Rock Nordeste

Categoria: Eventos


08:48 · 09.10.2013 / atualizado às 11:34 · 09.10.2013 por

Muitos fãs fortalezenses mal puderam acreditar quando, no dia 20 novembro de 2012, o cancelamento da apresentação da banda norte-americana Black Label Society – liderada pelo guitarrista Zakk Wylde, músico que acompanhou o vocalista Ozzy Osbourne por 23 anos – foi anunciado pela Top Link, representante do grupo em solo brasileiro. O cancelamento, que aconteceu apenas 3 dias antes do show, provocou uma indefinição que continua até hoje: a devolução dos valores referentes aos 951 ingressos – comercializados nos pontos de vendas e na Internet -, que custavam entre R$ 80 e R$ 100.

Fãs fortalezenses comemorando a vinda da banda às vésperas do cancelamento. FOTO: Divulgação/Panela Rock
Fãs fortalezenses comemorando a vinda da banda às vésperas do cancelamento. FOTO: Divulgação/Panela Rock

>Produtora atrasa devolução de ingressos de show cancelado em Fortaleza

Totalizando o valor de R$ 84,1 mil na arrecadação da bilheteria, o processo de reembolso chegou a ser anunciado por duas vezes pela Panela Rock, co-produtora local responsável pela organização e venda das entradas para a apresentação. O primeiro anúncio foi feito logo após cancelamento, quando a Panela afirmou que a devolução aconteceria a partir do dia 3 de dezembro de 2012. Com a não concretização do processo, um novo prazo foi dado pela produtora local em janeiro de 2013, dessa vez indefinido: “antes do Carnaval”. O feriado passou e nada.

Segundo a assessoria da Panela Rock, os dois prazos foram estipulados pela produtora Awake Media, co-produtora nacional que detinha os direitos da realização do evento em Fortaleza e que, segundo a Panela, está com os valores arrecadados da venda de ingressos. No dia 5 de agosto deste ano, a Panela entrou com uma ação de Indenização Danos Materiais e Morais na 1ª Vara Cível contra a Awake Media.

Segundo a ação, todos os valores referentes à venda de ingressos foram repassados à Awake Media em 17 depósitos realizados diretamente na conta de Roger Vivekananda, proprietário da produtora beneficiada, entre os dias 14 de agosto e 16 de novembro de 2012. Além da venda de ingressos, a ação ainda detalha o prejuízo da Panela Rock, que chega a mais de R$ 32 mil, com a não realização do evento. Esse montante é, de acordo com a produtora, referente a investimentos feito com recursos da própria empresa no evento e outros gastos na organização da apresentação. Na ação, a produtora ainda pede a intervenção do Ministério Público no caso.

Após o cancelamento do show, diversos fãs se reuniram em um grupo no Facebook para compartilhar informações sobre o caso. Apesar de contar com 418 membros, apenas 10 reclamações formais foram realizadas, de novembro de 2012 até outubro de 2013, no Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon/CE) – 5 delas contra a Panela Rock, 4 contra a Awake Media e 1 contra a Vivekananda Produções. Nenhuma reclamação foi registrada pelo órgão a nível municipal (Procon) contra as produtoras envolvidas na organização do evento no mesmo período.

Produtora afirma que credibilidade foi afetada

Afirmando estar com a credibilidade afetada e que não voltará a participar da organização de eventos do porte como o que seria realizado com a banda Black Label Society, a Panela Rock afirma que também ficou surpresa com o cancelamento do show em Fortaleza. “A Top link sempre lidou diretamente com a Awake e esta sempre nos garantiu que tudo corria bem. Todos os ingressos foram repassados à Awake media. A Top Link nunca entrou em contato conosco, obviamente, pois nossa função era meramente local”, disseram os organizadores através de nota, ressaltando que a Panela não assinou nenhum contrato com a Top Link.

Atual formação da banda Black Label Society, liderada pelo guitarrista Zakk Wylde. FOTO: Divulgação.
Atual formação da banda Black Label Society, liderada pelo guitarrista Zakk Wylde. FOTO: Divulgação.

Procurado pelo Blog Rock Nordeste, o empresário Paulo Baron, proprietário da Top Link, afirmou por e-mail que “o promotor não cumpriu com requerimentos necessários para que o show ocorra corretamente”, destacando que houve 3 notificações à Awake Media antes da rescisão do contrato. As datas das notificações não foram informadas. Segundo o empresário, os requerimentos não atendidos foram: número de seguranças para público e para banda, backline básico a ser cumprido, passagens de avião e o transporte de 3,5 toneladas de carga que a banda estaria levando. “Nenhuma informação de produção nos foi passada e sempre quando tentávamos contato não tínhamos resposta”, afirma Paulo Baron. Ainda segundo o empresário, o cancelamento do show foi uma decisão tomada pela própria banda Black Label Society. A entrevista completa com Paulo Baron você pode conferir no link.

