Busca

Categoria: Troço chato


12:34 · 19.08.2018 / atualizado às 12:34 · 19.08.2018 por

Em maio passado, o deputado estadual cearense Wagner Sousa (Pros), apoiador de Jair Bolsonaro e defensor de teses conservadoras a respeito de um estado policialesco – sombriamente policialesco -, atravessou os limites do Ceará com o Rio Grande do Norte e ingressou lá no presídio de Alcaçuz.

Fez filmetes e os distribuiu em redes sociais, elogiando a instituição, onde em 2017 havia sido verificado um massacre de presos, episódio que resultou em 26 detentos assassinados e, pode acreditar!, 16 desaparecidos.

Pura conversa mole. A ideia não era exaltar o sistema penitenciário potiguar. A ideia mesmo era a de criticar os serviços e servidores do setor de segurança no Ceará. O objetivo era, como de costume, cutucar feridas locais.

Pois bem: o tal “presídio modelo” está novamente nas manchetes: “Quatro presos são encontrados mortos dentro da Penitenciária de Alcaçuz”, conforme o portal de notícias G1.

Duvido muito que o “capitão” apareça com a mesma atenção tão cedo.

18:48 · 16.08.2018 / atualizado às 09:14 · 16.08.2018 por

O deputado estadual Bruno Pedrosa (Patric) não foi muito longe para clonar projeto. Afinal, tem sotaque paraibano texto que pôs para tramitar na Assembleia Legislativa do Ceará.

Pedrosa quer instituir por aqui o Dia Estadual de Combate a Maus-Tratos de Animais. É algo que na Paraíba está, segundo o projeto que ele clonou, determinado desde 2012.

Mas o parlamentar desembarcou atrasado no assunto, como se nota. Tanto que na mesma Paraíba que lhe serviu de fonte já vigora o Código de Direito e Bem-estar Animal, devidamente aprovado pelo Legislativo e sancionado pelo Executivo. As regras proíbem a caça e o uso de animais em circos e espetáculos.

15:41 · 25.07.2018 / atualizado às 05:42 · 25.07.2018 por

O deputado Yuri Guerra (PP), que não é mais do que suplente na Assembleia Legislativa, pôs para tramitar projeto que propõe a criação no Ceará do “Dia Estadual do Promotor de Eventos”, em 22 de dezembro.

O texto é uma colcha de retalhos, com pedaços recortados ali e acolá na Internet.

Além do mais, com o devido respeito à categoria, sabe o que isso significa? Nada, absolutamente nada.

07:43 · 27.06.2018 / atualizado às 07:46 · 15.06.2018 por

Será realizado amanhã, pela Secretaria do Turismo do Estado, seminário com título no mínimo curioso: “Novos Turistas, Novos Desafios”.

Deve-se saudar a perspectiva de chegada de visitantes que alimentam o mercado promissor, ok, mas falar de novos desafios antes de vencer os antigos, parece no mínimo uma esquisitice.

O Ceará enfrenta dificuldades na área da segurança pública, problema que é comum a todos os demais estados, e por isso mesmo deve respostas à sociedade. Investimentos públicos no setor, de fato efetivados, são aspectos a serem destacados, mas há dados numéricos que exigem tratamento mais apurado.

18:48 · 12.06.2018 / atualizado às 19:09 · 12.06.2018 por

Há um sentimento de “estou sendo enganado” atazanando o juízo dos moradores de Reriutaba, município a 290 quilômetros de Fortaleza.

É que, para muitos, desde 2015 a Prefeitura era responsável pela antiga estação ferroviária local. O então prefeito, Galeno Taumaturgo, havia solicitado a cessão à União e conseguido, com ato publicado no Diário Oficial de 2 de dezembro.

E quem acha assim tem razão.

Pois agora o prefeito Osvaldo Neto (PDT) tem dito que foi ele quem obteve o imóvel.

Para desfazer as dúvidas, estão circulando na Internet documentos (veja abaixo) provando que a articulação e a finalização do pedido foi toda feita na gestão passada.

17:06 · 28.05.2018 / atualizado às 07:08 · 25.05.2018 por

A crítica de políticos a políticos virou moda na Assembleia Legislativa do Ceará.

Palavras do deputado Roberto Mesquita (Pros): “Cada época tem seus desafios. Precisamos de pessoas que se dispam de interesses”, acusando colegas de quererem “manter seus empregos, que são mandatos legislativos”.

Já o deputado Ely Aguiar (PSDC) também dá cipoadas na categoria à qual pertence: “Infelizmente, o político brasileiro, para se salvar, hoje tem que ser cínico e indiferente aos problemas da população”.

Ambos fazem de contas de que não são políticos, de que são seres acima e diferentes daqueles com quem convivem. E nem um nem outro disse se pretende se candidatar este ano ou se acha melhor não se misturar com os demais.

07:04 · 14.05.2018 / atualizado às 07:10 · 07.05.2018 por

Se tivesse de – ou como – lançar um manual de política, o vereador de Fortaleza Noélio Oliveira (Pros) poderia intitulá-lo de “Como Deixar Votos em Situação de Risco”.

É que, ao assumir posturas e discursos endurecidos nos temperos da direita, que contestam investimentos sociais, Noélio decidiu impor para si dificuldades com comunidades mais carentes.

No plenário da Câmara, e ignorando o risco de ressacas eleitorais, Noélio investiu contra a ideia de um Centro Urbano de Cultura e Arte (Cuca), da Prefeitura de Fortaleza, no Bairro Bom Jardim. Para ele, é melhor gastar com policiamento. “Se não tiver investimento na polícia não será possível manter esse serviço”, diz.

Mas a mais controversa manifestação ataca pessoas presas por crimes de menor gravidade e que podem sair da cadeia por meio de ação do Ministério da Segurança Pública.

“É uma grande mentira que estão vendendo para a população. Alguém que está preso e vai ser solto – que só aprendeu o que é ruim -, acabou todos os vínculos com as facções?” Jogou pesado até contra as famílias.

O vereador não se dá conta de que em meio a todo o joio da criminalidade, há o trigo que pode se transformar.

09:05 · 02.05.2018 / atualizado às 08:11 · 30.04.2018 por

Leva o jamegão do deputado Celso Nascimento (PSC) projeto que institui no Ceará o prêmio “Cidade Amiga do Idoso”.

O senhor e a senhora não conhecem na Assembleia do Ceará parlamentar com esse nome?

Nem poderiam.

Celso Nascimento tem mandato mesmo é em São Paulo, mas isso não inibiu a deputada Miriam Sobreira (PDT) de copiar proposta dele.

Clonou letra por letra e só economizou na justificativa.

Celso Nascimento sugeriu a premiação em SP em novembro do ano passado.

Miriam a clonou em abril último.

Ambos dizem que o reconhecimento é “destinado aos Municípios que se destacarem na adoção de políticas e iniciativas que visam assegurar um tratamento mais digno às pessoas idosas”.

A Assembleia de São Paulo já aprovou o texto, que, mesmo justo, não faz menção a valores a serem pagos.

09:42 · 28.04.2018 / atualizado às 09:43 · 27.04.2018 por

Publiquei neste sábado (28.4) na Coluna Comunicado, que escrevo de segunda-feira a sábado no jornal Diário do Nordeste:

As notícias falsas que têm corrido pela Internet – fake news, no linguajar da moda – geraram um curioso requerimento na Câmara de Fortaleza. É que o vereador Noélio Oliveira (Pros) quer que a secretária de Saúde, Joana Maciel, vá à casa dizer o que é mentira ou verdade “com relação aos casos da gripe H1N1”. Como se coubesse a ela catalogar a boataria que tem, deve-se reconhecer, se avolumado. Noélio é da oposição. Diz que não quer constranger a secretária, mas abrir espaço para que ela se pronuncie. Pode estar, soldado que é da PM, dando um tiro no pé. Mas a política é feita de riscos, né?

Já na Assembleia Legislativa, as fake news não geraram ação tão dúbia. E foi sem luvas de pelica que o líder do governo, Evandro Leitão (PDT), pregou aviso. “A imunidade parlamentar não pode servir para dar proteção àqueles que não têm compromisso com a verdade”.

A encrenca de Evandro Leitão com notícias falsas não se limita ao campo das redes sociais da Internet. Ele está de olho mesmo é no que se diz, ou no que se pode dizer, nas tribunas. Pelo ambiente em que se movimenta politicamente, o deputado faz pontaria especial nos campos estaduais, mas a crítica é ampla.

E há um ponto até interessante: no início de abril, a própria Assembleia promoveu um amplo debate sobre fake news, com a participação de jornalistas e acadêmicos. Quer saber quantos deputados se animaram a discutir o tema no auditório da Casa, a poucos passos de qualquer gabinete? Nenhum.

12:07 · 26.04.2018 / atualizado às 09:08 · 25.04.2018 por

A Prefeitura de Fortaleza está planejando destinar R$ 4,624 milhões para a aquisição de livros didáticos para a estudantadada da rede municipal de ensino.

E pode crer: já há sinais de movimentações políticas para avaliar os conteúdos e, se os educadores derem colher de chá, tentar censurar o material.

Uma deseducação chamada “fundamentalismo político-religioso”, patrocinada por grupos que tentam impor às escolas o retrocesso obscuro do clima medieval.