Roberto Moreira

Categoria: Política


15:07 · 19.01.2019 / atualizado às 15:07 · 19.01.2019 por

 

Morreu na noite desta sexta-feira o músico Marcelo Yuka, fundador e compositor da banda “O Rappa”. Yuka, que tinha 53 anos, estava internado desde o dia 2 de janeiro, após sofrer um acidente vascular cerebral e sofria de um quadro de infecção generalizada. O ex-baterista já tinha sofrido um AVC no meio do ano passado.Marcelo Yuka morreu aos 53 anos. Nascido em 1965, Yuka foi um dos fundadores e principais compositores da banda “O Rappa”. Ele era baterista e compôs hits de sucesso, como “Minha Alma” e “Me Deixa”.

A morte de Yuka foi lamentada por músicos de vários gêneros, como Maria Rita, Marisa Monte, Fernando Badauí, vocalista do CPM 22, além dos rappers Black Alien e Emicida e o funkeiro Buchecha.

15:05 · 19.01.2019 / atualizado às 15:05 · 19.01.2019 por

 

O ex-ministro Antonio Palocci fez novas acusações e relatou, em delação premiada, a entrega de dinheiro em espécie ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo informações do jornal “O Estado de S. Paulo”, Palocci teria repassado remessas de “30, 40, 50 e 80 mil reais” a Lula. O montante seria uma forma de propina paga ao petista por conta da obra da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. O acordo de delação foi fechado em agosto do ano passado com a Polícia Federal de Curitiba, mas só se tornou público nesta sexta-feira (18).

De acordo com informações do jornal, Palocci passou às mãos de Lula, em 2010, 50 mil reais em uma caixa de celular na Base da Aeronáutica, em Brasília, ainda durante a campanha eleitoral. Em outro trecho da delação, segundo o Estadão, o ex-ministro cita até o uso de uma caixa de whisky para esconder o dinheiro, em uma entrega que teria sido feita no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Nas duas ocasiões, Palocci afirma que os motoristas que o acompanharam foram testemunhas do encontro com o então presidente da República.

No depoimento prestado no ano passado, Antonio Palocci também ressalta que a ex-presidente Dilma Rousseff “deu corda” para que as investigações da Operação Lava Jato envolvessem o ex-presidente Lula. Isso porque, segundo informações do portal G1, ao permitir o avanço da Lava Jato, Dilma tentava “sufocar” Lula para que ele desistisse de concorrer à presidência em 2014.

Em nota publicada em seu site, Dilma classifica as declarações de Palocci como “fantasiosas” e que seriam uma forma de criar uma “cortina de fumaça” por não haver provas contra ela.

A assessoria de imprensa do ex-presidente Lula negou as acusações feitas por Palocci e acusa o ex-ministro de falar “mentiras sem provas” em troca de benefícios pessoais na delação.

Palocci, que ocupou as pastas da Fazenda, no governo de Lula, e da Casa Civil, na gestão de Dilma Rousseff, está preso desde 2016. Em novembro do ano passado, o ex-ministro passou a cumprir em casa sua pena de 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão.

Na mesma decisão, os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de Porto alegre, reduziram sua pena para nove anos e 10 meses de prisão, após Palocci assinar um acordo de colaboração premiada. A delação foi divulgada em outubro, durante as eleições presidenciais, com autorização do então juiz Sérgio Moro. O ex-ministro foi condenado em junho de 2017 por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

10:53 · 19.01.2019 / atualizado às 10:53 · 19.01.2019 por

 


Wilton Bezerra. Comentarista esportivo do Sistema Verdes Mares

Sempre achei essa Copa do Brasil uma competição eleitoreira. Para a CBF, claro.

No inicio, foi desenhada para reunir campeões brasileiros, a partir da Taça Brasil.

Depois, inchou e perdemos a conta dos participantes, dentro de um infame sistema de disputa.

O Corinthians, por achar que o Nordeste é muito longe, ofereceu ao Ferroviário uma grana (não se sabe quanto), transferindo o seu jogo do próximo dia 7 de fevereiro, no Castelão, para o Estádio do Café, em Londrina no Paraná, pertinho de São Paulo.

Isto quer dizer: compra de mando de campo. Acabo de ler, num site, que o Ferroviário aceitou.

Em qualquer competição, o uso deste expediente implica no desequilíbrio técnico. Mas, com o dinheiro ouvindo a história, a CBF aceita tudo.

Que se danem os escrúpulos esportivos, o importante é respeitar força da grana. Não é Del Nero, Rogério Caboclo e Coronel Nunes?

Nelson Rodrigues estava certo quando disse: “O dinheiro compra até o amor verdadeiro’.

09:58 · 19.01.2019 / atualizado às 09:58 · 19.01.2019 por
09:56 · 19.01.2019 / atualizado às 09:56 · 19.01.2019 por

“Agradecendo a Deus e ao povo do meu Estado. Foram três mandatos consecutivos de deputado estadual, certo da missão cumprida. Independente, coerente nas minhas posições, nunca votei nada que prejudicasse o povo, nunca votei nada para agradar o governo. Votei contra todos os aumentos de impostos e taxas públicas. Sou autor da lei que proibiu “ Ideologia de Gênero nas Escolas” . São mais de 30 projetos com grande alcance social. Para a cidade onde nasci, o Crato, idealizei algo que ficará para a história e ajudará no desenvolvimento da região, através do turismo religioso; O maior monumento do mundo em louvor a N. S. de Fátima, com toda infra estrutura. Entrei com a ficha limpa e saio com a ficha limpa, minha vida também é limpa. Jornalista, Radialista e Sociólogo continuarei com a mesma determinação, servir o próximo. Nas ruas ando de cabeça erguida recebendo o abraço das pessoas que me observaram durante todo esse tempo e nunca viram atos que desabonassem minha conduta. Obrigado meu Deus. Obrigado ao povo Ceará”.

09:53 · 19.01.2019 / atualizado às 09:53 · 19.01.2019 por

 

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) inaugurou dois fóruns no Interior do Estado em menos de dois meses, comprovando assim o compromisso da atual Gestão em priorizar a Justiça de 1º Grau. Nesta sexta-feira (18/01), foi a vez da Comarca de Russas, distante 158 km de Fortaleza, ganhar novo prédio com adequada estrutura física para oferecer melhor atendimento à população.

O novo Fórum foi construído obedecendo às normas de acessibilidade e aos padrões ecológicos, levando em consideração a luminosidade do local e material que não prejudica o meio ambiente. Fica localizado na Travessa Antônio Gonçalves Ferreira, S/N, bairro Guanabara, conta com dois pavimentos e área de 1.821,51 m². Na construção, foram investidos R$ 3.858.192,16.

Durante a solenidade de inauguração, o presidente do Tribunal, desembargador Gladyson Pontes, também instalou a 3ª Vara, que é Privativa da Infância e Juventude e de Registros Públicos. O magistrado informou que, apesar das limitações orçamentárias, foram realizadas ações que promoveram o desenvolvimento sem o aumento de custos. “Um exemplo disso foi a nova Lei de Organização Judiciária, que reestruturou as comarcas do Ceará. Fruto de um trabalho hercúleo da atual Gestão, que encontrou os recursos e fez em tempo recorde um projeto tão importante, beneficiando muitos jurisdicionados.”

O diretor do Fórum, juiz Abraão Tiago Melo, destacou que “o espaço é moderno, bem localizado e amplo. Tem sistema de som, instalações para videoconferência e acessibilidade. Temos dois bons motivos para comemorar. Com certeza tudo isso resultará numa prestação jurisdicional mais célere e eficiente.”

O titular da 3ª Vara, juiz Wildemberg Ferreira de Sousa, também comemorou. “Hoje, felizmente, inauguramos uma unidade e recebemos essa estrutura com modernas instalações que, com certeza, contribuirá para ampliar a prestação jurisdicional e otimizará o trabalho que já era feito. Além disso, gera bem-estar aos magistrados, servidores, promotores, defensores e advogados, e promove atendimento mais humanizado ao nosso jurisdicionado, a quem devemos servir”.

O representante do Ministério Público estadual reforçou a importância do novo equipamento. “É uma grande evolução. Certamente somará bastante na atividade jurisdicional. Russas é uma cidade muito grande e necessitava da instalação dessa nova unidade. Destaque também para acessibilidade que a estrutura oferece, pois vai acolher bem melhor as pessoas”, afirmou o titular da 1ª Promotoria de Justiça de Russas, Luiz Dionísio de Melo Júnior.

“Esse novo Fórum representa, acima de tudo, mais condições de funcionamento. O Tribunal construiu essa obra e o povo de Russas está muito satisfeito. É a realização de um sonho”, ressaltou o prefeito do Município, Weber de Araújo.

Também esteve presente o juiz Sérgio Viana, auxiliar da 4ª Zona Judiciária, além de autoridades locais e representantes da sociedade civil.

Fórum de Itapajé

O TJCE já havia inaugurado o novo Fórum da Comarca de Itapajé no último dia 12 de dezembro. Além disso, promoveu reformas nos prédios de Independência, Santa Quitéria, Iracema, Sobral, Iguatu, Saboeiro, Quixadá, Juazeiro do Norte, Itaitinga e Maracanaú, entre outros.

Crajubar

Para encerrar o ciclo de obras da atual Gestão, o desembargador Gladyson Pontes inaugura, no próximo dia 25 de janeiro, às 15h, a Secretaria Judiciária Regional do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (Crajubar). A Unidade vai concentrar os expedientes das Varas, deixando os gabinetes dos magistrados exclusivamente com a produção jurídica, como audiências e julgamentos.

Na manhã do mesmo dia, às 10h, será instalada a 2ª Vara de Família e Sucessões de Juazeiro do Norte, no Fórum desta Comarca. Em seguida, acontece a inauguração da Vara Única da Infância e Juventude, também de Juazeiro, no Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão).

09:17 · 19.01.2019 / atualizado às 09:17 · 19.01.2019 por

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello declarou nesta sexta-feira (18) que vai assinar a decisão sobre a investigação do senador eleito e filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, no dia 1º primeiro de fevereiro. As informações foram publicadas no blog da jornalista Andréia Sadi.

Em decisões anteriores, ele tem rejeitado liminares parecidas com a da defesa de Flávio Bolsonaro. “Tenho negado seguimento a reclamações assim, remetendo ao lixo”, teria dito Marco Aurélio.

O senador eleito Flávio Bolsonaro acionou o STF para que a corte suspendesse as apurações do Ministério Público do Rio de Janeiro a respeito das movimentações financeiras suspeitas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

Os advogados do parlamentar argumentam que o MP carioca obteve dados sigilosos de forma ilegal junto ao Coaf. Além disso, a defesa de Flávio Bolsonaro também acena com um pedido para que uma eventual investigação envolvendo o senador fique com o Supremo devido ao foro privilegiado que ele possui.

Nesta quarta-feira (16), o ministro Luiz Fux, do STF, mandou suspender provisoriamente o procedimento investigatório instaurado pelo MP do Rio de Janeiro sobre o caso, até que Marco Aurélio Mello tome uma decisão, após o recesso, que termina no no dia 31 de janeiro. O ministro entendeu que, como Flávio Bolsonaro passou a ter foro privilegiado ao ser diplomado e tomará posse como senador em fevereiro, então caberá ao relator no STF decidir sobre a continuidade da investigação.

09:15 · 19.01.2019 / atualizado às 09:15 · 19.01.2019 por

 

Um estudo feito com o apoio de professores da FGV mostra que as cidades que armaram suas guardas municipais após a permissão do Estatuto do Desarmamento, em 2003, apresentaram queda acentuada na taxa de homicídios e agressões, na comparação com municípios que não usam armas de fogo.

O Estatuto do Desarmamento permite o uso de armas por guardas municipais em cidades com mais de 50 mil habitantes. É o caso do município de São José, em Santa Catarina. No total, são 113 agentes, que fazem a fiscalização do trânsito, rondas escolares e auxiliam na vigilância dos bens públicos municipais. O comandante da Guarda Municipal, Marcelo Luiz de Souza, avalia que existe correlação entre o uso de armas e a redução de crimes.

“A instituição está armada desde o ano de 2015, quando foi assinado um convênio entre o município de São José e a Polícia Federal. Desde então, a Guarda Municipal tem desenvolvido uma série de atividades bastante voltadas à área da segurança pública dentro do município. O que a gente percebe e isso, na verdade, não é só uma percepção, e sim fatos comprovados através de dados estatísticos, é que o número da criminalidade dentro do município tem sofrido uma redução bastante grande.”

O uso de armas tem sido um tema bastante discutido na última semana, principalmente pelo fato do presidente Jair Bolsonaro ter assinado recentemente o decreto que regulamenta o registro, a posse e a comercialização de armas de fogo em todo o país. O texto permite a aquisição de até quatro armas de fogo e dobra o prazo de validade do registro, que passa de cinco para 10 anos.

O tema divide opiniões. Alguns defensores públicos veem ilegalidade no novo decreto do governo federal sobre posse de armas de fogo. Isso porque o Estatuto do Desarmamento estabelece o requisito legal de comprovação de efetiva necessidade para se ter uma arma.

Na visão do coordenador do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública de São Paulo, Rafael Lessa Menezes, o novo decreto, na prática, afasta esse requisito legal ao presumir a efetiva necessidade para todos os brasileiros.

“Tem duas hipóteses ali que abrangem toda a população brasileira. Ele coloca os residentes em área rural, como uma hipótese, e depois ele coloca os residentes em áreas urbanas. Ele até menciona áreas urbanas com índices elevados de violência, com índice anual de homicídio maior do que 10 homicídios por 100 mil habitantes. Só que todos os Estados do Brasil tem o índice maior do que 10 homicídios por 100 mil habitantes. Então, ele afastou a exigência legal de declaração de efetiva necessidade.”

Segundo Rafael Lessa, a Defensoria Pública de São Paulo apresentou uma representação na Procuradoria-Geral da República solicitando que o decreto seja levado ao Supremo Tribunal Federal. O caso ainda não foi analisado e aguarda uma posição do Judiciário.

O PCdoB também protocolou uma ação contra a decisão do governo, mas o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, decidiu que não há urgência e o caso será analisado pelo relator, ministro Celso de Mello, a partir de 1º de fevereiro, quando a Corte retoma os trabalhos após o período de recesso.

09:12 · 19.01.2019 / atualizado às 09:12 · 19.01.2019 por

 

O simulador de notas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), ferramenta inédita anunciada neste ano pelo Ministério da Educação, poderá ser utilizado em qualquer computador, em qualquer hora e em qualquer lugar pelos estudantes. O MEC disponibilizou para download o simulador para ajudar ainda mais os estudantes a escolher o curso superior desejado. O objetivo da plataforma é fazer comparativo de informações para aperfeiçoar o desempenho dos alunos.

O simulador ajuda o estudante a ter uma noção sobre o que ele precisa melhorar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ser selecionado no curso desejado. Com a ferramenta – que será um instrumento de consulta permanente –, à medida que o estudante inserir as notas, poderá verificar onde teria sido aprovado e em quais opções.

O programa foi desenvolvido pela equipe de Business Intelligence (BI) da Secretaria Executiva do MEC e o uso é bem simples. Basta que o estudante acesse a página do Sisu na internet e clique no link “Simule aqui seu desempenho no Sisu”. Depois disso, abrirá outra página onde terá a opção “download”. Com o simulador instalado, o estudante deve inserir suas notas no Enem e poderá filtrar a comparação por região, turno e cursos. A simulação vale apenas para as modalidades de ampla concorrência ou reservas de vagas da Lei nº 12.711/2012.

Na prática, vai funcionar assim: ao entrar no simulador, com a ferramenta já instalada no computador, o estudante coloca suas notas das disciplinas de ciências da natureza, ciências humanas, linguagem, matemática e redação, de qualquer das edições do Enem que tenha participado. Depois, marca a alternativa “ampla concorrência” ou “lei de cotas” e, se desejar, usa os filtros disponíveis. Caso deseje uma simulação mais específica, pode ainda selecionar algumas das modalidades de concorrência, a região e a UF (unidade da federação) de sua preferência, além do curso e turno desejados.

O simulador faz um comparativo com todas as edições passadas do Enem, desde 2010 (primeiro semestre), quando o Sisu foi implantado pela primeira vez, até 2018 (segundo semestre), mostrando a menor nota que ingressou em determinada graduação, por universidade e edição do Sisu.

09:11 · 19.01.2019 / atualizado às 09:11 · 19.01.2019 por

 

Na manhã de sexta-feira o Secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Francisco de Queiróz Maia Júnior, recebeu representantes da empresa Sol Poente Energias Renováveis que tenta viabilizar projeto para instalação de uma usina solar no município de Caucaia capaz de produzir 65 MegaWatts de energia.

Os investidores pretendem adquirir um terreno de 140 hectares da Companhia de Desenvolvimento do Ceará (Codece), vinculada à Sedet, às margens da BR 222, onde pretendem instalar em várias fases do projeto 180 mil módulos fotovoltaicos. A primeira fase do empreendimento tem previsão de investimento de R$ 33 milhões para produção de cinco MegaWatts.

De acordo com o engenheiro e consultor técninco do projeto, Augusto Oliveira, oito parceiros vão participar do projeto, incluindo a fornecedora de painéis solares Canadian Solar. “O projeto está em fase avançada, restando basicamente resolver questões jurídicas para a aquisição plena do terreno em Caucaia, que pertence à Codece”, observou.

O secretário Maia Júnior pediu à Codece pressa na resolução dos entraves para a negociação do terreno. “Energias renováveis é uma das nossas prioridades. Queremos nos próximos anos retomar a liderança nacional nesse segmento. Nossa missão aqui é facilitar ao máximo a vida do investidor” ponderou.

Na avaliação do secretário não deve ocorrer problemas em relação ao terreno, que está ocioso, pois a provável negociação “vai trazer recursos extras para o caixa do Governo, gerar empregos e elevar a produção de energia renovável no Ceará”. Maia Júnior, contudo, sugeriu aos investidores que pensassem também em atrair indústrias de painéis solares para o Ceará.

“O volume de módulos solares (180 mil) já é um atrativo para uma indústria pensar em se instalar aqui. Foi a partir de uma demanda inicial para energia eólica que consolidamos a instalação de três gigantes mundias na produção de pás e aerogeradores. O ideal é pensar na consolidação de toda uma cadeia produtiva e não apenas na geração e venda de energia”, argumentou.

De acordo com o presidente da Codece, Paulo Feitosa Arraes, é possível que em até dez dias as soluções jurídicas para a venda do terreno estejam concluídas. “É o prazo que queremos para entregar os pareceres ao secretário Maia Júnior, que então levará a para apreciação do governador Camilo Santana”, afirmou.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Roberto Moreira

Jornalista com mais de 40 anos de atuação acompanha de lupa os movimentos da classe política. Crítico, ácido e atuante, o blog leva ao leitor fatos reais.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags