Busca

Categoria: Turismo


08:51 · 13.10.2017 / atualizado às 08:54 · 12.10.2017 por

Publiquei hoje, na Coluna Comunicado:

O tema tem tudo a ver com esta sexta-feira 13 imprensada – com jeitão de dia turístico, pois: o Ceará pode modificar as estratégias públicas que vem adotando para o turismo. É que a Assembleia Legislativa está analisando proposta sobre classificações para destinos no Estado, adequando os polos cearenses à categorização implantada pelo Ministério do Turismo. Essa metodologia será critério em nível nacional para o acesso a verbas que servirão à infraestrutura e à qualificação de mão de obra, por exemplo. Em resumo, as alterações apontam para mais profissionalização no setor – tanto de empreendedores quanto de empregados -, o que pode representar mais responsabilidades para gestores e outros agentes.

O Mapa do Turismo Brasileiro, traçado pelo Ministério, inclui 74 cidades do Ceará. Estão concentradas em cinco categorias, variando de acordo com a capacidade de gerar negócios e com as estruturas das quais dispõem. Importante: há representações nos litorais leste e oeste, incluindo Fortaleza, nas serras, no Cariri e nos sertões.

04:03 · 13.10.2017 / atualizado às 14:05 · 08.10.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado:

O Ceará pode modificar as estratégias públicas que vem adotando para o turismo. É que a Assembleia Legislativa está analisando proposta que define classificações para destinos no Estado, adequando o Estado à categorização implantada pelo Ministério do Turismo. Essa metodologia será critério para o acesso a verbas que servirão à infraestrutura e à qualificação de mão de obra, por exemplo. Em resumo, as alterações apontam para mais profissionalização no setor – tanto de empreendedores quanto de empregados -, o que pode representar mais responsabilidades para gestores e outros agentes políticos.

O Mapa do Turismo Brasileiro, traçado pelo Ministério, inclui 74 cidades do Ceará. Estão concentradas em cinco categorias, variando de acordo com a capacidade de gerar negócios e com as estruturas das quais dispõem. Importante: há representações nos litorais leste e oeste, incluindo Fortaleza, nas serras, no Cariri e nos sertões.

15:14 · 23.09.2017 / atualizado às 11:15 · 21.09.2017 por

Ninguém é capaz de apostar um centavo furado na reforma do calçadão da Avenida Beira-Mar de Fortaleza, certo?

Certo.

Mas a do Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante, está mais perto do que longe de se tornar realidade.

É que a Secretaria do Turismo do Estado está planejando investir R$ 2,086 milhões na obra – dinheiro do erário estadual e do Banco de Desenvolvimento da América Latina, o CAF.

A finalidade é dar fôlego novo a atividades econômicas relacionadas ao turismo que haviam ficado em segundo plano com o crescimento do Complexo Portuário e Industrial.

08:46 · 07.09.2017 / atualizado às 17:49 · 05.09.2017 por

Notas publicadas nesta quinta-feira, 7 de setembro, na Coluna Comunicado, do jornal Diário do Nordeste:

Fortaleza vive um momento especial no turismo: vem registrando bons índices de ocupação dos meios de hospedagem – para o feriadão de hoje a domingo, por exemplo, mais de 90% dos leitos de hoteis e pousadas foram reservados. Deve-se avaliar o impulso como parte de um esforço ordenado do poder público, que passou a reconhecer e a estimular a atividade como essencial para a economia. E, sob essa ótica, é necessário destacar que cabem à iniciativa privada papeis relevantes. Como o de rever preços e conceitos de atendimento para garantir que o crescimento não seja apenas um surto, mas um ganho contínuo e produtivo. E coletivo.

O letreiro “Fortaleza”, na Praia de Iracema, já se tornou um marco para visitantes e locais. Fazer fotos diante da estrutura virou programa obrigatório. Ação simples, mas extremamente eficiente.

06:52 · 11.08.2017 / atualizado às 09:58 · 10.08.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado:

A Secretaria estadual do Turismo apurou que a demanda turística no Ceará aumentou 53,7% em 10 anos – de 2006 a 2016 -, passando de 2.062.493 a 3.243.501 visitantes. O deputado Evandro Leitão (PDT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, incorporou as informações à retórica de plenário e diz que “mais de 70% do Produto Interno Bruto do Estado” são extraídos do turismo. Os dados são técnicos, ok, e por isso têm aparência áspera e de difícil compreensão para alguns. Ainda assim, não podem sair do álbum de recordações da política.


Evandro Leitão vai mais longe. O deputado estima que somente em julho passado, na temporada alta, a renda direta e indireta proporcionada à economia do Estado pelo fluxo de visitantes deve ter chegado a R$ 1,5 bilhão.

09:35 · 08.08.2017 / atualizado às 07:30 · 03.08.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado, do Diário do Nordeste:

O teleférico de Ubajara, atração referencial para o turismo daquela região, vai ganhar reforço nos componentes. A Secretaria do Turismo do Estado está implementando melhorias nos sistemas que movem e dão segurança ao equipamento. Os serviços se incluem num pacote maior, que prevê a modernização das estruturas e, no todo, tem previstos investimentos de R$ 10 milhões. É uma medida interessante para a necessária e justa diversificação do cardápio turístico do Estado – ainda muito concentrado no litoral.

A expectativa da Secretaria do Turismo é a de que, concluídos os aprimoramentos, o sistema do bondinho tenha condições de funcionar adequadamente por mais 40 anos. A estrutura opera desde 1975 – último ano da gestão do então governador César Cals Filho.

Em meados do ano passado, a Setur apresentou ao Instituto Chico Mendes – responsável pelo Parque de Ubajara – os planos de recuperação do teleférico. O equipamento, então, estava completando 13 meses na mais completa ociosidade. O ICMBio deu aval e o restauro finalmente pode seguir.

05:00 · 24.07.2017 / atualizado às 17:30 · 20.07.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado:

Foi em Fortaleza, após dois dias de chuva, que o sol levou estrepitosa vaia na Praça de Ferreira – isso no já distante 30 de janeiro de 1942, conforme a Imprensa da época. Agora, numa curiosa inversão, a chuva é que corre o risco de ser alvo de apupos, já que o meio turístico oferece recompensa ao visitante que pode vir em busca de calor e acabar frustrado por dois dias encarrilhados de chuva. Não deixa de despertar atenção o desejo de que as nuvens sejam comedidas quando há uma sequência de cinco anos de seca esturricante, impondo perdas graves e generalizadas à economia. Mas fazer o quê? As alternativas se constroem mesmo é na adversidade.

08:00 · 19.07.2017 / atualizado às 07:13 · 18.07.2017 por

Publiquei hoje na Coluna Comunicado, do Diário do Nordeste:

Embalada pela boa projeção – 380 mil visitantes nesta alta temporada -, a Prefeitura de Fortaleza está mimando turistas. E está certa. Afinal, deve-se tratar bem quem escolhe a cidade para passar férias e gastar dinheiro. No Aeroporto, distribuem-se balangandãs aos que chegam. Há uma articulação entre setores públicos e privados. Até aí, ok. Mas o importante agora para o cidadão é ter ideia de quando espaços como o Farol do Mucuripe, o Morro de Santa Terezinha, o Marco Zero na Barra do Ceará e o próprio Centro terão resgatados seus valores históricos e econômicos. De outro modo, tudo não passará do que é hoje: otimismo.

*** *** ***

A propósito, o secretário de Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira (acima), estima que a alta estação vá acrescentar à economia do Estado mais de R$ 1,6 bilhão.

O cálculo se baseia em indicadores de anos passados e em padrões de gastos individuais dos turistas.

 

*** *** ***

E saiba mais:

O índice de ocupação de leitos nos hoteis de Fortaleza na alta temporada de meio de ano em 2016 superou 72%. Agora, estima-se chegar ao fim deste mês com taxa superior, o que indicaria avanços na atividade.

Além disso, 4% são o indicador previsto pela Secretaria de Turismo do Município como incremento de visitantes na cidade no período atual de férias, comparando com o fluxo em Fortaleza na temporada de julho de 2016.

06:51 · 18.07.2017 / atualizado às 06:51 · 18.07.2017 por

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), fará atendimento ao público, esta semana, nas praias mais movimentadas de Fortaleza. A temporada de férias e o hábito de maus comerciantes de tirarem o couro do turista assim justificam

Hoje e amanhã, a van do projeto Decon Viajante estará na Avenida Beira Mar, em frente ao Náutico Atlético Cearense, das 16 às 20h. Já quinta e sexta-feira vai à Praia do Futuro, das 8 às 12h, na Praça 31 de Março (hoje, Praça Dom Hélder Câmara).

Abaixo, informações do Decon:

Segundo a secretária-executiva do Decon, Ann Celly Sampaio, como julho é um mês de alta estação na Capital cearense, o órgão decidiu fortalecer o atendimento ao turista. “Infelizmente, as viagens de férias nem sempre são só alegrias e diversão. O consumidor, às vezes, encontra diversos imprevistos que podem ser causados por descumprimentos de acordos com empresas e prestadoras de serviços turísticos. E como o turista nem sempre sabe onde ou como recorrer, estaremos em locais de alta visibilidade para tirar dúvidas e abrir reclamações”, explica a promotora de Justiça.

Além da van itinerante, o Decon também realiza atendimento na sede do órgão à Rua Barão de Aratanha, 100, no Centro de Fortaleza, entre as 8h e as 14 horas. Quem estiver no Aeroporto Internacional Pinto Martins pode ir ao Posto Avançado do Decon, que funciona 24 horas para atendimento de viajantes em trânsito. Outras informações podem ser encontradas em www.mpce.mp.br/decon ou esclarecidas através do telefone 0800.275.8001.

11:05 · 01.07.2017 / atualizado às 11:06 · 30.06.2017 por

Hoje, na Coluna Comunicado:

Tem ares saudáveis para Fortaleza a criação de um conselho comunitário para a Praia de Iracema, bairro referencial em história, tradições, arte e cultura da cidade. A ideia é da Secretaria de Turismo do Município, associada a projetos de requalificação da área – que até o início dos anos 1980 foi essencialmente residencial, tornou-se polo de bares e restaurantes e hoje enfrenta uma avassaladora decrepitude. Segundo a Setfor, 3 mil moradores deverão ser beneficiados com medidas de recuperação e a comunidade deverá ser engajada no desenvolvimento de atividades em conjunto com a gestão municipal. Se vingar, será um interessante diálogo entre a sociedade e suas representações.