Roberto Maciel

Categoria: Eleições 2014


06:58 · 09.10.2014 / atualizado às 06:03 · 09.10.2014 por

A propaganda de rádio e televisão neste segundo turno, que começa daqui a pouco (primeiro no rádio), há de ser um momento novo no Ceará, mas da mesma disputa – diferentemente, portanto, da noção às vezes equivocada de que segundo turno é outra eleição.

O eleitor deve lembrar que Camilo Santana (PT), vitorioso no primeiro turno, e Eunício Oliveira (PMDB) já polarizavam na disputa dos votos.

E deve-se observar: cada coligação terá 10 minutos em cada programa. Vão ser 10 minutos para cada candidato a governador e 10 minutos para cada candidato a presidente.

Assim como no primeiro turno, serão dois programas de TV por dia, um à tarde e outro à noite. No rádio, do mesmíssimo jeito, mas um pela manhã e outro ao meio dia.

05:48 · 09.10.2014 / atualizado às 05:48 · 09.10.2014 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste, a propósito da retomada da propaganda eleitoral gratuita:

O que esperar dos discursos que estão sendo preparados por Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) para serem apresentados no segundo turno? Não apenas propostas, saiba. O nível moral e ético do que for explorado pode servir de parâmetro para o voto, desde que o eleitor se disponha a pesar, medir e filtrar a qualidade de atos e palavras. Simples assim. A história ensina que a eventual opção de alguns postulantes em trocar propostas e debates por acusações e jogo baixo – o que se vê com frequência indesejada em disputas acirradas – tende a indicar o conteúdo político que um comitê ostenta. Ou seja, estratégias abjetas e condenáveis podem, paradoxalmente, guiar o cidadão em sentido oposto ao que apontam.

Durante o primeiro turno, a antipropaganda eleitoral foi tema frequente de representações ao TRE. Essa, a rigor, não é novidade quando se tratam de pelejas políticas. Novidade foi o volume de queixas respectivas às redes sociais na Internet e a aplicativos para celulares.

10:30 · 08.10.2014 / atualizado às 06:04 · 08.10.2014 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste, de Fortaleza:

Aumentou a participação feminina nas casas parlamentares do Ceará. Na Assembleia Legislativa, o número de deputadas avançou de cinco para sete em relação à eleição de 2010. Na Câmara federal, passou de uma para duas integrantes – Gorete Pereira (PR) e Luizianne Lins (PT). É pouco? É, sim. Considerando que os partidos e as coligações têm de apresentar cota mínima de 30% de candidaturas femininas, as mulheres vão corresponder na Assembleia a pouco mais de 15% dos 46 deputados a partir de 2015. Um jogo de 39 x 7. Vai ser, literalmente, “A Casa das Sete Mulheres”. Na Câmara, a bancada feminina vai equivaler a apenas 9% dos parlamentares cearenses.

Nos partidos, as estruturas permanecem sob o controle de homens – apesar de fatos isolados, como o de a presidente da República ser mulher. Isso faz com que se registre parte das candidaturas femininas só em obediência à formalidade que define as cotas de 30% por gênero. Ou seja, um faz de conta legal.

3 por cento
Dos votos válidos foram destinados este ano à deputada federal Gorete Pereira (PR), que conseguiu se reeleger. Ela recebeu 130.983 indicações, ficando na oitava posição entre os 22 parlamentares.

2,18 por cento
Dos votos válidos foram obtidos por Aderlânia Noronha (SD), ex-primeira-dama do município de Parambu. Esse índice corresponde a 97.172 votos. Aderlânia foi a segunda mais bem votada na Casa.

07:52 · 08.10.2014 / atualizado às 05:56 · 08.10.2014 por

Do Diário do Nordeste, hoje, na editoria de Política:

O candidato Camilo Santana (PT) retomou, ontem, as atividades de campanha voltadas para a disputa do segundo turno com uma visita ao Mercado Central e afirmou que ele e com a coordenação de campanha ainda têm estudado as razões que o levaram a ter menos votos que Eunício Oliveira na Capital e na Região Metropolitana. Ele procurou conversar com Ailton Lopes (PSOL) e Eliane Novais (PSB).

O petista lembrou que ficou à frente do peemedebista em alguns municípios da mesorregião com maior número de eleitores do Estado, mas perdeu nos principais colégios eleitorais. “Na Região Metropolitana, nós ganhamos em vários municípios. Nós ganhamos em Horizonte, Beberibe, Eusébio, mas perdemos em Maracanaú, perdemos em Caucaia, perdemos em Fortaleza. Então, nós vamos tentar identificar. Estamos estudando e identificando os motivos” revelou o representante do PT na disputa.

Camilo Santana voltou a culpar as pesquisas eleitorais como razão para a derrota nos grandes colégios eleitorais da Região Metropolitana ao alegar que os dados sobre intenção de voto divulgados ao longo da campanha teriam interferido, principalmente, na escolha feita pelos indecisos, além da desmotivação provocada aos militantes.

“A pesquisa influenciou, até porque nós tínhamos um percentual de indecisos grande na véspera da eleição. Tem eleitor que quer votar em quem está na frente, isso abala a militância. Então, essa é a minha principal mensagem neste momento. Nas nossas pesquisas internas, nós já estávamos na frente”, pontuou.

Horário eleitoral

O representante do PT na disputa destacou também que as atividades programadas para a agenda planejada para este segundo turno deve ser menos intensa, devido à preocupação com o horário eleitoral gratuito. Camilo esclareceu que precisará se dedicar mais à gravação das inserções do que às passagens pelos municípios do Interior.

“Minha campanha vai manter o mesmo perfil, o perfil de apresentar minhas propostas, conversar. Eu não vou ter mais tempo de visitar o Ceará, porque vai ter programas eleitorais todos os dias. Então, vamos ter que nos dedicarmos muito à gravação”, explicou Camilo Santana.

Quanto à atenção que o petista vai dedicar para a Região Metropolitana, Camilo Santana disse que irá focar na apresentação das propostas voltadas especificamente para beneficiar os cearenses que residem nesta parte do Estado e citou como exemplo a implantação do sistema de bilhete único também para o transporte público intermunicipal.

“Nós vamos dar a mesma atenção que demos no primeiro turno. Apresentar novamente as propostas que eu fiz no primeiro turno, como a proposta do bilhete único intermunicipal para toda a Região Metropolitana da mesma forma que foi implantado em Fortaleza. Eu conversei muito com as pessoas que vinham de Caucaia e de outras cidades que, muitas vezes, pagavam duas passagens para chegar ao trabalho”, ressaltou.

Camilo Santana também pontuou a promessa de construção das policlínicas em Fortaleza com uma das proposta que podem garantir a ele o apoio de mais eleitores da Capital.

“Andando em Fortaleza também vi a necessidade das policlínicas, que é uma experiência importante que o Ceará teve no Interior do Estado. Eu me comprometi de fazer uma policlínica em cada regional em parceria com o prefeito Roberto Cláudio já no início do meu primeiro ano de Governo. Então, nós vamos continuar levando as propostas”, acrescentou.

06:35 · 08.10.2014 / atualizado às 06:15 · 08.10.2014 por

Do portal G1:

O diretório da Rede Sustentabilidade não chegou a um consenso quanto ao apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB), mas firmou posição em não apoiar Dilma Roussef (PT) no segundo turno das eleições à Presidência. De acordo com Walter Feldman, porta-voz da Rede Sustentabilidade, cerca de 20 integrantes do diretório se reuniram na noite desta terça-feira (7), por meio de teleconferência.

O não apoio à reeleição de Dilma deverá ser ratificado em nova reunião do diretório, a partir das 19h desta quarta-feira (8), de acordo com Feldman. “Eu diria que são posições já firmadas, o ‘não’ à continuidade do atual governo, porque a Rede (Sustentabilidade) entende que a alternância de poder é fundamental na democracia. E ficaria dificultada (a alternância) com a vitória do atual governo”, afirmou Feldman, já na madrugada desta quarta-feira.

