Busca

Categoria: Tecnologia


08:22 · 29.03.2017 / atualizado às 08:28 · 28.03.2017 por

Publiquei na Coluna Comunicado desta quarta-feira:

O deputado Leonardo Pinheiro (PP) inseriu no vocabulário da Assembleia Legislativa uma expressão ainda estalando de nova: “nomofobia”. Ele tratou de traduzir em projeto que pôs para tramitar na Casa: trata-se do “desconforto ou a angústia, causado pela impossibilidade de comunicação por meios virtuais, aparelhos de telefone celular, computadores, tablets e outros aparelhos similares utilizados para comunicação”. Ou seja, um mal que afeta quem esquece o dispositivo. Leonardo quer que o dinheiro do contribuinte seja empatado numa campanha permanente de orientação, conscientização, prevenção e combate à nomofobia no Estado.

A proposta de Leonardo Pinheiro padece de outra mazela: a clonagem. O texto foi copiado de outros que circulam na Internet e já tramitaram em outras assembleias, como as da Paraíba, do Paraná e de São Paulo.

08:53 · 19.10.2016 / atualizado às 06:55 · 18.10.2016 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Está em gestação o Museu da Ciência de Fortaleza. Os primeiros passos estão sendo dados agora pela Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), instituição da gestão municipal que se dedica a temas tecnológicos e outros quetais. O marco de largada vai ser o levantamento de informações museográficas e econômicas que darão sustentação ao anteprojeto do museu. Vale notar: por ora, a Prefeitura trata o assunto discretamente. A prioridade tem sido a discussão eleitoral.

Em janeiro deste ano, a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), que integra a administração estadual, firmou convênio com a Citinova. E o acordo teve cifrões na retaguarda. Foi prevista a transferência de R$ 166.862,92 justamente para os estudos sobre o museu.

São Paulo tem museu da Ciência e Tecnologia. Porto Alegre (RS) também. Londrina (PR), idem, assim como Limeira (SP) e Recife (PE), entre outras cidades. Embora sejam áreas ligadas à educação e ao desenvolvimento, nunca haviam despertado pelas bandas de cá interesse público ou privado. Agora vai, parece.

00:02 · 24.09.2016 / atualizado às 20:04 · 23.09.2016 por

Foi aprovada na Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados projeto que obriga a oferta de acesso sem fio à Internet aos passageiros do transporte coletivo – seja terrestre, aquaviário e aéreo doméstico.

Diz o texto que a disponibilização do acesso à rede será gradual e deverá chegar a todos os veículos dessas atividades num prazo de cinco anos.

É na Comissão de Desenvolvimento Urbano que estão embarcados os deputados cearenses Genecias Noronha (SD) e Luizianne Lins (PT), ambos com a modesta condição de suplentes.

As comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania ainda vão avaliar a matéria. Mas se a proposta virar lei e, consequentemente, obrigação, as empresas não vão poder alegar isso como justificativa para aumentar os preços das passagens.

18:09 · 21.09.2016 / atualizado às 18:10 · 21.09.2016 por

A empresa de telefonia Oi firmou uma parceria com a Secretaria de Educação do Piauí para o Plano de Modernização da Educação.

A ação estadual pretende beneficiar, com o programa iSeduc Banda Larga, aproximadamente 250 mil alunos com acesso à internet nas escolas. A Oi vai disponibilizar o acesso à internet de alta velocidade para aproximadamente 224 municípios piauienses com foco em banda larga e IP Connect.

Abaixo, informações da assessoria de Comunicação da Oi:

A Oi já oferece internet a 100 escolas públicas do Estado (do Piauí) e será responsável por ampliar o acesso as demais escolas e aumentar a velocidade de navegação em até 10MB, garantindo assim o pleno funcionamento dos laboratórios, da parte administrativa de cada escola e das Gerências Regionais de Educação (GREs).

Das 390 escolas que serão contempladas com o programa até dezembro de 2016, a Oi já concluiu a implantação de banda larga em 110 escolas, 12 GREs das 21 previstas, além de ter implantado acesso à internet de 2Gbps na sede da SEDUC para garantir a gestão de todas as escolas.

04:31 · 15.09.2016 / atualizado às 07:23 · 14.09.2016 por

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara federal – onde há apenas três deputados cearenses, todos na modesta condição de suplentes – aprovou projeto que permite a dedução sobre o imposto de renda de valores doados a programas, projetos e atividades de ciência, tecnologia e inovação.

O benefício chega a pessoas físicas e jurídica, ao estilo da “Lei Rouanet”, mas a proposta ainda tem de ser submetida às comissões de Finanças e Tributação, na qual há dois cearenses como titulares e dois na suplência, e de Constituição e Justiça e de Cidadania, onde atuam cinco titulares e cinco suplentes do Ceará.

10:45 · 03.08.2016 / atualizado às 17:26 · 03.08.2016 por

O nome é extenso e incomum, mas vale anotar: Espectroscopia Raman.

Saiba, então, que Fortaleza vai sediar de 14 a 19 deste mês a 25ª Conferência Internacional de Espectroscopia Raman. Trata-se de uma técnica com a qual se medem a identidade química e a estrutura dos materiais em difentes ramos industriais, inclusive o farmacêutico, o da química fina, o dos minerais e o de alimentos.

Quatrocentos cientistas e pesquisadores de mais de 15 países devem participar da Conferência

Abaixo, informações da assessoria de Imprensa do evento:

É a primeira vez que o evento acontece na América Latina e o local escolhido na capital cearense para a realização do encontro foi a Fábrica de Negócios, no Hotel Praia Centro. Na organização da conferência, a Universidade Federal do Ceará (UFC), anfitriã dessa edição, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade de São Paulo (USP), os três Estados onde a pesquisa na área é mais avançada, com trabalhos científicos publicados e pesquisas no campo da aplicação prática da técnica em Raman, já utilizada em áreas como Farmácia, Medicina, Ciência Forense, Paleontologia, na indústria alimentícia e do petróleo.

09:37 · 02.03.2016 / atualizado às 08:39 · 01.03.2016 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

Está pertinho de ser submetido ao plenário da Assembleia – amanhã, possivelmente – projeto do Governo do Estado que proíbe às operadoras de telefonia a concessão de serviços móveis em áreas próximas a presídios. “Trata-se de medida destinada a reforçar a vedação do uso de aparelhos celulares como instrumento para que atuações criminosas sejam planejadas, ordenadas e coordenadas de dentro das Unidades Prisionais”, diz a mensagem do Executivo, naquele costumeiro linguajar empolado. Diante dos índices de criminalidade no Estado e dos desafios de contê-los, seria de se supor que a matéria ganhasse adesão ampla dos deputados, certo? Errado.

Apesar da frequência com que são disparados discursos contra as políticas de segurança do Estado, assim como – e com justa razão – contra a facilidade com que quadrilhas agem por aqui, há parlamentares que reagiram com azedume à proposta de bloqueio. “A quem interessa esse tipo de política, que idiotiza a população?”, questionou Roberto Mesquita (PV).

Uma das alegações de quem se opõe ao projeto é a de que o bloqueio atingiria não só os presos, mas também quem mora e trabalha na vizinhança. É possível, mas o ônus não seria menor do que o bônus? Aliás, sumiu tão ligeirinho quanto apareceu a “denúncia” de que um pacto entre quadrilhas teria reduzido o índice de homicídios no Estado.

17:18 · 23.12.2015 / atualizado às 08:21 · 22.12.2015 por

A Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará fez fervilhar o mercado de informática. É que lançou registro de preços para adquirir nada menos do que 50.020 notebooks.

A encomenda da Etice visa a atender demandas próprias e da Secretaria da Educação Básica do Estado – nesse caso, para premiar alunos da rede estadual de ensino avaliados pelo Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará e pelo Exame Nacional do Ensino Médio.

Os modelos definidos devem ter pelo menos 4 gigabytes de memória RAM, câmera e microfone, entradas para cabos USB e HDMI, tela de LED, mouse e um monte de outros trique-triques tecnológicos.

Após a compra, o fornecedor vai ter até 90 dias para entregar todos os aparelhos – num calendário determinado por quantidades.

08:27 · 27.11.2015 / atualizado às 05:30 · 26.11.2015 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, que escrevo no jornal Diário do Nordeste:

O deputado Odorico Monteiro (PT), único cearense integrante da CPI dos Crimes Cibernéticos, instaurada na Câmara federal, faz um alerta: “A Comissão não pode ser usada para desfigurar o Marco Civil da Internet”. Há razão para essa atenção especial, explica: “Existe uma tentativa de reduzir a privacidade dos usuários e a segurança dos dados, o que hoje já está protegido no Marco Civil”. Pela lei, essa garantia só pode ser rompida por decisão da Justiça.

Segundo Odorico, o que ocorre é que os trabalhos da CPI, inicialmente destinados a apurar delitos financeiros e redes de exploração sexual de crianças e adolescentes na Internet, estão correndo o risco de derivar para o que ele classifica como “retrocessos”. A queixa tem endereço certo: a bancada tucana, à qual se atribuem movimentos para reduzir privacidade e segurança de dados.

A lei anterior, que vigorou de 2003 a 2014, tinha a marca do PSDB. Era a “Lei Azeredo” – nome originado do relator da matéria, o ex-senador e ex-deputado Eduardo Azeredo (MG) -, também conhecida como “AI-5 Digital”. Especialistas apontavam elementos no texto que restringiam liberdades civis. Agora, tentam-se ressuscitar essas barreiras.

05:50 · 25.11.2015 / atualizado às 05:50 · 25.11.2015 por

Da Agência Brasil:

As emissoras de rádio AM que desejam migrar para a frequência FM deverão pagar entre R$ 8,6 mil e R$ 4,4 milhões pela adaptação da outorga. Os valores foram apresentados (…) pelo governo, no Palácio do Planalto, e levaram em conta fatores como abrangência, potência das emissoras e indicadores econômicos e sociais dos municípios onde estão instaladas.

O valor mais alto, R$ 4,4 milhões, será cobrado para migração de rádios de grande potência (acima de 100 kilowatts) na região metropolitana de São Paulo. O custo mais baixo de migração será de R$ 8,6 mil e valerá para antenas de menor capacidade (até 0,5 kilowatt) instaladas em municípios com menos de 10 mil habitantes. A migração não é obrigatória.

*** ***

A relação dos valores será divulgada na edição do Diário Oficial desta quarta-feira, 25.

*** ***

A matéria completa, assinada por Luana Lourenço, está neste link.