Busca

Categoria: Fraude


10:51 · 15.11.2016 / atualizado às 10:51 · 15.11.2016 por

cartao_bolsa_familia_300x200

O Ceará aparece em 4º lugar entre as unidades da federação com mais perfis suspeitos de beneficiários. O município de Aurora, na Região do Cariri, é primeiro no Ceará e o terceiro no país com suspeita de fraude. Já Solonópole, na Região Centro-Sul, é o nono entre os dez municípios brasileiros com mais casos suspeitos.

O Diagnóstico realizado pelo Ministério Público Federal (MPF) aponta que 5,51% dos recursos do Bolsa Família destinados ao Ceará podem estar beneficiando pessoas que não cumprem os requisitos econômicos do programa. O estado aparece na quarta colocação num ranking nacional elaborado pelo MPF a partir da análise de valores pagos entre 2013 e maio de 2016.

De acordo com o levantamento, 99.729 beneficiários foram considerados suspeitos no Ceará – número que equivale a 6,38% do total de beneficiários no estado. Os valores pagos aos perfis suspeitos no período analisado no diagnóstico chega a R$ 368,8 milhões de um montante de R$ 6,7 bilhões que beneficiaram 1,5 milhão de cearenses desde 2013.
Aurora (22,16%), Solonópole (18,02%), Altaneira (16,71%), Granjeiro (16,49%) e Aiuaba (15,99%) aparecem como os municípios cearenses com maiores percentuais de recursos pagos a perfis considerados suspeitos.

Aurora e Solonópole também ocupam, respectivamente, a 3ª e a 9ª colocações no ranking nacional. Fortaleza aparece na 15ª posição entre as capitais, com percentual de 4,04% de recursos destinados a perfis suspeitos
O ranking é um dos resultados do Projeto Raio-X Bolsa Família, atuação coordenada pelas Câmaras Criminal e de Combate à Corrupção do MPF. O diagnóstico sobre o maior programa de transferência de renda do governo federal, assim como as ações propostas e os resultados alcançados estão disponíveis no site http://www.raioxbolsafamilia.mpf.mp.br divulgado pelo MP. Nele, o cidadão poderá acessar a versão interativa da ferramenta de inteligência desenvolvida pelo MPF e filtrar os dados selecionando da unidade da federação e município que desejar.

06:45 · 10.09.2016 / atualizado às 06:45 · 10.09.2016 por

image

Ao cruzar informações, a Justiça Eleitoral vem desnudando o que suspeita ser uma nova frente de fraudes: doações milionárias de quem, aparentemente, nada tem.

O TSE identificou 21.072 pessoas que, mesmo em situação de pobreza, transferiram juntas mais de R$ 168 milhões a campanhas municipais. Uma delas, cuja última renda conhecida é de 2010, doou R$ 93 mil. Outras dez desembolsaram mais de R$ 1 milhão, mas não têm renda compatível com tamanha generosidade.