Busca

Conselheiro Federal da OAB, Ricardo Bacelar comenta em texto a realidade da profissão

10:32 · 11.08.2018 / atualizado às 10:32 · 11.08.2018 por

Prezados colegas advogados e advogadas do Ceará,

Neste 11 de agosto, dia da advocacia, importa que todos reflitamos sobre os rumos da nossa profissão. A proletarização da nossa atividade é uma realidade que nos aflige. Com a abertura de inúmeros cursos de direito, hoje somos um milhão e cem mil advogados no Brasil. A histórica reserva intelectual da nobre profissão se transforma em uma esfera de aviltamento da força de trabalho. Os sistemas de inteligência artificial batem à nossa porta, pondo em risco muitos postos de trabalho. O ambiente de convivência institucional com a Magistratura e o Ministério Público tornou-se cada vez mais hostil e uma porção do Legislativo luta, há muito, pela extinção do exame da Ordem. Sofremos ataques cada vez mais constantes às nossas prerrogativas, estes mesmos ataques que se consumarão em criminalização, mediante o projeto de lei que será votado na Câmara dos Deputados. O “fake news” e seus exércitos de caluniadores nas redes sociais são instrumentos de distorção das realidades e de disseminação do messianismo ideológico que serve a quem quer apossar-se do poder ou nele permanecer, em um cenário institucional confuso e instável. A crise econômica que assolou o país prejudicou milhares de colegas, afastando-os de seus afazeres, forçando-os a fechar seus escritórios e exterminando parcerias de trabalho. A máquina judiciária, combalida, dificulta cada vez mais a nossa atividade, em um organismo ineficiente, lento e congestionado. A interlocução da Ordem torna-se cada vez mais difícil em um ambiente de polarização política e de oportunismo eleitoral. Não podemos admitir tamanha omissão ante às inúmeras pautas da advocacia e da sociedade. Nossa tradição de guerreiros e guerreiras que nunca desistem ante às dificuldades merece ser relembrada. Venho ressaltar nossa essência e escolha em abraçar a advocacia. Escolhemos essa profissão por termos incorporado a chama da justiça. Ergamos nossos ombros e olhemos para frente, mostrando ao Brasil que a advocacia resiste e é altiva. O tempo passa, governos mudam, a tecnologia impacta as relações, e a jurisdição torna-se refém de sistemas e decisões em série, que não contemplam o caso concreto. Mas nós sempre estaremos na porta da sala de audiência, presencial ou virtual, acreditando em nossas convicções e lutando. Porque a luta faz parte da nossa natureza! É nós continuaremos seguindo em frente. Devemos buscar uma postura independente de partidos políticos e de interesses de poucos. OAB não combina com política partidária. Agradar ao poder de plantão não faz parte da boa cartilha. Devemos ter esperança e seguir defendendo o que é certo e justo. Mesmo diante de tantos percalços, tenho muitos motivos para comemorar o dia dos advogados e das advogadas. Não perco a fé na qualidade do nosso espírito de combate. Nós somos a única profissão alcançada pela Constituição Federal. Temos que zelar, com rigor, por nossas prerrogativas. Pela importância de nossa função, somos imunes e invioláveis quando defendemos nossos constituintes. Imunidade e inviolabilidade também fazem parte de nossas missões na Terra: defender o direito, os ideais democráticos, a justiça social e o bem comum. Esperança produz força. Força produz iniciativa. Iniciativa gera resultados. Parabéns a todos os colegas advogados e advogadas pelo seu dia. Um abraço fraterno em cada um(a). 

Ricardo Bacelar
Conselheiro Federal pelo Ceará

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *