorais.

(Com informações do TRE-CE)

Tags: ,

Confira a programação dos candidatos para esta segunda-feira (20)

Publicado em 20/10/2014 - 11:11 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

Camilo Santana (PT)

12h40 – Participa de debate no Sistema Jangadeiro

17h30 – Participa de entrevista na TV Cidade Local: Avenida Desembargador Moreira, 2565 Horário: 17:30

19h – Participa de carreata pelo bairro Serviluz
Concentração: Rua Vicente de Castro

Eunício Oliveira (PMDB)

12h40 – Participa de debate no Sistema Jangadeiro

15h – Gravação para horário eleitoral

Tags: , ,

Dependência da União põe em dúvida execução de propostas

Publicado em 20/10/2014 - 8:33 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Diretor do Centro de Estudos Sociais Aplicados da Uece, Vladimir Spinelli diz que não há qualquer garantia de continuidade das obras não licitadas FOTO: Tuno Vieira

Diretor do Centro de Estudos Sociais Aplicados da Uece, Vladimir Spinelli diz que não há qualquer garantia de continuidade das obras não licitadas FOTO: Tuno Vieira

Por Lorena Alves

Com previsão orçamentária de R$ 23,6 bilhões para serem executados no ano de 2015, o caminho para concretizar as propostas lançadas nesta campanha eleitoral deve ser mais espinhoso do que admitem os dois candidatos a governador do Ceará. Isso porque o próximo chefe do Executivo cearense vai lidar com um orçamento idealizado pela atual gestão e dependerá de repasses federais – que podem ou não ocorrer – para concluir os projetos mais robustos.

De acordo com o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) que chegou à Assembleia Legislativa na última semana, estão previstos aproximadamente R$ 5,3 bilhões para investimentos em obras de infraestrutura. No entanto, desse montante, somente R$ 660 milhões se referem a recursos próprios do Tesouro Estadual. Isso significa que, para finalizar os empreendimentos, o novo gestor terá de pleitear recursos federais por meio de empréstimos, financiamentos ou convênios com a União.

Sem explicar ao eleitor como farão para viabilizar as promessas eleitorais, caso sejam eleitos, Camilo Santana e Eunício Oliveira nem sabem se terão verba nos cofres estaduais para cumprir as propostas. Articulação com a União, negociações com bancos nacionais e internacionais e alinhamento político com o Governo Federal estão no rol dos fatores que podem definir o cenário financeiro do Ceará nos próximos quatro anos.

Crédito

O texto da LOA 2015, assinado pelo governador Cid Gomes, pondera que a ampliação do Porto do Pecém, a modernização e construção da Linha Leste do metrô, o Cinturão das Águas, Acquario Ceará, duplicação de rodovias e outros projetos de melhoria urbana dependem, além do Tesouro estadual, de convênios com o Governo Federal, parcerias público-privadas e operações de crédito contratadas.
O diretor do Centro de Estudos Sociais Aplicados da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Vladimir Spinelli, explica que a receita dos estados e dos municípios ainda é muito dependente dos repasses do Governo Federal. Ele acrescenta que o orçamento é apenas uma previsão que pode não se concretizar durante o exercício do ano.

“Todo o orçamento deverá ter previsão de recursos, como aprovação de empréstimos fora do País, dependendo da capacidade de endividamento do estado. Os orçamentos são sempre uma carta de intenções, é aquilo que o gestor se compromete a fazer caso consiga os recursos”, justifica Spinelli, que também foi secretário da Fazenda do Governo Gonzaga Mota.

O professor da Uece diz que o próximo governador do Estado deve se adequar à Lei Orçamentária Anual que será aprovada até o final do ano, ponderando que o gestor eleito no dia 26 de outubro até pode fazer alterações no orçamento, mas elas são limitadas. “Vai ter que se ater àquilo, mas pode haver remanejamento de recursos para áreas que ele considere prioritárias. Até os remanejamentos são muito amarrados, não tem facilidade de fazer mudanças orçamentárias como se faz no orçamento pessoal”, declara.

Licitadas

Questionado sobre qual a segurança em relação à conclusão de obras que foram idealizadas no Governo Cid Gomes e ainda não foram licitadas, embora previstas na Lei Orçamentária Anual, o professor Vladimir Spinelli deixa claro que há incerteza sobre a continuação desses empreendimentos no Estado.

“Não há nenhum tipo de garantia de um governo para o outro. Nem do próprio governo. Em alguns momentos, o governador tem que rever, porque depende de transferências, empréstimos, ações para atrair investidores que podem viabilizar ou não. Os grandes projetos que já começaram muito dificilmente deixam de ter continuidade. Isso só acontecia antes. Mas os que não foram licitados dependem do governador”, destaca.

O docente ressalta que também entra em questão o alinhamento político do governador cearense com o próximo presidente da República. “Há uma série de outras possibilidades, mas normalmente essas questões se acomodam. Os estados são muito dependentes da União”. E complementa: “Os recursos nem sempre estarão disponíveis. Pode depender, por exemplo, da aprovação no Congresso Nacional de um fundo internacional ou até de organismo nacional como o BNDES”.

Plurianual

O Poder Executivo – nos âmbitos municipal, estadual e federal – é responsável por elaborar o Plano Plurianual (PPA), que traça metas orçamentárias para o período de quatro anos. O último feito pelo Governo Estadual vigora até o final de 2015. Dessa forma, o próximo governador só começará a “dar o tom” na gestão a partir de 2016, quando a Assembleia Legislativa já deve ter aprovado o PPA 2016-2019. É o que explica o economista Andrei Simonassi, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC). “O primeiro ano de governo normalmente é um ano de ajustes”, declara o docente.

Simonassi diz acreditar que não haverá muitas surpresas em relação à dotação orçamentária, mas pondera que algumas obras só devem sair do papel caso não haja mudanças no projeto de gestão. “Vai depender se o novo gestor considera a obra como prioridade do governo. Serão definidas as novas prioridades do gestor”, aponta. “O Acquario é uma obra colocada em xeque se houver mudança de governo. Nada garante que ele será concluído se mudar o gestor”, completa.

Segundo o economista, o orçamento pode sofrer modificações desde que dentro da mesma rubrica, já que a Lei Orçamentária Anual estabelece parâmetros para a execução dos recursos no Estado. Os remanejamentos também devem ser aprovados na Assembleia Legislativa. “Algumas obras podem ser sacrificadas em privilégio de outras”, ressalta.

Tags: ,

Metade dos deputados foi vereador

Publicado em 20/10/2014 - 8:32 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
José Sarto foi eleito vereador de Fortaleza pela primeira vez em 1988, enquanto Nelson Martins exerceu o mesmo cargo em 1996 FOTO: Helosa Araújo

José Sarto foi eleito vereador de Fortaleza pela primeira vez em 1988, enquanto Nelson Martins exerceu o mesmo cargo em 1996 FOTO: Helosa Araújo

Por Miguel Martins

A composição da Assembleia Legislativa para os próximos quatro anos será renovada em até 52% com a chegada de novos deputados. Porém, quase metade dos parlamentares eleitos para a próxima legislatura é formada por políticos que já tiveram mandatos eletivos como vereadores no passado, muitos dos quais acabam se perpetuando no Poder Legislativo.

Os deputados Carlomano Marques (PMDB), José Sarto (PROS), Ferreira Aragão (PDT), Heitor Férrer (PDT), João Jaime (DEM), Lucilvio Girão (SD), Roberto Mesquita (PV), Sérgio Aguiar (PROS) e Tin Gomes (PHS) têm em comum o êxito na campanha deste ano com a reeleição de seus mandatos, assim como o desejo de se manter presentes no Legislativo cearense pelos próximos anos.

O peemedebista Carlomano Marques, por exemplo, iniciou sua carreira política no ano de 1988 como vereador de Fortaleza, filiado ao PDS. Desde então, dedicou-se apenas às disputas eleitorais para o Legislativo do Ceará. No mesmo ano, José Sarto foi eleito vereador da Capital cearense pela primeira vez e foi reconduzido em 1992, quando foi eleito presidente da Câmara Municipal de Fortaleza.

Atualmente integrante do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), José Sarto está há quase três décadas nos corredores do Poder Legislativo, assim como Heitor Férrer, que foi eleito vereador também em 1988, quando cumpriu três mandatos para depois se dedicar ao Legislativo estadual.

Vereadores

Lucilvio Girão e João Jaime também foram eleitos vereadores antes dos mandatos eletivos para a Assembleia Legislativa. O pedetista Ferreira Aragão foi eleito vereador de Fortaleza em 2004 e depois disputou uma cadeira no Legislativo cearense. Roberto Mesquita foi reeleito pela primeira vez deputado estadual neste ano. Ele iniciou carreira política em 2008, quando recebeu nove mil votos para a Câmara Municipal de Fortaleza. Em 1992, Sérgio Aguiar se elegeu vereador do município de Camocim e, logo no primeiro ano de mandato, foi escolhido presidente da Casa. Tin Gomes também foi vereador da Câmara Municipal da Capital cearense.

Dos 24 novos parlamentares que iniciarão mandato parlamentar a partir do próximo ano na Assembleia Legislativa, quatro deles não são neófitos e já conhecem o funcionamento de uma casa legislativa. Capitão Wagner (PR), o deputado estadual mais bem votado, além de ter sido deputado por quatro meses, foi eleito vereador da Capital em 2012.

Já o atual presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Walter Cavalcante (PMDB), é conhecedor dos trâmites legislativos e vem sendo eleito vereador desde o ano de 1996, ainda na gestão do ex-prefeito da Capital Juraci Magalhães.

O deputado eleito Audic Mota (PMDB) foi vereador de Tauá e presidente da União dos Vereadores do Ceará (UVC), enquanto Tomaz Holanda (PPS) já foi suplente de vereador da Câmara Municipal de Fortaleza.

Reeleição

Na atual composição da Assembleia Legislativa, dos 46 parlamentares, pelo menos 17 já foram vereadores em legislaturas passadas. Adicionados os quatro novos deputados eleitos que já tiveram mandato como vereador em outras legislaturas, o número sobe para 21, dos quais nove tentaram reeleição e conseguiram foram eleitos para novo mandato.

Um desses deputados se candidatou a deputado federal e se elegeu; outro disputou o Governo do Estado e perdeu. Três dos deputados que já foram vereadores no passado não concorreram a nada e três não conseguiram se reeleger.  O deputado Augustinho Moreira (PV) não concorreu a nenhum cargo e preferiu ajudar a campanha de Tin Gomes (PHS) para a reeleição, assim como a de Adail Carneiro (PHS) para deputado federal.

Augustinho Moreira é filho de ex-vereador e seguiu os passos do pai, entrando na política no ano 2000, quando foi eleito pelo PPB, com 10 mil votos, sendo reeleito em 2004 pelo PSDB, com 12 mil votos. Em 2006, com 21 mil votos, e já no Partido Verde, conseguiu se eleger deputado estadual pela primeira vez.

Petista tradicional, o deputado Nelson Martins, que exercia o cargo de secretário do Desenvolvimento Agrário, foi outro que preferiu não se candidatar a qualquer cargo eletivo. Ele foi vereador de Fortaleza, em 1996, sendo reeleito em 2000, quando obteve mais de 10 mil votos.

Com carreira política desde a década de 1980, quando foi eleito vereador de Marco, Rogério Aguiar (PSD) também optou por não tentar reeleição. Eliane Novais (PSB), por sua vez, se elegeu vereadora uma única vez, em 2008, quando obteve 10 mil votos, sendo a mulher mais votada naquele ano. Dois anos depois, decidiu se candidatar a deputada estadual e, neste ano, se candidatou a governadora do Estado, ficando em terceiro lugar entre os quatro postulantes.

Municipal

O deputado estadual Lula Morais (PCdoB) foi eleito vereador em 2000 e em 2004, conquistando pouco mais de 5 mil votos nas duas disputas. Para este ano, ele não teve a votação necessária para se eleger deputado mais uma vez, assim como Mário Hélio (PMN), que foi vereador de Fortaleza em 2004 e 2008. Na primeira tentativa para o Legislativo Municipal, Hélio obteve 5 mil votos e 9,8 mil na segunda.

Vereador de Fortaleza durante quatro mandatos, Paulo Facó (PTdoB) quis alçar voos mais altos em 2010 e decidiu disputar uma vaga para a Assembleia Legislativa. Conseguiu se eleger deputado estadual, mas no pleito deste ano, ao tentar uma vaga na Câmara Federal, não conseguiu o mesmo êxito.

Deputado federal eleito neste ano, Ronaldo Martins (PRB) também iniciou a carreira política como vereador, no município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, em 2000, quando precisou de apenas 1,4 mil votos para se eleger vereador daquela cidade.

Tags:

Eventos no Interior e RMF marcam atividades de candidatos ao Governo

Publicado em 20/10/2014 - 8:31 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Militantes de Camilo Santana e Eunício Oliveira se encontram em meio ao evento do candidato peemedebista, manhã de ontem em Caucaia Foto: Érika Fonseca

Militantes de Camilo Santana e Eunício Oliveira se encontram em meio ao evento do candidato peemedebista, manhã de ontem em Caucaia Foto: Érika Fonseca

Por Miguel Martins

Os candidatos ao Governo do Estado, Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) realizaram atividades de campanha, ontem, em alguns municípios do Estado. Enquanto o petista se deslocou por cidades do Interior do Estado, como Apuiarés, Campos Sales e Iguatu, o peemedebista preferiu realizar eventos mais próximos da Capital cearense, e fez caminhadas em Caucaia e Maracanaú.

No período da manhã, o candidato Eunício Oliveira, percorreu algumas ruas do Município de Caucaia, e apresentou propostas para a Região Metropolitana de Fortaleza. Dentre os projetos para a área está a construção de unidades habitacionais e passe livre para todas as cidades que compõem a região. Ele também se comprometeu em concluir as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que está com obras atrasadas no Estado.

O postulante cumprimentou populares e chegou a entrar em uma residência, onde, juntamente com assessores, retirou a bandeira de Camilo Santana (PT) que estava hasteada na varanda da casa. Em seguida, colocou a dele ao lado da bandeira de Dilma Rousseff. A moradora do local teria mudado o voto ao saber das propostas do peemedebista para o Município e região. A estudante Larisse Fernandes disse ao Diário do Nordeste que a família decidiu mudar o voto, de última hora, porque o candidato foi “atencioso” com eles e com os moradores do local. “O Camilo passa por aqui e não fala com o povo, é mais distante”, explicou.

Motoqueiros que apoiam a candidatura do petista também compareceram ao local da caminhada de Eunício Oliveira, fazendo buzinaço, o que gerou um princípio de tumulto logo dispersado. Segundo explicações do postulante, 75% da população de Caucaia não têm tratamento de esgoto e 25% não possui abastecimento de água encanada. O candidato disse ainda que trabalhará para integrar a Região Metropolitana de Fortaleza com a conclusão das obras do VLT.

Déficit

“A gente também não pode deixar de olhar para os jovens e mulheres. Iremos colocar 200 mil alunos em escolas profissionalizantes”, disse. Ele ressaltou ainda que a atual gestão não fez as casas populares prometidas, através do programa Minha Casa, Minha Vida, e das 100 mil moradias do déficit habitacional, somente 13 mi foram entregues pela atual gestão. O candidato se comprometeu ainda a utilizar como contrapartida recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, o Fecop, para minimizar a falta de moradias no Ceara.

Para a última semana de campanha eleitoral, ele informou que irá continuar trabalhando como vem ocorrendo nas últimas semanas. No entanto, devido aos debates que vão ser realizados ao longo dos próximos dias, os eventos devem se concentrar em municípios mais próximos da Capital, conforme informou o coordenador da campanha peemedebista, Gaudêncio Lucena. “Fizemos vários municípios e os cearenses demonstraram que querem mudança desse Governo que está aí”, apontou Eunício Oliveira.

Ele reclamou que a atual gestão não realizou concurso para a área da Saúde, e se comprometeu a abrir, pelo menos, 12 mil vagas de emprego para profissionais de Saúde. Também disse que deve realizar concurso para professores das universidades estaduais. Na área de Segurança Pública, o postulante reclamou que em todo o Ceará ainda existem 60 mil mandados de prisão em aberto, e cerca de 40 mil “bandidos” nas ruas, por falta de pessoal na Polícia Civil.

Tags: , ,

Escolas no centro do debate político

Publicado em 20/10/2014 - 8:30 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
O educador Idevaldo Bodião se diz preocupado com a proposta de universalizar o ensino profissionalizante na rede pública para atender mercado FOTO: Bruno Gomes

O educador Idevaldo Bodião se diz preocupado com a proposta de universalizar o ensino profissionalizante na rede pública para atender mercado FOTO: Bruno Gomes

Por Lorena Alves

A ampliação da rede de escolas profissionalizantes é promessa de campanha tanto de Camilo Santana (PT) como de Eunício Oliveira (PMDB), ambos candidatos ao Governo do Estado. Atualmente, existem 107 instituições deste porte em 84 municípios cearenses. Apesar dos avanços citados pelo Governo do Estado, a inserção desses jovens no mercado de trabalho e a formação de professores ainda são demandas que vêm sendo gradualmente resolvidas.

De acordo com informações repassadas pela Secretaria da Educação (Seduc), 53 cursos profissionalizantes são ofertados a pouco mais de 40 mil alunos no Estado. A construção de cada uma das 107 escolas custa cerca de R$ 7,5 milhões, sendo 54 financiadas com recursos federais por se enquadrarem no padrão estabelecido pelo MEC (Ministério da Educação). O Governo Estadual investiu R$ 225 milhões, enquanto a União desembolsou R$ 400 milhões para a construir as unidades.

Ainda segundo a Seduc, o currículo adotado na educação profissional, que se estende aos três anos referentes ao Ensino Médio, inclui disciplinas do ensino regular associadas a conteúdo técnico especializado. Hoje o Governo do Estado oferece o curso, mas não tem um monitoramento efetivo sobre a inserção dos estudantes no mercado após terminarem os estudos.

“A responsabilidade não é com a inserção, com a empregabilidade. É a mesma coisa da universidade, que tem como missão a formação dos jovens”, diz a coordenadora da educação profissional do Ceará, Andrea Rocha, ponderando que o Estado tenta acompanhar o destino do jovem pelo período de seis meses após a conclusão do curso.

Demandas

Andrea Rocha complementa que o Executivo cearense está desenvolvendo um sistema que vai concentrar os dados dos alunos e os perfis de empresas que demandam profissionais especializados. A proposta é controlar mais de perto a vida do aluno egresso e atender as demandas de instituições que procuram profissionais de áreas diversas. O sistema será vinculado ao Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

A coordenadora da educação profissional ressalta que os professores lotados nas escolas profissionais integram o quadro da rede estadual de ensino, além de profissionais da área técnica cujos contratos são renovados anualmente com o Estado. No entanto, ela relata a dificuldade de preencher algumas vagas por conta da concorrência do magistério com o mercado de trabalho dos profissionais.

“Professor, de modo geral, é um desafio, não só da base técnica. Em algumas regiões, temos dificuldades em certas áreas. No curso de edificações, tem o boom da construção civil e quem dá aula é o engenheiro. Não falta engenheiro no mercado, mas falta o que tem perfil de professor e que vai dar aula do Interior”, narra. Cursos da área têxtil, mineração, cerâmica e carpintaria estão entre os que apresentam mais procura das escolas do que oferta de profissionais.

Os professores da rede regular de ensino que são lotados nas escolas profissionalizantes têm um diferencial em relação aos demais colegas das escolas públicas. Por ser educação integral, eles atuam somente em uma escola, diferentemente do que ocorre com os outros docentes, muitas vezes tendo de atuar em vários colégios.

Levantamento

Questionada sobre os critérios de instalação das escolas profissionalizantes nos municípios do Interior, Andrea Rocha destaca que é feito um levantamento junto à Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) para discutir as áreas de crescimento por cada região do Estado. “Antigamente, quem queria fazer algum curso tinha que vir para Fortaleza. Hoje já existe uma maior descentralização de universidades e empresas no Interior”, comenta.

A gestora diz considerar uma “realidade natural” a migração de estudantes que se formaram em municípios menores para cidades maiores da região, como ocorre no Cariri, que tem como polos mais desenvolvidos Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha.

A coordenadora da educação profissional do Estado, Andrea Rocha, salienta que as escolas profissionalizantes do Estado são financiadas com recursos do Brasil Profissionalizado, que foi incorporado pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Ela garante que o governo Cid Gomes entregará, até o final da gestão, 140 escolas profissionalizantes, já que algumas unidades estão sendo finalizadas.

Preocupação

Apesar da propaganda do governo acerca das escolas profissionalizantes, a maneira como a pauta vem sendo executada não é consenso entre os educadores. O professor Idevaldo Bodião, que leciona na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC), diz que tem uma preocupação do ponto de vista pedagógico-educacional com o modelo das escolas.

O acadêmico explica que a experiência no Ceará foi importada do Governo de Eduardo Campos, em Pernambuco. “O Ceará tem um conjunto de escolas com melhores condições de funcionamento, instalações e melhor qualidade para atender à necessidade de mercado que, no âmbito da proposta, aparece com a eufemística de atender a vocação de cada região”, detalha.

O professor também apresenta ressalvas sobre a proposta – defendida por Camilo Santana e Eunício Oliveira – de universalizar as escolas de Ensino Médio em profissionalizantes. Apesar de admitir que a promessa pode ter resultados positivos, opina que há um determinismo econômico ao limitar o ensino profissionalizante à rede pública.

“Não obstaculiza o Ensino Superior, mas é uma situação contraditória. Se quer garantir formação para atender às necessidades do mercado e vão priorizar o Ensino Superior, tem algum equívoco”. “A grande tarefa da escola é permitir o conjunto de saberes para todo mundo”, acrescenta.

Tags: ,

Voto para deputado fica mais pulverizado no Ceará

Publicado em 20/10/2014 - 8:29 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Capitão Wagner chega à Assembleia representando uma categoria, a Polícia, e não uma região do Estado. Ele teve votação expressiva da Capital ao Cariri FOTO: JL ROSA

Capitão Wagner chega à Assembleia representando uma categoria, a Polícia, e não uma região do Estado. Ele teve votação expressiva da Capital ao Cariri FOTO: JL ROSA

O detalhamento da votação por município dos candidatos eleitos para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal mostra que o eleitorado presente nos grandes colégios eleitorais do Estado tem cada vez menos sido suficiente para garantir uma grande soma de votos para os representantes da região.

Os dados divulgados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) referentes à eleição proporcional do dia 5 de outubro revelam que a maioria dos mais votados neste pleito assegurou as vagas com a preferência de eleitores com domicílio em localidades de diferentes mesorregiões.

A lista dos candidatos mais votados nos grandes colégios eleitorais ainda ressaltou que os preferidos dos eleitorado nem sempre são os nascidos ou radicados na região. Em Juazeiro do Norte, nenhum dos cinco postulantes eleitos nasceu no município e só dois são do Cariri.

Em Juazeiro, os cinco mais votados foram Welington Landim (PROS), natural de Brejo Santo; Capitão Wagner (PR), radicado em Fortaleza; Ely Aguiar (PSDC), do Crato; Mirian Sobreira, de Iguatu; e Aderlânia Noronha (SD), do município de Parambu, na Região dos Sertões.

Os dois mais votados no Crato nasceram no município, Zé Ailton Brasil (PP) e Ely Aguiar, mas o eleitorado não seguiu a tendência ao colocar dois representantes da Região Centro-Sul na lista dos que receberam maior apoio, Mirian Sobreira e Laís Nunes.

