Roberto Maciel

Categoria: Economia


09:54 · 23.04.2018 / atualizado às 09:54 · 23.04.2018 por

A Associação das Administradoras e Condomínios do Estado do Ceará (Adconce) lançará em breve uma nova articulação. É o que foi denominado de “UniCondomínios”, com o objetivo de capacitar, treinar e trazer novidades sobre o setor de condomínios

Está ateé sendo programada pela Diretoria de Eventos da entidade uma agenda de cursos com foco nas áreas jurídica, de gestão, de finanças, de sustentabilidade, de segurança e de infraestrutura.

A ação será ministrada por especialistas dos respectivos setores.

10:45 · 05.04.2018 / atualizado às 05:51 · 05.04.2018 por

As pessoas físicas e jurídicas, micro e minigeradoras de energia elétrica, por intermédio de equipamentos fotovoltaicos instalados em residências e/ou condomínios residenciais, são o novo público beneficiado pela linha do FNE Sol, que é operacionalizada com exclusividade pelo Banco do Nordeste. O anúncio foi na Reunião Conjunta dos Conselhos Deliberativos da Sudam, Sudene e Sudeco.

Conforme o presidente do BNB, Romildo Rolim, a ampliação do FNE Sol, que já contemplava pessoas jurídicas e empreendedores rurais, beneficiará milhares de famílias no Nordeste. “O BNB já investiu mais de R$ 65 milhões para a micro e minigeração de energia. Somos banco de desenvolvimento e estamos preparados para financiar todas as pessoas interessadas na aquisição dessa moderna tecnologia de energia limpa”.

A reunião também marcou a assinatura de contratos com empresas de geração e distribuição de energia. Enel Distribuição Ceará, Grupo Echoenergia e Atlas Energias Renováveis, juntas, irão investir mais de R$ 1,4 bilhão nos estados da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte, sendo mais de R$ 1,0 bilhão financiado pelo FNE Infraestrutura.

Para 2018, o BNB dispõe de R$ 30 bilhões em recursos do FNE, sendo R$ 14,8 bilhões para infraestrutura. Só em março último, mais de R$ 4 bilhões foram contratados para diferentes atividades econômicas, dos quais R$ 2 bilhõe foram para projetos de infraestrutura, especialmente na área da energia.

(…)

No primeiro trimestre deste ano, o BNB já regularizou 14,6 mil operações em toda a sua área de atuação, num montante superior a R$ 840 milhões. Toda a rede de agências do Banco está trabalhando nas renegociações/liquidações pela Lei 13.340, que tem vigência até dezembro de 2018.

10:54 · 16.03.2018 / atualizado às 06:55 · 15.03.2018 por

Da Coluna Comunicado, hoje:

Soma R$ 29,173 milhões projeto da Secretaria do Turismo do Estado que contempla pavimentação, drenagem e sinalização na região do Porto das Dunas, em Aquiraz. Trata-se de um dos mais importantes polos turísticos do Ceará, mas que, apesar desse caráter, não recebia a atenção devida dos órgãos públicos – ao ponto de depredadores do ambiente que se apresentam como “empreendedores” destruírem e pregarem abertamente a destruição de dunas e de outros bens naturais. Há um sentido de qualificação em iniciativas como a que vai ser realizada. Isso alcança não só o lado ambiental, mas a economia e o desenvolvimento social. E, em medida necessária, cria um bloqueio à degradação.

20:03 · 15.03.2018 / atualizado às 20:04 · 15.03.2018 por
Romildo Rolim, presidente do BNB

A bancada parlamentar nordestina participou nesta quinta-feira, em Brasília, de encontro realizado pela Câmara Federal para apresentação do desempenho do Banco Nordeste em 2017 e estratégia de atuação para fortalecimento da economia da Região em 2018.

Na reunião, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marum, elogiou o trabalho da intituição. “O BNB está de parabéns pelo incremento de 42% das aplicações com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), em comparação a 2016”.

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, avaliou a reunião como  bastante produtiva e ressaltou: “Foi muito importante termos essa oportunidade com os deputados federais para fazemos uma prestação de contas das atividades e resultados obtidos pelo corpo funcional do Banco em 2017. Destacamos as ações de fomento da instituição para este ano com ênfase no orçamento de crédito para investimento, capital de giro e custeio, além do apoio a estudantes por meio do Programa de Financiamento Estudantil (Fies), e os esforços direcionados para regularização de dívidas dos agricultores”.

08:52 · 28.02.2018 / atualizado às 08:52 · 28.02.2018 por

A Assembleia Legislativa está recebendo hoje o secretário da Fazenda do Ceará, Mauro Benevides Filho – que já foi deputado na Casa. Mauro vai apresentar o demonstrativo da receita corrente líquida do Estado referente ao mês de dezembro de 2017, assim como o acumulado dos últimos 12 meses do ano do ano passado.

A iniciativa cumpre a Lei de Responsabilidade Fiscal, que determina que o Executivo apresente a avaliação do cumprimento das metas fiscais ao Legislativo. Ele destaca ainda que a exposição contribui para o fortalecimento da fiscalização e o acompanhamento das ações do Estado por parte da Assembleia Legislativa.

A receita corrente líquida é a soma das receitas tributárias, de contribuições, patrimoniais, industriais, agropecuárias, de serviços, transferências correntes e outras receitas também correntes, deduzidos, sobretudo os valores transferidos, por determinação constitucional ou legal, aos estados e municípios.

12:14 · 26.02.2018 / atualizado às 18:16 · 23.02.2018 por

O empreendedorismo está ficando mais fácil em Sobral, município da Zona Norte do Ceará. Ou, de acordo com o ponto de vista, está ficando menos complicado. É que a prefeitura e a Junta Comercial do Estado firmaram convênio para facilitar com medidas de desburocratização a abertura de novas empresas no município.

Há focos específicos no acordo. São a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (RedeSim), e o Projeto Integrar, que tem implantação, operação e consolidação previstos no convênio.

A situação é assim: hoje, vencer a burocracia para abertura e demais registros de empresas em Sobral consume, em média, preciosos 15 dias de quem que empreender. Com o convênio, que prevê um balcão de digitalização da Unidade Descentralizada da Jucec, vai cair para um dia útil.

06:12 · 26.02.2018 / atualizado às 18:14 · 23.02.2018 por

Hoje, na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Pouca coisa separa os cofres da Prefeitura de Fortaleza de US$ 83 milhões – algo em torno de R$ 270,165 milhões – a serem emprestados pela Corporação Andina de Fomento, a CAF. Dinheiramas assim, além dos trâmites legais, têm de vencer barreiras políticas. Por isso, dependem mais de articulações e diálogos do que de contas matemáticas, e precisam superar discussões e injunções em plenários. Os recursos vão ser aplicados no Programa “Fortaleza, Cidade com Futuro”. E futuro é, de fato, expressão cabível. Afinal, 2020, com uma cena eleitoral imprevisível, vem aí.

07:20 · 23.02.2018 / atualizado às 07:20 · 23.02.2018 por

Em busca de engrenar uma candidatura a presidente da República, o ministro da Fazenda, Henrique Meireles, está a caminho de Fortaleza. Ele vem para evento hoje, tendo como tema a economia e os desafios de votar projetos na área econômica. A palestra, exclusiva para convidados das entidades, acontece no Hotel Gran Marquise.

Meireles é visto como alternativa capaz de conter arroubos radicais da direita, que flerta com o militarismo pregado pelo deputado Jair Bolsonaro e que, pela falta de quadros com credibilidade, tem dificuldades de se posicionar no quadro sucessório deste ano.

O ministro é um executivo da área financeira com carreira internacional. Considerado uma das figuras mais respeitadas do ambiente financeiro no país e no exterior, Henrique Meirelles foi presidente internacional do BankBoston (principal executivo) e presidente do Banco Central do Brasil (BCB), cargo que ocupou de 2003 a 2011.

05:45 · 23.02.2018 / atualizado às 05:45 · 23.02.2018 por

Principal agente de desenvolvimento regional do País, o Banco do Nordeste registrou em 2017 lucro operacional de R$ 1,1 bilhão. A cifra indica crescimento de 160% em relação ao lucro de 2016, que foi de R$ 442,4 milhões.

“Esse resultado independeu da continuidade da seca na Região e do cenário econômico desafiador, evidenciando a importância de um banco de desenvolvimento no financiamento às atividades produtivas em todos os 1.990 municípios de 11 Estados (Nordeste, norte dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo)”, explicou o presidente do BNB, Romildo Rolim, no Relatório da Administração da empresa.

Entre os fatores que ocasionaram o aumento, estão a redução com despesas de aprovisionamento de créditos e o crescimento da margem financeira, proporcionado por menores custos de captação. O lucro líquido alcançou R$ 681,7 milhões no exercício.

As informações abaixo são da assessoria de Imprensa do BNB:

As demonstrações financeiras também incluem o resultado das aplicações de crédito no ano. Ao todo, o BNB contratou R$ 26,4 bilhões, o que representou acréscimo de 19,3% em relação ao exercício de 2016. Desse montante, R$ 15,97 bilhões foram oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), a principal fonte de recursos do BNB. Trata-se da maior aplicação anual já realizada com recursos do FNE, 42,1% superior à realizada no ano anterior.

Na distribuição das aplicações do Fundo Constitucional, R$ 12,32 bilhões foram destinados a empreendimentos dos setores Rural, Industrial, Agroindustrial, Turismo e Comércio e Serviços. Outros R$ 3,65 bilhões foram direcionados a projetos de Infraestrutura e refletem a estratégia adotada pelo Banco do Nordeste com a criação de linha de crédito específica para o setor, o FNE Infraestrutura.

Em termos de quantidade de operações de crédito do FNE, houve incremento de 8,2% em relação a 2016, com saldo de 582.867 contratações em 2017, que beneficiaram produtores rurais, empreendedores individuais e empresas de toda a área de atuação do Banco do Nordeste.

A seguir, destaques na atuação do BNB no ano passado:

Desconcentração dos recursos

A aplicação dos recursos do FNE em 2017 também revela a desconcentração espacial do crédito. Todos os municípios da área de atendimento do Fundo Constitucional foram beneficiados com operações de crédito subsidiado. Foram R$ 4,7 bilhões destinados especificamente para empreendimentos localizados no Semiárido, em atendimento à Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), o que contribui para a redução das desigualdades regionais e para a promoção da equidade no acesso a oportunidades de desenvolvimento.

Curto e longo prazo

O volume total de crédito de R$ 26,4 bilhões, aplicados pelo Banco do Nordeste a partir do FNE e outras fontes de recursos, significou crescimento de 35,7% nas contratações com financiamentos de longo prazo em relação a 2016, somando R$ 16,5 bilhões. Esse tipo de crédito, que representou 62,5% das contratações em 2017, engloba investimentos rurais, industriais, agroindustriais, infraestrutura, comércio e serviços. Já os empréstimos de curto prazo, que envolvem produtos de crédito como capital de giro, cartão de crédito e conta garantida, bem como o programa Crediamigo, atingiram R$ 9,9 bilhões.

Agricultura Familiar

Principal agente financeiro na Região do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o Banco do Nordeste conta atualmente com carteira ativa de R$ 8,67 bilhões, e 1,79 milhão de operações. Em 2017, foram contratados 542 mil financiamentos, no valor total R$ 2,85 bilhões. Do montante aplicado, 68,9% compreendem financiamentos no Semiárido. Em comparação ao ano anterior, houve incremento de 15,8% no volume de recursos aplicados e de 8% na quantidade de operações contratadas.

Microcrédito rural

No âmbito do microcrédito rural, o Banco do Nordeste aplicou R$ 2,32 bilhões em 2017, com a contratação de 518,7 mil operações por meio do Agroamigo, programa lançado em 2005 e pioneiro no segmento de microfinança rural. Os números representam crescimento de 17,7% em relação a 2016 e contribuíram para o alcance de carteira ativa de R$ 4,1 bilhões, com mais de 1,36 milhão de operações. O programa Agroamigo atende os agricultores familiares incluídos no Pronaf com financiamentos de até R$ 15 mil para qualquer atividade geradora de renda no campo ou aglomerado urbano próximo.

Microcrédito urbano

Programa referência no segmento do microcrédito urbano, o Crediamigo desembolsou, em 2017, R$ 8,05 bilhões, por meio de 4,03 milhões de operações. O programa possui atualmente mais de 2 milhões de clientes com empréstimos ativos, com média de 16 mil desembolsos ao dia e taxa de inadimplência situada em 1,56%. O Crediamigo também contribui para inclusão financeira com a abertura de 329.554 novas contas correntes para clientes ao longo do ano, não sujeitas à cobrança de tarifa.

Micro e pequena empresas (MPEs)

Cerca de R$ 2,6 bilhões foram destinados pelo Banco do Nordeste em 2017 a micro e pequena empresas (MPEs), segmento composto por empresas com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões. Desse montante, R$ 2,4 bilhões referem-se a operações de longo prazo e utilizaram recursos do FNE. As contratações com crédito de curto prazo, que utilizam recursos internos, totalizaram, por sua vez, R$ 229,7 milhões. Ao todo, o Banco do Nordeste atendeu 24.626 MPEs no período.

Corporate

Com o segmento de clientes corporate, que engloba empresas com faturamento bruto anual superior a R$ 200 milhões, o Banco do Nordeste contratou R$ 2,59 bilhões com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O volume superou 46,8% o volume aplicado no mesmo período em 2016, sendo 62,9% destinados ao setor de infraestrutura. Com relação ao crédito de curto prazo, inclusive operações de câmbio, foram contratados R$ 950 milhões.

Renegociação de dívidas

Com base nos instrumentos de renegociação de dívidas rurais (Lei nº 13.340/2016 e Resolução CMN nº 4.591/2017), o BNB regularizou 295.466 operações ao longo de 2017. Desse total, 271.408 utilizaram recursos do FNE e resultaram em R$ 7,94 bilhões em recuperação de crédito e R$ 875,45 milhões em injeção de recursos. Os números representam o melhor resultado conseguido pelo Banco do Nordeste no âmbito da recuperação de crédito em toda a sua história.

06:53 · 10.02.2018 / atualizado às 06:57 · 09.02.2018 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, do Diário do Nordeste:

Na trilha de 2018 há uma notícia bacana para a economia do turismo – bem aquecida nestes dias de folia, nem é preciso dizer. É que está assinada pelo governador Camilo Santana (PT) a ordem de serviço de restauração da CE-534, via estratégica para o litoral do Estado. É uma rota fundamental entre o Ceará e o Rio Grande do Norte e dá acesso a praias importantes da Região, no município de Icapuí. Esse circuito, aliás, já está sendo melhorado com o aeroporto de Aracati e a duplicação de CE-040. Por ali escoam produções pesqueira e agrícola, além de comércio e serviços terem demandas supridas. Ou seja, trafegam aí medidas técnicas e políticas.

São dois trechos, somando 19,6 km, que passarão por reformas. Mas não é pra já. O próprio Estado estima que só deve concluir as obras em agosto. Isso significa que vão passar a atual alta estação e a próxima, em julho, até que a circulação naquela área esteja normalizada. Isso, na cena mais otimista e mais incomum, se não houver atrasos.

Pesquisar

Roberto Maciel

O blog é de autoria do jornalista Roberto Maciel, da coluna Comunicado, da editoria Cidade, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

11h10mCanoa Blues começa em Fortaleza dia 1º de novembro, no Centro Cultural BNB

08h10mO desapego municipal

06h10mDe longas datas

11h10mEscola de Gastronomia põe à mesa ciclo de formação

08h10m“Voto útil” para quem?

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs