Busca

Categoria: Infraestrutura


19:06 · 02.09.2017 / atualizado às 07:08 · 31.08.2017 por

A Prefeitura de Fortaleza se dispõe a pagar R$ 3.038.821,65 por três quadras cobertas, com vestiários, em escolas municipais dos bairros do Jangurussu, Conjunto Prefeito José Walter e Conjunto Ceará.

O dinheiro é o que se chama de “carimbado”. Vem da União, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, com essa finalidade determinada.

08:08 · 17.08.2017 / atualizado às 10:09 · 14.08.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado

Limoeiro do Norte, Irauçuba, Santana do Acaraú, Aracati, Jaguaruana, Jaguaretama, Jaguaribe, Quixeré, Tabuleiro do
Norte, Icapuí, Russas, Forquilha, Cariré, Coreaú, Massapê, Morada Nova e Sobral. Esses são municípios listados numa
megaoperação que a Secretaria das Cidades do Ceará está preparando na área ambiental. Há ações desde arborização urbana a drenagem e saneamento básico. Algo que pode ser compreendido como adequações ou restaurações ambientais. E, sob qualquer sentido, como medidas para a qualidade de vida.

08:51 · 31.07.2017 / atualizado às 07:52 · 31.07.2017 por

O Governo do Ceará libera hoje uma dinheirama para a nova etapa do “Ceará de Ponta a Ponta: O Programa de Logística e Estradas do Ceará”.

O de abrir o cofre começa daqui a pouquinho – às 9 horas -, no Palácio da Abolição, sob o comando do próprio governador Camilo Santana (PT).

Na nova fase serão mais R$ 405,1 milhões de investimentos em 299,78 km para estradas. Serão atendidos 27 municípios.

A ideia é que até 2018, o Ceará de Ponta a Ponta investa aproximadamente R$ 2 bilhões na melhoria de 2.063,31 km de rodovias em todas as regiões do Estado. Desde quando começou, em 2015, o programa entregou 1.270,11 km de malha rodoviária restaurada, pavimentada e duplicada.

07:28 · 28.07.2017 / atualizado às 10:33 · 26.07.2017 por

Da Coluna Comunicado, na edição de hoje do jornal Diário do Nordeste:

Para quem muito fala em privatização, ou concessão, de rodovias como forma de viabilizar a manutenção e boas condições de tráfego, é bom registrar: tramita na Câmara federal projeto que impõe aos editais do gênero a obrigatoriedade da previsão de instalação de câmeras de segurança em pontos estratégicos. A fiscalização eletrônica nem sempre é saudada com elogios – sobretudo por motoristas apressados ou desatentos. Os deputados José Airton Cirilo (PT) e Leônidas Cristino (PDT) compõem a Comissão de Viação e Transportes, pela qual o texto deve passar. Sem pressa.

09:06 · 13.07.2017 / atualizado às 09:07 · 12.07.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

Após décadas fazendo pouco caso, a Prefeitura de Fortaleza sinaliza agora com a atenuação de uma grave mazela urbana, começando pela Avenida Beira Mar: o catatau de fios pendurados em postes que ameaça pessoas e patrimônios. O Município pretende contratar empresa para elaborar projetos de redes subterrâneas de distribuição de energia elétrica e de lógica – o que contempla cabos de internet, telefonia e TVs por assinatura. A ideia é gastar até R$ 255 mil nessa primeira providência.

Propósito declarado pela Prefeitura: “Promover a qualificação do produto turístico Beira Mar, através de tratamento urbanístico, dando à orla maior atratividade. Espera-se promover o embelezamento do espaço físico, bem como o bem estar humano e a preservação ambiental”. Faz sentido.

Mais: “Nesse contexto, a utilização de redes de fiação subterrâneas compõe alternativa mais moderna em relação às redes aéreas porque estão menos sujeitas a interferências do meio, como temporais, objetos lançados nos fios, acidentes de trânsito, vandalismo, contato com galhos de árvores e pássaros”.

05:19 · 27.06.2017 / atualizado às 09:20 · 26.06.2017 por

Da Coluna Comunicado, hoje:

A Prefeitura de Fortaleza planeja empatar até R$ 10,269 milhões do contribuinte na requalificação de parte do corredor Parangaba-Papicu. A obra é classificada como essencial para a mobilidade urbana – o que teria reflexos na economia, na segurança, no conforto, na saúde e no ambiente e, por isso tudo, na qualidade de vida. A ideia é executar obras e restaurações nas avenidas Silas Munguba, a partir do mergulho da rotatória da Arena Castelão, e Germano Franck. As empresas que quiserem disputar o serviço terão de apresentar experiências em pavimentação e drenagem, entre outros aspectos.

04:49 · 31.05.2017 / atualizado às 10:51 · 31.05.2017 por

A Prefeitura de Fortaleza está pertinho de contratar empresa que dê conta de serviços de exumação, remoção, acondicionamento e translado de corpos e restos mortais sepultados no cemitério do Bom Jardim.

O negócio vai ficar a cargo da Secretaria Executiva Regional V.

E o custo para o contribuinte vai ser de cerca de R$ 1,47 milhão.

11:18 · 30.05.2017 / atualizado às 09:31 · 29.05.2017 por

O secretário Evaldo Lima, da Cultura de Fortaleza, tem avaliado a viabilidade de que haja criar mais edições semanais de feiras de discos de vinil e de outros bens de colecionadores.

Evaldo está atento para os potenciais do Largo Luiz Assunção, na Praia de Iracema, onde já está localizado o Centro Cultural Belchior – equipamento também da Secultfor.

A ideia é de que atrair público para a área é um meio eficiente de (re)vitalizá-la.

14:32 · 26.05.2017 / atualizado às 19:37 · 25.05.2017 por

Emergiu do Gabinete do vereador-noviço Acrizio de Freitas (PRP) projeto para que a Prefeitura construa em Fortaleza um centro administrativo.

O parlamentar diz que trata-se de “demanda antiga da população” – aliás, essa história de “demanda antiga” é um argumento que tem servido para muitas coisas, até mesmo para dar lustro em propostas que não têm muita correspondência com anseios coletivos.

Acrizio de Freitas acredita que se deve “concentrar as instalações físicas da Prefeitura”. Mas pode não ser assim. O fracasso do Estado em ação similar, com a maioria dos órgãos – até o Gabinete do Governador – se acumulando nos anos 1980 e 1990 no centro administrativo do Cambeba, põe a tese em dúvida.

Dois pontos que despertam curiosidade: 1) A sugestão de que se use um imóvel que não é do município, mas do Estado, para abrigar o tal centro administrativo – o Centro Social Urbano do Conjunto Ceará; 2) A ideia de se executar o projeto e de se manter a estrutura por meio de parceria público-privada – afinal, que lucro teriam investidores particulares e o Município nessa parceria específica?

20:33 · 25.05.2017 / atualizado às 20:06 · 24.05.2017 por

Situado ao leste do litoral de Fortaleza, o projeto Aldeia da Praia – que substituiu o estaleiro pretendido pelo ex-governador Cid Gomes e foi uma das peças de resistência da gestão de Luizianne Lins (PT) como prefeita -, vai ganhar reforços de infraestrutura na gestão de Roberto Cláudio (PDT).

São previstas melhorias em drenagem e esgotamento sanitário.

A Habitafor, órgão municipal que coordena ações habitacionais, incluindo o gerenciamento local do Minha Casa, MInha Vida, planeja investir R$ 5,98 milhões nas obras.