Roberto Maciel

Categoria: Eleições 2014


08:00 · 13.10.2014 / atualizado às 06:28 · 13.10.2014 por

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará inicia nesta segunda-feira os trabalhos de geração de mídias do segundo turno das eleições. Representantes dos partidos, coligações, Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) foram convocados para acompanharem os processos, que acontecem no até a próxima quarta-feira, das 8 às 19 horas.

As informações abaixo são da assessoria de Imprensa do TRE:

Na geração de mídias, os cartões de memória de resultado, específicos para o segundo turno, recebem os dados dos candidatos que concorrem aos cargos de Governador do Estado e de Presidente da República.

Depois da geração de mídias, começará a preparação das urnas eletrônicas para o segundo turno. O procedimento consiste na inserção do cartão de memória de resultado de segundo turno nas urnas utilizadas no primeiro turno das eleições. No final deste trabalho, que vai até o dia 24 de outubro, as urnas são lacradas e assim permanecem até o dia da eleição. Todo o procedimento é público e pode ser acompanhado por qualquer cidadão.

No Estado, serão disponibilizadas para o segundo turno 22.486 urnas eletrônicas, sendo 19.921 para as seções eleitorais, 28 para as Mesas Receptoras de Justificativas Eleitorais (12 em Fortaleza, 1 em Jericoacoara, 1 no Porto das Dunas, 1 em Pecém, 1 em Aracati, 3 em Juazeiro do Norte, 3 em Caucaia, 3 em Maracanaú e 3 em Sobral), 15 para as seções de voto em trânsito (13 em Fortaleza e 2 em Caucaia) e 2.522 urnas reservas. No primeiro turno, foram substituídas 391 urnas eletrônicas, apenas 1,9% das 19.964 instaladas nas seções eleitorais, em todo o Estado.

O contingente mobilizado para o pleito é o mesmo do primeiro turno e ultrapassa 100.000 pessoas, sendo 1.000 servidores, entre efetivos e requisitados, 3.500 contratados, 79.786 mesários, 6.929 delegados de prédio e cerca de 10 mil policiais civis e militares do Estado e da Polícia Federal.

07:46 · 13.10.2014 / atualizado às 05:59 · 13.10.2014 por

O candidato ao governo do Estado Camilo Santana (PT) participou ontem de uma caminhada entre a Praia de Iracema e a Beira Mar de Fortaleza, denominado “Um passeio pra Criançada”.

Foi atividade de campanha, claro, mas é o tipo do momento que permite ao eleitor uma reflexão maior acerca das relações da política e da administração pública com as demandas mais graves da sociedade – entre essas, as da infância.

Palavras de Camilo: “Quero dialogar com todas as entidades que defendem os direitos das crianças e fortalecer todas as políticas que visam garantir que os nossos pequenos cearenses possam crescer saudáveis e com oportunidades”.

*** *** ***

Se o diálogo é fundamental, não é exagero dizer que buscar uma aproximação de setores da sociedade civil com representações oficiais, sejam secretarias, instituições ou fundações, é vital.

E é bom lembrar que a verticalização de medidas ou, de modo mais amplo, de políticas para públicos como o infantil nunca há de ser solução melhor do que a construção coletiva de propostas e ações.

Algo que engaje, portanto.

06:17 · 13.10.2014 / atualizado às 06:18 · 13.10.2014 por

Trecho de texto distribuído pela assessoria da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT):

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, acredita que o futuro do Brasil depende da Educação, com atenção especial às crianças. “A raiz da desigualdade está na diferença de oportunidades na primeira infância”, disse a presidenta ao reafirmar o compromisso do Governo Federal de apoiar a construção de 6 mil creches por todo o País. O governo Lula e Dilma valoriza o papel fundamental da democratização da Educação no exercício da cidadania e colocou o setor no foco de seu projeto de desenvolvimento para o Brasil. O investimento do Orçamento Federal em Educação passou de R$ 18 bilhões, em 2002, para R$ 112 bilhões em 2014, um crescimento real de 223%.

Para garantir o futuro das políticas públicas para a Educação, Dilma sancionou, em julho, o Plano Nacional de Educação (PNE), que garante investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) no setor, que consta entre as 20 metas e estratégias traçadas para o setor para os próximos 10 anos. “Nós aumentamos os investimentos em Educação a cada ano do meu governo, mas vamos fazer muito mais. Isto será possível porque, em 2013, tivemos uma vitória histórica, que foi a aprovação, no Congresso, da lei que propusemos e que destina 75% dos royalties do petróleo para investimentos em Educação”, destaca Dilma.

Para a presidenta, uma criança que tem acesso aos estímulos adequados na primeira infância terá maiores e melhores condições de absorver o aprendizado no futuro, especialmente na alfabetização. “Isso é algo que revolucionará o País. Por isso que nós assumimos fazer creche. Antes não existia essa política de fazer creche e pré-escola”, disse.

A meta é garantir a todas as crianças, desde cedo, os estímulos pedagógicos e cuidados de qualidade tão necessários a sua formação. A presidenta Dilma tem deixado claro em seus discursos que as creches são uma maneira de atacar a desigualdade em sua raiz, dando a mesma oportunidade de formação e estímulo a todas as crianças, além de apoiar as mães que trabalham fora.

O Governo Federal, nos últimos 12 anos, passou a apoiar os municípios no processo de expansão de vagas para a Educação Infantil. No governo Lula, foi contratada a construção de 2.543 creches e, no governo Dilma, até maio de 2014, mais 6.036 creches tiveram recursos autorizados para construção. Hoje, estão em funcionamento e já entregues 2.052 unidades. “Também estão em construção, com obras contratadas, sem nenhum problema, 4.055”, ressaltou Dilma. Outras 2.283 já foram contratadas e estão em fase inicial de construção.

19:42 · 10.10.2014 / atualizado às 19:44 · 09.10.2014 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

O DEM elegeu Moroni Torgan como o mais bem votado dos novos deputados federais do Ceará. Ok, foi um feito importante. Mas minguou para nada mais do que 22 parlamentares na nova composição da Câmara, que assumirá em 2015, e isso assombra. Aliado siamês do PSDB, o antigo PFL conseguiu o que parecia difícil: piorar o quadro de definhamento que sofria desde 2007, quando mudou de nome mas não mudou as atitudes. Tão grave quanto isso é o fato de que só reelegeu 15 dos 43 deputados federais que mantinha. Para a democracia, isso não é bom. Representante de um viés conservador, a sigla faz contrapontos políticos ao poder às vezes tidos como retrógrados, confusos e contraditórios, mas tinha justamente essa virtude: a de se contrapor. E agora, sem tônus, pálido, faz história ao contrário.

Na Assembleia do Ceará, o DEM só elegeu o deputado João Jaime, que já detinha vaga na Casa. A bancada, então, vai cair pela metade. Até o fim do ano, ainda tem mandato Idemar Citó, que em agosto desistiu de tentar a reeleição.

Para se ter ideia desse amofinamento, vale notar que o PCdoB – que está no polo político oposto – ampliou 100% a bancada. Vai ter a partir de 2015 como deputados estaduais Carlos Felipe e Augusta Brito. Ou seja, na contramão do DEM.

17:50 · 10.10.2014 / atualizado às 06:06 · 10.10.2014 por

Camilo Santana, candidato a governador pelo PT, realiza nesta sexta-feira reunião com deputados eleitos e suplentes. O encontro está marcado para começar daqui a pouquinho, às 18h30min, no Hotel Oásis Atlântico (Avenida Beira Mar), em Fortaleza.

O governador Cid Gomes, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o ex-ministro e atual secretário da Saúde do Estado, Ciro Gomes, e a vice de Camilo, Izolda Cela (Pros) estão listados entre os participantes.

Os objetivos da reunião são os de reforçar ações e diálogos com os parlamentares eleitos e de abordar responsabilidades.

A coligação liderada por Camilo, que conta com 18 partidos, conquistou expressiva maioria entre os parlamentares eleitos para a Assembleia Legislativa e para a Câmara dos Deputados a partir de 2015. O candidato, aliás, tem dito na propaganda de rádio e TV que uma das vantagens que detém sobre o adversário é a bancada ampla de apoiadores que somou, tanto na AL quanto na Câmara federal. Na Assembleia, a coligação ficou com 30 das 46 vagas – 65,2% da Casa. Já na Câmara, dos 22 deputados federais definidos pelo Ceará para a legislatura que vai começar em 2015, 14 são da coligação, o que representa 63,6% da bancada.

Um ponto adicional, e que merece atenção: o encontro vai tratar também de estratégias para reforçar a campanha de presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição.

06:46 · 10.10.2014 / atualizado às 19:48 · 09.10.2014 por

Cada candidatura a governador e a presidente da República neste segundo turno terá 240 inserções de publicidade nas programações de emissoras de rádio e televisão. No total, cada ala poderá contar com 120 minutos.

E é bom lembrar: no dia 24 de outubro termina a propaganda eleitoral de rádio e TV.

Essa nova etapa das veiculações, que começou ontem, compreende dois programas à tarde e dois programas à noite em cada mídia.

05:58 · 10.10.2014 / atualizado às 05:58 · 10.10.2014 por

O candidato a governador Camilo Santana (PT) promove hoje encontro com deputados eleitos e suplentes. A reunião, marcada para as 18h30min no Hotel Oásis Atlântico (Avenida Beira Mar) contará com a presença do governador Cid Gomes, do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e do ex-ministro e atual secretário da Saúde do Estado, Ciro Gomes.

É hora de reforçar ações e diálogos e de abordar responsabilidades.

E faz sentido: a coligação liderada por Camilo, que conta com 18 partidos, conquistou expressiva maioria entre os parlamentares eleitos para a Assembleia Legislativa e para a Câmara dos Deputados a partir de 2015.

O próprio Camilo Santana tem dito na propaganda de rádio e TV que uma das vantagens que detém sobre o adversário é a bancada ampla de apoiadores que somou, tanto na Assembleia quanto na Câmara federal. Na Assembleia, a coligação ficou com 30 das 46 vagas – 65,2% da Casa. Já na Câmara, dos 22 deputados federais definidos pelo Ceará para a legislatura que vai começar em 2015, 14 são da coligação, o que representa 63,6% da bancada.

04:10 · 10.10.2014 / atualizado às 19:46 · 09.10.2014 por

Da Coluna Comunicado, no jornal Diário do Nordeste, nesta sexta-feira:

O DEM elegeu Moroni Torgan como o mais bem votado dos novos deputados federais do Ceará. Ok, foi um feito importante. Mas minguou para nada mais do que 22 parlamentares na nova composição da Câmara, que assumirá em 2015, e isso assombra. Aliado siamês do PSDB, o antigo PFL conseguiu o que parecia difícil: piorar o quadro de definhamento que sofria desde 2007, quando mudou de nome mas não mudou as atitudes. Tão grave quanto isso é o fato de que só reelegeu 15 dos 43 deputados federais que mantinha. Para a democracia, isso não é bom. Representante de um viés conservador, a sigla faz contrapontos políticos ao poder às vezes tidos como retrógrados, confusos e contraditórios, mas tinha justamente essa virtude: a de se contrapor. E agora, sem tônus, pálido, faz história ao contrário.

Na Assembleia do Ceará, o DEM só elegeu o deputado João Jaime, que já detinha vaga na Casa. A bancada, então, vai cair pela metade. Até o fim do ano, ainda tem mandato Idemar Citó, que em agosto desistiu de tentar a reeleição.

Para se ter ideia desse amofinamento, vale notar que o PCdoB – que está no polo político oposto – ampliou 100% a bancada. Vai ter a partir de 2015 como deputados estaduais Carlos Felipe e Augusta Brito. Ou seja, na contramão do DEM.

19:52 · 09.10.2014 / atualizado às 05:56 · 09.10.2014 por

A vereadora Tamara Holanda (PSDC) é uma gracinha.

Ela foi à tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, regiamente paga pelo contribuinte e gastando recursos do mesmíssimo contribuinte, agradecer ao eleitor os votos dados ao pai dela, Tomaz Holanda (PPS), ex-vereador que vinha se ocupando da vida de suplente de deputado estadual.

Agora, Tomás foi guindado à séria e honrosa condição de integrante da Assembleia Legislativa do Ceará.

Enquanto isso, e enquanto a filhota Tamara se derrama em gratidão aos eleitores, a pauta da Câmara se arrasta.

11:58 · 09.10.2014 / atualizado às 05:51 · 09.10.2014 por

A Coluna Comunicado, que escrevo no jornal de Fortaleza Diário do Nordeste, publicou nesta quinta-feira:

O que esperar dos discursos que estão sendo preparados por Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) para serem apresentados no segundo turno? Não apenas propostas, saiba. O nível moral e ético do que for explorado pode servir de parâmetro para o voto, desde que o eleitor se disponha a pesar, medir e filtrar a qualidade de atos e palavras. Simples assim. A história ensina que a eventual opção de alguns postulantes em trocar propostas e debates por acusações e jogo baixo – o que se vê com frequência indesejada em disputas acirradas – tende a indicar o conteúdo político que um comitê ostenta. Ou seja, estratégias abjetas e condenáveis podem, paradoxalmente, guiar o cidadão em sentido oposto ao que apontam.

Durante o primeiro turno, a antipropaganda eleitoral foi tema frequente de representações ao TRE. Essa, a rigor, não é novidade quando se tratam de pelejas políticas. Novidade foi o volume de queixas respectivas às redes sociais na Internet e a aplicativos para celulares.

*** *** ***

Daqui a bem pouquinho, aliás, começa a exibição dos primeiros programas neste segundo turno.

Ao eleitor, o nosso aviso: todo cuidado é pouco. Afinal, o que se viu e ouviu no primeiro turno já é uma pista do que pode vir por aí.

Pesquisar

Roberto Maciel

O blog é de autoria do jornalista Roberto Maciel, da coluna Comunicado, da editoria Cidade, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

11h10mCanoa Blues começa em Fortaleza dia 1º de novembro, no Centro Cultural BNB

08h10mO desapego municipal

06h10mDe longas datas

11h10mEscola de Gastronomia põe à mesa ciclo de formação

08h10m“Voto útil” para quem?

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs