Busca

Categoria: Saúde


08:10 · 17.07.2017 / atualizado às 08:10 · 17.07.2017 por

Da assessoria do Ministério Público do Ceará:

O Ministério Público do Estado do Ceará, através da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública, realiza, na próxima segunda-feira, a partir das 9 horas, nova audiência para discutir a reestruturação da Rede de Atenção Psicossocial do Município de Fortaleza, com base em proposta definitiva apresentada pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS). O objetivo é garantir atendimento adequado aos pacientes portadores de transtorno mental, havendo possibilidade de assinatura de Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta. O encontro ocorrerá no Plenário dos Órgãos Colegiados da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Ceará, localizada na Rua Assunção, 1.100, no bairro José Bonifácio.

O documento da SMS foi elaborado depois da instauração, pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública, de inquérito civil público para verificação das atuais condições de funcionamento dos serviços da Rede de Atenção Psicossocial do Município de Fortaleza.

A audiência será conduzida pela promotora de Justiça Isabel Pôrto e deverá contar com a presença da secretária da SMS, Joana Angélica Paiva Maciel, e de representantes da Célula de Atenção à Saúde Mental da SMS, do Núcleo de Defesa da Saúde da Defensoria Pública do Estado do Ceará, do Núcleo de Atenção à Saúde Mental da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, da Sociedade Cearense de Psiquiatria, da Cooperativa dos Psiquiatras do Ceará, da Comissão Intersetorial de Saúde Mental do Conselho Estadual de Saúde do Ceará, do Conselho Regional de Psicologia e do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

*** *** ***

A propósito disso, é bem pertinente questionar: e os outros municípios, não têm obrigações com a atenção psicossocial?

O Ministério Público está enxergando só o lado de Fortaleza?

A capital, por si, é importante mas não basta.

15:28 · 08.07.2017 / atualizado às 11:22 · 08.07.2017 por

Do portal de notícias G1:

Mais da metade (51,2%) dos casos de chikungunya registrados no Brasil estão no Ceará, segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde. São 41.479 casos confirmados. O estado também lidera o ranking de incidência da doença: 462,7 casos para cada 100 mil habitantes. O Brasil tem 80.949 casos da doença e taxa de incidência de 39,3 casos/100 mil habitantes.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera nível epidêmico quando uma cidade ou região tem mais de 300 casos da doença para cada 100 mil habitantes. General Sampaio, no Norte do Ceará, tem a situação mais crítica no país, com 5.054,8 casos para cada 100 mil habitantes, 16,8 vezes o índice epidêmico da OMS.

*** *** ***

A íntegra está aqui.

*** *** ***

É algo ruim de dizer, mas é necessário que se diga: o mosquitinho derrubou um estado inteiro.

Derrubou políticos e gestores, partidos e administrações. Pôs de cama discursos e silêncios, atos e omissões.

O mosquitinho derrubou no Ceará passado, presente e futuro.

10:14 · 03.07.2017 / atualizado às 11:16 · 30.06.2017 por

Representações da Assembleia Legislativa do Ceará e da Câmara federal põem na pauta da política local a remuneração dos agentes de saúde e dos agentes de endemias.

Tramita no Congresso proposta de que a União seja também responsável pelas políticas de remuneração e de valorização das categorias e o assunto vai ser debatido hoje na Assembleia do Ceará, a partir das 14 horas.

Os deputados Carlos Felipe (PCdoB), estadual, e Odorico Monteiro (Pros), federal, articulam a audiência.

08:33 · 27.06.2017 / atualizado às 09:30 · 26.06.2017 por

A Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará, responsável por gerenciar as penitenciárias, está planejando comprar equipamento de exames médicos cardíacos e cadeiras de rodas para presidiários obesos.

Na primeira aquisição, a ideia é gastar até R$ 5,6 mil por unidade, somando R$ 56 mil.

Na outra, pretende consumir até R$ 31,08 mil com 12 cadeiras – ao custo unitário de R$ 2,59 mil.

19:05 · 21.06.2017 / atualizado às 09:07 · 20.06.2017 por

Está tramitando na Câmara de vereadores de Fortaleza proposta que acrescenta os servidores de escolas municipais entre os grupos prioritários de campanhas de vacinação, a exemplo dos professores.

Mas há um problema. E é tão sério que pode matar a ideia antes de imunizá-la: as regras das campanhas de vacinação são determinadas pelo Governo Federal, nunca pelo município.

18:51 · 17.06.2017 / atualizado às 06:54 · 18.06.2017 por

A Câmara Municipal de Fortaleza tem tramitando agora uma proposta que inclui os servidores lotados em escolas municipais nos grupos prioritários de campanhas de vacinação, a exemplo dos professores.

Só há um problema – e sério, apesar de o texto bem-intencionado não ter notado: as regras das campanhas são definidas pelo Governo Federal.

Não há, pois, como o Município se intrometer nisso.

09:00 · 16.06.2017 / atualizado às 17:20 · 14.06.2017 por

Fortaleza está entre os municípios listados pelo Ministério da Saúde para receber dinheiro extra para Unidades de Pronto Atendimento.

As UPAs da cidade vão receber R$ 6 milhões a título de “qualificação” – bonificação por prestarem serviços de referência.

E enquanto chega essa graninha a mais para as UPAs, a deputada Silvana Oliveira (PMDB), que é médica, cobra do Estado mais segurança para as unidades – e, de resto, para outras da saúde pública.

Silvana, agora líder do PMDB, mesmo contra a vontade férrea do chefe, ou caudilho, do partido, o senador Eunício Oliveira, até arrumou uma aliada: a presidente do Sindicato dos Médicos, Mayra Pinheiro, notabilizada por vaiar colegas cubanos.

09:00 · 09.06.2017 / atualizado às 09:20 · 08.06.2017 por

Fortaleza recebe nesta sexta-feira o evento Mácula 2017, que trata de avanços no tratamento e diagnóstico das maculopatias – doenças oculares que podem levar à cegueira. A programação será realizada no hotel Gran Marquise (Avenida Beira Mar), começando às 17h, com curadoria do médico Abelardo Targino.

Aberto ao público, o evento tem inscrições gratuitas.

13:11 · 08.06.2017 / atualizado às 13:14 · 08.06.2017 por

O Hospital Geral Waldemar Alcântara, em Fortaleza, teve atividades reconhecidas como de Excelência em nível III pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O título “Acreditado com Excelência”, conquistado pela instituição e anunciado no último dia 2, homologa requisitos de segurança do paciente em todas as áreas, inclui se as estruturais e assistenciais, além da gestão integrada com uma cultura organizacional de melhoria contínua.

Abaixo, informações da assessoria de Imprensa do Waldemar Alcântara:

O HGWA é o único hospital público de Fortaleza Acreditado com Excelência e, juntamente com o Hospital Regional do Cariri, ambos do Governo do Estado do Ceará, certificado com este selo no estado. No Brasil apenas 16 hospitais públicos possuem esse nível de certificação, três estão localizados no Nordeste, sendo dois no Ceará. “A Acreditação é a coroação de todo o trabalho que a gente faz pelo paciente, porque ele é o foco do nosso cuidado. Esse é um reconhecimento externo à qualidade do atendimento”, ressalta Fernanda Netto, diretora geral do HGWA.

Desde 2005, o Hospital Waldemar Alcântara mantinha a Acreditação Plena alcançando a Excelência na última semana. Para a Diretora Geral do Hospital, esse período foi necessário para a integração e o amadurecimento da unidade. “Hoje nós estamos muito mais maduros e focados nos nossos objetivos”, diz a diretora.

Para Marina Porto, assessora da Qualidade, o desafio da Acreditação Nível III foi demonstrar os ótimos resultados já conquistados pelo Hospital. “O nível de excelência exige a melhoria contínua das práticas, nós já fazíamos isso, só que uma metodologia diferente da exigida pela ONA. Nós não tivemos que implantar novas práticas para alcançarmos os resultados esperados, fizemos apenas o alinhamento das metodologias específicas”.

Acreditação
Acreditação Hospitalar é uma certificação de qualidade, exclusiva para instituições de Saúde. O Sistema de Acreditação é uma metodologia reconhecida pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo concedida pela Organização Nacional de Acreditação.

A metodologia apresenta três níveis: Acreditado (nível I), Acreditado Pleno (nível II) e Acreditado com excelência (nível III). As visitas para manutenção dos certificados são feitas regularmente, a cada 8 ou 12 meses.

10:15 · 30.05.2017 / atualizado às 10:15 · 30.05.2017 por

A Frente Parlamentar de Combate ao Aedes Aegypti da Assembleia Legislativa agendou para hoje encontro para definir uma agenda de ações devido ao aumento da ocorrência das doenças transmitidas pelo mosquito, em especial, a chikungunya.

A reunião começa às 14 horas e as discussões estão centralizadas na gravidade e nas consequências da febre chikungunya e em experiências bem-sucedidas de enfrentamento ao mosquito transmissor.

Abaixo, informações da Assembleia:

O objetivo é reunir gestores, profissionais da saúde, especialistas da área do controle das arboviroses, instituições de ensino e pesquisa, empresários e demais segmentos da sociedade, com a finalidade de ampliar os conhecimentos, promover debates e compartilhar ideias e experiências para reduzir os riscos de transmissão da chikungunya.

O número de mortes causadas pela doença vem crescendo no Estado, principalmente em Fortaleza. De acordo com números divulgados pela imprensa, com base nos dados do boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), já são 11 mortes confirmadas em Fortaleza e 14 em todo o Ceará, só em 2017.

Foram convidados para o evento representantes da Escola de Saúde Pública; Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa); Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece); Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza; Universidade Federal do Ceará; Unichristus; Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará; Federação das Indústrias do Estado do Ceará; Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde; Ministério Público; Unicef; OAB-CE; Fundação Oswaldo Cruz e Conselho Estadual de Saúde do Ceará.