Roberto Moreira

Categoria: Jornalismo


18:46 · 09.12.2018 / atualizado às 18:46 · 09.12.2018 por

Na noite deste último dia 06 de dezembro, no Palácio da Luz, sede da Academia Cearense de Letras e das suas congêneres afiliadas, ocorreu a última Assembleia Geral Ordinária da ACLJ neste ano.

No início da solenidade houve investidura da nova Diretoria para o biênio 2019/2020, e tomou posse na Cadeira de nº 28, patroneada pelo grande Patativa do Assaré, o poeta popular, violeiro e literato de cordel Geraldo Amâncio, que descerrou o retrato pictórico do Patrono Perpétuo da Cadeira.

Em seguida, cumprindo a sua mais importante tradição, a ACLJ outorgou o título “Homem do Ano no Ceará em 2018” ao Engenheiro Ângelo José Negreiros Guerra, que fora proposto pelo confrade Cássio Borges e eleito pela Decúria Diretiva, considerado o melhor Diretor-Geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) nos últimos 30 anos.

Essa láurea foi instituída em 2016, visando distinguir anualmente um cearense, por honra ao mérito, tendo em vista o seu desempenho profissional no ramo de atividade que ele exerça – seja no âmbito estadual ou com maior abrangência geográfica.

O Dr. Ângelo Guerra é o eleito deste ano – a personalidade que mais se destacou na vida pública no Estado, pelos critérios da ACLJ, à frente daquela autarquia, meritória instituição dedicada ao combate dos problemas climáticos do semiárido brasileiro, que exatamente agora chega à marca dos 109 anos de existência. Cássio Borges lhe entregou o diploma e o Deputado Daniel Oliveira fez a entrega da medalha.

Na oportunidade, receberam o título “Destaque Cearense” o Ministro Ubiratan Diniz de Aguiar, Presidente da Academia Cearense de Letras (ACL), e o Administrador Romildo Carneiro Rolim, Presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

Ubiratan Aguiar, que neste final de ano entrega o mandato de dois anos, em sua brilhante gestão à frente da ACL criou o Colégio de Presidentes de Entidades Culturais do Ceará, promoveu o Primeiro Grito Pela Cultura, no Teatro José de Alencar, e fundou o Memorial da Cultura Cearense, no subsolo do Palácio da Luz, com modernos recursos eletrônicos.

Romildo Rolim, funcionário de carreira do BNB, vem se desempenhando com grande competência na sua presidência, indicado que foi para o cargo por critério eminentemente técnico, até por conhecer intimamente aquela importante instituição financeira de fomento, e nutrir por ela um grande amor profissional. Estando em Brasília, acompanhando a transição de Governo, recebeu os símbolos da sua comenda, das mãos do acadêmico Arnaldo Santos, o seu  Chefe de Gabinete, José Andrade Costa.

Com o auditório principal do Palácio da Luz repleto, compuseram a Mesa de Honra a Escritora Ângela Gutiérrez, Presidente Eleita da Academia Cearense de Letras, Reginaldo Vasconcelos, Presidente da ACLJ, o ex-governador Lúcio Alcântara, Presidente do Instituto do Ceará, a Empresária Paula Queiroz Frota, Presidente do Conselho Administrativo do Grupo Edson Queiroz, o Professor Rui Martinho Rodrigues, Presidente Emérito da ACLJ, o Engenheiro Ângelo Guerra, Diretor-Geral do Dnocs, e o Empresário Miguel Dias Filho, Presidente do Grupo Cidade de Comunicação.

A solenidade, tendo como Mestre de Cerimônia o Jornalista Vicente Alencar, teve início com o toque do trompete triunfal, pelo arauto oficial da ACLJ, Jean Carlos, seguido pela execução do Hino Nacional, pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros. Depois, Jean Carlos tocou ao flugelhorn o “Cântico Cearense”, composta pelo Membro Benemérito Evaldo Gouveia para ser a “Canção da Academia”.

Compareceram ao evento os acadêmicos Beneméritos  Lúcio Alcântara, Paula Queiroz Frota, Miguel Dias Filho, Ubiratan Aguiar e José Alberto Bardawil; os Titulares Rui Martinho Rodrigues, Reginaldo Vasconcelos, Arnaldo Santos, Paulo César Norões, Karla Karenina, Alana Girão, Dorian Sampaio Filho, Denise Gurgel Sampaio, Adriano Vasconcelos, Paulo Ximenes, Aluísio Gurgel Júnior, Cândido Albuquerque, Augusto Borges, João Pedro Gurgel, Cássio Borges, Geraldo Jesuino, Vianney Mesquita, Humberto Ellery, Totonho Laprovítera e Roberto Moreira. Também presente o membro honorário Marcos Maia Gurgel. Confirmara presença e não compareceu, por razão não informada, o acadêmico Djalma Pinto.

Falaram o Presidente Emérito Rui Martinho Rodrigues, para declarar aberta a sessão, e finalmente encerrá-la; o Presidente Reginaldo Vasconcelos, falando sobre o concurso Homem do Ano; o poeta Geraldo Amâncio, que agradeceu, em versos, sua indicação e eleição; o Ministro Ubiratan Aguiar, fazendo um breve balanço da sua gestão à frente da ACL; o Engenheiro Cássio Borges, assim como os dois filhos de Ângelo Guerra, Emanuel e João Paulo, o saudaram  – e o próprio Ângelo Guerra falou ao final, para expressar a sua emoção ao receber a homenagem. O

10:42 · 22.04.2017 / atualizado às 10:42 · 22.04.2017 por


Ícone da reportagem da maior emissora de televisão do país, o repórter Francisco José lança 40 anos no ar, lançamento da Globo Livros, em que reúne histórias sobre sua trajetória no jornalismo e os bastidores de suas melhores reportagens mundo afora. Com vasta experiência na área de esportes – cobriu seis Copas do Mundo e duas Olimpíadas -, se especializou, ao longo dos anos, em temas sociais, ambientais e culturais.

O perfil humanista e o espírito aventureiro levaram Chico José a percorrer o mundo, de um extremo a outro do planeta, atrás de boas histórias para contar aos brasileiros. Ao longo de sua vasta carreira, ele foi defensor incansável da causa indígena, desbravou matas virgens, filmou pela primeira vez espécies ameaçadas de extinção e foi um dos responsáveis por revelar Fernando de Noronha, um patrimônio natural da humanidade, para o mundo. Além disso, comandou por trinta anos os debates políticos da Globo Nordeste e por meio de suas famosas transmissões do carnaval de rua de Recife e Olinda tornou-se um dos maiores divulgadores da cultura pernambucana para o restante do país.
Em 40 anos no ar, Francisco José também relembra momentos tensos de sua trajetória jornalística, como a cobertura da Guerra das Malvinas, conflito militar entre Argentina e Reino Unido, ocorrido entre 2 de abril e 14 de junho de 1982, quando foi um dos poucos jornalistas estrangeiros infiltrados no campo de batalha. Chico também relata a cobertura de um dos primeiros grandes assaltos a banco ocorridos no Brasil, na década de 1980, em que se ofereceu para substituir uma refém e foi levado como prisioneiro pelos bandidos, em uma perseguição que durou horas pelas estradas nordestinas. Outra passagem narrada no livro fala sobre a reportagem sobre a visita histórica do papa João Paulo II à Coréia do Sul e à Tailândia, em 1984.

40 anos no ar apresenta texto narrativo, objetivo, em um estilo jornalístico, segundo o próprio autor “exatamente como conto as minhas histórias ou como falo na TV”. Chico revela não só “o que acontece por trás das câmeras, mas os fatos que não foram ao ar, os micos nunca revelados, os desencontros e os grandes encontros”.
A apresentação ficou por conta do repórter do Globo Rural, José Hamilton Ribeiro, que explica o “Fenômeno Chico José na televisão”, apontando algumas passagens marcantes do livro, “como os momentos de aperto, quando o profissional teve de se superar, no mar com um companheiro passando mal, dentro de um carro com revólver na cabeça, numa aldeia indígena, tendo de peitar autoridade para conseguir assistência médica para uma jovem”.
O prefácio é assinado pela jornalista da TV Globo Sonia Bridi, e a orelha pelo repórter especial Marcello Canellas.

09:14 · 03.12.2016 / atualizado às 09:14 · 03.12.2016 por

IMG_3310
De acordo com a Agência Brasil, a administração da Chapecoense afirmou que outros 800 pedidos de credenciamento foram feitos por e-mail. A cerimônia acontece no próximo sábado (3/12) pela manhã, quando os corpos das vítimas devem chegar na cidade.

O entorno da Arena Condá está lotado de veículos de imprensa e carros com equipamentos para transmissão de som e imagens. As principais empresas de comunicação de Santa Catarina, com sede em Florianópolis, enviaram os âncoras dos telejornais para transmitirem os programas direto do estádio da Chapecoense.

Durante a cerimônia, os jornalistas terão acesso limitado ao gramado, onde os corpos serão velados. A intenção dos organizadores é permitir aos familiares e amigos das vítimas que tenham a privacidade respeitada.

(Portal Imprensa)

11:19 · 26.11.2016 / atualizado às 11:19 · 26.11.2016 por

IMG_3093

De acordo com a Agência Câmara Notícias, o jornalista Marco Aurélio Carone, dono do Novo Jornal, denunciou a perseguição que sofreu após divulgar notícias contra a gestão do então governador de Minas Gerais Aécio Neves.

“Fui preso em janeiro de 2014 e solto cinco dias depois da eleição presidencial. O Ministério Público falou na denúncia que eu iria atrapalhar a sucessão presidencial”, relatou.

O integrante da Coordenação Geral do Sindicato de Jornalistas do Distrito, Federal Wanderlei Pozzembom, reforçou que os profissionais de imprensa são alvos de diferentes meios, como processos e ameaças. “Sem uma imprensa livre, a democracia não existe, ela não existirá”, frisou.

Durante a audiência, o presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado Padre João (PT-MG), destacou que os jornalistas têm sido “os grandes profetas de anunciar e denunciar” abusos e, por isso, sofrem perseguições.

“Tenho certeza de que não se pode descuidar. Essa perseguição é uma das formas, mas há pessoas que matam, executam sem dó nem piedade”, declarou Padre João.

(Portal Imprensa)

07:40 · 28.10.2016 / atualizado às 07:40 · 28.10.2016 por

IMG_2245
Autoridades venezuelanas retiveram quatro jornalistas peruanos e um fotógrafo argentino no aeroporto de Caracas, na última quarta-feira (26/10). Os profissionais iriam acompanhar um protesto da oposição.

De acordo com O Globo, os repórteres retidos são Ricardo Burgos, Leonidas Chávez e Armando Muñoz, da rede Televisa, além do fotógrafo peruano Ricardo Venegas e também o fotógrafo argentino da agência AP Rodrigo Abd. Uma fonte diplomática informou que eles seriam deportados.

Em entrevista à rádio peruana RPP, o embaixador do Peru em Caracas, Mario López, informou que as autoridades venezuelanas são muito rigorosas na aplicação da lei do trabalho e da entrada de jornalistas no país.

“Estamos fazendo esforços, tanto no âmbito da embaixada como no do consulado para que eles possam permitir a entrada na Venezuela. Eu quero sinalizar e ser enfático que eles não sofreram qualquer agressão”, disse.

A filha do jornalista Ricardo Burgos, Paola, divulgou uma gravação de áudio em o pai afirma que a equipe viajou à Venezuela para cobrir a marcha agendada para a última quarta-feira (26/10) contra o governo Nicolás Maduro.

(Portal Imprensa)

05:23 · 17.10.2016 / atualizado às 05:23 · 17.10.2016 por

Políticos corruptos, coronéis da política e empresários desonestos insistem em eliminar jornalistas independentes. 156 jornalistas foram assassinados.

O jornalista Vicente Alencar durante reunião da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo fez o protesto: “Não adianta não vão nos calar. Novas vozes vão surgindo denunciando essa gente”.

07:01 · 15.10.2016 / atualizado às 07:01 · 15.10.2016 por

IMG_1897

O jornalista Paulo César Norões, diretor do Sistema Verdes Mares, assume, hoje, a cadeira de número 3 da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo. O patrono da cadeira é o chanceler Edson Queiroz. Paulo César assume a cadeira que era do seu pai, o correto e grande referência do jornalismo, Edilmar Norões.

O Advogado e jornalista Reginaldo Vasconcelos é o autor da indicação e será o orador. A introdução ficará com Cid Carvalho e Rui Martins Rodrigues.

09:27 · 21.09.2016 / atualizado às 09:27 · 21.09.2016 por

IMG_1199

O jornalista Heraldo Pereira, comentarista político da Globo e apresentador do Jornal Nacional, passou o final de semana em Fortaleza.

Heraldo, aproveitou o sábado e foi ao bar do Helano, onde acompanhou o show do cover de Roberto Carlos, Caubi Peixoto e  Waldick Soriano.

O jornalista global trabalhou em Fortaleza no início da carreira e tem muitos amigos aqui, um deles Moacir Maia que faz a recepção.

21:03 · 29.08.2016 / atualizado às 21:07 · 29.08.2016 por

Um balanço feito pela assessoria de imprensa do Senado no último sábado (27/8) indicou que sessenta e dois profissionais de imprensa de 13 países foram credenciados para cobrir o julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

De acordo com o G1, o levantamento não inclui veículos internacionais que já cobrem diariamente o Congresso. Há, pelo menos, 12 canais de TV, seis jornais impressos, cinco agências de notícias, três emissoras de rádio e uma revista.

Repórteres da Alemanha, Argentina, China, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Japão, Portugal, Catar, Reino Unido, Turquia e Venezuela se concentram num dos auditórios reservado pelo Senado. O local possui telefones, internet, água, e um telão que reproduz a sessão de julgamento.

Pronunciamento

Durante seu pronunciamento no plenário do Senado Federal nesta segunda-feira (29/8), a presidente afastada Dilma Rousseff criticou o que chamou de “setores da grande mídia” ao falar do seu processo de impeachment.

De acordo com O Estado de S. Paulo, Dilma questionou a cobertura da imprensa enquanto também criticava o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Trata-se de ação deliberada que conta com o silêncio cúmplice de setores da grande mídia”, declarou

“Todos sabem que este processo de impeachment foi aberto por uma ‘chantagem explícita’ do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, como chegou a reconhecer em declarações à imprensa um dos próprios denunciantes”, acrescentou.

O discurso de defesa diante de senadores na manhã desta segunda-feira (29/8) foi o primeiro de Dilma no Congresso desde que Cunha deu início ao processo de impeachment, em dezembro do ano passado.

 

(Fonte: Portal Imprensa)

06:02 · 25.08.2016 / atualizado às 06:02 · 25.08.2016 por

A Secretaria do Turismo do Ceará (Setur) está organizando uma press trip para o Cariri, com os jornalistas estrangeiros que vieram ao Brasil cobrir as Olimpíadas. A viagem está sendo organizada em parceria com o Rio Media Center, onde eles estavam credenciados. As cidades incluídas no roteiro do Cariri são: Crato, Juazeiro do Norte, Nova Olinda e Santana do Cariri. Essa é uma oportunidade muito legal de mostrar e divulgar o turismo do nosso Cariri para o mundo!

Os jornalistas vão ficar na região para esta press trip nos dias 1 e 2 de setembro. Esta é uma ação promovida pela Setur em parceria com o Condetur (Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Cariri), Secretaria de Turismo e Romaria do Juazeiro do Norte, Sebrae, Senac e empresários locais, com 11 jornalistas de 8 países.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Roberto Moreira

Jornalista com mais de 40 anos de atuação acompanha de lupa os movimentos da classe política. Crítico, ácido e atuante, o blog leva ao leitor fatos reais.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags