Busca

Categoria: Ambiente


10:59 · 08.12.2017 / atualizado às 11:15 · 07.12.2017 por

Da Coluna Comunicado, nesta sexta-feira:

O fim do ano já está aí, dobrando a esquina. Pois no próximo dia 31, em vez de trocar mensagens de otimismo, pode ter gente às voltas com o desafio de sobreviver. São produtores rurais de pequeno porte, sobretudo no Nordeste e no Norte – regiões assoladas por uma seca braba de mais de seis anos. É que, junto com 2017, termina a vigência de portaria que dá aos empreendedores, com o Programa Vendas em Balcão da Conab, acesso aos estoques de milho do governo a preços compatíveis aos do mercado atacadista local. A medida assegura preço até R$ 33,00 para a saca de 60 quilos.

A questão do milho já chegou aos parlamentos, que se dividem entre a relevância de temas políticos e o ramerrame das rotinas de fim de ano. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), começou a articular a prorrogação da portaria com a Conab. E até se dispõe a levar o assunto ao Ministério da Agricultura.

06:15 · 08.12.2017 / atualizado às 11:17 · 07.12.2017 por

A alta estação turística que está começando vai encontrar em Fortaleza uma nova legislação de controle da emissão de sons.

Ou seja, com um novo volume.

É que a chamada “lei do silêncio”, que definia sanções pesadas a quem passasse dos limites, foi alterada. E ficou mais suave, principalmente para profissionais da música.

O vereador Salmito Filho (PDT), presidente da Câmara de Fortaleza, foi um dos articuladores das novas regras. Entidades públicas, como Seuma e Ministério Público, e particulares, como Ordem dos Músicos, Sindicato dos Músicos e Associação dos Bares e Restaurantes, foram ouvidas para a redefinição.

08:45 · 28.10.2017 / atualizado às 07:53 · 26.10.2017 por

Na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste, na edição deste sábado:

A Superintendência do Patrimônio da União no Ceará deu uma arrancada das boas no último ano. O apanhado de ações no período inclui o desembaraço de área para a regularização de 12 mil casas pela Prefeitura de Fortaleza e a liberação para o Governo do Estado de 1,6 mil hectares do Parque do Cocó. São números superlativos. E, nesse derradeiro caso, resolveu-se pendência que persistia havia ao menos 25 anos – sem contar a retórica política em torno daquele patrimônio, que já soma 40 anos. Há um personagem que se movimenta discreta e eficientemente no ambiente da SPU-CE: o advogado Cláudio Cruz, titular do órgão.

No quadro que vai se desenguiçando, alguns municípios já encaminharam planos de gestão de praias, o que inclui a capacitação de gestores. Uma onda que envolve aspectos ambientais e social, deve-se notar, com repercussões políticas e econômicas inquestionáveis.

19:09 · 23.10.2017 / atualizado às 16:12 · 20.10.2017 por

O Congresso Nacional realiza amanhã sessão em que vai analisar vetos e créditos suplementares ao Orçamento da União.

A pauta inclui um item importantíssimo para o Ceará. Trata-se de uma emenda conjunta da bancada federal do Estado que totaliza R$ 112,3 milhões, dinheiro a ser investido na perfuração de poços.

O senador Eunício Oliveira (PMDB), presidente do Senado e do Congresso, diz que o objetivo agora é “buscar uma alternativa de convivência com à seca”.

Segundo Eunício, 115 municípios do Ceará já decretaram situação de emergência por conta da falta de chuvas.

10:04 · 23.10.2017 / atualizado às 09:06 · 19.10.2017 por

Publiquei na Coluna Comunicado,l do jornal Diário do Nordeste, nesta segunda-feira:

A Prefeitura de Fortaleza procura quem se interesse em explorar quiosques da Praça Dom Hélder Câmara, antes conhecida pela desairosa data de “31 de Março”. E, nos limites do que a lei autoriza, oferece vantagens, como espaço para divulgar serviços e carência de dois meses para pagamento da primeira parcela estipulada. Ou alguém na Prefeitura mora em outro planeta, ou não sabe da insegurança que afeta aquela região – ou, pior, a cidade toda. E que é também atribuição do município agir para proteger o cidadão.

O edital do Paço Municipal trata de dois quiosques na Praça Dom Helder Câmara – que foi inaugurada há dois anos, após outros quatro de obras, e ainda busca quem ocupe os espaços comerciais que dispõe. E define R$ 577,00 como custo mínimo mensal para a cessão de cada unidade, que tem 25,5 m². A localização, em plena Praia do Futuro, seria privilegiada e o preço camarada, se não fossem encrencas graves.

O que o edital não diz é que a Prefeitura de Fortaleza deveria comprometer uma parcela, mínima que seja, da mão de obra da Guarda Municipal, que tem a missão institucional de proteger o patrimônio da cidade e é remunerada com os impostos duramente pagos pelo cidadão, para atuar naquela praça à beira-mar. Enfim, para viabilizá-la como espaço para lazer e fruição da sociedade.

09:54 · 21.10.2017 / atualizado às 08:57 · 19.10.2017 por

A Prefeitura de Sobral vai caminhando para o fim uma iniciativa que visa a salvar o Centro Histórico da cidade do catatau de fios imposto por operadoras de energia, telefonia e TV a cabo. É esse o propósito de convênio entre Secretaria da Infraestrutura do Estado e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O investimento na conclusão do projeto é bem significativo: R$ 1.035.485,99. Enquanto isso, em Fortaleza, a desordem visual e o perigo que paira sobre pessoas e patrimônios continua – mesmo com algumas tímidas menções do reação do Município.

Para Sobral, ficou definido o período de oito meses para a realização dos serviços. As obras começaram em 2010, numa articulação da Prefeitura. Um exemplo, então.

05:22 · 17.10.2017 / atualizado às 19:23 · 16.10.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

São cinco anos de seca, pelo menos. Tempo penoso e de largos prejuízos. A política dá hoje, mais uma vez, uma olhada na escassez hídrica que pode ir além da retórica de parlamentares. A Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa agendou para esta terça-feira audiência sobre as pequenas agroindústrias do Ceará. A abordagem do colegiado é pertinente, considerando a importância que o setor assumiu ao longo de anos – até mesmo com o apoio oficial regularmente assegurado.

Representantes do Governo do Estado, dos prefeitos, de produtores e do Banco do Nordeste devem participar da reunião. Mais do que chorumelas, é importante que se ouçam propostas dessa interseção de elementos.

22:51 · 11.10.2017 / atualizado às 13:54 · 08.10.2017 por

Outras notas que publiquei hoje na Coluna Comunicado:

Momento Maju
Para quem se atiça com feriadões, como o de amanhã a sábado: vai dar praia, indicam institutos que monitoram tempo e clima, também para alegria de quem trabalha com cultura e turismo. Temperaturas variando de 25º a 35º e poucas nuvens no Ceará todo. Zero de chuva até domingo.

***

Momento Dráulio
Mas se o calorão traz oportunidades de lazer bacanas, não custa lembrar que a radiação ultravioleta têm alcançado, digamos, índices ultraviolentos, sobretudo das 13 às 15h. E que temperaturas elevadas favorecem o aparecimento do mosquito transmissor da dengue, zica e chicungunha (aqui já aportuguesadas).

10:45 · 10.10.2017 / atualizado às 13:48 · 08.10.2017 por

Aqueles que querem ir muito além do discurso otimista e festivo da mobilidade urbana, encravado no cardápio oficial: será realizado hoje, a partir das 14 horas, no auditório da Biblioteca da Unifor, o I Fórum de Segurança Viária de Fortaleza.

A gerente da Parceria Global pela Segurança Viária, Judy Fleiter, vai falar sobre acidentes de trânsito.

Mas essa sugestão serve também para quem pretende não estancar na retórica pessimista e derrotista do massacre das ruas, articulada pelas oposições. Afinal, a palestra da Judy Fleiter vai abordar também os papéis da sociedade, academia, setor privado, mídia e governo no combate à violência no trânsito.

07:16 · 05.10.2017 / atualizado às 10:31 · 04.10.2017 por

Essa é interessante: o vereador Plácido Filho (PSDB), de Fortaleza, achou de cutucar uma ferida da gestão municipal, o abandono de espaços públicos que deveriam estar a serviço das comunidades mas acabam virando focos de problemas. E não abriu mão de relacionar casos.

Fala de Plácido: “Precisamos requalificar as nossas praças e parques, como o Rio Branco, Adail Barreto, Guararapes e Parreão. Esses locais estão abandonados, com lixo e falta de segurança”.

A observação é pertinente. Pra lá de pertinente, aliás.