Roberto Moreira

Categoria: Pesquisa


08:32 · 08.12.2018 / atualizado às 08:32 · 08.12.2018 por

De acordo com um estudo divulgado nesta sexta-feira (7) pela Organização Mundial da Saúde, a OMS, mais de 1 milhão e 350 mil pessoas perdem a vida todos os anos em decorrência de acidentes de trânsito.

O Relatório da Situação Global deste ano aponta que, atualmente, as lesões causadas pelo trânsito são a principal causa de morte de crianças e jovens entre 5 e 29 anos.

No Distrito Federal, por exemplo, existe um projeto chamado Transitolândia, onde os alunos do ensino fundamental são educados a agirem de forma segura no trânsito, para se tornarem multiplicadores de boas práticas. Ouça como a estudante Sofia Freire aprendeu direitinho a lição.

“Tem que prestar atenção para dirigir. Não pode ver o celular quando está dirigindo, se não você pode bater o carro e acontecer um acidente grave.”

De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, o uso de celular ao volante já é a terceira maior causa de fatalidades no trânsito do Brasil. Anualmente, o trânsito tira a vida de mais de 37 mil pessoas no país.

O uso de celular também é um risco para os pedestres. Cada vez mais, são registrados casos de pessoas atropeladas porque estavam distraídas com o seu telefone no momento de atravessar uma rua ou um cruzamento.

Aqui no Brasil, o Código de Trânsito Brasileiro completou 20 anos. Os avanços na legislação trouxeram mais segurança para motoristas, passageiros, pedestres e motociclistas, mas ainda é preciso diminuir os acidentes de trânsito.

Neste ano, por exemplo, começou a vigorar uma lei que aumenta a pena para quem cometer crimes ao dirigir, principalmente se o cidadão estiver sob efeito de álcool ou de outra substância entorpecente. Agora, a pena passa a ser de 5 a 8 anos de reclusão, além da suspensão ou proibição do direito de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo.

A Michele Santos do Nascimento, de 32 anos, perdeu a mãe e a irmã, no Dia das Mães, por conta de um motorista alcoolizado.

“Um motorista alcoolizado veio em alta velocidade e bateu no nosso carro. Com isto a gente atingiu mais três carros da frente, foi um engavetamento e ele foi nos arrastando por 20 metros e com isso a minha mãe veio a óbito e a minha irmã também faleceu.”

De acordo com o estudo, houve progressos na legislação que, de forma geral, foi aperfeiçoada, visando a redução de riscos, o excesso de velocidade e vetos à ingestão de bebida alcoólica antes da direção. Também há menção à obrigatoriedade quanto ao uso de cintos de segurança e capacetes.

Além disso, o estudo da OMS aponta que os pedestres e ciclistas são responsáveis por 26% de todas as mortes no trânsito, enquanto os motociclistas e passageiros por 28%.

10:09 · 26.10.2018 / atualizado às 10:09 · 26.10.2018 por

Uma pesquisa divulgada pelo Ibope mostra que 73% dos eleitores não receberam conteúdo com críticas ou ataques a algum candidato à presidência da República pelo WhatsApp, na semana que antecedeu o primeiro turno das eleições. O levantamento foi divulgado nesta terça-feira (23), juntamente com a pesquisa de intenções de votos para Presidente e entrevistou 3.010 eleitores em 208 municípios.

Os candidatos que mais tiveram o nome vinculado a conteúdos compartilhadas pelo WhatsApp foram Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) citados por 18% dos entrevistados na pesquisa.

A pesquisa também perguntou se o conteúdo recebido com informações dos candidatos ajudou, ou não, o eleitor a decidir o voto. 75% disseram que os conteúdos não ajudaram na hora da escolha do voto.

Além disso, a pesquisa do Ibope também perguntou se os eleitores costumavam checar as informações recebidas pelo WhatsApp. Nesse caso, 56% dos entrevistados afirmaram ter conferido se as informações recebidas eram verdadeiras.

As entrevistas do Ibope foram coletadas de 21 a 23 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou de dois pontos percentuais para menos.

07:25 · 20.04.2017 / atualizado às 07:25 · 20.04.2017 por

O levantamento, encomendado pelo Ministério do Turismo, traçou o perfil dos turistas brasileiros e apontou um enorme potencial de desenvolvimento do setor

O Brasil é repleto de belos destinos turísticos prontos para serem visitados, mas uma parcela significativa da população ainda não teve a oportunidade de descobrir seu próprio país. A conclusão é resultado de uma pesquisa encomendada pelo Ministério do Turismo que identificou que 44,4% dos brasileiros nunca viajou a turismo pelo país. Um mercado que deverá ser ampliado a partir das mudanças propostas pela Pasta com o plano Brasil + Turismo, um pacote de medidas para fortalecer o setor.

“Acredito que com o melhor aproveitamento turístico das orlas, o aumento do número de voos, e a melhoria na qualidade do atendimento aos turistas, algumas medidas propostas dentro do Brasil + Turismo, teremos um número maior de brasileiros viajando pelo país”, afirmou o ministro Marx Beltrão.

Para metade dos que afirmaram viajar a turismo – 49,4% – a periodicidade é de uma vez ao ano, enquanto 13,8% dizem que viajam uma vez a cada seis meses. Quando o questionamento é referente ao meio de transporte mais usado nas últimas viagens, constatou-se um empate técnico – uma vez que a margem de erro do estudo é de dois pontos percentuais para mais ou para menos entre carro (39,5%) e ônibus (38,2%). O avião é utilizado por 20,6% dos entrevistados.

Em relação à hospedagem, quase metade dos brasileiros optou por hotéis, resorts ou pousadas (48,2%), enquanto 35% preferiram usufruir da hospitalidade da casa de parentes. Já para se locomover entre as atrações dos destinos turísticos as formas mais usadas foram ônibus (31,7%), carro próprio (27,1%) e táxi (13%).

TRABALHO – Quando o assunto é viagem à trabalho, apenas um em cada quatro brasileiros já viajou a trabalho pelo Brasil e esse tipo de viagem não é tão frequente. Segundo 28,2% dos entrevistados elas são raras ou sem frequência e 18,7% disseram que elas ocorrem uma vez por ano.

Para fazer o trajeto os meios de transporte mais usados foram carro e ônibus – 40,2% e 38,5% – respectivamente. O avião foi utilizado em 14% das viagens. Para a hospedagem, 74,2% optaram por hotéis, resorts ou pousadas, enquanto 10,3% escolheram ficar na casa de parentes.

SOBRE A PESQUISA – Foram entrevistadas 2.002 pessoas com 16 anos ou mais, no período de 17 a 23 de março de 2017. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

12:56 · 03.04.2017 / atualizado às 12:56 · 03.04.2017 por

A polarização política está cada vez mais evidente e a discussão sobre o lado de cada um nessa “guerra” marca presença em rodas de amigos, almoços de família, páginas sociais e, também, na hora de buscar o seu par perfeito. Para confirmar a veracidade do ditado que diz que os opostos se atraem, o ParPerfeito (www.parperfeito.com.br), maior site de relacionamento do Brasil, resolveu verificar como homens e mulheres lidam com o assunto. Para isso, foi realizada uma pesquisa com 2629 solteiros que mostra que, aproximadamente, 70% de homens e mulheres não consideram decisiva a opinião política no momento do flerte.

Embora a pesquisa aponte que para 48% dos entrevistados é importante compartilhar ideais políticos, a maioria (54%) não acha que uma discussão sobre o assunto pode acabar com um relacionamento.

“Enquanto a discussão sobre política entre jovens é comum durante um bate papo com um dos pretendentes, para os solteiros acima de 35 anos, outros detalhes como: fidelidade, inteligência e honestidade são prioridades na hora de escolher um par perfeito”, comenta Mariana Frensel, gerente de marketing do Match Group LatAm, empresa detentora da marca ParPerfeito. “Boa parte dos solteiros acredita na combinação perfeita independente da visão política”, completa ela.

10:14 · 02.04.2017 / atualizado às 10:14 · 02.04.2017 por


Sejamos claros: a avaliação do governo Michel Temer, mostrada pela pesquisa do Ibope divulgada nesta sexta-feira (31) é ruim em toda parte. Mais da metade das pessoas (55%) reprova seu governo, o consideram ruim ou péssimo. É a pior média das quatro pesquisas feitas pelo instituto desde que Temer assumiu o poder após o impeachment de Dilma Rousseff. Mas o índice é bem pior na região Nordeste. Ali, o índice de reprovação de Temer bate os 67%. Depois que o ex-presidente Lula elegeu o sertão nordestino para dar a largada da corrida presidencial de 2018, vai se delineando o seguinte: a próxima disputa poderá repetir outra vez o confronto Norte/Sul.

Certamente movida pelo Bolsa Família e demais programas sociais, a evolução dos votos dos governos petistas no Norte e no Nordeste, especialmente, foi se acentuando a cada eleição. Em 2002, no segundo turno, Lula venceu em todos os estados, com exceção de Alagoas, onde a vitória foi de José Serra, do PSDB. Mas o estado onde Lula atingiu o maior percentual de votos foi o Rio de Janeiro. Ali, ele ficou com 78,97%. E o segundo maior percentual foi no Amapá: 75,51%. Entre os estados nordestinos, a maior vantagem foi no Ceará (71,78%) , certamente motivada pelo apoio de Ciro Gomes, que vencera ali a eleição no primeiro turno, como candidato do PPS, e no segundo apoiou Lula.

A eleição de 2006 já mostra o grande aumento da importância do Nordeste. Lula não obteve contra Geraldo Alckmin, do PSDB, vitória tão acachapante. O mapa já começa a se dividir entre Norte e Sul. Alckmin venceu as eleições em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e em um estado do Norte: Roraima, onde, aliás, teve seu melhor desempenho proporcional, 61,49%. Como, porém, é um estado pequeno, em termos absolutos de voto, tal desempenho não significa muito. Já Lula consegue votações impressionantes no Norte e no Nordeste: 86,80% no Amazonas, 82,38% no Ceará, 84,63% no Maranhão, 78,48% em Pernambuco.

O quadro é muito parecido na primeira eleição de Dilma Rousseff. Seu adversário, José Serra, do PSDB, venceu em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, e em três estados do Norte: Roraima, Rondônia e Acre. De novo, em termos percentuais os melhores desempenhos do tucano vieram do Norte, de estados onde o número absoluto de votos não representa muito: 69,67% do Acre e 66,56% de Roraima. E os melhores resultados de Dilma meio que seguem o que já se dera antes com Lula: 80,57% no Amazonas, 77,35% no Ceará, 79,09% no Maranhão, 75,65% em Pernambuco.

Em 2014, a balada foi bem parecida, com vitória mais apertada de Dilma. Aécio Neves, do PSDB, venceu no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre e Roraima. Perdeu em seu estado, Minas Gerais. Mas, aí, os melhores desempenhos estaduais de Aécio já virão do Sul e Sudeste: Santa Catarina (64,59%) e São Paulo (64,31%). E Dilma será, inegavelmente, a campeã do Nordeste: 78,76% no Maranhão, 78,30% no Piauí, 76,75% no Ceará.

Embora a pesquisa do Ibope mostre uma insatisfação generalizada com o atual governo, ela mostra também que essa secessão não acabou. Onde Temer é melhor avaliado é na região Sul, onde sua rejeição é de 48%. Agrupadas na pesquisa, Norte e Centro-Oeste respondem por 49%. E o Sudeste por 52%. Não foi por acaso que Lula foi a Paraíba “entregar água” à população. Seu jogo é mesmo ali.

12:37 · 04.03.2017 / atualizado às 12:38 · 04.03.2017 por

Nesta segunda-feira, 06/03, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgará, às 11h, em seu Portal, o Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça no Brasil. A maior parte dos dados disponíveis é composta por séries históricas de 1995 a 2015, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE e recortes de gênero e cor/raça.

O texto traz informações em 12 blocos temáticos: população; chefia de família; educação; saúde; previdência e assistência social; mercado de trabalho; trabalho doméstico remunerado; habitação e saneamento; acesso a bens duráveis e exclusão digital; pobreza, distribuição e desigualdade de renda; uso do tempo; e vitimização.

O intuito é apresentar estatísticas descritivas que possam compor um retrato atual da situação de brasileiros e brasileiras sob a perspectiva das desigualdades de gênero e raça no país, bem como um histórico que permita analisar os principais avanços e continuidades de assimetrias ao longo de duas décadas.

09:17 · 24.12.2016 / atualizado às 09:17 · 24.12.2016 por

Um estudo elaborado por ONGs, especializadas em apuração de crimes de corrupção, chegou à conclusão que no Brasil se rouba mais de R$ 400 bilhões por ano. Tudo dinheiro público.

Os agentes públicos, segundo essas mesmas ONGs, são os maiores beneficiados e em seguidas donos de empresas fornecedoras de serviços ao poder público.

09:37 · 22.12.2016 / atualizado às 09:37 · 22.12.2016 por

O ParPerfeito (www.parperfeito.com.br), o maior site de relacionamento do Brasil, em parceria com o KAYAK (www.kayak.com.br), líder global em pesquisas de viagens online, realizou um levantamento com 1,7 mil usuários do site de relacionamento para saber quais serão os destinos que bombarão neste verão.

Os resultados revelam que o Natal é uma data para passar com a família e, por isso, as pessoas acabam viajando menos na data. Assim, 84% dos homens não pretendem viajar neste feriado e 83% das mulheres também não. E isso não tem a ver com o fato de o dia 24 cair em um sábado este ano, porque 80% do público masculino e 70% do feminino afirmaram que esse fator não influenciou em seus planos de não viajar. Porém, entre os solteiros que desejam viajar, as cidades escolhidas pelas mulheres são: Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador. Já pelos homens as eleitas são: Rio de Janeiro, Nova York e Fortaleza.

“Viajar é sempre uma ótima oportunidade de conhecer novas pessoas e sair da rotina. Inclusive, é uma excelente opção para os usuários do ParPerfeito usarem o site ou o aplicativo para encontrar pretendentes de outras cidades, estados e países. Afinal, o amor não tem distância”, comenta Clarissa Assumpção, diretora de Marketing do Match Group LatAm, empresa detentora da marca ParPerfeito.

Com o orçamento mais apertado, os solteiros acham uma boa alternativa passar o Réveillon em uma festa para reunir familiares e amigos em casa mesmo. A segunda opção dos solteiros para a data é participar da comemoração pública que é realizada em sua própria cidade.

“Quando perguntadas sobre os destinos preferidos para viajar em 2017, ano em que teremos muitas emendas de feriados, as mulheres mencionaram os destinos nacionais como os favoritos, sendo os mais citados Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador e Recife. Já os homens citaram dois destinos internacionais – Nova York e Lisboa – e dois nacionais – Rio de Janeiro e Natal”, acrescenta Kaio Philipe, diretor do KAYAK Brasil.

03:45 · 02.12.2016 / atualizado às 03:45 · 02.12.2016 por

A Lendico, plataforma de empréstimo pessoal online , levantou dados com 89.412 pessoas em outubro que aponta a procura dos tomadores por troca dívida, 54,31%, ou seja, trocar dívidas como cartão de crédito e cheque especial por outras mais baratas. Em segundo lugar o principal motivo pela procura foi novos negócios, 16,72%, pequenos e médios empresários que não conseguem crédito no banco e procuram a plataforma.

A concentração de pedidos é no estado de São Paulo, seguido por Rio de Janeiro e Minas Gerais, sendo que os homens, entre 21 e 40 anos, procuram mais esse tipo de empréstimo. O levantamento ainda mostra que os empregados CLT do setor privado são os campeões na procura por empréstimos com taxa justa.

07:09 · 01.12.2016 / atualizado às 07:09 · 01.12.2016 por

Uma pesquisa realizada Kaspersky Lab mostra que a grande maioria das pessoas quer abandonar as redes sociais, em muitos casos, porque as consideram uma perda de tempo. De acordo com essa pesquisa, os usuários permanecem nas mídias sociais, como Facebook, Instagram etc., apenas porque têm medo de perder suas recordações digitais e o contato com seus amigos.

Talvez seja difícil resolver a questão do contato com amigos, mas a Kaspersky Lab está trabalhando em uma solução para ajudar as pessoas a guardar suas lembranças digitais. Um aplicativo chamado FFForget permitirá que os usuários façam backup de todas as recordações das redes sociais que utilizam e as mantenham em um contêiner de memórias criptografado e seguro. Espera-se que o aplicativo dê às pessoas a liberdade de sair das mídias sociais quando quiserem, sem grandes perdas, além de recuperarem o controle sobre seus dados.

Uma pesquisa anterior destacou a forte tendência das pessoas a usar dispositivos digitais como um repositório externo de memórias. Outros estudos também demonstraram que os usuários não conseguem resistir à tentação de conferir as conversas e as atualizações de status nas mídias sociais em seus celulares. Além disso, os usuários são autocríticos e estão conscientes dessa fixação – 37% dos participantes brasileiros disseram acreditar que estão perdendo tempo nas redes sociais. Quase 73% dos respondentes afirmaram que já pensaram na possibilidade de abandonar as redes sociais.

Apesar da disposição de sair das redes sociais, as pessoas sentem-se obrigadas a ficar. No Brasil, a grande maioria (68%) acredita que, ao sair das redes sociais, perderia contato com seus amigos. Já 21% dos participantes estão menos preocupados com os amigos, mas têm medo de não conseguir recuperar suas lembranças digitais – como fotos – se precisassem sair de uma rede social.

“As redes sociais podem ser positivas ou negativas. Se forem benéficas, não nos envolvemos. Acreditamos que todos têm o direito de decidir livremente quais plataformas devem usar ou não, sempre. A verdadeira liberdade digital não envolve concessões. Queremos que as pessoas retomem o controle de suas memórias com a possibilidade de ter sempre uma cópia criptografada de todas as suas lembranças digitais”, diz Evgeny Chereshnev, chefe de mídias sociais da Kaspersky Lab. “Queremos que o FFForget seja uma solução para eliminar o medo das pessoas de perder suas recordações por causa de problemas com a conta ou ataques de hackers. E, o mais importante, quem usar o aplicativo também terá novamente o direito de sair de qualquer rede social a qualquer momento sem perder o que pertence a eles: suas vidas digitais”.

O lançamento do FFForget está planejado para 2017. Os usuários interessados podem se inscrever em ffforget.kaspersky.com para fazer comentários e opinar sobre o escopo do aplicativo. Eles também receberão novidades, informações e acesso ao beta público assim que ele for disponibilizado.

* A Kaspersky Lab realizou uma pesquisa on-line com 4831 respondentes, sendo 887 brasileiros. A pesquisa continha oito perguntas e foi traduzida em nove idiomas: inglês, espanhol, português, francês, italiano, alemão, russo, japonês e turco, e foi programada usando o Poll Daddy. O link para a pesquisa foi divulgado usando promoções pagas do Facebook e no Twitter.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Roberto Moreira

Jornalista com mais de 40 anos de atuação acompanha de lupa os movimentos da classe política. Crítico, ácido e atuante, o blog leva ao leitor fatos reais.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags