Busca

Em tempos de crise, o exemplo de gestão pública vem de Solonópole

11:32 · 13.01.2018 / atualizado às 12:12 · 13.01.2018 por

Pensando em se adequar a queda dos repasses do Estado e da União e entendendo a atual conjuntura econômica e política do país, o município de Solonópole, localizado no Sertão Central do Estado, tem tomado medidas para otimizar os serviços da máquina pública a fim de evitar prejuízos e manter a qualidade de serviços básicos, especialmente na educação.

Só em 2017, o município teve uma queda de, aproximadamente, R$ 606 mil no complemento do FUNDEB se comparado ao ano de 2016. Além dessa queda, também houve reduções de recursos registradas no caixa geral do município, como o FPM, que chegou a uma redução de 3,36%, resultando R$ 410 mil a menos no orçamento.

Para trabalhar diante desse cenário, a gestão do prefeito Webston Pinheiro fez uma série de adequações que têm, surpreendentemente, resultado na melhoria dos índices educacionais. Desde 2015, por exemplo, o remanejamento de turmas da zona rural para a sede do município é uma alternativa para garantir a qualidade de ensino e diminuir salas de aula ociosas nessas comunidades.

A transferência é realizada seguindo orientações do Conselho Nacional de Educação e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação que orientam, ambos, uma média de 25 alunos por professor no Ensino Fundamental. Nas primeiras três unidades que passaram pela mudança, o cálculo não ultrapassava a marca de 10 alunos por profissional.

Neste ano, a Secretaria Municipal de Educação optou pelo remanejamento do Ensino Fundamental de mais uma unidade, no distrito de Cangati, onde a média é de 8 alunos.
De acordo com o prefeito Webston Pinheiro, apesar de ser uma mudança significativa na rotina dos estudantes, a medida tem um grande impacto no aspecto pedagógico, uma vez que os alunos e profissionais ganham melhor estrutura em salas de aula, laboratórios, bibliotecas, quadras poliesportivas e salas de Atendimento a Educação Especial (AEE). “Eles [os alunos] saem de unidades muito pequenas para outras que oportunizam melhores condições de aprendizagem, com variedade de espaços educacionais e de lazer. Sabemos que há um período de adequação, porque eles saem de salas com 8 alunos e ganham novos colegas. A sociabilidade também é uma importante ferramenta no aprendizado”.

As turmas de ensino fundamental que passam por adequação são alocadas em duas unidades na sede do município. O percurso dos estudantes é acompanhado por cuidadores e realizados em ônibus e microônibus escolares, como toda a rede de transporte educacional do município.

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *