Busca

14:32 · 26.05.2017 / atualizado às 19:37 · 25.05.2017 por

Emergiu do Gabinete do vereador-noviço Acrizio de Freitas (PRP) projeto para que a Prefeitura construa em Fortaleza um centro administrativo.

O parlamentar diz que trata-se de “demanda antiga da população” – aliás, essa história de “demanda antiga” é um argumento que tem servido para muitas coisas, até mesmo para dar lustro em propostas que não têm muita correspondência com anseios coletivos.

Acrizio de Freitas acredita que se deve “concentrar as instalações físicas da Prefeitura”. Mas pode não ser assim. O fracasso do Estado em ação similar, com a maioria dos órgãos – até o Gabinete do Governador – se acumulando nos anos 1980 e 1990 no centro administrativo do Cambeba, põe a tese em dúvida.

Dois pontos que despertam curiosidade: 1) A sugestão de que se use um imóvel que não é do município, mas do Estado, para abrigar o tal centro administrativo – o Centro Social Urbano do Conjunto Ceará; 2) A ideia de se executar o projeto e de se manter a estrutura por meio de parceria público-privada – afinal, que lucro teriam investidores particulares e o Município nessa parceria específica?

11:27 · 26.05.2017 / atualizado às 11:27 · 26.05.2017 por

A empresa de telefona Oi e o Instituto Oi Futuro anunciaram os projetos escolhidos pelo Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2017/2018. O rol contempla iniciativas de todas as regiões do Brasil. A íntegra da relação está está neste link.

Abaixo, informações da Oi:

A Oi, por meio do Oi Futuro, promove, apoia e desenvolve ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que ampliam o repertório com plataformas de conteúdo, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, fomentam experimentações de inovação e estimulam conexões.

Este ano, o Oi Futuro propõe um novo formato de edital, mais flexível e inclusivo, afinado com as formas de criação contemporâneas. Foram eliminadas as categorias e áreas artísticas – como Música, Teatro, Artes Visuais – valorizando a convergência de linguagens e abraçando ideias que já não cabem em rótulos e que dialogam com as cidades. Além disso, nesse novo edital, a forma de apresentação das propostas ficou mais simples e flexível, tornando a inscrição ainda mais acessível.

“Conseguimos atrair ideias inovadoras, que nos surpreenderam, e jovens fazedores que estão despontando. Chegamos a uma seleção marcada pelo frescor e a diversidade, que reflete a vocação do Oi Futuro como catalisador criativo, aproximando pessoas através da criação contemporânea, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso às artes na era digital”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro.

“Sonhamos, mais que nunca, com públicos (no plural), com todos os públicos”, completa.

09:18 · 26.05.2017 / atualizado às 19:18 · 25.05.2017 por

Apesar do voraz redemoinho político em que se afoga o País, as casas parlamentares permanecem nas quedas-de-braço ordinárias entre oposição e situação. Avaliações mais precisas desse cenário podem ser feitas a partir da observação dos movimentos em torno da confusa e acirrada tramitação da reforma trabalhista no Senado. Só o senador cearense José Pimentel (PT) assina 27 emendas para modificar o texto orientado pela gestão de Michel Temer (PMDB) e já aprovado na Câmara dos Deputados. Das sugestões do parlamentar, 16 suprimem aspectos que, para ele, prejudicam empregados.

Na análise de Pimentel, a mais grave das propostas da reforma trabalhista de Temer é a que permite que direitos atualmente assegurados em lei sejam desconsiderados para que prevaleçam acordos feitos entre patrões e empregados. Qualquer rumo que se dê à República vai ter de levar em conta debates desse porte.

05:27 · 26.05.2017 / atualizado às 19:32 · 25.05.2017 por

Publiquei na Coluna Comunicado, edição de hoje, do jornal Diário do Nordeste:

A Assembleia Legislativa aprovou ontem projetos que revisam os salários no Ministério Público, no Poder Judiciário e na Defensoria Pública do Ceará. Uma correção que não esbarrou em circunstâncias políticas – tanto deputados de situação quanto de oposição – ou, nesse caso, pelo menos a maior parte deles – não impuseram objeções às propostas. Não a chancela ordinária às matérias, mas a disposição de discuti-las de forma mais aprofundada merece registro. Os parlamentares deram um passo importante no diálogo com os demais servidores públicos.

E, meio que puxando o rabo e jogando o debate no chão, os deputados aprovaram projeto que define a vaquejada como Patrimônio Cultural do Ceará, assinado por Danniel Oliveira (PMDB). Na contramão dos movimentos ambientalistas, deve-se observar.

20:33 · 25.05.2017 / atualizado às 20:06 · 24.05.2017 por

Situado ao leste do litoral de Fortaleza, o projeto Aldeia da Praia – que substituiu o estaleiro pretendido pelo ex-governador Cid Gomes e foi uma das peças de resistência da gestão de Luizianne Lins (PT) como prefeita -, vai ganhar reforços de infraestrutura na gestão de Roberto Cláudio (PDT).

São previstas melhorias em drenagem e esgotamento sanitário.

A Habitafor, órgão municipal que coordena ações habitacionais, incluindo o gerenciamento local do Minha Casa, MInha Vida, planeja investir R$ 5,98 milhões nas obras.

15:00 · 25.05.2017 / atualizado às 20:03 · 24.05.2017 por

A Unifor realiza nesta quinta-feira mais uma edição da Mostra Unifor de Produtos Verdes. Já são 18 as versões do evento, que é semestral e visa a formar profissionais com responsabilidade socioambiental, além de fomentar a reciclagem como atividade econômica.

A mostra será no Centro de Convivência do Campus (Av. Washington Soares, em Fortaleza), começando às 18 horas.

A edição de hoje enfatiza a produção de acessórios de moda por alunos do curso de Design de Moda sob a orientação da professora Renata Santiago.

11:55 · 25.05.2017 / atualizado às 20:00 · 24.05.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado:

O Ceará tem um índice invejável de alunos de nível médio em escolas profissionalizantes. É o primeiro do Nordeste e o segundo do País. Os dados foram saudados ontem no Palácio da Abolição não só pelo quantitativo – 47.034 estudantes, segundo o Anuário Brasileiro da Educação de 2017, do Movimento Todos pela Educação. O que se alcança é uma conceituação diferenciada que pode servir como antídoto para mazelas sociais. Algo como o saber contra a violência. Ou a inteligência contra as drogas. Ou o trabalho contra a desqualificação. A questão é instituir e, com organização, manter uma política de Estado bem consolidada para assegurar o bem coletivo que for conquistado.