A Panela Rock rebate a afirmação da Top Link sobre o não cumprimento dos requerimentos necessários para a realização do evento. “Todas as demandas de trabalho que a Awake Media nos passou durante a produção do show foram cumpridas normalmente”, disse a produtora em nota. “Tudo o que está ao alcance do Panela Rock está sendo feito para que esta situação seja esclarecida uma vez por todas”, completa.

Problemas na transferência do equipamento da banda não motivaram cancelamento, diz empresário

Questionado se problemas com a transferência do equipamento da banda Black Label Society entre a Argentina – que recebeu o show no dia 16 de novembro – e o Brasil teriam influenciado na decisão de cancelar o show de Fortaleza para “salvar” o show de Porto Alegre – programado para acontecer no dia 20 de novembro e depois adiado para o dia 23, data que aconteceria a apresentação na Capital-, Paulo Baron nega a ligação entre os dois eventos. “O assunto de Porto Alegre não tem, em absoluto, nada a ver com Fortaleza”, assevera.

A Top Link ressalta que não recebeu nenhum valor referente à venda de ingressos e que o único dinheiro repassado à empresa, necessário para reserva da data para apresentação da banda, “sequer foi suficiente para cobrir as despesas com cachê da banda”.

Também procurado pelo Blog Rock Nordeste, a Awake Media, representada na figura de Roger Vivekananda, se recusou a dar qualquer tipo de esclarecimento sobre o caso via e-mail ou telefone. O empresário, que reside em Curitiba (PR), afirmou que só responderia qualquer pergunta sobre o assunto pessoalmente.

Antes da investida com a banda Black Label Society, a Awake Media participou diretamente da realização de grandes shows internacionais em Fortaleza, como dos grupos Motörhead, Helloween, Gamma Ray e Saxon.

14:23 · 08.10.2013 / atualizado às 14:56 · 08.10.2013 por
Macca passou por três cidades brasileiras neste ano. Foto: Waleska Santiago
Macca passou por três cidades brasileiras neste ano. Foto: Waleska Santiago

O show do ex-Beatle Paul McCartney em Fortaleza, em 9 de maio deste ano, é, até o início de outubro, o 12° que mais arrecadou no mundo em 2013, conforme a lista Billboard Boxscore. No total, as apresentações do cantor aparecem 9 vezes na lista, que é atualizada semanalmente.

Com arrecadação de 5,4 milhões de dólares, Fortaleza foi a segunda cidade brasileira a receber a turnê “Out There!“. Paul também passou por Belo Horizonte e Goiânia , cidades que figuram na 9ª e 30ª colocação, respectivamente, da lista. 

Com entradas variando entre R$ 90 e R$ 600, o público total na Arena Castelão foi de 48.668, preenchendo o número de ingressos vendidos para o evento, em Fortaleza. Apesar do alto rendimento, o show poderia ter sido ainda mais rentável. Isso porque pelo menos 7 mil bilhetes foram vendidos em um site de compra coletiva, com desconto equivalente a R$ 95.

Além dos shows de Macca no Brasil, outra apresentação no País figura na lista. Em 11°, estão Bon Jovi e Nickelback, no dia 22 de setembro, no estádio do Morumbi, em São Paulo.

Macca encanta público expressões cearenses

procura para o show do britânico foi muito grande em abril. Em apenas meia hora, os ingressos para frontstage e cadeiras superiores foram esgotados, na pré-venda.

Com muita irreverência, Paul usou expressões cearenses como “eita mah” e “botar boneco” durante o show e encantou a cidade com show de quase três horas e um setlist de 36 músicas. Uma imagem mostra como o cantor “driblou” o idioma e falou o “cearencês”.

> Confira os 3 shows que mais arrecadaram e outros shows de Paul pelo mundo

shows-rentáveis

Arte: Felipe Belarmino

Turnê passa por 7 países

A turnê é composta por 31 shows e já passou pelo Canadá, Estados Unidos, Áustria, Itália e Polônia. No próximo sábado (12), Macca começa uma sequência de 5 apresentações no Japão. Nos 9 shows elencados na revista semanal norte-americana Billboard, especializada em indústria musical, foram arrecadados 38 milhões de dólares.

Clique aqui para ver a lista completa.

> Confira galeria de imagens da passagem do Sir em Fortaleza

 

 

11:54 · 07.10.2013 / atualizado às 11:54 · 07.10.2013 por

BlackSabbath200512

Que gafe, Morcegão! É isso mesmo, o vocalista do Black Sabbath cometeu sua maior gafe em terras sul-americanas ao balançar a bandeira do Brasil em um show em La Plata, na Argentina. Tava indo tudo bem, tava indo tudo legal, no domingo, com 40 mil pessoas delirando com os principais clássicos da banda, como “War Pigs”, “Snowblind” e “N.I.B.”, até que no finzinho do show, o cara pegou da plateia uma bandeira do País vizinho e mostrou para o público.

Era o que bastava para Ozzy ser vaiado em alto e  bom som por quase todos ali presentes. “O único momento em que houve vaias foi quando, em ‘Dirty women’, Ozzy apareceu envolto em uma bandeira brasileira. Se vê que, como a turnê segue para o Brasil, o homem se confundiu. Mas tudo bem: depois de um show, tudo é perdoável”, ironizou o jornal argentino Clárin.

Dias 09, 11 e 13, o Black Sabbath toca em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro.

com O GLOBO e Clárin

10:02 · 07.10.2013 / atualizado às 08:50 · 17.10.2013 por

beatles e queen

Atyalizado às 8h50 d0 dia 17 de outubro 

Parece mentira, mas é quase verdade.  No dia 19 de outubro, os fãs de dois dos maiores ícones do Rock n’ Roll mundial poderão curtir somente as selecionadas de The Beatles e Queen em um show histórico das bandas cover, Rubber Soul e Killer Queen.

Considerados os melhores grupos de cover dessas bandas no Ceará, a dobradinha do Rubber e da Killer acontecerá no dia 19 de outubro, no Clube Náutico Atlético Cearense, a partir das 21 horas.  Quem vai perder essa?

O quê?

Show Cover com Rubber Soul e Killer Queen

Onde?

Clube Náutico Atlético Cearense

Quando?

Dia 19 de outubro, a partir das 21hs

Quanto?

R$ 10 para associados e R$ 20 para não associados

 

 

14:11 · 15.09.2013 / atualizado às 08:00 · 16.09.2013 por
Hoto: Fernando Schlaepfer - I Hate Flash
Hoto: Fernando Schlaepfer – I Hate Flash

Atualizado no dia 16/09, às 07h31

Para uma banda com apenas três integrantes, o Muse tem uma admirável capacidade de ocupar grandes espaços valendo-se de uma parafernália sonora e visual. Foi isso que os britânicos mostraram na madrugada deste domingo (15), no palco Mundo, encerrando o segundo dia de Rock in Rio.

>Confira galeria de imagens do 2º dia de Rock in Rio

Voltando ao país dois anos após abrir os shows do U2 por aqui, dessa vez o trio se concentrou no repertório de seu sexto disco, “The 2nd Law” (2012), que teve seis faixas executadas – e, pela recepção do público, já bem conhecidas. A primeira delas foi justamente a de abertura do show, “Supremacy”, com sua bateria marcial e guitarra marcante.

O que o Muse faz de melhor -um rock eletrônico dançante- ficou claro logo nas duas músicas seguintes, a ótima “Supermassive Black Hole” e a muito boa “Hysteria”; o título desta, aliás, descreve bem o efeito de ambas sobre os fãs.

Há espaço para variações na fórmula, como em Panic Station”, com sua levada funk comandada pelo baixo de Christopher Wolstenholme e pela bateria de Dominic Howard, e na acelerada “Stockholm Syndrome”, que ganhou ainda mais peso com a citação de “Freedom” (do Rage Against the Machine) ao final.

Há ainda os momentos “rock eletrônico de arena” -vide “Plug in Baby”, “Uprising” e “Starlight”-, com seus refrões grandiosos que puxam o coro do público. É verdade que, em algumas canções, o Muse parece cópia: do U2 (“Follow Me”), do Queen (“Madness”), do velho Radiohead (“Time Is Running Out’).

Mas escolher boas referências não é crime, e outra prova disso é a versão de “Feeling Good” (uma pérola na voz de Nina Simone), com o guitarrista e vocalista Matthew Bellamy ao piano e gastando seus falsetes (além de usar um megafone). O vocalista, a propósito, não faz feio com seu gogó (ainda que em muitas músicas se apóie em efeitos eletrônicos), o que fica mais evidente quando Wolstenholme, o baixista, se aventura nos vocais (em “Liquid State”).

Com camisa vermelha (depois trocada por uma camiseta preta), calça preta, o cabelo de quem tomou choque e um cavanhaque, Bellamy não estava particularmente falante, mas não parou quieto no palco, chegando a descer para o meio da plateia durante “Starlight”, já na parte final do show.

“Survival”, música oficial das Olimpíadas de Londres, foi a derradeira antes do bis. Sobre o piano que comanda a melodia na primeira parte da canção, Bellamy pôs uma bandeira do Brasil que havia sido jogada em sua cara por um fã, durante sua caminhada pela área do gargarejo. A essa altura, uma hora após o início, o movimento de parte do público rumo à saída já era notável. No bis, já era possível chegar próximo ao palco sem muita dificuldade, dado o esvaziamento da plateia.

Os fãs que ficaram puderam ver Wolstenholme solar na gaita na introdução de “Knights of Cydonia”, outra das canções do Muse para bradar a plenos pulmões. Na despedida, Bellamy usou o português para agradecer: “Obrigado, nós te amamos, Brasil.”

Assista ao show: 

YouTube Preview Image

Com informações da Folhapress

16:33 · 10.09.2013 / atualizado às 08:35 · 11.09.2013 por
Divulgação Cuca
Divulgação Cuca

As 18 bandas que participarão do II Festival Cuca Independente foram escolhidas após uma avaliação do trabalho autoral de 136 bandas inscritas.  A comissão avaliadora divulgou nesta terça-feira (11), os grupos selecionados.  A apresentação das bandas acontece nos dias 27, 28 e 29 de setembro, no Anfiteatro do CUCA Barra. Os grupos  são:

Anderson Camelo Trio
Capitão Eu e os Piratas Vingativos
Coldness
Estado Anestesia
Falácia
F-Zema
Glauco King & The West Wolves
Inflame
Lavage
Lost in Arizona
Lutherking
NEDS
Old Books Room
Passageiro Sombrio
So So
Soulzen
The Knickers
Verônica Decide Morrer

Os  representantes das bandas devem receber um email da produção para confirmar a participação no evento. Em caso de desistência ou impossibilidade, as bandas classificadas em sequência serão convocadas.

Cada dia de apresentação contará com seis bandas e cada banda terá 40 minutos de show. A programação com as bandas escolhidas será divulgada posteriormente na páginas do Rede CUCA e nas redes sociais.

08:13 · 01.08.2013 / atualizado às 11:21 · 01.08.2013 por

Acontece mais uma edição do Panelada Autoral, no Espaço Cultural Panela Rock Cunder, nesta sexta-feira (2). O evento semanalmente promove shows com bandas autorais da cidade e também da região metropolitana.

Nesta edição, as apresentações ficam a cargo das bandas Renegados, Sátiros e Mary Virgin. Os portões do espaço abrem às 19h e os shows começam a partir das 20h30. A entrada é franca.

panelada autoral

Regenados traz rock ” além dos rótulos”

Os veteranos da Renegados, na estrada desde 1993, tem influência direta das épocas áureas do rock (anos 50, 60 e 70), com as características da pulsação, criatividade e energia das artes daquele período. A banda traz fortes letras que abrangem variados temas sociais, políticos e poéticos.

Junto com o repertório autoral, o grupo faz uma viagem pelo universo musical de vários artistas e bandas como Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Cream, Santana, The Doors, Raul Seixas, Luiz Gonzaga, entre outros.

O terceiro disco da banda, intitulado “Além dos Rótulos” foi gravado em estúdio e apresentações ao vivo entre 2007 e 2011 e foi lançado em 2012. Veja o clipe da música  “Sertão da Alma“:

YouTube Preview Image

Sátiros estão com clipe e CD em mãos

Os Sátiros são uma banda cearense de Rock criada em 2007. Sua atual formação conta com Ravel Holanda (Guitarra e Voz), Jonas Monte (Baixo) e Álvaro Abreu (Bateria). Com influências que vão desde o Rock brasileiro dos anos 70, do Pessoal do Ceará, The Beatles, até bandas atuais como Kings of Leon e Cachorro Grande, o grupo apresenta letras que possuem um enfoque poético, falando sobre experiências, impressões do mundo e amores que se vive e se sente.

O primeiro álbum oficial do trio, “Misteriosamente as Ruas Transmitem Amores”, lançado em 2012, é fruto da compilação das melhores músicas que a banda apresenta . Além disso, o grupo lançou recentemente o seu primeiro videoclipe oficial, da música “Devaneios”, faixa nº 3 de seu mais recente trabalho. Veja o clipe:

YouTube Preview Image

Mary Virgin  segue com trabalho autoral 

João Paulo (vocal e violão), Renato Sousa (guitarra), George Pereira (Guitarra), Fábio Persilva (baixo) e Diego Rodrigues (bateria) compõem a Mary Virgin.

Nascida da necessidade de manifestar suas emoções através da música punk dos anos 80, a banda surge com o nome de Biocida, tocando covers dos Garotos Podres, Ramones, Devotos do ódio, Pearl Jam e Nirvana.

Em 2002, após a saída de um dos integrantes, a banda passa por uma reformulação e passa a chamar-se Mary Virgin, em homenagem as Marias, as mães do Ceará. No mesmo ano, morre Marcos Vinicius, baixista do grupo, deixando composta a primeira música autoral da banda (Pode Acontecer) e com ela a ideia indissolúvel da identidade musical que permanece até hoje.

Ouça “Pode Acontecer” e “Pra Não Falar de Amor” no Soundcloud.

Serviço
Panelada Autoral – Shows com as bandas Renegados, Sátiros e Mary Virgin
Data: sexta-feira (2)
Local: Espaço Cultural Panela Rock Cunder (Av. Osório de Paiva, 5623 – Canindezinho)
Horário: a partir das 19h.
Entrada Franca

13:09 · 12.06.2013 / atualizado às 13:16 · 12.06.2013 por

A organização do Festival Planeta Terra divulgou nesta quarta-feira (12) as primeiras atrações confirmadas da edição de 2013, que terá a banda Blur no line-up do evento.

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

Esta é a 2ª vez que a banda desembarca em terras brasileiras. Em 1999, o Blur fez shows no Rio de Janeiro e em São Paulo. Quatorze anos depois, a banda volta ao País como uma das principais atrações do Planeta Terra 2013

Além da banda britânica, ainda figuram entre as atrações confirmadas  Beck e Palm Violet.

Criado pelo site Terra em 2007 e hoje considerado como um dos principais festivais da América Latina, o Planeta Terra Festival já trouxe ao Brasil nomes como Gossip, Kings of Leon, The Strokes, Pearl Jam, Devo, Iggy Pop, Jesus & Mary Chain, Smashing Pumpkins, Sonic Youth, The Breeders, The Offspring, entre outros.

12:43 · 30.05.2013 / atualizado às 12:43 · 30.05.2013 por
Foto: Divulgação. Making of do videoclipe de "Brasileiro" a ser lançado em breve.
Foto: Divulgação. Making of do videoclipe de “Brasileiro” a ser lançado em breve.

A banda Selvagens à Procura de Lei está solicitando uma forcinha para concorrer ao Prêmio Multishow 2013.  No Facebook, o grupo pede para que os fãs os indiquem ao prêmio nas categorias Melhor Grupo, Experimente e Melhor Música, com o seu single, “Brasileiro”, lançado no último dia 13 de maio.  

A votação segue até o dia 30 de junho. Para votar, basta acessar o site , digitar o nome da banda nas duas primeiras categorias e “Brasileiro” na categoria Melhor Música. O Prêmio Multishow 2013 acontece no dia 3 de setembro e será transmitido pela TV e web.  Na edição de 2012, o Selvagens se apresentou ao lado da banda Capital Inicial. 

YouTube Preview Image

O Selvagens à Procura de Lei terá novo álbum lançado nacionalmente no próximo dia 4 de junho pela Universal Music.

 

11:44 · 29.05.2013 / atualizado às 11:46 · 29.05.2013 por

A  banda Iê-Iê-Yeahs promete animar quem adora músicas da Jovem Guarda com uma nova roupagem.  A festa acontece nesta quarta-feira (29), a partir das 22h, no Acervo Imaginário Bar Cultural.  O grupo promete tocar músicas de Reginaldo Rossi, The Fevers, Roberto e Erasmo Carlos e outros grandes nomes em uma versão mais “rocker”.

ieie

 A música também fica por conta dos DJ’s Los Piñeros & Marcorélio, o rei. Os ingressos custam R$15 , antes das 0hrs, e R$18, depois. Lembrando que os 50 primeiros que chegarem até as 23h30 entram de graça.  O Acervo Imaginário fica na Rua Pessoa Anta, 194, próximo ao Dragão do Mar. Mais informações pelo telefone (85) 3221-4894.

Pesquisar

Rock Nordeste

Só mais um site WordPress
Posts Recentes

03h10mSelvagens à Procura de Lei lança single e videoclipe do álbum “Praieiro” no Dragão do Mar

03h10mLos Hermanos leva euforia a público fiel de Fortaleza em show do 4º retorno da banda

09h10mEdu Falaschi e banda cearense Coldness tocam clássicos do metal em Fortaleza

11h10mConfirmado: Iron Maiden fará show em Fortaleza em março de 2016

07h10mBlind Guardian arrebata público de Fortaleza com show impecável

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs