Busca

Tag: Tasso Jereissati


17:33 · 24.05.2017 / atualizado às 17:33 · 24.05.2017 por
20:09 · 23.05.2017 / atualizado às 20:09 · 23.05.2017 por
06:40 · 02.05.2017 / atualizado às 06:40 · 02.05.2017 por

O senador Tasso Jereissati está no centro do jogo político e das articulações para ser um nome em 2018. O senador cearense tem seu nome lembrado para uma disputa na chapa presidencial tucana e, também, para disputar o governo do Ceará puxando votos para a candidatura da presidência.

Tasso seria um nome de consenso numa chapa no Ceará, diz o deputado Genecias Noronha(SD) que tenta viabilizar seu nome para uma disputa ao Senado.

14:27 · 19.04.2017 / atualizado às 14:27 · 19.04.2017 por
07:56 · 07.04.2017 / atualizado às 07:56 · 07.04.2017 por

A comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou, nesta quinta-feira (06), relatório do Senador Tasso Jereissati sobre a nova Lei de Migração, que revoga o antigo “Estatuto do Imigrante”. Para Tasso, historicamente, o tema da situação jurídica do estrangeiro foi tratada de forma distorcida, propiciando situações como o trabalho escravo e a discriminação, olhando o estrangeiro migrante com suspeita ou como uma ameaça.

A nova Lei de Migração muda este conceito, consagrando o migrante como sujeito de direitos e de garantias.

Tasso corrigiu o que considerava um equívoco no texto vindo da Câmara dos Deputados, que seria o entendimento de que a lei deveria levar em consideração a “proteção ao mercado de trabalho” para nacionais. Segundo o Senador cearense, “o mercado de trabalho não deve ser fechado e a migração é um fator de seu desenvolvimento, ao contrário do protecionismo.”

O projeto trata de todos os aspectos da migração, desde a modernização da política de visto, como a facilitação de concessão de vistos para realização de negócios, turismo, atividades artísticas ou desportivas, para trabalhar, estudar, investir, até condições e circunstancias que autorizam a repatriação, a deportação e a expulsão de estrangeiros.

EXECUÇÃO DE PENA

Há um capítulo exclusivo tratando da execução de pena e transferência de presos, que já está prevista em tratados internacionais firmados pelo Brasil. Seguindo a linha da descriminalização de determinadas condutas, transformando-as em infrações administrativas, a nova lei traz apenas um artigo tratando de crime, relacionado aos chamados “coiotes”, que promovem entrada ilegal de imigrantes com fim de obter vantagem econômica.

A respeito de uma controvérsia surgida, Tasso insistiu em esclarecer que o atual Conselho Nacional de Imigração não será extinto pela nova lei: “O atual Conselho Nacional de Imigração em nada é afetado pela nova lei, cabendo apenas ao Presidente da República decidir sobre a organização da administração pública”.

Ao final, Tasso ressaltou que o Projeto honra as nossas tradições brasileiras de integração e acolhimento de outros povos e raças: “Especialmente nesta quadra histórica, em que fronteiras e muros são levantados, o Brasil dá um exemplo ao mundo, se recusa a caminhar para trás, avançando nos processos de globalização econômica, fundado nos princípios da soberania nacional e da dignidade humana”. A matéria segue, em regime de urgência, para votação no Plenário do Senado.

12:03 · 05.04.2017 / atualizado às 12:03 · 05.04.2017 por

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, afirmou na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), nesta terça-feira (4), que a economia passa por um momento de estabilização e que “há sinais de que o pior pode ter ficado para trás”. Para ele, “a  evidência sugere uma retomada gradual da atividade econômica ao longo de 2017 e um crescimento mais vigoroso em 2018”.

Pouco antes, o presidente do BC disse que os dados mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que em fevereiro a economia brasileira gerou 36 mil postos de trabalho formais. Esse foi o primeiro resultado positivo após uma sequência de 22 meses, desde março de 2015, de queda no emprego.

Durante a audiência, presidida pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), os senadores Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Kátia Abreu (PMDB-TO) cobraram a redução das taxas de juros dos empréstimos dos Fundos Constitucionais do Norte (FNO), Nordeste (FNE) e Centro-Oeste (FCO). Goldfajn respondeu que a Resolução 4561/2017, que define os encargos financeiros desses fundos, reduziu as taxas em 0,5 ponto percentual.

Concentração

Após observar que apenas quatro bancos concentram 80% dos ativos bancários no país, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) cobrou a redução de barreiras para a entrada de instituições financeiras estrangeiras no país. Goldfajn defendeu o fim da exigência de um decreto presidencial para a operação de banco estrangeiro no Brasil e previu que a própria recuperação da economia estimulará a vinda de instituições de outros países.

Ricardo Ferraço (PSDB-ES) perguntou sobre as medidas tomadas pelo BC para a queda das taxas de juros, que classificou como “imorais e indecentes”. Goldfajn notou que a redução do custo do crédito é um dos pilares da agenda de trabalho “BC+”, anunciada em dezembro do ano passado.

Vulnerabilidade

Apesar dessas incertezas sobre o cenário externo, Goldfajn disse que não pode ser descartada a possibilidade de um cenário global “mais benigno para o crescimento”, com elevação dos preços das commodities, o que beneficiaria alguns países emergentes, inclusive o Brasil.

— A atual política econômica doméstica mudou de direção, embarcando numa agenda de reformas e ajustes que busca fortalecer os fundamentos da economia, colocando a dinâmica das contas públicas em ordem, reduzindo a inflação e ancorando as expectativas.

Para o presidente do BC, vários indicadores de confiança têm-se elevado, e a percepção de risco da economia brasileira tem diminuído. Ele notou que a inflação brasileira caiu de 10,7% em dezembro de 2015 para 4,8% em fevereiro de 2017.

13:50 · 03.02.2017 / atualizado às 13:50 · 03.02.2017 por


Os tucanos do Ceará não escondem o desejo de ver Tasso Jereissati disputando o governo pela quarta vez. Mas o próprio Tasso desestimula, afirmando que não pretende mais entrar em disputa pelo governo.

Para o PSDB seria uma oportunidade de voltar ao governo caso montasse uma chapa competitiva. Não se sabe se essa tese vai adiante. O presidente do PR, Roberto Pessoa é um dos líderes que estimula uma chapa com Tasso ou Eunício na cabeça.

11:29 · 11.01.2017 / atualizado às 11:29 · 11.01.2017 por

Tasso Jereissati

O senador Tasso Jereissati é uma das melhores mentes do Ceará. Quem conversa com o senador tucano sempre escuta sua frase: “Precisamos renovar a política, conquistar novos quadros, trazer a juventude para o debate”.

A ida de Maia Júnior para o governo Camilo recebeu o seguinte comentário do influente senador tucano: “É uma decisão pessoal, o parabenizei”. Mais nada. Tasso aproveitou para dizer que o PSDB continua na oposição ao PT no Ceará. “Oposição construtiva”, disse Tasso.

06:57 · 11.01.2017 / atualizado às 06:57 · 11.01.2017 por

IMG_4324

Não se pode afirmar que Camilo Santana e Tasso Jereissati estão juntos, nem mesmo especular uma aproximação política. Os dois não conversam sobre política, nem afinidade existe. Tasso, como os demais senadores sinalizam sempre a busca de recursos e aprovação de projetos do Ceará no governo federal.

Camilo está 100% dentro do projeto dos irmãos Ferreira Gomes e vai seguir assim. A ida ou não do empresário Maia Junior para o governo Camilo pode ser atribuída como manobra para ampliar o grupo, jamais para dividir ou se especular sobre afastamentos. A leitura política é de um petista que está dentro do governo.

07:05 · 11.12.2016 / atualizado às 07:05 · 11.12.2016 por

tasso-jereissati

Quem se aproxima do carismático ex-governador e atual senador Tasso Jereissati, se apaixona pelas suas teses.

Tasso diz: Precisamos renovar os políticos. A juventude precisa entrar na política. Ela é o futuro, sem vícios, ética e próxima das coisas boas.

Três vezes governador do Ceará, Tasso Jereissati tem ainda uma colocação clara sobre o Nordeste: É preciso definir um projeto para o Nordeste sobre questão hídrica, temos que integrar todos. Separados não se constrói a saída. Tasso fez o primeiro projeto de transferências de bacias. Hoje, o Ceará mesmo com seus anos de seca tem água para abastecimento humano, Animal e para a indústria.