Busca

De repente, a Copa ficou pobre?

07:47 · 13.07.2018 / atualizado às 10:55 · 13.07.2018 por
Wilton Bezerra
Comentarista esportivo da TV Diário e Rádio Verdes Mares

 

Articulista de um jornalão, incomodado com a derrota da Inglaterra para a Croácia, dispara contra o nível da competição.

Afirma, também, que o time da Croácia, finalista da Copa, tem apenas bons jogadores, além de ser a equipe mais violenta do torneio, com mais de 14 cartões recebidos.

Em primeiro lugar, achamos que a Copa da Rússia, ofereceu jogos emocionantes e de bom nível.

Quanto ao olhar sobre a Croácia, observa-se, facilmente, um viés preconceituoso do articulista.

Se existe uma coisa terrível é o preconceito. O cérebro nega, o que os olhos vêm.

A queda dos inventores do futebol, logo para a Croácia, é que deve ter produzido urticária no jornalista.

Vamos escolher as armas e partir para as considerações.

A gigante Inglaterra, tem um time bom e rápido, que dá preferência às jogadas com passes longos. Possui o artilheiro da Copa, Kane, e quem mais? Falo de jogadores extra-classe.

A Croácia exibe um artilheiro consagrado na Europa, Mandzukic, e dois craques fora de série – Modric e Rakitic. E coloquem logo abaixo, os nomes de Perisic, Kubasic, Rebic e Strinic.

E mais: é uma equipe solidária e que joga com alma. Por isso e ao tirar forças das suas entranhas, exagerou nas divididas. Daí, o número de cartões recebidos.

Tirou do caminho Nigéria, Islândia (colocou reservas no jogo), Argentina (3 X 0 no tempo normal), Dinamarca e Rússia.

Que tal? São mostradas como defeitos de campanha as decisões através de penalidades.

Mas, e o sacrifício das prorrogações ?

Assim, vai decidir o título com mais um adversário: o desgaste físico de três tempos extras de jogo.

Vamos comparar a Croácia com outras seleções. Com a tradicional Inglaterra é que não dá, nobre articulista.

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *