Busca

Categoria: Investimento


16:40 · 31.03.2017 / atualizado às 16:40 · 31.03.2017 por
O Banco Interamericano de Desenvolvimento realizou missão em Sobral, na Região Norte, para acompanhar a execução das ações do Programa de Desenvolvimento Urbano de Polos Regionais do Ceará – Vales do Jaguaribe e Acaraú, executado pelo Governo do Ceará, através da Secretaria das Cidades. A missão foi acompanhada pelo secretário Jesualdo Farias e pelo prefeito do município, Ivo Gomes.
Propostas  foram discutidas entre os representantes do BID, como o projeto do Plano de Arborização da Cidade de Sobral e o Plano de Drenagem, que está contido no Plano Municipal de Saneamento Básico do município, e que está em processo de revisão pelo Programa de Desenvolvimento Urbano de Polos Regionais do Ceará, da Secretaria das Cidades.

Durante a missão no município, a comitiva visitou o conjunto de praças requalificadas pela SCidades como a da Várzea e a do Patrocínio, além da obra de restauração da Igreja da Sé no Centro Histórico de Sobral. Também foram inspecionadas as obras viárias, como o trecho de duplicação da Av. Ermírio de Morais e a implantação do trecho II da avenida Perimetral. A missão finalizou com uma viagem no VLT de Sobral. A missão de supervisão do BID prossegue até esta sexta-feira (31).

19:44 · 19.01.2017 / atualizado às 19:44 · 19.01.2017 por
Danilo Itataia
Prospectada para ser responsável pela produção de 40% a 60% de extração de fosfato em todo território nacional quando estiver em operação, a mina de Itataia, localizada em Santa Quitéria, voltou à pauta de discussão entre o governo do Estado do Ceará e representantes das Indústrias Nucleares do Brasil S.A (INB), responsável pelo projeto. Nesta quarta-feira, 18, o diretor de Recursos Minerais da INB Laércio Aguiar Rocha veio a Fortaleza, acompanhado do deputado federal Danilo Forte (PSB-CE), e do coordenador do Projeto Santa Quitéria, José Roberto de Alcântara, para reunião com o secretário de Recursos Hídricos do executivo estadual, Francisco Teixeira.
Os executivos apresentaram ao gerente da pasta o pedido de licença prévia para instalação de uma adutora no açude Edson Queiroz, para servir à vazão à mina, mesmo que este processo não utilize grande volume de água.  A solicitação foi bem vista pelo secretário Francisco Teixeira. Segundo ele, “adutoras têm baixo impacto ambiental, descartando inclusive a necessidade de desmatamento para sua efetividade”.  Atendendo a uma solicitação da SRH, a INB garantiu que em breve apresentará estudo de otimização da água a ser utilizada.
Engajado na instalação da mina desde 2005, o deputado federal Danilo Forte garantiu que a geração de fosfato e urânio na jazida “será a salvação econômica da região. Estão sendo investidos cerca de 1 bilhão de reais, resultando em mil empregos diretos na obra. Estudos nos apontam a geração de 3 mil empregos indiretos, além dos impostos que ficarão para nosso Estado. Isso tudo é benefício com a chegada da mina”, destacou o socialista.
Em operação, a mina de Itatiaia prevê uma produção anual de 1.050.000 toneladas de derivados fosfatados e de 1.600 toneladas de concentrado de urânio.  O minério fosfatados será  extraído e beneficiado obtendo-se o ácido fosfórico, usado na produção de fertilizantes e ração animal. Já o urânio será aproveitado na geração de energia elétrica.
20:43 · 09.01.2017 / atualizado às 20:43 · 09.01.2017 por

Projetos de cunho institucional ou mercadológico podem ser inscritos até 22 de janeiro no Programa de Patrocínios Banco do Nordeste 2017 em www.bnb.gov.br (no caminho Acesso à Informação/Licitações e Contratos/Patrocínios). As propostas devem ter valor máximo de R$ 100 mil, com previsão de realização de 10 de abril a 31 de dezembro deste ano.

Os projetos deverão ser desenvolvidos em algum dos nove estados do Nordeste ou ainda na região norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, que compõem a área de atuação do Banco.

Propostas de outros estados também podem concorrer, desde que apresentem justificativa de contribuição para geração de trabalho e renda e fortalecimento das cadeias produtivas do desenvolvimento da área de atuação do Banco do Nordeste.

O processo seletivo refere-se aos projetos de cunho institucional e mercadológico (como feiras, exposições, congressos, fóruns e seminários), não cabendo projetos culturais, visto que o Banco do Nordeste possui editais específicos para essa área.

As dúvidas sobre o programa de patrocínios poderão ser encaminhadas para a caixa institucional patrocinio@bnb.gov.br.

12:44 · 19.12.2016 / atualizado às 12:44 · 19.12.2016 por

O Governo Federal liberou mais uma parcela no valor de R$ 134,3 mil para dar continuidade à obra da Praça da Juventude em Itapajé, que segue em ritmo acelerado.

Os recursos destinados a implantação desta importante infraestrutura esportiva foi uma conquista do deputado federal Danilo Forte para a cidade. Para o parlamentar, a Praça da Juventude é um grande projeto que vai beneficiar toda população do município, motivando a prática de exercícios físicos e a promoção de uma vida saudável.

“É um local que une o esporte ao lazer, proporcionando saúde, bem-estar e qualidade de vida, além de diversas atividades socioeducativas para a população. Um presente para toda a população de Itapajé ”, afirmou Danilo Forte.

Segundo ele, é gratificante ver uma obra dessa dimensão, e de tamanha expressão ser implantada na cidade que nasceu. “Em Itapajé, cultivo um enorme carinho e vínculo familiar. Essa benfeitoria será um marco para a cidade. O povo merece esse investimento”.

A unidade contará com: quadra poliesportiva coberta; pistas para caminhadas e para saltos, quadra de vôlei de praia, campo de futebol society, pista para skate, área de exercícios e alongamento, teatro de arena com palco, sala de ginástica, centro de convivência, entre outros benefícios.

06:20 · 23.11.2016 / atualizado às 06:20 · 23.11.2016 por

IMG_2995

Mais de R$ 752,27 milhões foram repassados pelo Ministério das Cidades em novembro para a execução de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os recursos foram encaminhados às secretarias nacionais de Habitação de todos os estados, de modo a beneficiar o Minha Casa, Minha Vida (MCMV), programas de saneamento ambiental, mobilidade urbana, acessibilidade, programas urbanos e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

Assim, os recursos serão investidos na construção de moradias, em obras de urbanização, de contenção de encostas em áreas de risco, implantação de sistemas de abastecimento de água e e esgoto. Os investimentos também foram direcionados para obras de drenagem urbana e no sistema de transporte coletivo, como corredores de ônibus para BRT’s e VLT’s.

“Tendo em vista o atual cenário macroeconômico do País, a prioridade do Ministério das Cidades é a conclusão de empreendimentos em andamento e a retomada de obras paralisadas. Nesse sentido, daremos início a novas obras de acordo com a disponibilidade orçamentária e financeira no âmbito desta Pasta, mantendo os pagamentos em dia”, afirmou o ministro das Cidades, Bruno Araújo.

 

06:16 · 23.11.2016 / atualizado às 06:16 · 23.11.2016 por

 

IMG_2994

A concessão do Aeroporto Internacional de Fortaleza (Pinto Martins) foi abordada pela comitiva brasileira no seminário sobre Parceria de Programas de Investimentos (PPI) realizado em Paris (França) no intuito de tocar grandes obras no País através do interesse de investidores de outros países. Com obras paradas desde 2014 até o momento, o aparelho era aguardado para integrar um conjunto de investimentos feitos para a realização da Copa do Mundo há dois dois anos.

O deputado federal Danilo Forte (PSB-CE) foi indicado para representar a Câmara dos Deputados na delegação que está na capital francesa desde ontem acompanhando o seminário “Projeto Crescer – Como investir no Brasil”. Na foto, Forte está acompanhado do secretário executivo do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) do governo brasileiro, Moreira Franco; do ministro dos Transportes, Maurício Quintela, e o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Luiz Macedo.

Amanhã os “homens de confiança” de Temer para lutar pelo resgate da economia seguirão para Madrid, capital da Espanha.

09:28 · 20.10.2016 / atualizado às 09:32 · 20.10.2016 por

IMG_2064

O Ministério da Defesa investirá R$ 16,2 milhões na compra de alimentos da agricultura familiar. Esta será a maior aquisição – em um único edital – na modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). A chamada pública foi divulgada nesta quarta-feira (19), no Diário Oficial da União. No total, serão adquiridas 2.847 toneladas de alimentos.

A Defesa comprará 125 tipos de alimentos, entre hortifruti, grãos, lácteos, café, suco, carnes, doces e panificados. Os produtos atenderão demanda da administração central do ministério e das unidades do Exército Brasileiro, Marinha do Brasil e Força Aérea Brasileira no Distrito Federal.

Organizações e associações de agricultores familiares, de povos tradicionais e de famílias vinculadas a assentamentos da reforma agrária que possuam Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) podem participar da chamada pública. Os interessados deverão enviar a documentação de habilitação e a proposta de venda até o dia 4 de novembro na Coordenação de Licitação e Contratos do Ministério da Defesa, na Esplanada dos Ministérios, Anexo I, do Bloco “O”, sala 219.

Na modalidade Compra Institucional, cada agricultor familiar pode vender até o limite de R$ 20 mil, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o limite é de R$ 6 milhões por ano, por órgão comprador.

