Busca

Categoria: Nordeste


16:52 · 10.11.2017 / atualizado às 16:53 · 10.11.2017 por

Da assessoria de Imprensa do BNB:

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Agência Nacional do Cinema (Ancine) formalizam, na próxima segunda-feira, 13, protocolo de intenções com o objetivo de estruturar parceria para o desenvolvimento do setor audiovisual.

A assinatura do documento ocorre durante a abertura do 3º Mercado Audiovisual do Nordeste (MAN), às 9 horas, na sede do Banco do Nordeste, em Fortaleza (Av. Dr. Silas Munguba, 5700). A cerimônia contará com a participação do presidente do BNB, Marcos Holanda, representantes do setor audiovisual e autoridades políticas, entre elas, o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Com a formalização da parceria, o Banco do Nordeste passa a ser autorizado a operar recursos financeiros do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) em todo a área de atuação do BNB (Nordeste e norte dos estados do Espírito Santo e Minas Gerais). O Fundo é voltado para o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do audiovisual no Brasil, incluindo diversas atividades ligadas a segmentos do setor, como produção, distribuição/comercialização, exibição e infraestrutura de serviços.

MAN

O Mercado do Audiovisual do Nordeste foi lançado em 2015 durante o Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema com o intuito de unir os protagonistas do audiovisual e promover a troca de experiências e a geração de negócios. A terceira edição do MAN reunirá canais e plataformas de exibição, produtoras independentes, profissionais e instituições ligadas ao setor do audiovisual para discutir os rumos do setor nos estados do Nordeste, Norte e Centro Oeste.

Além dos paineis, debates e palestras nos dias 13 e 14, a programação é retomada nos dias 16 e 17, com apresentação dos canais sobre suas respectivas programações, públicos que atingem e tipos de produtos que pretendem comprar de produtoras independentes. No dia 18, acontecem rodadas de negócios já agendadas entre as produtoras independentes e os canais, oportunidade de compra e venda de produções audiovisuais.

17:06 · 23.10.2017 / atualizado às 17:19 · 23.10.2017 por

Da assessoria de Imprensa do Banco do Nordeste:

O Banco do Nordeste financiará R$ 1,326 bilhão em três empreendimentos de energias renováveis localizados no Nordeste por meio do FNE Infraestrutura, linha de crédito com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). A assinatura dos contratos com Enel Green Power Brasil Participações, CPFL Renováveis e Apodi Energia será realizada amanhã, dia 24, na sede do Banco do Nordeste, em Fortaleza, com a presença do presidente Marcos Costa Holanda.

Serão financiados pelo FNE Infraestrutura R$ 678,7 milhões para implantação de três parques de energia fotovoltaica da Enel Green Power Brasil Participações, subsidiária de energia renovável da Enel. Os empreendimentos, com um total de capacidade instalada de 553 megawatts, estão localizados, respectivamente, nos municípios baianos de Bom Jesus da Lapa e Tabocas do Brejo Velho, e em Ribeira do Piauí (PI). A empresa investirá cerca de 585 milhões de dólares nos três parques. O contrato será assinado pelo presidente da Enel no Brasil, Carlo Zorzoli.

A usinas de geração de energia fotovoltaica Apodi, das empresas norueguesas Scatec Solar e a Statoil, e brasileira Kroma Energia, contarão com R$ 477,4 milhões do FNE e R$ 187,4 milhões de recursos próprios das empresas. O empreendimento, com capacidade de 132 megawatts (MW), será implantado no município de Quixeré, na região do Vale do Jaguaribe, no Ceará. Estará presente no evento o diretor presidente e acionista, Valério Veloso Borges Bezerra de Carvalho.

A CPFL Renováveis assinará contrato para o financiamento das usinas eólicas Pedra Cheirosa I e II, com 48,3 megawatts de capacidade, no município de Itarema, a 237 quilômetros de Fortaleza. Serão financiados R$ 170,1 milhões pelo fundo constitucional e a empresa investirá R$ 76,1 milhões de recursos próprios.

Mais informações neste link.

08:28 · 26.09.2017 / atualizado às 19:31 · 25.09.2017 por

O presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda, participa do lançamento do Plano Progredir, hoje, às 11 horas, no Palácio do Planalto. O novo programa social visa a elevar a renda de um milhão de famílias, que fazem parte do Cadastro Único do Governo Federal. Na ocasião, Holanda apresentará o case dos programas de microcrédito criados e geridos pelo BNB (Crediamigo e Agroamigo), que serviram de inspiração para a iniciativa.

A solenidade, com a presença do presidente Michel Temer, marcará ainda a assinatura de acordo de cooperação técnica a ser firmado pelo Banco do Nordeste e Ministério do Desenvolvimento Social. O instrumento permitirá a troca de informações para melhor integração dos programas governamentais e apoiará a realização de estudos e avaliações das iniciativas exitosas do BNB.

“Esse esforço do Governo Federal possui como um dos principais objetivos a busca por caminhos para a superação da pobreza, seja apoiando as pessoas para acessarem o mercado de trabalho, seja criando estímulos para o empreendedorismo, oferecendo alternativas de autonomia financeira aos que hoje dependem da rede de proteção social. Ficamos felizes em agregar a experiência do Banco do Nordeste a este projeto. Como instituição financeira de desenvolvimento regional, o Banco do Nordeste possui um papel importante nesse processo e abraça o Programa Progredir como grande entusiasmo”, destaca Marcos Holanda.

O BNB é o principal operador de microcrédito do País, com 60% de todos os financiamentos da categoria. No segmento, o Banco do Nordeste conta com 3,2 milhões de clientes ativos – 49% deles, beneficiários do Bolsa Família.
Nos últimos doze meses, Crediamigo e Agroamigo aplicaram R$ 9,7 bilhões na área de atuação do BNB, que corresponde a todo o Nordeste e norte dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. O valor equivale a 63% do repasse do Bolsa Família para a região Nordeste. Diariamente, o Banco realiza 18 mil operações de microcrédito, combinando crédito com orientação empresarial e fortalecimento do capital social das comunidades dos microempreendedores.

“Estamos preparados para o crescimento da carteira, investindo fortemente em tecnologia e no aumento do número de agentes de crédito. Reafirmamos nosso compromisso com a inclusão financeira e com a busca de soluções estruturais para o problema da pobreza”, finaliza o presidente do Banco do Nordeste.

Sobre o Progredir
A ação oferecerá cursos de qualificação profissional, ajudará na seleção de oportunidades de trabalho e disponibilizará R$ 3 bilhões em microcrédito para famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único dos programas sociais do Governo Federal.

04:48 · 05.09.2017 / atualizado às 08:54 · 04.09.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

O Banco do Nordeste está operacionalizando o FNE Água. Trata-se de uma linha de crédito com dinheiro do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste para projetos voltados ao bom uso de água. Em tempos de seca braba, a notícia é relevante. Empresas de portes distintos, produtores rurais, agricultores familiares e cooperativas e associações podem buscar os recursos. Barragens subterrâneas e sistemas de dessalinização de água, frequentemente apontados nos meios técnicos como alternativas viáveis para o armazenamento hídrico estão na lista de ações amparadas pelo FNE Água.

Mas o alcance do Fundo vai além do acúmulo. E chega ao ambiente natural. Projetos de reflorestamento para recuperação de matas ciliares e nascentes e de concessão de serviços de água e esgoto implantados em parcerias público-privadas também podem pleitear verba.

08:30 · 26.08.2017 / atualizado às 18:32 · 25.08.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Fortaleza vai sediar na próxima segunda-feira, na sede do Banco do Nordeste, no bairro do Passaré, o I Fórum de Integridade e Ética, que mobiliza agentes públicos de setores diversos. Há uma expectativa de desenvolvimento regional que exige capacitação e é fundamental qualificar quem tem responsabilidades com a boa aplicação de dinheiro público, ou mesmo com o acompanhamento e a fiscalização desse uso adequado. O ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosario, já confirmou presença no evento do BNB. E também vai ser recebido pelo presidente do banco, o economista Marcos Holanda.

Representantes do BNB, gestores e técnicos, integrantes de órgãos de controle externo e de órgãos governamentais devem participar do Fórum.

16:46 · 19.07.2017 / atualizado às 20:05 · 19.07.2017 por

O Banco do Nordeste do Brasil completa hoje 65 anos.

E o presidente do BNB, Marcos Holanda (foto abaixo), assina o artigo a seguir:

O Banco do Nordeste completa 65 anos focado no futuro, nos próximos 65 anos. Enfrentaremos o futuro aplicando o Fundo Constitucional do Nordeste – FNE cada vez melhor, continuando a ser líder na oferta de microcrédito, sendo o Banco da micro, pequena e média empresa e o Banco da inovação.

Fazer o FNE cada vez melhor é aplicá-lo com eficácia, eficiência, efetividade e ética. É assegurar à sociedade que o Banco merece ser o único operador do Fundo. É mostrar com evidências que argumentos simplórios, e às vezes preconceituosos, de que o Fundo é mal gerenciado e que não deve existir são equivocados. As linhas de financiamento FNE Sol, FNE Água,  FNE Infraestrutura, e FNE Inovação são exemplos do propósito de fazer um FNE cada vez mais efetivo e conectado com o futuro. Paracontextualizar, em 2016 os créditos do BNDES para a Região caíram 60%, enquanto os do BNB caíram 4%, o que mostra que é o BNB, a partir do FNE, quem garante crédito de longo prazo para o Nordeste.

O Crediamigo e o Agroamigo são os programas de microcrédito que dão ao Banco a liderança na América Latina no setor. São programas de inclusão financeira que dão crédito a quem precisa e está excluído do mercado. O microcrédito é com certeza uma porta de saída da pobreza e aloca no Nordeste 67% do que o programa Bolsa Família faz. Bom lembrar que o Bolsa Família permite a convivência com a pobreza enquanto o Crediamigo viabiliza a saída dela. O Crediamigo é inclusivo, 67% dos clientes são mulheres, é focado, 50% dos beneficiários têm renda inferior a R$ 1.000, é efetivo, 60% saíram da linha da pobreza.

As micro, pequenas e médias empresas são público prioritário do Banco. O BNB é único na sua capacidade de apoiar o empreendedor quando ele ainda nem existe formalmente, com o microcrédito e a partir daí ser seu parceiro na sua evolução.

Queremos ser o banco das médias cidades e das médias empresas do Nordeste. Lançamos o Fórum G20+20 para incentivar negócios nas 40 cidades médias do Semiárido.

Por último e não menos importante, seremos o banco da inovação. O Banco é o primeiro banco público a criar um centro de inovação, o Hubine (Hub Inovação Nordeste). O Hubine propõe-se a ser um hub de pessoas talentosas, com capacidade de criar e inovar, e com isso gerar novas riquezas e renda. O Nordeste só avançará no desenvolvimento se apostar na inovação. A riqueza do mundo não está mais no fazer e sim no criar. Temos o insumo que o mundo todo deseja: jovens talentosos e criativos. Com a rede Hubine queremos incentivar a retenção dos talentos e parar com o
contrassenso que é a Região exportá-los. Em resumo comemoramos 65 anos de grande contribuição ao Nordeste, assumindo o compromisso de continuarmos nos próximos 65 anos sendo o banco de desenvolvimento que faz a diferença na vida das pessoas.

18:51 · 26.06.2017 / atualizado às 18:53 · 26.06.2017 por

Da Agência da Câmara dos Deputados:

A Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia aprovou a criação do Fundo Caatinga, com a finalidade de financiar ações de conservação e de uso sustentável do bioma presente no Nordeste brasileiro e no norte de Minas Gerais.

Esse fundo será composto principalmente por doações recebidas em espécie, apropriadas em conta específica do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

O novo fundo está previsto no Projeto de Lei 6391/16, do deputado José Guimarães (PT-CE), que recebeu parecer pela aprovação do relator, deputado Zé Geraldo (PT-PA).

Assim como Guimarães, Zé Geraldo acredita que a proposta aumentará os recursos disponíveis para a Caatinga. O bioma ocupa 11% do território nacional, onde vivem 27 milhões de pessoas.

(…)

A proposta estabelece que até 20% dos recursos poderão ser utilizados no desenvolvimento de sistemas de monitoramento e controle do desmatamento em outros biomas brasileiros e em outros países tropicais. O BNB também disporá de 3% do valor das doações para cobertura de seus custos operacionais e despesas.

Além das doações, constituirão recursos do fundo o produto das aplicações financeiras dos saldos ainda não desembolsados. Os doadores receberão diploma reconhecendo a contribuição, emitido pelo BNB.

A representação judicial e extrajudicial do Fundo Caatinga caberá ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O texto foi aprovado com modificações oferecidas por Zé Geraldo. Uma das emendas corrige o fato de o projeto ser autorizativo. Inicialmente a proposta autorizava o BNB a destinar recursos do fundo às ações propostas. “O BNB não estaria obrigado a fazê-lo. Sendo autorizativo, padece do vício de inconstitucionalidade”, explicou o relator.

A outra modificação inclui as novas determinações na Lei 11.828/08, que trata das medidas tributárias aplicáveis às doações em espécie recebidas por instituição financeiras públicas controladas pela União e destinadas a ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e de promoção da conservação e do uso sustentável das florestas brasileiras.

11:55 · 25.05.2017 / atualizado às 20:00 · 24.05.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado:

O Ceará tem um índice invejável de alunos de nível médio em escolas profissionalizantes. É o primeiro do Nordeste e o segundo do País. Os dados foram saudados ontem no Palácio da Abolição não só pelo quantitativo – 47.034 estudantes, segundo o Anuário Brasileiro da Educação de 2017, do Movimento Todos pela Educação. O que se alcança é uma conceituação diferenciada que pode servir como antídoto para mazelas sociais. Algo como o saber contra a violência. Ou a inteligência contra as drogas. Ou o trabalho contra a desqualificação. A questão é instituir e, com organização, manter uma política de Estado bem consolidada para assegurar o bem coletivo que for conquistado.

09:47 · 01.04.2017 / atualizado às 10:50 · 31.03.2017 por

Detentores de enormes vocação e potencial turísticos, além de expressão política inquestionável, os nove estados nordestinos terão este ano 2.750 vagas em cursos para estudantes de escolas públicas.

Até aí, tudo bem.

A questão é o engodo conceitual. A ação que vai viabilizar os cursos foi batizada pelo governo Temer de “MedioTec”.

O tal “MedioTec” é apenas a confirmação e a continuidade do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, criado em 2011 pela gestão de Dilma Rousseff sob a sigla de “Pronatec”.

Trata-se de iniciativa para expandir, interiorizar e democratizar a educação profissional e tecnológica.

E Temer tenta, agora, assumi-la num simples mudar de nome.

08:00 · 23.11.2016 / atualizado às 08:42 · 22.11.2016 por

Publiquei na Coluna Comunicado desta quarta-feira, no jornal Diário do Nordeste:

Após o desabafo do governador Camilo Santana (PT), advertindo que não admite ser responsabilizado por eventuais desabastecimento de água e colapso no fornecimento para a Região Metropolitana de Fortaleza, registrado pela Coluna no último dia 12, e depois de requerimento de audiência no Senado sobre o atraso da transposição das águas do Rio São Francisco para o Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, feito pelo senador José Pimentel (PT), a Comissão da Assembleia que acompanha o projeto tem agenda hoje em Brasília. Os deputados Carlos Matos (PSDB), Moisés Braz (PT) e Roberto Mesquita (PSD) estão dispostos a conversar com parlamentares federais e tentar articular a uma pressão pela retomada das obras.

Relendo Camilo: “Vou responsabilizar o Governo Federal se tivermos um colapso (…). Temos gastos quase R$ 70 milhões para evitar desabastecimento de água em Fortaleza. Sem um centavo do Governo Federal”.

Relendo o tucano Carlos Matos, que preside a Comissão Especial da Assembleia para Acompanhar e Monitorar as Obras do Rio São Francisco: “Vamos pressionar o Governo Federal por soluções mais imediatas”.