Crateús

O eleitorado do décimo maior colégio do Estado, Crateús, registrou cenário semelhante ao colocar na lista dos mais votados na disputa da Câmara Federal representantes sem tanta identificação com o município, como Gorete Pereira (PR), com 6,3 mil votos, Genecias Noronha (SD), com 6,1mil, José Guimarães (PT), com 4,1 mil, Chico Lopes, com 3,8 mil, e Domingos Neto (PROS), com 2,8 mil.

O candidato que teve a maior preferência do eleitorado no pleito para a Assembleia Legislativa, Capitão Wagner (PR), terminou na relação dos cinco candidatos mais votados em cada um dos dez maiores colégios espalhados por diferentes mesorregiões do Estado. O parlamentar ficou entre os preferido do eleitorado de Fortaleza ao município de Juazeiro do Norte.

Já na disputa para a Câmara Federal, o desempenho do candidato eleito José Macedo (PSL) mostrou que a atração pulverizada dos votos não é consequência somente dos postulantes que representam categorias profissionais, como Capitão Wagner. O resultado de domingo mostrou que o novo deputado federal ficou como um dos mais votados em quatro grandes colégios divididos em três mesorregiões.

Região Sul

Em Juazeiro do Norte e Crato, no Sul do Estado, José Macedo assegurou total de seis mil votos, enquanto obteve outros seis mil eleitores somente em Sobral, na Região Noroeste. A votação expressiva ainda foi garantida com 3,8 mil sufrágios em Iguatu, na Região Centro-Sul.
A deputada estadual eleita Mirian Sobreira conseguiu um lugar entre os mais votados em sua cidade natal, Iguatu, mas precisou investir alto para que os eleitores de outras localidades garantissem a vaga dela no Parlamento, sendo a terceira mais votada no Crato.

O mesmo teve que fazer o ex-prefeito de Iguatu e eleito deputado estadual neste ano, Agenor Neto, que conseguiu uma votação expressiva em seu reduto eleitoral, na Região do Centro-Sul, mas também terminou como o mais votado no município de Morada Nova, na Região do Jaguaribe, com aproximadamente sete mil votos.

A candidata eleita como deputada estadual Aderlânia Noronha (SD) também diversificou os municípios onde recebeu mais votos. A postulante terminou entre os representantes mais votados em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, em Juazeiro do Norte, na Região Sul, e em Crateús, na Região dos Sertões. A postulante ainda conseguiu ficar como a mais votada em Russas.

Tags:

Candidatos voltam às cidades em que foram derrotados

Publicado em 20/10/2014 - 8:28 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
O petista Camilo Santana tem ficado mais pela Capital, onde conseguiu menos votos do que o concorrente na disputa. O peemedebista Eunício Oliveira já investiu em colégios eleitorais em que obteve menos apoio do que o oponente, a exemplo de Sobral FOTOS:  José Leomar e Natinho Rodrigues

O petista Camilo Santana tem ficado mais pela Capital, onde conseguiu menos votos do que o concorrente na disputa. O peemedebista Eunício Oliveira já investiu em colégios eleitorais em que obteve menos apoio do que o oponente, a exemplo de Sobral FOTOS: José Leomar e Natinho Rodrigues

O reduzido período destinado aos dois candidatos ao Governo do Estado para atividades de campanha neste segundo turno, aliado à necessidade de gravar inserções para o horário eleitoral gratuito praticamente todos os dias da semana, têm obrigado Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) a definir estratégias específicas para otimizar peregrinações pelo Interior nesta nova etapa da disputa.
As agendas divulgadas por ambas as coordenações de campanha revelam como os números da votação por município de cada um dos candidatos, divulgados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), influenciaram a escolha das localidades a serem transformadas em palanque.

Dos 12 municípios visitados pelo candidato Eunício Oliveira nas duas últimas semanas, o peemedebista não conseguiu a maioria do eleitorado em sete deles, revelando a preocupação com os colégios eleitorais em que foi derrotado. Já Camilo Santana, das 12 cidades que foi nesta nova fase da campanha, recebeu menos votos que o concorrente em quatro locais, mas não deixou de ir em espaços estratégicos de concentração dos eleitores.

O desempenho obtido na microrregião do Cariri foi a principal preocupação de Eunício Oliveira. O peemedebista aproveitou para concentrar os esforços e tentar reverter os números do primeiro turno. Em um só dia, participou de reunião com lideranças de Juazeiro do Norte e foi ao domicílio eleitoral de Camilo Santana, Barbalha.

Cariri

Juazeiro do Norte e Barbalha estão entre os dez maiores colégios eleitorais do Estado e representam municípios onde Camilo teve votação mais expressiva que Eunício. Na primeira cidade, o petista recebeu 74,2 mil votos contra 35 mil do peemedebista. Na segunda, 18,2 mil eleitores preferiram o candidato do PT em detrimento do nome do PMDB, que teve 11,8 mil votos.

Em seguida, Eunício Oliveira se dedicou intensamente aos municípios vizinhos aos que compõem a microrregião do Cariri. Na última semana, ele permaneceu na Região Sul do Estado para tentar alterar o retrato do primeiro turno. Na mesorregião, ele já visitou Nova Olinda, Araripe, Potengi e Milagres.

Em Nova Olinda, Eunício recebeu no primeiro turno 3,6 mil votos contra 4,3 mil de Camilo Santana. Em Milagres, o peemedebista garantiu o apoio de 6,8 mil eleitores frente aos 8,6 mil que preferiram o representante do PT na disputa. Já em Potengi, o postulante do PMDB teve 1,7 mil votos contra 2,8 mil de Camilo. Em Araripe, a diferença foi menor, cerca de 600 pessoas.

Eunício já aproveitou o segundo turno para fazer uma visita ao principal reduto eleitoral do governador Cid Gomes, principal aliado de Camilo Santana. O peemedebista realizou uma reunião com lideranças em Sobral, onde alcançou no primeiro turno 38,1 mil votos frente aos 52,1 mil recebidos pelo candidato petista.

Preocupação

O pleiteante do PT também revelou em algumas atividades de campanha a preocupação com as áreas onde recebeu menos votos no primeiro turno. Alegando a necessidade de permanecer na Capital para a gravação do programa eleitoral, o petista ficou grande parte do tempo em Fortaleza, local em que Eunício teve votação mais expressiva se comparada com a do concorrente.

Camilo também já passou por outro município em que teve problemas no primeiro turno. O local escolhido para a ex-presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), Nicolle Barbosa, entregar ao aliado um relatório com propostas para o desenvolvimento econômico do Estado foi Maracanaú, onde Eunício recebeu o dobro de votos de Camilo.

O petista aproveitou para voltar a Iguatu, onde Eunício concentrou esforços no primeiro turno para reunir forte base eleitoral. Na primeira fase da votação, o peemedebista teve o apoio de 23,4 mil eleitores contra 21,9 mil. Camilo Santana também já voltou a Tauá, onde recebeu 12 mil votos contra 15 mil conquistados pelo concorrente.

Além dos municípios em que sofreram derrotas, Camilo e Eunício foram aos locais em que alcançaram maior vantagem no primeiro turno. Enquanto o petista foi a Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, o peemedebista esteve em Maracanaú e Caucaia.

Tags: , ,

Militares do Exército farão a segurança das eleições em municípios do Ceará

Publicado em 20/10/2014 - 8:27 por | Comentar

Categorias: Forças Federais
  • Enviar para o Kindle

Por Miguel Martins

Os municípios de Caucaia, Maranguape, Maracanaú, Pacatuba e Fortaleza irão receber um reforço de tropas federais no próximo domingo (26), dia em que será realizado o segundo turno das eleições no Estado do Ceará. O ministro do Tribunal Superior (TSE), João Otávio Noronha, autorizou a presença das Forças Armadas para assegurar a realização segura e fiscalização do pleito, depois de pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará.
A decisão, tomada no último dia 17, foi comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral por meio de mensagem, e nela o magistrado destaca que “o governador do Estado do Ceará concorda com o emprego das forças armadas nos municípios indicados pelo TRE do Ceará. Ademais, as justificativas apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral indicam a necessidade de atuação de força federal naquelas localidades”, explicou.
O ministro diz ainda que a intervenção da força federal é “medida extrema”, devendo ser tratada com as cautelas previstas na legislação, ressaltando ainda que o pedido do Tribunal Superior Eleitoral visa garantir o livre exercício do voto, a normalidade da votação e da apuração dos resultados. As tropas federais serão designadas para a 4ª Zona Eleitoral, em Maranguape; 57ª Zona, em Pacatuba; 82ª Zona Eleitoral, na Capital; em Caucaia (120ª Zona); e Maracanaú, na Zona Eleitoral 122.
Na manhã de hoje, a presidente do TRE, desembargadora Iracema do Vale, enviará ofício ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado para tratar dos detalhes da integração do contingente da Força Federal, a ser disponibilizado nos municípios cearenses destacados, com o efetivo de segurança do Estado para atuação no segundo turno das eleições.
Possivelmente, haverá uma reunião entre as duas partes para que se defina o número de contingente e o comando desse efetivo durante o pleito. A quantidade de agentes que trabalharão durante o evento se dará dependendo da área geométrica de cada Município. O comando pode ficar a cargo dos próprios militares da tropa federal ou da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
O procurador regional eleitoral Rômulo Conrado destacou que o Ministério Público Eleitoral ficará mais tranquilo com a vinda das tropas federais, uma vez que durante o primeiro turno, garante ele, a fiscalização feita pelo órgão ficou, de certo modo, inviabilizada por conta dos problemas ocasionados com a Polícia Militar do Ceará. Ele acredita que até amanhã todos os dados referentes a essa inserção de tropas federais nas eleições estaduais possam estar solucionadas.
Conforme explicou, o que fez com que ele solicitasse junto ao TRE a vinda das tropas foi a constatação de que houve por parte da PM procedimentos que tornaram menos efetiva a atuação policial. Isso foi constatado, inclusive, pelo governador do Estado, Cid Gomes, que chegou a dizer que “milícias” estavam atuando no pleito passado. “O que nós sabemos é que isso é um problema anterior às eleições e deveria ter sido resolvido logo, e não foi, o que causou um enorme prejuízo à fiscalização. Agora, nós esperamos que o segundo turno seja mais tranquilo”, disse.
Na solicitação feita junto ao TRE, dez dias  após o resultado do primeiro turno das eleições, Rômulo Conrado solicitou a vinda das tropas federais, o que só pode ser feito pelo governador do Estado. Por conta disso, o Tribunal Regional realizou o pedido ao chefe do Poder Executivo. “Tem-se situação de notório acirramento de ânimos considerando o engajamento em campanha eleitoral do candidato Capitão Wagner, candidato mais votado ao cargo de Deputado Estadual, opositor do grupo político liderado pelo Governador Cid Ferreira Gomes”, disse o procurador no pedido.

Tags: , ,

TSE autoriza vinda de tropas federais para eleição no Ceará

Publicado em 19/10/2014 - 17:39 por | Comentar

Categorias: Eleição 2014, Eleições
  • Enviar para o Kindle
Tropas irão garantir o pleito do próximo domingo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Tropas irão garantir o pleito do próximo domingo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Os municípios de Caucaia, Maranguape, Maracanaú, Pacatuba e Fortaleza irão receber um reforço de tropas federais no próximo domingo (26), dia em que será realizado o segundo turno das eleições no Ceará. O ministro do Tribunal Superior (TSE), João Otávio Noronha autorizou a presença das Forças Armadas no Estado para assegurar o pleito, depois de pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará.

A decisão, tomada no último dia 17, foi comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral por meio de mensagem, e nela, o magistrado destaca que “o governador do Estado do Ceará concorda com o emprego das forças armadas nos municípios indicados pelo TRE-CE. Ademais, as justificativas apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral indicam a necessidade de atuação de força federal naquelas localidades”.

 

Tags: , ,

Deputados discutem destino de resíduos

Publicado em 19/10/2014 - 10:09 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Por Miguel Martins

A matéria do Diário do Nordeste sobre a sobrevida de lixões no Interior do Estado motivou alguns pronunciamentos na Assembleia Legislativa do Ceará. Os parlamentares, além de apontarem a importância de se garantir uma melhor destinação para os resíduos sólidos também cobraram maior empenho das prefeituras para garantir novas formas de coleta do lixo, como em aterros sanitários adequados.

A deputada Eliane Novais (PSB) chamou atenção dos colegas para a problemática ocasionado pelos lixões no Ceará, e disse que não adianta somente prorrogar o prazo para 2018, como foi feito pela Câmara dos Deputados, mas também elaborar medidas mais concretas para que a legislação seja respeitada. Ela destacou, por exemplo, que a Lei estava em vigor desde 2010, e definiu a data de 3 de agosto como o prazo final, sendo que no Brasil 2 mil equipamentos desse tipo recebem resíduos todos os dias.

Mais de 60% das cidades brasileiras não conseguiram acabar com os lixões, sendo 280 somente no Ceará, uma média de 2 para cada um dos 184 municípios do Estado. Os brasileiros produziram em 2012 mais de 181 toneladas de lixo diariamente, ou seja mais de 66 milhões de toneladas em todo o ano. Cerca de 40% são destinados a lugares onde não há qualquer tipo de tratamento, apesar de boa aparte ter potencial para ser reciclado.

A pessebista ressaltou ainda que 14 mil toneladas de lixo são produzidas no Ceará, ficando o Estado atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro. “Não vou entrar no mérito sobre a decisão da prorrogação do prazo ou não. Quero apenas fazer uma alerta. Caso o prazo para erradicar os lixões seja realmente estendido, é preciso que seja revista a forma como o poder público em todos os níveis trata a questão”, disse ela.

Segundo Novais, não adianta prorrogar prazo se não forem tomadas medidas mais concretas para que a lei que estabeleceu a política nacional de resíduos sólidos seja cumprida. O Ceará, conforme salientou, trabalha com um método regionalizado de elaboração de planos de gestão. Os 184 municípios cearenses foram divididos em regiões. Cada uma delas deve ter projeto próprio. Porém, somente 15% do total, possuem diretrizes definidas para o tratamento do lixo.

O projeto para a construção de aterro consorciado na Região do Cariri, que envolveria 10 cidades, foi discutidos durante seis anos, mas ainda não saiu do papel. O custo para transformar todos os atuais lixões em aterros sanitários está estimado em R$ 70 bilhões, segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM). “É um custo muito elevado. E, além de recursos, os municípios, especialmente os de pequeno porte, carecem de apoio técnico”, disse ela.

O deputado Dedé Teixeira (PT) afirmou que o Congresso acatou o adiamento do prazo para o fim dos lixões após pressão da CNM. Para ele, é importante tratar desse assunto na tribuna da Assembleia Legislativa, uma vez que o tema requer bastante seriedade, visto que envolve a vida de milhões de pessoas.

“A melhor solução seria o consórcio de vários municípios. Acontece que tem um problema diante das dificuldades financeiras. Hoje, eles gastam recursos para coletar os lixos e não fazem nada para o destino final. O custo aumentará porque além da coleta, você vai ter que ter um gasto para adequá-lo bem”, afirmou o petista.

O deputado Professor Pinheiro (PT) também demonstrou preocupação com a situação dos lixões no Brasil, e solicitou que se avance na política de saneamento básico e na destinação adequada dos resíduos sólidos nas cidades, principalmente aquelas do Interior.
“Há a tentativa do Governo de construir os consórcios municipais e encontrar saídas para viabilizar os aterros sanitários”, destacou. Segundo o parlamentar, é preciso que haja um debate mais aprofundado sobre as alternativas de tratamento dos resíduos sólidos, como a reciclagem de materiais e a produção por meio de biodigestores de energia e adubo a partir da matéria orgânica.

Tags: ,

Deputado defende romeiros

Publicado em 19/10/2014 - 10:07 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle
Dedé Teixeira (PT) alegou que faltou sensibilidade FOTO: José Leomar.

Dedé Teixeira (PT) alegou que faltou sensibilidade FOTO: José Leomar.

Por Miguel Martins

O deputado Dedé Teixeira (PT), em pronunciamento,  na Assembleia Legislativa,  solidarizou-se com as manifestações de moradores do Município de Canindé que protestam contra a fiscalização e apreensão de caminhões que transportavam romeiros para só festejos de São Francisco. A Polícia Rodoviária federal (PRF) foi a responsável pelas apreensões, a pedido do Ministério Público Federal (MPF) e Estadual (MPE), visto que o transporte de pessoas em veículo de cargas é considerado infração gravíssima.

O petista destacou que as fiscalizações cumprem recomendação do ministério Público Federal e Estadual, no entanto, em defesa dos romeiros, ele disse que a medida traz prejuízos à cultura e à religiosidade da cidade, sem contar que o comércio do Município depende muito dessa festa. “Faltou sensibilidade por parte das autoridades, gerando uma rigidez muito grande nas fiscalizações, pois estão sendo retidos até mesmo alguns veículos que tinham autorização para transportar os fieis”, disse o parlamentar.

Teixeira aproveitou ainda o uso da tribuna para ler um manifesto em defesa dos romeiros de São Francisco das Chagas de Canindé, elaborado pelos franciscanos do Município e demais entidades ligadas à igreja. O documento defende que os órgãos de trânsito deveriam ser flexíveis quanto à questão, uma vez que o transporte regular e a infraestrutura viária são realidades distantes em uma região pobre.

Durante a leitura, o petista lembrou que a situação exige providências urgentes das autoridades envolvidas, no sentido de encontrar alternativas, como “escolta de comboios” ou outras medidas adequadas para os romeiros chegarem a Canindé. Desde o início das festividades em 9 de outubro até ontem, foram impedidos mais de 200 veículos de chegarem a Canindé, “causando constrangimento, sofrimento e revolta aos peregrinos devotos de São Francisco”, diz o manifesto.

“Se continuar essa Operação, chegaremos ao final da Festa 2014 com uma diminuição drástica no número de visitantes e teremos acumulado prejuízos incalculáveis para nossa economia local e regional. Queremos preservar os interesses dos romeiros. Queremos tolerância à sua cultural e secular prática religiosa”, disseram os franciscanos no documento.

“Reforço aqui a cobrança de flexibilidade por parte das autoridades sobre essa questão, para que, nos próximos anos, os órgãos de fiscalização encontrem um termo de ajustamento de conduta que não prejudique a religiosidade do povo nordestino”, salientou o deputado Dedé Teixeira.

A polêmica teve inicio quando cinco caminhões que transportavam romeiros foram apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal. Os veículos seguiam do Município de Itatira para Canindé com muitas pessoas. Outro veículo, oriundo de Boa Viagem, também transportava, irregularmente, outros fiéis.

Vindos do Piauí, no Município de Esperantina, 70 romeiros tiveram que ser deslocados para a rodoviária de Tianguá, quando a PRF interceptou o veículo por transporte irregular de pessoas. A operação Romaria Segura segue até 21 de outubro, e foi intensificada esse ano devido a uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF).

Tags: ,

Requisição satisfaz a interesses de políticos

Publicado em 19/10/2014 - 10:04 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Juízes do Tribunal Regional Eleitoral, em sessão da última quinta-feira, quando foi decidido o pedido ao TSE, o envio de Forças Federais Foto: Natinho Rodrigues

Juízes do Tribunal Regional Eleitoral, em sessão da última quinta-feira, quando foi decidido o pedido ao TSE, o envio de Forças Federais Foto: Natinho Rodrigues

Por Edison Silva

A decisão dos integrantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de solicitar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a requisição de Forças Federais para garantir o segundo turno das eleições em alguns municípios da Região Metropolitana de Fortaleza, mesmo sendo atendida, não coibirá os crimes comuns das eleições, praticados aqui e pelo Brasil afora, dentre eles, o mais comum, a compra de voto.

Vai servir, principalmente, para levar o Estado, e por extensão os seus políticos, ao quadro de honra onde estão fincados os nomes daqueles responsáveis em tornar menor a política e a democracia brasileiras, além deixar maculada a Polícia Militar, uma instituição que, pela importância do serviço a ser prestado à sociedade, não deveria estar sendo execrada pelo comportamento de uns poucos, dentro e fora dos seus quadros.

Mesmo que venha a ser inócua a sua presença, por razões várias, os responsáveis pela Justiça Eleitoral cearenses não poderiam deixar de reclamar o concurso das Forças Federais, sobretudo após a manifestação do próprio governador Cid Gomes, responsável primeiro pela Segurança do Estado, neste espaço reportado no último domingo, uma semana após o discurso do chefe do Executivo cearense, em que ele denunciou a existência de uma “milícia” com atuação efetiva no dia da votação no primeiro turno das eleições.

Reclamado

Naquela oportunidade advertimos: “Dito por qualquer outro político, a denúncia (de Cid) poderia até ser levada para o campo da suspeição, ou de ter sido proferida em face de interesse contrariado. Mas pelo governador, a afirmação tem um sentido bastante forte, merecedora de avaliação percuciente da parte dos integrantes da Justiça Eleitoral, responsável pela ordem e lisura do pleito”. E foi feito, como reclamado, com o procurador eleitoral, Rômulo Conrado, provocando a manifestação da Corte Eleitoral cearense a chegar onde chegou.

Surpreendeu, de certa forma, a resposta do governador à presidente do TRE, desembargadora Iracema do Vale, com suas alegações para justificar “que o Estado do Ceará compreende salutar e fortalecedora a solicitação de atuação das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica)” na votação do próximo domingo, última etapa do processo de disputa pela sua sucessão.

Cid citou casos de insubordinações e crimes eleitorais praticados por policiais em serviço e com equipamentos da corporação, informações inquietadoras não só para a segurança deste pleito, mas para todos quantos necessitamos de uma Polícia disciplinada e eficiente em todos os momentos e ambientes sociais.

Abstraindo-se dos resultados da estada ou não de militares das Forças Armadas no Ceará, no próximo fim de semana, o fato de ter sido entendido, por quem de direito, estar faltando segurança para o encerramento do processo eleitoral, reclama pronunciamentos dos dois candidatos a governador deste Estado que transmitam confiança aos cearenses da existência, no futuro, de uma Polícia disciplinada, cumpridora do seu dever, respeitosa no tratar com a população e, sobretudo comandada por quem tenha autoridade para enfrentar os insubordinados seja de que patente for, dentro e fora da corporação.

Minimizar a vinda de militares da esfera federal como está requerida, ou tentar situá-la apenas ao ambiente da eleição, diminui os candidatos. Afinal, de há muito o Ceará deixou de ter homicídios por conta das campanhas eleitorais, embora persistam, como de resto no País, a prática de delitos atentatórios ao exercício da democracia, que só serão eliminados quando candidatos e eleitores, devidamente educados, agirem como verdadeiros democratas, sem compra e venda de votos.

Missão

Os ministros do TSE examinarão a solicitação feita pelos juízes do TRE cearense nesta semana. Pelo deferimento do pleito e o estabelecimento do quantitativo do contingente liberado, saber-se-á o grau de importância dada à reivindicação feita. As razões da medida adotada no Ceará estão focadas fundamentalmente em questões internas na Polícia Militar. Não há argumentos relacionando disputa acirrada entre os grupos políticos, com ameaça à ordem pública, como não houve na etapa primeira da campanha, segundo os próprios depoimentos do representante do Ministério Público, antes do dia 5 de outubro.

Desse modo, se atendido for o pleito e militares das Forças Armadas forem designados para o Ceará, a missão deles será conter policiais, acusados da prática de ilícitos na esfera do Eleitoral.

Tags: ,

Aliado do governo destaca as ações para geração de empregos

Publicado em 19/10/2014 - 10:03 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Por Miguel Martins

O deputado Mauro Filho (PROS), em pronunciamento da tribuna da Assembleia Legislativa, voltou a destacar o crescimento na geração de emprego no Estado do Ceará nos últimos anos. O parlamentar lembrou, por exemplo, matéria do Diário do Nordeste, que atenta, justamente, para a abertura de 10,1 mil postos de trabalho no mês de setembro do corrente ano.

Conforme informou o governista, houve melhorias na distribuição de emprego, sendo que 50% da população cearense está localizada na faixa de oportunidade de emprego. “É bem verdade que o Ceará tem uma economia que cresce com velocidade maior que outras unidades da federação brasileira, inclusive, cresce acima da média brasileira”, ressaltou. De acordo com ele, nos últimos sete anos o Estado cresceu e gerou oportunidades de empregos acima do que estava acostumado a ter em gestões passadas.

Nos últimos sete anos, o Ceará gerou mais de 350 mil novos empregos de carteira assinada, e se for somado a isso o primeiro emprego e as oportunidades de trabalho para jovens aprendizes, o número sobe para mais e 400 mil, segundo disse o governista. “Esse foco de desenvolvimento econômico tem sido a marca dessa gestão”, disse ele, destacando a geração de emprego no mês de setembro, conforme publicado pelo jornal.

Foram gerados 10,1 mil empregos, o maior índice desde 2009, ano de crise financeira. “Desde setembro de 2003, retirando o de 2009, não existe nenhum mês que se gerou tanto emprego quanto agora, o que demonstra, cabalmente, que a política de expansão da economia cearense conseguiu retirar 724 mil pessoas da extrema pobreza”, afirmou.

Conforme dito na matéria, nos últimos 12 meses, o Ceará continuou sendo o principal gerador de emprego formal no Nordeste. O Estado criou 50 mil empregos no intervalo de tempo, o que dá um aumento de 4,26% em relação ao mesmo período do ano passado. A Bahia segue no segundo lugar, com 33,8 mil postos criados. O setor de serviços continua como o maior impulsionador de postos formais no Estado, tendo criado 3.524 vagas no mês passado.

Tags: ,

Eunício retira bandeira de Camilo Santana de residência e coloca a dele no lugar

Publicado em 19/10/2014 - 9:59 por | Comentar

Categorias: Eleição 2014, Eleições
  • Enviar para o Kindle

zzzaeuyedjsnsdsadsadsa

FOTOS: ERIKA FONSECA

A caminhada de Eunício Oliveira (PMDB) ao Município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), ontem, teve alguns momentos, no mínimo, inusitado, como a retirada de bandeira do concorrente, Camilo Santana (PT), hasteada em uma residência na Rua, e um princípio de tumulto entre correligionários das duas candidaturas. O postulante, mais uma vez, fez duras críticas à atual gestão, e disse que integrará toda a área metropolitana, com a conclusão das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e passe livre para estudantes do ensino médio.

Eunício Oliveira chegou 45 minutos depois do horário marcado, e antes da chegada do postulante, a avenida Dom Almeida Lustosa já estava tomada por apoiadores, dentre eles os deputados Danilo Forte (PMDB), Roberto Mesquita (PV) e Eliane Novais (PSB). Um paredão de som tocava músicas da campanha, como forró e funk. Em dado momento, um morador do local abordou a reportagem do Diário do Nordeste e reclama da sujeira que os candidatos fazem nas ruas, e diz que isso não deveria ser aceito pela Justiça Eleitoral.

Enquanto os apoiadores aguardzeunicio 3avam a chegada do peemedebista, motoqueiros da campanha de Camilo Santana foram ao local e fizeram “buzinaço”, enquanto que os correligionários de Eunício aumentaram o som e gritavam palavras de ordem.

O trânsito por algum momento ficou interditado com as motos no meio da via, o que impedia que motoristas trafegassem

Em uma Rua próxima a avenida, algumas garotas dançavam um funk da campanha de Eunício, que falava de “Educação, Saúde, e Coração”. As militantes dançavam de forma sensual, rebolando o corpo, enquanto que outras pessoas tiravam fotos e faziam vídeos.

Quando o candidato chegou ao local do evento, logo reclamou do barulho, como sempre faz. Eunício é sensível ao barulho dos carros de som e fogos de artifício que são soltados sempre que ele chega a um evento.

zeunicio 4zeunicioo 5

O que surpreendeu a todos foi o fato de o candidato ter subido em uma residência e, juntamente com correligionários, ter  retirado a bandeira de Camilo Santana que estava hasteada na varanda da casa. Depois que o assessor retirou o instrumento, Eunício colocou a dele, que ficou ao lado de uma bandeira de Dilma Rousseff. A moradora do local afirmou que mudou de lado, de última hora, porque o “Eunício é mais atencioso do que o Camilo”. Segundo ela, todas as visitas feitas pelo candidato petista foram realizadas mais distante do povo.

Tags: , , ,

Vereador decide apoiar petista

Publicado em 18/10/2014 - 9:51 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Eulógio Neto estava com Eunício no 1º turno, mas resistia a mudar de lado mesmo após o seu partido, o PSC, declarar apoio a Camilo no 2º turno FOTO: LUCAS DE MENEZES

Eulógio Neto estava com Eunício no 1º turno, mas resistia a mudar de lado mesmo após o seu partido, o PSC, declarar apoio a Camilo no 2º turno FOTO: LUCAS DE MENEZES

Poucos dias depois de a direção estadual do PSC anunciar que, neste segundo turno, o apoio do partido será direcionado à candidatura de Camilo Santana (PT) e não mais a Eunício Oliveira (PMDB), a única liderança da sigla que resistia a seguir a orientação, vereador Eulógio Neto, foi ao comitê central do petista e ainda organizou uma carreata em defesa do novo aliado.

O parlamentar também participou da reunião com os agentes de saúde, no comitê central, e ajudou a organizar uma carreata em defesa do novo aliado, no bairro Conjunto Ceará, com a presença do prefeito Roberto Cláudio e Ciro Gomes. No início da semana, o presidente estadual do PSC, Wellington Sabóia, chegou a declarar que iria tentar convencer o correligionário a mudar o apoio na disputa do Governo do Estado.

À época, o presidente municipal do PSC, Benigno Júnior, disse não acreditar que Eulógio Neto fosse seguir a decisão do partido, principalmente por conta da ligação do parlamentar com o coordenador de campanha de Eunício Oliveira, o vice-prefeito Gaudêncio Lucena.

Entretanto, Eulógio Neto ressaltou que decidiu seguir a decisão do partido ao perceber que era preciso “olhar para a frente”. O parlamentar alegou que, apesar da ligação dele com o PMDB, a relação dele com o prefeito Roberto Cláudio pesou na sua escolha em declarar apoio a Camilo Santana. “Decidi seguir o partido. Nunca fui tão assediado na minha vida como neste segundo turno. A gente tem que olhar para frente. Às vezes, a gente não pode amar sem ser amado”, declarou o parlamentar.

Na última quarta-feira, o prefeito Roberto Cláudio convidou Eulógio para uma conversa no Paço Municipal. O parlamentar revelou que, entre outros assuntos, eles trataram da nova posição do PSC neste segundo turno.

Expulsão

Já o PPL não conseguiu unificar todos do partido em torno da posição oficial da legenda. A executiva estadual encaminhou ao diretório nacional pedido de expulsão e cancelamento de filiação de um prefeito, três vice-prefeitos e 18 vereadores, acusando-os de terem desrespeitado a orientação política da sigla.

Uma das solicitações é a expulsão do prefeito de Itaitinga, Abel Cercelino Rangel Júnior. Filiado ao PPL desde 2011, ele é acusado de ignorar a orientação partidária em apoio às candidaturas de deputados estaduais e federal e contrariou os interesses do partido quando apoiou o candidato do PMDB, Eunício de Oliveira, no primeiro turno.

