Roberto Moreira

Busca


Restituições do quarto lote do IR estarão hoje nos bancos

Publicado em 15/09/2014 - 8:45 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

A Receita Federal credita hoje a restituição do Imposto de Renda 2014 para 2.056.114 contribuintes. Serão depositados neste quarto lote cerca de R$ 2,4 bilhões.

Desse total, R$ 168.078.903,86 são destinados a contribuintes idosos. Têm prioridade ainda as pessoas com alguma deficiência física, mental ou doença grave.

O restante – cerca de R$ 2,2 bilhões – será destinado a 2.020.902 contribuintes que apresentaram declarações nos anos 2013 (ano-calendário 2012), 2012 (ano-calendário 2011), 2011 (ano-calendário 2010), 2010 (ano-calendário 2009), 2009 (ano-calendário 2008) e 2008 (ano-calendário 2007).

Agenda dos candidatos à Presidência – 15/9/2014

Publicado em 15/09/2014 - 8:33 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

 

Eymael (PSDC)

Agenda não divulgada

 

Levy Fidelix (PRTB)

São Paulo

11h – Entrevista às rádios Bandeirantes e BandNews (Rua Radiantes, nº 13)

17h – Entrevista ao blog Não Salvo

 

Luciana Genro (PSOL)

Porto Alegre

12h – Ato de campanha, na esquina da Rua da Ladeira com a Rua da Praia

14h30 – Gravação de programas de TV

Canoas (RS)

18h – Entrevista ao vivo ao programa Conexão RS, Ulbra TV

 

Marina Silva (PSB)

Agenda não divulgada

 

Mauro Iasi (PCB)

Agenda não divulgada

 

Pastor Everaldo (PSC)

Rio de Janeiro

14h – Reunião na sede do partido (centro)

 

Rui Costa Pimenta (PCO)

Agenda não divulgada

 

Zé Maria (PSTU)

Agenda não divulgada

 

Aécio Neves (PSDB)

Linhares (ES)

11h – Chegada ao aeroporto de Linhares
11h15 – Entrevista coletiva (Avenida Augusto Calmon, 1066)
11h30 – Início de caminhada (Avenida Augusto Calmon, 1066)
12h30 – Visita e conversa com funcionários da Fábrica Leão Alimentos (Fazenda Giuclube s/n – bairro Canivete)
13h30 – Visita e conversa com funcionários da Fábrica ACP Móveis (Avenida Moveleiros s/n – bairro Canivete)

 

Dilma Rousseff (PT)

Rio de Janeiro

19h – Participa de ato com artistas e intelectuais, denominado Cultura com Dilma, no Teatro Casa Grande, no Leblon

 

Eduardo Jorge (PV)

São Paulo

- Grava programas de TV e rádio

Jogo de cena

Publicado em 14/09/2014 - 9:37 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

Num possível depoimento do ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, na CPI Mista da Petrobras, a base governista vai usar de todos os meios para que “Paulinho” não diga nada comprometedor. Já corre na boca grande do Congresso, que o relator da CPI, o petista Marco Maia vai pedir que a sessão seja aberta. Neste caso o ex-diretor pode ficar calado para não comprometer a delação premiada. Fazendo coro ao relator o PGR, Rodrigo Janot, já se posicionou contra a ida de Paulo Roberto ao Congresso Nacional e deve solicitar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki que não libere o ex-diretor Paulo Roberto Costa para depor à CPI Mista da Petrobras.

(Blog do Mino)

Tags:

Pesquisa mostra Dilma com 48% e Marina com 34% no Maranhão

Publicado em 14/09/2014 - 9:34 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

Uma pesquisa eleitoral ao Planalto feita pelo instituto Data M mostra que a ex-senadora Marina Silva (PSB) será uma concorrente competitiva para a presidente Dilma Rousseff (PT) no Maranhão. No levamento finalizado hoje(10/09) Dilma lidera com 48% das intenções de votos no estado. Em seguida, aparece Marina, com 34%. O senador Aécio Neves (PSDB) está na terceira colocação, com 8%. Os demais presidenciáveis somam 1,8% da preferência local.

O Maranhão foi o estado que deu a maior vitória à Dilma no primeiro turno da eleição presidencial de 2010: 70% dos votos válidos. A pesquisa do Data M mostra que, se a eleição fosse hoje, Dilma perderia 22 pontos porcentuais, em relação ao último pleito. O resultado deixou a campanha petista apreensiva. Já a equipe de Marina abriu comemorações. No primeiro turno de 2010, Marina obteve 14% dos votos válidos. O levantamento atual a coloca 20 pontos porcentuais à frente do seu resultado na eleição passada. Entre os dias 5 e 8 de setembro, o Data M fez 1,5 mil entrevistas em todas as regiões do Maranhão. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral.

(Marcelo Sperandio)

Tags: , ,

A foto do dinheiro do PT do Piauí

Publicado em 14/09/2014 - 9:29 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

foto dinheiro sigi 1

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu ontem em Barreiras, na Bahia, o motorista José Martinho de Araújo, que transportava R$ 180 mil em notas de R$ 100. O dinheiro estava escondido embaixo do banco traseiro do carro.

Segundo a PRF, José Martinho de Araújo seguia de Brasília para o Piauí. Ele não explicou a origem da quantia em espécie. Só disse que é funcionário do Senado, onde trabalha para o senador Wellington Dias, candidato do PT ao governo do Piauí. O fotógrafo Jadiel Luiz, do blog do jornalista Sigi Vilares, sediado na cidade de Luís Eduardo Magalhães, registrou a apreensão.

Em sua página no Facebook, a assessoria do senador Wellington Dias divulgou uma nota dizendo que “não pertencem a Wellington nem o veículo nem a quantia apreendida”. Pesquisas de intenções de votos mostram que o senador Wellington Dias lidera com folga a corrida pelo governo piauiense, com chances de vencer a eleição no primeiro turno.

(Marcelo Sperandio e Felipe Patury)

Tags: ,

Marina promete criar políticas para fazer indústria voltar a crescer

Publicado em 14/09/2014 - 9:24 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

Marina-Silva

Candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva prometeu hoje (13) criar políticas para aumentar a competitividade da economia brasileira e fazer a indústria voltar a crescer. Segundo ela, somente essas políticas reverterão a queda na criação de emprego formal no país.

“A indústria precisa ganhar cada vez mais competitividade. É preciso ter os meios e os incentivos certos para que se tenha ambiente que favoreça seu desenvolvimento”, declarou a candidata em Sobral (CE), onde participou de ato público pela manhã.

Para Marina, além de incentivos setoriais, o país precisa de mudanças na política macroeconômica para reduzir juros e a inflação. Segundo ela, somente com a melhoria da expectativa em relação à economia os empresários investirão mais.

“[É importante] a redução da inflação e uma política de juros baixos. Com juros altos, ninguém vai investir num empreendimento que precise de maturação”, explicou a candidata.

Mesmo com a promessa de aumentar a austeridade fiscal no próximo governo, ela reiterou a proposta de antecipar a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) para educação.

“Já temos aprovada, no Congresso, a destinação de 10% do PIB para educação. O que vamos fazer é antecipar as metas de ensino de tempo integral em todo o país. Queremos que, nos quatro anos do nosso governo, o país inteiro tenha escola de tempo integral, o que melhora significativamente a qualidade de ensino”, acrescentou Marina.

Acompanhada do candidato a vice, Beto Albuquerque (PSB), ela lembrou o acidente aéreo que resultou na morte de Eduardo Campos, há exatamente um mês. Aproveitou a ocasião para homenagear o ex-governador pernambucano.

“Infelizmente foi preciso o Eduardo, por uma fatalidade, perder a vida para que todos os políticos e partidos reconhecessem seu valor. Acreditamos que é possível reconhecer que, em todos os partidos, em todos os lugares, existem pessoas de bem. A gente tem de fortalecer os de bem, para que aqueles com posição incorreta, de desrespeito aos interesses da população, possam ser inibidos”, disse Marina.

A candidata dedica este sábado ao Nordeste. Agora à tarde, participa de dois comícios na Paraíba: um em Campina Grande e outro em João Pessoa. À noite, faz mais um comício em Teresina, capital do Piauí.

(Agência Brasil)

Dilma pretende ampliar programa de combate à violência contra negros

Publicado em 14/09/2014 - 9:22 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

dilmabh

A candidata à reeleição Dilma Rousseff afirmou hoje (13) que pretende ampliar o programa de combate à violência contra jovens negros. Dilma reuniu-se neste sábado (13) com integrantes do Movimento Negro, em Nova Lima (MG).

Durante o encontro, a candidata afirmou que a promessa será cumprida por meio da ampliação do atual Programa Juventude Viva. Segundo Dilma, além da política pública, a construção de valores também fará parte da proposta.

“O Brasil precisa de valores, se não tivermos a cultura de valores criamos a cultura do confronto e da violência. Nesse caso em que a pessoa que falou um imenso preconceito contra o negro teve sua casa queimada, isso também não é correto. Isso é a perda de valores civilizatórios”, declarou a candidata.

Além da proteção aos jovens negros, Dilma voltou a defender a criminalizarão da homofobia e garantiu que vai continuar o combate à violência contra as mulheres. “Não se pode matar, praticar violência e dano físico ou agressão por conta da orientação sexual de uma pessoa”, disse.

Dilma também lembrou de outras ações afirmativas, como a Lei das Cotas nas universidades e a norma que reserva 20% das vagas em concursos públicos para candidatos negros. “Me orgulho muito da Lei de Cotas nas universidades, que garante que as universidades que eram eminentemente brancas tenham agora, progressivamente, a cor do Brasil, que é essa miscigenação que nós representamos e essa diversidade racial. Da mesma forma eu me orgulho também da lei que garantiu para o serviço público federal que 20% têm de começar a ser preenchido por população afrodescendente”, disse.

Segundo Dilma, a Lei dos Royalties, que destina parte dos ganhos para a educação, também vai trazer benefícios ao movimento negro. “Pois vocês fiquem sabendo que ela é estratégica, sim, porque ela vai mudar esse país nós próximos dez anos, porque foi o movimento social, o movimento dos negros, das mulheres, dos sindicatos, dos jovens, que construíram essa possibilidade fantástica que é transformar petróleo em educação”, concluiu.

(Agência Brasil)

Aécio Neves divulga lista de ações para promoção da igualdade racial

Publicado em 14/09/2014 - 9:21 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

aécio

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, assumiu hoje (13) o compromisso de promover a igualdade racial. Ele apresentou uma lista de 37 ações que serão incluídas no programa de governo para combater a discriminação e valorizar a igualdade étnica no país.

De acordo com Aécio, as ações estão divididas em quatro grupos: fortalecimento do combate ao racismo, promoção de políticas de igualdade racial, arranjos institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas de igualdade racial e participação política e controle social.

“Hoje, estamos lançando um conjunto de compromissos capazes de permitir maior inserção da juventude no mercado de trabalho e também um combate sem tréguas a qualquer tipo de discriminação ou racismo. Vamos garantir a aplicação da lei”, declarou o candidato tucano em Belo Horizonte. Ele estava acompanhado de Pimenta da Veiga, candidato ao governo de Minas Gerais, e de Antonio Anastasia, candidato ao Senado pelo estado.

Para Aécio, o alto índice de assassinatos de jovens negros nas periferias das grandes cidades representa um genocídio que precisa ser combatido com políticas específicas. “Ano passado, grande parte das 56 mil mortes por assassinatos no Brasil ocorreu por conta do tráfico de drogas. Dessas, 30 mil envolviam jovens negros. Temos de enfrentar isso com políticas de inclusão, como essas que estamos lançando hoje”, disse.

Entre as propostas, estão a regulamentação efetiva do Estatuto da Igualdade Racial em até 12 meses e a instituição de cotas de 50% de mulheres negras no Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial e de 50% de negros e de povos tradicionais nas candidaturas partidárias.

O candidato tucano prometeu criar lei que garanta a participação de afrodescendentes em pelo menos 50% das propagandas e campanhas publicitárias federais e estaduais. Ele se comprometeu a incluir ações específicas para etnias e raças nos programas sociais do governo.

Propôs, ainda, a criação do Fundo Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e o apoio à criação, em todo o país, de coordenadorias, ouvidorias e delegacias especializadas no combate ao racismo. O documento também sugere o tombamento, como patrimônio imaterial, das manifestações religiosas e das expressões culturais e folclóricas africanas.

(Agência Brasil)

Estudo aponta previsão de bancadas do Ceará

Publicado em 14/09/2014 - 9:18 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

Três partidos que não têm representação na bancada cearense da Câmara dos Deputados poderão eleger candidatos a deputados federais nessas eleições, de acordo com levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). O estudo tem como base informações específicas dos candidatos, como apoio financeiro, pertencimento a grupos políticos e influência, antecipando a tendência de composição da Casa.

Conforme a projeção do Diap, o DEM deverá eleger um candidato. Moroni Torgan, ex-deputado federal e candidato a prefeito de Fortaleza em 2012, é apontado como postulante mais competitivo da sigla. Já PHS e PRB poderão eleger até um deputado cada: Adail Carneiro (PHS) e Ronaldo Martins (PRB), ambos deputados estaduais.

O estudo aponta que o partido do governador Cid Gomes, o PROS, poderá ter novamente a maior bancada entre os deputados cearenses na Casa nestas eleições, podendo eleger de quatro a seis parlamentares. Na configuração atual, o PROS têm a maior bancada cearense da Casa, com cinco deputados. PT e PMDB vêm em seguida, com quatro representantes cada.

A associação pondera que o PT poderá perder um representante e o PMDB eleger mais um. A bancada petista, formada por Artur Bruno, Eudes Xavier, José Airton e José Guimarães, deverá diminuir para três ou dois deputados. Com a saída de Artur Bruno da disputa, já que ele concorre à vaga na Assembleia Legislativa, o estudo aponta a ex-prefeita Luizianne Lins como candidata competitiva, juntamente com os atuais deputados da legenda.

Suplentes

Segundo o levantamento, o PMDB deverá eleger de quatro a cinco parlamentares, sendo destacados os candidatos Paulo Lustosa e Zé Gerardo, ambos suplentes, como possíveis eleitos, assim como os atuais deputados Aníbal Gomes, Danilo Forte, Mário Feitoza e Mauro Benevides.

Além da reeleição dos representantes do PROS na Casa (Antonio Balhmann, Ariosto Holanda, Domingos Neto, Edson Silva e Vicente Arruda), o Diap avalia Leônidas Cristino, ex-ministro da Secretaria de Portos, como um dos mais competitivos.

Pela previsão, a bancada do PCdoB deverá eleger um ou dois deputados. Composta por Chico Lopes e João Ananias, caso a bancada permaneça do mesmo tamanho, Ananias, que não disputa a reeleição, deve ser substituído pelo senador Inácio Arruda.

Já o PP e o PSD são apontados como siglas que podem perder a representação na Casa. O atual representante progressista, José Linhares, é candidato a primeiro suplente de Mauro Filho ao Senado, enquanto o deputado federal Manoel Salviano (PSD) não se candidatou a nenhum cargo nessas eleições.

Eugênio Rabelo e Chagas Macedo, ambos do PP, são considerados competitivos. Almircy Pinto, presidente estadual do PSD, é indicado como postulante que poderá ser eleito pelo partido.

(Diário do Nordeste)

Aécio vai de Marina

Publicado em 14/09/2014 - 9:14 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

aécio

A despeito das críticas, o tucano Aécio Neves vai apoiar a candidatura de Marina Silva no segundo turno das eleições. Na sabatina de O GLOBO, ele primeiro lamentou que Marina não tenha apoiado José Serra, em 2010. Depois, deixou claro: “Todo líder político tem que ter posições, mesmo que não sejam as que ele gostaria”.

A sinalização é clara. Agora é saber para onde vão os demais cinco candidatos, a turma do 1%.

 

Tags: ,

Dilma e incertezas e o suspense no ar

Publicado em 14/09/2014 - 9:08 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

dilma66

As pesquisas do Datafolha e do Vox Populi divulgadas ontem mostram que a retumbante delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa ainda não teve efeito sobre a disputa eleitoral. Mesmo assim, no comando da campanha da presidente Dilma à reeleição, a palavra de ordem é precaução.

Um de seus integrantes comentou: “Até agora, aparentemente, nenhum. Mas é cedo”. Por isso, a campanha usou seu programa na TV anteontem para se posicionar sobre o escândalo.

Os petistas dizem que pesquisas qualitativas indicam que a fala da presidente Dilma teve repercussão positiva. Mas o clima ainda é de sobressalto.

 

Tags: ,

Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para o setor de energia

Publicado em 14/09/2014 - 9:05 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

As fontes de energia renováveis ganharam destaque especial entre as propostas de candidatos à Presidência da República no que se refere ao setor elétrico. Todos os presidenciáveis que incluíram propostas nessa área nos programas entregues à Justiça Eleitoral reconhecem a necessidade de aumentar a oferta em função do consumo crescente de energia, mas defendem que o país explore seus potenciais naturais para reduzir prejuízos ambientais e riscos de racionamento.

Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para o setor de energia:

Aécio Neves (PSDB) promete incentivar distribuidoras e geradoras elétricas para instalação de unidades de geração de energia a gás natural e cogeração e viabilizar novas fontes de financiamento para o investimento e expansão do sistema elétrico brasileiro. Ele promete estimular a economia de baixo carbono e reorientar a matriz energética, buscando diversificar as fontes de energia. Aécio defende a ampliação da participação da energia solar e da energia eólica na matriz e o estímulo para que todos os setores econômicos adotem programas de eficiência energética e conservação de energia. Na valorização da diversidade de fontes, o presidenciável ainda propõe que sejam consideradas as características regionais na redefinição da matriz energética e, para atrair novas empresas e investimentos, o candidato promete criar um ambiente regulatório seguro e equalizar regras de incentivos, subsídios e financiamentos públicos para as diversas fontes de energia.

Dilma Rousseff (PT) garante que vai dar continuidade ao processo de expansão do parque gerador e transmissor para garantir a segurança do suprimento e a modicidade tarifária. Segundo ela, é preciso manter a qualidade da matriz energética brasileira, baseada em hidroelétricas e termoelétricas, fontes renováveis limpas e de baixa emissão de carbono, complementada por fontes alternativas, como a eólica, a solar e a originária da biomassa. Dilma promete dar prioridade à ampliação e modernização do parque de transmissão de energia instalado e apresenta um balanço dos últimos dez anos apontando a retomada da construção de usinas hidrelétricas e de linhas de transmissão.

Eduardo Jorge (PV) alerta, em seu programa de governo, que a expansão do sistema de produção de energia elétrica está causando problemas ambientais e sociais crescentes com o deslocamento de empreendimentos para a Amazônia e o uso das termelétricas que deveria ter caráter emergencial. Eduardo Jorge reconhece que o consumo de energia tende a crescer, mas defende que o aumento da oferta siga padrões de eficiência para não comprometer recursos naturais ou aumentar emissões de gases de efeito estufa. Ele é favorável à substituição das fontes que emitem mais carbono por fontes renováveis, como a hidráulica, a eólica, a solar e a biomassa moderna, que “além de poluírem menos, têm seu fornecimento perene, aumentando a segurança energética e reduzindo a dependência de custos com as importações”.

Eymael (PSDC) quer priorizar a ação do governo federal em infraestrutura nacional, incluindo a geração de energia como uma das prioridades, ao lado da construção de estradas, ferrovias e do sistema portuário.

Levy Fidelix (PRTB) acredita que a capacidade de fornecimento de energia pode ser ampliada a partir do aproveitamento do potencial hídrico amazônico e a implantação de pelo menos dez novas usinas atômicas espalhadas pelo país. Fidelix também é favorável a avançar no aproveitamento de energias renováveis e defende o barateamento dessas fontes.

Luciana Genro (PSOL) destaca o setor energético como fator crítico da soberania e do desenvolvimento de qualquer país. A candidata ataca a política adotada pelos governos tucano e petista nesse setor afirmando que ambos transformaram um “sistema público, planejado e cooperativo, em um sistema privado, mercantil, concorrencial, caro, ineficiente e devastador do meio ambiente”.

Marina Silva (PSB) afirma que vai retomar o planejamento de médio e longo prazos e investir em fontes modernas, limpas e renováveis. A ambientalista afirma que é preciso aumentar a oferta para permitir o crescimento econômico e afastar constantes riscos de racionamento. Segundo ela, o Brasil é um dos únicos países do mundo que podem ter uma matriz elétrica otimizada segura e competitiva do ponto de vista socioambiental. Entre suas promessas de governo, Marina afirma que vai apliar a participação da eletricidade na matriz energética, aumentar a proporção de energias renováveis e reduzir o consumo absoluto de combustíveis fósseis. A candidata ainda garante que vai alinhar interesses de geradores, distribuidores e consumidores e criar mecanismos de expansão do mercado livre de energia. Marina Silva também pretende recuperar a produção de biocombustíveis e garantir que 1 milhão de hectares de concessões florestais tenham fins energéticos.

Mauro Iasi (PCB) se compromete a estatizar setores estrate gicos e a reverter as privatizações da área de energia, assim como propõe nos casos de comunicação, mineração, recursos naturais, transporte e logística de distribuição e produção.

Pastor Everaldo (PSC) quer revisar o modelo de partilha adotado para a exploração de petróleo no país, mas promete cumprir os contratos que estão vigorando. O candidato prefere desestatizar o setor e abrir mercado para produção e distribuição de energia, buscando variedade de matrizes para baratear o serviço. Everaldo destaca o potencial brasileiro em relação a fontes solar, hidrelétrica, eólica, nuclear e biomassa.

Zé Maria (PSTU) afirma que o setor de energia é estratégico para o desenvolvimento do país. Mas ressalta que nas mãos das grandes construtoras, empreiteiras e grupos internacionais, a preocupação não é garantir energia para o povo brasileiro, mas com seus lucros. Para o candidato, reestatizadas e sob o controle dos trabalhadores, essas empresas estariam a serviço dos interesses e da necessidade dos trabalhadores. Ele defende a reestatização completa do setor de energia elétrica, privatizado pelo governo de Fernando Henrique Cardoso, e mantido pelos governos do PT.

Rui Costa Pimenta (PCO) não apresentou proposta específica sobre o tema.

(Agência Brasil)

Perda de terreno: PT encolhe em São Paulo

Publicado em 14/09/2014 - 9:02 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

tiririca dep

A direção do PT paulista fez as contas, e sua bancada de deputados federais deve cair de 17 para cerca de 12. As performances da presidente Dilma e do candidato Alexandre Padilha não explicam tudo.

Nesta eleição, o PT não será inflado pelo comediante Tiririca, que fez 1,5 milhão de votos em 2010 e carregou dois do partido à Câmara.

 

Tags: , ,

Na passagem pelo Ceará Marina falou sobre o mensalão

Publicado em 14/09/2014 - 8:58 por | Comentar

Categorias: Eleições
  • Enviar para o Kindle

“Sou contra todos os mensalões. O mensalão começou lá atrás, na reeleição. Dois deputados do meu estado foram cassados”

Marina Silva

Candidata do PSB à Presidência da República

Tags: ,

A reeleição será mantida

Publicado em 14/09/2014 - 8:56 por | Comentar

Categorias: Política
  • Enviar para o Kindle

Os três principais candidatos ao Planalto não têm a intenção de revogar a lei da reeleição. A presidente Dilma sequer defende a proposta. Os candidatos Aécio Neves e Marina Silva proclamam que defendem, mas, na prática, não se comprometem com seu fim. Ambos dizem que a incluiriam no projeto de uma ampla reforma política. Eles conhecem o Congresso e já viram várias reformas fracassarem. Não há consenso político sobre o que fazer, necessário para construir uma maioria para aprovar uma ampla mudança.

No governo FHC, a reeleição e a cláusula de desempenho só foram aprovadas porque os dois projetos só tratavam desses assuntos.

 

Tags:

Página 2 de 2.08512345...102030...»

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999