Busca

12:56 · 14.03.2017 / atualizado às 13:04 · 14.03.2017 por
‘Seu Luciano’ precisava apenas de um carrinho de reciclagem para poder trabalhar. (FOTO: Divulgação)
‘Seu Luciano’ precisava apenas de um carrinho de reciclagem para poder trabalhar. (FOTO: Divulgação)

A campanha online para arrecadação de R$ 500 para fabricação de uma carroça de reciclagem para o morador de rua identificado por “Seu Luciano” ultrapassou a meta em menos de 24 horas. Com isso, além de doar o dinheiro para o “veículo”, o estudante karlos Aires, responsável pela movimentação, deve criar uma poupança para o beneficiado.

“É um sentimento de extrema alegria. Por dois motivos. Por saber que agora o Seu Luciano vai poder parar de pedir dinheiro e vai ganhar a própria grana para sustentar a família. E também por ver um engajamento tão forte das pessoas. Isso mostra que quando nos unimos por uma boa causa, podemos mudar aquela situação. E de pequenas e pequenas mudanças, a gente muda o mundo”, comenta o universitário.

Até o início da tarde desta terça-feira (14), o valor arrecadado era de R$ 1.065, além de mais R$ 690 em boletos pendentes. O montante representa 213% a mais da meta. A priori, a campanha iria até o dia 1º de abril, mas Karlos já pensa em encerrar para dar entrada no recebimento do dinheiro, que pode durar até 14 dias.

Inspiração bíblica

Esta foi a primeira vez que o estudante de Jornalismo fez uma campanha do tipo. Segundo ele, a inspiração vem da bíblia.

“Eu realmente acredito nisso. Que nós podemos mudar a situação da nossa cidade. Do nosso estado, do nosso país. O sucesso da campanha foi a confirmação de algo que sempre me influenciou muito. O exemplo de um homem que se disponibilizou para fazer boas coisas, Isaias. Deus disse a ele: ‘A quem enviarei, e quem há de ir por nós?’ Isaias respondeu: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaías 6:8)”, explica.

Karlos Aires, que acreditava no sucesso da campanha, agora quer dar um novo salto. “De primeiro, pensei em criar uma conta poupança e depositar o excedente lá e entregar pra ele. E para aproveitar, queria mediar uma conversa com ele e um profissional da economia pra que ele pudesse receber dicas de como investir bem esse dinheiro. Como morador de rua, ele não tem um ambiente seguro pra guardar esse dinheiro e nem pra administrar ele. Por isso, pensei na poupança”, diz o estudante e lembra ainda que a sugestão foi de uma das primeiras pessoas a fazer uma doação.

Próximos passos

Esta foi a primeira vez que Karlos Aires fez uma campanha na internet. (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)
Esta foi a primeira vez que Karlos Aires fez uma campanha na internet. (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)

O responsável pela campanha “uma carroça para seu Luciano” ainda não sabe como vai fazer para criar conta poupança, já que deseja que seja no nome dele. “Eu prometi que iria deixar todos os doadores à par de cada passo do processo. Então, eles também podem contribuir com sugestões. Como ele [Seu Luciano] é quem me liga, eu estou esperando ele me ligar. Mas, hoje mesmo vou retornar as ligações que ele me fez. Ele pede celular emprestado de outras pessoas pra ligar”.

O universitário ainda não sabe como Seu Luciano vai receber a notícia, mas imagina que ele receberá com grande felicidade. “Nossa, só de falar que eu iria fazer a campanha o olho dele brilhou. Deu pra ver uma nascente de esperança botando no rosto dele. Quando ele souber que a campanha deu certo, eu acredito que ele vai explodir em felicidade”, finaliza.

19:56 · 13.03.2017 / atualizado às 19:56 · 13.03.2017 por
'Seu Luciano' precisa de um carrinho de reciclagem para poder trabalhar. (FOTO: Divulgação)
‘Seu Luciano’ precisa de um carrinho de reciclagem para poder trabalhar. (FOTO: Divulgação)

O jovem estudante de jornalismo Karlos Aires, 24 anos, estava lanchando com um amigo em um estabelecimento na avenida Pontes Vieira, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, no meio de um dia comum qualquer, quando o surgimento de um pedinte com duas sacolas na mãos (uma com fraldas e outra com leite em pó) o sensibilizou. Ele pedia por comida, não dinheiro.

O morador de rua tratava-se de “Seu Luciano”, de 50 anos. Conforme o estudante, ele passa o dia vagando pela cidade pedindo ajuda de outras pessoas para sustentar a esposa e a filha bebê. O homem veio do interior do Ceará em meados de 2010 para tentar uma vida melhor na capital, mas, por falta de oportunidades, foi mais um que se somou à multidão de invisíveis nas ruas de Fortaleza. Atualmente, seu “lar” é a Praça do Ferreira.

Tocado pela história, Karlos resolveu não apenas comprar o sanduíche pedido por Seu Luciano, mas não parou por ai. “Perguntei porque ele não trabalhava, e ele me respondeu afirmando que sua única opção era trabalhar com reciclagem, mas que não tinha dinheiro para comprar o carro, que custa mais ou menos R$ 400. Foi então que propus dar-lhe o equipamento para que ele pudesse ter uma ocupação e um meio para sustentar a si e a sua família”, disse.

Vaquinha online

A partir desta iniciativa, Karlos criou uma vaquinha online para juntar o dinheiro necessário para comprar a carroça de Seu Luciano. O objetivo é acumular R$ 500 (R$ 400 do equipamento e R$ 100 de ajuda extra) e ir junto com ele realizar a compra. Até o momento, no entanto, as doações estão bastante aquém do esperado.

“Infelizmente, não estou tendo muito resultado. Hoje uma amiga doou R$ 10, mas ainda é pouco. Eu tava planejando, para essa semana, fazer vídeos curtos pra chamar o pessoal pra doar, citar exemplos dos EUA, onde esse tipo de campanha é muito comum e sempre passa da meta. Acho que poderia incentivar as pessoas”, argumenta, reforçando que vai postergar a data-limite para doações, atualmente marcada para ser encerrada no dia 1° de abril.

Segundo Karlos, o objetivo não é oferecer “esmola”, mas sim uma oportunidade de vida. “Deu pra notar nos olhos dele a felicidade quando falei que ia ajudá-lo. Ele quer parar de pedir, ele quer trabalhar. No final das contas, ele vai continuar a passar o dia andando, mas agora com dignidade e o próprio dinheiro, por menor que seja”, defende.

As doações podem ser feitas por meio do endereço da campanha e não possuem limite mínimo. Até o momento, a iniciativa de Karlos bateu somente 10% do total da meta estabelecida.

11:50 · 10.03.2017 / atualizado às 19:08 · 10.03.2017 por

Se você acha que está tendo um dia agitado, é porque não viu ainda a esposa do professor Robert Kelly em ação.

O professor participava de um entrevista, via Skype, para a emissora britânica BBC, comentando sobre um assunto importante: a situação da Coréia do Sul.

Acontece que suas filhas aparecem ao fundo, para desespero da mulher, que corre para evitar a situação. O professor Robert Kelly, pedindo desculpas e visivelmente constrangido, tenta manter o tom de seriedade, enquanto o caos rola ao fundo.

Confira o momento:

10:50 · 03.03.2017 / atualizado às 10:52 · 03.03.2017 por
Para Jax, a única diferença entre ele e seu amigo Reddy era o corte de cabelo – Foto: Reprodução

Um garotinho de cinco anos, da cidade de Kentucky, nos Estados Unidos, ganhou destaque nas redes sociais ao tentar fazer uma “pegadinha” na escola. A ideia de Jax era simples: cortar o cabelo para ficar idêntico a seu amigo e confundir a professora com a semelhança entre os dois.

No Facebook, a mãe de Jax relatou o episódio. “Ele disse que mal podia esperar para ir à escola na segunda-feira com o seu novo cabelo como o de Reddy, de forma que a professora não fosse conseguir distinguir. Ele pensou que seria hilário confundir a professora com o mesmo corte de cabelo”. No olhar do garotinho, essa era a única diferença entre Jax e Reddy.

Ela ainda completou: “Aqui está uma foto de Jax e Reddy na festa de Natal. Tenho certeza que todos vocês veem a semelhança. Se isso não for prova de que ódio e preconceito são ensinados, eu não sei o que é”, afirma Lydia.

A postagem já tem mais 77 mil compartilhamentos e 143 mil curtidas.

14:40 · 02.03.2017 / atualizado às 15:10 · 02.03.2017 por

Picasso é um cãozinho com uma mandíbula torcida que, juntamente com seu irmão Pablo, foi deixado em um abrigo na cidade de Oregon, nos Estados Unidos, para ser sacrificado.

Os irmãos nasceram de um criador de quintal, que conseguiu vender todos os filhotes de uma ninhada, exceto Picasso que tem uma anormalidade facial muito perceptível.

Depois de ser entregue a um abrigo, Picasso logo se reencontrou com Pablo, pois a família que comprou seu irmão mudou de ideia sobre ter um cão. Os irmãos não tinham muito tempo de vida até que a ONG Luvable Dog Rescue entrou em cena.

“Aconteceu de perguntar se tinham algum cão de aparência incomum ou necessidades especiais”, disse Liesl Wilhardt, diretor executivo do Luvable Dog Rescue. “[Eles] me enviaram a foto de captura de Picasso. Ele estava enrolado em uma cama de cachorro, e parecia muito triste. Seu rosto torcido era surpreendente, mas tinha olhos suaves e gentis, e para mim foi amor à primeira vista”.

A ONG está cuidando para que os dois cães sejam adotados juntos, depois que Picasso passar por uma cirurgia para corrigir sua dentição. No Instagram da ONG, vários internautas mostram interesse em adotar Picasso e elogiam a aparência do cãozinho.

12:03 · 24.02.2017 / atualizado às 12:12 · 24.02.2017 por
Pandora usando dentadura que encontrou no quintal de casa, no interior paulista – Foto: Lucas Alves Magalhães / Arquivo pessoal

O dono da cadelinha Pandora, Lucas Alves Magalhães, teve uma surpresa ao encontrar a cachorrinha com um “sorriso” diferente. Pandora, que adora brincar de enterrar e escavar objetos, encontrou em uma de suas aventuras no quintal de casa, no interior de São Paulo, a dentadura que ela está usando nas imagens.

Imagine só, que susto: chegar no quintal de casa e ver sua cachorrinha usando uma dentadura?

A reação de Lucas Alves foi cair na risada, pois Pandora não só encontrou a dentadura, como encaixou o objeto perfeitamente na boca. A bagunça inusitada da cachorrinha foi logo registrada por Lucas.

Será que Pandora quis entrar no ritmo de Carnaval? – Foto: Lucas Alves Magalhães / Arquivo pessoal
14:31 · 21.02.2017 / atualizado às 14:31 · 21.02.2017 por

Pablo Júnior Oliveira de Paula, um adolescente de 16 anos, de Goiânia (GO), virou destaque no noticiário local, após achar um celular e devolvê-lo ao dono.

O simples gesto ganhou repercussão porque o jovem, quando foi devolver o aparelho, recusou receber uma recompensa de R$ 200 que lhe foi oferecida. Em troca, Pablo pediu apenas que o dono do iPhone 6 achado, o analista de redes Nikolas Soares Valério, divulgasse seu currículo.

Em entrevita ao sites de notícias G1, o garoto detalhou o ocorrido. “Eu achei o aparelho no chão. Minutos depois, apareceu uma mensagem na tela de bloqueio informando a perda do celular com um número. Eu liguei de volta, encontrei com ele dois dias depois, porque ele estava viajando, e queria apenas devolver, o que pra mim seria a coisa mais normal. Como ele insistiu muito, recusei o dinheiro e depois mandei meu currículo”, disse o adolescente.

Pablo encontrou o celular no último sábado (20), na porta de uma festa. Ao pegar o aparelho, viu que havia uma notificação e imaginou que o dono teria deixado cair ao ir embora do local.

O adolescente ligou para Nikolas e descobriu que ele estava viajando e só voltaria nessa segunda-feira (20). Na hora da entrega, Níkolas ficou surpreso com a atitude de Pablo, recebeu o currículo e postou nas redes sociais.

Depois da postagem de Nikolas no Facebook, Pablo – que é menor de 18 anos – garante que recebeu dezenas de propostas para participar de programas de aprendizagem de empresas.

Confira a postagem original de Nikolas:

12:42 · 21.02.2017 / atualizado às 12:42 · 21.02.2017 por
Reprodução / BBC Brasil

Sandra Maria de Andrade, de 42 anos, é catadora de lixo em Natal, no Rio Grande do Norte. Até um ano atrás, ela vivia a dura realidade que é enfrentada por outros 758 milhões de adultos pelo mundo: o analfabetismo.

Mas com a ajuda de seu filho mais novo, Damião Sandriano de Andrade Regio, 11 anos, Sandra – que não sabia sequer escrever o próprio nome – virou essa página.

Fruto de um segundo casamento e com cerca de três anos de idade, Damião ouviu a mãe desabafar sobre a vergonha de não conseguir ler. Foi quando os dois fizeram um pacto: “Eu vou aprender e, quando aprender, vou ensinar à senhora”. Depois de passar o dia garimpando lixo pela rua, para vender, Maria Sandra deitava em sua rede e, aos sussurros, Sandriano lhe ajudou, aos poucos, a decifrar as letras do alfabeto.

Segundo a catadora, ver o filho ir e voltar da escola era uma de suas maiores alegrias. Quando chegava, o menino lhe contava tudo o que tinha lido e aprendido, dando orgulho a Sandra. “Ele vai ser o que eu queria ser”, conta.

A história completa foi divulgada pela BBC Brasil, que afirma: mãe e filho leram, juntos, 107 livros em 2016 – se forem contados apenas os da escola. A lista fica maior se incluir outros títulos que a catadora encontrou no lixo. O favorito dela: “Ninguém Nasce Genial” de Anasor e Sérgio Viera Brandão. “Escrevi meu nome nele. Porque ninguém nasce gênio. Porque eu achava que não precisava mais saber, achava que era tarde pra saber”, revela.

13:35 · 16.02.2017 / atualizado às 13:36 · 16.02.2017 por

No final de janeiro, o ator americano Chris Salvatore virou destaque internacional por haver adotado Norma Cook, uma senhora de 89 anos, que era sua vizinha, sofria com leucemia e vivia só.

Nessa quarta-feira (15), Chris anunciou em seu Facebook o falecimento de Norma.

“Nesta manhã, o mundo perdeu uma mulher verdadeiramente inspiradora e linda. Norma agora descansa em paz na eternidade e, enquanto ela não está mais fisicamente entre nós, seu espírito continuará a preencher os corações de muitas pessoas. Talvez o legado dela seja que sua história ajudou o mundo a ver o verdadeiro significado do amor. Norma me fez lembrar que todos nós fomos criados para amar e que desejamos ser amados”, disse ele no anúncio em seu Facebook.

Norma era vizinha de Chris, sofria de leucemia, não tinha filhos e morava apenas com um gato. Os dois viraram amigos e, numa internação da idosa, o ator ouviu dos médicos que ela só poderia voltar para casa se contratasse uma enfermeira.

Como Norma não tinha condições financeiras de arcar com as despesas, à época, Chris resolveu adotá-la.

13:22 · 16.02.2017 / atualizado às 13:22 · 16.02.2017 por
Reprodução / TV Globo

A técnica em enfermagem Carla Divina Faria de Oliveira, de 24 anos, e seu marido, o encanador industrial Luciano Gomes, de 39 anos, estão em festa.

Isso porque, após o momento triste de perder filhos gêmeos de uma gestação anterior, há pouco mais de um ano; o casal agora comemora a gravidez de quíntuplos. Isso mesmo! Serão 5 crianças a ampliar a família.

No quarto mês, a jovem fez o pré-natal e os bebês estão se desenvolvendo normalmente. Até o momento, eles só sabem o sexo de dois: um menino e uma menina, que vão se
chamar Lucas e Giovana.

Carla e o marido são casados há dois anos e vivem em Nerópolis, na Região Metropolitana de Goiânia. O parto está previsto para o mês de maio, quando Carla deve estar de 7 meses. Como a gestão é considerada de risco, os bebês ainda devem ficar por pelo menos mais um mês no hospital até serem liberados.

Com informações do G1.