Busca

Categoria: Eleições 2016


09:00 · 01.11.2016 / atualizado às 20:01 · 30.10.2016 por

As obrigações dos candidatos determinadas pela lei eleitoral não terminaram ainda.

Todos os candidatos, mesmo aqueles que saíram da disputa por renúncia, desistência, substituição ou indeferimento de registro, têm ainda contas financeiras a prestar à Justiça.

Até mesmo os que morreram – e isso, claro, deve ser feito por administradores da campanha.

Se essa é uma notícia chata para a burocracia política, taqui outra pior: os prazos começam a terminar hoje.

06:56 · 01.11.2016 / atualizado às 19:57 · 30.10.2016 por

Hoje, na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Reeleito prefeito de Fortaleza, ao embalo de 678.847 votos – 28.240 a mais do que recebeu no segundo turno de 2012, contra o hoje deputado estadual Elmano de Freitas (PT) -, Roberto Cláudio se prepara para dialogar com a Câmara Municipal com a proposta de Lei Orçamentária para 2017 sobre o birô. A matéria já chegou ao Legislativo, contemplando R$ 7,5 bilhões, entregue pelo secretário de Planejamento, Philipe Nottingham, mas ainda não houve discussões entre os vereadores. Os movimentos eleitorais congelaram as análises. Primeiro, por causa do segundo turno que estava indefinido. Depois, porque no primeiro turno o eleitor resolveu trocar quase 63% dos ocupantes do parlamento municipal.

Roberto Cláudio vai ter dois tipos de diálogo sobre receitas e despesas. Primeiro, com os 43 vereadores que estão hoje na Câmara de Fortaleza – mas só 16 serão reempossados em janeiro. Depois, com os 27 novos parlamentares. Esses até devem, ou podem, ser chamados a dar pitaco, mas na informalidade.

No Orçamento para 2017 há um índice que chama atenção: o da Cultura. Diz lá que as políticas culturais vão receber 1,2% do total de verbas da Prefeitura. A curiosidade se deve ao fato de que o setor nunca viu tanto dinheiro junto. Esse percentual representa cerca de R$ 90 milhões do total de recursos.

00:46 · 31.10.2016 / atualizado às 19:50 · 30.10.2016 por

Publico hoje na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Fim do jogo: o médico Roberto Cláudio (PDT) vai cumprir até 2020 novo mandato como prefeito de Fortaleza. Recebeu ontem 678.847 votos diante de 588.451 do adversário, o deputado Wagner Sousa (PR). Há de se considerar que essa decisão do eleitor não se isola nos limites da Capital. Vai além das linhas geográficas e das linhas do tempo, já que influenciará decisivamente na disputa de 2018 pelos cargos de governador e de senador – nesse caso, com a eleição de dois nomes por estado. O instigante agora vai ser acompanhar as construções que partidos e líderes devem fazer na política do Ceará. E entender quem tem mão forte no carteado do poder.

E a eleição de Naumi Amorim (PMB) em Caucaia – 80.756 votos contra 68.149 de Eduardo Pessoa (PSDB) – também indica como já está pesando a balança da política para 2018. O grupo se completa com Arnon Bezerra e Bismarck Maia (PTB), em Juazeiro do Norte e Aracati; e Ednaldo Lavor, em Iguatu, Mônica Aguiar, em Camocim, e Ivo Gomes, em Sobral, todos do PDT. Com Roberto Cláudio, então, são sete pontos estrategicamente ligados.

*** ***

Em resumo, a coisa fica assim: se havia a possibilidade, com uma eventual vitória de Wagner, de se derrubar de uma só lapada Roberto Cláudio, o governador Camilo Santana, os irmãos Cid e Ciro Gomes e os ex-presidentes Lula e Dilma, a coisa gorou.

E gorou feio.

Tão feio que agora a perspectiva é de que sejam revistos planos eleitorais para daqui a dois anos.

20:02 · 11.10.2016 / atualizado às 20:05 · 11.10.2016 por

O candidato a prefeito de Caucaia Naumi Amorim (PMB) firmou Termo de Compromisso com a Rede Estadual da Primeira Infância (REPI-CE), instituição apoiada pelo Ministério Público do Estado do Ceará, e assumiu o compromisso de priorizar no Plano de Governo o atendimento aos direitos das crianças e dos adolescentes.

Entre outros pontos, o Termo trata do diagnóstico da situação da primeira infância em Caucaia; da elaboração do Plano Municipal da Primeira Infância; do fortalecimento da atenção básica com foco na Estratégia Saúde da Família. Além disso, o documento prevê a ampliação dos serviços socioassistenciais de proteção social destinado às famílias em situação de risco e vulnerabilidade social.

08:55 · 03.10.2016 / atualizado às 21:00 · 02.10.2016 por

Sobrou frustração para os tucanos Fredy Bezerra de Menezes e Paulo Angelim.

Eles queriam ser vereadores em Fortaleza e achavam que estavam credenciados por terem subido nos caminhões de som e liderado atos contra a ex-presidente Dilma Rousseff.

Esqueceram de combinar com eleitor e não notaram que imaginação e realidade são pura oposição.

No fim das contas, Angelim arranjou só 3.821 votos. Fredy, nem isso: apenas 2.625 eleitores se deixaram convencer pela retórica dele.

00:53 · 03.10.2016 / atualizado às 20:55 · 02.10.2016 por

Publiquei na Coluna Comunicado desta segunda-feira:

Restaram Roberto Cláudio (PDT, 524.973 votos), prefeito que busca a reeleição, e Wagner Sousa (PR, 400.802 votos), deputado que tenta assumir o gabinete número 1 do Paço Municipal de Fortaleza. Por decisão irrecorrível do eleitor, o segundo turno na capital vai confrontar grupos políticos com visões distintas mas que, pode-se avaliar, se conhecem bem. Do lado de Roberto Cláudio estão, entre outros, o governador Camilo Santana (PT) e os irmãos e ex-governadores Cid e Ciro Gomes (PDT). Com Wagner estão os senadores Eunício Oliveira (PMDB) e Tasso Jereissati (PSDB) e o ex-governador Lúcio Alcântara (PR).{TEXT}

Questão relevante no cenário construído é saber como vão se conduzir os eleitores de Francisco Gonzaga (PSTU), Heitor Férrer (PSB), João Alfredo (PSol), Luizianne Lins (PT), Ronaldo Martins (PRB) e Tin Gomes (PHS). Em razoável parcela, são votos com perfis menos conservadores. Para onde seguirão?

E qualquer projeção para o segundo turno precisa levar em conta os índices de rejeição de Roberto Cláudio e de Wagner, conforme as últimas pesquisas registraram no último sábado. O Ibope havia apurado que cada um tinha, então, 21% de rejeição. A briga agora é para inverter os sentimentos dessa fatia.

12:26 · 26.09.2016 / atualizado às 05:30 · 26.09.2016 por

Nesses dias que antecedem às eleições, o “Festival de Prestação de Contas de Mandatos que Assola a Câmara Municipal de Fortaleza” está de vento em popa – o senhor e a senhor já notaram que quero, aqui, fazer uma alusão ao Festival de Besteiras que Assola o País, criação do inimitável Sérgio Porto e do alter-ego dele, Stanislaw Ponte Preta.

Saiba, então, que na abundante e criativa retórica dos vereadores o que mais tem aparecido são propostas que nunca deixaram de ser só isso: propostas – dando aqui um razoável desconto para os projetos clonados, que estão sempre presentes na Câmara.

Boa parte não foi levada a sério nem mesmo pelos próprios proponentes.