Busca

Categoria: História


13:00 · 12.11.2017 / atualizado às 12:45 · 12.11.2017 por

Única comunidade quilombola do Sertão Central, a do Sítio Veiga, vai promover atividades culturais.

Visita à Casa de Saberes Cego Aderaldo, missa afro, forró da melhor idade, torneio quilombola, noite cultural e a dança de São Gonçalo. Essa será a programação da VII Semana da Consciência Negra, promovida pela Comunidade Quilombola do Sítio Veiga, na Serra do Estevão, distante 25Km do Centro de Quixadá.

Conforme as lideranças da comunidade afrodescendente a programação terá início nesta terça-feira (14), com a visita dos quilombolas à Casa de Saberes Cego Aderlado, um equipamento cultural administrado pelo Centro Cultural Dragão do Mar, vinculado à Secretaria de Cultura do Estado, o qual começou a funcionar este mês.

As atividades comemorativas seguem até o dia 25 deste mês, quando o Mestre da Cultura Joaquim Roseno e suas pastorinhas apresentarão para o público a Dança de São Gonçalo, uma tradição secular da comunidade, fechando mais um ciclo de preservação dos costumes quilombolas do Sítio Veiga, onde residem 39 famílias.

Mestre Joaquim Roseno comanda a Dança de São Gonçalo dos quilombolas do Sítio Veiga.

VII Semana da Consciência Negra
De 14 a 25 de novembro
Sítio Veiga – Distrito de Dom Maurício
Quixadá – Ceará

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

11:30 · 11.11.2017 / atualizado às 11:30 · 11.11.2017 por

Desde 1982 milhares de fiéis participam da Caminhada da Seca em Senador Pompeu.

Neste domingo (12), quando estiver amanhecendo, será realizada em Senador Pompeu, no Centro do Estado, a 35ª Caminhada da Seca, uma marcha religiosa em sufrágio dos milhares de flagelados mortos na barragem do Açude Patu na seca de 1932. A procissão, com a participação de milhares de fiéis, é promovida pela paróquia de Nossa Senhora das Dores com o apoio do Centro de Defesa dos Direitos Humanos Antônio Conselheiro (CDDH-AC).

O tema da Caminhada da Seca este ano é “Por uma terra sem males e pelo direito à água”.

O ato religioso relembra o martírio dos flagelados da seca mantidos na barragem do açude, transformada em um campo de concentração. Esse martírio histórico será encenado na noite deste sábado (11) diante a igreja Matriz de Senador Pompeu. A Companhia de Teatro Arautos da Quadra apresentará o experimento cênico “Campo de Concentração de 1932“, com texto do advogado e dramaturgo Valdecy Alves e direção do produtor cultural Fram Paulo de Sousa.

Este ano, integrantes das pastorais sociais da Diocese de Iguatu, partiram em peregrinação daquela cidade a Senador Pompeu. Chegaram nesta manhã, percorrendo quase 120Km com destino à terra das Almas da Barragem, onde a multidão de devotos se concentra no fim da procissão para reverenciar o santo coletivo e assistir a tradicional missa campal diante do cemiterio. No caminho, os romeiros passaram por Acopiara e Piquet Carneiro, informou o CDDH-AC.

Apresentação teatral – Campo de Concentração de 1932
Neste sábado (11)  – 19 horas
 Salão paroquial de Nossa Senhora das Dores
Senador Pompeu – Centro

35ª Caminhada da Seca – Procissão
Neste domingo (12) – 4h30
Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores
Senador Pompeu – Centro

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

00:00 · 10.10.2017 / atualizado às 22:15 · 09.10.2017 por

A diretoria da AFAQ se reuniu com o prefeito de Quixadá, Ilário Marques, na sua sede, em Fortaleza.

A diretoria da Associação de Filhos e Amigos de Quixadá (AFAQ) se reuniu com o prefeito deste Município, Ilário Marques, para solicitar o mapeamento do patrimônio histórico da cidade e qual destino será dado a ele. De acordo com a presidente da AFAQ, Lúcia Helena Fonseca Grangeiro, o atual gestor municipal assumiu o compromisso de levantar os dados solicitados.

No pedido a AFAQ solicita informações acerca do destino do Patrimônio Histórico de Quixadá, destacando-se os poucos prédios antigos que ainda restam, como a antiga Maternidade Jesus, Maria e José e o Mosteiro da Serra do Estevão, mas especialmente os Monólitos de Quixadá, que, tombados como Patrimônio Nacional em 2004, apresentam uma paisagem de beleza cênica e rara na sua formação.

A Associação também faz menção ao monumento natural da Galinha Choca, ao centenário Açude do Cedro, na época do Império, em 1886, ainda a Pedra do Cruzeiro, cuja cruz foi construída em 1932, de onde se tem uma belíssima vista aérea da cidade, referências para visitação e cenários para fotografias desde longínquas datas que fazem parte da memória coletiva de várias gerações quixadaenses.

Acerca da solicitação ao prefeito Ilário Marques, realizada através de ofício, a AFAQ justifica ter respaldo legal no artigo 216 da Constituição Federal de 1988, que considera como patrimônio cultural brasileiro todos “os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira […]”.

A legislação estadual do Ceará, também oferece garantias na Lei de Proteção e Preservação do Patrimônio Imaterial, de 30 de dezembro de 2003, que em 2004 foi ampliada e atualizada, ainda na Lei de proteção ao Patrimônio Histórico e Artístico do Ceará, de 5 de maio de 2004, incluindo a proteção ao entorno do bem tombado e na norma complementar à Lei Orgânica do Município de Quixadá, que estabelece um dispositivo legal especial para disciplinar a utilização das antenas da Pedra do Cruzeiro.

Ainda conforme a AFAQ, o artigo 129 da Lei Orgânica determina que a Pedra do Cruzeiro, patrimônio histórico, cultural e turístico do município, será preservada de toda e qualquer depredação, vedada à exploração comercial ou residencial em toda a sua estrutura a qualquer título, salvo iniciativa do Poder Executivo através do Projeto de Lei enviado à Câmara Municipal.

A preservação da Pedra do Cruzeiro, no Centro de Quixadá, é uma das preocupações da AFAQ.

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

08:00 · 08.10.2017 / atualizado às 08:00 · 08.10.2017 por

A juventude indígena dos Kanindé, uma tribo da comunidade de Quebrada dos Fernandes, no município de Aratuba, no Maciço de Baturité, se organiza para participar do II Encontro Estadual das Juventudes Indígenas. O evento será realizado de 3 a 5 de novembro próximo na Aldeia Lagoa dos Tapebas, em Caucaia.

De 29 de setembro ao primeiro dia de outubro eles participaram do Seminário de Formação da Juventude Indígena no Ceará, no primeiro Encontro, em Poranga, organizado pela Adelco, via projeto Urucum, da Juventude Indígena do Ceará, do Esplar e União Europeia, com o apoio do Governo do Estado do Ceará.

Conforme a Associação para Desenvolvimento Lola Co-produzido (Adelco) no I Encontro o povo Tabajara, da Aldeia Cajueiro, recepcionou os quase 70 jovens entre 15 e 29 anos das tribos com um toré, cantos e acordo de convivência, além da hospitalidade e em seguida das rodas de conversa e oficinas. O encerramento ocorreu com apresentações artísticas.

Os jovens índios Kanindé participaram do I Encontro Estadual em Poranga. Foto > Adelco

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

19:30 · 01.10.2017 / atualizado às 19:25 · 01.10.2017 por

Currais retrata o sofrimento dos flagelados na seca de 1932 no Ceará. Fotos > Cleyton de Paula

O espetáculo cênico “Currais”, que retrata a saga dos retirantes da seca de 1932 em um dos maiores campos de concentração do Brasil, o da barragem do Açude Patu, em Senador Pompeu, onde milhares de flagelados morreram, teve sua avant-première neste fim de semana em Quixadá. Produzida pelo Instituto Assum Preto, foi apresentada noite da última sexta-feira pela Companhia de Dança Rastro no do campus do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) em Quixadá.

Conforma a fundadora e diretora da Cia. Rastro, a coreografa e bailarina Gerlídia Tavares, a encenação musical tem 25 minutos de duração com a participação seis bailarinos, quatro homens e duas mulheres, e duas crianças, ainda um ator. A coreografia retratando o sofrimento dos flagelados da pior seca enfrentada no Ceará é encenada em um cenário virtual. Após a sua estréia “Currais” será apresentado nas cidades cearenses onde foram criados campos de concentração para evitarem o êxodo dos sertanejos famintos à capital, Fortaleza.

No roteiro da turnê, além de Senador Pompeu estão Quixeramobim, Ipu, Crato, Jucás, antigamente conhecida como São Mateus e, Fortaleza.

Gerlídia Tavares e sua equipe recebeu elogios pela apresentação do espetáculo “Currais”. 

Veja também a reportagem especial no Diário do Nordeste

Campos de concentração no Ceará

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

07:30 · 29.09.2017 / atualizado às 07:40 · 29.09.2017 por

A saga dos retirantes da seca em um dos maiores campos de concentração do Brasil, o da barragem do Açude Patu, em Senador Pompeu, será retratada no espetáculo Currais, apresentado pela Companhia de Dança Rastro e o Instituto Assum Preto, na noite desta sexta-feira (29), a partir das 19 horas no auditório do campus do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) em Quixadá. O espaço cultural no IFCE será  aberto ao público.

A Cia de Dança Rastro, há 15 anos em atividade, apresentará o espetáculo Currais no IFCE de Quixadá. 

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

06:00 · 25.08.2017 / atualizado às 06:05 · 25.08.2017 por

O parque do Açude Cedro, em Quixadá, é considerado um dos mais belos do mundo.

O juiz da 23ª Vara Federal, Ricardo José Brito Bastos Aguiar de Arruda, voltou a realizar em Quixadá, Audiência Pública com a diretoria do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), através de videoconferência, para adoção de providências de restauração e preservação do acervo arquitetônico e natural do Açude Cedro. Além dos representantes do Ministério Público participaram representantes de vários segmentos sociais e moradores do entorno do açude centenário.

Na última Audiência, realizada no dia 10 de maio, o magistrado federal havia estabelecido prazo de 160 dias para o Dnocs apresentar o cronograma do projeto de restauro. O plano foi apresentado, com possibilidade do início dos serviços em 2020, todavia o órgão federal dependerá da contratação do arquiteto Romeu Duarte, ex-superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Ceará para elaboração do projeto.

Na administração municipal anterior o então secretario do Desenvolvimento Econômico e Turístico de Quixadá, Fabiano Barbosa, teve dificuldade para realizar as obras de restauro do armazém e da vila do Açude Cedro, na alameda de acesso a parede do reservatório centenário. O recurso financeiro havia sido captado através de emenda parlamentar, mas retornou aos cofres do governo federal porque a prefeitura não conseguiu em tempo hábil empresa pelo Iphan para realizar o serviço.

A esse respeito, presente na Audiência que contou também com a participação do atual secretário da pasta de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Município, Pedro Baquit, o ambientalista Osvaldo Andrade questionou a contratação do arquiteto, apontando que ele foi o responsável pela elaboração dos projetos dos campus da UFC e do IFCE, dentro da área de preservação do Açude Cedro, onde estão situados alguns dos monólitos tombados como patrimônio natural.

Um dos proponentes da Audiência Pública acatada pelo Ministério Público, o jornalista e advogado Wanderley Barbosa, também participou do encontro realizado na sala do magistrado. Como o espaço era pequeno, outros interessados na restauração e preservação do Açude Cedro outros interessados acompanharam no corredor do Fórum, por esse motivo a próxima reunião, em novembro, será realizada no auditório do IFCE. Nela será realizado um amplo debate sobre o projeto a ser apresentado pelo Dnocs, acrescentou Barbosa.

Sala de Audiências do Fórum Federal em Quixadá ficou lotada. Foto > Eurismar Júnior 

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

06:00 · 22.08.2017 / atualizado às 09:05 · 22.08.2017 por

A professora Isabel Dantas e os estudantes Júlio César, Caroline Nobre e Caio Cavalcante em Campinas. Foto > Facebook 

Uma equipe formada por três alunos e uma professora da Escola Profissional Dr. José Alves da Silveira, em Quixeramobim, conquistou no domingo (20) a medalha de prata na 9ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). A competição é realizada em Campinas (SP) pelo Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Para conquistarem o segundo lugar no pódio concorrendo com equipes de escolas públicas e particulares de todo o País, os três estudantes da equipe “Cabala”, Caio Cavalcante, Caroline Nobre e Júlio César, precisaram superar cinco fases online. Em seguida, acompanhados da professora de História e Geografia Isabel Dantas, viajaram para Campinas, onde participaram da última fase.

Conforme informações da Unicamp, no total, 1.200 alunos dos ensinos fundamental e médio participaram da competição educacional nacional. Eles formaram 307 equipes. O Ceará teve o maior número de finalistas, com 119 equipes. O Rio Grande do Norte veio em seguida, com 60 e São Paulo com 37 equipes. Foram distribuídas 15 medalhas de ouro, 25 de prata e 35 de bronze.

Outras três equipes, de Fortaleza, também ganharam medalha de prata e seis, todas de Fortaleza, conquistaram a medalha de ouro. A equipe de Quixeramobim foi a única do Interior do Ceará a se classificar entre as melhores do Brasil de acordo com a divulgação do resultado da 9ª ONHB.

Veja mais no Diário do Nordeste

CE leva o 1º lugar em Olimpíada

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

08:30 · 05.08.2017 / atualizado às 08:35 · 05.08.2017 por

Os cavaleiros têm como desafio flechar as duas argolas penduradas nas traves fixadas na arena.

Um esporte com raízes nos torneios medievais, a cavalhada, é um dos destaques do Diário do Nordeste neste sábado (5). Embora sem muita divulgação, a montaria com o desafio de flechar duas pequenas argolas numa pista, ou arena, é tradição em várias localidades do Interior do Ceará. São João dos Queiroz, em Quixadá, é uma delas, onde o torneio foi realizado no último fim de semana com a participação de dezenas de cavaleiros. A competição faz parte há 30 anos da programação do Jogos Olímpicos promovidos pela comunidade.

Em Quixadá, a próxima cavalhada será realizada em Juatama, outra comunidade rural, situada a 20Km do Centro da cidade. De acordo com o secretário de Cultura, Esporte de Juventude do Município, Audênio Moraes, a disputa, trazida para a região pelo professor, ex-senador e fazendeiro Flávio Torres,  ocorria sempre no Dia da Independência, 7 de setembro, mas este ano será realizada noutra data. O espaço de encontro dos cavaleiros mudou de lugar e está recebendo uma nova estrutura. A nova data ainda não foi divulgada.

Apesar de as cavalhadas em Quixadá serem de iniciativa particular o secretário Audênio Moraes pretende realizar uma minuciosa pesquisa sobre as cavalhadas e auxiliar os organizadores e praticantes na preservação dessa cultura. O objetivo é evitar as mutações formadas pela modernidade ou pelo interesse pessoal, e até então sem apoio institucional. A ideia é seguir o exemplo das cavalhadas realizada em outros estados brasileiros, onde a tradição é mantida desde a colonização.

A arena, ou pista de São João dos Queiroz é improvisada em um campo de futebol.

O argoleiro pendura das duas argolas no arame das traves.

Os cavaleiros se concentram e criam estratégias para flecharem as duas pequenas argolas.

O cavaleiro precisa retornar ao centro da arena com as argolas penduradas na flecha.

Veja a reportagem no Diário do Nordeste e entenda como é a cavalhada

Competição medieval ocorre no CE

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do WhatsApp 55 88 9 9970 5161

10:30 · 02.07.2017 / atualizado às 10:45 · 02.07.2017 por

Um mistro de história e de preservação ambiental, é dessa forma que o psicopedagogo Tertuliano de Melo Neto recepciona os visitantes do museu fundado por ele na Fazenda Coité, uma localidade situada na zona rural de Ibaretama. Além da coleção histórica formada por ele ao longo de mais de quatro décadas, o parque da Serra Azul é outro precioso tesouro preservado por ele.

Em 2013 o Diário do Nordeste publicou reportagem sobre o Museu Tertuliano de Melo Neto. De lá para cá o mantenedor recebe visitas, principalmente de grupos de pesquisadores, de estudantes secundaristas e universitários. Os visitantes se interessam pelo acervo histórico mantido ao lado da Casa Grande da fazenda e também pela biodiversidade do seu entorno.

Nesta semana Melo Neto recebeu um grupo de universitários do curso de Biologia da Faculdade de Educação Ciências e Letras do Sertão Central (Feclesc). Acompanhados do professor Hugo Fernandes, tiveram a oportunidade de conhecer as preciosidades do lugar através da expedição educativa. Não imaginavam encontrar tamanha diversidade.

O Museu Tertuliano de Melo Neto é mantido pelo Instituo Ester de Melo, fundado por Melo Neto. O museu está registrado no Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e na Secretaria de Cultura do Ceará (Secult). O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ingressou com registro para validar pesquisas históricas realizadas por ele. Entretanto, nenhum órgão público auxilia na manutenção do acervo e nem na realização das pesquisas, ressalta o museólogo.

Veja também no Diário do Nordeste

Museu comunitário reúne acervo raro em Ibaretama

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do WhatsApp 55 88 9 9970 5161