Busca

Categoria: História


11:18 · 03.03.2017 / atualizado às 11:18 · 03.03.2017 por
 
O governador Camilo Santana colocou na sua agenda de amanhã, 4 de março, participação na posse do ex-governador Lúcio Alcântara  como presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Ceará.
A ida de Camilo ao Instituto Histórico  prestigiar Lúcio Alcântara é um gesto educado, prestigiando um ex-governador, mas tem também outras leituras, principalmente políticas. Uma demonstração clara é que Camilo está indo prestigiar um adversário do seu grupo político, já que Cid e Ciro não mantém qualquer tipo de relação com Lúcio Alcântara.
 
A posse do Dr. Lúcio com certeza terá muitos desdobramentos e muita especulação na imprensa.
05:46 · 22.09.2016 / atualizado às 05:46 · 22.09.2016 por

IMG_1225

A Casa de Juvenal Galeno, berço e residência do poeta cearense reconhecido em todo o País, teve seu tombamento definitivo como patrimônio em nível estadual aprovado na manhã desta quarta-feira, (21), pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará.

O tombamento definitivo da casa, equipamento cultural da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), foi aprovado por unanimidade, que foi presidida pelo secretário da Cultura do Estado, Fabiano dos Santos Piúba, e aconteceu na própria casa, como mais uma forma de homenagem.

 

09:56 · 21.06.2016 / atualizado às 09:56 · 21.06.2016 por

Caminhão 1

Esse é o primeiro caminhão de combate a incêndio que chegou no Ceará em 1957 . Um Mercedez Benz, importado da Alemanha, ano 1957, motor OM-315, a diesel de 6 cilindros, câmbio de 4 marchas  mais ré.

O modelo equipado com escada telescópica mertz, esteve em uso de 1957 a 1992 quando foi substituído por um modelo Magirus, mais moderno. Fora de operação, o veículo permaneceu parado por mais de 20 anos, levando sol e chuva , sem manutenção.

Diante à importância histórica do veículo para a corporação , o velho caminhão passou por uma completa restauração que lhe custou dois anos de muito trabalho artesanal. O veículo teve toda sua mecânica e funilaria restauradas, além da cabine que recebeu atenção especial por ser construída em madeira e ferro.

Caminhão 2

Hoje a viatura está em perfeito funcionamento. Um caminhão que carrega sua história, dezenas de vitórias em resgates de sucesso que enchem de orgulho o Corpo de Bombeiros do Ceará.

O caminhão está atualmente em exposição na Ceará Diesel (Av. Aguanambi) e em breve será feita a entrega oficial para o Corpo de Bombeiros que pretende construir o Memorial do Bombeiro do Ceará.

07:48 · 11.06.2016 / atualizado às 07:48 · 11.06.2016 por

image
Será lançada nesta terça-feira (14/6) a obra “Álbum de Fortaleza”, publicada originalmente em 1931. O evento de lançamento acontecerá às 19 horas, no Palace Bistrô (Rua Major Facundo, 30 – Centro), sob a coordenação do presidente da Fundação Waldemar Alcântara (FWA), Lúcio Alcântara.
O texto introdutório à obra “Álbum de Fortaleza” é de autoria de José Liberal de Castro, arquiteto, professor emérito da Universidade Federal do Ceará (UFC), membro da comissão de instalação didático-administrativa da Escola de Arquitetura/UFC e um dos pioneiros na adoção dos princípios da arquitetura moderna em Fortaleza.
“Na época, novas técnicas, a serviço do conforto, e novas concepções estéticas modificavam a escala e a aparência dos conjuntos urbanos, impulsionando vaidades e instigando em seus habitantes desejos de difundir as conquistas locais em amplitude nacional. Por tais motivos, à medida que a República Velha se desmoronava, particular interesse começaram a despertar os álbuns dedicados a cidades brasileiras, entusiasmadas com as perspectivas recentes e desvanecidas com a divulgação de suas imagens urbanas em transmutação, derramadas em áreas vastas e traduzidas por formas arquitetônicas festivas.” – Professor Liberal de Castro

Sobre o Álbum
O Álbum de Fortaleza, colocado à venda em novembro de 1931, é um inventário cuidadoso da capital cearense. Estão no Álbum, enumerados e fotografados, fábricas, estabelecimentos comerciais, escritórios de profissionais liberais, bancos, jornais, cinemas, artistas, personalidades do governo, e da sociedade da época, além de anúncios publicitários e artigos elucidativos sobre economia local.
Organizado por Paulo Bezerra, teve como colaboradores Jorge Raupp, desenhista autor da capa em cores, Meton de Alencar Gadelha (Meton Gadelha), em cuja tipografia (Tipografia Gadelha) se realizaram os trabalhos de impressão (adquirida posteriormente pelo Governo do Estado foi transformada na Imprensa Oficial). Era carioca nascido no Botafogo. Morreu no Rio de Janeiro, em 7/11/1982; Manuel Guilherme, conhecido por M. Guilherme, desenhista que ilustrou as páginas do álbum; e João Ribeiro Pessoa (J. Ribeiro), fotógrafo cearense de projeção mundial, por muitos anos teve, na Praça do Ferreira, a Foto Ribeiro – autor dos retratos constantes na obra.
A reedição do Álbum de Fortaleza integra o projeto editorial da Fundação: a BIBLIOTECA BÁSICA CEARENSE, composta por obras em formato fac-similar já esgotadas, que constituem fontes de pesquisa para a história do Ceará, preservando seu formato e conteúdo originais.

06:28 · 08.01.2016 / atualizado às 06:28 · 08.01.2016 por

Beira mar - mucuripe

Um grupo de historiadores questiona a data do dia 13 de abril definida pela prefeitura para comemorar o aniversário de Fortaleza. A conta é simples. Pela agenda da prefeitura, Fortaleza vai completar 289 anos em 2016 e a Câmara de Vereadores 315 anos. Ora, como pode a Câmara Municipal ser mais antiga que a cidade? Existiria a Câmara sem a cidade?

O pesquisador Adauto leitão, criador do Marco Zero, na Barra do Ceará, onde a cidade nasceu, é um dos defensores da revisão da data do aniversário da fundação da cidade para 25 de julho, “porque Fortaleza nasceu nessa data no ano de 1604, tendo portanto 412 anos e não os 289 anos contados pela prefeitura”, diz o historiador. Adauto Leitão vai mais além e conta que a data de 13 de abril “foi escolhida pela ex-prefeita Luizianne Lins porque “o numeral 13 representa o PT e ela é apaixonada e devota do partido”.

Independente de saber com quem está a razão, o prefeito Roberto Cláudio e o presidente da Câmara de Vereadores, Salmito Filho, poderiam abrir a agenda para resolver o impasse. O que não pode é a Câmara de Vereadores ser mais antiga que a fundação da cidade.

 

10:12 · 25.12.2015 / atualizado às 10:12 · 25.12.2015 por

pecém antigo

Há exatos 20 anos a história do Porto do Pecém começava a ser escrita. Foi no dia 22 de dezembro de 1995 que o decreto da Assembleia Legislativa do Ceará, sancionado pela Lei n.º 12.536 /95, criava a Companhia de Integração Portuária do Ceára (Cearáportos), vinculada a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), que seria a responsável pela administração do Terminal Portuário do Pecém e por promover o desenvolvimento econômico do Estado do Ceará.

pecém novo

Localizado a cerca de 60 km da capital, a Praia do Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante, após diversos estudos, foi a região litorânea escolhida para a construção de um porto off-shore, dentre as diversas opções, por atender a todos os quesitos,  incluindo uma vasta retroárea portuária adequada para a instalação de grandes construções, como prédios administrativos, industrias, constituindo-se assim,  o que conhecemos hoje como Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP).

Em 2001 aportava no Pecém o primeiro navio de operação comercial. Naquele dia, foram enviados para os Estados Unidos mais de 2 mil toneladas de produtos locais, contendo castanha de caju, couros, calçados, granitos, dentre outros.

Conhecido como “a jóia do Ceará”, o Porto do Pecém, desde o começo, transformou a vida de muitas pessoas, principalmente daquelas que moram no município de São Gonçalo do Amarante, como destaca Lonny Jorgensen, que trabalha no porto como secretária há 8 anos.  “A minha vida e da minha família mudou totalmente desde o dia que entrei aqui. Amo meu trabalho e me sinto muito feliz em ver tudo o que conquistei. O meu crescimento e minha evolução profissional e pessoal é resultado do meu trabalho. O porto é minha casa”, finalizou feliz. Atualmente, cerca de 250 pessoas trabalham no terminal portuário, que funciona 24 horas, todos os dias do ano.

Mas nem sempre foi assim, como lembra Antônio Oliveira, que há 11 anos é colaborador da companhia no setor Financeiro e Faturamento. “Era só uma pessoa em cada área e, então, foram chegando os outros e agora somos essa grande equipe contribuindo com o Estado”, relata.

O Porto do Pecém, apesar de ser um dos mais novos do mundo, mostra-se capaz de atender a demanda e tem se destacado, principalmente na exportação de longo curso de frutas, ocupando o primeiro lugar no ranking brasileiro de portos exportadores desta mercadoria. Prestes a finalizar a segunda obra de expansão, onde mais três berços entrarão em funcionamento e uma nova ponte de acesso será construída, a diretoria da Cearáportos está confiante em relação ao ano de 2016. “A siderúrgica começa a funcionar no primeiro semestre do ano que vem e irá movimentar sozinha em sua fase inicial, mais de 3 milhões de toneladas de placas de aço”, relata o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa. A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) é o maior investimento privado no estado até hoje.

Ao longo de duas décadas, os cearenses e o mundo puderam acompanhar o crescimento deste importante ator no setor logístico cearense. Para Manoel Messias, coordenador de engenharia e Projetos da Cearáportos, fazer parte desta história é um orgulho. “Entrei aqui há 10 anos e não imaginava que o crescimento seria tão rápido. Acredito que isto seja um sinal de que estamos no caminho correto”, disse.

Resultado do empenho do Governo do Estado do Ceará, o porto hoje é considerado um dos fatores determinantes para grandes investidores se instalarem no complexo, por conta das características naturais, somadas a modernização de sua infraestrutura, visando atender atuais e futuros clientes, além de aumentar a cartela de produtos movimentados. “Sabemos a capacidade  do CIPP e temos que usar isto a nosso favor. Possuímos um porto diferenciado, com uma estrutura moderna, um enorme parque industrial, a única Zona de Processamento e Exportação em funcionamento do país, ou seja, um cenário totalmente favorável e atrativo para investidores. O estado do Ceará possui hoje todas as peças e estamos preparados para mostrar isto para o mundo”, disse o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa.

09:50 · 25.03.2015 / atualizado às 09:50 · 25.03.2015 por

Centro Dragão do Mar

Contará com seus cinemas e museus abertos. O Memorial da Cultura Cearense segue oferecendo, com entrada franca, visitação à exposição “Vaqueiros”, percorrendo o universo desse personagem cearense a partir da ocupação do território do Estado pela pecuária até a atualidade. A exposição inclui cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h.
Já no Museu de Arte Contemporânea (MAC) está em cartaz a exposição “Corpo da Obra”, evidenciando obras compõem o acervo da instituição, ligadas à temática do corpo, se bifurcando por outras searas. “Um corpo-acervo, um corpo-coleção”. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Também com entrada franca.

Teatro Carlos Câmara
O Teatro Carlos Câmara abre as portas neste feriado, apresentando “Hospital de Bonecas”, com a coreógrafa e bailarina cearense Rosa Ana Druot e o músico Sylvain Druot.
O espetáculo, que estreou em dezembro de 2014 e foi contemplado no Edital de Incentivo às Artes 2014, da Secult, tem entrada franca e começa às 19h. O Teatro Carlos Câmara fica na Rua Senador Pompeu, 454, no Centro de Fortaleza.

Theatro José de Alencar
Neste dia de celebração pela Data Magna do Ceará, as visitas guiadas acontecem às 14h, 15h, 16h e 17h. Um convite a conhecer mais sobre a história e o presente do teatro-monumento nacionalmente reconhecido, compartilhando conhecimentos sobre arquitetura, patrimônio, arte e cultura. Ingressos:  R$ 4,00 (meia a R$ 2,00).

Estação Chico da Matilde

O jangadeiro que se recusou a transportar escravos também é homenageado pela Coordenação dos Pontos de Cultura, setor da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. O terceiro andar do prédio do Cine São Luiz, na Praça do Ferreira, ícone da tradição e do cotidiano de Fortaleza, é o espaço onde se localizam a Coordenação e a sala que a Secult disponibiliza aos Pontos de Cultura, incluindo apoio técnico especializado.
O espaço leva o nome de Estação Chico da Matilde e está disponível para visitação de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Nesta quarta-feira(25) o espaço está fechado, devido às comemorações pela Data Magna do Ceará, mas o atendimento ao público será retomado nesta quinta-feira.

Museu do Ceará

Exposição permanente, de diversas peças alusivas à libertação dos escravos em nosso Estado e à luta do movimento negro ao longo da história.
Destaque para a ata da Assembleia Provincial que traz a assinatura da lei de abolição da escravatura no Ceará, em 1884, mesmo tema de quadros disponíveis no Museu, localizado à Rua São Paulo, 51, no Centro de Fortaleza, e abre as portas ao público de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, com entrada franca. Entre essas telas, destaque para o óleo “Fortaleza Liberta”, de José Irineu de Sousa, que retrata a solenidade de libertação dos escravos na capital cearense, realizada no salão nobre da Assembleia Provincial, em maio de 1883.
Museu Sacro (Aquiraz)

Outro equipamento da Secult que guarda relação com os temas celebrados nesta Data Magna do Ceará é o Museu Sacro São José de Ribamar, localizado nos arredores da praça central do município de Aquiraz, a 26km de Fortaleza.  O museu traz peças como jornais da época, incluindo anúncios de venda de escravos, além de textos em que senhores prometiam recompensas a quem encontrasse escravos fugitivos.
O Museu Sacro São José de Ribamar, localizado na Praça Cônego Araripe, município de Aquiraz, está aberto à visitação, com entrada franca, de terça a sábado, das 8h às 22h. O Museu do Ceará e o Museu Sacro São José de Ribamar retomam atividades nesta quinta-feira, 26/3, após o feriado pela Data Magna do Ceará.

 

09:42 · 25.03.2015 / atualizado às 09:42 · 25.03.2015 por

Nesta quarta-feira(25), comemora-se a Data Magna do Ceará, instituída por lei publicada no Diário Oficial do Estado em dezembro de 2011. A data celebra o marco histórico do fim da escravidão no Ceará, a primeira província brasileira a libertar os escravos, em 25 de março de 1884 – quatro anos antes da abolição da escravatura em todo o Brasil.

As referências ao tema, no Ceará, têm início com o próprio Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado. Inaugurado em julho de 1970, o Palácio sediou a administração estadual até 1986. Uma história retomada em março de 2011, com a reinauguração do palácio como sede da administração estadual.

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, equipamento da Secretaria da Cultura do Governo do Estado, também presta homenagem a um dos maiores personagens envolvidos na luta contra a escravidão no Ceará: Francisco José do Nascimento, também conhecido como Chico da Matilde  como o Dragão do Mar, pescador que lutou contra o tráfico de escravos no Ceará.

DRAGÃO DO MAR

Francisco José do Nascimento, o Dragão do Mar, nasceu em Canoa Quebrada, Aracati, Ceará, em 1839, e faleceu em Fortaleza, em 1914. Foi nomeado prático da Capitania dos Portos, em 1874. Conviveu com o drama do tráfico negreiro e envolveu-se diretamente na luta pelo abolicionismo.

Uma de suas atitudes heroicas foi o fechamento do Porto de Fortaleza, impedindo o embarque de escravos para outras províncias. Em 1882, sob sua liderança, os jangadeiros cearenses abriram as velas de suas embarcações, na recepção do famoso abolicionista José do Patrocínio. O Dragão do Mar ajudou na libertação de escravos na então província do Ceará, em 1884, quatro anos antes da abolição da escravatura no país.

“No porto do Ceará não se embarcam mais escravos” é a frase atribuída ao Dragão do Mar que se notabilizou para a história. O jangadeiro também é homenageado em uma estátua localizada no piso térreo do Centro Dragão do Mar. Diariamente centenas de cearenses e de turistas se aproximam para registrar uma foto com a estátua, conhecendo também um pouco mais sobre a história de Chico da Matilde.

 

08:47 · 12.03.2015 / atualizado às 08:47 · 12.03.2015 por

Lúcio-Alcântara

Na próxima terça-feira(17) o ex-governador Lúcio Alcântara fará palestra sobre “Padre Sena Freitas – um Açoriano nos Sertões do Ceará”.
A palestra é fruto de um trabalho de pesquisa de Lúcio Alcântara. Será às 15 h no Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará.

06:20 · 23.12.2014 / atualizado às 22:44 · 22.12.2014 por

Aracati

Aracati, uma das cidades com o maior conjunto de belezas naturais e de edificações antigas do litoral do Ceará, terá a obra de requalificação do seu Centro Histórico inaugurada. A intervenção, de responsabilidade da Secretaria do Turismo do Estado do Ceará – Setur CE, será entregue hoje, às 10h, na Praça dos Maristas, pelo  secretário do Turismo, Bismarck Maia.

O investimento, de R$ 14.382.168,57 oriundos do Programa de Desenvolvimento do Turismo – Prodetur Ceará (financiado pelo Banco Internacional de Desenvolvimento – BID), beneficia a área central da cidade, que recebeu novas calçadas e pavimentos de ruas; iluminação pública em LED; mobiliário urbano (bancos, lixeiras, entre outros itens); além de reformas de três praças – do Marista, da Matriz e dos Prazeres – e criação de uma via paisagística, às margens do Rio Jaguaribe.

Para o secretário do Turismo, Bismarck Maia, o Projeto do Complexo Turístico-Paisagístico do Centro Histórico de Aracati “cria uma ambiência atrativa na sede do município, gerando emprego e renda para a população local, aumenta o tempo de permanência dos turistas e, ainda mais, a atratividade do polo turístico de Canoa Quebrada”.

Obras de R$ 14,3 milhões  se somam ao aeroporto, ao hangar da TAM e à duplicação da CE 040, também viabilizadas pela Setur