Roberto Moreira

Categoria: Polícia Federal


08:41 · 13.11.2018 / atualizado às 08:41 · 13.11.2018 por

Presos na última sexta-feira pela Polícia Federal, os delatores Joesley Batista, Ricardo Saud, Florisvaldo Oliveira e Demilton Castro, ligados ao Grupo J&F, passaram menos de 48 horas na cadeia. Isso porque o ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), mandou soltar na tarde desta segunda (12) os investigados na Operação Capitu.

A decisão foi tomada após o ministro ter mandado libertar o ex-ministro da Agricultura Neri Geller e o ex-secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura Rodrigo Figueiredo, que também haviam sido presos na mesma operação da PF. Tanto no caso deles como no dos colaboradores da J&F, o ministro do STJ entendeu que a alegação de omissão por parte dos delatores premiados não é motivo para a prisão.

A Polícia Federal prendeu na última sexta-feira o empresário Joesley Batista e o vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (MDB), na Operação Capitu. A ação aconteceu após a Justiça ter decretado a prisão deles e de outros 17 acusados de participar de um esquema de pagamento de propinas na Câmara dos Deputados e no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Além do dono da J&F, foram detidos outros dois delatores do grupo, Demilton Castro e Ricardo Saud. Também foram presos na operação o deputado federal eleito Neri Geller (PP-MT) e o deputado estadual de Minas João Magalhães (MDB). Também foi expedido um mandado de prisão contra o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso e condenado na Lava Jato.

O inquérito do caso foi aberto em maio deste ano, baseado em declarações do corretor Lúcio Funaro, sobre supostos pagamentos de propina a servidores públicos e políticos que atuavam direta ou indiretamente no ministério da Agricultura em 2014 e 2015. Segundo o delator, a JBS teria repassado R$ 7 milhões para o grupo político do MDB da Câmara.

07:52 · 07.04.2017 / atualizado às 07:52 · 07.04.2017 por

Será reinaugurado nesta sexta-feira (07), em São Gonçalo do Amarante, o Posto da Polícia Federal Rodoviária na Federal na BR-222, no trecho que corta o Distrito do Croatá. A Prefeitura considera crucial a reabertura do posto, que serve como ponto de apoio na fiscalização do trânsito e no combate à criminalidade. Para tornar possível a reinauguração, o prefeito Cláudio Pinho tem realizado articulações, desde 2015, com diversas autoridades responsáveis no Estado e em Brasília.

O acordo, fechado em dezembro, envolveu um investimento da prefeitura de R$ 227 mil para reforma das instalações, que incluiu a construção de banheiros, interno e externo, copa, alojamentos e modernização da infraestrutura.

A solenidade de reabertura está marcada para as 8 horas da manhã. Além do Prefeito, o Superintende da Polícia Rodoviária Federal, Stênio Pires, e outras autoridades do estado são esperadas.

06:00 · 08.01.2017 / atualizado às 20:41 · 07.01.2017 por

Segundo a Polícia Federal, as mortes no presídio de Manaus estão ligadas à disputa do tráfico da região amazônica e ao tráfico internacional.

A Rota do Solimões oferece lucro de R$ 1,5 bilhão por ano à Família do Norte, braço do Comando Vermelho. O PCC quer tomar a rota bilionária, segundo a PF que trabalha para prender os traficantes.

A Família do Norte cuida da Rota dos Solimões. A cocaína sai da Bolívia e Peru, abastece a região norte do Brasil e segue para Portugal através do Ceará, onde, segundo os federais, a Família do Norte tem forte atuação, financiando estudos de futuros advogados, empresas, grupos armados para assaltar, tráfico e financiamento de políticos.

07:49 · 29.12.2016 / atualizado às 07:49 · 29.12.2016 por

A Polícia Federal e a Justiça Eleitoral continuam investigando a origem e o destino de cerca R$ 6 milhões apreendidos em Fortaleza no período eleitoral.

A Polícia Federal está ouvindo pessoas e investigando de onde saiu o dinheiro, sua origem e saque. Vejam a nota da federal:

“De ordem, informamos que está em andamento a análise dos documentos e mídias apreendidas durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão da referida investigação.

Att.,

Francisco MARLEI de Sousa
Comunicação Social.”

11:27 · 07.12.2016 / atualizado às 11:27 · 07.12.2016 por

A Polícia Federal, com apoio da Controladoria Geral da União – CGU, deflagra nesta quarta-feira (7) a Operação Três Climas. A ação tem por objetivo desarticular grupo criminoso dedicado a desvio de recurso públicos (corrupção) nos municípios de Itapipoca, Ocara e Pacajus.

A investigação apontou para a existência de um esquema criminoso que desviava recursos públicos por meio de fraudes em licitações e superfaturamento na execução dos contratos promovidos pelas citadas prefeituras, especialmente dos repasses federais destinados a ações de Transporte Escolar na Educação Básica (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).

A apuração identificou ainda desvio de recursos públicos em obras custeadas com convênios firmados com os Ministérios do Turismo e dos Esportes no município de Ocara/CE.
Os contratos sob suspeita foram celebrados nos anos de 2012 a 2015. O potencial lesivo da quadrilha está demonstrado no fato de que somente uma das empresas contratadas pelas três prefeituras superfaturou os serviços de transporte escolar em mais de R$ 10 milhões, sendo os valores mais expressivos identificados em Itapipoca, Ocara e Pacajus.

O esquema envolvia um núcleo de agentes públicos e um núcleo empresarial. O núcleo de agentes públicos inclui quatro Secretários Municipais e servidores das Prefeituras.

Está em andamento o cumprimento de sete mandados de Prisão Preventiva, três mandados de Prisão Temporária, seis mandados de Condução Coercitiva e 24 mandados de Busca e Apreensão.
Participam da operação 107 policiais federais, contando com o acompanhamento de integrantes da Controladoria-Geral da União.
Os crimes investigados são de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva , fraude em licitação, dispensa indevida de licitações , associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Será concedida entrevista coletiva à imprensa, hoje, 7/12, às 11h30, no auditório da Superintendência da Polícia Federal no Ceará, na Av. Borges de Melo, 820, Bairro de Fátima, Fortaleza/CE.

11:21 · 02.12.2016 / atualizado às 11:21 · 02.12.2016 por

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã, 2/12, Operação Default, dando cumprimento a ordens judiciais de busca e apreensão e sequestro expedidas pela 15ª Vara Criminal da Subseção Judiciária de Limoeiro do Norte/CE.

O referido procedimento foi instaurado em outubro de 2014 para apurar a prática de crime contra o Sistema Financeiro Nacional,  e ainda, o delito de organização criminosa que se instalou nas estruturas do Banco do Nordeste do Brasil-BNB, em conluio com empresários, para a obtenção irregular de operações financeiras (financiamentos), com a utilização de recursos do Fundo Constitucional do Nordeste, com burla aos normativos de compliance internos do Banco, e com o intuito de lesar o erário público federal.

Estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, 5 cinco mandados de sequestro, ofícios de indisponibilidade de bens aos Cartórios de Registro de Imóveis e Detran, e ainda 10 mandados de intimação.
Participam da operação 57 policiais federais que estão dando cumprimento às medidas cautelares, nos Municípios de Fortaleza, Limoeiro do Norte, Morada Nova e Tabuleiro do Norte, no Ceará, e Mossoró, no  Rio Grande do Norte.

07:09 · 17.11.2016 / atualizado às 07:10 · 17.11.2016 por

IMG_2803

Ex-governador Sérgio Cabral foi preso pela PF na Zona Sul do Rio. Ele é suspeito de receber propina para a concessão de obras públicas.

O ex-governador foi alvo de dois mandados de prisão preventiva, um expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, e outro pelo juiz Sergio Moro, em Curitiba. Além de Cabral, outras nove pessoas tinham sido presas até as 7h30(horário de Brasília).

 

 

10:20 · 10.11.2016 / atualizado às 10:31 · 10.11.2016 por

Jaguaruana

Demorou, mas chegou. A lava Jato chegou ao território cearense através do município de Jaguaruana. Hoje, à tarde saberemos o que o juiz Sérgio Moro quer pegar lá na terra administrada pelo PT. O que se sabe até agora é que a Operação investiga esquema bilionário de lavagem de dinheiro.

Além do Ceará, os Policiais federais estão nas ruas desde as primeiras horas desta quinta-feira (10) para cumprir mandados da 36ª fase da Operação Lava Jato em cidades do Paraná e  São Paulo. A ação foi batizada de Operação Dragão e cumpre 18 mandados judiciais, sendo 16  de busca e apreensão e dois de prisão preventiva.

O empresário e lobista Adir Assad, que já está preso na carceragem da PF, em Curitiba, teve um novo mandado de prisão expedido. Ao contrário da prisão temporária, que vence em cinco dias, a prisão preventiva não tem prazo determinado para que o investigado deixe a prisão.

Os mandados de busca estão sendo cumpridos em Jaguaruana, no Ceará; Barueri, Santana de Parnaíba e capital de São Paulo; e em Curitiba e em Londrina, no Paraná.

Segundo a PF, um dos mandados de busca está sendo cumprido na Concessionária Econorte, em Londrina; e outro, em Curitiba, na Construtora Triunfo.

Adir Assad foi condenado na Lava Jato a 9 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e associação criminosa. Ele foi preso pela primeira vez na operação em março de 2015, na 10ª fase. No entanto, em dezembro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu prisão domiciliar a ele. No último dia 19 de agosto, o juiz Sérgio Moro determinou que Adir Assad voltasse à prisão.

Segundo a PF, a atual fase investiga dois operadores financeiros responsáveis pela movimentação de recursos de origem ilegal, principalmente oriundos de relações criminosas entre empreiteiras e empresas sediadas no Brasil com executivos e funcionários da Petrobras.

Entre os crimes investigados estão corrupção, manutenção não declarada de valores no exterior e lavagem de dinheiro.

O nome dado à operação “é uma referência aos registros na contabilidade de um dos investigados que chamava de “operação dragão” os negócios fechados com parte do grupo criminoso para disponibilizar recursos ilegais no Brasil a partir de pagamentos realizados no exterior”, disse a PF.

09:26 · 02.11.2016 / atualizado às 09:26 · 02.11.2016 por

O Ceará continua sendo a vergonha nacional nas eleições.

A Polícia Federal investiga vários grupos nas redes socais que fotografavam e filmavam jornalistas, empresários, homens de negócios, para enviar aos candidatos e ridicularizarem na redes sociais.

Essa gente, corrupta e safada estava à disposição de grupos políticos. Como se todos tivessem em pecado, traição.

21:24 · 19.10.2016 / atualizado às 21:24 · 19.10.2016 por

IMG_2060

Eduardo Cunha é um produto do eleitor brasileiro que vota por interesse ou vendendo o voto. Para o Brasil ele é um corrupto, mas no Rio de Janeiro é um velho ladrão. Sua roubalheira vem desde a década de 90 e seguiu por oito governadores cariocas.

A prisão de Eduardo Cunha é exemplar. A justiça federal através do juiz Sérgio Moro pode despertar a descoberta de ladrões dos cofres públicos nos estados brasileiros.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Roberto Moreira

Blog de jornalismo da TV Diário. (www.tv.diario.tv.br). Telejornalismo: (85) 3266.9212

VC REPÓRTER

Flagou algo? Envie para nós

(85) 98948-8712

Tags