Busca

Categoria: Segurança pública


07:45 · 01.08.2018 / atualizado às 07:46 · 30.07.2018 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

O deputado Fernando Hugo (SD) quer empatar dinheiro do contribuinte na criação de um sistema inspirado em regimes de exceção. É dele projeto que renova antigos conceitos. A ideia se fundamenta numa certa “Secretaria de Inteligência Estratégica”, além de uma “Agência Estadual de Inteligência”, um “Conselho Estadual de Inteligência do Estado do Ceará” e um “Sistema Estadual Interagências de Inteligência”. Nas décadas de 1960 e 1970, o Estado incorporou na área da segurança algo similar: um Serviço Estadual de Informações, alinhado com o Serviço Nacional de Informações. 

06:58 · 31.07.2018 / atualizado às 06:58 · 30.07.2018 por

A Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará, que treina policiais militares e civis, está a procura de local para efetuar aulas práticas de tiro – tanto de formação inicial quanto de formação continuada.

O ponto tem de ter certificado de registro do estande no Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército.

A AESP quer promover até 90 mil horas de tiro, em 12 meses, com 90 postos em uso simultâneo. É muita bala. Importante: num mundo tão cheio de imagens, as linhas de tiro devem ter câmeras que possibilitem a filmagem e arquivo das gravações das instruções. E os vídeos serão de propriedade da Academia.

05:34 · 29.07.2018 / atualizado às 05:36 · 26.07.2018 por

Matéria que tramita no Senado define que veículos do transporte público deverão ter obrigatoriamente botão de pânico.

O dispositivo deverá ter “acionamento discreto e silencioso” pelo condutor ou pelo cobrador em caso de perigo. Este ano, em Fortaleza, o Sindiônibus registrou 5,6 assaltos por dia a ônibus.

O projeto que trafega nas vias legislativas acrescenta uma serventia ao botão de pânico de ônibus e micro-ônibus. É a de informar a localização do veículo às autoridades de segurança pública.

Mas o texto estacionou na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. E está sem relator que o conduza.

05:27 · 24.07.2018 / atualizado às 05:28 · 23.07.2018 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado:

Especialistas em segurança pública se reúnem hoje e amanhã em Fortaleza, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). A pauta são estratégias para o setor. Não vai ser primeira vez que o segmento industrial se articula em torno do tema, que tem impacto forte sobre a sociedade sociais, mas será o passo inicial de uma atividade proposta a diferentes agentes na construção de caminhos possíveis para a superação de dificuldades coletivas. As mesas de discussão envolverão representantes dos meios universitário e empresarial, do governo e do terceiro setor. Prevenção à violência e sistemas socioeducativo e prisional e de segurança e defesa social estão na lista de temas. Todos associados à governança.

A meta da Fiec recebeu a denominação de Rota Estratégica da Segurança Pública. O foco é a definição de mapas com trajetórias para os fatores críticos na área da segurança pública do Ceará para o ano de 2025.

07:01 · 07.07.2018 / atualizado às 07:04 · 06.07.2018 por

Hoje, na Coluna Comunicado:

Não está longe de virar realidade a Lei de Acesso à Informação na Segurança Pública. A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara federal até já aprovou texto determinando que órgãos de segurança elaborem relatórios com dados sobre todas as denúncias recebidas e arquivadas contra policiais, assim como os cursos, treinamentos e capacitações executadas. São referências importantes para políticas públicas no setor. Os deputados Genecias Noronha (SD), Vicente Arruda (PDT) e Danilo Forte (PSDB) são titulares do Ceará na Comissão.

O projeto também define procedimentos cabíveis aos órgãos de Segurança Pública em relação à transparência e à prestação de contas. Há um espírito de vigilância interessante: o da transparência.

06:24 · 06.07.2018 / atualizado às 06:27 · 05.07.2018 por

Hoje, na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

A política tem coisas assim – e nem sempre percebe as curiosidades que protagoniza: no mesmo dia em que aprovou a criação de um Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa, setor da Secretaria da Segurança que tem relação direta com o cenário de violência no Estado, a Assembleia Legislativa deu aval a projetos que estabelecem a Política Estadual Cultura Viva do Estado do Ceará, que é uma das metas do Plano Estadual de Cultura, e a realização de concurso para a seleção de novos funcionários da Secretaria da Cultura. Duas soluções para o mesmo desafio.

12:16 · 03.07.2018 / atualizado às 07:17 · 02.07.2018 por

O vereador Michel Lins (PPS) apresentou à Câmara de Fortaleza projeto propondo que a Prefeitura reforme e revitalize a Praça João Gentil, no Bairro da Gentilândia.

O local tem uma marca extremamente trágica.

Foi na praça que, em março último, sete pessoas foram assassinadas na quarta chacina deste ano no Estado.

17:17 · 26.06.2018 / atualizado às 07:20 · 15.06.2018 por

Para quem se alimenta da pauta da segurança: a Secretaria da Justiça do Estado está incorporando 98 carabinas e 7 mil munições compatíveis.

Esse material todo vai para “manutenção da segurança e disciplina no interior das unidades que compõem o sistema prisional”. O custo é de R$ 880 mil.

Não é só isso.

Estão sendo empatados ainda R$ 750 mil na aquisição de instrumentos de menor potencial ofensivo, o que inclui sprays e outros recursos químicos.

07:21 · 25.06.2018 / atualizado às 07:31 · 15.06.2018 por

Notas que abrem a edição desta segunda-feira da Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste, de Fortaleza (CE):

Um plano nacional contra homicídios de jovens, contemplando políticas públicas para proteger prioritariamente as populações negra e pobre. Essa é a base de projeto que tramita na Câmara federal e que já passou em comissão especial. E vale notar: essas discussões tiveram origem no Ceará. Aqui, Assembleia Legislativa e Unicef formaram um comitê de estudos, que está também engajando universidades e outras instituições. E a Prefeitura de Fortaleza criou um grupo para trabalhar contra as causas e os efeitos desse aspecto da violência. A política e a sociedade, enfim, se movem.

08:02 · 18.06.2018 / atualizado às 18:12 · 12.06.2018 por

Leva a assinatura do vereador de Fortaleza Emanuel Acrízio (PRP) projeto que proíbe que carros-fortes estacionem em vias públicas. Ele quer que agências bancárias, farmácias e casas de câmbio, entre outros estabelecimentos, tenham locais de parada adequados e seguros.

Mas de nova a matéria não tem nada. Não mesmo!

É que nos anos 1990, a então vereadora Magaly Marques (PMDB) apresentou a mesma ideia, que foi rejeitada pela Câmara Municipal sob forte pressão de entidades empresariais. A ressurreição da matéria deve ser creditada à alta da violência urbana.

O texto de Emanuel Acrizio foi, digamos, “inspirado” por um episódio de troca de tiros registrado na Aldeota no mês passado. O texto determina que, a partir do início da vigência da lei, os estabelecimentos que são abastecidos por dinheiro tratem de arrumar locais para o estacionamento e desembarque dos carros-fortes. Note-se: os tempos são outros.