Poder de compra – Neste ano, o governo federal já investiu R$ 41,5 milhões na compra de alimentos produzidos por agricultores familiares de todo o país. A Compra Institucional fortalece a agricultura familiar e promove o acesso da população à alimentação de qualidade.

“A modalidade modelo utiliza o poder de compra do Estado para promover o desenvolvimento local, criando canais de comercialização para quem precisa vender sua produção. Também é importante para os consumidores, que recebem alimentos mais frescos e saudáveis”, destaca o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDSA, Caio Rocha.

Com a atual legislação que torna obrigatório que órgãos da administração pública federal comprem, no mínimo, 30% dos gêneros alimentícios da agricultura familiar, o mercado potencial das compras institucionais é de R$ 2,7 bilhões.

“Estamos fazendo várias articulações com os órgãos públicos para que essas compras sejam realizadas. O MDSA vem trabalhando intensivamente com o Ministério da Defesa para incorporar de forma mais ampla a agricultura familiar nas aquisições de alimentos para a composição do ‘rancho’ das Forças Armadas”, afirma o secretário.

Expectativa – Rogério Laguardia produz hortaliças, mandioca, frutas e ovos em uma chácara em Sobradinho, no Distrito Federal. Junto com outros 73 agricultores familiares, ele criou a Associação dos Produtores Rurais e Agricultores Familiares de Sobradinho (Aspraf), que vai se organizar para participar do edital do Ministério da Defesa. “Todo mundo estava esperando essa chamada. O PAA melhorou a renda do agricultor, em pelo menos, 70%”.

Para Nádia França, coordenadora de licitações do Ministério da Defesa, a parceria com os agricultores familiares deve ser ampliada. “Os produtos são de qualidade. O alimento vem direto do produtor sem ter que passar por uma logística mais demorada. No ano que vem, queremos aumentar a quantidade de itens comprados”.

17:39 · 25.08.2016 / atualizado às 17:39 · 25.08.2016 por

 

image

O Governo vai investir R$ 37 milhões na pavimentação e drenagem de 15 km na região do Porto das Dunas. O projeto faz parte do Programa de Valorização de Destinos Turísticos (PRODETUR) no Polo Litoral Leste do Estado, estimado em R$ 759,3 milhões, e que inclui também obras de saneamento, urbanização, educação ambiental e ações de marketing para a região. A previsão é de que até novembro de 2017 todas as obras estejam concluídas.

Na tarde desta quarta-feira, 24, foi realizada uma consulta pública para tratar especificamente da pavimentação e drenagem do Porto das Dunas. Pelo projeto apresentado por técnicos da Secretaria Estadual de Turismo (Setur), a área beneficiada será da orla até a CE-025, no perímetro que abrange o Aquaville Resort até o Beach Park.

A coordenadora do projeto pela Setur, Juliana Brauner, explicou que o trecho foi escolhido levando em consideração a capacidade de indução do turismo pelos empreendimentos instalados no local. E que os recursos previstos para a obra estão assegurados por meio de um empréstimo contraído pelo Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A previsão é de que a partir da homologação da licitação, a obra seja concluída em nove meses.

O recorte causou polêmica entre os moradores de áreas não contempladas pelo projeto. “Este projeto não inclui a parte alta do Porto das Dunas, o que nos deixa muito decepcionado porque é onde as chuvas fazem um estrago muito grande nas ruas”, afirmou o empresário Marc Baron.

Outra preocupação era sobre as obras de abastecimento e esgoto sanitário, iniciadas em 2010, e que estão paralisadas. Juliana explicou que a interrupção ocorreu em função de dificuldades alegadas pela empresa contratada e que não foi possível chegar a um acordo com o Estado, mas que uma nova licitação está sendo finalizada e antes do fim deste ano este trabalho deve ser retomado. Ela lembra que apesar de se tratar de projetos diferentes, com fontes de recursos diversas, a ideia é de que as duas obras – de saneamento e de drenagem – estejam concluídas na mesma época.

O presidente da Associação dos Empreendedores do Caminho das Dunas e proprietário do Kalamari Hotel, Waldy Sombra, afirmou que existe uma expectativa muito grande em torno destas obras de pavimentação e drenagem, mas que é preciso reforçar o acompanhamento e a fiscalização para que não se repita os erros cometidos no projeto de saneamento. “Fazer esgotamento e abastecimento sem drenagem é uma coisa que não pode acontecer. O projeto anterior também não era atualizado e tinha canos que não ligavam para canto nenhum. È preciso ficar atento para que estes problemas não se repitam”.

Para o presidente do Beach park e da Associação Porto das Dunas, Murilo Pascoal, os investimentos em infraestrutura vão trazer nova dinâmica para região. ”Este projeto é muito importante para o Porto das Dunas tanto para quem mora, tem negócios ou para quem passa o veraneio porque traz a infraestrutura que a gente está precisando”.