Busca

Categoria: Troço chato


07:43 · 27.06.2018 / atualizado às 07:46 · 15.06.2018 por

Será realizado amanhã, pela Secretaria do Turismo do Estado, seminário com título no mínimo curioso: “Novos Turistas, Novos Desafios”.

Deve-se saudar a perspectiva de chegada de visitantes que alimentam o mercado promissor, ok, mas falar de novos desafios antes de vencer os antigos, parece no mínimo uma esquisitice.

O Ceará enfrenta dificuldades na área da segurança pública, problema que é comum a todos os demais estados, e por isso mesmo deve respostas à sociedade. Investimentos públicos no setor, de fato efetivados, são aspectos a serem destacados, mas há dados numéricos que exigem tratamento mais apurado.

18:48 · 12.06.2018 / atualizado às 19:09 · 12.06.2018 por

Há um sentimento de “estou sendo enganado” atazanando o juízo dos moradores de Reriutaba, município a 290 quilômetros de Fortaleza.

É que, para muitos, desde 2015 a Prefeitura era responsável pela antiga estação ferroviária local. O então prefeito, Galeno Taumaturgo, havia solicitado a cessão à União e conseguido, com ato publicado no Diário Oficial de 2 de dezembro.

E quem acha assim tem razão.

Pois agora o prefeito Osvaldo Neto (PDT) tem dito que foi ele quem obteve o imóvel.

Para desfazer as dúvidas, estão circulando na Internet documentos (veja abaixo) provando que a articulação e a finalização do pedido foi toda feita na gestão passada.

17:06 · 28.05.2018 / atualizado às 07:08 · 25.05.2018 por

A crítica de políticos a políticos virou moda na Assembleia Legislativa do Ceará.

Palavras do deputado Roberto Mesquita (Pros): “Cada época tem seus desafios. Precisamos de pessoas que se dispam de interesses”, acusando colegas de quererem “manter seus empregos, que são mandatos legislativos”.

Já o deputado Ely Aguiar (PSDC) também dá cipoadas na categoria à qual pertence: “Infelizmente, o político brasileiro, para se salvar, hoje tem que ser cínico e indiferente aos problemas da população”.

Ambos fazem de contas de que não são políticos, de que são seres acima e diferentes daqueles com quem convivem. E nem um nem outro disse se pretende se candidatar este ano ou se acha melhor não se misturar com os demais.

07:04 · 14.05.2018 / atualizado às 07:10 · 07.05.2018 por

Se tivesse de – ou como – lançar um manual de política, o vereador de Fortaleza Noélio Oliveira (Pros) poderia intitulá-lo de “Como Deixar Votos em Situação de Risco”.

É que, ao assumir posturas e discursos endurecidos nos temperos da direita, que contestam investimentos sociais, Noélio decidiu impor para si dificuldades com comunidades mais carentes.

No plenário da Câmara, e ignorando o risco de ressacas eleitorais, Noélio investiu contra a ideia de um Centro Urbano de Cultura e Arte (Cuca), da Prefeitura de Fortaleza, no Bairro Bom Jardim. Para ele, é melhor gastar com policiamento. “Se não tiver investimento na polícia não será possível manter esse serviço”, diz.

Mas a mais controversa manifestação ataca pessoas presas por crimes de menor gravidade e que podem sair da cadeia por meio de ação do Ministério da Segurança Pública.

“É uma grande mentira que estão vendendo para a população. Alguém que está preso e vai ser solto – que só aprendeu o que é ruim -, acabou todos os vínculos com as facções?” Jogou pesado até contra as famílias.

O vereador não se dá conta de que em meio a todo o joio da criminalidade, há o trigo que pode se transformar.

09:05 · 02.05.2018 / atualizado às 08:11 · 30.04.2018 por

Leva o jamegão do deputado Celso Nascimento (PSC) projeto que institui no Ceará o prêmio “Cidade Amiga do Idoso”.

O senhor e a senhora não conhecem na Assembleia do Ceará parlamentar com esse nome?

Nem poderiam.

Celso Nascimento tem mandato mesmo é em São Paulo, mas isso não inibiu a deputada Miriam Sobreira (PDT) de copiar proposta dele.

Clonou letra por letra e só economizou na justificativa.

Celso Nascimento sugeriu a premiação em SP em novembro do ano passado.

Miriam a clonou em abril último.

Ambos dizem que o reconhecimento é “destinado aos Municípios que se destacarem na adoção de políticas e iniciativas que visam assegurar um tratamento mais digno às pessoas idosas”.

A Assembleia de São Paulo já aprovou o texto, que, mesmo justo, não faz menção a valores a serem pagos.

09:42 · 28.04.2018 / atualizado às 09:43 · 27.04.2018 por

Publiquei neste sábado (28.4) na Coluna Comunicado, que escrevo de segunda-feira a sábado no jornal Diário do Nordeste:

As notícias falsas que têm corrido pela Internet – fake news, no linguajar da moda – geraram um curioso requerimento na Câmara de Fortaleza. É que o vereador Noélio Oliveira (Pros) quer que a secretária de Saúde, Joana Maciel, vá à casa dizer o que é mentira ou verdade “com relação aos casos da gripe H1N1”. Como se coubesse a ela catalogar a boataria que tem, deve-se reconhecer, se avolumado. Noélio é da oposição. Diz que não quer constranger a secretária, mas abrir espaço para que ela se pronuncie. Pode estar, soldado que é da PM, dando um tiro no pé. Mas a política é feita de riscos, né?

Já na Assembleia Legislativa, as fake news não geraram ação tão dúbia. E foi sem luvas de pelica que o líder do governo, Evandro Leitão (PDT), pregou aviso. “A imunidade parlamentar não pode servir para dar proteção àqueles que não têm compromisso com a verdade”.

A encrenca de Evandro Leitão com notícias falsas não se limita ao campo das redes sociais da Internet. Ele está de olho mesmo é no que se diz, ou no que se pode dizer, nas tribunas. Pelo ambiente em que se movimenta politicamente, o deputado faz pontaria especial nos campos estaduais, mas a crítica é ampla.

E há um ponto até interessante: no início de abril, a própria Assembleia promoveu um amplo debate sobre fake news, com a participação de jornalistas e acadêmicos. Quer saber quantos deputados se animaram a discutir o tema no auditório da Casa, a poucos passos de qualquer gabinete? Nenhum.

12:07 · 26.04.2018 / atualizado às 09:08 · 25.04.2018 por

A Prefeitura de Fortaleza está planejando destinar R$ 4,624 milhões para a aquisição de livros didáticos para a estudantadada da rede municipal de ensino.

E pode crer: já há sinais de movimentações políticas para avaliar os conteúdos e, se os educadores derem colher de chá, tentar censurar o material.

Uma deseducação chamada “fundamentalismo político-religioso”, patrocinada por grupos que tentam impor às escolas o retrocesso obscuro do clima medieval.

 

09:39 · 05.03.2018 / atualizado às 17:41 · 02.03.2018 por

Da série “Isso serve mesmo para quê?” O deputado Sérgio Aguiar (PDT) está propondo que todos os bens públicos identificados por nomes de pessoas – como prédios e rodovias – tenham o número da lei que determinou a denominação e o nome do proponente.

Na justificativa, Sérgio Aguiar cita “ampliação da transparência na gestão da coisa pública” e “conhecimento de todas as informações que possam interessar ao público”. Só não diz que é o mesmo que dar carona aos deputados nas placas públicas.

18:58 · 02.10.2017 / atualizado às 09:04 · 29.09.2017 por

Num dos momentos mais bizarros do papo-furado cotidiano que alguns deputados estaduais cometem na Assembleia do Ceará, Ferreira Aragão (PDT) e Ely Aguiar (PSDC) esgrimaram com palavras agudas e muitas malícias e insinuações sobre quem era mais pobre do que o outro.

O blablablá estéril é frequente- e pode até ser tratado como padrão para os conteúdos que parcela dos parlamentares impõe à tribuna e, claro, ao cidadão.

A querela para ver quem tem mais potencial de impor abobrinhas ao respeitáááável público tende a seguir firme até 2018, ano de renovação.

08:00 · 26.09.2017 / atualizado às 19:46 · 25.09.2017 por

A deputada Silvana Oliveira (PMDB) está propondo que a Assembleia Legislativa dê, assim, de mão beijada, sem ver nem pra quê, o honroso título de Cidadão Cearense ao telepastor evangélico Silas Malafaia.

Ora, ora, logo o Malafaia, que abertamente se posiciona contra direitos sociais e liberdades civis; que apela para a grosseria como método do que entende como “evangelização”; que intimida, berra, ameaça os fieis que não caem com o dízimo na caixinha dele.

A propósito, e já que está em uso a palavra “cidadão”, vale notar que o cidadão cearense pode não ter a mínima ideia do que o Silas Malafaia fez para merecer a distinção, que na verdade é reservada a personalidades que de fato colaboram com o Estado.

A deputada Silvana diz que ele defende “a fé cristã” e “princípios e valores éticos, morais e espirituais da Igreja de Jesus Cristo”. Mas aí a gente dá um desconto: esse, afinal, é só o ponto de vista dela.