“Neste Segundo Turno para Governador do Ceará, Abel segue apoiando a candidatura do PMDB em diversidade à definição das candidaturas indicadas na I Convenção Estadual do Partido Pátria Livre”, destacou o partido em nota.

Além do prefeito de Itaitinga, foram solicitadas as expulsões de Fernando Nascimento, vice-prefeito de Palmácia; Paulo Justa, vice-prefeito de Canindé, e Marcelo Rodrigues, vice-prefeito de Pacatuba. No ofício enviado, foi reivindicada a exclusão de mais 18 parlamentares.

Tags: ,

Confira a programação dos candidatos para este sábado (18)

Publicado em 18/10/2014 - 9:50 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

Camilo Santana (PT)

15h – Carreata em Araripe

17h – Carreata em Campos Sales

19h – Carreata em Iguatu

Eunício Oliveira (PMDB)

10h – Caminhada em Caucaia
Concentração: Av. Dom Almeida Lustosa – Bairro Jurema

16h – Carreata em Maracanaú
Concentração: Av. Central do Novo Oriente

Tags: , ,

Camilo fica na Capital e Eunício vai ao Interior

Publicado em 18/10/2014 - 9:49 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle
Camilo Santana começou a sexta-feira conversando com grupo de agentes de saúde que foram reivindicar compromissos com suas demandas salariais. Depois ele esteve com oficiais da Polícia Militar do Estado Foto: Érika Fonseca

Camilo Santana começou a sexta-feira conversando com grupo de agentes de saúde que foram reivindicar compromissos com suas demandas salariais. Depois ele esteve com oficiais da Polícia Militar do Estado Foto: Érika Fonseca

O candidato Camilo Santana (PT) dedicou parte do dia de ontem para se reunir com diferentes categorias profissionais na intenção de firmar compromissos com cada uma das representações. Antes de ir aos municípios de Crateús e Tauá para participar de carreatas, o petista conversou com oficiais da Polícia Militar, agentes de saúde espalhados pelo Estado e ainda recebeu membros de centrais sindicais.

O candidato Eunício Oliveira (PMDB) teve uma extensa agenda de campanha, ontem, em três municípios do Interior cearense, começando por Quixadá, onde fez uma caminhada com correligionários no meio da manhã. Depois ele seguiu para Limoeiro do Norte, no Vale Jaguaribano, onde teve reuniões com correligionários. O peemedebista encerrou a movimentação da sexta-feira reunido com aliados em Sobral, no início da noite.

Demandas

Camilo Santana, ao fim das reuniões reservadas que teve ontem, evitou afirmar que a realização de diversas reuniões com representantes de categorias profissionais neste segundo turno da disputa tenha sido planejada como uma ação específica de sua campanha para buscar voto dos representantes de entidades sindicais ao alegar que a necessidade de permanecer em Fortaleza estaria sendo a principal razão para o cumprimento deste tipo de agenda.

“Primeiro é porque já existiam algumas demandas e este segundo turno tem exigido muito que a gente fique em Fortaleza por conta da gravação dos horários eleitorais. Todos os dias, nós temos programas. De segunda a domingo. Então, tenho utilizado parte desse tempo que eu fico aqui para gravação para receber entidades, movimentos sindicais, representantes da sociedade”, justificou o petista após receber as categorias no Comitê Central.

Diversos agentes de saúde lotaram, ontem, o comitê de Camilo Santana no espaço posicionado em frente a um palco montado, mas o petista evitou o contato com a multidão, recebendo apenas alguns integrantes numa sala de reuniões de forma reservada. Após o encontro, o candidato informou que firmou dois compromissos com a categoria e prometeu estudar as limitações do Estado para atender uma terceira demanda deles.

“O compromisso que eu já tinha assumido em alguns municípios que eu já tinha visitado e tinha recebido os agentes de saúde era garantir a implantação do piso que foi aprovado a nível nacional e também pagar insalubridade. Uma terceira questão é que eles querem uma mudança de regime. Em relação ao regime, eu me comprometi que formaria uma comissão, caso fosse eleito, com uma composição paritária para a gente estudar essa mudança de regime e qual impacto que isso traria para o Estado”, esclareceu o petista.

Limitações

O candidato também pontuou a necessidade de valorizar o trabalho dos agentes de saúde, mas defendeu que qualquer postulante na disputa eleitoral precisa ter noção das limitações orçamentárias do Governo do Estado antes de se comprometer com as demandas exigidas pelas diferentes categorias profissionais.

“Acho que o agente de saúde tem um papel muito importante na ação preventiva da saúde. A relação que tem no município com as famílias, as pessoas. Acho que precisa ser valorizada. O governador Cid já tinha reconhecido o agente num regime especial ainda em 2008, quando assumiu o Governo”, frisou.

Antes do encontro com os agentes de saúde, Camilo Santana revelou também ter se reunido com oficiais da Polícia Militar para ouvir as demandas dos profissionais da segurança pública. “Eu quero acabar com as distorções salariais que existem dentro da Polícia. Já me comprometi que eu vou pagar a média do Nordeste. Não só para os oficiais, mas também para os praças. Quero criar a carreira de praça. Essa foi uma proposta elaborada pelos próprios oficiais, pela própria Secretaria. Eu já estou analisando e um dos compromissos meus é também levar para a Assembleia essa lei para que ela possa aprová-la”, ressaltou.

Camilo Santana defendeu que é necessário criar uma política permanente de valorização do servidor da segurança pública para estimular o trabalho de combate à violência. “Essa é uma área que me preocupa. Acho que nós precisamos estabelecer não só a disciplina e hierarquia dentro da polícia como criar uma política de valorização do servidor, até porque é importante que o servidor esteja estimulado para cumprir seu papel da segurança pública no Ceará”, ressaltou. Camilo ainda recebeu representantes das centrais sindicais CUT, CTB e UGT, que lhe manifestaram apoio.

Tags: ,

Programas frisam segurança pública

Publicado em 18/10/2014 - 9:48 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

As promessas para o combate à violência dominaram os programas dos dois candidatos ao Governo do Estado transmitidos, ontem, durante o horário eleitoral gratuito. Tanto Camilo Santana (PT) quanto Eunício Oliveira (PMDB) fizeram referências ao programa Pacto Pela Vida, implantado em Pernambuco, como modelo de ação para a segurança pública.

Na inserção de Camilo Santana, o petista ressaltou que o atual secretário da Segurança Pública, Servilho Paiva, foi o responsável pela implantação do Pacto Pela Vida em Pernambuco e mostrou imagens da visita que fez à sede da Pasta.

Já o candidato Eunício Oliveira abriu espaço para o depoimento da deputada estadual Eliane Novais (PSB) frisar que o programa Pacto Pela Vida teve êxito em Pernambuco, devido apenas à atuação do ex-governador Eduardo Campos. Em seguida, o peemedebista se apresentou como um futuro gestor de pulso forte para implantar com sucesso o projeto no Estado.

Os dois programas também pontuaram outros projetos para a área da segurança pública, além de destacarem o programa Pacto Pela Vida. Entre as propostas de Camilo Santana, o petista garantiu aumentar o número de câmeras de vigilância, triplicar o número de equipes do RAIO e equipar caminhões para aumentar a rede de monitoramento das áreas mais vulneráveis à violência.

Já o programa do peemedebista Eunício Oliveira prometeu instalar uma rede de câmeras, definir oito pontos de base pelo Estado para a colocação estratégica de helicópteros, investir mais na Polícia Civil e aumentar para 20 o número de delegacias voltadas para as mulheres.

As promessas de mais diálogo com os profissionais da segurança pública e criação de políticas de valorização dos servidores também ganharam espaço na propaganda eleitoral apresentada por cada um dos dois candidatos ao Governo do Estado.

Tags:

Página 1 de 35512345...102030...Última »

Páginas

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999