Busca

Categoria: Responsabilidade social


10:54 · 31.07.2017 / atualizado às 10:54 · 31.07.2017 por

Da assessoria de Imprensa do Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara, em Fortaleza:

Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara, com a Sala de Apoio à Mulher Trabalhadora, reconhecida pelo Ministério da Saúde, orienta futuras mães a amamentarem da melhor forma. O serviço é gratuito e aberto a comunidade, basta agendar. O hospital também recolhe em domicílio doações de leite materno. Desde o início do ano já passaram pela Sala 119 mães e foram doados pouco mais de 23 litros de leite. Os bebês prematuros internados agradecem as visitas e doações.

07:45 · 30.07.2017 / atualizado às 07:06 · 31.07.2017 por

O projeto socioesportivo mais antigo do Ceará – em atividade já há 40 anos – encerra hoje sua Copa das Férias.

É o projeto “Escolinhas da Vila Manoel Sátiro”.

O campinho da Vila é modesto – de barro batido e sem a pompa e a circunstância das areninhas de grama sintética que fazem a alegria de políticos -, mas tem sido palco de ações que driblam a ociosidade e ainda fazem golaços encaminhando jovens a times profissionais.

10:36 · 25.07.2017 / atualizado às 10:39 · 24.07.2017 por

Educadores, professores e agentes do ensino fundamental e da educação especial são os públicos de evento que a Unifor vai sediar em 5 de agosto.

Trata-se do curso “Matemática e Criatividade”.

Estão programadas atividades de matemática inclusiva, uso de materiais manipuláveis e ferramentas digitais.

Além da Unifor, o curso tem outras assinaturas fortes: Ludomedia – Conteúdos Didácticos e Lúdicos, Norte 2020, Portugal 2020, União Europeia, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e Eventos Engenharia.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo portal da Unifor.

10:15 · 23.07.2017 / atualizado às 10:15 · 23.07.2017 por

Do Conselho Nacional de Justiça:

Todo concurso público do Poder Judiciário deve incluir questões sobre os direitos de pessoas com deficiência. Desde a edição da Resolução n. 230/2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o tema constou em, pelo menos, 15 editais para ingresso nos quadros de pessoal de tribunais federais, estaduais, eleitorais e trabalhistas. (…)

Dois órgãos exigiram o assunto ainda em 2016: o Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (SE) e a Fundação de Previdência Complementar do Judiciário (Funpresp-Jud). Neste ano, outros 13 exames preveem o tópico.

Antes, direitos de pessoas com deficiência eram cobrados em provas para áreas específicas. O tema constava em campos como engenharia, serviço social e atendimento ao público. Agora, a matéria surge como tópico básico para todos os cargos, de nível médio e superior, em, ao menos, cinco provas de tribunais a serem aplicadas até o fim do ano.

Cerca de 15% da população global — mais de um bilhão de pessoas — possui algum tipo de deficiência, estima a Organização Mundial de Saúde (OMS). A taxa sobe à medida que a população envelhece e doenças crônicas avançam, segundo o órgão. Entre brasileiros, o índice é de 23,92%, de acordo com o Censo 2010.

(…)

Cerca de 500 causas ligadas a pleitos de deficientes tramitam no Judiciário fluminense, assistidas pelo IBDD. Acesso à saúde, interdições clínicas e acessibilidade em meios de transporte estão entre as principais requisições. “São casos que chegam à Justiça toda hora, direitos básicos à dignidade e à sobrevivência”, relata a superintendente.

(…)

O próprio teor da resolução é requisitado em prova de concurso, ao lado de leis como o Estatuto da Pessoa com Deficiência. O texto instituiu comissões permanentes de acessibilidade e inclusão em todo o Judiciário. Determinou, ainda, a remoção de barreiras físicas e de comunicação, e que no mínimo 5% do quadro de cada órgão interprete língua de sinais.

05:09 · 03.07.2017 / atualizado às 11:10 · 30.06.2017 por

Publiquei nesta segunda-feira na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

Uma experiência de ressocialização de presidiários surgida há três anos no Ceará, na gestão de Cid Gomes (hoje no PDT) pode ganhar dimensão nacional. É o projeto que permite que internos do sistema penitenciário que leem livros possam diminuir o tempo de detenção. Algo como um escambo: o saber em troca da liberdade. Já tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado texto de Cristóvão Buarque (PPS-DF) que permite que se diminuam até quatro dias de pena correspondendo a cada obra lida, com limite anual de 12 livros – o mesmo que prevê a lei cearense. Proposta similar, mas com outros parâmetros, de Eduardo Amorim (SE, ex-PSC e agora no PSDB), também tramita na Casa.

07:00 · 16.06.2017 / atualizado às 17:17 · 14.06.2017 por

Notas que abrem hoje a Coluna Comunicado, do jornal cearense Diário do Nordeste:

Tramita na Assembleia projeto que institui 15 de fevereiro como o Dia Estadual do Combate à Transfobia. A proposta leva a assinatura do deputado Elmano de Freitas (PT) e tem relação direta com um dos mais bizarros crimes registrados nos último anos – o assassinato, gravado em vídeo e com imagens friamente distribuídas nas redes sociais da Internet, do travesti Dandara dos Santos (nome social de Clenilson dos Santos). O caso, registrado este ano, no Conjunto Ceará, em Fortaleza, ilustra a brutalidade com a qual parte da sociedade ainda trata as diferenças.

Elmano também cita o assassinato de outro travesti, Hérica Izidoro (foto). “Foi abordada por 10 homens, foi agredida e jogada de cima do viaduto da Avenida José Bastos, no bairro Porangabuçu, no dia 12 de fevereiro”.

07:30 · 15.06.2017 / atualizado às 09:34 · 13.06.2017 por

Para discutir aspectos das adoções e abordar estratégias, programas e soluções, será promovido em Fortaleza, de hoje a sábado, o Encontro Nacional dos Grupos de Apoio À Adoção.

O evento está marcado para o Auditório Deputado João Frederico , no anexo da Assembleia Legislativa do Ceará.

Abaixo, informações da assessoria do Encontro:

Com realização do Grupo de Apoio à Adoção Acalanto Fortaleza e da Associação Nacional dos Grupos de Apoio À Adoção (Angaad), o XXII Enapa tem como tema central “Família: direito de todos, sonho de muitos” e se realiza pela primeira vez no Ceará.

Entre os palestrantes, os principais nomes da área, tanto na matéria jurídica, quanto psicológica e social, como o Desembargador Luiz Carlos Figueirêdo, coordenador da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de Pernambuco, os psicólogos Suzana e Luiz Schetinni, Fabiana Gadelha, diretora de Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente (DF), além das pesquisadoras e teóricas do tema adoção Lídia Weber e Hália Pauliv, entre outros nomes de referência nacional.

04:38 · 02.06.2017 / atualizado às 10:40 · 01.06.2017 por

Hoje, na edição da Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

A Prefeitura de Fortaleza vai empatar mais de meio milhão de reais para ampliar escolas e um centro de educação infantil nas áreas das regionais I, II, IV e V. No total, o investimento previsto é de R$ 548.630,00, dinheiro do orçamento da Secretaria de Educação. Poderia ser uma ação ordinária, mas não é simples desse jeito. Há a necessidade de se avaliarem medidas do gênero como políticas de estado e não apenas de governo. Ou seja, devem-se ter em conta as demandas permanentes do ensino – o que, sem excesso, precisa entrar na categoria de prioridades que vão muito além dos discursos floreados.

11:18 · 30.05.2017 / atualizado às 09:31 · 29.05.2017 por

O secretário Evaldo Lima, da Cultura de Fortaleza, tem avaliado a viabilidade de que haja criar mais edições semanais de feiras de discos de vinil e de outros bens de colecionadores.

Evaldo está atento para os potenciais do Largo Luiz Assunção, na Praia de Iracema, onde já está localizado o Centro Cultural Belchior – equipamento também da Secultfor.

A ideia é de que atrair público para a área é um meio eficiente de (re)vitalizá-la.

05:18 · 30.05.2017 / atualizado às 13:27 · 29.05.2017 por

Publiquei na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

A Assembleia Legislativa realiza hoje audiência sobre a política antimanicomial do Brasil. E veja só: justamente quando foi acesa pela Prefeitura de São Paulo a discussão sobre a legitimidade de o poder público internar à força, na marra, compulsoriamente, pessoas que julgue serem dependentes de drogas. Vale notar, ainda, que a abordagem política pode ser um impulso para que se apliquem de fato e de direito elementos incorporados à saúde nos anos 1980 e que ainda não tiveram efeitos plenos – ou por resistências, ou por desconhecimento, ou por nunca ajustadas divergências conceituais e ideológicas.

A participação pretendida é ampla: representantes das secretarias da Justiça e Cidadania, da Saúde do Ceará e da Saúde de Fortaleza; do Fórum Cearense Luta Antimanicomial; da Defensoria Pública; do Ministério Público; e dos conselhos estaduais de Saúde e de Direitos Humanos e regionais de Serviço Social e de Psicologia.