Outro motivo, segundo Feldman, seria o empenho dos petistas para que a Rede não obtivesse o registro a tempo de lançar candidatura própria no pleito deste ano. “O PT trabalhou na questão da não aprovação da Rede Sustentabilidade, tanto por conta das dificuldades do seu registro, como na aprovação de lei que impede a criação do fundo partiidário e na utilização do tempo da televisão. Na nossa avaliação, é uma agressão à democracia muito grande”, disse.

Segundo o porta-voz da Rede, a segunda posição firmada é de uma manifestação pela mudança na política brasileira. “Por uma mudança, porém qualificada; não apenas uma mudança. Dar uma substância, um conteúdo, para que a mudança seja sintonizada com o desejo da sociedade brasileira”, completou.

Feldman disse que a Rede tem feito consultas informais com seus correlegionários por meio de pesquisas de telemarketing e estas apontaram que 73% são favoráveis a um eventual apoio a Aécio Neves e que de 10% a 15% seriam pró-Dilma. Mas que mesmo assim ainda não há um consenso em se apoiar Aécio Neves no segundo turno. Como o apoio não foi definido, também não foram discutidos acordos em torno de propostas de programa de governo com o PSDB, segundo Feldman.

*** ***

A íntegra está aqui.

*** ***

1) Para Feldman, “o ‘não’ à continuidade do atual governo, porque a Rede (Sustentabilidade) entende que a alternância de poder é fundamental na democracia”.

2) A Rede defende “uma mudança, porém qualificada; não apenas uma mudança. Dar uma substância, um conteúdo, para que a mudança seja sintonizada com o desejo da sociedade brasileira”.

*** ***

Em política, pensamentos assim são de uma obviedade gritante, para não usar o sempre “ululante” de Nelson Rodrigues.

Vamos traduzir, então:

1) A Rede entende que “alternância de poder” é entregar o poder Aécio, FHC, Serra e outros, que detiveram o poder entre 1992 (quando Itamar chegou à presidência e os levou para o Planalto e arredores) e 2002;

2) “Dar uma substância (…) para que a mudança seja sintonizada com o desejo da sociedade” é entregar o poder a Aécio, FHC, Serra e outros.

*** *** ***

Estamos bem de alternância…

18:16 · 07.10.2014 / atualizado às 19:33 · 07.10.2014 por

O candidato do PT a governador do Ceará, Camilo Santana, reabriu hoje as atividades públicas da campanha eleitoral.

Ou seja, seguiu o que determina a Justiça, com o rígido calendário determinado a partidos e coligações.

Camilo voltou ao Mercado Central, no Centro de Fortaleza, onde três meses atrás deu largada à campanha no primeiro turno – uma caminhada que resultou em mais de 2 milhões de votos domingo passado. “Já passou o primeiro turno. Agradeço aos mais de 2 milhões e 40 mil cearenses que confiaram nesse projeto. É o 13 da Dilma, é o 13 do Camilo, para que a gente possa fazer o Ceará continuar avançando. Por isso, estamos começando hoje a campanha do segundo turno exatamente no mesmo local onde começamos o primeiro”, disse.

Ponto positivo e que soa como compromisso: o candidato garantiu que preservará um foco propositivo no projeto que defende. Ou seja, que quer manter um nível de debates compatível com os interesses do eleitor. “Vou manter a minha postura em respeito ao povo do Ceará. O adversário covardemente me agrediu. Acho que por desespero, o que mostrou exatamente a tendência do eleitorado, que foi contrário às pesquisas. Quero unir as famílias cearenses e mostrar a importância desse projeto e que não podemos correr risco de retroceder nos avanços”.

*** *** ***

Para amanhã, a agenda anunciada pela assessoria de Camilo prevê reuniões internas a partir das 9 horas.

09:20 · 07.10.2014 / atualizado às 06:22 · 07.10.2014 por

Do portal de notícias G1 Ceará:

Mais de 1,2 milhão de cearenses optaram por não comparecer às urnas neste domingo (5). De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), o índice de abstenção em todo o estado chegou a 20,12%, o que representa 1.261.344 eleitores, de um total de 6.268.909 eleitores aptos a votar em 2014. Em todo o Ceará, foi no município de Sobral, na Região Norte, onde houve o maior índice de comparecimento dos eleitores: 91,99%.

Dos 184 municípios cearenses, Croatá, localizado na Região Norte do Ceará, foi o município onde o índice de abstenção nas urnas foi maior: 37,59%. Com 14.537 eleitores aptos, 5.464 optaram por não votar. Além de Croatá, outros 18 municípios cearenses registraram índices de abstenção superiores a 30%.

Em Ipueiras, na Região da Ibiapaba, 35,56% dos eleitores não votaram este ano, o que representa 11.764 eleitores. Em Graça, o índice chegou a 35,30%, , enquanto que em Carnaubal, foi de 34,18%. Outros municípios que tiveram altas abstenções foram: Antonina do Norte (33,29%), Granjeiro (30,18%), Guaraciaba do Norte (31,35%), Ibiapina (31,71%), Jucás (30,75%), Monsenhor Tabosa (30,92%), Mucambo (32,22%), Novo Oriente (#2,15%), Parambu (30,53%), Pedra Branca (31,30%), Porteiras (31,19%), Reriutaba (30,05%), Sâo Benedito (31,21%) e Tarrafas (30,02).

A íntegra está neste link.

08:18 · 07.10.2014 / atualizado às 06:14 · 07.10.2014 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

Moroni Torgan (DEM), Flávio Alves (“Cabo”) Sabino (PR), Ronaldo Martins (PRB) e Vitor Valim (PMDB), na Câmara Federal; (“Capitão”) Wagner Sousa (PR), Ely Aguiar (PSDC) e Ferreira Aragão (PDT), na Assembleia. O que os une? Simples: são esses os parlamentares eleitos que basearam suas campanhas no discurso policialesco. Foram a violência, aspectos da gestão da segurança e a presença na mídia televisiva – nesse caso, para boa parte – que os impulsionaram e que certamente vão fundamentar a atuação deles. Mas isso pode não ser o suficiente. Mandatos monotemáticos costumam ser enfadonhos ou inócuos para a sociedade. Correm o risco de dar a impressão de que estão engessados, limitados. Ou, pior, que são direcionados a um só público.

A relação pode ser acrescida de um nome: Manuel Duca da Silveira, o “Duquinha” (Pros). Ele defende a redução da maioridade penal e a liberação do porte de armas. Mesmo sendo deputado estadual – portanto, sem competência nenhuma para propor medidas do gênero.

07:35 · 07.10.2014 / atualizado às 06:02 · 07.10.2014 por

O PT Ceará deu uma sacudida.

Ou acordou, tipo assim.

Tanto que a Executiva Estadual do partido se reúne nesta terça-feira com os candidatos eleitos e os que participaram do processo eleitoral para organizar a campanha de segundo turno de Dilma Rousseff e de Camilo Santana.

O encontro começa às 8 horas, no Hotel Amuarama (Av. Dep. Oswaldo Studart, 888 – Fátima – Fortaleza).

07:10 · 04.10.2014 / atualizado às 07:13 · 02.10.2014 por

Publiquei neste sábado na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste, de Fortaleza, Ceará:

Há um elemento que as pesquisas de intenção de voto podem estar sinalizando, embora de forma ainda nublada. É o grau de amadurecimento do eleitor. Ou, sob outro ângulo, o nível da imunidade criada frente a mensagens de cunhos vários emitidas pelas campanhas – de apelo emocional, de terror, de desestímulo ou de confusão, entre outras opções que o marketing político costuma lançar mão. Um indicador dessa maturidade seria o oscilar dos candidatos. O descenso de uns e o avanço de outros reforçaria isso. Mais: apontaria a rejeição que o votante está impondo a determinadas estratégias.

Pesquisar

Roberto Maciel

O blog é de autoria do jornalista Roberto Maciel, da coluna Comunicado, da editoria Cidade, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

11h10mCanoa Blues começa em Fortaleza dia 1º de novembro, no Centro Cultural BNB

08h10mO desapego municipal

06h10mDe longas datas

11h10mEscola de Gastronomia põe à mesa ciclo de formação

08h10m“Voto útil” para quem?

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs