Busca

Especial sobre vacinação

08:26 · 14.07.2018 / atualizado às 08:26 · 14.07.2018 por

LOC ALINE: Olá, ouvintes do Boletim da Saúde. Bem vindos a mais nova edição do nosso programa! Eu sou Aline do Valle e a partir de agora tem início o nosso programa semanal de notícias sobre saúde! Por isso, convido todos a acompanharem as informações que são destaque na saúde pública e que podem melhorar a sua qualidade de vida! E para isso eu estou aqui no estúdio com meu colega Janary Damacena que vai nos apresentar esses destaques! Fala pra gente Janary, o que temos de notícias hoje.

LOC JANARY: Olá Aline e ouvintes. O Boletim da Saúde desta semana será um especial em que abordaremos o tema da vacinação, principalmente a para crianças. Temos três importantes vacinas em um momento de combate a doenças perigosas. Abordaremos a questão da poliomielite, que não tem tratamento específico. Além disso, vamos tratar do sarampo que é uma doença infecciosa e extremamente contagiosa, que pode até mesmo levar à morte. E, por fim, vamos falar sobre a vacinação contra a gripe, que apesar da campanha ter acabado a vacina ainda é ofertada por conta da baixa procura. E para falar um pouco mais sobre este assunto, quem vai nos trazer os detalhes é a repórter Erika Braz. Fala pra gente, sobre a vacinação contra a gripe Erika.

LOC ERIKA: Olha Janary, mais de seis milhões de pessoas que precisam tomar a vacina contra a gripe, deixaram de se proteger contra a doença este ano. A campanha de vacinação contra a gripe acabou e não conseguiu alcançar a meta de pelo menos 90% da população alvo. E um dado preocupante é o de que gestantes e crianças foram os que menos compareceram às salas de vacinação, com cobertura de 76% e 73%, respectivamente. Apesar disso, a vacina continua sendo ofertada nos postos de saúde, mas é importante ressaltar que quanto mais rápido a pessoa for vacinada, mais rápido ficará protegida da doença, uma vez que existe um tempo entre receber a vacina e ficar livre da gripe, como explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

“Quando eu recebo a vacina, eu demoro em torno de dois a três dias, e é nesse momento em que eu posso ter a febre, a dor local, um pouco de mal estar, que é quando o organismo está iniciando a produção de anticorpos. E por isso que dá essas reações. Mas mesmo assim, não é a partir do terceiro dia que eu estou protegido, porque o organismo ainda vai demorar mais alguns dias para completar a proteção e criar os anticorpos necessários para a proteção contra a doença. E esse período vai variar entre 10 a 15 dias”.

LOC ERIKA: Fique atento, pois agora no inverno aumentam os casos de transmissão da gripe, que ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, de uma pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar.

LOC JANARY: Muito obrigado pelas informações Erika. E vale ressaltar que os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, podendo ocorrer também, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Na forma grave, a gripe causa falta de ar, febre por mais de três dias, dor muscular intensa e prostração.

LOC ALINE: É sempre importante saber dessas informações hein Janary! Mas vamos continuar com nosso giro de notícias para falar de poliomielite, que é uma doença causada por um vírus e pode ser bastante perigosa para crianças. Mas o baixo número de crianças menores de cinco anos vacinadas contra poliomielite está preocupante. Em 312 municípios do País, menos de 50% delas foram levadas aos postos de vacina. O repórter Carlos Américo, que está aqui no estúdio com a gente, vai nos falar mais sobre a importância de vacinar as crianças contra essa doença. Diga lá Carlos.

LOC CARLOS: Pois é Aline, essa é uma situação alarmante porque a poliomielite é uma doença já erradicada no Brasil, mas que pode voltar a circular devido o pouco número de pessoas protegidas. Por isso é importante manter as crianças vacinadas, como explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

“Nós precisamos ter clareza que a única forma de prevenção é através de levar o seu filho para receber as vacinas nos postos de saúde. Hoje nós temos 14 vacinas no calendário Nacional de vacinação que protegem contra 19 doenças. E nós podemos evitar que essas doenças se propaguem na população e tragam um problema sério da saúde para o seu filho, bastando manter a caderneta de vacinação do seu filho atualizada”.

LOC CARLOS: Quem já sabe como funciona a proteção das vacinas e por que é importante levar as crianças ao posto de saúde para se proteger contra diversas doenças é o Ricardo Barbosa, pai da pequena Isabella de quatro meses.

“Quando você vê que poderia ter aumentado as chances de proteção de uma pessoa por conta de uma vacina, e você não o fez, às vezes até por falta de informação, é triste. E poxa, é minha filha né!? Então a primeira coisa que com o que eu me preocupo é com a maior proteção possível, com toda segurança que tem. Então uma vez que você se informa, você se sente mais seguro, você parece que sente preparado para o que vai vir, tanto das reações, quanto ao benefício para a proteção dela. Então tem para mim está muito claro, uma vez que você se informa, o porquê de vacinar”.

LOC CARLOS: Na maior parte das vezes, a poliomielite apresenta sintomas como febre, vômitos, prisão de ventre e dor de garganta. Mas cerca de um por cento das crianças acometidas pela doença podem desenvolver a forma mais grave, chamada paralisia infantil. Essas crianças acabam desenvolvendo sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, podem até morrer.

LOC ALINE: Obrigado pelas informações Carlos. E você aí caro ouvinte, já entendeu né? Fique atento! Confira a caderneta de vacinação do seu filho. A vacina contra a poliomielite, por exemplo, está disponível gratuitamente durante todo ano nas unidades de saúde.

LOC JANARY: Então chegou a hora de passarmos para a última notícia do nosso programa desta semana: o sarampo! Essa é uma doença infecciosa e extremamente contagiosa, que pode até mesmo levar à morte. E, por isso, a nossa repórter Amanda Mendes vai nos trazer os detalhes dessa doença e a importância da vacinação. Conta pra gente Amanda.

LOC AMANDA: Então Janary, a forma de evitar o sarampo é a vacinação, já que não existe um tratamento específico contra a doença. Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo, um em Roraima, onde há 200 casos da doença, e outro no Amazonas, que já contabiliza 265. Além disso, o Rio de Janeiro tem dois casos confirmados e 18 em investigação. Outros casos isolados foram identificados nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Rondônia, mas são pessoas que vieram de outros países ou de estados onde o sarampo foi confirmado. Por isso é importante realizar a vacinação, como explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

“É uma doença grave. Nós não podemos relaxar e achar que essa doença pode voltar a acontecer no nosso país. Graças às ações de imunização Nós deixamos de ter casos no território nacional, por isso a necessidade de termos elevadas coberturas vacinais. Todas as crianças devem ser vacinadas porque dessa forma é que nós estaremos protegendo a nossa população”.

LOC AMANDA: O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose aos 12 meses – chamada tríplice viral; e outra aos 15 meses de idade – a tetra viral. A Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo está prevista para ser realizada entre 6 e 31 de agosto, sendo o dia D no sábado, 18 de agosto. Os detalhes serão divulgados mais próximo à data do lançamento da campanha.

LOC JANARY: Muito obrigado pela participação Amanda. E com essa notícia nós chegamos ao fim do programa desta semana. Obrigado pela companhia Aline, e também a você que nos acompanhou em mais esta edição do Boletim da Saúde. Uma ótima semana para todos e até o programa que vem.

LOC ALINE: E para continuar acompanhando essas e outras notícias do Ministério da Saúde basta acessar o portal saúde.gov.br e as nossas redes sociais: facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude. Uma ótima semana para todos e até o próximo programa Janary!

ENCERRAMENTO: Boletim do Ministério da Saúde. Apresentação Aline do Valle e Janary Damacena. Reportagem Erika Braz, Carlos Américo e Amanda Mendes. Trabalhos técnicos de Fabrício Lázaro e Ricardo Xavier. Realização Ministério da Saúde.

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *