Busca

18:07 · 28.11.2007 / atualizado às 18:07 · 28.11.2007 por

Todos escaparam ilesos do pouso de emergência que fez hoje, entre Milagres e Missão Velha, no Cariri, o helicóptero que levava o governador Cid Gomes (PSB), o chefe da Casa Militar, coronel Francisco Bezerra, e o assessor de Imprensa do Governo, Luiz Viana.

Agora, pode-se até propor um decreto que estabeleça o seguinte: Luiz Viana não viaja mais de helicóptero. É que ele tem um pé frio danado.

Viana estava na geringonça igualzinha que, em setembro de 2006, caiu em Guaiúba. Saíram machucados, além dele, o prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), o piloto José Tales e o promotor de eventos Fabrício Rodrigues.

11:38 · 28.11.2007 / atualizado às 11:38 · 28.11.2007 por

Publicado hoje na Coluna Comunicado, do Diário do Nordeste:

“O PT concluirá domingo seu Processo de Eleições Diretas, com as votações para os comandos municipais, estaduais e nacional. Curioso: opositores do atual presidente estadual, Joaquim Cartaxo, dizem – no mínimo – que é inadequado que ele seja também secretário das Cidades do Ceará. Mas não se fala do fato de o presidente do PT de Fortaleza, Raimundo Ângelo, receber polpudos contracheques da Prefeitura como membro da Comissão de Implantação e Execução do Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios, vinculada à Secretaria de Finanças”.

11:27 · 28.11.2007 / atualizado às 11:27 · 28.11.2007 por

Essa é para rir: o vereador Alípio Rodrigues, suplente de Déborah Soft, quer criar em Fortaleza a Semana do Caricaturista.

11:25 · 28.11.2007 / atualizado às 11:25 · 28.11.2007 por

O bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, foi alvo agora de manhã, na Assembléia Legislativa do Ceará, de uma saraivada de críticas porque está fazendo greve de fome contra o projeto de transposição do São Francisco. Cappio acha que as águas do Velho Chico são exclusividade da Bahia para cima e que não devem ser compartilhadas com outros estados nordestinos.

Cirilo Pimenta e Moésio Loiola, ambos tucanos, desancaram o bispo. Palavras de Moésio: “Ele deveria ir para os municípios do Sertão Central para ver o que é passar sede e fome”.

10:47 · 28.11.2007 / atualizado às 10:47 · 28.11.2007 por

Recebi o texto abaixo do jornalista Mauro Costa. Repasso-o na íntegra pela justeza da causa:

Qualidade de vida no ambiente de trabalho é tema de palestra em prol da Abrame no dia 4

‘Desafios e soluções para a qualidade de vida no ambiente do trabalho’ é o tema da palestra com a psicóloga Sâmia Simurro, vice-presidente de projetos da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV) na próxima terça-feira, dia 4 de dezembro, às 19 horas, no auditório da FA7 (Rua Alm. Maximiniano da Fonseca, 1395 – Eng. Luciano Cavalcante). O evento é uma realização da Associação Brasileira de Amiotrofia Espinhal (Abrame) e toda a renda obtida será direcionada para a manutenção dos projetos da entidade. Criada em 2001 por pais que tinham em comum filhos portadores de amiotrofia espinhal, a Abrame luta para criar condições de levar as crianças portadoras da doença para suas casas, onde teriam melhor qualidade de vida e aproveitamento do convívio familiar. O ingresso para o evento custa R$ 40,00 (quarenta reais) a inteira e R$ 20,00 para estudantes e maiores de 60 anos. Informações pelo fone 3254 3020.

Mestre em Psicologia na área de Neurociências e Comportamento (USP) e pós-graduada Latu Senso em Psicologia da Saúde e Hospitalar (PUC/SP), Sâmia Simurro é especialista em estresse, pelo Instituto Paulista de Estresse, Psicossomática e Psiconeuroimunologia, e em psicossomática, pela Associação Paulista de Medicina Psicossomática. Na palestra, Sâmia Simorro irá abordar como os programas de qualidade de vida podem ajudar a melhorar a saúde dos funcionários, aumentar a motivação, melhorar o bem estar e reduzir o estresse. Pesquisa desenvolvida em 10 Estados pelo SESI mostra que 60% dos trabalhadores da indústria brasileira são pouco ativos fisicamente no lazer. Além disso, a preocupação financeira é um dos maiores motivos do estresse atual. Segundo pesquisa da ABQV, 27% dos entrevistados afirmam que os problemas financeiros são um dos principais fatores que dificultam a manutenção ou implantação de um programa de qualidade de vida. O levantamento realizado com 600 profissionais, em 15 áreas de atuação diferentes concluiu que a falta de investimento por problemas financeiros é um dos principais obstáculos para a implantação e manutenção de um programa de qualidade de vida em uma organização.

Segundo Sâmia Simurro, um programa bem planejado com ações integradas é o desafio para que os recursos sejam bem aproveitados e possíveis para organizações de qualquer segmento e tamanho. O conceito de Qualidade de Vida deve ser entendido como o bem estar pessoal, apresentando um estado de equilíbrio entre as diferentes dimensões da vida da pessoa. Para isso é necessário adquirir hábitos saudáveis para o corpo e para a mente, envolvendo saúde física, equilíbrio emocional, relações sociais, crenças pessoais e relacionamento com o meio ambiente e a comunidade.

Sobre a Amiotrofia Espinhal
A amiotrofia espinhal é uma das doenças genéticas mais comuns, uma em cada 50 pessoas é portadora e uma em cada 10 mil bebês que nascem é afetado. Cerca de 20% das crianças afetadas sobrevive apenas até os 4 anos de idade, em geral por complicações respiratórias. Pelas dificuldades respiratórias, os pacientes são submetidas a traqueostomias e necessitam de suporte ventilatório o que as deixa dependentes de aparelhos hospitalares e dificulta sua transferência para casa.

Palestra “Desafios e soluções para a qualidade de vida no ambiente do trabalho”
Data: Terça-feira (4/12)
Horário: 19 horas
Local: Auditório da Fa7 (Rua Alm. Maximiniano da Fonseca, 1395 – Eng. Luciano Cavalcante)
Preço: R$ 40,00 a inteira e R$ 20,00 para estudantes e maiores de 60 anos.
Informações: Loja do Siriguela (Travessa Maranguape, 108 – Centro). Fone: (85) 3254 3020″

10:41 · 28.11.2007 / atualizado às 10:41 · 28.11.2007 por

O textinho abaixo não tem, aparentemente, vinculação com a política. Menos ainda com a política cearense, essa estranha manifestação de relações de poder que não segue conceitos ideológicos. Foi publicado na coluna Zunzunzum, do caderno Zoeira, do Diário do Nordeste, no hoje distante 24 de setembro. Pincei-o por ser curioso:

Indignada
Cleo Pires ficou chateada com as insinuações de que estaria namorando a atriz Ildi Silva. A brincadeira das atrizes de se chamar de ´namo´ foi motivo para os programas de fofoca darem a entender que as duas teriam um caso. Em seu blog, Cleo criticou a imprensa e pediu para que o público fosse mais crítico em relação às notícias.

O blog de atriz Cleo Pires não é mesmo o espaço ideal para quem quer entender política ou se atualizar sobre o tema, reconheço, mas é oportuno recorrer àquele espaço virtual para traçar um paralelo que julgo interessante sobre o que se passa o entorno das especulações sobre a possível candidatura da senadora Patrícia Saboya (ex-PSB, hoje no PDT) à Prefeitura de Fortaleza em 2008. A chave é o trecho que diz respeito à criticidade do público, o qual marquei com negrito, à necessidade de se perceber o que há nas entrelinhas, a não comprar qualquer tipo de informação pelo preço que lhe é oferecida.

Tem sido posto como uma divergência o fato de o deputado federal, ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PSB) ter declarado voto na ex-mulher, a senadora Patrícia Saboya (PDT), a prefeita de Fortaleza em contraste com o irmão, o governador Cid, que disse que apoiará a candidatura da atual gestora, Luizianne Lins (PT).

Entenda: não é o fato de ter dito que apoiará Luizianne que Cid de fato o fará. Patrícia, ex-cunhada e agora amiga, tem a confiança não só de Cid, mas do terceiro irmão, Ivo.

Entenda mais ainda: a família Ferreira Gomes é, bem dizer, um partido. Tem seu líder – Ciro – e não registra cisões em seu histórico. Para onde um vai, todos vão. É assim que tem sobrevivido politicamente nos últimos 50 anos. Ou seja, o que pode aparentar uma diferença corre o risco de ser uma estratégia em busca de um posicionamento seguro e que garanta razoáveis dividendos políticos.

E, pensando melhor, se Cid retribuir na mesma medida o que recebeu de Luizianne quando, em 2006, se elegeu governador, a prefeita estará em maus – péssimos, melhor dizendo – lençóis. Ainda hoje, gente que participou da campanha de Cid fala sem disfarçar o incômodo, e sem poupar adjetivos, das dificuldades impostas pelos luizianistas.

18:23 · 27.11.2007 / atualizado às 18:23 · 27.11.2007 por

 

O sorridente cidadão de barbicha na foto acima se chama Reudson de Souza. É candidato à presidência do PT do Ceará. Ele posa aí ao lado do deputado federal José Airton, que o apóia, do presidente da Câmara federal, Arlindo Chinaglia, e do deputado federal paulista Jilmar Tatto, candidato a presidente nacional do PT. Campanha tem dessas coisas mesmo.

Reudson recebe contracheque no gabinete da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), como assessor de Relações Públicas.

Consultado por mim, o Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas da 5a. Região, que é sediado em Recife (PE) e tem jurisdição no Ceará, informou que ele não é relações públicas patavina nenhuma.

Petista descumprindo a legislação que regulamenta o exercírcio profissional? Que coisa, hein?

17:58 · 27.11.2007 / atualizado às 17:58 · 27.11.2007 por

Sexta-feira próxima, partipantes do seminário “Educação, Ação Social e Segurança Pública – Por Uma Aliança Contra a Droga e a Violência Urbana”, que começa amanhã na Câmara Municipal de Fortaleza, farão uma caminhada da Câmara ao Palácio Iracema, sede do Governo do Estado. Será no fim da tarde, comecinho da noite – temperatura mais amena, mas um trânsito infernal.

A tarefa é entregar ao governador Cid Gomes (PSB) um documento, intitulado “Carta de Fortaleza Contra a Droga e a Violência Urbana”, constituído a partir de posicionamentos obtidos no evento.

O seminário foi idealizado pelo presidente da Câmara, Tin Gomes (PHS). Vai reunir algumas estrelas políticas, como os ministros Tarso Genro, da Justiça e Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. E também os secretários da Segurança do Estado, Roberto Monteiro; da Educação, Izolda Cela; e da Ação Social, Fátima Catunda.

Vamos ver no que vai dar.

12:17 · 27.11.2007 / atualizado às 12:17 · 27.11.2007 por

Deputados estaduais passaram parte da manhã de hoje desmontando a propaganda oficial da Prefeitura de Fortaleza sobre o réveillon 2006/2007. Informam os anúncios que o Tribunal de Contas da União (TCU) considerou legal a festa.

E assim falou Fernando Hugo (PSDB), que só chama a prefeita Luizianne Lins (PT), de “Linda Lins”: “Isso é uma enganação, porque o TCU nem se posicionou ainda sobre o caso”.

O também tucano Luiz Pontes também deu suas bicadas: “Tudo isso precisa ser investigado. E o TCU precisa ser notificado. O órgão não pode ser utilizado para a prefeita de Fortaleza botar a sujeira desta festa debaixo do tapete”.

Adahil Barreto (PR) não descambou para as denúncias de irregularidades na última virada de ano. Preferiu olhar para a frente, considerando os R$ 2 milhões que a Prefeitura tem dito que gastará este ano – dos quais, R$ 594,8 mil serão só com fogos de artifício: “Apelo à prefeita para que não aplique tanto dinheiro na festa, já que Fortaleza passa por problemas em educação, saúde e moradia. E que tenha bom senso e faça a festa seguindo os trâmites licitatórios para que não surjam mais questionamentos este ano”.

Você acha que a prefeita vai atender?

12:04 · 27.11.2007 / atualizado às 12:04 · 27.11.2007 por

O ex-governador Lúcio Alcântara (PR) tascou essa provocação ontem em seu blog:

Tira-teima
Sem querer alimentar polêmica, sugiro, a quem tiver interesse, consultar qualquer policial, civil ou militar, sobre o que pensa dos aumentos concedidos pelo Governo do Estado do Ceará na administração passada e os deste ano”.

Algumas observações devem ser feitas:

1) Lúcio banca o menino sonso com essa história de “sem querer alimentar polêmica”. É claro que ele quer alimentar polêmica. É de polêmica e de contraponto que a oposição vive;

2) É perigoso o caminho que Lúcio Alcântara propõe. Talvez esteja apostando na proverbial falta de memória do respeitável público. Lembre-se: quando assumiu, em 2003, ele pegou o Estado em petição de miséria. Quebrado. Teve de criar o Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) para aumentar a receita. Estabeleceu, para isso, um aumento de 2% sobre produtos que considerou supérfluos – alguns de fato são, como ultraleves, asas delta, embarcações esportivas, armas e munições, todos consumidos por gente abonada; mas outros, como energia elétrica, gasolina e serviços de comunicação, estão muito, muito distantes dessa classificação. Teve de arrochar salários e cortar insumos. Até de papel e clipe. Foi necessário? Foi. Mas Lúcio pagou, assim, um preço alto pelo desgaste público. É por isso que considero essa opção arriscada – vai que alguém se recorda das vacas magras, não é? No futuro, quem sabe, pode ser mais tranqüilo comparar gestões;

3) O ex-governador e ex-tucano espeta as condições salariais da área de segurança na gestão Cid Gomes aproveitando a greve dos policiais civis. Pode ser cruel ou oportunista, mas é inteligente. Ele faz isso, pode apostar, para ninguém se deixar encantar pelo espetáculo midiático do Programa Ronda do Quarteirão e esquecer que há salários achatados e servidores insatisfeitos e, em protesto, sem trabalhar.

E tem mais uma coisa: Lúcio Alcântara ainda não se pronunciou sobre o pacote da segurança lançado por Cid, embora, antes, tenha feito críticas bem pertinentes à gestão do setor.